Palavras diárias de Deus | "O Próprio Deus, o Único X" | Trecho 196

O próximo é o ciclo de vida e morte dos servidores. Dissemos que a origem dos servidores era qual? (Alguns eram incrédulos, alguns eram animais.) Esses servidores eram reencarnados de incrédulos e animais. Com a chegada do último estágio da obra, Deus selecionou dentre os incrédulos um grupo dessas pessoas, um grupo especial. O objetivo de Deus ao escolher essas pessoas é que elas sirvam a Sua obra. “Serviço” não é uma palavra que soa muito elegante, nem é algo que alguém estaria disposto a fazer, mas nós devemos olhar para quem ela é direcionada. A existência dos servidores de Deus tem um significado especial. Ninguém mais poderia desempenhar o seu papel, pois eles foram eleitos por Deus. E qual é o papel desses servidores? Servir o povo escolhido de Deus. Principalmente, o seu papel é servir à obra de Deus, cooperar com a obra de Deus e cooperar com Deus na conclusão do Seu povo eleito. Independentemente de estarem trabalhando, realizando algum trabalho ou realizando certas tarefas, qual é a exigência de Deus para essas pessoas? Ele é muito rigoroso em Suas exigências a elas? (Não, Deus pede que sejam leais.) Os servidores também precisam ser leais. Independentemente de sua origem, ou do motivo de Deus ter escolhido você, você deve ser leal, você deve ser leal a Deus, ao que Deus lhe comissiona, bem como à obra pela qual você é responsável e pelo dever que você desempenha. Se os servidores forem capazes de ser leais e satisfazer a Deus, então qual será o seu fim? Eles poderão permanecer. É uma bênção ser um servidor que permanece? O que significa permanecer? O que essa bênção significa? Quanto ao status, eles não parecem semelhantes ao povo escolhido de Deus, eles parecem ser diferentes. De fato, no entanto, o que eles desfrutam nesta vida não é o mesmo que o povo escolhido de Deus? No mínimo, nesta vida é o mesmo. Vocês não negam isso, sim? As declarações de Deus, a graça de Deus, a provisão de Deus, as bênçãos de Deus — quem não desfruta dessas coisas? Todo mundo desfruta de tal abundância. A identidade de um servidor é ser um servidor, mas, para Deus, ele é um entre todas as coisas que Ele criou — é simplesmente que o papel dele é de servidor. Como uma das criaturas de Deus, existe diferença entre um servidor e o povo escolhido de Deus? Efetivamente, não há. Nominalmente falando, há uma diferença, em substância, há uma diferença, em termos do papel que desempenham há uma diferença, mas Deus não discrimina essas pessoas. Então, por que essas pessoas são definidas como servidoras? Vocês devem entender isso. Os servidores vêm do meio dos incrédulos. A menção dos incrédulos nos diz que seu passado é ruim: eles são todos ateus, no passado eram ateus, não criam em Deus e eram hostis a Deus, à verdade e às coisas positivas. Eles não criam em Deus e não criam que existe um Deus, então eles são capazes de entender as palavras de Deus? É justo dizer que, em grande medida, eles não são. Assim como os animais são incapazes de compreender as palavras humanas, os servidores não entendem o que Deus está dizendo, o que Ele exige, por que Ele faz tais exigências — eles não entendem, essas coisas são incompreensíveis para eles, eles permanecem não iluminados. E, por essa razão, essas pessoas não possuem a vida de que falamos. Sem vida, as pessoas podem entender a verdade? Elas estão equipadas com a verdade? Elas estão equipadas com a experiência e o conhecimento das palavras de Deus? (Não.) Essas são as origens dos servidores. Mas já que Deus faz essas pessoas servidoras, ainda há padrões para as Suas exigências a elas; Ele não as despreza nem é superficial com elas. Mesmo que elas não entendam Suas palavras e não tenham vida, Deus ainda é amável com elas e ainda há padrões para as Suas exigências a elas. Vocês acabaram de falar sobre esses padrões: ser fiel a Deus e fazer o que Ele diz. Em seu serviço, você deve servir onde for necessário e deve servir até o fim. Se você puder servir até o fim, se você puder ser um fiel servidor, for capaz de servir até o fim e for capaz de completar perfeitamente a comissão dada a você por Deus, então, você viverá uma vida de valor e, portanto, poderá permanecer. Se você fizer um pouco mais de esforço, se você se esforçar mais, conseguir dobrar seus esforços para conhecer Deus, puder falar um pouco do conhecimento de Deus, puder prestar testemunho a Deus e, além disso, se você puder entender algo da vontade de Deus, puder cooperar com a obra de Deus e for um tanto consciente da vontade de Deus, então você, esse servidor, terá uma mudança na sorte. E qual será essa mudança na sorte? Vocês não mais serão simplesmente capazes de permanecer. Baseado em sua conduta e em suas aspirações pessoais e em sua busca, Deus fará de você um dos eleitos. Essa será sua mudança de sorte. Para os servidores, qual é a melhor coisa em relação a isso? É que eles podem se tornar um dos eleitos de Deus. E o que significa se eles se tornarem um dos eleitos de Deus? Isso significa que eles não são mais reencarnados como animal, como um incrédulo. Isso é bom? É, e é uma boa notícia. Isso equivale a dizer que servidores podem ser moldados. Não significa que, quando Deus destina um servidor para servir, ele o fará para sempre; isso não é necessariamente assim. Com base em sua conduta individual, Deus lidará com ele de maneira diferente e responderá a ele de maneira diferente.

Mas há servidores que não podem servir até o final; durante o seu serviço, há aqueles que desistem no meio do caminho e abandonam a Deus, há aqueles que fazem muitas coisas ruins e até aqueles que causam um prejuízo tremendo e causam danos tremendos à obra de Deus, há até mesmo os servidores que amaldiçoam a Deus e assim por diante — e o que significam essas consequências irremediáveis? Qualquer ato maligno desses significará o término de seu serviço. Porque sua conduta durante o seu serviço foi muito pobre, porque você foi longe demais, quando Deus vê que seu serviço não é tão bom quanto deveria, Ele o excluirá de sua elegibilidade para servir, Ele não deixará que você sirva, Ele removerá você de diante dos Seus olhos e da casa de Deus. Não é que você não quer servir? Você não está sempre desejando fazer o mal? Você não é sempre infiel? Bem, há uma solução fácil: você será privado de sua elegibilidade para servir. Para Deus, privar um servidor de sua elegibilidade para servir significa que o fim desse servidor foi proclamado e ele não será mais elegível para servir a Deus, Deus não precisará mais do seu serviço e, não importando que coisas boas eles dizem, essas palavras serão em vão. Quando as coisas chegarem a esse ponto, essa situação se tornará irremediável; servidores como esses não terão como voltar atrás. E como Deus lida com servidores como esses? Ele simplesmente os impede de servir? Não. Ele apenas impede que eles permaneçam? Ou Ele os coloca de lado e espera que eles se virem? Ele não faz isso. Deus não é tão amoroso com os servidores, verdadeiramente. Se uma pessoa tem esse tipo de atitude em seu serviço a Deus, Deus irá, como resultado dessa atitude, privá-la de sua elegibilidade para servir e mais uma vez a lançará de volta para o meio dos incrédulos. E qual é o destino de um servidor que foi lançado de volta para o meio dos incrédulos? É o mesmo que o dos incrédulos: será reencarnado como um animal e receberá a punição dos incrédulos no mundo espiritual. E Deus não terá interesse pessoal em sua punição, pois eles não têm mais qualquer relevância para a obra de Deus. Esse não é apenas o fim da sua vida de fé em Deus, mas também o fim do seu próprio destino, a proclamação do seu destino. Portanto, se os servidores servirem mal, eles mesmos terão que aguentar as consequências. Se um servidor é incapaz de servir até o fim ou é privado de sua elegibilidade para servir no meio do caminho, então ele será lançado para o meio dos incrédulos — e se for lançado para o meio dos incrédulos, será tratado da mesma maneira, como rebanho, da mesma forma que as pessoas sem intelecto ou racionalidade. Quando Eu o coloco dessa forma, você entende, sim?

É assim que Deus maneja o ciclo de vida e morte do Seu povo eleito e dos servidores. Como vocês se sentem depois de ouvir isso? Alguma vez Eu falei do tópico sobre o qual acabei de falar, sobre o tópico do povo escolhido de Deus e dos servidores? Eu realmente falei, mas vocês não se lembram. Deus é justo em relação ao Seu povo eleito e aos servidores. Em todos os aspectos, Ele é justo, sim? Existe algum lugar onde você possa encontrar falhas? Há pessoas que dirão: “Por que Deus é tão tolerante com os eleitos? E por que Ele é apenas um pouquinho tolerante com os servidores?”. Alguém quer defender os servidores? “Deus pode dar mais tempo aos servidores e ser mais paciente e tolerante com eles?” Essas palavras estão certas? (Não, elas não estão.) E por que elas não estão certas? (Porque, na verdade, já fomos favorecidos apenas por termos sido feitos servidores.) Os servidores realmente foram favorecidos apenas por terem permissão para servir! Sem o termo “servidores” e sem o trabalho dos servidores, onde esses servidores estariam? Entre os incrédulos, vivendo e morrendo com o rebanho. De que grandes graças eles gozam hoje, tendo permissão para comparecer diante de Deus e chegar à casa de Deus! Essa é uma tremenda graça! Se Deus não tivesse dado a você a oportunidade de servir, você nunca teria a chance de comparecer diante de Deus. Para dizer o mínimo, mesmo que você seja um budista e alcançou a fruição, no máximo você é um serviçal no mundo espiritual; você nunca se encontrará com Deus, nem ouvirá a Sua voz, nem ouvirá as Suas palavras, nem sentirá o Seu amor por você nem Suas bênçãos para você e você nunca poderá ficar face a face com Ele. A única coisa diante dos budistas consiste de tarefas simples. Eles não podem conhecer a Deus, mas devem apenas obedecer cegamente, enquanto os servidores ganham muito durante este estágio da obra! Em primeiro lugar, eles podem ficar face a face com Deus, ouvir Sua voz, ouvir Suas palavras e experimentar as graças e bênçãos que Ele concede às pessoas. Além disso, eles são capazes de apreciar as palavras e as verdades dadas por Deus. Eles realmente ganham muito! Muito! Então, se você, como servidor, não conseguir fazer o esforço certo, Deus ainda manteria você? Ele não pode manter você. Ele não pede muito de você, mas você não faz apropriadamente nada do que Ele pede, você não cumpriu seu dever — e assim, sem dúvida, Deus não pode manter você. Esse é o caráter justo de Deus. Deus não mima, mas também não discrimina você. Esses são os princípios pelos quais Deus age. Deus age assim com todas as pessoas e criaturas.

Extraído de “A Palavra manifesta em carne

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado