Só ao experimentar o refinamento o homem pode possuir o amor verdadeiro

Todos vocês estão no meio de provação e refinamento. Como você deveria amar Deus durante o refinamento? Tendo experimentado o refinamento, as pessoas são capazes de oferecer louvor verdadeiro a Deus e, em meio ao refinamento, podem ver que são muito carentes. Quanto maior o seu refinamento, mais capaz você é de renunciar à carne; quanto maior o refinamento das pessoas, maior o amor delas a Deus. É isso que vocês deveriam entender. Por que as pessoas precisam ser refinadas? Que efeito isso visa alcançar? Qual é o significado da obra de refinamento de Deus no homem? Se você buscar Deus verdadeiramente, então, tendo experimentado Seu refinamento até certo ponto, você sentirá que ele é extremamente bom e de necessidade absoluta. Como o homem deveria amar Deus durante o refinamento? Usando a resolução de amá-Lo para aceitar Seu refinamento: durante o refinamento, você é atormentado por dentro, como se uma faca estivesse sendo revolvida em seu coração, ainda assim você está disposto a satisfazer Deus usando o seu coração, que O ama, e não está disposto a se importar com a carne. É isso o que quer dizer praticar o amor a Deus. Você está machucado por dentro e seu sofrimento alcançou certo ponto, ainda assim você está disposto a vir perante Deus e orar, dizendo: “Oh, Deus! Não posso abandonar-Te. Embora haja trevas dentro de mim, desejo satisfazer-Te; Tu conheces meu coração e eu gostaria que investisses mais do Teu amor em mim”. Essa é a prática durante o refinamento. Se usar o amor a Deus como o fundamento, o refinamento pode trazer você para mais perto de Deus e torná-lo mais íntimo Dele. Já que você acredita em Deus, precisa entregar seu coração perante Deus. Se você oferecer e depositar seu coração perante Deus, então, durante o refinamento, será impossível você negar Deus ou abandonar Deus. Dessa forma, seu relacionamento com Deus se tornará cada vez mais íntimo e cada vez mais normal, e sua comunhão com Deus se tornará cada vez mais frequente. Se praticar sempre dessa maneira, então você passará mais tempo na luz de Deus e mais tempo sob a orientação de Suas palavras. Também haverá cada vez mais mudanças em seu caráter e seu conhecimento aumentará dia a dia. Quando chegar o dia que as provações de Deus lhe sobrevierem repentinamente, você não só será capaz de ficar ao lado de Deus, mas também de dar testemunho Dele. Nesse momento, você será como Jó e como Pedro. Tendo dado testemunho de Deus, você O amará verdadeiramente e entregará sua vida por Ele de bom grado; você será a testemunha de Deus e alguém que é amado por Deus. O amor que experimentou o refinamento é forte, não fraco. Independentemente de quando ou como Deus o sujeita às Suas provações, você é capaz de entregar suas preocupações em relação a se vai viver ou morrer, de bom grado abandonar tudo por Deus e alegremente suportar qualquer coisa por Deus — assim, seu amor será puro e sua fé, real. Só então você será alguém que é verdadeiramente amado por Deus e que foi verdadeiramente aperfeiçoado por Deus.

Se as pessoas caem sob a influência de Satanás, então não têm o amor a Deus dentro delas, e suas visões, seu amor e resolução prévios desapareceram. As pessoas costumavam pensar que deviam sofrer por Deus, mas hoje acham que fazer isso é vergonhoso e não lhes faltam reclamações. Essa é a obra de Satanás, um sinal de que o homem caiu sob o império de Satanás. Se encontrar esse estado, você precisa orar e revertê-lo tão logo puder — isso o protegerá contra os ataques de Satanás. É durante o refinamento amargo que o homem pode cair mais facilmente sob a influência de Satanás, então como você deveria amar Deus durante tal refinamento? Você deveria reunir sua vontade, depositar seu coração perante Deus e devotar o seu tempo derradeiro a Ele. Independentemente de como Deus o refina, você deveria ser capaz de colocar a verdade em prática para satisfazer a vontade de Deus e deveria tomar para si a busca de Deus e de comunhão. Em momentos assim, quanto mais passivo você for, mais negativo se tornará e mais fácil será retroceder. Quando é necessário que você sirva em sua função, embora não a sirva bem, você faz tudo que pode e o faz usando nada mais que o seu amor a Deus; independentemente do que os outros digam — quer digam que o fez bem ou que o fez mal — suas intenções são corretas e você não é hipócrita, pois está agindo em nome de Deus. Quando os outros o interpretam mal, você é capaz de orar a Deus e dizer: “Oh, Deus! Não peço que os outros me tolerem, nem que me tratem bem, nem que me entendam e aprovem. Só peço que eu seja capaz de amar-Te em meu coração, que eu possa estar tranquilo em meu coração e que minha consciência possa ser clara. Não peço que os outros me elogiem nem que me tenham em alta consideração; só busco satisfazer-Te do meu coração; sirvo em meu papel fazendo tudo que posso e, embora seja tolo e estúpido, de calibre pobre e cego, sei que Tu és amável, e estou disposto a devotar tudo que tenho a Ti”. Assim que você ora dessa maneira, seu amor por Deus emerge e você se sente muito mais aliviado em seu coração. É isso que quer dizer praticar o amor a Deus. Enquanto experimentar, você fracassará duas vezes e terá êxito uma vez, ou, se não, fracassará cinco vezes e terá êxito duas vezes e, enquanto experimentar dessa maneira, só em meio ao fracasso você será capaz de ver a amabilidade de Deus e descobrir o que está faltando dentro de você. Quando encontrar tais situações depois, você deve se precaver, moderar seus passos e orar com mais frequência. Pouco a pouco, você desenvolverá a capacidade de triunfar em tais situações. Quando isso acontece, suas orações foram eficazes. Quando vir que foi bem-sucedido dessa vez, você ficará gratificado por dentro, e quando orar será capaz de sentir Deus e que a presença do Espírito Santo não o deixou — só então saberá como Deus opera dentro de você. Praticar dessa maneira lhe dará uma senda para experimentar. Se não colocar a verdade em prática, então você estará sem a presença do Espírito Santo dentro de você. Mas se colocar a verdade em prática quando encontrar as coisas como elas são, então, embora se machuque por dentro, o Espírito Santo estará com você depois, você será capaz de sentir a presença de Deus quando orar, terá a força para praticar as palavras de Deus e, durante a comunhão com seus irmãos e irmãs, não haverá nada pesando em sua consciência, você se sentirá em paz e, dessa maneira, será capaz de trazer à luz o que tiver feito. Independentemente do que os outros digam, você será capaz de ter uma relação normal com Deus, não será constrangido pelos outros, se elevará acima de tudo — e, nisso, demonstrará que sua prática das palavras de Deus foi eficaz.

Quanto maior o refinamento de Deus, mais o coração das pessoas é capaz de amar Deus. O tormento em seu coração é benéfico para sua vida, elas são mais capazes de estar em paz diante de Deus, seu relacionamento com Ele fica mais próximo e elas são mais capazes de ver o amor supremo de Deus e Sua suprema salvação. Pedro experimentou o refinamento centenas de vezes e Jó passou por diversas provações. Se desejarem ser aperfeiçoados por Deus, vocês também precisam passar pelo refinamento centenas de vezes; só se passarem por esse processo e confiarem nessa etapa, vocês serão capazes de satisfazer a vontade de Deus e ser aperfeiçoados por Deus. O refinamento é o melhor meio pelo qual Deus aperfeiçoa as pessoas; só o refinamento e as provações amargas podem revelar o amor verdadeiro a Deus no coração das pessoas. Sem adversidade, as pessoas carecem do amor verdadeiro a Deus; se não forem testadas por dentro, se não forem sujeitadas verdadeiramente ao refinamento, então seu coração estará sempre flutuando do lado de fora. Tendo sido refinado até certo ponto, você verá suas fraquezas e dificuldades próprias, verá do quanto está carecendo e que é incapaz de vencer os muitos problemas que encontra, e verá como é grande a sua desobediência. Só durante as provações as pessoas são capazes de conhecer verdadeiramente o seu estado real; as provações tornam as pessoas mais capazes de ser aperfeiçoadas.

Durante sua vida, Pedro experimentou o refinamento centenas de vezes e passou por muitas provas dolorosas. Esse refinamento se tornou o fundamento de seu amor supremo a Deus e a experiência mais significativa de toda a sua vida. Ele foi capaz de possuir um amor supremo a Deus, em certo sentido, por causa de sua resolução de amar Deus; mais importante, entretanto, isso foi por causa do refinamento e sofrimento pelo qual passou. Esse sofrimento se tornou seu guia na senda de amar Deus e a coisa que foi mais memorável para ele. Se as pessoas não passam pela dor do refinamento ao amar Deus, então seu amor é repleto de impurezas e preferências pessoais; tal amor está cheio das ideias de Satanás e é fundamentalmente incapaz de satisfazer a vontade de Deus. Ter a resolução de amar Deus não é o mesmo que amar Deus verdadeiramente. Embora tudo que elas pensem em seu coração seja para o bem de amar e satisfazer Deus, e embora seus pensamentos pareçam estar inteiramente devotados a Deus e destituídos de quaisquer ideias humanas, ainda assim, quando seus pensamentos são trazidos perante Deus, Ele não elogia nem abençoa tais pensamentos. Mesmo quando as pessoas entenderam completamente todas as verdades — quando vieram a conhecer todas elas — isso não pode ser considerado como um sinal de amar Deus, não pode ser considerado como se essas pessoas de fato amam Deus. A despeito de terem entendido muitas verdades sem passar pelo refinamento, as pessoas são incapazes de colocar essas verdades em prática; só durante o refinamento elas podem entender o real significado dessas verdades, só então elas podem apreciar genuinamente seu significado interior. Nesse momento, quando tentam novamente, elas são capazes de colocar as verdades em prática adequadamente e de acordo com a vontade de Deus; nesse momento, suas ideias humanas são atenuadas, sua corrupção humana é reduzida e suas emoções humanas são diminuídas; só nesse momento sua prática é uma manifestação verdadeira do amor a Deus. O efeito da verdade do amor a Deus não é alcançado através do conhecimento verbal nem da disposição mental e não pode ser alcançado simplesmente pelo entendimento dessa verdade. Ele exige que as pessoas paguem um preço e que passem por muita amargura durante o refinamento e só então seu amor se tornará puro e segundo o próprio coração de Deus. Em Sua exigência de que o homem O ame, Deus não requer que o homem O ame usando paixão ou a própria vontade; só através da lealdade e do uso da verdade para servi-Lo o homem pode verdadeiramente amá-Lo. Mas o homem vive em meio à corrupção e, portanto, é incapaz de usar a verdade e a lealdade para servir Deus. Ele está ora muito apaixonado com relação a Deus ora muito frio e indiferente; ora ama Deus ao extremo ora O abomina ao extremo. Aqueles que vivem em meio à corrupção sempre vivem entre esses dois extremos, sempre vivendo pela vontade própria e acreditando que estão certos. Embora Eu tenha mencionado isso diversas vezes, as pessoas são incapazes de levá-lo a sério, são incapazes de entender completamente sua importância e assim vivem em meio à fé do autoengano, na ilusão do amor a Deus que depende da própria vontade delas. No decorrer da história, conforme a humanidade se desenvolvia e as eras passavam, as exigências de Deus ao homem se tornavam cada vez mais elevadas, e Ele tem requerido cada vez mais que o homem seja absoluto em relação a Ele. Ainda assim, o conhecimento de Deus por parte do homem se tornou cada vez mais vago e abstrato, e seu amor a Ele, concomitantemente, se tornou cada vez mais impuro. O estado do homem e tudo o que ele faz estão cada vez mais em desacordo com a vontade de Deus, pois o homem se tornou ainda mais profundamente corrompido por Satanás. Isso exige que Deus faça uma obra de salvação maior e mais ampla. O homem está cada vez mais minucioso em suas exigências de Deus e seu amor a Deus está diminuindo ainda mais. As pessoas vivem em desobediência, sem a verdade, vivendo uma vida desprovida de humanidade; não só elas estão desprovidas do mínimo amor a Deus, mas estão repletas de desobediência e oposição. Embora pensem que já têm o supremo amor a Deus e que não poderiam ser mais complacentes para com Ele, Deus não pensa dessa forma. Para Ele, está perfeitamente claro o quanto é maculado o amor do homem por Ele, e Ele jamais mudou Sua opinião acerca do homem por causa das bajulações deste, nem jamais retribuiu a boa-vontade do homem como resultado de sua devoção. Ao contrário do homem, Deus é capaz de diferenciar: Ele sabe quem O ama verdadeiramente e quem não ama, e, em vez de ser tomado de fervor e Se perder por causa do impulso momentâneo do homem, Ele trata o homem de acordo com sua essência e seu comportamento. Afinal de contas, Deus é Deus, e Ele tem Sua dignidade e Suas percepções; o homem, afinal de contas, é homem, e a mente de Deus não será desviada por um amor do homem que está em desacordo com a verdade. Pelo contrário, Ele trata tudo que o homem faz de maneira apropriada.

Diante do estado do homem e de sua atitude para com Deus, Deus fez uma nova obra, permitindo ao homem possuir tanto conhecimento Dele quanto obediência a Ele e tanto amor quanto testemunho. Assim, o homem precisa experimentar o refinamento de Deus para ele, bem como Seu julgamento, tratamento e poda, sem os quais o homem jamais conheceria Deus e jamais seria capaz de amá-Lo verdadeiramente e dar testemunho Dele. O refinamento do homem por parte de Deus não é meramente para o bem de um efeito unilateral, mas para o bem de um efeito multifacetado. Só dessa maneira é que Deus faz a obra de refinamento naqueles que estão dispostos a buscar a verdade, a fim de que a resolução e o amor deles sejam aperfeiçoados por Deus. Àqueles que estão dispostos a buscar a verdade e àqueles que anseiam por Deus, nada é mais significativo, ou de maior auxílio, que um refinamento como esse. O caráter de Deus não é tão facilmente conhecido nem compreendido pelo homem, pois Deus, afinal, é Deus. No fim, é impossível que Deus tenha o mesmo caráter que o homem e, assim, não é fácil que o homem conheça Seu caráter. A verdade não é inerentemente apossada pelo homem e não é facilmente entendida por aqueles que foram corrompidos por Satanás; o homem é desprovido da verdade e da resolução de colocar a verdade em prática, e, se ele não sofrer e não for refinado nem julgado, então sua resolução jamais será aperfeiçoada. Para todas as pessoas, o refinamento é excruciante e muito difícil de aceitar — mas é durante o refinamento que Deus deixa claro Seu caráter justo para o homem, torna públicas Suas exigências para o homem e oferece mais esclarecimento e mais tratamento e poda reais; através da comparação entre os fatos e a verdade, Ele dá ao homem um conhecimento maior de si mesmo e da verdade, e dá ao homem um entendimento maior da vontade de Deus, permitindo, assim, que o homem tenha um amor a Deus mais verdadeiro e mais puro. Tais são os objetivos de Deus ao executar o refinamento. Toda a obra que Deus faz no homem tem seus objetivos e significados próprios; Deus não faz uma obra sem sentido nem uma obra que não beneficie o homem. O refinamento não significa remover pessoas da frente de Deus e não significa destruí-las no inferno. Antes, significa mudar o caráter do homem durante o refinamento, mudar suas intenções, seus pontos de vista antigos, mudar seu amor a Deus e mudar sua vida inteira. O refinamento é um verdadeiro teste para o homem e uma forma de treinamento real, e é só durante o refinamento que seu amor pode servir à sua função inerente.

Anterior: Como Pedro chegou a conhecer Jesus

Próximo: Aqueles que amam a Deus viverão para sempre em Sua luz

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Posfácio

Apesar de essas palavras não serem todas as expressões de Deus, bastam para que as pessoas alcancem os objetivos de conhecer Deus e uma...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro