254 Arrependimento

Boas intenções, conselho dos últimos dias despertam o homem do seu sono profundo.

Memórias dolorosas, manchas permaneceram torturando minha consciência.

Em confusão, estou orando com temor. Mão no coração, arrependendo-me.

Tu és tão gentil, mas eu Te enganei com falso amor.

Minha alma má não conhecia arrependimento.

Vivendo em pecado, sem medo. Não me importando em como Tu Te sentias.

Querendo apenas Tua graça. Em inquietação e autocomiseração,

sinto muito mas não posso parar.

A auto-decepção é difícil de esconder.


Não sabendo que Tu és fiel e justo, procurou atentamente minha saída.

Uma vez que os de desastres vêm, quem pode deter-Te?

Tudo o que resta são suspiros e arrependimentos.

Vivendo em pecado, corrupção. A culpa cresce no meu coração.

Palavras sinceras permanecem em mim. Eu odeio o quão baixo eu tenho sido.

De mãos vazias, eu encaro Tuas palavras, envergonhado demais para Te ver, oh.

Anterior: 253 Só o que peço é que Deus seja satisfeito

Próximo: 255 Nostalgia pelo amor de Deus

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro