11. Conhecendo a autoridade e a soberania de Deus na vida

Por Xinxin, Estados Unidos

Deus Todo-Poderoso diz: “O conhecimento da autoridade de Deus, do poder de Deus, da própria identidade de Deus e da substância de Deus não pode ser alcançado confiando na sua imaginação. Já que você não pode confiar na imaginação para conhecer a autoridade de Deus, então de que maneira você pode alcançar um verdadeiro conhecimento da autoridade de Deus? A maneira de fazer isso é comendo e bebendo as palavras de Deus, tendo comunhão e vivenciando as palavras de Deus. Assim, você gradativamente terá uma experiência e verificação da autoridade de Deus e você gradativamente ganhará uma compreensão e conhecimento progressivo dessa autoridade. Essa é a única maneira de alcançar o conhecimento da autoridade de Deus; não há atalhos. Pedir que vocês não imaginem não é o mesmo que fazê-los esperar passivamente a destruição ou impedi-los de fazer alguma coisa. Não usar seu cérebro para pensar e imaginar significa não usar lógica para inferir, não usar conhecimento para analisar, não usar a ciência como base, mas, ao invés disso, reconhecer, verificar e confirmar que o Deus em que você crê tem autoridade, confirmando que Ele tem soberania sobre seu destino e que o poder Dele prova a todo momento que Ele é o Próprio Deus verdadeiro, por meio das palavras de Deus, por meio da verdade, por meio de tudo que você encontra na vida. Essa é a única maneira de qualquer pessoa obter uma compreensão de Deus” (‘O Próprio Deus, o Único I’ em “A Palavra manifesta em carne”). Eu achava que só passando por algo grande e testemunhando milagres, eu conheceria a autoridade de Deus. Meu entendimento sobre a autoridade Dele era muito limitado. Eu vi nas palavras de Deus que o mais importante para conhecer a autoridade de Deus é vivenciar as palavras Dele no nosso dia a dia. Ao vivenciar Suas palavras, vemos a autoridade e soberania Dele sobre tudo. É assim que a nossa fé em Deus cresce.

Ano passado, aconteceu uma infestação intensa e repentina de insetos em quase mil metros quadrados de plantação de tomates da minha família, e eles comeram tudo! Os frutos, as flores e as folhas. Fiquei muito preocupado com aquilo e conversei com a minha família sobre como nos livrar deles. Usar pesticidas arruinaria a terra e deixaria carcinógenos para trás, tornando qualquer coisa que plantássemos perigosa para o consumo. Tentamos pegá-los à mão, mas eles se reproduziam muito rápido. Trabalhamos por três ou quatro dias, mas não adiantou nada. Eles só aumentavam. Tentei desesperadamente outras maneiras de nos livrar deles. Embora eu tivesse orado a Deus quando isso aconteceu, eu não entendia a autoridade e o comando de Deus, então Ele não teve lugar no meu coração. Eu não sabia como confiar de verdade em Deus nem buscar a vontade Dele. Nunca tinha visto aquele tipo de inseto, mas eu plantava alimentos havia décadas e tinha muita experiência com controle de pragas. Achei que superaria aquilo se continuasse pesquisando. Experimentei todos os métodos que eu conhecia, uns seis ou sete, mas não deram resultado. Em décadas como agricultor, eu nunca tinha visto um inseto tão difícil de eliminar! Sempre consegui resolver infestações no passado, mas, daquela vez, nenhum dos meus métodos desenvolvidos com afinco estava funcionando. Um amigo me disse depois que um professor da universidade de agricultura disse que óleo de neem era um bom pesticida, então fui logo comprar, mas também não adiantou. Eu já não tinha mais ideias nem encontrava uma solução. Os dias passavam, e todas as manhãs eu ia olhar, e os pés de tomate estavam todos tomados pelos insetos. Alguns perdiam as flores, as pontas das folhas estavam murchas e os frutos estavam apodrecendo. Eu fiquei péssimo. Os irmãos e irmãs me ajudaram todos os dias a plantar aqueles tomates. Eles tiveram bastante trabalho pra construir treliças, podar e amarrar as plantas, mas quando os tomates estavam florescendo, com uma grande colheita à vista, os insetos invadiram do nada. Concluí que a colheita daquele ano seria um fracasso. Ao ver os pés todos cobertos por insetos, fiquei perdido. Meu vizinho Wang tinha muita experiência com plantações, e sabia muito sobre pragas. Achei que ele pudesse ter uma solução. Eu fui falar com ele, mas ele disse: “Nunca vi nada assim nos meus 30 anos de agricultura. Já passei pesticidas três vezes por dia, mas eles só mataram meus tomates, e não os insetos”. Outro vizinho, o Zhang, disse sem esperança: “Já misturei três ou quatro pesticidas, mas nada os mata!” Ouvir aquilo me deixou desesperado. Era uma praga de insetos, e não tinha como eu me livrar deles. Parecia que os meus tomates seriam todos destruídos. Sem esperança, orei a Deus: “Ó, Deus! Não sei o que fazer sobre esse surto. Estou perdido. Por favor, me ilumine e me guie, para que eu saiba como lidar com isso e que lições devo aprender”.

Eu li estas palavras de Deus em uma reunião uma vez. “Sob a soberania e o controle de Deus, todas as coisas vêm a existir ou desaparecem de acordo com Seus pensamentos; surgem leis que governam sua existência, e elas crescem e se multiplicam em conformidade a tais leis. Nenhum ser humano ou coisa está acima dessas leis. Por quê? A única resposta é: por causa da autoridade de Deus. Ou, para colocar de outra forma, por causa dos pensamentos de Deus e das palavras de Deus; por causa das ações particulares do Próprio Deus. Isso significa que são a autoridade de Deus e a mente de Deus que dão origem a essas leis, que variam e mudam de acordo com Seus pensamentos, e essas variações e mudanças todas acontecem ou desaparecem por causa do Seu plano. As epidemias, por exemplo. Elas irrompem sem aviso. Ninguém sabe suas origens nem as razões exatas pelas quais elas ocorrem, e, toda vez que uma epidemia chega a certo lugar, aqueles que estão fadados não podem escapar da calamidade. A ciência humana entende que as epidemias são causadas pela disseminação de micróbios malignos ou nocivos, e sua velocidade, seu alcance e método de transmissão não podem ser preditos nem controlados pela ciência humana. Embora resista a elas por todos os meios possíveis, a humanidade não consegue controlar quais pessoas ou animais são afetados inevitavelmente quando as epidemias irrompem. A única coisa que os seres humanos podem fazer é tentar preveni-las, resistir a elas e pesquisá-las. Mas ninguém sabe as causas originais que explicam o início ou o fim de qualquer epidemia em particular, e ninguém pode controlá-las. Diante do surto e da disseminação de uma epidemia, a primeira medida que os humanos tomam é desenvolver uma vacina, mas com frequência a epidemia desaparece por si só antes de a vacina ficar pronta. Por que as epidemias desaparecem? Alguns dizem que os germes foram controlados, outros dizem que desapareceram por causa da mudança das estações… Quanto a se essas especulações extravagantes são sustentáveis, a ciência não pode oferecer explicação nem dar uma resposta precisa. O que a humanidade enfrenta não são apenas essas especulações, mas a falta de entendimento e o medo das epidemias que tem o homem. Em última análise, ninguém sabe por que as epidemias começam nem por que terminam. Como tem fé apenas na ciência e confia inteiramente nela, e não reconhece a autoridade do Criador nem aceita a Sua soberania, a humanidade nunca terá uma resposta” (‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”). Deus comanda todas as coisas. Tudo está nas mãos Dele. Sejam grandes ou pequenas, visíveis ou não, vivas ou mortas, tudo existe ou desaparece de acordo com a vontade de Deus. Todos os desastres estão sob o comando Dele. As pessoas não sabem de onde as pragas e as pestes vêm, nem como evitá-las. Não temos ideia de quando vão sumir. Tudo isso é governado por Deus. Mas eu não entendia de verdade a autoridade e a soberania de Deus, então, quando os insetos infestaram os meus tomates, não me coloquei diante de Deus para buscar e confiar Nele de primeira. Tentei encontrar a solução pelos meus próprios métodos. Não adiantou nada, mas mesmo assim, eu não busquei nem me apoiei em Deus. Eu me senti inútil e sem esperança quando descobri que nem os pesticidas adiantavam. Eu tinha fé em Deus e orava a Ele, mas Ele não tinha lugar no meu coração. Achei que conseguiria me livrar daqueles insetos sozinho. Como fui arrogante e ignorante! Então me dei conta de que Deus decide quando eles aparecem e quando vão embora. Está fora do nosso controle. Eu ainda não entendia qual era a vontade de Deus naquela infestação, mas sabia que precisava fazer a minha parte e deixar os insetos nas mãos de Deus. Eu tinha de me submeter aos arranjos de Deus. Essa conclusão me trouxe paz. Orei a Deus, disposto a me submeter e experimentar o que Ele tinha arranjado.

Uns dias depois, fui ao campo e vi várias teias de aranha nos pés de tomate. Eu me perguntei de onde elas tinham vindo. Olhei de perto e vi várias tracinhas nas teias e lembrei que as aranhas gostam de comê-las. Sem as traças, não haveria ovos, então, naturalmente, haveria menos insetos. Percebi que havia bem menos insetos do que dois dias antes. Eu sabia que aquilo era obra de Deus, que Ele tinha trazido as aranhas para comer os insetos. Fiquei muito grato a Deus! Depois de sete ou oito semanas, eu vi que os insetos tinham sumido dos frutos, galhos, flores e folhas da plantação de tomates. Fiquei muito feliz! Nunca imaginei que, em poucos dias, as aranhas comeriam todos os insetos. Deus é poderoso mesmo! Se eu não tivesse visto com meus próprios olhos, eu não acreditaria. Fiquei muito agradecido e dei glória a Deus. Os descrentes não entendem as decisões e a autoridade de Deus. Eles só acreditam e confiam na ciência para aprender e evitar desastres, mas não os entendem totalmente. Eles não acreditam em nada, então ficam desamparados diante de desastres, com isso suas plantações é que sofrem. Mas, quando me coloquei diante de Deus, disposto a me submeter e confiar Nele, Ele usou aquelas humildes aranhas para comer todos os insetos, cuidando facilmente da infestação. Aquilo me mostrou que Deus comanda e mobiliza todas as coisas. Ele é muito sábio e poderoso! Quando foi o tempo de os tomates amadurecerem, pensei que seria uma colheita terrível, por causa da infestação. Mas, para a minha surpresa, foi uma safra enorme. Deus trabalha de formas maravilhosas! É como dizem as palavras de Deus Todo-Poderoso: “Seus feitos estão em todo lugar, Seu poder é onipresente, Sua sabedoria é onipresente e Sua autoridade é onipresente. Cada uma dessas leis e regras é a corporificação de Seus feitos e cada uma delas revela Sua sabedoria e autoridade. Quem pode se isentar de Sua soberania? E quem pode se dispensar de Seus desígnios? Todas as coisas existem sob o Seu olhar e, além disso, todas as coisas vivem sob a Sua soberania. Seus feitos e Seu poder deixam a humanidade sem outra escolha senão reconhecer o fato de que Ele existe mesmo e detém a soberania sobre todas as coisas” (‘O homem só pode ser salvo em meio ao gerenciamento de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Graças a Deus! Por meio disso, experimentei que a autoridade e a sabedoria de Deus estão por toda parte. O clima, o sol e a chuva são comandados por Deus, assim como todos os insetos. Nenhum ser criado pode controlar nada disso. Em cada detalhe da criação e gestão de Deus sobre todas as coisas, podemos ver a autoridade única Dele. Ele é muito sábio e poderoso! Pensei comigo que, não importava o que acontecesse no futuro, eu deveria confiar em Deus e entender melhor Suas ações.

Dois meses depois, plantamos um lote de amaranto, e, após duas semanas, eles brotaram bem verdes. Imaginei que teríamos uma ótima colheita. Mas, numa manhã, minha esposa me disse que havia traças das crucíferas nas plantas e me pediu para resolver isso. Ouvir aquilo me assustou. Aquelas larvas eram muito ativas e difíceis de pegar à mão. Reproduziam-se rápido e aos montes. Ficavam adultas em um ou dois dias. Já tinha dado nos melões que plantamos antes, e tentei uma dúzia de coisas, mas nada funcionou. Elas comeram todos as hortaliças em poucos dias, e nosso próspero jardim virou um terreno baldio. Fiquei meio preocupado, pensando se comeriam todo o nosso amaranto em poucos dias. Eu não sabia o que fazer. Rapidamente, orei a Deus e pedi que Ele me guiasse para entender a Sua vontade.

Depois, li isto nas palavras de Deus: “Jó possuía e buscava essas coisas sem poder ver a Deus ou ouvir as palavras de Deus; embora nunca tivesse visto Deus, ele conheceu os meios pelos quais Deus governa sobre todas as coisas e entendeu a sabedoria com a qual Deus o faz. Embora nunca tivesse ouvido as palavras proferidas por Deus, Jó sabia que as ações de recompensar o homem e tomar do homem tudo vêm de Deus. Embora os anos de sua vida não fossem diferentes daqueles de qualquer pessoa comum, ele não permitiu que a banalidade de sua vida afetasse seu conhecimento da soberania de Deus sobre todas as coisas, ou afetasse seu caminho de temer a Deus e evitar o mal. Aos seus olhos, as leis de todas as coisas estavam cheias dos feitos de Deus, e a soberania de Deus podia ser vista em qualquer parte da vida de uma pessoa. Ele não tinha visto Deus, mas era capaz de perceber que os feitos de Deus estão em toda parte, e durante seu tempo banal na terra, em todos os cantos de sua vida ele era capaz de ver e perceber as extraordinárias e maravilhosas ações de Deus e podia ver os maravilhosos arranjos de Deus. A ocultabilidade e o silêncio de Deus não impediram que Jó percebesse os feitos de Deus, nem afetaram seu conhecimento da soberania de Deus sobre todas as coisas. Sua vida foi a percepção, durante sua vida diária, da soberania e dos arranjos de Deus, que está oculto entre todas as coisas. Em sua vida cotidiana, ele também ouviu e entendeu a voz do coração de Deus, e as palavras de Deus, que permanece em silêncio entre todas as coisas, no entanto, expressa a voz de Seu coração e Suas palavras, governando as leis de todas as coisas. Você vê, então, que se as pessoas têm a mesma humanidade e busca de Jó, então elas podem ganhar a mesma percepção e conhecimento que Jó e podem adquirir o mesmo entendimento e conhecimento da soberania de Deus sobre todas as coisas como Jó” (‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus II’ em “A Palavra manifesta em carne”). Vi nas palavras de Deus que Jó se concentrou em entender a autoridade de Deus em seu dia a dia, experimentando o comando e o poder de Deus. Por meio disso, ele viu que tudo vinha de Deus, e que Deus comanda e controla todas as coisas e o destino da humanidade. Jó sabia, sem dúvidas, que toda a riqueza que ele tinha era devida às bênçãos e ao comando de Deus, e não ao trabalho árduo dele. Quando sua riqueza foi levada, ele também acreditou que era tudo permitido por Deus. O que é dado ou tirado é mandado e determinado por Deus. Por isso ele não reclamou, mas exaltou a Deus. Mas, quando acontecia algo difícil ou de que eu não gostava, eu não era capaz de aceitar e me submeter a Deus. Vi que Deus não tinha lugar no meu coração e que me faltava fé. Esse pensamento me envergonhou e entendi que Deus estava permitindo que aquilo acontecesse. Deus queria que eu conhecesse Seu poder e comando e me submetesse de verdade a Ele no meu dia a dia. Livrar-me dos insetos e ter prosperidade ou não com o amaranto estavam nas mãos de Deus. É como diz o ditado: “O homem planta, mas Deus é quem colhe.” Eu sabia que deveria deixar acontecer, aprender a buscar a vontade de Deus e me submeter aos arranjos Dele. Eu me senti bem melhor com esse pensamento e orei silenciosamente a Deus: “Ó, Deus. Acredito que o futuro do amaranto está nas Suas mãos. Vou abdicar dos meus planos e preocupações, experimentar Suas palavras neste ambiente e obedecer.” Depois, fizemos algumas coisas para nos livrar das larvas, porém nada funcionou. Mas eu estava tranquilo. Sabia que tudo estava nas mãos de Deus. Mesmo que não tivéssemos uma boa safra, essa seria a vontade de Deus. Eu me submeti ao que Ele arranjou. Fui à plantação uns dias depois, e vi um bando de pardais comendo os insetos dos amarantos. Fiquei impressionado de ver que Deus, mais uma vez, estava abrindo uma senda para mim e resolvendo um problema que eu não poderia resolver sozinho. Fiquei muito grato a Deus! Depois de dois dias, todas as larvas tinham sido comidas pelos pardais. Ficamos emocionados. Agradecemos e louvamos a Deus inúmeras vezes. Deus realmente é poderoso!

Mais tarde, li estas palavras de Deus: “Quando Deus criou todas as coisas, Ele usou todo tipo de métodos e formas para equilibrá-las, para equilibrar as condições de vida das montanhas e dos lagos, das plantas e de todo tipo de animais, pássaros e insetos — o Seu objetivo era permitir que todos os tipos de seres vivos vivessem e se multiplicassem sob as leis que Ele havia estabelecido. Nenhuma das coisas da criação pode fugir a essas leis, e as leis não podem ser violadas. É somente dentro desse tipo de ambiente básico que os humanos podem sobreviver e se multiplicar de forma segura, geração após geração” (‘O Próprio Deus, o Único IX’ em “A Palavra manifesta em carne”). Eu vi nas palavras de Deus que, quando Ele criou todas as coisas, Ele equilibrou as condições de vida de todas as formas, para que todos os seres vivos sob o comando Dele vivessem e se reproduzissem de forma bem ordenada, apoiando-se e cuidando uns dos outros, conforme Ele determinou. Nada pode ir contra essas regras que Deus criou. Ele criou todos os animais, plantas e insetos para um equilíbrio ecológico, para proteger o ambiente em que vivemos e prover estabilidade. Sem esses arranjos de Deus, sem essas regras, animais e insetos entrariam em caos, e a nossa vida também. Não conseguiríamos sobreviver. As considerações de Deus são meticulosas. Todas as coisas revelam Seu grande poder, sabedoria e magnificência e, acima de tudo, Seu amor pela humanidade. Como vimos, não havia solução para os insetos que apareceram nas hortaliças, mas Deus usou pardais e aranhas para comê-los, e assim pudéssemos desfrutar do alimento que Deus nos dá. Tudo que Deus cria tem seu propósito. Até as humildes aranhas e pardais têm sua missão. Deus os usa para equilibrar o meio ambiente. Ele conecta todas as coisas, para que possamos viver melhor. Uns insetinhos pretos e percevejos apareceram nas hortaliças que plantamos depois, e orei a Deus. Então, pensei no inimigo natural desses insetos: o sapo. Soltamos cinco sapos no campo e, em dois meses, já eram mais de trinta. Tinha cada vez menos insetos, e a colheita foi ótima. Fiquei muito grato a Deus por isso. Pensei nestas palavra de Deus: “Embora a frase ‘autoridade de Deus’ possa parecer insondável, a autoridade de Deus não é de modo algum abstrata. Ele está presente com o homem em todos os minutos de sua vida, conduzindo-o todos os dias. Assim, em sua vida cotidiana, cada pessoa necessariamente verá e vivenciará o aspecto mais tangível da autoridade de Deus. Essa tangibilidade é prova suficiente de que a autoridade de Deus existe verdadeiramente e permite de forma plena que se reconheça e compreenda o fato de que Deus possui essa autoridade” (‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”). Eu achava que tinha que passar por grandes acontecimentos para entender a autoridade de Deus, então não prestava atenção na experiência das pequenas coisas do dia a dia. Depois disso, vi que a autoridade de Deus não é difícil de entender como eu pensava. A autoridade e poder Dele estão sempre evidentes, e estão conosco no dia a dia. Seja em algo grande ou pequeno, desde que nos concentremos em experimentar as palavras de Deus, veremos a autoridade Dele.

Pensando nesses últimos meses, quando confrontado com aquelas infestações, no começo eu só sabia confiar na minha experiência e no conhecimento científico, mas isso não me levou a lugar nenhum. Quando me submeti e experimentei as palavras de Deus, vi Seus feitos e ganhei um entendimento prático da autoridade e soberania de Deus. Minha fé em Deus também cresceu. Graças a Deus!

Anterior: 10. A agonia do vício em jogos online

Próximo: 12. Ter fé significa confiar em Deus

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

88. A adversidade da prisão

Por Xiao Fan, ChinaUm dia, em maio de 2004, eu estava numa reunião com alguns irmãos e irmãs, quando mais de 20 policiais invadiram o...

36. Liberta da fama e da fortuna

Por Xiao Min, China“Satanás usa a fama e o ganho para controlar os pensamentos do homem até que tudo em que as pessoas consigam pensar seja...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro