282 Imite a experiência de Pedro

I

O refinamento que Pedro teve

foi por causa das coisas que fez.

Achava que devia a Deus,

que nunca O compensaria.

Ele via a corrupção dos homens

e tinha a consciência pesada.

Jesus disse muitas coisas a ele,

mas muito pouco ele entendeu.

Às vezes ele se rebelava.

Até que Jesus foi crucificado,

e então Pedro sentiu culpa.

Por fim, ele não permitiria mais pensamentos errados.

Após passar pela obra de Deus,

ganhou discernimento,

entendeu os princípios do serviço

e honrou o que Jesus lhe atribuiu.

O motivo de ele ser exemplo foi por ter sofrido mais,

o que ele passou deu certo.

Então se vocês caminharem assim,

nenhuma criatura poderá tirar suas bênçãos,

nenhuma criatura poderá tirar suas bênçãos.

II

Pedro conhecia bem sua situação

e tinha total consciência

da santidade do Senhor.

E por todo o seu conhecimento,

se encheu de amor pelo Senhor

e focou mais em sua vida.

Por conta disso, Pedro sofreu.

Parecia tão doente às vezes,

quase à beira da morte.

Por tantas vezes ser refinado,

ele se entendia muito mais,

tendo amor real pelo Senhor.

Sua vida foi refinada

e em castigo foi vivida.

Sua experiência foi diferente,

com mais amor que os não-aperfeiçoados.

O motivo de ele ser exemplo foi por ter sofrido mais,

o que ele passou deu certo.

Então se vocês caminharem assim,

nenhuma criatura poderá tirar suas bênçãos,

nenhuma criatura poderá tirar suas bênçãos.


Adaptado de ‘Como você deve trilhar o último trecho da senda’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: 281 A vida mais significativa

Próximo: 283 Deixe que Deus entre no seu coração

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

5. As diferenças essenciais entre o Deus encarnado e aqueles que são usados por Deus

O Deus encarnado é chamado de Cristo e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus. Seja Sua humanidade ou divindade, ambas se submetem à vontade do Pai celestial. A substância de Cristo é o Espírito, isto é, a divindade. Portanto, Sua substância é a do Próprio Deus, essa substância não interromperá Sua própria obra e Ele não poderia fazer qualquer coisa que destrua Sua própria obra, nem jamais pronunciaria palavras que fossem contra Sua própria vontade.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro