165 A marca eterna

1 Despertei de um pesadelo, tentei voltar a cair no sono, assombrado por meu passado doloroso: eu tinha sido preso e torturado por minha fé em Deus – e, cobiçando vida e temendo a morte, fui lançado em tentação. Diante de Satanás, neguei a Deus, o que me marcou com uma mancha que jamais poderia ser retirada. O tumulto em meu coração era pior do que a morte. Eu estava envergonhado demais para me encontrar com Deus, e todos os dias as lágrimas escorriam por meu rosto. No passado, fiz um juramento solene de renunciar a tudo e de seguir a Deus para sempre e resolvi que, não importando o tamanho da adversidade, meu amor por Deus jamais mudaria. Hoje, meu juramento se tornou mentira: dei de costas para a minha fé e abandonei a justiça, entristecendo o coração de Deus. Perdi a presença de Deus, e tudo que permanecia eram terror e escuridão sem limite.

2. Nos muitos anos de minha crença em Deus, nunca busquei a verdade nem dei testemunho verdadeiro. Eu me contentava em prestar serviço a Deus em troca por um fim sem morte durante os últimos dias. Eu não tinha reverência por Deus, menos ainda apreciava que vida e morte são governadas por Deus. Na face da adversidade, valorizei minha própria vida e perdi meu testamento ao ser testado. Para proteger minha própria vida, dei de costas para Deus e ofendi o caráter de Deus – uma transgressão vergonhosa, uma marca no fundo do meu coração. Se pudesse voltar no tempo, mesmo que custasse a minha vida, eu não estenderia uma existência tão ignóbil; meu coração dói de contrição, como que esfaqueado, e anseio por receber mais uma vez a compaixão de Deus.

3. O julgamento das palavras de Deus perfurou a profundeza do meu coração: vi que minha natureza é traição. Após cair, após cair, finalmente despertei e entendi que nada é mais precioso do que ganhar a verdade. Eu me odiei por ter desperdiçado tanto tempo. Eu não tinha como fazer reparações por decepcionar a Deus: era uma marca irremovível, que se tornou uma fonte de angústia eterna no meu coração. Procuro somente buscar a verdade para compensar minha transgressão, para viver um pouco de integridade e dignidade, para ser uma verdadeira criatura de Deus. Prestarei serviço com alegria, mesmo que nenhum destino me espere; não importa se Deus me quer ou não, seguirei a Deus por toda a minha vida até o fim. Somente Deus pode me salvar.

Anterior: 164 Por meio da adversidade, meu amor por Deus se fortalece

Próximo: 166 Que conheçamos a beleza de Deus

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro