44. Afrouxando os laços que unem

As palavra de Deus dizem: “Por causa do seu destino, vocês devem buscar ser aprovados por Deus. Ou seja, já que reconhecem que pertencem à casa de Deus, vocês deveriam então trazer paz de espírito a Deus e satisfazer-Lhe em todas as coisas. Em outras palavras, você deve ter princípios em suas ações e se conformar à verdade nelas. Se isso está além de sua habilidade, então você será detestado e rejeitado por Deus e desprezado por todo homem. Uma vez que tenha se enquadrado nesse predicamento, você não poderá então pertencer à casa de Deus. Isso é o que significa não ser aprovado por Deus” (‘Três admoestações’ em “A Palavra manifesta em carne”). Nas palavras de Deus, vemos o que Ele exige de nós: ter princípios em nossas ações e seguir a verdade para que possamos obter Sua aprovação e satisfazê-Lo em todas as coisas. Eu já fracassei antes, principalmente porque fui levada pelas minhas emoções, sempre vivendo e agindo de acordo com meus sentimentos. Embora não parecesse que eu estava fazendo algum mal, minhas ações iam contra os princípios da verdade e isso prejudicou a obra da igreja. Mas depois que Deus me julgou e me castigou com Suas palavras, comecei a entender a natureza e as consequências de agir dessa maneira. Pude então abordar as coisas através das motivações certas em vez de confiar na emoção, e colocar em prática as palavras de Deus.

Em novembro passado, enquanto atuava como líder da igreja, houve uma pesquisa sobre o desempenho do líder de grupo nos locais de reunião. Pelas respostas, eu pude perceber que a líder de grupo, irmã Li, estava agindo com descuido em seu dever, e que, se alguma falha sua fosse apontada, ela além de se recusar a aceitar a verdade, também discutia. Quando havia pessoas em dificuldade, ela não as ajudava através da comunhão da verdade. Em vez disso, lhes dava sermão de forma condescendente e as constrangia. Depois de ler tudo isso, eu soube que, com base nos princípios de seleção na casa de Deus, ela precisava ser substituída. Mas nascemos na mesma cidade e havíamos feito a obra juntas no passado. Ela sempre foi próxima a mim e cuidou muito de mim. Ela me acharia insensível se eu a dispensasse? Alguns anos antes, ela havia sido afastada do cargo de líder da igreja, e mal conseguia sair da negatividade em que mergulhou. Se mais uma vez ela perdesse o cargo, não seria um golpe ainda mais duro? Será que ela aguentaria? Entendi que precisava me comunicar com ela o quanto antes para que ela notasse a precariedade da situação em que se encontrava. Pensei que se ela pudesse mudar as coisas a tempo, manteria seu cargo. Então entrei em contato com a irmã Li e conversamos sobre seus problemas, mas descobri que ela não tinha autoconsciência. Dei o melhor de mim durante nosso momento de comunhão, e depois ela se dispôs a mudar, a refletir, e eu finalmente respirei aliviada. Achei que se eu pudesse dizer coisas gentis sobre ela aos colegas, talvez ela pudesse continuar na sua função.

Mais tarde, enquanto falavam sobre a obra, alguns colegas disseram que a irmã Li não aceitava a verdade, e todos eles concordaram em substituí-la. Ao ouvir isso, fiquei perturbada. Pensei: “A irmã Li tem problemas, mas está pronta para mudar. Não podemos dar a ela outra chance?” Foi quando a irmã Zhou disse: “A irmã Li está nessas condições já faz tempo. Ela se comunica bem, mas não pratica o que diz. Não há absolutamente nenhuma mudança. Ela não é adequada para este cargo”. Eu disse em seguida: “A irmã Li tem dificuldade em aceitar a verdade, mas é muito proativa e responsável com seus deveres. Recentemente, alguns irmãos e irmãs agiram de forma passiva para com seus deveres e ela os motivou”. A irmã Bai respondeu imediatamente: “A irmã Li parece estar sempre correndo, sendo realmente proativa, mas, na verdade, faz isso para se mostrar, e não consegue resolver problemas reais”. O que eles disseram era verdade, e eu não pude falar nada. Outra líder da igreja, a irmã Zhang, disse: “É verdade que a irmã Li não é adequada para ser líder de grupo, mas não temos um candidato para substituí-la agora. Vamos mantê-la até encontrarmos um bom substituto”. Era exatamente o que eu queria, por isso me apressei em dizer: “Concordo. Vamos substituí-la quando surgir alguém adequado”. Para minha surpresa, menos de uma semana depois, a irmã Zhou levantou a questão novamente após terminarmos os assuntos da igreja. Ela disse que o irmão Chen era uma boa alternativa, e outros colegas concordaram. Meu coração saltou pela boca. Se o irmão Chen fosse escolhido como líder de grupo, a irmã Li seria dispensada. Então eu falei sobre as corrupções e deficiências do irmão Chen, e que ele não era adequado para o cargo. Foi quando todos hesitaram e me senti um pouco desconfortável, mas eu ainda não buscava a verdade.

Mais tarde, minha líder me pediu para fazer um balanço dos líderes de grupo, e na hora de falar da irmã Li, não expressei com precisão a avaliação que os irmãos e irmãs tinham dela. Senti-me vagamente perturbada depois que ela saiu. Eu me perguntava por que estava falando em nome da irmã Li, sempre me preocupando com ela. Eu não estaria agindo com favoritismo? Que tipo de motivação estava me controlando? Foi então que li estas palavras de Deus: “O que é, basicamente, a emotividade? É um caráter corrupto. Se usarmos poucas palavras para descrever os aspectos práticos da emotividade, são elas o favoritismo e ser tendencioso a proteger certas pessoas, manter relacionamentos da carne e não ser justo; isso é o que a emotividade é. Assim, livrar-se da emotividade não significa simplesmente não pensar mais em alguém. Em geral, você pode não pensar neles de modo algum, mas, então, assim que alguém critica os membros de sua família, sua cidade natal ou qualquer pessoa com quem mantenha um relacionamento, você explode e fica absolutamente pronto para defendê-los. Você se sente totalmente compelido a reverter o que foi dito sobre eles; não pode permitir que estejam sujeitos a um erro não reparado. Você sente necessidade de fazer de tudo para manter a reputação deles, de fazer com que tudo de errado pareça certo e não permitir que os outros digam a verdade sobre eles ou os exponham. Isso é injustiça, e é chamado de ser emotivo” (Registros das falas de Cristo). ”Se as pessoas carecem de reverência a Deus e se Deus não tem lugar no coração delas, então nunca conseguem agir por princípio, sejam quais forem os deveres que estão cumprindo ou com que problemas estão lidando. As pessoas que vivem dentro de suas intenções e seus desejos egoístas são incapazes de entrar na realidade da verdade. Por essa razão, toda vez que encontram um problema, elas não lançam um olhar crítico sobre suas intenções e não conseguem reconhecer em que suas intenções são errôneas. Ao contrário, usam justificativas de todos os tipos para inventar mentiras e desculpas para si mesmas. Elas fazem um trabalho muito bom em proteger os próprios interesses, reputação e relacionamentos interpessoais, mas, na verdade, não estabeleceram relacionamento algum com Deus” (Registros das falas de Cristo). Isso mostra como, diante dos problemas, não conseguimos agir de maneira justa e de acordo com princípios da verdade. Mas não fazemos distinção entre certo e errado, e favorecemos e protegemos aqueles com os quais estamos conectados ou que nos beneficiam. Isso é agir com emoção, e é uma espécie de caráter corrupto. Quando somos levados pela emoção, seja em nosso dever ou lidando com um problema, só pensamos em nossos sentimentos carnais e interesses pessoais sem praticar a verdade ou cumprir bem nosso dever. Esse era o estado em que eu me encontrava. Não queria dispensar a irmã Li porque estava agindo com minhas emoções. Estava protegendo nosso relacionamento e com medo que ela ficasse chateada comigo. Então quando os colegas queriam seguir os princípios e substituí-la, eu fazia de tudo para protegê-la e para ela não perder seu cargo. Quando entreguei à líder minha avaliação sobre ela, eu minimizei problemas, a protegi por favoritismo e usei uma cortina de fumaça. Olhando para trás, eu vejo que meus motivos e intenções foram todos regidos pela emoção. Eu estava vivendo no caráter corrupto da astúcia e do engano, disposta a comprometer os interesses da casa de Deus para proteger um relacionamento, pronta para ofender a Deus antes de ofender uma pessoa. Estava agindo totalmente sem reverência a Deus. Eu era tão egoísta e desprezível! Eu me senti tão culpada que imediatamente fui ao encontro da líder para dizer a verdade. Depois, orei e perguntei a Deus: “Por que sou sempre levada pela emoção, incapaz de praticar a verdade? Qual é a raiz desse problema?”

Um dia, durante meu devocional, li estas palavras de Deus: “Nascido numa terra tão imunda, o homem vem sendo gravemente empesteado pela sociedade, influenciado pela ética feudal e instruído nos 'institutos da mais elevada aprendizagem'. O pensamento retrógrado, a moralidade corrupta, a visão mesquinha da vida, a filosofia de vida desprezível, uma existência absolutamente sem valor, estilo de vida e costumes depravados, todas essas coisas foram severamente introduzidas no coração do homem e atacaram e comprometeram severamente a sua consciência. Como consequência, o homem está cada vez mais distante de Deus e cada vez mais se opõe a Ele… Mesmo quando ouvem a verdade, os que vivem nas trevas não dedicam nem um só pensamento a colocá-la em prática, nem se inclinam a buscar Deus, mesmo que tenham presenciado a Sua aparição. Como uma humanidade tão depravada pode ter alguma chance de salvação? Como uma humanidade tão decadente pode viver na luz?” (‘Ter um caráter inalterado é estar em inimizade contra Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Percebi então que a ação pela emoção normalmente vem do ato de ser enganado e corrompido por Satanás. Através da educação escolar e das influências sociais, Satanás imerge as pessoas em todo tipo de filosofia mundana e leis de sobrevivência, como “O céu destrói os que não se apoiam”, “O sangue é mais espesso que a água” e “O homem não é inanimado; como pode não ter emoções?”. Eu vivia de acordo com essas filosofias, via a proteção daqueles próximos a mim como algo positivo, achava que ser amorosa era sentir compaixão e pena. Quanto à substituição da irmã Li, eu continuava pensando que éramos da mesma cidade, que ela sempre cuidou de mim, e, por isso, quando ela estava para ser dispensada, achei que devia ajudá-la e interferir por ela. Achei que era a coisa certa a fazer. Eu sabia que ela não assumia seu dever de líder de grupo, e que, com frequência, repreendia e controlava os outros. Não substituir a irmã Li teria prejudicado os irmãos e irmãs e causado impacto na obra da igreja. Mas fui contra os princípios da verdade e desconsiderei os interesses da casa de Deus, e fiz todo o possível para protegê-la e mantê-la em seu cargo. Fiz uso do meu dever para preservar nosso relacionamento e usei o trabalho da igreja para retribuir sua bondade comigo. Eu estava explorando meu poder e dever para meu próprio ganho pessoal. Como alguém como eu é digna da obra da igreja? Como líder, eu deveria estar pensando na obra da igreja e na vida dos irmãos e irmãs, e agir de acordo com os princípios da verdade em meu dever. Mas eu estava pondo o sentimento acima de tudo, consciente da verdade, mas não a praticando. Não seria isso trair a verdade e os princípios e fazer pouco caso da obra da igreja? Eu estava mordendo a mão que me alimenta! Foi então que vi que essas filosofias mundanas são falácias que Satanás usa para corromper e enganar as pessoas. Falar e agir dessa forma é faltar com equidade e justiça, e não há qualquer princípio de verdade nisso. É exatamente a mesma filosofia de vida dos oficiais do Partido Comunista: “Quando um homem avança para uma posição maior, sua família e parentes compartilham de seu prestígio”. Quando alguém se torna oficial, seus parentes também se beneficiam amplamente, e podem fazer praticamente qualquer coisa impunemente. Uma sociedade controlada pelo Partido é sombria, maligna, totalmente desprovida de equidade e justiça. Como líder da igreja, se não ajo com princípios e vivo de acordo com essas filosofias satânicas, eu sou diferente dos oficiais do Partido Comunista? Não querer dispensar a irmã Li não era um ato de amor ou ajuda verdadeira. Eu só estava com medo que ela dissesse que sou fria e insensível e que não iria mais me enxergar da mesma maneira. Eu não estava levando a vida dela em consideração. A substituição de alguém na casa de Deus é feita para encorajar a autorreflexão, para que possa se arrepender e mudar com o tempo. É uma maneira de Deus salvar e proteger as pessoas. Eu já fui dispensada do meu dever também e quando aprendi minha lição através do fracasso, a igreja arranjou outro dever adequado para mim. Somente caindo e levantando, eu pude refletir e isso me permitiu ter um pouco de autoconsciência. Também compreendi mais da vontade de Deus de salvar o homem e vi que Seu amor contém tanto misericórdia quanto justiça. Há princípios para o amor de Deus. Ele não faz nossas vontades, não nos mima. Mas meu “amor” por outros estava cheio de filosofias mundanas satânicas e era baseado em interesses pessoais. Era mesquinho e egoísta, odioso e repugnante para Deus. Então percebi que é prejudicial para os outros e para nós mesmos confiar nos nossos sentimentos, e que aquele era meu maior obstáculo na prática da verdade e no cumprimento do meu dever. Se não aceitasse o julgamento e o castigo das palavras de Deus, se não me arrependesse, eu iria ofender o caráter de Deus e seria rejeitada, detestada e eliminada por Ele.

Li depois outra passagem das palavras de Deus: “Se você quer ter um relacionamento adequado com Deus, seu coração precisa voltar-se para Ele e, nesse fundamento, você terá um relacionamento adequado também com outras pessoas. Se você não tiver um relacionamento adequado com Deus, não importa o que faça para manter seus relacionamentos com outras pessoas e o quanto se empenhe no trabalho ou quanta energia empregue, ele ainda pertencerá a uma filosofia de vida humana. Você está mantendo a sua posição entre as pessoas por meio de uma perspectiva humana e uma filosofia humana para que elas o louvem. Você não estabelece relacionamentos adequados com pessoas segundo a palavra de Deus. Se você não se concentrar nos seus relacionamentos com as pessoas, mas mantiver um relacionamento adequado com Deus, se estiver disposto a entregar seu coração a Ele e aprender a obedecê-Lo, muito naturalmente seus relacionamentos com todas as pessoas se tornarão adequados. Dessa maneira, esses relacionamentos não são estabelecidos na carne, e sim no fundamento do amor de Deus. Quase não há interações baseadas na carne, mas no espírito há comunhão, bem como amor, conforto e provisão mútuos. Isso tudo é feito sobre o fundamento de um coração que satisfaz a Deus. Esses relacionamentos não são mantidos confiando-se em uma filosofia de vida humana, mas são formados muito naturalmente por meio do fardo por Deus. Não requer esforço da parte do homem. Você só precisa praticar de acordo com os princípios da palavra de Deus” (‘É muito importante estabelecer um relacionamento adequado com Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Após ler as palavras de Deus, eu entendi que os relacionamentos com irmãos e irmãs se baseiam principalmente no amor de Deus. Eles não são mantidos pelas filosofias mundanas de Satanás. Praticar a verdade é o segredo. Especialmente quando se trata da obra da casa de Deus, quando vemos alguém cumprindo seu dever contra os princípios da verdade, temos que comunicar a verdade para ajudá-lo e apoiá-lo. Se mesmo após algumas comunhões, a pessoa não se arrepender, então é preciso lidar com ela e podá-la quando necessário. Mesmo com a família e os amigos, não podemos confiar em nossas emoções ou seguir as filosofias mundanas. Temos que fazer as coisas segundo os princípios das palavras de Deus: comunhão quando necessário, e substituição se não adiantar. A obra da igreja e os interesses da casa de Deus devem sempre ser mantidos. Somente isso está de acordo com a vontade de Deus. Depois, discuti isso com alguns colegas e dispensei a irmã Li baseada nos princípios da verdade. Também comuniquei a fim de analisar o desempenho dela à luz das palavras de Deus e promovi o irmão Chen a líder de grupo. Só então me senti em paz. Depois de um tempo, li algumas das palavras de Deus para a irmã Li, e perguntei como ela estava. Ela respondeu: “Graças a Deus! Tudo o que Ele faz é bom. No começo, me senti negativa e sofri, mas através da leitura das palavras de Deus e da oração, entendi que Deus estava trabalhando dessa forma para me mudar, e se eu não tivesse sido dispensada e meus problemas apontados, eu não teria me conhecido, nem teria mudado e me arrependido como agora”. Ao ouvir isso, senti como é doce renunciar à carne e praticar a verdade. Também vivenciei que apenas praticar a verdade e seguir princípios é estar alinhado com a vontade de Deus. É a única maneira digna.

Anterior: 43. Batalha espiritual

Próximo: 45. Livrando-se dos grilhões da escravidão

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

3. A provação de um contraste

“Oh Deus, mesmo eu tendo status ou não, agora me entendo. Se meu status for alto é por causa da Tua elevação. Se meu status for baixo, vem...

19. O arrependimento de um oficial

Deus Todo-Poderoso diz: “Desde a criação do mundo até agora, tudo que Deus tem feito na Sua obra é amor, sem nenhum ódio pelo homem. Até o...

23. Uma cura para a inveja

Deus Todo-Poderoso diz: “A carne do homem é de Satanás, está cheia de caráter rebelde, é deploravelmente imunda e é algo impuro. As pessoas...

40. Adeus, “boazinha”!

Quanto aos que gostam de agradar às pessoas, eu os achava incríveis antes de acreditar em Deus. Eles tinham bom caráter, nunca ficavam...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro