2. Você testifica que Deus Todo-Poderoso é o retorno do Senhor Jesus e que Ele está expressando a verdade e fazendo a obra de julgamento dos últimos dias. Embora o que você testifique esteja alinhado com a Bíblia, muitas pessoas de nossa igreja não o aceitam. Nós cremos que, para ser verdadeiro, o caminho precise ser aceito por muitas pessoas e que o que é aceito por poucas pessoas seja um caminho falso. Esperaremos até que muitas pessoas de nossa igreja o aceitem antes de começarmos a crer nele.

Resposta:

A maioria das pessoas decide se algo é o caminho verdadeiro ou um caminho falso com base em quantas pessoas o aceitam, acreditando que, se muitas pessoas o fazem, ele é o caminho verdadeiro e que, se só poucas pessoas o aceitam, ele é um caminho falso. Tal visão está alinhada com a verdade? Isso tem uma base nas palavras de Deus? Lembre-se de quando Deus destruiu o mundo com o dilúvio: só Noé confiou nas palavras de Deus e, seguindo as instruções de Deus, construiu uma arca enquanto pregava o caminho. No entanto, após 120 anos, ninguém acreditou ou aceitou o que ele pregava, e os únicos que acabaram embarcando na arca foram os oito membros da família de Noé, enquanto todos os outros se afogaram no dilúvio. Você pode então afirmar que Noé não pregava o caminho verdadeiro? Agora, lembre-se de quando o Senhor Jesus apareceu e realizou Sua obra durante a Era da Graça: com a exceção de um número muito pequeno de pessoas que aceitou o Senhor Jesus, o judaísmo inteiro condenou e se opôs ao Senhor Jesus antes de colaborar com as autoridades romanas para pregá-Lo na cruz. Por causa disso, você pode dizer que as declarações e a obra do Senhor Jesus não eram o caminho verdadeiro? Você não percebe que avaliar as coisas dessa forma é totalmente ridículo? A obra de Deus nas gerações passadas é prova de que a humanidade corrupta foi tão profundamente corrompida que ela adora o mal e está cansada da verdade; quando o caminho verdadeiro vem para o meio dos homens, apenas um número muito pequeno de pessoas é capaz de obedecer e aceitá-lo, sendo que a maioria o nega e abandona. Como disse o Senhor Jesus: “Geração perversa é esta” (Lucas 11:29). 1 João 5:19 diz: “O mundo inteiro jaz no maligno”. Assim, o caminho verdadeiro não é necessariamente aceito por muitas pessoas, e o que é aceito pela maioria das pessoas não é necessariamente correto, não é necessariamente a verdade. Na verdade, tudo que é determinado pela maioria pertence às noções e imaginações do homem e não está alinhado com a verdade e com os fatos. É tão absurdo e ridículo avaliar se um caminho é o caminho verdadeiro ou não com base no número de pessoas que o aceitam. Muitas passagens da Bíblia afirmam que Deus deseja qualidade, não quantidade, nas pessoas. Mateus 22:14, por exemplo, diz: “Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos”. Mateus 7:13-14 diz: “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram”. Zacarias 13:8 diz: “Em toda a terra, diz Jeová, as duas partes dela serão exterminadas, e expirarão; mas a terceira parte restará nela”. Esses versículos nos mostram que somente um número muito pequeno de pessoas é capaz de encontrar o caminho verdadeiro e que somente um número pequeno permanecerá. Não é como acreditamos, que, se for o caminho verdadeiro, ele será aceito por muitas pessoas; tal maneira de avaliar é contrária à verdade e aos fatos da obra de Deus e é nada mais do que as imaginações do homem. O Próprio Deus é a verdade, o caminho e a vida, e Sua essência nunca mudará. Mesmo se nenhuma pessoa acreditasse Nele, O aceitasse ou seguisse, Sua obra e suas palavras seriam, ainda assim, o caminho verdadeiro, e isso é algo que ninguém pode negar. Como diz Deus Todo-Poderoso: “Minhas palavras são para sempre a verdade imutável. Eu sou o suprimento de vida para o homem e o único guia para a humanidade. O valor e o significado das Minhas palavras não são determinados por serem ou não reconhecidos ou aceitos pela humanidade, mas pela substância das palavras em si. Mesmo que nem uma única pessoa nesta terra possa receber Minhas palavras, o valor de Minhas palavras e seu auxílio à humanidade são inestimáveis por qualquer homem. Portanto, quando enfrentado pelos vários homens que se rebelam contra as Minhas palavras, refutam-nas ou são completamente desdenhosos delas, Minha posição é apenas esta: que o tempo e os fatos sejam Minha testemunha e mostrem que Minhas palavras são a verdade, o caminho e a vida. Que elas mostrem que tudo que Eu disse é certo, é aquilo com que o homem deve se prover e, além do mais, aquilo que o homem deveria aceitar” (‘Vocês precisam considerar seus feitos’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Já que o número de pessoas que aceitam um caminho não pode servir como referência para avaliar se é o caminho verdadeiro ou um caminho falso, como, exatamente, devemos avaliá-lo? A chave é analisa se ele contém a expressão da verdade e é a voz de Deus. Se é a declaração de Deus, se é a expressão da verdade, então não importa quantas pessoas o aceitam — mesmo que seja uma única pessoa — ele é a verdade, é o caminho verdadeiro. Lembre-se de quando o Senhor Jesus veio para operar durante a Era da Graça. Pedro, João, Mateus, Natanael e outros seguiram o Senhor Jesus porque reconheceram a voz de Deus naquilo que Ele pregava; eles não o fizeram com base em quantas pessoas aceitavam e seguiam o Senhor Jesus na época. Semelhantemente, hoje, a distinção entre o caminho verdadeiro e caminhos falsos deve ser feita de acordo com a obra e as palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Qual é o princípio mais básico na busca do caminho verdadeiro? Você deve ver se há ou não a obra do Espírito Santo nesse caminho, se essas palavras são ou não a expressão da verdade, a quem se dá testemunho e o que isso pode lhe trazer. Distinguir entre o caminho verdadeiro e o caminho falso requer vários aspectos do conhecimento básico e o mais fundamental é saber se existe ou não a obra do Espírito Santo. Pois a substância da crença do homem em Deus é a crença no Espírito de Deus e até a sua crença no Deus encarnado é porque essa carne é a encarnação do Espírito de Deus, o que significa que essa crença ainda é a crença no Espírito. Existem diferenças entre o Espírito e a carne, mas porque essa carne vem do Espírito e a Palavra Se torna carne, o que o homem crê é ainda a substância inerente de Deus. E assim, ao distinguir se é ou não o verdadeiro caminho, acima de tudo você deve ver se é ou não a obra do Espírito Santo, e depois ver se existe verdade nesse caminho. Essa verdade é o caráter da vida da humanidade normal, isto é, o que era exigido do homem quando Deus o criou, no começo, ou seja, tudo referente à humanidade normal (incluindo o sentido humano, a percepção, a sabedoria e o conhecimento básico de ser homem). Ou seja, você deve ver se esse caminho pode levar o homem a uma vida de humanidade normal, se a verdade da qual se fala é exigida ou não de acordo com a realidade da humanidade normal, se essa verdade é ou não prática e real, e se é ou não oportuna. Se existe verdade, ela é capaz de levar o homem a experiências normais e reais; o homem, além disso, se torna cada vez mais normal, seu sentido humano se torna cada vez mais completo, a vida do homem na carne e a vida espiritual se tornam cada vez mais ordenadas e as emoções do homem se tornam cada vez mais normais. Este é o segundo princípio. Existe um outro princípio, que é se o homem tem ou não um conhecimento crescente de Deus, se experimentar ou não essa obra e verdade pode inspirar o amor a Deus nele e o aproximá-lo ainda mais de Deus. Nisso se pode avaliar se esse caminho é ou não o caminho verdadeiro. O mais fundamental é se esse caminho é realista em vez de sobrenatural, e se é ou não capaz de prover a vida do homem. Se estiver em conformidade a esses princípios, pode-se concluir que esse é o verdadeiro caminho” (‘Somente aqueles que conhecem Deus e Sua obra podem satisfazer Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a substância de Deus, e Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a expressão de Deus. Já que Deus Se torna carne, Ele levará adiante a obra que precisa fazer, e já que Deus Se torna carne, Ele expressará o que Ele é e será capaz de trazer a verdade ao homem, conceder vida ao homem e mostrar o caminho ao homem. Carne que não contém a substância de Deus certamente não é o Deus encarnado; disso não há dúvida. Para investigar se é a carne encarnada de Deus, o homem deve determinar isso a partir do caráter que Ele expressa e das palavras que Ele fala. O que quer dizer, se é ou não a carne encarnada de Deus, se é ou não o verdadeiro caminho deve ser julgado pela Sua substância. E assim, ao determinar se é a carne do Deus encarnado, a chave é prestar atenção na Sua substância (Sua obra, Suas palavras, Seu caráter e muito mais), em vez de na aparência exterior. Se o homem olha apenas a Sua aparência exterior e ignora a Sua substância, então isso mostra a ignorância e a ingenuidade do homem” (‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”).

As palavras de Deus Todo-Poderoso afirmam claramente os princípios de buscar o caminho verdadeiro. Ao determinar se algo é a obra de Deus e se é o caminho verdadeiro, a chave é analisar se aquilo contém a obra do Espírito Santo e a expressão da verdade, se aquilo pode prover à vida das pessoas e se, após aceitar esse caminho, a humanidade e o senso das pessoas se tornam sempre mais normais e se seu crescimento de Deus cresce. Esses são os padrões para ponderar se um caminho é o caminho verdadeiro ou um caminho falso. Ao determinar se a obra de Deus Todo-Poderoso é ou não o caminho verdadeiro, devemos analisar se a obra e as palavras de Deus Todo-Poderoso são a obra do Espírito Santo e devemos ouvir se as palavras de Deus Todo-Poderoso são a expressão da verdade e se são a voz de Deus. Assim, podemos determinar também se a obra de Deus Todo-Poderoso é o caminho verdadeiro analisando se aqueles que seguem Deus Todo-Poderoso dão testemunho de derrotar Satanás, se houve uma mudança em seu caráter de vida, se eles conhecem o caráter justo de Deus e se temem e obedecem a Deus. Se as pessoas determinarem se um caminho é o caminho verdadeiro com base em quantas pessoas o aceitam, se seguirem cegamente as massas, não darem atenção a ouvir a voz de Deus e se recusarem a investigar e aceitar a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias, então elas são extremamente tolas e ignorantes. No fim, tais pessoas perderão sua chance de serem arrebatadas quando o Senhor vier e só poderão ser lançadas nos grandes desastres e eliminadas, cumprindo assim estas palavras na Bíblia: “O Meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” (Oséias 4:6) e “Os insensatos, por falta de entendimento, morrem” (Provérbios 10:21)

Anterior: 1. Você testifica que a “Relâmpago do Oriente” é o caminho verdadeiro, mas o PC Chinês e a maioria dos pastores e presbíteros do mundo religioso agora se opõem e condenam a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias, o que demonstra que a “Relâmpago do Oriente” não pode, de forma alguma, ser o caminho verdadeiro. Há algo errado com nosso entendimento disso?

Próximo: 3. Nossa convicção de que a obra do Senhor Jesus é o caminho verdadeiro se dá porque o Senhor Jesus pode nos redimir e perdoar nossos pecados. Então que prova você tem para apoiar seu testemunho de que a “Relâmpago do Oriente” é o caminho verdadeiro?

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro