176 Dias sob monitoramento

1 Por acreditar em Deus, suportei detenção e prisão pelo PCCh, e fui liberto no fim da minha sentença. Embora tenha escapado da prisão dos demônios, continuo a ser monitorado pelo PCCh. Cada dia, câmeras de monitoramento na frente da minha casa registram meus movimentos. Até meus vizinhos foram subornados e explorados pelo PCCh. Inúmeras vezes a polícia bateu à minha porta para perguntar se ainda creio em Deus. Aterrorizada pela PCCh, minha família aumenta a pressão sobre mim. Sinto-me miserável. Perdi minha liberdade pessoal e também a vida da igreja. Dor e desespero me perseguem cada dia, e meu coração está cheio de tormento.

2 Eu me lembro dos momentos maravilhosos de reunião com meus irmãos e irmãs. Comungávamos sobre as palavras de Deus, falávamos das nossas experiências e apoiávamos uns aos outros. Após passarmos pelo julgamento de Deus, aos poucos entendemos a verdade. Provando do amor de Deus, estamos unidos em nosso dever. Hoje, ficar em casa é como ainda estar na prisão. Meu coração está cheio de ressentimento. Por que o PCCh me privou da minha liberdade pessoal, colocando-me ilegalmente em prisão doméstica? Por que me impediu de espalhar o evangelho e de dar testemunho de Deus? Isso é tão maligno! Onde está nossa liberdade religiosa? Onde estão os direitos legítimos dos cidadãos?

3 Durante meus dias sob monitoramento pelo PCCh, as palavras de Deus me fazem companhia e não estou sozinho. Ponderar sobre as palavras de Deus e entender a verdade me dá fé e força. Vejo que o PCCh engana o mundo para ganhar fama e que são demônios que resistem a Deus. Usaram todos os meios para prender e perseguir cristãos. Tentam usar a prisão domiciliar para me levar a abandonar a Deus e dar as costas para Ele. Como são desprezíveis as suas motivações! Deus é tão sábio ao usar o serviço de Satanás para aperfeiçoar minha fé verdadeira. Em meio a dor e refinamento, provei do amor de Deus, e meu amor por Ele só aumenta. Ter parte na dor de Cristo é uma honra tão grande! Satanás tirou minha liberdade, mas não consegue prender minha mente. Não importa quanta adversidade sofra, farei tudo que puder para buscar a verdade. Seguirei a Cristo e serei fiel até o fim, nunca voltarei atrás, nunca voltarei atrás!

Anterior: 175 Reunião nos altos campos verdes

Próximo: 177 Dedicando minha vida para dar testemunho de Deus

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro

Entre em contato conosco pelo Whatsapp