Anexo: Capítulo 1

O que Eu peço que vocês façam não é a teoria vaga e vazia sobre a qual Eu falo, tampouco é inimaginável para o cérebro do homem ou inalcançável para a carne do homem. Quem é capaz da lealdade completa dentro da Minha casa? E quem pode oferecer seu tudo dentro do Meu reino? Não fosse a revelação da Minha vontade, vocês realmente exigiriam de si mesmos que satisfizessem o Meu coração? Ninguém jamais compreendeu Meu coração e ninguém jamais percebeu Minha vontade. Quem já viu Meu rosto ou ouviu a Minha voz? Pedro? Ou Paulo? Ou João? Ou Tiago? Quem já foi revestido por Mim, ou possuído por Mim ou usado por Mim? Embora a primeira vez em que Eu Me tornei carne tenha acontecido dentro da divindade, a carne na qual Eu Me vestia não conhecia os sofrimentos do homem, pois Eu não estava encarnado em uma forma e, portanto, não se pôde dizer que a carne fez completamente a Minha vontade. Somente quando a Minha divindade é capaz de fazer como Eu faria e falar como Eu falaria em uma pessoa de humanidade normal, sem obstáculo ou obstrução, é possível dizer que a Minha vontade é feita na carne. Como a humanidade normal é capaz de ocultar a divindade, assim é alcançado Meu objetivo de ser humilde e oculto. Durante o estágio da obra na carne, embora a divindade aja de forma direta, tais ações não são fáceis de as pessoas verem, o que se dá meramente por causa da vida e das ações da humanidade normal. Essa encarnação não consegue jejuar por 40 dias como a primeira encarnação, no entanto opera e fala de modo normal; apesar de revelar mistérios, é muito normal; não é como as pessoas imaginam — Sua voz não é como trovão, Seu rosto não brilha como a luz, e os céus não tremem quando Ele anda. Se fosse esse o caso, então nisso não haveria nada da Minha sabedoria, e esta seria incapaz de envergonhar e derrotar Satanás.

Quando demonstro a Minha divindade sob o escudo da humanidade normal, sou glorificado ao máximo, Minha grande obra é realizada e nada apresenta quaisquer dificuldades. Isso se dá porque o objetivo da Minha encarnação é, principalmente, permitir que todos aqueles que creem em Mim observem os feitos da Minha divindade na carne e vejam o Próprio Deus prático, dissipando, assim, o lugar invisível e intangível de Deus no coração das pessoas. Porque Eu como, Me visto, durmo, vivo e ajo como uma pessoa normal, porque falo e rio como uma pessoa normal e tenho as necessidades de uma pessoa normal, e também possuo a substância da divindade plena, sou chamado de “o Deus prático”. Isso não é abstrato e é fácil de entender; nisso pode ser visto em qual parte está o cerne da Minha obra e em qual fase da obra está Meu foco. Revelar Minha divindade através da humanidade normal é a essência do objetivo da Minha encarnação. Não é difícil ver que o centro da Minha obra está na segunda parte da era do julgamento.

Em Mim, nunca houve vida humana ou traço de humanidade. A vida humana nunca ocupou um lugar em Mim e nunca suprimiu a revelação da Minha divindade. Portanto, quanto mais Ele expressa a Minha voz no céu e a vontade do Meu Espírito, mais Ele consegue envergonhar Satanás e, assim, mais fácil se torna fazer a Minha vontade na humanidade normal. Isso, por si só, derrotou Satanás, e Satanás já foi inteiramente envergonhado. Embora Eu esteja oculto, isso não impede as declarações e ações da Minha divindade — que são suficientes para mostrar que fui vitorioso e fui glorificado por completo. Porque a Minha obra na carne é sem obstáculo e porque o Deus prático, agora, tem um lugar no coração das pessoas e estabeleceu raízes no coração delas, está completamente provado que Satanás foi derrotado por Mim. E como Satanás é incapaz de fazer mais entre o homem, e é difícil incutir a qualidade de Satanás na carne do homem, Minha vontade prossegue sem obstáculo. O conteúdo da Minha obra é, principalmente, fazer com que todas as pessoas observem Meus feitos maravilhosos e vejam Meu verdadeiro rosto: não estou além do alcance, não Me elevo ao céu, não sou sem forma e amorfo. Não sou invisível como o ar, nem sou como a nuvem flutuante que se dispersa com facilidade; em vez disso, embora Eu viva entre o homem e experimente a doçura, a acidez, a amargura e o furor entre o homem, Minha carne é fundamentalmente diferente daquela do homem. A maioria das pessoas tem dificuldade de se envolver Comigo, contudo muitos também anseiam por se envolver Comigo. É como se existissem mistérios enormes e insondáveis no Deus encarnado. Por causa da revelação direta da divindade e por causa da proteção da aparência humana, as pessoas mantêm uma distância respeitável de Mim, acreditando que sou um Deus misericordioso e amoroso, contudo também temem a Minha majestade e ira. Portanto, no coração delas, elas desejam falar de modo mais sério Comigo, contudo não conseguem fazer como gostariam — do que seu coração deseja, sua força carece. Tais são os estados de todos nessa circunstância — e quanto mais as pessoas são assim, maior é a prova da revelação de vários aspectos do Meu caráter, alcançando, assim, o objetivo de as pessoas conhecerem a Deus. No entanto, isso é secundário; a chave é fazer com que as pessoas conheçam Meus maravilhosos feitos a partir das ações da Minha carne, fazendo-as conhecer a substância de Deus: Eu não sou, como as pessoas imaginam, anormal e sobrenatural; em vez disso, sou o Deus prático que é normal em todas as coisas. “Meu” lugar na concepção das pessoas está disperso, e elas passam a conhecer-Me na realidade. Somente então Eu ocupo Meu verdadeiro lugar na mente das pessoas.

Diante de todas as pessoas, não somente nunca fiz algo sobrenatural que tenha sido valorizado pelas pessoas, como também sou extremamente ordinário e normal; de modo deliberado, não permito que as pessoas vejam algo que tenha algum indício de Deus na Minha carne encarnada. Porém, por causa das Minhas palavras, as pessoas são totalmente conquistadas e submetem-se ao Meu testemunho. Somente então as pessoas passam a conhecer, sem receios, o Eu na carne sobre o fundamento de acreditarem plenamente que Deus, de fato, existe. Dessa forma, o conhecimento das pessoas sobre Mim se torna mais real, mais claro e não é nem um pouco corrompido pelo bom comportamento delas; tudo é resultado de a Minha divindade agir de forma direta, dando às pessoas um maior conhecimento da Minha divindade, pois apenas a divindade é o verdadeiro rosto de Deus e o atributo inerente de Deus. As pessoas deveriam ver isso. O que Eu quero são palavras, feitos e ações que estejam na divindade — não me importo com palavras e ações na humanidade. Meu objetivo é viver e agir na divindade — não desejo criar raiz e brotar na humanidade, não desejo residir na humanidade. Vocês compreendem o que estou dizendo? Apesar de ser um convidado na humanidade, Eu não quero isso; Eu ajo em completa divindade, e somente dessa forma as pessoas podem entender melhor Meu verdadeiro rosto.

Anterior: Capítulo 8

Próximo: Capítulo 10

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

A senda… (3)

Na Minha vida, estou sempre contente por entregar Minha mente e Meu corpo inteiramente a Deus. Só então a Minha consciência fica sem...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro