Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Declarações de Deus Todo-Poderoso (O caminho para conhecer a Deus)

Declarações de Deus Todo-Poderoso
Declarações de Deus Todo-Poderoso (O caminho para conhecer a Deus)

Categorias

Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)
Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)

Deus é a fonte de vida para todas as coisas (I) (Parte 4)

Qual é o propósito do nosso estudo sobre essas coisas? É para que as pessoas possam pesquisar as regras por trás da criação de Deus do universo? É para que as pessoas fiquem interessadas em astronomia e geografia? (Não.) Então qual é? É para que entendam os feitos de Deus. Nas ações de Deus, as pessoas podem confirmar e verificar que Ele é a fonte de vida para todas as coisas. Se for capaz de entender esse ponto, então você será verdadeiramente capaz de confirmar o lugar de Deus em seu coração e será capaz de confirmar que Deus é o Próprio Deus único, o Criador dos céus e da terra e de todas as coisas. Então, conhecer as regras de todas as coisas e conhecer os feitos de Deus é proveitoso para o seu entendimento de Deus? (Sim.) Quão proveitoso é? Primeiramente, quando entende esses feitos de Deus, você ainda estaria interessado em astronomia e geografia? Você ainda teria o coração de um cético e duvidaria de que Deus é o Criador de todas as coisas? Você ainda teria o coração de um pesquisador e duvidaria de que Deus é o Criador de todas as coisas? (Não.) Quando você confirmar que Deus é o Criador do universo e, além disso, chegar a conhecer as regras por trás de Sua criação, você em seu coração acreditará verdadeiramente que Deus provê ao universo? (Sim.) “Provê” está apenas sendo dito para qualquer tipo de significado ou está sendo dito em uma circunstância especial? Que Deus proveja ao universo tem um significado e uma aplicação bastante amplos. Deus não só provê as pessoas de suas necessidades diárias de comida e bebida, Ele provê a humanidade de tudo que ela precisa, incluindo tudo que as pessoas veem e as coisas que não podem ser vistas. Deus sustenta, gerencia e governa o ambiente de vida de que a humanidade precisa. Qualquer que seja o ambiente de que a humanidade precise em qualquer estação do ano, Deus o preparou. Qualquer atmosfera ou temperatura que seja adequada à existência humana também está sob o controle de Deus e nenhuma dessas regras ocorre por si só nem ao acaso; elas são o resultado do governo de Deus e de Seus feitos. O Próprio Deus é a fonte de todas essas regras e é a fonte de vida para todas as coisas. Esse é um fato estabelecido e incontestável, quer você acredite nele ou não, quer o veja ou não, quer possa entendê-lo ou não.

Sei que a grande maioria das pessoas só acredita no que Deus disse e fez na Bíblia, e que Deus revelou Seus feitos a uma pequena minoria para que as pessoas pudessem ver o valor de Sua existência, compreender Seu status e saber que Ele existe de verdade. No entanto, para muitas outras pessoas o fato de que Deus criou o universo e que Ele gerencia todas as coisas e as provê parece vago ou ambíguo e elas até mantêm uma atitude de dúvida. Esse tipo de atitude faz com que as pessoas acreditem de maneira consistente que as leis do mundo natural se formaram por si mesmas, que as mudanças, as transformações e os fenômenos do mundo natural e as próprias leis que governam a natureza surgiram por iniciativa própria. O que isso significa é que em sua mente as pessoas não conseguem imaginar como Deus criou e governa todas as coisas, elas não conseguem entender como Deus gerencia todas as coisas e as provê. Por causa das limitações dessa premissa, as pessoas não acreditam na criação e no domínio de Deus sobre todas as coisas e não acreditam que Ele é o Provedor; e até os crentes estão simplesmente confinados à Era da Lei, à Era da Graça e à Era do Reino, ou seja, os feitos de Deus bem como Sua provisão para a humanidade são de alguma forma limitados a Seu povo escolhido apenas. Isso é algo que de fato detesto ver e causa muita dor, porque a humanidade desfruta de tudo que Deus traz, mas ao mesmo tempo nega tudo que Ele faz e tudo que lhe dá. As pessoas só acreditam que os céus e a terra e todas as coisas são governados pelas próprias regras naturais, pelas próprias leis naturais e que estão sem um governante para controlá-los ou um governante para lhes prover e mantê-los. Mesmo se acreditar em Deus, você pode não acreditar que todas essas são Suas ações; essa é uma das áreas mais negligenciadas por todo e qualquer crente em Deus, por todos que aceitam a palavra de Deus e por todos que seguem a Deus. Assim, tão logo começo a debater algo que não se conecte com a Bíblia ou com a chamada terminologia espiritual, algumas pessoas ficam entediadas, cansadas ou até desconfortáveis. Parece que isso se tornou alheio às pessoas espirituais e às coisas espirituais. Isso é ruim. Quando se trata de conhecer os feitos de Deus, embora não mencionemos astronomia, geografia ou biologia, sabemos do senhorio de Deus sobre todas as coisas, sabemos de Sua provisão a todas as coisas e que Ele é a fonte de todas as coisas. Essa é uma tarefa crítica e que precisa ser estudada, entende?

Nas duas histórias que acabei de contar, embora pudessem ter algum conteúdo incomum e possam ter sido contadas e expressadas a vocês de um jeito único, procurei, contudo, usar uma linguagem direta e um método simples para que vocês pudessem compreender e aceitar algo mais profundo. Esse foi o Meu único objetivo. Eu queria que vocês, a partir dessas pequenas histórias e cenas, vissem e acreditassem que Deus é o Governante de todas as coisas. O objetivo de contar essas histórias é lhes permitir ver e conhecer os feitos infinitos de Deus dentro dos limites finitos de uma história. Quanto a quando vocês vão alcançar plenamente esse resultado em vocês, depende de suas experiências e de sua busca individual. Se você buscar a verdade e se buscar conhecer a Deus, essas coisas lhe servirão como um lembrete firme e forte; elas vão permitir que você tenha uma percepção mais profunda, uma clareza em seu entendimento, e aos poucos você vai se aproximar dos feitos reais de Deus, uma proximidade que será sem distância e sem erro. No entanto, se você não busca conhecer a Deus, então aquelas histórias que ouviram não lhes podem causar nenhum dano. Vocês podem simplesmente considerá-las histórias reais.

Vocês entenderam algo dessas duas histórias? Vão em frente e falem. (A partir de Deus nos contando essas duas histórias, podemos sentir de verdade que Ele é o Governante, o Criador e o Gestor de todas as coisas. Vemos as ações de Deus, Sua onipotência e Sua sabedoria, e a partir disso sentimos ainda mais profundamente o imenso amor que Deus tem para com a humanidade. Tudo que faz, Deus faz pela humanidade.) Bem, em primeiro lugar, essas duas histórias estão separadas da nossa discussão anterior sobre a preocupação de Deus para com a humanidade? Existe uma conexão inevitável? (Sim.) Qual é a conexão? É que no bojo dessas histórias vemos os feitos de Deus e como Ele planeja e lida com tudo para a humanidade? É que tudo que Deus faz e todos os Seus pensamentos são direcionados à existência da humanidade? (Sim.) O pensamento e a consideração diligentes de Deus para com a humanidade não são muito evidentes? A humanidade não precisa fazer nada. Deus preparou para as pessoas o próprio ar que elas respiram. As hortaliças e as frutas que elas comem estão disponíveis de imediato. De norte a sul, de leste a oeste, cada região tem os próprios recursos naturais e diferentes cultivos, e as frutas e as hortaliças foram preparadas por Deus. Falando do ambiente mais amplo, Deus criou todas as coisas interconectadas, mutuamente entrelaçadas e interdependentes. Ele usou esse método e essas regras para manter a sobrevivência e a existência de todas as coisas e dessa forma a humanidade viveu tranquila e pacificamente, cresceu e se multiplicou de uma geração para a seguinte nesse ambiente de vida até os dias atuais. Ou seja, Deus equilibra o ambiente natural. Se a soberania e o controle de Deus não estivessem em ordem, nenhum homem poderia manter e equilibrar o ambiente, mesmo se fosse criado por Deus em primeiro lugar. Se o homem fosse criar uma semente de plástico e a plantasse no solo, em algum momento ela brotaria? Se o homem criasse uma árvore de plástico e a colocasse no chão, em algumas centenas de anos ela nunca produziria uma folha, certo? Em alguns lugares não há ar, por isso as pessoas não podem viver lá e não deveriam ultrapassar os limites, isso é para a proteção da humanidade e essas coisas são muito misteriosas. Cada canto do ambiente, a longitude e a amplitude da terra e cada ser vivo da terra – tanto os vivos quanto os mortos – foram preparados por Deus e Ele refletiu sobre eles: por que essa coisa é necessária? Por que aquela é desnecessária? Qual é o propósito de ter essa coisa aqui e por que aquela deveria ir para lá? Deus já tinha considerado todas essas coisas muito bem e não há necessidade de as pessoas pensarem nelas. Existem alguns tolos que estão sempre pensando em mover montanhas, mas em vez de fazer isso, por que não mudar para as planícies? Se você não gosta de montanhas, por que iria morar perto delas? Não é tolice? O que acontece se você mover aquela montanha? Um furacão vai soprar de lado a lado ou uma onda enorme vai alagar tudo e o lar das pessoas será destruído. Não seria uma coisa tola de se fazer? Certo? As pessoas só conseguem destruir. Elas não conseguem nem manter o único lugar que têm para viver e mesmo assim querem prover a todas as coisas. Isso é impossível.

Deus permite que o homem gerencie todas as coisas e tenha domínio sobre elas, mas o homem faz um bom trabalho? (Não.) Como o homem faz um trabalho ruim? A humanidade tende à destruição; a humanidade não é só incapaz de preservar as coisas como Deus as criou, ele de fato as tem destruído. A humanidade reduziu as montanhas a entulho, sufocou os mares com terra e transformou as planícies em desertos onde ninguém consegue viver. Mas lá no deserto o homem criou a indústria e construiu bases nucleares e a destruição prevalece em todas as direções. Os rios não são mais rios, o mar não é mais o mar. (...) Quando a humanidade perturba o equilíbrio e as regras da natureza, seu dia de desastre e morte não está longe e é inevitável. Quando o desastre chegar, as pessoas saberão o quão preciosa a criação de Deus é e o quão importante toda ela é para a humanidade. O homem viver em um ambiente com um clima agradável é como estar no paraíso. As pessoas não percebem essa bênção, mas no momento em que perderem tudo elas verão o quanto tudo isso é raro e precioso. Como alguém conseguiria tudo isso de volta? O que as pessoas poderiam fazer se Deus não estivesse disposto a criá-lo novamente? O que vocês poderiam fazer? (Não poderíamos fazer nada.) Na verdade, há algo que vocês podem fazer que é muito simples e quando Eu lhes disser o que é vocês vão saber de imediato que é viável. Por que o homem se encontrou nessa situação ambiental difícil hoje? É por causa da ganância e da destruição humana? Se o homem parar essa destruição, o ambiente de vida não vai aos poucos se endireitar? Se Deus não faz nada, se Deus não deseja mais fazer nada pela humanidade – ou seja, Ele não quer intervir – o melhor método seria a humanidade interromper essa destruição e voltar as coisas como elas eram. Pôr um fim a toda essa destruição significa interromper a pilhagem e a devastação das coisas que Deus criou. Isso permitirá que o ambiente onde o homem vive melhore aos poucos. Não fazer isso resultará em mais destruição do ambiente e só se tornará mais grave. Meu método é simples? (Sim, é.) É simples e viável, certo? Simples, de fato, e é viável para algumas pessoas, mas é viável para a grande maioria das pessoas na terra? (Não é.) Para vocês, pelo menos, é viável? (Sim.) De onde procede o “sim” de vocês? Alguém poderia dizer que ele envolve estabelecer uma base de entendimento sobre os feitos de Deus? Alguém poderia dizer que ele envolve agir de acordo com a regra e o plano de Deus? (Sim.) Existe um modo de mudar tudo isso, mas esse não é o tema que estamos discutindo agora. Deus é responsável por toda e qualquer vida humana e é responsável até o fim. Deus provê a você, mesmo se você tiver ficado doente pelo ambiente destruído por Satanás, ou afetado pela poluição ou sofrido qualquer outro dano, isso não importa; Deus provê a você e Ele deixará você continuar a viver. Vocês têm fé nisso? (Sim.) Deus não aceita a perda da vida humana levianamente.

Vocês chegaram a sentir a importância de reconhecer Deus como a fonte de vida para todas as coisas? (Sim, chegamos.) Que sentimentos vocês têm? Prossigam, Eu vou ouvir. (No passado, nunca tínhamos pensado em relacionar as montanhas, o mar e os lagos com as ações de Deus. Hoje, pela comunicação de Deus, entendemos agora que essas sempre foram ações de Deus e que surgiram de Sua sabedoria, e assim vemos que a criação de Deus de todas as coisas foi predestinada desde o início e todas contêm a boa vontade de Deus. Todas as coisas estão interconectadas e a humanidade é a beneficiária final. O que ouvimos hoje parece muito novo e original, e sentimos como as ações de Deus são reais. Na realidade e em nossa vida diária vemos verdadeiramente as coisas como elas são quando entramos em contato com as coisas vivas.) Vocês veem isso verdadeiramente, certo? A provisão de Deus para a humanidade não se dá sem uma base sólida, Ele não declara só algumas palavras e pronto. Deus faz muito, até coisas que você não vê que Ele faz para seu benefício. O homem vive neste ambiente, neste universo que Deus criou, e nele as pessoas e as outras coisas são interdependentes, como, por exemplo, o gás expelido pelas plantas que purifica o ar e beneficia as pessoas que o respiram. No entanto, algumas plantas são venenosas para as pessoas, mas não há outras plantas que são antídotos para elas? Essa é uma das maravilhas da criação de Deus! Não debatemos esse assunto hoje, mas discutimos basicamente a interdependência do homem e das outras coisas, como o homem não pode viver sem as outras coisas. Qual é a importância da criação de Deus de todas as coisas? O homem não pode viver sem as outras coisas, como, por exemplo, o homem precisa do ar para viver e, se fosse colocado num vácuo, você logo morreria. Esse é um princípio muito básico para permitir que você veja que o homem precisa das outras coisas. Então, que tipo de atitude o homem deveria ter em relação a todas as coisas? (Estimá-las.) Estimá-las, protegê-las, fazer um uso eficiente delas, não as destruir, não as desperdiçar e não as mudar por um capricho, pois todas as coisas provêm de Deus e são providas à humanidade e a humanidade precisa tratá-las conscienciosamente. Hoje, discutimos esses dois temas e vocês podem ir embora e pensar bem neles. Da próxima vez, discutiremos algumas coisas com mais detalhes. Nossa comunicação terminará por aqui hoje. Até logo! (Até logo!)

18 de janeiro de 2014

0Busca por x resultados