Palavras diárias de Deus | "A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III" | Trecho 62

Hoje, primeiro vamos resumir os pensamentos, ideias e todos os movimentos de Deus desde que Ele criou os humanos, e examinar a obra que Ele realizou, desde a criação do mundo até o início oficial da Era da Graça. Poderemos então descobrir quais dos pensamentos e ideias de Deus são desconhecidos do homem, e a partir daí podemos esclarecer a ordem do plano de Deus para o gerenciamento, e compreender plenamente o contexto no qual Ele criou Sua obra de gerenciamento, suas origens e seu processo de desenvolvimento, e também compreender plenamente que resultados que Ele quer da Sua obra de gerenciamento — isto é, o cerne e o propósito da Sua obra de gerenciamento. Para compreender essas coisas, precisamos voltar a um tempo distante, imóvel e silencioso, quando não havia humanos…

Quando Deus Se levantou do Seu leito, o primeiro pensamento que Ele teve foi este: criar uma pessoa viva, um ser humano vivo, real — alguém para viver com Ele e fazer-Lhe constante companhia. Essa pessoa poderia ouvi-Lo, e Deus poderia confiar nela e falar com ela. Então, pela primeira vez, Deus apanhou um punhado de terra e o usou para criar a primeira pessoa viva que Ele havia imaginado, e deu então a essa criatura viva um nome: Adão. Assim que Deus ganhou essa pessoa que vivia e respirava, como Ele Se sentiu? Pela primeira vez, Ele sentiu a alegria de ter um ente querido, uma companhia. Sentiu também pela primeira vez a responsabilidade de ser pai e a preocupação que a acompanha. Essa pessoa que vivia e respirava trouxe a Deus felicidade e alegria; pela primeira vez, Ele Se sentiu reconfortado. Essa foi a primeira coisa que Deus fez que não foi realizada com Seus pensamentos, nem mesmo palavras, mas sim com as Suas duas mãos. Quando esse tipo de ser — uma pessoa que vive e respira — postou-se diante de Deus, feito de carne e sangue, com corpo e forma, e capaz de falar com Deus, Ele experimentou uma espécie de alegria que nunca sentira antes. Ele realmente sentiu a Sua responsabilidade e esse ser vivo não apenas tocou Seu coração, mas cada pequeno movimento que fazia também O tocava e aquecia Seu coração. Assim, quando esse ser vivo se postou diante de Deus, foi a primeira vez que Ele teve o pensamento de ganhar mais pessoas assim. Essa foi a série de eventos que se iniciou com esse primeiro pensamento que Deus teve. Para Ele, todos esses eventos estavam ocorrendo pela primeira vez, mas, nesses primeiros eventos, não importa o que Ele tenha sentido naquele momento — alegria, responsabilidade, preocupação — não havia ninguém com quem compartilhar. A partir daquele momento, Deus sentiu, verdadeiramente, uma solidão e uma tristeza que nunca havia tido antes. Sentiu que os seres humanos não podiam aceitar nem compreender Seu amor e Sua preocupação, nem Suas intenções para a humanidade e, assim, Ele continuou sentindo tristeza e dor em Seu coração. Embora Ele tivesse feito essas coisas para o homem, o homem não estava ciente disso e não compreendia. Além de felicidade, a alegria e o consolo que o homem trouxe para Ele logo trouxeram consigo os Seus primeiros sentimentos de tristeza e solidão. Esses eram os pensamentos e sentimentos de Deus naquele momento. Enquanto Deus estava fazendo todas essas coisas, em Seu coração Ele passava da alegria à tristeza e da tristeza à dor, tudo misturado com ansiedade. Tudo o que Ele queria era apressar-Se para fazer essa pessoa, essa raça humana, saber o que estava em Seu coração e que compreendessem as Suas intenções o quanto antes. Eles poderiam, então, tornar-se Seus seguidores e estar em sintonia com Ele. Eles não mais ouviriam a voz de Deus e permaneceriam sem falar; eles não mais seriam inconscientes de como unir-se a Deus na Sua obra; acima de tudo, eles não seriam mais pessoas indiferentes às exigências de Deus. Essas primeiras coisas que Deus completou são muito significativas e têm grande valor para o Seu plano de gerenciamento e para os seres humanos de hoje.

Depois de criar todas as coisas e os humanos, Deus não descansou. Ele não podia esperar para realizar Seu gerenciamento, nem podia esperar para ganhar as pessoas que Ele amava tanto em meio à humanidade.

Em seguida, não muito depois de Deus ter criado os seres humanos, vemos na Bíblia que houve um grande dilúvio por todo o mundo. Noé é mencionado no registro do dilúvio, e pode-se dizer que Noé foi a primeira pessoa a receber o chamado de Deus para trabalhar com Ele, para completar uma tarefa de Deus. Naturalmente, essa também foi a primeira vez que Deus chamou uma pessoa na terra para fazer alguma coisa seguindo as Suas ordens. Logo que Noé terminou de construir a arca, Deus inundou a terra pela primeira vez. Quando Deus destruiu a terra com o dilúvio, foi a primeira vez desde que havia criado os seres humanos que Ele Se sentiu tomado de desgosto por eles; foi isso que obrigou Deus a tomar a dolorosa decisão de destruir essa raça humana por meio de um dilúvio. Depois que o dilúvio destruiu a terra, Deus fez Sua primeira aliança com os humanos, prometendo que Ele nunca faria isso novamente. O sinal dessa aliança foi um arco-íris. Essa foi a primeira aliança de Deus com a humanidade, e assim o arco-íris foi o primeiro sinal de uma aliança dado por Deus; esse arco-íris é uma coisa física, que existe na realidade. É a própria existência desse arco-íris que faz com que Deus muitas vezes sinta tristeza pela raça humana anterior que Ele perdeu, e que Lhe serve como um lembrete constante do que aconteceu com eles… Deus não quis diminuir o ritmo — Ele não podia esperar para dar o próximo passo em Seu gerenciamento. Em seguida, Deus escolheu Abraão como Sua primeira opção para a Sua obra por toda a Israel. Essa foi também a primeira vez que Deus escolheu um tal candidato. Deus resolveu começar a realizar a Sua obra de salvar a humanidade por meio dessa pessoa, e continuar a Sua obra entre os seus descendentes. Podemos ver na Bíblia que foi isso que Deus fez com Abraão. Deus então fez de Israel a primeira terra escolhida, e começou a Sua obra da Era da Lei através do Seu povo escolhido, os israelitas. Novamente, pela primeira vez, Deus forneceu aos israelitas as regras e leis expressas que a humanidade deveria seguir, e as explicou em detalhes para eles. Essa foi a primeira vez que Deus deu aos seres humanos regras tão específicas, padronizadas, sobre como eles deveriam oferecer sacrifícios, como deveriam viver, o que deveriam fazer e não fazer, quais festividades e dias eles deveriam observar, e princípios a seguir em tudo que fizessem. Foi a primeira vez que Deus deu à humanidade normas e princípios padronizados tão detalhados para suas vidas.

Quando digo “pela primeira vez”, isso significa que Deus nunca havia completado antes uma obra como essa. É algo que não existia antes, e embora Deus tivesse criado a humanidade e todos os tipos de criaturas e seres vivos, Ele nunca havia completado esse tipo de obra. Toda essa obra envolvia o gerenciamento dos humanos por Deus; estava totalmente relacionada com os humanos, com a salvação e o gerenciamento dos humanos. Depois de Abraão, Deus fez uma escolha, novamente pela primeira vez — Ele escolheu Jó para ser o único homem submetido à lei que poderia resistir às tentações de Satanás, enquanto continuava a temer a Deus a evitar o mal e, ser testemunha Dele. Essa foi também a primeira vez que Deus permitiu que Satanás tentasse uma pessoa e, a primeira vez que Ele fez uma aposta com Satanás. No final, pela primeira vez, Deus ganhou alguém que era capaz de ser testemunha Dele enquanto enfrentava Satanás — uma pessoa capaz de dar testemunho Dele e deixar Satanás completamente envergonhado. Desde que Deus tinha criado a humanidade, essa era a primeira pessoa que Ele tinha ganhado que podia dar testemunho Dele. Tendo ganhado esse homem, Deus ficou ainda mais ansioso para continuar o Seu gerenciamento e passar para a próxima etapa na Sua obra, preparando Sua próxima escolha e o local onde realizaria a Sua obra.

Depois de comungar sobre tudo isso, vocês têm uma verdadeira compreensão da vontade de Deus? Deus vê essa instância de gerenciamento da humanidade, de salvar os humanos, como mais importante do que qualquer outra coisa. Ele faz essas coisas não apenas com a Sua mente, nem apenas com Suas palavras e, em especial, Ele não faz isso casualmente — Ele faz todas essas coisas com um plano, com um objetivo, com normas e com a Sua vontade. É claro que essa obra de salvar a humanidade tem grande significado tanto para Deus como para o homem. Por mais difícil que seja a obra, por maiores que sejam os obstáculos, por mais fracos que sejam os humanos, ou por mais profunda que seja a rebeldia da humanidade, nada disso é difícil para Deus. Deus Se ocupa, despendendo Seus meticulosos esforços e gerenciando a obra que Ele Mesmo quer realizar. Ele também está organizando tudo e governando todas as pessoas e as obras que Ele quer completar — nada disso foi feito antes. Foi a primeira vez que Deus usou esses métodos e pagou um alto preço por esse grande projeto de gerenciamento e salvação da humanidade. Enquanto Deus está realizando essa obra, pouco a pouco Ele está expressando para os humanos, sem reservas, Sua árdua obra, o que Ele tem e é, Sua sabedoria e onipotência, e todos os aspectos do Seu caráter. Ele revela, sem reservas, tudo isso para a humanidade, pouco a pouco, revelando e expressando essas coisas como Ele nunca havia feito antes. Assim, no universo inteiro, além das pessoas que Deus visa gerenciar e salvar, nunca houve criaturas tão próximas de Deus, que tivessem um relacionamento tão íntimo com Ele. No Seu coração, a humanidade que Ele quer gerenciar e salvar é a mais importante, e Ele valoriza essa humanidade acima de tudo; embora tenha pago um alto preço por eles, e embora seja continuamente magoado e desobedecido pelas pessoas, Ele nunca desiste delas e prossegue incansavelmente na Sua obra, sem queixas nem arrependimentos. Isso é porque Ele sabe que mais cedo ou mais tarde, os humanos algum dia despertarão para o Seu chamado e serão tocados pelas Suas palavras, reconhecerão que Ele é o Senhor da Criação, e retornarão para o Seu lado…

Depois de ouvir tudo isso hoje, vocês podem sentir que tudo que Deus faz é muito normal. Parece que os humanos sempre sentiram um pouco da vontade de Deus para com elas a partir das Suas palavras e da Sua obra, mas há sempre uma certa distância entre os sentimentos ou conhecimentos deles e o que Deus está pensando. Assim, acho que é necessário comunicar para todas as pessoas sobre por que Deus criou a humanidade, e o contexto por trás do Seu desejo de ganhar as pessoas por quem Ele tinha esperança. É essencial compartilhar isso com todos, para que todos tenham clareza em seu coração. Como cada pensamento e ideia de Deus, cada fase e cada período da Sua obra estão vinculados e intimamente ligados a toda a Sua obra de gerenciamento, quando vocês compreendem os pensamentos, as ideias e a vontade Dele em cada passo de Sua obra, é o mesmo que compreender a origem da obra de Seu plano de gerenciamento. É sobre esse fundamento que a compreensão que vocês têm sobre Deus se aprofunda. Embora tudo que Deus fez quando criou o mundo, como já mencionei, seja uma mera informação para as pessoas de hoje e pareça irrelevante para a busca da verdade, ao longo da experiência de vocês haverá um dia em que você não mais pensará que é algo tão simples como algumas informações, nem tão simples quanto alguns mistérios. À medida que a sua vida progride e quando houver um pouco de espaço para Deus em seu coração, ou quando você compreender mais plenamente e profundamente a Sua vontade, você realmente compreenderá a importância e a necessidade do que estou falando hoje. Não importa em que medida vocês aceitaram isso; é necessário que vocês entendam e saibam essas coisas. Quando Deus faz alguma coisa, quando Ele realiza Sua obra, não importa se é com as Suas ideias ou com as Suas próprias mãos, não importa se é a primeira vez que Ele faz aquilo, ou se é a última — no fim, Deus tem um plano e Seus propósitos e pensamentos estão em tudo que Ele faz. Esses propósitos e pensamentos representam o caráter de Deus e expressam o que Ele tem e é. Essas duas coisas — o caráter de Deus e o que Ele tem e é — devem ser compreendidas por todas as pessoas, sem exceção. Quando uma pessoa compreende o Seu caráter e o que Ele tem e é, pode gradualmente compreender por que Deus faz o que faz e por que Ele diz o que diz. A partir daí, ela pode ter mais fé para seguir a Deus, buscar a verdade e buscar uma mudança de caráter. Ou seja, o entendimento do homem sobre Deus e sua fé em Deus são inseparáveis.

Extraído de “A Palavra manifesta em carne

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado