Palavras diárias de Deus | "O que significa ser uma pessoa de verdade" | Trecho 348

Gerenciar o homem é a Minha tarefa, e tê-lo conquistado por Mim é algo que foi ainda mais determinado quando Eu criei o mundo. As pessoas podem não saber que Eu as conquistarei completamente nos últimos dias e também não estar cientes de que a prova da Minha vitória sobre Satanás é conquistar os rebeldes dentre a humanidade. Mas, quando o Meu inimigo entrou em batalha contra Mim, Eu já havia dito que Me tornaria o conquistador daqueles que Satanás levara cativos e criara como seus filhos e servos leais para proteger sua casa. O significado original de conquistar é derrotar, submeter à humilhação. Dito na linguagem dos israelitas, é derrotar completamente, destruir e tornar incapaz de qualquer resistência contra Mim. Hoje, porém, como usado dentre vocês, seu significado é conquistar. Vocês devem saber que o Meu intento é extinguir e aniquilar totalmente o maligno da humanidade, para que não possa mais se rebelar contra Mim, muito menos ter fôlego para interromper ou perturbar a Minha obra. Assim, no que diz respeito ao homem, passou a significar conquista. Quaisquer que sejam as conotações do termo, a Minha obra é derrotar a humanidade. Pois, embora seja verdade que a humanidade é um auxiliar da Minha gestão, para colocar mais precisamente, ela não é senão o Meu inimigo. A humanidade é o maligno que se opõe e desobedece a Mim. A humanidade não é senão a prole do maligno amaldiçoada por Mim. A humanidade não é senão a descendência do arcanjo que Me traiu. A humanidade não é senão a herança do diabo que, detestado e rejeitado por Mim há muito tempo, tem sido Meu inimigo irreconciliável desde então. Acima da raça humana, o céu se obscurece, nebuloso e sombrio, sem sequer um reflexo de claridade, e o mundo humano fica mergulhado em uma escuridão tenebrosa, de forma que quem vive nele não consegue enxergar a própria mão estendida diante do rosto nem o sol quando ergue a cabeça. O caminho sob seus pés, enlameado e cheio de buracos, serpenteia tortuosamente; toda a terra está coberta por corpos. As esquinas escuras estão repletas dos restos dos mortos, e nas esquinas frias e sombrias as multidões de demônios foram morar. Por toda parte, no mundo dos homens, os demônios vêm e vão em hordas. A prole de todos os tipos de bestas, coberta de imundície, está presa em batalha intensa, cujo som espalha terror no coração. Nessas ocasiões, em tal mundo, em tal “paraíso terrestre”, onde alguém pode buscar as alegrias da vida? Onde alguém iria encontrar o destino da sua vida? A humanidade, esmagada sob os pés de Satanás há muito tempo tem sido desde o começo um ator que assume a imagem de Satanás — mais do que isso, a personificação de Satanás, servindo alto e claro como uma evidência que testemunha Satanás. Como pode tal raça humana, uma escória degenerada, uma descendência tal dessa família humana corrupta dar testemunho de Deus? De onde vem a Minha glória? Onde alguém pode começar a falar do Meu testemunho? Pois o inimigo que, tendo corrompido a humanidade, se ergue contra Mim, já tomou a humanidade — a humanidade que Eu criei há muito tempo e que estava repleta da Minha glória e do Meu viver — e a maculou. Arrebatou a Minha glória, e tudo de que o homem está imbuído é um veneno fortemente entretecido com a feiura de Satanás, o sumo do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. No início, Eu criei a humanidade, isto é, criei o progenitor da humanidade, Adão. Ele foi dotado de forma e imagem, repleto de vigor, repleto de vitalidade e, além disso, na companhia da Minha glória. Esse foi o dia glorioso em que Eu criei o homem. Depois, Eva foi produzida a partir do corpo de Adão, e ela também foi a progenitora do homem, e assim as pessoas que Eu criei foram preenchidas com o Meu sopro e cheias da Minha glória. Adão originalmente nasceu da Minha mão e era a representação da Minha imagem. Assim, o significado original de “Adão” era um ser criado por Mim, imbuído da Minha energia vital, imbuído da Minha glória, com forma e imagem, espírito e vida. Ele foi o único ser criado, apoderado de um espírito, que era capaz de Me representar, de sustentar a Minha imagem e de receber o Meu sopro. No início, Eva foi a segunda pessoa dotada de vida cuja criação Eu tinha ordenado, e assim o significado original de “Eva” era um ser criado que continuaria a Minha glória, preenchida com a Minha vitalidade e além disso dotada da Minha glória. Eva saiu de Adão, e assim ela também sustentava a Minha imagem, pois foi a segunda pessoa a ser criada à Minha imagem. O significado original de “Eva” era um ser com vida, com espírito, carne e osso, o Meu segundo testemunho e também a Minha segunda imagem dentre a humanidade. Eles foram os antepassados da humanidade, o tesouro santo e precioso do homem e, desde o começo, seres vivos dotados de espírito. No entanto, o maligno tomou a descendência dos ancestrais da humanidade, esmagou-a com os pés e a levou para o cativeiro, mergulhando o mundo humano em completa escuridão, fazendo com que tal descendência não acredite mais na Minha existência. Ainda mais abominável é que, mesmo quando corrompe as pessoas e as pisoteia, o maligno está arrancando cruelmente a Minha glória, o Meu testemunho, a vitalidade que concedi a elas, o fôlego e a vida que soprei nelas, toda a Minha glória no mundo humano, todo o sangue do coração que despendi sobre a humanidade. Os humanos não estão mais na luz e perderam tudo que lhes entreguei, descartando a glória que concedi. Como podem reconhecer que Eu sou o Senhor de todos os seres criados? Como podem continuar acreditando na Minha existência no céu? Como podem descobrir as manifestações da Minha glória na terra? Como esses netos e netas podem aceitar o Deus que seus ancestrais reverenciaram como o Senhor que os criou? Esses netos e netas deploráveis “presentearam” generosamente o maligno com a glória, a imagem, bem como com o testemunho que Eu concedi a Adão e Eva, e também com a vida que concedi à humanidade e da qual eles dependem para existir, e, sem se importar minimamente com a presença do maligno, deram toda a Minha glória a ele. Pois não é essa a origem da denominação de “escória”? Como é que tal humanidade, tais demônios malignos, tais cadáveres ambulantes, tais imagens de Satanás, tais inimigos Meus podem ser dotados da Minha glória? Vou retomar a Minha glória, retomar o Meu testemunho que existe dentre os homens e tudo que já Me pertenceu e que entreguei à humanidade tempos atrás — vou conquistar completamente a humanidade. No entanto, você deve saber que os seres humanos que criei eram homens santos que carregavam a Minha imagem e a Minha glória. Eles não pertenciam a Satanás, nem estavam sujeitos a suas pisadas, mas eram genuinamente uma manifestação Minha, livres do mais sutil vestígio do veneno de Satanás. E assim, deixo a humanidade saber que quero apenas o que foi criado pela Minha mão, os santos que Eu amo e que não pertencem a nenhuma outra entidade. Além disso, vou Me agradar deles e considerá-los Minha glória. Mas o que Eu quero não é a humanidade que foi corrompida por Satanás e que hoje pertence a ele, pois essa não é mais a Minha criação original. Como pretendo retomar a Minha glória que subsiste no mundo humano, vou alcançar uma conquista completa sobre os demais sobreviventes dentre a humanidade, como prova da Minha glória, ao derrotar Satanás. Levo apenas o Meu testemunho como uma cristalização da Minha pessoa, como o objeto da Minha alegria. Essa é a Minha vontade.

Extraído de “A Palavra manifesta em carne

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado