891 A autoridade e a identidade do Criador coexistem

I

Não importa se elas estavam na água ou nos céus

pelo comando do Criador,

as muitas coisas viviam de modo diferente.

E por Seu comando, elas se agrupariam

de acordo com sua espécie ou tipo.

Essa regra as criaturas jamais poderiam alterar.

II

Elas jamais foram além dos limites do Criador

e nem eram capazes.

Por Suas ordens, cresceram,

viveram e se multiplicaram,

seguiram o curso e a lei de Deus,

seguindo todos os Seus comandos,

decretos e preceitos que até hoje valem.

Como Sua autoridade, a ímpar identidade

do Criador permanecerá inalterada por toda a eternidade.

Sua autoridade sempre representará Sua identidade.

E Sua autoridade eternamente

coexistirá com Sua identidade.

III

A autoridade do Criador se manifesta por

não só fazer as coisas existirem,

mas pela habilidade de governá-las,

dando-lhes vitalidade,

fazendo-as existir em perfeita forma e função.

Isso se manifesta em Seus pensamentos sem limite nenhum.

Como Sua autoridade, a ímpar identidade

do Criador permanecerá inalterada por toda a eternidade.

Sua autoridade sempre representará Sua identidade.

E Sua autoridade eternamente

coexistirá com Sua identidade.

Como Sua autoridade, a ímpar identidade

do Criador permanecerá inalterada por toda a eternidade.

Sua autoridade sempre representará Sua identidade.

E Sua autoridade eternamente

coexistirá com Sua identidade.


Adaptado de ‘O Próprio Deus, o Único I’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: 890 O poder e a autoridade do Criador são ilimitados

Próximo: 892 Satanás jamais pode ultrapassar a autoridade de Deus

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

1. A mensagem difundida pelo Senhor Jesus na Era da Graça era meramente o caminho do arrependimento

Na época, a obra de Jesus foi a redenção de toda a humanidade. Os pecados de todos que acreditavam Nele foram perdoados; contanto que você acreditasse Nele, Ele o redimiria; se você acreditasse Nele, não era mais pecador e estava aliviado de seus pecados. É isso que significava ser salvo e ser justificado pela fé. No entanto, naqueles que acreditavam ainda restava o que era rebelde e se opunha a Deus e o que ainda precisava ser removido lentamente. A salvação não significava que o homem havia sido completamente ganho por Jesus, mas sim que o homem não era mais do pecado, que ele havia sido perdoado de seus pecados: se você acreditasse, nunca mais seria do pecado.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro