Palavras diárias de Deus | "A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus I" | Trecho 29

Deus criou a humanidade; independentemente de terem sido corrompidas ou de segui-Lo, Deus trata os seres humanos como Seus entes queridos — ou, como diriam os seres humanos, as pessoas mais queridas por Ele — e não como brinquedos. Embora Deus diga que Ele é o Criador e que o homem é Sua criação, o que pode soar como uma diferença na classificação, a realidade é que tudo que Deus fez pela humanidade excede em muito um relacionamento dessa natureza. Deus ama a humanidade, cuida da humanidade e demonstra preocupação para com a humanidade, bem como supre constantemente e incessantemente à humanidade. Ele nunca sente em Seu coração que isso é obra adicional ou algo que merece muito crédito. Nem Ele sente que salvar a humanidade, suprindo-lhe e concedendo-lhe tudo, está fazendo uma enorme contribuição para a humanidade. Ele simplesmente supre a humanidade calma e discretamente, a Seu Próprio modo e através de Sua Própria essência e do que Ele tem e é. Não importa quanta provisão e quanta ajuda a humanidade receba Dele, Deus nunca pensa nem tenta levar crédito. Isso é determinado pela essência de Deus e também é precisamente uma expressão verdadeira do caráter de Deus. É por isso que, independentemente de estar na Bíblia ou em qualquer outro livro, nunca vemos Deus expressando Seus pensamentos, e nunca vemos Deus descrevendo ou declarando aos homens por que Ele faz essas coisas, ou porque Ele Se importa tanto com a humanidade a fim de fazer a humanidade ser grata a Ele ou louvá-Lo. Mesmo quando Ele está ferido, quando o Seu coração está em extrema dor, Ele nunca Se esquece de Sua responsabilidade para com a humanidade ou com a Sua preocupação pela humanidade, enquanto Ele suporta esta mágoa e dor sozinho em silêncio. Pelo contrário, Deus continua a prover a humanidade como sempre fez. Embora a humanidade muitas vezes louve a Deus ou dê testemunho Dele, nenhum desses comportamentos é exigido por Deus. Isso é porque Deus nunca teve a intenção de que as coisas boas que Ele faz pela humanidade sejam trocadas pela gratidão ou para serem restituídas. Por outro lado, aqueles que temem a Deus e evitam o mal, aqueles que realmente seguem a Deus, escutam a Ele e são leais a Ele, e aqueles que Lhe obedecem — essas são as pessoas que frequentemente recebem as bênçãos de Deus, e Deus lhes concederá bênçãos incondicionalmente. Além disso, as bênçãos que as pessoas recebem de Deus muitas vezes estão além de sua imaginação, e também além de qualquer coisa que os seres humanos possam trocar pelo que fizeram ou pelo preço que pagaram. Quando a humanidade está desfrutando das bênçãos de Deus, alguém se importa com o que Deus está fazendo? Alguém demonstra alguma preocupação quanto ao que Deus está sentindo? Alguém tenta apreciar a dor de Deus? A resposta precisa para essas perguntas é: não! Pode algum ser humano, incluindo Noé, apreciar a dor que Deus estava sentindo naquele momento? Alguém consegue compreender por que Deus estabeleceria tal aliança? Eles não conseguem! A humanidade não aprecia a dor de Deus não porque eles não possam compreender a dor de Deus, e não por causa do abismo entre Deus e o homem ou a diferença em seu status; ao contrário, é porque a humanidade não se importa com nenhum dos sentimentos de Deus. A humanidade pensa que Deus é independente — Deus não precisa que as pessoas se importem com Ele, compreendam-No ou demonstrem consideração para com Ele. Deus é Deus, então Ele não sente dor nem emoções; Ele não ficará triste, não sentirá tristeza, nem chorará. Deus é Deus, então Ele não precisa de nenhuma expressão emocional e não precisa de nenhum conforto emocional. Se Ele precisa disso em certas circunstâncias, então Ele Mesmo resolverá e não necessitará de assistência da humanidade. Por outro lado, são os humanos fracos e imaturos que precisam da consolação, provisão, encorajamento de Deus e até mesmo para que Ele console suas emoções, a qualquer hora, em qualquer lugar. Tal pensamento se esconde profundamente nos corações da humanidade: O homem é fraco; eles precisam de Deus para cuidar deles em todos os sentidos, eles merecem todo o cuidado que recebem de Deus, e eles devem exigir de Deus o que eles acham que deve ser deles. Deus é forte; Ele tem tudo, e Ele deveria ser o guardião da humanidade e doador de bênçãos. Como Ele já é Deus, Ele é onipotente e nunca precisa de nada da humanidade.

Como o homem não presta atenção a nenhuma das revelações de Deus, ele nunca sentiu a tristeza, a dor ou a alegria de Deus. Mas, ao contrário, Deus conhece todas as expressões do homem como a palma de Sua mão. Deus supre as necessidades de todos a todos os momentos e em todos os lugares, observando os pensamentos de cada pessoa em constante mudança, confortando-os e exortando-os, orientando-os e iluminando-os. Em termos de todas as coisas que Deus fez sobre a humanidade e todos os preços que Ele pagou por causa deles, as pessoas podem encontrar uma passagem na Bíblia ou de qualquer coisa que Deus tenha dito até agora que afirme claramente que Deus exigirá algo do homem? Não! Ao contrário, não importa o quanto as pessoas ignorem o pensamento de Deus, Ele ainda conduz a humanidade repetidamente, suprindo a humanidade repetidamente e as ajudando, para que sigam o caminho de Deus para receber o belo destino que Ele preparou para elas. Quando se trata de Deus, o que Ele tem e é, Sua graça, Sua misericórdia e todas as Suas recompensas serão concedidas incondicionalmente àqueles que O amam e seguem. Mas Ele nunca revela a qualquer pessoa a dor que Ele sofreu ou o Seu estado de espírito, e Ele nunca Se queixa de alguém que não seja atencioso com Ele ou que não conhece Sua vontade. Ele simplesmente carrega tudo isso em silêncio, esperando pelo dia em que a humanidade será capaz de compreender.

Por que Eu digo essas coisas aqui? O que vocês veem das coisas que Eu disse? Há algo na essência e no caráter de Deus que é mais fácil ignorar, algo que só é possuído por Deus e não por qualquer pessoa, incluindo aqueles que os outros consideram grandes pessoas, pessoas boas ou o Deus de sua imaginação. O que é isso? É o altruísmo de Deus. Ao falar de altruísmo, você pode pensar que também é muito altruísta, porque quando se trata de seus filhos, você nunca negocia com eles e é generoso para com eles, ou você acha que você também é muito altruísta quando se trata de seus pais. Não importa o que pense, pelo menos você tem um conceito da palavra “altruísta” e pensa nela como uma palavra positiva, e que ser uma pessoa altruísta é muito nobre. Quando você é altruísta, você pensa que é ótimo. Mas não há ninguém que possa ver o altruísmo de Deus entre todas as coisas, entre pessoas, eventos e objetos, e através da obra de Deus. Por que isso? Porque o homem é egoísta demais! Por que Eu digo isso? A humanidade vive em um mundo material. Você pode seguir a Deus, mas nunca vê ou aprecia como Deus lhe supre, ama, e mostra preocupação por você. Então o que você vê? Você vê seus parentes de sangue que amam você ou que amam você demais. Você vê as coisas que são úteis para a sua carne, se preocupa com as pessoas e coisas que ama. Esse é o chamado altruísmo do homem. Tais pessoas “altruístas”, no entanto, nunca se preocupam com o Deus que lhes dá vida. Em contraste com Deus, o altruísmo do homem se torna egoísta e desprezível. O altruísmo em que o homem acredita é vazio e irrealista, adulterado, incompatível com Deus e não está relacionado a Deus. O altruísmo do homem é para si mesmo, enquanto o altruísmo de Deus é uma verdadeira revelação de Sua essência. É precisamente devido ao altruísmo de Deus que o homem recebe um fluxo constante de suprimento Dele. Vocês podem não ser muito afetados por esse tema de que estou falando hoje e está meramente assentindo com a cabeça em aprovação, mas quando tentar apreciar o coração de Deus em seu coração, descobrirá inconscientemente: entre todas as pessoas, assuntos e coisas que você pode sentir neste mundo, somente o altruísmo de Deus é real e concreto, porque somente o amor de Deus por você é incondicional e imaculado. Com exceção de Deus, o chamado altruísmo de qualquer outra pessoa é falso, superficial e insincero; tem propósito, certas intenções, carrega uma troca e não pode suportar ser testado. Vocês poderiam até dizer que é imundo, desprezível. Vocês concordam?

Extraído de “A Palavra manifesta em carne

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado