216 Ó Deus, não posso Te deixar

Sem a palavra de Deus para me guiar, fico sem âncora, como uma planta à deriva na água.

Sem Deus comigo, sinto dor e vazio.

Por meio de autorreflexão, vejo que acreditei em Deus por anos, mas nunca busquei a verdade.

Tendo em mente apenas minhas perspectivas futuras e meu destino,

eu trabalhava e labutava só para receber bênçãos, nunca realmente amando a Deus,

sou detestado e odiado por Deus.

Caí em escuridão e extremo sofrimento.

Meus apelos não podem chamar a presença de Deus de volta para mim.

Sem um coração temente a Deus, não mereço viver diante de Deus.

Conto as bondades de Deus, reflito sobre mim e me sinto tão em dívida com Deus.


Pelo julgamento, vejo claramente a verdade da minha corrupção.

Arrogante, hipócrita, desonesto e enganador, até fiz um trato com Deus.

Até pensei que, por renunciar e me despender, receberia Suas bênçãos.

Por me apegar às minhas noções, nasceu uma tragédia.

Após sofrer muito refinamento, entendi que o caráter justo de Deus não tolera ofensa.

Meu coração O reverencia, eu me detesto e me arrependo de verdade.

Vejo que o julgamento de Deus é todo amor e salvação.

Resolvo praticar a verdade e cumprir meu dever de retribuir a Deus.

Procuro ser uma pessoa honesta, amando a Deus e Lhe trazendo conforto.

Anterior: 215 Louvor a Deus dos descendentes de Moabe

Próximo: 217 Estou tão arrependido

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro