A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus I

Hoje, vamos comunicar um tema importante. Esse é um tema que tem sido discutido desde o início da obra de Deus até agora, e é de vital importância para todos. Em outras palavras, essa é uma questão com que todo mundo entrará em contato ao longo do processo de sua crença em Deus e uma questão que deve ser abordada. Trata-se de uma questão crucial e inevitável da qual a humanidade não pode se distanciar. Falando sobre a importância, o que há de mais importante para todo crente em Deus? Algumas pessoas acham que o mais importante é compreender a vontade de Deus; alguns creem que o mais importante é comer e beber mais das palavras de Deus; alguns acham que o mais importante é conhecer a si mesmos; outros são da opinião de que o mais importante é saber como encontrar a salvação através de Deus, como seguir a Deus e como cumprir a vontade de Deus. Por hoje, vamos deixar todas essas questões de lado. Então, o que estamos discutindo? O tema é Deus. Esse é o tema mais importante para todas as pessoas? Qual é o conteúdo desse tema? Naturalmente, esse tema certamente não pode ser separado do caráter de Deus, da essência de Deus e da obra de Deus. Então, hoje, vamos discutir “A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus”.

Desde o momento em que o homem passou a acreditar em Deus, ele esteve em contato com temas como a obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus. Quando se trata da obra de Deus, algumas pessoas dirão: “A obra de Deus é feita em nós; e a experimentamos todos os dias, por isso não é algo estranho a nós”. Falando do caráter de Deus, algumas pessoas dirão: “O caráter de Deus é um tema que estudamos, exploramos e no qual nos concentramos em toda a nossa vida, por isso deveríamos estar familiarizados com ele”. Quanto ao Próprio Deus, algumas pessoas dirão: “O Próprio Deus é quem seguimos, em quem temos fé, e a quem buscamos, por isso também não estamos desinformados sobre Ele”. Deus nunca interrompeu Sua obra desde a criação, através da qual continuou a expressar Seu caráter e usou diversas maneiras de expressar Sua palavra. Ao mesmo tempo, Ele nunca deixou de expressar a Si e Sua essência para a humanidade, expressando Sua vontade para com o homem e o que Ele requer do homem. Então, de uma perspectiva literal, esses temas não deveriam ser estranhos a ninguém. Para pessoas que seguem a Deus hoje, no entanto, a obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus são, na verdade, muito desconhecidos. Por que acontece isso? À medida que experimenta a obra de Deus, o homem também entra em contato com Ele, o que o faz sentir como se compreendesse o caráter de Deus ou soubesse um pouco de como ele é. E assim, o homem não acha que é desconhecedor da obra de Deus ou do caráter de Deus. Pelo contrário, o homem acha que está muito familiarizado com Deus e que entende muito sobre Deus. Mas, com base na situação atual, a compreensão de muitas pessoas sobre Deus é restrita ao que leram nos livros, limitada ao âmbito das experiências pessoais, restringida por sua imaginação e, sobretudo, confinada aos fatos que elas veem com seus olhos. Tudo isso está muito distante do Próprio Deus verdadeiro. E quão longe é esse “distante”? Talvez o próprio homem não tenha tanta certeza, ou talvez tenha algum sentido, alguma ideia — mas quando se trata do Próprio Deus, o entendimento do homem sobre Ele está distante demais da essência do Próprio Deus verdadeiro. É por isso que, para um tema como “A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus”, é imperativo que nos engajemos em comunhão de modo sistemático e concreto.

Na verdade, o caráter de Deus está aberto a todos e não está oculto, porque Deus nunca evitou conscientemente qualquer pessoa e nunca tentou esconder-Se conscientemente de modo que as pessoas não pudessem conhecê-Lo ou entendê-Lo. O caráter de Deus sempre esteve aberto e sempre esteve voltado para cada pessoa de maneira franca. Durante o gerenciamento de Deus, Ele faz a Sua obra, voltado a todos; e Sua obra é realizada em cada pessoa. Ao fazer essa obra, Ele está continuamente revelando Seu caráter, continuamente usando Sua essência e o que Ele tem e o que ele é, para guiar e prover para cada pessoa. Em todas as eras e em todas as etapas, independentemente de as circunstâncias serem boas ou ruins, o caráter de Deus sempre está aberto a cada indivíduo, e Suas posses e ser estão sempre abertos a cada indivíduo, da mesma forma que Sua vida está constante e incessantemente provendo para a humanidade e apoiando a humanidade. Apesar de tudo isso, o caráter de Deus permanece oculto para alguns. Por quê? Porque, embora essas pessoas vivam dentro da obra de Deus e sigam a Deus, elas nunca buscaram compreender a Deus nem quiseram conhecer a Deus, e muito menos se aproximar de Deus. Para essas pessoas, compreender o caráter de Deus significa que o fim delas está próximo; significa que estão prestes a serem julgadas e condenadas pelo caráter de Deus. Portanto, essas pessoas nunca desejaram compreender Deus ou Seu caráter, e nunca desejaram uma compreensão ou um conhecimento mais profundo da vontade de Deus. Elas não pretendem compreender a vontade de Deus por meio da cooperação consciente — elas apenas sempre apreciam e nunca se cansam de fazer as coisas que desejam fazer; elas creem no Deus em quem querem crer; creem no Deus que existe apenas em sua imaginação, o Deus que existe somente em suas noções; e creem num Deus que não pode ser separado delas em suas vidas diárias. No que diz respeito ao Próprio Deus verdadeiro, são completamente indiferentes, sem desejo de compreendê-Lo, de dar ouvidos a Ele, e têm ainda menos intenção de se aproximar mais Dele. Só estão usando as palavras que Deus expressa para se adornar, para embrulhar a si mesmas. Para elas, isso já faz delas crentes de sucesso e pessoas com fé em Deus dentro de seu coração. Em seu coração, são guiadas por suas imaginações, suas noções e até mesmo por suas definições pessoais de Deus. O Próprio Deus verdadeiro, por outro lado, não tem absolutamente nada a ver com elas. Porque, se entendessem o Próprio Deus verdadeiro, se compreendessem o verdadeiro caráter de Deus e entendessem o que Deus tem e é, isso significaria que suas ações, fé e buscas seriam condenadas. É por isso que não estão dispostas a compreender a essência de Deus e estão relutantes e indispostas a procurar ativamente ou orar para compreender melhor a Deus, conhecer melhor a vontade de Deus e compreender melhor o caráter de Deus. Prefeririam que Deus fosse algo inventado, algo oco e vago. Prefeririam que Deus fosse alguém exatamente como imaginaram, alguém que possa estar à inteira disposição, com suprimento inesgotável e sempre disponível. Quando querem desfrutar da graça de Deus, pedem a Deus que seja essa graça. Quando precisam da bênção de Deus, pedem a Deus que seja essa bênção. Quando enfrentam adversidade, pedem a Deus que as encoraje, que seja seu porto seguro. O conhecimento que essas pessoas têm sobre Deus está cerceado ao âmbito da graça e da bênção. A compreensão que possuem da obra de Deus, do caráter de Deus e do Próprio Deus também está meramente restrita à sua imaginação, e a letras e doutrinas. Mas há algumas pessoas que estão ansiosas para compreender o caráter de Deus, querem genuinamente ver o Próprio Deus e verdadeiramente compreender o caráter de Deus e o que Ele tem e é. Essas pessoas estão em busca da realidade da verdade e da salvação de Deus, e buscam receber a vitória, a salvação e a perfeição de Deus. Elas usam seu coração para ler a palavra de Deus, usam seu coração para apreciar cada situação e cada pessoa, acontecimento ou coisa que Deus tenha preparado para elas, e oram e buscam com sinceridade. O que mais querem é conhecer a vontade de Deus e compreender o verdadeiro caráter e a essência de Deus, para que não mais ofendam a Deus e, através de suas experiências, possam ver mais da amabilidade de Deus e de Sua verdadeira face. É também para que exista um Deus genuinamente real em seu coração e para que Deus tenha um lugar em seu coração, de modo que já não vivam entre imaginações, noções ou ilusões. Para essas pessoas, a razão pela qual elas têm um desejo premente de compreender o caráter de Deus e Sua essência é que o caráter e a essência de Deus são coisas de que a humanidade pode precisar a qualquer momento em suas experiências, coisas que supram vida por toda a sua vida. Quando compreenderem o caráter de Deus, elas poderão reverenciar melhor a Deus, cooperar melhor com a obra de Deus e ser mais atenciosas com relação à vontade de Deus e cumprir seu dever da melhor forma possível. Essas são as atitudes em relação ao caráter de Deus de dois tipos de pessoas. O primeiro não quer compreender o caráter de Deus. Mesmo que digam que querem compreender o caráter de Deus, conhecer o Próprio Deus, ver o que Deus tem e é, e genuinamente apreciar a vontade de Deus, no fundo prefeririam que Deus não existisse. É porque esse tipo de pessoa sistematicamente desobedece e resiste a Deus; luta contra Deus por posição em seu coração e muitas vezes suspeita ou até nega a existência de Deus. Elas não querem deixar o caráter de Deus ou o Próprio Deus verdadeiro ocupar seu coração. Só querem satisfazer os próprios desejos, imaginações e ambições. Então, essas pessoas podem crer em Deus, seguir a Deus, e também podem renunciar a sua família e empregos por causa Dele, mas não desistem de sua má atitude. Algumas até mesmo roubam ou esbanjam as ofertas, ou amaldiçoam a Deus secretamente, enquanto outras podem usar sua posição para repetidamente testificar sobre si mesmas, se engrandecer e competir com Deus por pessoas e status. Elas usam vários métodos e medidas para fazer as pessoas adorá-las, constantemente tentando conquistá-las e controlá-las. Algumas até intencionalmente induzem os outros a pensar que elas são Deus, para que possam ser tratadas como Deus. Elas nunca diriam aos outros que foram corrompidas, que também são corruptas e arrogantes, e que não as adorem, e que não importa quão bem se saem nas coisas, tudo isso se deve à exaltação de Deus, e que, enfim, estão apenas fazendo o que deveriam estar fazendo. Por que não dizem essas coisas? Porque elas têm muito medo de perder seu lugar no coração das pessoas. É por isso que tais pessoas nunca exaltam a Deus e nunca dão testemunho de Deus, pois nunca tentaram compreender a Deus. Elas podem conhecer a Deus sem compreendê-Lo? Impossível! Assim, embora as palavras do tema “A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus” sejam simples, seu significado é diferente para cada pessoa. Para alguém que frequentemente desobedece a Deus, resiste a Deus e é hostil para com Deus, as palavras pressagiam condenação; já alguém que busca a verdade-realidade, e muitas vezes se apresenta diante de Deus para buscar Sua vontade, aceitará tais palavras como um peixe aceita a água. Assim, entre vocês há aqueles que, quando ouvem falar do caráter de Deus e da obra de Deus, começam a ter dor de cabeça, seu coração se enche de resistência e ficam extremamente desconfortáveis. Mas há outros entre vocês que pensam: esse tema é exatamente aquilo de que eu preciso, porque é muito útil para mim. É uma parte que não pode faltar na minha experiência de vida; é o cerne do cerne, o fundamento da fé em Deus e algo que a humanidade não pode se dar ao luxo de abandonar. Para todos vocês, esse tema pode parecer próximo e distante, desconhecido e, no entanto, familiar. De qualquer modo, esse é um tema que todos devem ouvir, devem conhecer e devem compreender. Não importa como você lida com isso, não importa como você o considera ou como você o entende, a importância desse tema não pode ser ignorada.

Deus tem feito a Sua obra desde a criação da humanidade. No início, era uma obra muito simples, mas, apesar de sua simplicidade, continha expressões da essência e do caráter de Deus. Embora a obra de Deus agora tenha sido elevada, e essa obra feita em cada pessoa tenha se tornado prodigiosa e concreta, com grande expressão de Sua palavra, desde o início até agora, a pessoa de Deus tem se ocultado da humanidade. Embora tenha encarnado duas vezes, desde o tempo dos relatos bíblicos até os dias modernos, quem já viu a pessoa real de Deus? Com base em seu entendimento, alguém já viu a pessoa real de Deus? Não. Ninguém viu a pessoa real de Deus, o que significa dizer que ninguém jamais viu o verdadeiro eu de Deus. Isso é algo que todos estão de acordo. Ou seja, a pessoa real de Deus — ou o Espírito de Deus — está oculta de toda a humanidade, incluindo Adão e Eva, a quem Ele criou, e incluindo o justo Jó, a quem Ele aceitou. Mesmo eles não viram a pessoa real de Deus. Mas por que Deus, conscientemente, mascara Sua pessoa real? Algumas pessoas dizem: “Deus tem medo de assustar as pessoas”. Outros dizem: “Deus esconde Sua pessoa real porque o homem é muito pequeno e Deus é grande demais; os humanos não podem vê-Lo, senão morrerão”. Há também aqueles que dizem: “Deus está ocupado gerenciando a Sua obra todos os dias. Ele pode não ter tempo de aparecer para permitir que as pessoas O vejam”. Não importa o que creiam, Eu tenho uma conclusão aqui. Qual é essa conclusão? É que Deus nem mesmo quer que as pessoas vejam Sua pessoa real. Estar oculto da humanidade é algo que Deus faz deliberadamente. Em outras palavras, é intenção de Deus que as pessoas não vejam Sua pessoa real. Isso já deveria estar claro para todos. Se Deus nunca mostrou Sua pessoa a ninguém, então vocês acham que a pessoa de Deus existe? (Ele existe.) Claro que sim. A existência da pessoa de Deus é indiscutível. Mas quanto a quão grande é a pessoa de Deus ou como é sua aparência, essas questões deveriam ser investigadas pela humanidade? Não. A resposta é negativa. Se a pessoa de Deus não é um tema que deveríamos estar explorando, então qual é a pergunta que deveríamos investigar? (O caráter de Deus.) (A obra de Deus.) Antes de começarmos a comunicar o tema oficial, vamos voltar ao que estávamos discutindo neste momento: por que Deus nunca mostrou Sua pessoa para a humanidade? Por que Deus intencionalmente esconde Sua pessoa da humanidade? Há apenas uma razão, qual seja: embora o homem criado tenha passado por milhares de anos da obra de Deus, não há uma única pessoa que conheça a obra de Deus, o caráter de Deus e a essência de Deus. Tais pessoas, aos olhos de Deus, estão em oposição a Ele, e Deus não Se mostrará a pessoas que são hostis a Ele. Essa é a única razão pela qual Deus nunca mostrou Sua pessoa ao homem e por que Ele deliberadamente protege Sua pessoa da humanidade. Vocês agora têm clareza quanto à importância de conhecer o caráter de Deus?

Desde a existência do gerenciamento de Deus, Ele sempre foi totalmente dedicado a realizar a Sua obra. Apesar de haver ocultado Sua pessoa do homem, Ele sempre esteve ao lado dele, fazendo a obra nele, expressando Seu caráter, guiando toda a humanidade com Sua essência e fazendo Sua obra em cada pessoa através de Seu poder, Sua sabedoria e Sua autoridade, e assim trazendo à existência a Era da Lei, a Era da Graça, e agora a Era do Reino. Embora Deus oculte Sua pessoa do homem, Seu caráter, Seu ser, Suas posses e Sua vontade para com a humanidade são revelados ao homem incondicionalmente para que o homem veja e vivencie. Em outras palavras, embora os seres humanos não possam ver ou tocar Deus, o caráter e a essência de Deus com os quais a humanidade tem contato são absolutamente expressões do Próprio Deus. Não é verdade? Não importa com qual método ou de que ângulo Deus faz Sua obra, Ele sempre trata as pessoas com Sua verdadeira identidade, fazendo o que deve fazer e dizendo o que deve dizer. Não importa de que posição Deus fala — poderia estar no terceiro céu, ou na carne, ou mesmo como uma pessoa comum — Ele sempre fala ao homem com todo o Seu coração e toda a Sua mente, sem qualquer engano ou ocultação. Quando realiza Sua obra, Deus expressa Sua palavra e Seu caráter, e expressa o que tem e é, sem qualquer reserva. Ele guia a humanidade com Sua vida, Seu ser e Suas posses. Foi assim que o homem viveu a Era da Lei — a era do berço da humanidade — sob a orientação do Deus “invisível e intocável”.

Deus Se fez carne pela primeira vez depois da Era da Lei — uma encarnação que durou trinta e três anos e meio. Para um ser humano, trinta e três anos e meio são muito tempo? (Não muito.) Já que a vida de um ser humano é geralmente muito superior a trinta e poucos anos, isso não é um período muito longo para o homem. Mas para o Deus encarnado, esses trinta e três anos e meio são muito longos. Ele Se tornou uma pessoa — uma pessoa comum que portava a obra e a comissão de Deus. Isso significa que Ele teve que assumir uma obra que uma pessoa comum não pode suportar, enquanto também suportava o sofrimento que as pessoas comuns não podem suportar. A quantidade de sofrimento suportado pelo Senhor Jesus durante a Era da Graça, desde o início de Sua obra até quando foi pregado na cruz, talvez não seja algo que as pessoas de hoje poderiam testemunhar pessoalmente, mas vocês conseguem pelo menos apreciar um pouco disso por meio das histórias da Bíblia? Sem contar quantos detalhes existem nesses fatos registrados, de modo geral, a obra de Deus durante esse período foi cheia de dificuldade e sofrimento. Para um humano corrompido, trinta e três anos e meio não são muito tempo; um pouco de sofrimento não é grande coisa. Mas para o Deus santo e imaculado, que teve de suportar todos os pecados da humanidade, e comer, dormir e viver com os pecadores, essa dor era grande demais. Ele é o Criador, o Mestre de todas as coisas e o Governante de tudo, mas quando veio ao mundo teve de suportar a opressão e a crueldade dos homens corruptos. A fim de completar Sua obra e resgatar a humanidade da miséria, Ele teve de ser condenado pelo homem e suportar os pecados de toda a humanidade. A extensão do sofrimento por que passou não pode ser compreendida ou apreciada por pessoas comuns. O que esse sofrimento representa? Representa a devoção de Deus pela humanidade. Representa a humilhação que Ele sofreu e o preço que pagou pela salvação do homem, para redimir seus pecados e para completar esse estágio de Sua obra. Também significa que o homem seria redimido da cruz por Deus. Esse é um preço pago em sangue, em vida, um preço que os seres criados não podem pagar. É por ter a essência de Deus e estar equipado com o que Deus tem e é que Ele consegue suportar esse tipo de sofrimento e fazer esse tipo de obra. Isso é algo que nenhum ser criado pode fazer em Seu lugar. Essa é a obra de Deus durante a Era da Graça e uma revelação de Seu caráter. Isso revela algo sobre o que Deus tem e é? Vale a pena a humanidade conhecer?

Naquela época, embora não visse a pessoa de Deus, o homem recebeu a oferta de Deus pelo pecado e foi redimido da cruz por Deus. A humanidade pode estar familiarizada com a obra que Deus fez durante a Era da Graça, mas existe alguém familiarizado com o caráter e a vontade expressa por Deus durante esse período? O homem apenas sabe sobre detalhes da obra de Deus durante diferentes eras através de vários canais, ou conhece histórias relacionadas a Deus que ocorreram ao mesmo tempo que Deus realizava Sua obra. Esses detalhes e essas histórias são, no máximo, apenas algumas informações ou lendas sobre Deus, e não têm nada a ver com o caráter e a essência de Deus. Portanto, não importa quantas histórias de Deus as pessoas conhecem, isso não significa que elas têm compreensão e conhecimento profundos do caráter de Deus ou de Sua essência. Como foi na Era da Lei, embora as pessoas da Era da Graça tivessem experimentado um contato próximo e íntimo com o Deus em carne, seu conhecimento com respeito ao caráter de Deus e à essência de Deus era praticamente inexistente.

Na Era do Reino, Deus tornou-Se carne novamente, da mesma maneira que na primeira vez. Durante esse período de obra, Deus ainda expressa Sua palavra incondicionalmente, faz a obra que deveria estar fazendo e expressa o que tem e é. Ao mesmo tempo, continua a suportar e tolerar a desobediência e a ignorância do homem. Deus não revela continuamente Seu caráter e expressa Sua vontade durante esse período de obra também? Portanto, desde a criação do homem até agora, o caráter de Deus, Seu ser, Suas posses e vontade sempre estiveram abertos a qualquer pessoa. Deus nunca deliberadamente ocultou Sua essência, Seu caráter ou Sua vontade. É só que a humanidade não se importa com o que Deus está fazendo, qual é a Sua vontade — é por isso que o entendimento do homem sobre Deus é tão lastimável. Em outras palavras, enquanto oculta Sua pessoa, Deus também está acompanhando a humanidade a todo momento, abertamente projetando Sua vontade, caráter e essência em todos os momentos. De certo modo, a pessoa de Deus também está aberta às pessoas, mas devido à cegueira e desobediência do homem, ele é sempre incapaz de ver a aparição de Deus. Então, se esse é o caso, compreender o caráter de Deus e o Próprio Deus não deveria ser fácil para todos? Essa é uma pergunta muito difícil de responder, certo? Vocês podem dizer que é fácil, mas, embora procurem conhecer a Deus, algumas pessoas realmente não conseguem conhecê-Lo ou ter uma compreensão clara Dele — é algo sempre nebuloso e vago. Mas se disserem que não é fácil, isso também não está correto. Tendo sido submetidos à obra de Deus por tanto tempo, todos deveriam, através de suas experiências, já ter tido um relacionamento genuíno com Deus. Pelo menos deveriam ter sentido Deus em seu coração até certo ponto, ou ter tido uma pincelada espiritual com Deus, e deveriam pelo menos ter tido certa consciência perceptiva do caráter de Deus ou ter ganhado algum entendimento Dele. Desde o momento em que o homem começou a seguir a Deus até agora, a humanidade recebeu muito, mas, devido a toda sorte de razões — o baixo calibre do homem, a ignorância, a rebeldia e as várias intenções — a humanidade também perdeu muito. Deus já não deu à humanidade o suficiente? Embora oculte Sua pessoa dos seres humanos, Deus lhes fornece o que Ele tem e é, e até mesmo Sua vida; o conhecimento da humanidade sobre Deus não deveria ser apenas o que é agora. É por isso que acho necessário comunicar mais com vocês sobre o tema da obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus. O propósito é que os milhares de anos de cuidado e pensamento que Deus dispensou ao homem não acabem em vão, e para que a humanidade possa genuinamente compreender e apreciar a vontade de Deus para com ela. É para que as pessoas possam avançar para um novo estágio em seu conhecimento de Deus. Isso também devolverá a Deus Seu devido lugar no coração das pessoas; isto é, fará justiça a Ele.

Para compreender o caráter de Deus e o Próprio Deus, você deve começar com pouco. Mas deve começar com um pouco de quê? Primeiro de tudo, selecionei alguns capítulos da Bíblia. As informações abaixo contêm versículos bíblicos, todos relacionados ao tema da obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus. Escolhi especificamente esses trechos como materiais de referência para ajudá-los a compreender a obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus. Compartilhando-os, poderemos ver que tipo de caráter Deus revelou através de Sua obra passada e quais aspectos de sua essência as pessoas não conhecem. Esses capítulos podem ser antigos, mas o tema que estamos comunicando é algo novo que as pessoas não sabem e de que nunca ouviram falar. Alguns de vocês poderiam achar isso inconcebível — mencionar Adão e Eva e voltar a Noé não é refazer os mesmos passos? Não importa o que vocês pensam, esses capítulos são muito benéficos para a comunicação desse tópico e podem servir de textos de ensino ou materiais originais para a comunhão de hoje. Vocês compreenderão Minhas intenções por trás da escolha dessas seções quando Eu terminar esta comunicação. Os que leram a Bíblia antes podem ter visto esses poucos versículos, mas talvez não os entendam verdadeiramente. Primeiro, vamos dar uma rápida olhada antes de analisá-los um por um com mais detalhes em nossa comunhão.

Adão e Eva são os ancestrais da humanidade. Se vamos mencionar personagens bíblicos, então devemos começar com esses dois. Em seguida Noé, o segundo ancestral da humanidade. Quem é o terceiro personagem? (Abraão.) Todos vocês conhecem a história de Abraão? Alguns de vocês talvez a conheçam, mas para outros pode não estar muito claro. Quem é o quarto personagem? Quem é mencionado na história da destruição de Sodoma? (Ló.) Mas Ló não é mencionado aqui. A quem se refere? (Abraão.) A principal menção na história de Abraão é o que Deus Jeová tinha dito. Vocês veem isso? Quem é o quinto personagem? (Jó.) Deus não menciona muito da história de Jó durante esse estágio de Sua obra? Vocês se importam bastante com essa história? Se se importam bastante, vocês leram a história de Jó na Bíblia cuidadosamente? Sabem o que Jó disse, o que ele fez? Aqueles que leram mais, quantas vezes leram? Vocês leem com frequência? Irmãs de Hong Kong, por favor, nos digam. (Li algumas vezes antes, quando estávamos na Era da Graça.) Não leram novamente desde então? Que lamentável. Deixe-Me dizer-lhes: durante essa etapa da obra de Deus, Ele mencionou Jó muitas vezes, o que é um reflexo de Suas intenções. Que Ele mencionou Jó muitas vezes, mas não despertou a atenção de vocês é testemunho de um fato: vocês não têm interesse em serem pessoas boas que temem a Deus e evitam o mal. Isso é porque estão satisfeitos com apenas ter uma ideia geral da história de Jó citada por Deus. Estão satisfeitos em apenas compreender a história em si, mas não se importam e não tentam compreender os detalhes de quem Jó é como pessoa e o propósito por trás de por que Deus Se refere a Jó em tantas ocasiões. Se não estão nem mesmo interessados em tal pessoa elogiada por Deus, então em que exatamente vocês estão prestando atenção? Se não se preocupam e não tentam compreender uma pessoa tão importante mencionada por Deus, o que isso diz sobre a atitude de vocês em relação à palavra de Deus? Não é algo deplorável? Não prova que a maioria de vocês não se envolve em coisas práticas e não busca a verdade? Se busca a verdade, você prestará a atenção necessária às pessoas a quem Deus aprova e às histórias dos personagens de que Deus falou. Independentemente de viver à altura delas ou achar essas histórias palpáveis, você irá rapidamente ler sobre elas, tentar compreendê-las, encontrar maneiras de seguir o exemplo delas e fazer o que puder da melhor maneira possível. É desse modo que alguém que anseia pela verdade deve agir. Mas o fato é que a maioria de vocês sentados aqui nunca leu a história de Jó — e isso é bastante revelador.

Vamos voltar ao assunto que Eu estava discutindo. Nessa parte das Escrituras, que lida com a Era da Lei do Antigo Testamento, optei por focalizar certas histórias sobre personagens muito representativos que a maioria das pessoas que leram a Bíblia deve conhecer. Qualquer um que ler as histórias desses personagens será capaz de sentir que a obra que Deus fez neles e as palavras que Deus lhes falou são igualmente tangíveis e acessíveis às pessoas de hoje. Quando ler essas histórias e registros da Bíblia, você será capaz de compreender melhor como Deus fez Sua obra e tratou as pessoas nessa época da história. Mas o motivo pelo qual decidi discutir esses capítulos hoje não é para que você tente se concentrar nas histórias em si ou em seus personagens. Pelo contrário, é para que você possa — através das histórias desses personagens — contemplar os feitos de Deus e Seu caráter. Isso lhe permitirá conhecer e entender Deus com mais facilidade, ver Seu lado real; vai pôr fim a suas especulações e noções sobre Ele, e ajudar a desviar você de uma fé assediada pela imprecisão. A não ser que você tenha um alicerce sólido, tentar compreender o caráter de Deus e conhecer o Próprio Deus pode muitas vezes fazer com que você se sinta indefeso, impotente e sem saber por onde começar. Foi isso que me incitou a desenvolver um método e uma abordagem que poderiam ajudar você a entender melhor Deus, apreciar mais autenticamente a vontade de Deus, conhecer o caráter de Deus e o Próprio Deus, e permitir que você genuinamente sinta a existência de Deus e aprecie Sua vontade para com a humanidade. Isso não será benéfico para vocês? Quando recapitulam essas histórias e esses trechos das Escrituras, o que vocês sentem dentro do coração? Acham que os trechos das Escrituras que escolhi são supérfluos? Devo enfatizar novamente o que acabei de lhes dizer: o objetivo de fazê-los ler as histórias desses personagens é ajudá-los a ver como Deus faz Sua obra nas pessoas e a entender melhor Sua atitude para com a humanidade. O que os ajudará a alcançar tal entendimento? Entender a obra que Deus fez no passado e relacioná-la com a obra que Ele está fazendo agora — isso os ajudará a contemplar Sua miríade de aspectos. Essa miríade de aspectos é real e deve ser conhecida e apreciada por todos aqueles que desejam conhecer a Deus.

Vamos começar com a história de Adão e Eva, a partir de uma citação das Escrituras.

1. Adão e Eva

1) A ordem de Deus para Adão

Gênesis 2:15-17 Tomou, pois, Deus Jeová ao homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e guardar. Ordenou Deus Jeová ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

Entenderam algo desses versículos? Como esse trecho das Escrituras faz vocês se sentirem? Por que resolvi falar sobre a ordem de Deus para Adão? Cada um de vocês tem agora uma imagem de Deus e Adão em sua mente? Vocês podem tentar imaginar: se fossem vocês naquela cena, do fundo do coração, como acham que seria Deus? Como se sentem ao pensar nisso? Essa é uma imagem comovente e emocionante. Embora haja apenas Deus e o homem nela, a intimidade entre eles enche a pessoa desse sentimento de admiração: o amor transbordante de Deus é gratuitamente concedido ao homem, envolve o homem; o homem é inocente e puro, desimpedido e despreocupado, vive alegremente sob os olhos de Deus; Deus mostra preocupação para com o homem, enquanto o homem vive sob a proteção e a bênção de Deus; tudo o que o homem faz e diz é inextricavelmente ligado a Deus e inseparável Dele.

Esta pode ser chamada de a primeira ordem que Deus deu ao homem depois que o criou. O que essa ordem exprime? Exprime a vontade de Deus, mas também Suas preocupações para com a humanidade. Essa é a primeira ordem de Deus, e é também a primeira vez em que Deus expressa preocupação para com o homem. Isto é, Deus sentiu uma responsabilidade para com o homem desde o momento em que o criou. Qual é a responsabilidade Dele? Ele tem de proteger o homem, cuidar do homem. Ele espera que o homem possa confiar e obedecer a Suas palavras. Essa é também a primeira expectativa de Deus para com o homem. É com essa expectativa que Deus diz o seguinte: “De toda árvore do jardim, podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. Essas simples palavras representam a vontade de Deus. Elas também revelam que, em seu coração, Deus começou a mostrar preocupação pelo homem. Entre todas as coisas, somente Adão foi feito à imagem de Deus; Adão era o único ser vivo com o sopro da vida de Deus; ele podia andar com Deus, conversar com Deus. Foi por isso que Deus lhe deu tal ordem. Deus deixou bem claro, com essa ordem, o que o homem pode ou não fazer.

Nessas poucas e simples palavras, vemos o coração de Deus. Mas que tipo de coração vemos? Há amor no coração de Deus? Há preocupação? Nesses versículos, o amor e a preocupação de Deus podem não somente ser apreciados, mas também intimamente sentidos. Vocês concordam? Depois de Me ouvirem dizer isso, vocês ainda acham que essas são apenas umas palavras simples? Não são tão simples assim, certo? Vocês tinham ciência disso antes? Se Deus lhe dissesse pessoalmente essas poucas palavras, como você se sentiria? Se você não fosse uma pessoa compassiva, se seu coração fosse frio, você não sentiria nada, não apreciaria o amor de Deus, e não tentaria compreender o coração de Deus. Mas como pessoa com consciência e senso de humanidade, seria diferente. Você sentiria calor, se sentiria cuidado e amado, e sentiria felicidade. Não é verdade? Quando sentir essas coisas, como você agirá em relação a Deus? Você se sentiria afeiçoado a Deus? Você amaria e respeitaria Deus do fundo do seu coração? Seu coração se aproximaria de Deus? Você pode ver com isso como o amor de Deus é importante para o homem. Mas o que é ainda mais crucial é o homem apreciar e compreender o amor de Deus. De fato, Deus não diz várias coisas similares durante este estágio de Sua obra? Existem pessoas hoje que apreciam o coração de Deus? Vocês conseguem compreender a vontade de Deus de que acabo de falar? Vocês não conseguem realmente contemplar a vontade de Deus quando é concreta, tangível e realista. É por isso que digo que vocês não têm conhecimento e compreensão reais de Deus. Não é verdade? Mas vamos encerrar aqui, por hora.

2) Deus cria Eva

Gênesis 2:18-20 Disse mais Deus Jeová: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudante que lhe seja idônea. Da terra formou, pois, Deus Jeová todos os animais, o campo e todas as aves do céu, e os trouxe ao homem, para ver como lhes chamaria; e tudo de que o homem chamou todo ser vivente, isso foi o seu nome. Assim, o homem deu nomes a todos os animais domésticos, às aves do céu e a todos os animais do campo; mas para o homem não se achava ajudante idônea.

Gênesis 2:22-23 E da costela que Deus Jeová lhe tomara, formou a mulher e a trouxe ao homem. Então disse o homem: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; ela será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada.

Há uma frase-chave nesta parte das Escrituras: “E tudo de que o homem chamou todo ser vivente, isso foi o seu nome”. Então, quem deu nome a todos os seres viventes? Foi Adão, e não Deus. Esse trecho conta à humanidade um fato: Deus deu inteligência ao homem quando o criou. Ou seja, a inteligência do homem veio de Deus. Isso é certo. Mas por quê? Depois que Deus criou Adão, este foi para a escola? Ele sabia ler? Depois que Deus fez os vários seres viventes, Adão reconheceu todas essas criaturas? Deus disse a ele quais eram seus nomes? Naturalmente, Deus também não ensinou como inventar os nomes desses seres. Essa é a verdade! Então, como ele soube dar a esses seres vivos seus nomes e que tipo de nomes lhes dar? Isso está relacionado à questão do que Deus acrescentou a Adão quando o criou. Os fatos provam que, quando criou o homem, Deus acrescentou Sua inteligência a ele. Esse é um ponto-chave, então ouçam com atenção. Há também outro ponto-chave que vocês deveriam entender: depois que Adão deu a esses seres vivos seus nomes, esses nomes foram definidos no vocabulário de Deus. Por que Eu digo isso? Porque isso também envolve o caráter de Deus e é um ponto que devo explicar mais adiante.

Deus criou o homem, deu vida a ele e também lhe deu um pouco de Sua inteligência, Suas habilidades e o que Ele tem e é. Depois que Deus deu ao homem todas essas coisas, o homem foi capaz de fazer algumas coisas independentemente e pensar por conta própria. Se o que o homem inventa e faz é bom aos olhos de Deus, então Deus o aceita e não interfere. Se o que o homem faz é correto, então Deus simplesmente permitirá que seja assim para sempre. Então, o que indica a frase “e tudo de que o homem chamou todo ser vivente, isso foi o seu nome”? Indica que Deus não achou correto alterar nenhum dos nomes dados às diversas criaturas viventes. Qualquer que fosse o nome que Adão chamasse, Deus diria “sim” e registraria o nome como está. Deus expressou alguma opinião sobre o assunto? Com certeza não. Então, o que vocês entendem disso? Deus deu inteligência ao homem, e o homem usou a inteligência dada por Deus para fazer as coisas. Se o que o homem faz é positivo aos olhos de Deus, então é afirmado, reconhecido e aceito por Deus sem qualquer avaliação ou crítica. Isso é algo que nenhuma pessoa ou espírito maligno, ou Satanás, pode fazer. Vocês veem uma revelação do caráter de Deus aqui? Será que um ser humano, uma pessoa corrompida ou Satanás aceitariam que qualquer outro fizesse algo em seu nome, bem debaixo do seu nariz? Claro que não! Eles lutariam por essa posição com aquela outra pessoa ou outra força que é diferente deles? Claro que sim! Se fosse uma pessoa corrompida ou Satanás que estivesse com Adão naquele momento, ele certamente teria repudiado o que Adão estava fazendo. Para provar que têm a capacidade de pensar de forma independente e ter suas percepções únicas, eles teriam absolutamente negado tudo o que Adão fez: “Você quer chamar assim? Bem, eu não vou chamar assim, vou chamar de outra coisa; você chamou de Tom, mas vou chamá-lo de Harry. Tenho que mostrar como eu sou esperto”. Que tipo de natureza é essa? Não é totalmente arrogante? E quanto a Deus? Ele tem esse caráter? Deus fez alguma objeção incomum ao que Adão estava fazendo? A resposta é inequivocamente não! No caráter que Deus revela, não há o menor grau de argumentação, arrogância ou hipocrisia. Isso está bastante claro aqui. Isto pode soar como uma questão inferior, mas se você não entende a essência de Deus, se o seu coração não tenta descobrir como Deus age e qual é a atitude Dele, então você não conhecerá o caráter de Deus nem verá a expressão e a revelação do caráter de Deus. Não é assim? Você concorda com o que acabei de lhe explicar? Em resposta às ações de Adão, Deus não proclamou em voz alta: “Você fez bem, você fez certo, e Eu concordo!”. Em Seu coração, porém, Deus aprovou, apreciou e aplaudiu o que Adão fez. Essa foi a primeira coisa que o homem fez por Deus, desde a criação, sob Sua instrução. Foi algo que o homem fez no lugar de Deus e em nome de Deus. Aos olhos de Deus, surgiu da inteligência que Ele conferiu ao homem. Deus o viu como algo bom, algo positivo. O que Adão fez naquela época foi a primeira manifestação da inteligência de Deus no homem. Foi uma ótima manifestação, do ponto de vista de Deus. O que quero dizer a vocês aqui é que o objetivo de Deus ao transmitir ao homem uma parte do que Ele tem e é e Sua inteligência era que a humanidade pudesse ser a criatura vivente que O manifesta. Que tal criatura vivente fizesse as coisas em Seu nome era exatamente o que Deus desejava ver.

3) Deus faz casacos de pele para Adão e Eva

Gênesis 3:20-21 Chamou Adão à sua mulher Eva, porque era a mãe de todos os viventes. E Deus Jeová fez roupas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu.

Vamos dar uma olhada nessa terceira passagem, que afirma que há um significado por trás do nome que Adão deu a Eva. Ela mostra que, depois de ser criado, Adão teve pensamentos próprios e compreendeu muitas coisas. Mas, por enquanto, não vamos estudar ou explorar o que ele compreendeu ou quanto compreendeu, porque esse não é meu objetivo principal ao discutir a terceira passagem. Então, qual é o ponto principal que quero destacar? Vamos dar uma olhada na frase: “E Deus Jeová fez roupas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu”. Se não discutirmos essa passagem das Escrituras na comunhão de hoje, talvez vocês nunca percebam as mais profundas implicações por trás dessas palavras. Primeiro, deixe-Me dar algumas pistas. Imaginem, se puderem, o Jardim do Éden, com Adão e Eva vivendo nele. Deus vai visitá-los, mas eles se escondem porque estão nus. Deus não os vê, e depois de chamar por eles, eles dizem: “Não ousamos vê-Lo porque nossos corpos estão nus”. Eles não se atrevem a ver Deus porque estão nus. Então, o que Deus Jeová faz por eles? O texto original diz: “E Deus Jeová fez roupas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu”. Com isso, vocês entendem o que Deus usou para fazer a roupa deles? Deus usou peles de animais para fazer a roupa deles. Isto é, a roupa que Deus fez para o homem era um casaco de pele. Essa foi a primeira peça de roupa que Deus fez para o homem. Um casaco de pele é um item de vestuário sofisticado para os padrões atuais, e não algo que todos podem usar. Se alguém lhe perguntar: qual foi a primeira peça de roupa usada por nossos ancestrais? Você pode responder: foi um casaco de pele. Quem fez esse casaco de pele? Você pode responder: Deus o fez! Esse é o ponto principal: essa roupa foi feita por Deus. Não é algo que vale a pena discutir? Agora que ouviram a Minha descrição, emergiu uma imagem em suas mentes? Vocês deveriam conceber pelo menos um esboço. O motivo de lhes dizer isso hoje não é para que saibam qual foi a primeira roupa do homem. Qual é o motivo, então? A questão não é o casaco de pele, mas como as pessoas vieram a conhecer — como foi revelado por Deus no que Ele fez aqui — seu caráter, o que Ele era e o que Ele é.

“E Deus Jeová fez roupas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu.” Nessa cena, que tipo de papel vemos Deus assumir quando está com Adão e Eva? De que jeito Ele Se manifesta neste mundo com apenas dois seres humanos? Ele Se manifesta no papel de Deus? Irmãos e irmãs de Hong Kong, por favor, respondam. (No papel de um dos pais.) Irmãos e irmãs da Coreia do Sul, em que tipo de papel vocês acham que Deus aparece? (Chefe da família.) Irmãos e irmãs de Taiwan, o que vocês acham? (O papel de alguém na família de Adão e Eva, o papel de um membro da família.) Alguns de vocês acham que Deus aparece como um membro da família de Adão e Eva, enquanto alguns dizem que Deus aparece como o chefe da família, e outros dizem como um dos pais. Todas estas são muito apropriadas. Mas vocês veem aonde estou chegando? Deus criou essas duas pessoas e as tratou como Seus companheiros. Como sua única família, Deus cuidou da vida deles e também cuidou de seu alimento, sua roupa e seu abrigo. Aqui, Deus aparece como um dos pais de Adão e Eva. Embora Deus faça isso, o homem não vê quanto Deus é elevado; não vê a supremacia de Deus, Seu mistério, e principalmente não vê Sua ira ou majestade. Tudo que vê é a humildade de Deus, Seu afeto, Sua preocupação para com o homem, e a responsabilidade e o cuidado para com ele. A atitude e o modo com que Deus tratou Adão e Eva são semelhantes a como os pais humanos demonstram preocupação para com seus filhos. Também é como os pais humanos amam, e cuidam de seus filhos e filhas — reais, visíveis e tangíveis. Em vez de Se colocar em uma posição elevada e poderosa, Deus pessoalmente usou peles para fazer roupas para o homem. Não importa se esse casaco de pele foi usado para cobrir sua modéstia ou para protegê-los do frio. O que importa é que essa roupa usada para cobrir o corpo do homem foi feita pessoalmente por Deus com as próprias mãos. Ao invés de criá-la simplesmente através do pensamento ou usando algum outro método milagroso, como as pessoas imaginam que Deus faria, Ele legitimamente fez algo que o homem teria pensado que Ele não faria e não deveria fazer. Pode parecer algo trivial — algumas pessoas talvez nem pensem que é digno de menção —, mas permite a qualquer seguidor de Deus que tinha concepções vagas sobre Ele ganhar percepção de Sua genuinidade e amabilidade, e ver Sua natureza fiel e humilde. Faz com que pessoas insuportavelmente arrogantes, que pensam que são superiores e poderosas, curvem sua cabeça vaidosa com vergonha diante da genuinidade e a humildade de Deus. Aqui, a genuinidade e a humildade de Deus permitem que as pessoas vejam quão amável Ele é. Em contrapartida, o “imenso” Deus, o Deus “amável” e o Deus “onipotente” que as pessoas têm no coração tornou-se banal e feio, e se esmigalha ao menor toque. Quando vê esse versículo e ouve essa história, você despreza Deus por ter feito tal coisa? Algumas pessoas, talvez, mas outras terão reação oposta. Elas pensarão que Deus é genuíno e amável, e são precisamente a genuinidade e a amabilidade de Deus que as movem. Quanto mais veem o lado real de Deus, mais conseguem apreciar a verdadeira existência do amor de Deus, a importância de Deus em seu coração e como Ele permanece ao lado delas a todo momento.

Vamos, agora, ligar nossa discussão ao presente. Se Deus pudesse fazer diversas pequenas coisas para os homens que criou no começo, até mesmo coisas que as pessoas nunca ousariam pensar ou esperar, Deus poderia fazer tais coisas para as pessoas de hoje? Alguns dizem: “Sim!”. Por quê? Porque a essência de Deus não é fingida, e Sua amabilidade não é fingida. A essência de Deus realmente existe e não é algo acrescentado por outros, e certamente não é algo que muda com os diversos tempos, lugares e eras. A genuinidade e a amabilidade de Deus podem realmente ser reveladas somente ao fazer algo que as pessoas acham trivial e insignificante — algo tão banal que as pessoas nem pensariam que algum dia Ele faria. Deus não é pretensioso. Não há exagero, disfarce, orgulho ou arrogância em Seu caráter e em Sua essência. Ele nunca Se vangloria, mas, ao contrário, ama, demonstra preocupação, cuida e conduz, com fidelidade e sinceridade, os seres humanos que criou. Não importa quão pouco as pessoas apreciem, sintam ou vejam o que Deus faz, Ele está, sem dúvida, fazendo. Saber que Deus tem tal essência afetaria o amor das pessoas por Ele? Influenciaria seu temor de Deus? Espero que, quando compreender o lado real de Deus, você se aproxime ainda mais Dele e seja capaz de apreciar mais verdadeiramente o Seu amor e cuidado para com a humanidade, bem como seja capaz de entregar seu coração a Deus e já não tenha quaisquer suspeitas ou dúvidas sobre Ele. Deus está discretamente fazendo tudo para o homem, fazendo tudo em silêncio através de Sua sinceridade, fidelidade e amor. Mas Ele nunca tem qualquer apreensão ou arrependimento por tudo que faz, e nunca precisa de alguém para retribuir-Lhe de qualquer forma, e não tem intenção de algum dia obter qualquer coisa da humanidade. O único propósito de tudo que Ele já fez é que Ele possa receber a fé e o amor verdadeiros da humanidade. Dito isso, encerrarei o primeiro tema aqui.

Essas discussões ajudaram vocês? Quão úteis foram? (Temos mais compreensão e conhecimento do amor de Deus.) (Esse método de comunhão pode nos ajudar no futuro a apreciar melhor a palavra de Deus, a compreender as emoções que teve e os significados por trás das coisas que disse quando as disse, e a sentir o que Ele sentia naquele momento.) Algum de vocês percebe mais a existência de Deus depois de ler essas palavras? Para vocês, a existência de Deus deixou de ser vazia ou vaga? Uma vez que têm esse sentimento, vocês percebem que Deus está logo ao lado de vocês? Talvez a sensação não seja óbvia agora ou vocês não consigam senti-la ainda. Mas um dia, quando realmente tiverem uma profunda apreciação e um conhecimento real do caráter e da essência de Deus em seu coração, você sentirá que Deus está bem ao seu lado — é só que você nunca tinha genuinamente aceitado Deus em seu coração. E essa é a verdade!

O que acham desse método de comunhão? Conseguem acompanhar? Acham que esse tipo de comunhão sobre o tema da obra de Deus e o caráter de Deus é muito pesado? Como se sentem? (Muito bem, animados.) O que fez com que se sentissem bem? Por que ficaram animados? (Foi como voltar ao Jardim do Éden, voltar a estar ao lado de Deus.) “O caráter de Deus” é, na verdade, um tema muito pouco familiar para todos, porque o que você normalmente imagina, o que lê em livros ou ouve em comunicações tende a fazê-lo se sentir como um cego tocando um elefante — você está apenas sentindo com as mãos, mas não consegue visualizar nada. Tatear, sem enxergar, não pode dar-lhe nem um esboço do entendimento de Deus, muito menos um conceito claro sobre Ele; apenas provoca mais sua imaginação, impedindo que você defina precisamente o que são o caráter e a essência de Deus, e as incertezas que surgem na sua imaginação sempre encherão seu coração de dúvidas. Quando você não consegue ter certeza sobre algo, mas mesmo assim tenta entender, sempre haverá contradições e conflitos em seu coração, e até uma sensação de perturbação, que o deixa desorientado e confuso. Não é agonizante querer buscar Deus, conhecer Deus e vê-Lo com clareza, mas nunca ser capaz de encontrar as respostas? Claro que essas palavras são direcionadas apenas àqueles que desejam buscar temerosamente reverenciar e satisfazer a Deus. Para as pessoas que não prestam atenção a tais coisas, isso na verdade não importa, porque o que elas mais esperam é que a realidade e a existência de Deus sejam apenas lenda ou fantasia, para que possam fazer o que quiserem, para que possam ser as maiores e as mais importantes, para que possam cometer más ações sem levar em conta as consequências, para que não tenham que enfrentar punição ou assumir qualquer responsabilidade, de modo que nem mesmo as coisas que Deus diz sobre os malfeitores se apliquem a elas. Essas pessoas não estão dispostas a compreender o caráter de Deus, estão fartas de tentar conhecer a Deus e qualquer coisa a respeito Dele. Elas prefeririam que Deus não existisse. Essas pessoas se opõem a Deus, e estão entre aquelas que serão eliminadas.

A seguir, discutiremos a história de Noé e como ela se relaciona ao tema da obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus.

O que vocês veem Deus fazendo a Noé nesta parte das Escrituras? Talvez todos os que estão sentados aqui saibam algo sobre isso, por lerem as Escrituras: Deus fez Noé construir a arca, e então usou um dilúvio para destruir o mundo. Deus fez Noé construir a arca para salvar sua família de oito pessoas, o que permitiu que sobrevivessem e se tornassem os ancestrais da geração seguinte da humanidade. Agora vamos ler as Escrituras.

2. Noé

1) Deus pretende destruir o mundo com um dilúvio e instrui Noé a construir uma arca

Gênesis 6:9-14 Estas são as gerações de Noé. Era homem justo e perfeito em suas gerações, e andava com Deus. Noé gerou três filhos: Sem, Cam e Jafé. A terra, porém, estava corrompida diante de Deus, e cheia de violência. Deus viu a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra. Então Deus disse a Noé: O fim de toda carne é chegado perante Mim; porque a terra está cheia da violência dos homens; eis que os destruirei juntamente com a terra. Faze para ti uma arca de madeira de gofer: farás compartimentos na arca, e a revestirás de betume por dentro e por fora.

Gênesis 6:18-22 Mas contigo estabelecerei o Meu pacto; entrarás na arca, tu e contigo teus filhos, tua mulher e as mulheres de teus filhos. De tudo o que vive, de toda a carne, dois de cada espécie, farás entrar na arca, para os conservares vivos contigo; macho e fêmea serão. Das aves segundo as suas espécies, do gado segundo as suas espécies, de todo réptil da terra segundo as suas espécies, dois de cada espécie virão a ti, para os conservares em vida. Leva contigo de tudo o que se come, e ajunta-o para ti; e te será para alimento, a ti e a eles. Assim fez Noé; segundo tudo o que Deus lhe mandou, assim o fez.

Agora vocês têm uma compreensão geral de quem foi Noé, depois de ler essas passagens? Que tipo de pessoa era Noé? O texto original diz: “Era homem justo e perfeito em suas gerações”. De acordo com a compreensão das pessoas modernas, que tipo de pessoa era um “homem justo” naquela época? Um homem justo deveria ser um homem perfeito. Vocês sabem se esse homem perfeito era perfeito aos olhos do homem ou perfeito aos olhos de Deus? Sem dúvida, esse homem perfeito era um homem perfeito aos olhos de Deus, e não aos olhos do homem. Com certeza! Isso porque o homem é cego e não consegue ver, e somente Deus observa toda a terra e cada pessoa, e só Deus sabia que Noé era um homem perfeito. Portanto, o plano de Deus para destruir o mundo com um dilúvio começou a partir do momento em que Ele chamou Noé.

Naquela época, Deus pretendia convocar Noé para fazer algo muito importante. Por que teve de fazer isso? Porque Deus tinha um plano em Seu coração naquele momento. Seu plano era destruir o mundo com um dilúvio. Para que destruir o mundo? Aqui diz: “A terra, porém, estava corrompida diante de Deus, e cheia de violência”. O que vocês entendem da frase “a terra estava cheia de violência”? Foi um fenômeno na terra em que o mundo e seu povo tinham sido corrompidos ao extremo; portanto, “a terra estava cheia de violência”. Na linguagem de hoje, “cheia de violência” significa que tudo está uma bagunça. Para o homem, significava que em todas as esferas da vida não havia ordem, e que tudo ficara caótico e difícil de administrar. Aos olhos de Deus, significava que as pessoas do mundo eram corruptas demais. Corruptas a que ponto? Corruptas a ponto de Deus já não mais suportar vê-las e não poder mais ser paciente com elas. Corruptas a tal ponto que Deus pretendia destruí-las. Quando decidiu destruir o mundo, Deus planejou encontrar alguém para construir uma arca. Então escolheu Noé para fazê-lo; ou seja, mandou Noé construir uma arca. Por que escolheu Noé? Aos olhos de Deus, Noé era um homem justo; tudo que Deus lhe instruísse a fazer, ele fazia desse jeito. Em outras palavras, Noé estava disposto a fazer tudo que Deus lhe mandasse fazer. Deus queria encontrar alguém assim para cooperar Consigo, para levar a cabo o que Ele confiasse — para terminar Sua obra na terra. Naquela época, havia outra pessoa além de Noé que pudesse realizar tal tarefa? Definitivamente não! Noé era o único candidato, a única pessoa que poderia levar a cabo o que Deus confiou, e por isso Deus o escolheu. Mas os limites e os padrões de Deus para salvar as pessoas são agora os mesmos que os daquela época? A resposta é que há, sem dúvida, uma diferença! E por que faço essa pergunta? Noé era o único homem justo aos olhos de Deus durante aquele tempo, o que implica que nem sua esposa nem seus filhos e noras eram pessoas justas, mas Deus, mesmo assim, os poupou por causa de Noé. Deus não lhes fez exigências, como faz agora, e, ao invés disso, manteve vivos todos os oito membros da família de Noé. Eles receberam a bênção de Deus por causa da justiça de Noé. Sem Noé, nenhum deles poderia ter completado o que Deus havia confiado. Portanto, Noé era a única pessoa que deveria sobreviver à destruição do mundo, e os outros eram apenas beneficiários colaterais. Isso mostra que, na era antes de Deus oficialmente começar Sua obra de gerenciamento, os princípios e padrões com os quais Ele tratava as pessoas e lhes pedia algo eram relativamente flexíveis. Para as pessoas de hoje, a maneira com que Deus tratou os oito membros da família de Noé parece não ter sido justa. Mas comparado ao grande volume de obra que Ele agora faz sobre as pessoas e a quantidade de Suas palavras que transmite, o tratamento que deu aos oito membros da família de Noé foi meramente um princípio de obra, dado o pano de fundo de Sua obra na época. Em comparação, os oito membros da família de Noé receberam mais de Deus do que as pessoas de hoje?

Que Noé foi chamado é um fato simples, mas o ponto principal do que estamos falando — o caráter de Deus, Sua vontade e Sua essência nesse registro — não é tão simples. Para compreender esses vários aspectos de Deus, devemos primeiro compreender o tipo de pessoa que Deus deseja chamar e, através disso, compreender Seu caráter, vontade e essência. Isso é crucial. Então, aos olhos de Deus, que tipo de pessoa é esse homem que Ele chama? Esta deve ser uma pessoa que possa ouvir Suas palavras, que possa seguir Suas instruções. Ao mesmo tempo, também deve ser uma pessoa com um senso de responsabilidade, alguém que levará a cabo a palavra de Deus, tratando-a como a responsabilidade e o dever que deve cumprir. Então essa pessoa precisa ser alguém que conhece a Deus? Não. Naquela época, Noé não tinha ouvido muito dos ensinamentos de Deus nem experimentado qualquer obra de Deus. Portanto, o conhecimento de Noé sobre Deus era muito pequeno. Embora esteja registrado aqui que Noé andava com Deus, ele via a pessoa de Deus? A resposta é definitivamente não! Porque, naqueles dias, somente os mensageiros de Deus vinham às pessoas. Embora pudessem representar Deus ao dizer e fazer as coisas, eles estavam apenas transmitindo a vontade de Deus e Suas intenções. A pessoa de Deus não era revelada ao homem cara a cara. Nessa parte das Escrituras, tudo o que vemos, basicamente, é o que Noé teve de fazer e quais foram as instruções de Deus para ele. Então, qual foi a essência expressa por Deus aqui? Tudo o que Deus faz é planejado com precisão. Quando Ele vê algo ou uma situação ocorrendo, aos Seus olhos há um padrão para medi-la, e esse padrão determina se Ele lança um plano para lidar com isso ou qual abordagem tomar ao lidar com essa coisa ou situação. Ele não é indiferente nem carece de sentimentos em relação a tudo. Na verdade, é exatamente o oposto. Há um versículo aqui que afirma o que Deus disse a Noé: “O fim de toda carne é chegado perante Mim; porque a terra está cheia da violência dos homens; eis que os destruirei juntamente com a terra”. Quando disse isso, Deus quis dizer que destruiria apenas os homens? Não! Deus disse que iria destruir todas as coisas vivas de carne. Por que Deus queria a destruição? Há outra revelação do caráter de Deus aqui: aos olhos de Deus, há um limite para Sua paciência em relação à corrupção do homem, para a imundície, a violência e a desobediência de toda a carne. Qual é o Seu limite? É como Deus disse: “Deus viu a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra”. O que significa “toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra”? Significa que qualquer ser vivo, incluindo aqueles que seguiam a Deus, aqueles que invocavam o nome de Deus, aqueles que uma vez sacrificaram os holocaustos a Deus, aqueles que verbalmente reconheciam a Deus e até louvavam a Deus — uma vez que o comportamento deles estava cheio de corrupção e chegou aos olhos de Deus, Ele teria de destruí-los. Esse era o limite de Deus. Então, até que ponto Deus permaneceu paciente para com o homem e a corrupção de toda a carne? Até quando ninguém, tanto seguidores de Deus quanto incrédulos, estava seguindo o caminho correto. Até quando o homem já não era apenas moralmente corrupto e cheio de maldade, mas quando não havia ninguém que acreditasse na existência de Deus, muito menos quem acreditasse que o mundo é governado por Deus e que Deus pode trazer, às pessoas, a luz e o caminho correto. Até quando o homem passou a desprezar a existência de Deus e a não permitir que Deus existisse. Quando a corrupção do homem chegou a esse ponto, Deus não teve mais paciência. O que a substituiria? A vinda da ira de Deus e da punição de Deus. Essa não foi uma revelação parcial do caráter de Deus? Nesta era atual, existe algum homem justo aos olhos de Deus? Existe algum homem perfeito aos olhos de Deus? Será esta uma era em que o comportamento de toda carne na terra está corrompido aos olhos de Deus? Hoje em dia, nesta era, não estão todas as pessoas de carne — tirando aquelas que Deus quer tornar completas, e aquelas que conseguem seguir a Deus e aceitar Sua salvação — desafiando o limite da paciência de Deus? Tudo que acontece perto de vocês — o que vocês veem com seus olhos e ouvem com seus ouvidos e vivenciam pessoalmente todos os dias, neste mundo — não está tudo cheio de violência? Aos olhos de Deus, tal mundo, tal era não deveriam acabar? Embora o pano de fundo da era atual seja completamente diferente do pano de fundo da época de Noé, os sentimentos e a ira que Deus tem em relação à corrupção do homem permanecem exatamente os mesmos. Deus é capaz de ser paciente por causa de Sua obra, mas sob essas circunstâncias e condições, aos olhos de Deus, este mundo deveria ter sido destruído há muito tempo. As circunstâncias estão muito além do que eram quando o mundo foi destruído pelo dilúvio. Mas qual é a diferença? Isso é também aquilo que mais entristece o coração de Deus, e talvez seja algo que nenhum de vocês pode contemplar.

Quando destruiu o mundo com o dilúvio, Deus pôde convocar Noé para construir uma arca e fazer parte da obra de preparação. Deus pôde chamar um homem — Noé — para fazer essa série de coisas para Ele. Mas nesta era atual, Deus não tem ninguém a quem chamar. Por quê? Cada pessoa sentada aqui provavelmente entende e sabe muito bem o motivo. Vocês precisam que Eu esclareça? Dizer em voz alta pode fazer com que vocês se sintam humilhados e deixar todo mundo aborrecido. Algumas pessoas podem dizer: “Embora não sejamos pessoas justas e não sejamos pessoas perfeitas aos olhos de Deus, se Ele nos instruísse a fazer algo, mesmo assim seríamos capazes de fazê-lo. Antes, quando Ele disse que um desastre catastrófico estava chegando, começamos a preparar alimentos e itens que seriam necessários em um desastre. Tudo isso não foi feito de acordo com as exigências de Deus? Não estávamos realmente cooperando com a obra de Deus? Essas coisas não podem ser comparadas ao que Noé fez? Fazer o que fizemos não é a verdadeira obediência? Não estávamos seguindo as instruções de Deus? Não fizemos o que Deus disse porque temos fé nas palavras de Deus? Então, por que Deus ainda está triste? Por que Deus diz que não tem ninguém a quem chamar?”. Existe alguma diferença entre suas ações e as de Noé? Qual é a diferença? (Preparar comida hoje para o desastre foi intenção nossa.) (Nossas ações não podem alcançar o “justo”, enquanto Noé era um homem justo aos olhos de Deus.) O que vocês disseram não está muito longe. O que Noé fez era materialmente diferente do que o que as pessoas estão fazendo agora. Quando agiu conforme Deus instruiu, Noé não sabia quais eram as intenções de Deus. Não sabia o que Deus queria realizar. Deus só lhe havia dado uma ordem, instruiu-o a fazer algo, e, sem muita explicação, Noé foi em frente e fez. Não tentou descobrir as intenções de Deus, em segredo, nem resistiu a Deus, nem demonstrou falsidade. Ele apenas foi e fez de acordo com um coração puro e simples. Tudo aquilo que Deus o mandou fazer, ele fez; e obedecer e ouvir a palavra de Deus sustentava sua convicção no que fazia. Foi assim que ele lidou de modo direto e simples com o que Deus lhe confiou. Sua essência — a essência de suas ações era a obediência, e não suspeitar, não resistir e, ademais, não pensar nos interesses pessoais e em seus ganhos e perdas. Mais tarde, quando Deus disse que destruiria a terra com um dilúvio, Noé não perguntou quando nem o que seria das coisas, e certamente não perguntou a Deus como Ele iria destruir o mundo. Ele simplesmente agiu como Deus instruiu. Tudo que Deus queria que fosse feito e com que, ele fazia exatamente como Deus pedia e, também, começava a agir de imediato. Agia de acordo com as instruções de Deus com uma atitude de querer satisfazer a Deus. Ele fez tudo isso para evitar o desastre? Não. Ele perguntou a Deus quanto tempo levaria até que o mundo fosse destruído? Não. Perguntou a Deus ou sabia quanto tempo levaria para construir a arca? Ele não sabia disso também. Ele simplesmente obedeceu, ouviu e agiu de acordo. As pessoas de hoje não são desse jeito: assim que um pouco de informação vaza através da palavra de Deus, assim que percebem um mero farfalhar das folhas ao vento, as pessoas imediatamente entram em ação, sem se importar com nada, a qualquer custo, para preparar o que vão comer, beber e usar após o ocorrido, e planejam até suas rotas de fuga para quando ocorrer o desastre. Ainda mais interessante é que, nesse momento crucial, o cérebro humano é muito bom em “fazer acontecer”. Em circunstâncias em que Deus não deu instruções, o homem consegue planejar tudo de maneira muito apropriada. Vocês poderiam usar a palavra “perfeitos” para descrever esses planos. Quanto ao que Deus diz, quais são as intenções de Deus, ou o que Deus quer, ninguém se importa e ninguém tenta contemplar. Não é essa a maior diferença entre as pessoas de hoje e Noé?

Neste registro da história de Noé, vocês veem uma parte do caráter de Deus? Há um limite para a paciência de Deus em relação à corrupção, imundície e violência do homem. Quando atingir esse limite, Ele não será mais paciente e, em vez disso, começará Seu novo gerenciamento e novo plano, começará a fazer o que tem de fazer, revelar Seus atos e o outro lado de Seu caráter. Esse gesto não é para demonstrar que Ele nunca deve ser ofendido pelo homem ou que está cheio de autoridade e ira, e não é para mostrar que Ele pode destruir a humanidade. É que Seu caráter e Sua essência santa já não podem permitir, já não têm paciência para aceitar que esse tipo de humanidade viva diante Dele, que viva sob Seu domínio. Ou seja, quando toda a humanidade estiver contra Ele, quando não houver ninguém que Ele possa salvar em toda a terra, Ele não terá mais paciência para tal humanidade e, sem qualquer receio, realizará Seu plano — destruir esse tipo de humanidade. Esse ato de Deus é determinado por Seu caráter. Essa é uma consequência necessária e uma consequência que todo ser criado sob o domínio de Deus deve suportar. Isso não mostra que, nesta era atual, Deus não pode esperar para completar Seu plano e salvar as pessoas que quer salvar? Nestas circunstâncias, com o que Deus se importa mais? Não é com aqueles que não O seguem ou aqueles que se opõem a Ele, que O tratam de qualquer jeito, ou resistem a Ele, nem com como a humanidade O está difamando. O que Lhe importa é somente se aqueles que O seguem, os objetos de Sua salvação em Seu plano de gerenciamento, foram completados por Ele, e se alcançaram Sua satisfação. Quanto às pessoas que não O seguem, Ele apenas ocasionalmente provê um pouco de punição para expressar Sua ira. Por exemplo: tsunamis, terremotos e erupções vulcânicas. Ao mesmo tempo, Ele também está protegendo fortemente e cuidando daqueles que O seguem e estão prestes a ser salvos por Ele. O caráter de Deus é este: por um lado, Ele pode dar extrema paciência e tolerância às pessoas que pretende fazer completas, e esperar por elas o máximo que puder; por outro, Deus odeia e abomina ardorosamente o tipo de pessoas satânicas que não O seguem e se opõem a Ele. Embora não se importe se esses tipos de Satanás O seguem ou O adoram, mesmo assim Ele os detesta, ainda que tenha paciência com eles em Seu coração, e enquanto determina o fim desses tipos de Satanás, Ele também está esperando pela chegada dos passos do Seu plano de gerenciamento.

Vejamos a próxima passagem.

2) A bênção de Deus para Noé após o dilúvio

Gênesis 9:1-6 Abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra. Terão medo e pavor de vós todo animal da terra, toda ave do céu, tudo o que se move sobre a terra e todos os peixes do mar; nas vossas mãos são entregues. Tudo quanto se move e vive vos servirá de mantimento, bem como a erva verde; tudo vos tenho dado. A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis. Certamente requererei o vosso sangue, o sangue das vossas vidas; de todo animal o requererei; como também do homem, sim, da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem. Quem derramar sangue de homem, pelo homem terá o seu sangue derramado; porque Deus fez o homem à Sua imagem.

O que vocês veem nessa passagem? Por que escolhi esses versículos? Por que não peguei um trecho sobre a vida de Noé e sua família na arca? Porque essa informação não tem muita conexão com o tema que comunicaremos hoje. Vamos nos concentrar no caráter de Deus. Se quiserem saber sobre esses detalhes, podem pegar a Bíblia para ler por conta própria. Não vamos falar sobre isso aqui. O principal assunto de que trataremos hoje é como conhecer as ações de Deus.

Depois que Noé aceitou as instruções de Deus e construiu a arca e viveu durante os dias em que Deus usou um dilúvio para destruir o mundo, todos os oito membros de sua família sobreviveram. Além dos oito da família de Noé, toda a humanidade foi destruída e todos os seres viventes na terra foram destruídos. Para Noé, Deus lhe deu bênçãos e disse algumas coisas a ele e a seus filhos. Essas coisas eram o que Deus estava concedendo a ele e também a bênção de Deus para ele. São essa bênção e essa promessa o que Deus dá a alguém que possa ouvi-Lo e aceitar Suas instruções, e também o modo com que Deus recompensa as pessoas. Ou seja, não importa se Noé era um homem perfeito ou um homem justo aos olhos de Deus, e não importa quanto ele sabia sobre Deus, em suma, Noé e seus três filhos ouviram as palavras de Deus, cooperaram com a obra de Deus, e fizeram o que deveriam fazer de acordo com as instruções de Deus. Como resultado, ajudaram Deus a preservar os seres humanos e vários tipos de seres vivos após a destruição do mundo pelo dilúvio, contribuindo grandemente para o passo seguinte do plano de gerenciamento de Deus. Por tudo que ele fez, Deus o abençoou. Talvez para as pessoas de hoje, o que Noé fez nem valha a pena mencionar. Alguns podem até pensar: Noé não fez nada; Deus havia decidido preservá-lo, então ele definitivamente seria preservado. Sua sobrevivência não se deu por suas conquistas. Era isso que Deus queria que acontecesse, porque o homem é passivo. Mas não era isso que Deus estava pensando. Para Deus, não importa se uma pessoa é grande ou insignificante, desde que possa ouvi-Lo, obedeça às Suas instruções e ao que Ele confia, e possa cooperar com Sua obra, Sua vontade e Seu plano, para que Sua vontade e Seu plano possam ser realizados sem percalços, essa conduta é digna de Sua lembrança e de receber Sua bênção. Deus valoriza essas pessoas, e aprecia suas ações, e seu amor e sua afeição por Ele. Essa é a atitude de Deus. Então por que Deus abençoou Noé? Porque é assim que Deus trata essas ações e a obediência da parte do homem.

Em relação à bênção de Deus a Noé, algumas pessoas dirão: “Se o homem ouve a Deus e satisfaz a Deus, então Deus deve abençoar o homem. Não é desnecessário dizer isso?”. Podemos dizer isso? Algumas pessoas dizem: “Não”. Por que não podemos dizer isso? Algumas pessoas dizem: “O homem não é digno de desfrutar da bênção de Deus”. Isso não está totalmente correto. Porque, quando uma pessoa aceita o que Deus confia, Deus tem um padrão para julgar se as ações da pessoa são boas ou más e se a pessoa obedeceu, e se a pessoa satisfez a vontade de Deus, e se o que ela faz está à altura do padrão. Deus se importa com o coração da pessoa, e não com seus gestos aparentes. Não é que Deus abençoa alguém desde que este faça alguma coisa, sem importar como faz. Isso é um equívoco das pessoas acerca de Deus. Deus não olha apenas para o resultado final das coisas, mas coloca mais ênfase em como é o coração da pessoa e qual é a atitude da pessoa durante o desenvolvimento das coisas, e olha se há obediência, consideração e desejo de satisfazer a Deus em seu coração. Quanto Noé sabia sobre Deus na época? Era tanto quanto as doutrinas que vocês conhecem agora? Quanto aos aspectos da verdade, tais como os conceitos e o conhecimento de Deus, ele recebeu tanto regar e pastoreio quanto vocês? Não, não recebeu! Mas há um fato que é inegável: na consciência, na mente e até nas profundezas do coração das pessoas de hoje, seus conceitos e atitudes em relação a Deus são vagos e ambíguos. Vocês poderiam até dizer que uma parte das pessoas tem uma atitude negativa em relação à existência de Deus. Mas no coração de Noé e em sua consciência, a existência de Deus era absoluta e indubitável, e por isso sua obediência a Deus não foi adulterada e pôde suportar o teste. Seu coração era puro e estava aberto para Deus. Ele não precisava de muito conhecimento de doutrinas para convencer-se a seguir cada palavra de Deus, nem precisava de muitos fatos para provar a existência de Deus, para que pudesse aceitar o que Deus lhe confiou e ser capaz de fazer o que Deus mandasse. Essa é a diferença fundamental entre Noé e as pessoas de hoje, e também é precisamente a verdadeira definição do que é um homem perfeito aos olhos de Deus. O que Deus quer são pessoas como Noé. Ele é o tipo de pessoa que Deus louva e também precisamente o tipo de pessoa que Deus abençoa. Vocês receberam algum esclarecimento com isso? As pessoas enxergam as outras pelo exterior, enquanto o que Deus vê é o coração das pessoas e sua essência. Deus não permite que alguém tenha qualquer indiferença ou dúvida com relação a Ele, nem permite que as pessoas suspeitem ou façam testes com Ele, de forma alguma. Portanto, mesmo que as pessoas de hoje estejam face a face com a palavra de Deus — seria até possível dizer face a face com Deus — devido a algo profundo em seu coração, a existência de sua substância corrupta e sua atitude hostil em relação a Ele, elas têm sido impedidas de ter crença verdadeira em Deus e de obedecer a Ele. Por causa disso, é muito difícil para elas obter a mesma bênção que Deus concedeu a Noé.

3) Deus usa o arco-íris como símbolo de Sua aliança com o homem

Gênesis 9:11-13 Sim, estabeleço o Meu pacto convosco; não será mais destruída toda a carne pelas águas do dilúvio; e não haverá mais dilúvio, para destruir a terra. E disse Deus: Este é o sinal do pacto que firmo entre Mim e vós e todo ser vivente que está convosco, por gerações perpétuas: Meu arco tenho posto nas nuvens, e ele será por sinal de haver um pacto entre Mim e a terra.

Em seguida, vamos dar uma olhada nessa parte das Escrituras sobre como Deus usou o arco-íris como um símbolo de Sua aliança com o homem.

A maioria das pessoas sabe o que é um arco-íris e já ouviu falar de algumas histórias relacionadas ao arco-íris. Quanto à história sobre o arco-íris na Bíblia, algumas pessoas acreditam, algumas tratam como lenda, enquanto outras não acreditam nem um pouco. De qualquer forma, todos os eventos que aconteceram em relação ao arco-íris eram a obra de Deus e ocorreram durante o processo do gerenciamento do homem por Deus. Esses eventos foram registrados com exatidão na Bíblia. Esses registros não nos dizem em que estado de ânimo Deus estava na época ou as intenções por trás dessas palavras que Ele disse. Além disso, ninguém pode avaliar o que Deus estava sentindo quando as disse. No entanto, o estado de espírito de Deus em relação a esse evento todo é revelado nas entrelinhas do texto. É como se Seus pensamentos na época saltassem da página a cada palavra e frase da palavra de Deus.

Os pensamentos de Deus são aquilo com que as pessoas deveriam se preocupar e o que deveriam estar tentando conhecer mais. Isso porque os pensamentos de Deus estão intimamente relacionados à compreensão do homem sobre Deus, e o entendimento do homem sobre Deus é um elo indispensável para a entrada do homem na vida. Então, em que Deus estava pensando no momento em que esses eventos aconteceram?

Originalmente, Deus criou uma humanidade que a Seus olhos era muito boa e próxima a Ele, mas ela foi destruída pelo dilúvio depois de se rebelar contra Ele. Deus sofreu porque essa humanidade desapareceu assim num instante? Claro que sim! Então, qual foi a expressão dessa dor? Como foi registrado na Bíblia? Foi registrado na Bíblia nestas palavras: “Sim, estabeleço o Meu pacto convosco; não será mais destruída toda a carne pelas águas do dilúvio; e não haverá mais dilúvio, para destruir a terra”. Essa simples frase revela os pensamentos de Deus. Essa destruição do mundo doeu muito Nele. Nas palavras do homem, Ele ficou muito triste. Nós podemos imaginar: como ficou a terra, que antes estava cheia de vida, depois de ser destruída pelo dilúvio? Como ficou a terra, que antes estava cheia de seres humanos? Nenhuma habitação humana, nenhum ser vivente, água por toda parte e total devastação na superfície da água. Essa cena era a intenção original de Deus quando criou o mundo? Claro que não! A intenção original de Deus era ver vida por toda a terra, ver os seres humanos que Ele criou adorando-O, não apenas Noé sendo o único a adorá-Lo ou o único que poderia atender ao Seu chamado para levar a cabo o que lhe fora confiado. Quando a humanidade desapareceu, Deus viu não o que pretendia originalmente, mas o completo oposto. Como poderia Seu coração não sentir dor? Então, quando estava revelando Seu caráter e expressando Suas emoções, Deus tomou uma decisão. Que tipo de decisão Ele tomou? Fazer um arco nas nuvens (isto é, o arco-íris que vemos) como uma aliança com o homem, uma promessa de que Deus não mais destruiria os homens com um dilúvio. Ao mesmo tempo, foi também para dizer às pessoas que Deus uma vez destruiu o mundo com um dilúvio, para que a humanidade pudesse lembrar para sempre por que Deus fez tal coisa.

A destruição do mundo, nessa época, foi algo que Deus queria? Definitivamente não era o que Deus queria. Talvez sejamos capazes de imaginar uma pequena parte da visão lamentável da terra após a destruição do mundo, mas não podemos chegar perto de imaginar como era a cena na época aos olhos de Deus. Podemos dizer que, quer sejam as pessoas de agora ou de antes, ninguém é capaz de imaginar ou apreciar o que Deus estava sentindo quando viu aquela cena, aquela imagem do mundo após sua destruição pelo dilúvio. Deus foi forçado a fazer isso devido à desobediência do homem, mas a dor sofrida pelo coração de Deus a partir dessa destruição do mundo pelo dilúvio é uma realidade que ninguém consegue imaginar ou avaliar. Foi por isso que Deus fez uma aliança com a humanidade, pela qual almejava dizer às pessoas que lembrassem que Deus uma vez fez algo assim, e jurar para elas que Ele nunca mais destruiria o mundo dessa maneira. Nessa aliança, vemos o coração de Deus — vemos que o coração de Deus estava sentindo dor quando Ele destruiu essa humanidade. Na linguagem do homem, quando Deus destruiu a humanidade e viu a humanidade desaparecer, Seu coração estava chorando e sangrando. Esse não é o melhor jeito de descrever? Essas palavras são usadas pelos homens para ilustrar emoções humanas, mas, como a linguagem do homem é insuficiente, usá-las para descrever os sentimentos e as emoções de Deus não parece muito ruim para Mim, e elas não são excessivas demais. Pelo menos, lhes dá uma compreensão muito vívida e muito adequada de como estava o estado de ânimo de Deus na época. O que vocês vão pensar agora quando virem um arco-íris novamente? Pelo menos vocês se lembrarão de como Deus certa vez ficou triste por destruir o mundo com o dilúvio. Vocês se lembrarão de como, embora odiasse esse mundo e desprezasse essa humanidade, quando Deus destruiu os seres humanos que criou com as próprias mãos, Seu coração foi magoado, sofreu para abrir mão, se sentia relutante e achou tudo difícil de suportar. Seu único conforto estava nas oito pessoas da família de Noé. Foi a cooperação de Noé que fez valer a pena Seu doloroso esforço de criar todas as coisas. Numa época em que Deus estava sofrendo, esse foi o único fato que pôde compensar Sua dor. A partir desse ponto, Deus colocou todas as Suas expectativas para a humanidade sobre a família de Noé, esperando que eles pudessem viver sob Suas bênçãos, e não sob Sua maldição, esperando que nunca veriam Deus destruir o mundo com um dilúvio novamente, e também esperando que eles não fossem destruídos.

Qual parte do caráter de Deus devemos compreender com isso? Deus havia desprezado o homem porque este era hostil com Ele, mas em Seu coração, Seu cuidado, Sua preocupação e Sua misericórdia para com a humanidade permaneciam inalterados. Mesmo quando Ele destruiu a humanidade, Seu coração permaneceu inalterado. Quando a humanidade estava cheia de corrupção e seriamente desobediente a Deus, Ele teve de destruir essa humanidade, por causa de Seu caráter e Sua essência, e de acordo com Seus princípios. Mas, por causa da essência de Deus, mesmo assim Ele teve pena da humanidade e até quis usar várias maneiras de redimir a humanidade para que ela pudesse continuar a viver. Em vez disso, o homem se opôs a Deus, continuou a desobedecer a Ele e se recusou a aceitar Sua salvação, isto é, recusou-se a aceitar Suas boas intenções. Não importava como Deus o chamasse, o lembrasse, o suprisse, o ajudasse ou o tolerasse, o homem não compreendia nem apreciava, nem prestava atenção. Em Sua dor, Deus ainda não Se esquecia de dar ao homem Sua máxima tolerância, esperando que o homem voltasse. Depois de chegar ao Seu limite, Ele fez o que tinha de fazer sem hesitação alguma. Em outras palavras, houve um período específico de tempo e um processo desde o momento em que Deus planejou destruir a humanidade até o início oficial de Sua obra, ao destruir a humanidade. Esse processo existiu com o propósito de capacitar o homem a voltar, e foi a última chance que Deus deu ao homem. Então, o que Deus fez nesse período antes de destruir a humanidade? Deus executou uma quantidade significativa da obra de lembrar e exortar. Não importa quanta dor e tristeza havia no coração de Deus, Ele continuou exercendo Seu cuidado, Sua preocupação e Sua abundante misericórdia para com a humanidade. O que vemos com isso? Sem dúvida, vemos que o amor de Deus pela humanidade é real, e não algo apenas da boca para fora. É real, tangível e apreciável; não é fingido, adulterado, enganoso ou pretensioso. Deus nunca usa engano nem cria imagens falsas para fazer as pessoas verem que Ele é amável. Ele nunca usa falso testemunho para que as pessoas vejam a Sua amabilidade, ou para ostentar Sua amabilidade e santidade. Esses aspectos do caráter de Deus não são dignos do amor do homem? Não são dignos de adoração? Não são dignos de apreciação? A esta altura, quero lhes perguntar: depois de ouvir essas palavras, vocês acham que a grandeza de Deus são apenas palavras em uma folha de papel? A amabilidade de Deus são apenas palavras vazias? Não! Certamente não! A supremacia, a grandeza, a santidade, a tolerância, o amor de Deus e assim por diante — cada detalhe de cada um dos vários aspectos do caráter e da essência de Deus encontra expressão prática toda vez que Ele realiza Sua obra, é incorporado em Sua vontade para com o homem, e também cumprido e refletido em cada pessoa. Não importa se você sentiu isso antes ou não, Deus está cuidando de todas as pessoas, de todas as maneiras possíveis, usando Seu coração sincero, Sua sabedoria e vários métodos para aquecer o coração de cada pessoa e despertar o espírito de cada pessoa. Isso é um fato indiscutível. Não importa quantas pessoas estão sentadas aqui, cada uma teve diferentes experiências e sentimentos em relação à tolerância, à paciência e à amabilidade de Deus. Esse vivenciar Deus e esse sentir ou perceber Deus — em suma, todas essas coisas positivas provêm de Deus. Então, integrando as experiências de todos e o conhecimento de Deus e combinando-os com nossas leituras dessas passagens da Bíblia hoje, vocês agora possuem uma compreensão mais real e apropriada de Deus?

Depois de ler essa história e compreender algo do caráter de Deus revelado através desse evento, que tipo de compreensão nova vocês têm de Deus? A leitura lhes deu uma compreensão mais profunda de Deus e do Seu coração? Vocês se sentem diferentes agora, ao rever a história de Noé? Na sua opinião, foi desnecessário comunicar esses versículos da Bíblia? Agora que os comunicamos, vocês acham que foi desnecessário? Claro que foi necessário! Ainda que o que lemos seja uma história, é um verdadeiro registro da obra que Deus fez. Meu objetivo não foi fazer com que vocês compreendessem os detalhes dessas histórias ou desse personagem, nem foi que vocês pudessem estudar esse personagem, e certamente não foi para que vocês voltem e estudem a Bíblia novamente. Vocês entendem? Então, essas histórias ajudaram no conhecimento de vocês sobre Deus? O que essa história acrescentou à compreensão de vocês sobre Deus? Contem-nos, irmãos e irmãs de Hong Kong. (Vimos que o amor de Deus é algo que nenhum de nós humanos corruptos possui.) Digam-nos, irmãos e irmãs da Coreia do Sul. (O amor de Deus pelo homem é real. O amor de Deus pelo homem carrega Seu caráter e carrega Sua grandeza, santidade, supremacia e tolerância. Vale a pena tentarmos ganhar uma compreensão mais profunda disso.) (Por meio do que foi comunicado há pouco, por um lado, posso ver o caráter justo e santo de Deus, e também posso ver a preocupação que Deus tem para com a humanidade, a misericórdia de Deus para com a humanidade, e que tudo que Deus faz e todo pensamento e ideia que tem revela Seu amor e preocupação pela humanidade.) (Meu entendimento no passado era de que Deus usou um dilúvio para destruir o mundo porque a humanidade se tornara gravemente maligna, e era como se Deus destruísse essa humanidade porque a abominava. Foi só depois que Deus falou sobre a história de Noé hoje e disse que Seu coração estava sangrando que percebi que Ele estava, de fato, relutante em abrir mão dessa humanidade. Foi somente porque a humanidade foi muito desobediente que Deus não teve escolha a não ser destruí-la. De fato, o coração de Deus nesse momento estava muito triste. A partir disso, posso ver no caráter de Deus Seu cuidado e Sua preocupação para com a humanidade. Isso é algo de que eu não sabia.) Muito bom! Vocês são os próximos. (Eu fiquei muito impactado depois de ouvir. Li a Bíblia no passado, mas nunca tive uma experiência como hoje, em que Deus disseca diretamente essas coisas para que possamos conhecê-Lo. Deus nos acompanhar assim para ver a Bíblia me permitiu descobrir que Sua essência antes da corrupção do homem era amor e cuidado para com a humanidade. Desde o tempo em que o homem se corrompeu até estes últimos dias, embora Deus possua um caráter justo, Seu amor e cuidado permanecem inalterados. Isso mostra que a essência do amor de Deus, desde a criação até agora, estando o homem corrompido ou não, nunca muda.) (Hoje eu vi que a essência de Deus não se alterará devido a uma mudança no tempo ou na localização de Sua obra. Também vi que não importa se Deus está criando o mundo ou destruindo-o depois que o homem se corrompeu, tudo o que Ele faz tem sentido e contém Seu caráter. Vi, portanto, que o amor de Deus é infinito e imensurável, e também vi, como os outros irmãos e irmãs mencionaram, o cuidado e a misericórdia de Deus para com a humanidade quando Ele destruiu o mundo.) (Estas são coisas que eu realmente não sabia. Depois de ouvir, hoje, acho que Deus é realmente crível, realmente confiável, que vale a pena acreditar, e que Ele de fato existe. Posso genuinamente avaliar, em meu coração, que o caráter e o amor de Deus são realmente concretos. É assim que me sinto depois de ouvir, hoje.) Excelente! Parece que vocês todos guardaram o que ouviram no coração.

Vocês notaram algo de todos os versículos da Bíblia, incluindo todas as histórias da Bíblia que comunicamos hoje? Deus alguma vez usou Sua linguagem para expressar Seus pensamentos ou explicar Seu amor e cuidado pela humanidade? Existe registro Dele usando linguagem simples para declarar quanto se preocupa ou quanto ama a humanidade? Não! Não é verdade? Há tantos entre vocês que leram a Bíblia ou outros livros além da Bíblia. Algum de vocês viu tais palavras? A resposta é definitivamente não! Isto é, nos registros da Bíblia, incluindo as palavras de Deus ou a documentação de Sua obra, em nenhuma época ou período, Ele nunca usou métodos próprios para descrever Seus sentimentos ou expressar Seu amor e cuidado para com a humanidade, e nunca usou a fala nem quaisquer ações para transmitir Seus sentimentos e emoções — isso não é um fato? Por que Eu digo isso? Por que tenho que mencionar isso? É porque isso também contém a amabilidade de Deus e Seu caráter.

Deus criou a humanidade; independentemente de terem sido corrompidos ou de segui-Lo, Deus trata os seres humanos como Seus entes mais queridos e amados — ou, como diriam os seres humanos, as pessoas mais queridas por Ele — e não como Seus brinquedos. Embora Deus diga que é o Criador e que o homem é Sua criação, o que pode soar como uma pequena diferença de categoria, a realidade é que tudo que Deus fez pela humanidade excede em muito um relacionamento dessa natureza. Deus ama a humanidade, cuida da humanidade e demonstra preocupação para com a humanidade, bem como provê constante e incessantemente à humanidade. Ele nunca acha, em Seu coração, que isso é obra adicional ou algo que merece muito crédito. E não acha que salvar a humanidade, suprindo-lhe e concedendo-lhe tudo, é fazer uma enorme contribuição para a humanidade. Ele simplesmente provê à humanidade calma e discretamente, num modo Próprio e através de Sua essência e do que Ele tem e é. Não importa quanta provisão e quanta ajuda a humanidade receba Dele, Deus nunca pensa nisso nem tenta levar crédito. Isso é determinado pela essência de Deus, e é também precisamente uma expressão verdadeira do caráter de Deus. É por isso que, independentemente de estar na Bíblia ou em qualquer outro livro, nunca vemos Deus expressando Seus pensamentos, e nunca vemos Deus descrevendo ou declarando aos homens, a fim de fazer a humanidade ser grata a Ele ou louvá-Lo, por que Ele faz essas coisas, ou por que Se importa tanto com a humanidade. Mesmo quando Ele está magoado, quando Seu coração está em extrema dor, Ele nunca Se esquece de Sua responsabilidade para com a humanidade ou de Sua preocupação para com a humanidade; tudo isso enquanto suporta mágoa e dor, sozinho, em silêncio. Ao contrário, Deus continua a prover à humanidade, como sempre fez. Embora a humanidade muitas vezes louve a Deus ou dê testemunho Dele, nenhum desses comportamentos é exigido por Deus. Isso porque Deus nunca pretende que as coisas boas que faz pela humanidade sejam trocadas por gratidão ou que sejam restituídas. Por outro lado, aqueles que temem a Deus e evitam o mal, aqueles que realmente seguem a Deus, escutam-No e são leais a Ele, e aqueles que Lhe obedecem — essas são as pessoas que frequentemente receberão as bênçãos de Deus, e Ele lhes concederá essas bênçãos sem reservas. Além disso, as bênçãos que as pessoas recebem de Deus muitas vezes vão além de sua imaginação, e também além de qualquer coisa que os seres humanos possam justificar pelo que fizeram ou pelo preço que pagaram. Quando a humanidade está desfrutando das bênçãos de Deus, alguém se importa com o que Deus está fazendo? Alguém demonstra alguma preocupação quanto ao que Deus está sentindo? Alguém tenta avaliar a dor de Deus? A resposta é um enfático “não”! Pode algum ser humano, incluindo Noé, avaliar a dor que Deus estava sentindo naquele momento? Alguém consegue compreender por que Deus estabeleceria tal aliança? Ninguém consegue! A humanidade não avalia a dor de Deus não porque não consegue compreender a dor de Deus, e não por causa do abismo que separa Deus do homem ou da diferença em seu status; ao contrário, é porque a humanidade não se importa nem um pouco com os sentimentos de Deus. A humanidade acha que Deus é independente — que Deus não precisa que as pessoas se importem com Ele, compreendam-No ou demonstrem consideração por Ele. Deus é Deus, então não sente dor e não tem emoções; não fica triste, não sente pesar, não chora. Deus é Deus, então não precisa de nenhuma expressão emocional e não precisa de nenhum conforto emocional. Se precisar disso em certas circunstâncias, Ele Mesmo resolverá e não necessitará de assistência da humanidade. Por outro lado, são os humanos “fracos e imaturos” que precisam da consolação, provisão, do encorajamento de Deus e até mesmo que Ele console suas emoções, a qualquer hora, em qualquer lugar. Esse pensamento se esconde profundamente no coração da humanidade: o homem é o fraco; ele precisa de Deus para cuidar dele em todos os sentidos, ele merece todo o cuidado que recebe de Deus, e deve exigir de Deus o que acha que deve ser dele. Deus é o forte; Ele tem tudo e deveria ser guardião da humanidade e doador de bênçãos. Como já é Deus, Ele é onipotente e nunca precisa de nada da humanidade.

Como o homem não presta atenção a nenhuma das revelações de Deus, ele nunca sentiu a tristeza, a dor ou a alegria de Deus. Mas, ao contrário, Deus conhece todas as expressões do homem como a palma de Sua mão. Deus supre as necessidades de todos a todos os momentos e em todos os lugares, observando os pensamentos de cada pessoa em constante mudança, confortando-as e exortando-as, orientando-as e iluminando-as. Em termos de todas as coisas que Deus fez na humanidade e todos os preços que pagou por causa dela, as pessoas conseguem encontrar uma passagem na Bíblia ou em qualquer coisa que Deus disse até agora que afirme claramente que Ele exigirá algo do homem? Não! Ao contrário, não importa quanto as pessoas ignorem o pensamento de Deus, mesmo assim Ele conduz a humanidade repetidamente, provê à humanidade repetidamente, e ajuda, para que ela siga o caminho de Deus para receber o belo destino que Ele preparou para ela. No que tange a Deus, o que Ele tem e é, Sua graça, Sua misericórdia e todas as Suas recompensas serão concedidas sem reservas àqueles que O amam e seguem. Mas Ele nunca revela a nenhuma pessoa a dor que sofreu nem Seu estado de espírito, e nunca Se queixa de alguém que não é atencioso com Ele ou que não conhece Sua vontade. Ele simplesmente suporta tudo isso em silêncio, esperando pelo dia em que a humanidade será capaz de compreender.

Por que Eu digo essas coisas aqui? O que vocês tiram das coisas que Eu disse? Há algo na essência e no caráter de Deus que é mais fácil ignorar, algo que só é possuído por Deus, e não por qualquer pessoa, incluindo aqueles que os outros consideram grandes pessoas, pessoas boas, ou o Deus de sua imaginação. O que é? É o altruísmo de Deus. Ao falar de altruísmo, você pode pensar que também é muito altruísta, porque, com relação a seus filhos, você nunca negocia com eles e é generoso com eles, ou acha que também é muito altruísta com relação a seus pais. Não importa o que pense, pelo menos você tem um conceito da palavra “altruísta” e pensa nela como uma palavra positiva, e que ser uma pessoa altruísta é algo muito nobre. Quem é altruísta tem muita estima por si mesmo. Mas não há ninguém que consegue enxergar o altruísmo de Deus em todas as coisas, entre pessoas, eventos e objetos, e na obra de Deus. Por que isso? Porque o homem é egoísta demais! Por que digo isso? A humanidade vive em um mundo material. Você pode seguir a Deus, mas nunca vê nem avalia como Deus provê, ama e mostra preocupação por você. Então o que você vê? Você vê seus parentes de sangue, que o amam ou adoram. Você vê as coisas que são benéficas para a sua carne, se preocupa com as pessoas e as coisas que ama. Esse é o tal altruísmo do homem. Essas pessoas “altruístas”, no entanto, nunca se preocupam com o Deus que lhes dá vida. Em contraste com o de Deus, o altruísmo do homem se torna egoísta e desprezível. O altruísmo em que o homem acredita é vazio e irrealista, adulterado, incompatível com Deus e não está relacionado a Deus. O altruísmo do homem é para ele mesmo, enquanto o altruísmo de Deus é uma verdadeira revelação de Sua essência. É precisamente devido ao altruísmo de Deus que o homem recebe um fluxo constante de suprimento Dele. Talvez vocês não sejam muito afetados por esse tema de que estou falando hoje e estão meramente assentindo com a cabeça em aprovação, mas, quando tentar avaliar o coração de Deus em seu coração, sem querer você descobrirá isto: entre todas as pessoas, assuntos e coisas que você pode perceber neste mundo, somente o altruísmo de Deus é real e concreto, porque somente o amor de Deus por você é incondicional e imaculado. Com exceção de Deus, o tal altruísmo de qualquer outra pessoa é fingido, superficial e inautêntico; tem um propósito, certas intenções, demanda uma troca e não suporta ser testado. Poder-se-ia dizer até que é imundo e desprezível. Vocês concordam com essas palavras?

Eu sei que vocês não estão muito familiarizados com esses assuntos e precisam de um pouco de tempo para essas coisas penetrarem antes de poderem realmente compreender. Quanto mais desconhecidos forem esses assuntos e temas para vocês, mais isso prova que esses temas fazem falta no seu coração. Se Eu nunca mencionasse esses temas, algum de vocês saberia alguma coisa sobre eles? Acredito que vocês nunca viriam a conhecê-los. Isso é certo. Não importa quanto vocês possam compreender ou entender, em suma, esses temas de que falo são, em suma, o que as pessoas mais carecem e o que deveriam conhecer mais. Esses temas são muito importantes para todos — são preciosos e são vida, e são coisas que vocês devem possuir para a estrada adiante. Sem essas palavras como orientação, sem a compreensão do caráter e da essência de Deus, você sempre terá um ponto de interrogação quando se trata de Deus. Como você pode acreditar em Deus corretamente se nem O compreende? Você não sabe nada sobre as emoções de Deus, Sua vontade, Seu estado mental, o que Ele está pensando, o que O deixa triste e o que O faz feliz, então como pode ser atencioso com relação ao coração de Deus?

Sempre que está triste, Deus enfrenta uma humanidade que não presta atenção alguma a Ele, uma humanidade que O segue e afirma que O ama, mas negligencia completamente Seus sentimentos. Como pode o coração Dele não sentir dor? Na obra de gerenciamento de Deus, Ele executa sinceramente Sua obra e fala com cada pessoa, e as encara sem reservas ou ocultações; mas, ao contrário, toda pessoa que O segue está fechada para Ele, e ninguém está disposto a se aproximar ativamente Dele, compreender o coração Dele ou prestar atenção aos sentimentos Dele. Mesmo aqueles que querem se tornar íntimos de Deus não querem se aproximar Dele, ser atenciosos com o coração Dele ou tentar entendê-Lo. Quando Deus está alegre e feliz, não há ninguém para compartilhar Sua felicidade. Quando Deus é mal-entendido pelas pessoas, não há ninguém para consolar Seu coração ferido. Quando Seu coração está ferido, não há uma única pessoa disposta a permitir que Ele confie nela. Ao longo desses milhares de anos de obra gerencial de Deus, não houve ninguém que entendesse Suas emoções, nem ninguém que as compreendesse ou avaliasse, muito menos quem pudesse estar ao lado de Deus para compartilhar de Suas alegrias e tristezas. Deus é solitário. Ele é solitário! Deus é solitário não apenas porque a humanidade corrompida se opõe a Ele, mas mais porque os que buscam ser espirituais, aqueles que buscam conhecer e entender Deus, e até mesmo aqueles que estão dispostos a dedicar suas vidas inteiras a Ele também não conhecem Seus pensamentos e não compreendem Seu caráter e Suas emoções.

No final da história de Noé, vemos que Deus usou um método incomum para expressar Seus sentimentos na época. Esse método é muito especial: fazer uma aliança com o homem que declarava que Deus não mais usaria um dilúvio para destruir o mundo. Por fora, fazer uma aliança parece algo muito comum. Não é nada mais do que usar palavras para vincular duas partes e impedir que violem o acordo, de modo a proteger os interesses de ambas. Na forma, é algo muito comum, mas a partir das motivações por trás e da intenção de Deus ao fazer isso, é uma verdadeira revelação do caráter e do estado de espírito de Deus. Se você apenas colocar essas palavras de lado e ignorá-las, se Eu nunca lhes disser a verdade das coisas, a humanidade realmente nunca conhecerá o pensamento de Deus. Talvez em sua imaginação Deus estivesse sorrindo quando fez essa aliança, ou talvez Sua expressão fosse séria, mas independentemente da expressão mais comum que as pessoas imaginem que Deus tinha, ninguém teria sido capaz de ver o coração de Deus ou Sua dor, muito menos Sua solidão. Ninguém pode fazer com que Deus confie nele ou ser digno da confiança de Deus, ou ser alguém para quem Ele pode expressar Seus pensamentos ou confidenciar Sua dor. Foi por isso que Deus não teve escolha senão fazer tal coisa. Na superfície, Deus fez algo fácil ao Se despedir da humanidade como era então, resolvendo a questão do passado e conduzindo a um final perfeito Sua destruição do mundo pelo dilúvio. No entanto, Deus enterrou a dor desse momento bem fundo, dentro do coração. Numa época em que não tinha ninguém em quem confiar, Deus fez uma aliança com a humanidade, dizendo-lhe que não destruiria o mundo com um dilúvio novamente. Quando apareceu um arco-íris, foi para lembrar as pessoas de que aquela coisa aconteceu e para aconselhá-las a evitar o mal. Mesmo em um estado tão doloroso, Deus não Se esqueceu da humanidade e ainda mostrou tanta preocupação por ela. Isso não é o amor, o altruísmo de Deus? Mas o que as pessoas pensam quando estão sofrendo? Não é esse o momento em que elas mais precisam de Deus? Em momentos como esse, as pessoas sempre puxam Deus para perto, para que Ele possa consolá-las. Não importa quando, Deus nunca desapontará as pessoas, e sempre ajudará as pessoas a sair de suas dificuldades e viver na luz. Embora Deus proveja assim à humanidade, no coração do homem, Ele não passa de uma pílula calmante, um tônico reconfortante. Quando Deus está sofrendo, quando Seu coração está ferido, ter um ser criado ou qualquer pessoa para Lhe fazer companhia ou confortá-Lo seria, sem dúvida, apenas um desejo extravagante Dele. O homem nunca presta atenção aos sentimentos de Deus, então Deus nunca pede nem espera que haja alguém que possa confortá-Lo. Ele apenas usa métodos próprios para expressar Seu humor. As pessoas não acham que é um grande problema para Deus passar por algum sofrimento, mas somente quando realmente tenta compreender a Deus, quando consegue genuinamente avaliar as sinceras intenções de Deus em tudo que Ele faz você pode sentir Sua grandeza e Seu altruísmo. Mesmo que tenha feito uma aliança com a humanidade usando o arco-íris, Deus não disse a ninguém por que fez isso — porque estabeleceu essa aliança — ou seja, nunca contou a ninguém Seus verdadeiros pensamentos. Isso porque não há ninguém que possa compreender a profundidade do amor que Deus tem pela humanidade que criou com as próprias mãos, e também não há ninguém que possa avaliar quanta dor Seu coração sofreu quando Ele destruiu a humanidade. Portanto, mesmo que Ele diga às pessoas como se sente, elas não seriam capazes de assumir essa confiança. Apesar de sentir dor, Ele ainda continua com o próximo passo de Sua obra. Deus sempre dá Seu melhor lado e as melhores coisas para a humanidade enquanto discretamente suporta todo o sofrimento sozinho. Deus nunca revela abertamente esses sofrimentos. Em vez disso, suporta-os e espera em silêncio. A resistência de Deus não é fria, entorpecida ou indefesa, nem é um sinal de fraqueza. É que o amor e a essência de Deus sempre foram altruístas. Essa é uma revelação natural de Sua essência e Seu caráter, e uma incorporação genuína da identidade de Deus como o verdadeiro Criador.

Tendo dito isso, algumas pessoas podem interpretar mal o que quis dizer. “Descrever os sentimentos de Deus com tantos detalhes, com tanto sensacionalismo, foi com a intenção de fazer as pessoas sentirem pena de Deus?” Essa é a intenção aqui? (Não!) O único propósito de dizer essas coisas é fazer vocês conhecerem melhor a Deus, compreender cada parte Dele, compreender Suas emoções, avaliar que a essência e o caráter de Deus são, concretamente e pouco a pouco, expressos através de Sua obra, ao invés de representados através das palavras vazias do homem, suas letras e doutrinas, ou suas imaginações. Ou seja, Deus e Sua essência realmente existem — não são pinturas, imaginações, não foram construídos pelo homem e certamente não foram fabricados por ele. Vocês reconhecem isso agora? Se reconhecem, então Minhas palavras hoje alcançaram seu objetivo.

Nós discutimos três tópicos hoje. Creio que todos ganharam muito com a comunhão sobre esses três tópicos. Posso dizer definitivamente que, através desses três tópicos, os pensamentos de Deus que descrevi ou o caráter e a essência de Deus que mencionei transformaram o que as pessoas imaginam e entendem de Deus, transformaram até a crença de todos em Deus e, além disso, transformaram a imagem do Deus admirado por todos em seu coração. Venha o que vier, espero que o que vocês aprenderam sobre o caráter de Deus nessas três seções da Bíblia seja benéfico para vocês, e espero que, quando retornarem, vocês tentem refletir mais. A reunião de hoje termina aqui. Adeus!

4 de novembro de 2013

Anterior: Como conhecer o caráter de Deus e os resultados que Sua obra alcançará

Próximo: A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus II

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

A visão da obra de Deus (1)

João trabalhou sete anos para Jesus e já havia preparado o caminho quando Jesus chegou. Antes disso, o evangelho do reino dos céus pregado...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro