Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Declarações de Deus Todo-Poderoso (O caminho para conhecer a Deus)

Declarações de Deus Todo-Poderoso
Declarações de Deus Todo-Poderoso (O caminho para conhecer a Deus)

Categorias

Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)
Declarações de Cristo dos Últimos Dias (Seleções)

A santidade de Deus (I) (Parte 1)

Tivemos hoje uma comunicação adicional sobre a autoridade de Deus e, neste momento, não falaremos da justiça de Deus. Hoje, vamos falar de um tópico inteiramente novo: a santidade de Deus. A santidade de Deus é ainda um outro aspecto da essência única de Deus, então há uma grande necessidade de comunicar esse tópico aqui. Esse aspecto da essência de Deus que comunicarei, com os dois aspectos que comunicamos – o caráter justo de Deus e Sua autoridade – são todos eles únicos? (Sim.) A santidade de Deus também é única, assim, a base dessa singularidade, a raiz dessa singularidade é o tema de nossa comunhão hoje. Vocês entendem? Repitam Comigo: a essência única de Deus, a santidade de Deus. (A essência única de Deus, a santidade de Deus). Como vocês se sentem em seu coração depois de repetirem essa frase? Talvez alguns de vocês tenham dúvidas e perguntem: “Por que comunicar sobre a santidade de Deus?”. Não se preocupem, explicarei tudo para vocês lentamente. Assim que o ouvirem, saberão por que é tão necessário que Eu comunique esse tópico.

Primeiro, vamos definir o termo “santo”. Usando sua percepção e com base em todo o conhecimento que aprenderam, o que vocês entendem que é a definição de “santo”? Definam-no para Mim. (“Santo” significa sem mancha, sem nenhuma das falhas ou da corrupção da humanidade. Tudo que ele irradia – em pensamento, palavra ou ação, tudo que ele faz – é completamente positivo.) Muito bom. (“Santo” é divino, imaculado, inofendível pelo homem. É único, é o símbolo característico de Deus.) (“Santo” é imaculado e é um aspecto do caráter divino inofendível.) Essa é a definição de vocês. No coração de cada pessoa, essa palavra “santo” tem um escopo, uma definição e uma interpretação. E, no mínimo, quando vocês veem a palavra “santo”, a mente de vocês não está vazia. Vocês têm um certo escopo definido para essa palavra, e a definição de algumas pessoas para ela se aproxima de usá-la para definir a essência do caráter de Deus. Isso é muito bom. A maioria acredita que a palavra “santo” é positiva, e isso pode ser afirmado. Mas a santidade de Deus que Eu quero comunicar hoje não será meramente definida, nem meramente explicada. Em vez disso, usarei alguns fatos para verificação que permitirão a você ver por que Eu digo que Deus é santo e por que Eu uso a palavra “santo” para descrever a essência de Deus. Quando nossa comunicação tiver terminado, você sentirá que o uso da palavra “santo” para definir a essência de Deus e o uso dessa palavra para se referir a Deus são ambos merecidos e sumamente apropriados. No mínimo, no que diz respeito às línguas atuais da humanidade, o uso dessa palavra para se referir a Deus é particularmente acertado; é a única palavra da língua humana mais adequada para se referir a Deus. Essa não é uma palavra vazia quando usada para se referir a Deus, assim como não é um elogio imotivado ou um cumprimento vazio. O propósito da nossa comunicação é permitir que cada pessoa reconheça a verdade desse aspecto da essência de Deus. Deus não teme o entendimento das pessoas, apenas seu entendimento equivocado. Deus deseja que cada pessoa conheça Sua essência e o que Ele tem e é. Assim, toda vez que mencionamos um aspecto da essência de Deus, podemos citar muitos fatos que permitem às pessoas ver que esse aspecto da essência de Deus realmente existe.

Agora que temos uma definição da palavra “santo”, vejamos alguns exemplos. Nas ideias que as pessoas têm, elas imaginam muitas coisas e pessoas “santas”. Por exemplo, meninos e meninas virgens são definidos como santos nos dicionários da humanidade? (Sim.) Eles são, de fato, santos? (Não.) Esse assim chamado “santo” e o “santo” que estamos comunicando hoje são a mesma coisa? (Não.) Considerando as pessoas na humanidade que têm elevada moral, fala refinada e culta, que nunca magoam ninguém, e que, quando falam, tornam os outros confortáveis e se sentindo bem, elas são santas? Os estudiosos de Confúcio ou os cavalheiros de alta moral, refinados em suas palavras e atos, são santos? Aqueles que frequentemente fazem o bem, são caridosos, prestam grande assistência aos outros, os que proporcionam grandes alegrias à vida das pessoas, esses são santos? (Não.) Os que não abrigam pensamentos interesseiros, que não fazem duras exigências a ninguém, que a todos toleram, esses são santos? Aqueles que nunca discutiram com ninguém nem nunca tiraram vantagem de ninguém, esses são santos? Assim, os que trabalham pelo bem dos outros, que os beneficiam e trazem edificação para os demais em todos os sentidos, esses são santos? Os que doam aos outros as economias de toda uma vida e levam uma existência frugal, que são rigorosos consigo mesmos e liberais com os outros, esses são santos? (Não.) Vocês se lembram de terem sido cuidados e atendidos de todas as maneiras possíveis por sua mãe; elas são santas? Os ídolos que lhes são caros, sejam pessoas famosas, estrelas ou grandes pessoas, esses são santos? (Não.) Vejamos agora os profetas na Bíblia que eram capazes de dizer o futuro que era desconhecido para muitos; esse tipo de pessoa era santo? As pessoas que foram capazes de registrar as palavras de Deus e os fatos de Sua obra na Bíblia eram santas? Moisés foi santo? Abraão foi santo? (Não.) E Jó? Ele foi santo? (Não.) Por que vocês dizem isso? Jó foi chamado de homem justo por Deus, então por que se diz que mesmo ele não é santo? Vocês sentem certa apreensão aqui, não é? As pessoas que temem a Deus e evitam o mal realmente não são santas? São ou não são? (Não.) A resposta de vocês é negativa. Então, em que se baseia sua resposta negativa? (Deus é único.) Essa é uma base bem fundamentada. Estou descobrindo que vocês têm uma grande habilidade para entender as coisas depressa e para usar o que aprenderam, e que todos vocês têm essa habilidade especial. Vocês estão um pouco apreensivos, não tão seguros, e não ousam dizer “não”, mas também não ousam dizer “sim”, então dizem “não” com alguma dificuldade. Deixem-Me fazer-lhes uma outra pergunta. Os mensageiros de Deus – os mensageiros que Deus envia para a terra – são santos? (Não.) Pensem nisso com cuidado. Deem sua resposta depois de terem pensado. Os anjos são santos? (Não.) A humanidade que não foi corrompida por Satanás é santa? (Não.) Todos vocês dizem “não” a cada pergunta. Baseados no quê? A própria frase que acabei de dizer não é a razão pela qual vocês dizem “não”? Vocês estão confusos, não é? Então, por que até mesmo os anjos não são considerados santos? Aqui vocês se sentem apreensivos, não é? Então vocês podem descobrir com base em que as pessoas, as coisas ou os seres não criados que mencionamos não são santos? Estou certo de que vocês não são capazes, não é? (Sim.) O fato de vocês dizerem “Não”, então, não é um tanto irresponsável? Vocês não estão respondendo de improviso? Algumas pessoas estão pensando: “Você pergunta de um tal jeito que certamente não deve ser”. Não respondam simplesmente de improviso. Pensem com cuidado se a resposta é “sim” ou “não”. Vocês saberão quando comunicarmos o tópico seguinte por que é “não”. Em breve, Eu lhes darei a resposta. Primeiro, leiamos uma parte das Escrituras.

A ordem de Deus Jeová para o homem

Gên 2:15–17 Tomou, pois, Deus Jeová o homem, e o pôs no jardim do Édem para o lavrar e guardar. Ordenou Deus Jeová ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

A sedução da mulher pela serpente

Gên 3:1–5 Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que Deus Jeová tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Disse a serpente à mulher: Não é certo que morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal.

Essas duas passagens são excertos de que livro da Bíblia? (Gênesis.) Todos vocês estão familiarizados com essas duas passagens? Isso é algo que aconteceu no princípio, quando a humanidade tinha acabado de ser criada; foi um evento real. Primeiro, vejamos que tipo de ordem Deus Jeová deu a Adão e Eva, já que o conteúdo dessa ordem é muito importante para o nosso tópico de hoje. “Ordenou Deus Jeová ao homem, dizendo…” Continue lendo a seguinte passagem. (“De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”) O que a ordem de Deus para o homem nessa passagem contém? Em primeiro lugar, Deus diz ao homem o que ele pode comer, a saber, os frutos de uma variedade de árvores. Não há perigo nem veneno, todos podem ser comidos, e comidos à vontade, sem hesitações. Essa é uma parte. A outra parte é uma advertência. Essa advertência indica ao homem a árvore cujo fruto ele não pode comer: ele não deve comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. O que acontecerá se ele comer? Deus disse ao homem: “Se você comê-lo, seguramente morrerá”. Essas são palavras diretas? (Sim.) Se Deus lhe dissesse isso, mas você não entendesse o por que, você trataria essas palavras como uma regra ou uma ordem a ser seguida? Deveria ser seguida, não é? Mas, quer o homem seja ou não capaz de segui-las, as palavras de Deus são inequívocas. Deus disse muito claramente ao homem o que ele pode comer e o que não pode, e o que acontecerá se ele comer o que não deveria. Você viu algum aspecto do caráter de Deus nessas breves palavras que Ele disse? Essas palavras de Deus são verdadeiras? Existe alguma trapaça? Existe alguma falsidade? (Não.) Existe algum elemento ameaçador? (Não.) Honesta, leal e sinceramente Deus disse ao homem o que ele pode comer e o que não pode, em termos claros e simples. Existe algum sentido oculto nessas palavras? Essas palavras são diretas? Há alguma necessidade de conjectura? (Não.) Não há necessidade de adivinhar, certo? O sentido delas é óbvio num olhar e você as entende assim que o vê. Está claro como cristal. Ou seja, o que Ele quer dizer e o que Ele quer expressar vêm de Seu coração. As coisas que Deus expressa são simples, diretas e claras. Não há motivos escusos nem significados ocultos. Ele falou diretamente ao homem, dizendo-lhe o que ele pode comer e o que não pode. Isso significa que, por meio dessas palavras de Deus, o homem pode ver que o coração de Deus é transparente, que o coração de Deus é verdadeiro. Não existe absolutamente nenhuma falsidade aqui, dizendo-lhe que você não pode comer o que é comestível ou dizendo-lhe: “Faça isso e você vai ver o que acontece” com coisas que você não pode comer. Ele quer dizer isso? (Não.) Não. Aquilo que Deus tem em Seu coração é o que Ele diz. Se Eu digo que Deus é santo porque Ele Se mostra e Se revela por meio dessas palavras dessa maneira, você talvez ache que estou exagerando por nada ou que forcei a Minha interpretação um pouco demais. Nesse caso, não se preocupe, ainda não terminamos.

Vamos falar da “Sedução da mulher pela serpente”. Quem é a serpente? (Satanás.) Satanás desempenha o papel do contraste no plano de gestão de Deus de seis mil anos. Esse é um papel que não podemos deixar de mencionar quando comunicamos a santidade de Deus. Por que digo isso? Se você não conhece o mal e a corrupção de Satanás ou a natureza de Satanás, você então não tem meios para reconhecê-lo, nem pode conhecer o que a santidade realmente é. Na confusão, as pessoas acreditam que aquilo que Satanás faz é o certo porque elas vivem dentro desse tipo de caráter corrupto. Sem o contraste, sem nada com que comparar, você então não pode saber o que a santidade é, de modo que esse tópico deve ser mencionado aqui. Não pegamos esse tópico do nada, mas, em vez disso, por meio de suas palavras e atos, nós veremos como Satanás age, como corrompe a humanidade, que espécie de natureza ele tem e como é a sua fisionomia. Assim, o que essa mulher disse à serpente? A mulher repetiu para a serpente o que Deus Jeová lhe havia dito. Segundo o que ela disse, ela confirmou a validade de tudo que Deus tinha dito a ela? Ela não podia confirmá-lo, podia? Sendo alguém recém-criado, ela não possuía a habilidade de discernir o bem e o mal, nem a habilidade de perceber nada à sua volta. A julgar pelas palavras que ela disse à serpente, ela não havia confirmado que as palavras de Deus lhe pareciam certas em seu coração; essa era sua atitude. Portanto, quando a serpente viu que a mulher não tinha uma atitude definida a respeito das palavras de Deus, ela disse: “Não é certo que morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”. Há alguma coisa errada com essas palavras? (Sim.) O que está errado? Quando terminaram de ler essa sentença, vocês perceberam a intenção da serpente? (Sim.) Que intenções a serpente tem? (Tentar o homem a pecar.) Ela quer tentar essa mulher para que pare de dar ouvidos às palavras de Deus, mas ela falou diretamente com a mulher? (Não.) A serpente não falou diretamente, por isso podemos dizer que ela é muito astuta. Ela expressa o seu propósito de maneira sorrateira e evasiva a fim de alcançar o objetivo pretendido que ela mantém oculto do homem dentro dela mesma – essa é a astúcia da serpente. Satanás sempre falou e agiu dessa maneira. Ela diz “não é certo” sem confirmar uma coisa ou a outra. Mas, ao ouvir isso, o coração dessa mulher ignorante se comoveu? (Sim.) A serpente ficou satisfeita, pois suas palavras tinham obtido o efeito desejado; essa era a astuciosa intenção da serpente. Além disso, ao prometer um resultado que o homem acreditava ser bom, ela seduziu a mulher dizendo: “no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão”. Assim, ela pensa: “É uma boa coisa que meus olhos se abram!”. Mas a serpente então pronuncia palavras que o homem crê serem ainda melhores, palavras desconhecidas para o homem, palavras que possuem um grande poder de tentação para quem as ouve: “e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”. Essas palavras não são fortemente sedutoras para o homem? É como alguém dizer a você: “Seu rosto tem um formato maravilhoso. Só um pouco curto na ponte do nariz, mas se você consertar isso se tornará uma beleza de padrão mundial!”. Para uma pessoa que nunca quis fazer uma cirurgia plástica, o coração dela seria tocado ao ouvir essas palavras? (Sim.) Então, essas palavras são sedutoras? Essa é uma sedução tentadora para você? É tentadora? (Sim.) Deus diz coisas desse tipo? Havia nas palavras de Deus algum indício disso que acabamos de ver? (Não.) Por quê? Deus fala o que pensa em Seu coração? O homem pode enxergar o que há no coração de Deus por meio de Suas palavras? (Sim.) Mas, quando a serpente falou aquelas palavras para a mulher, você conseguiu enxergar o que havia em seu coração? (Não.) E, por causa da ignorância do homem, eles foram facilmente seduzidos pelas palavras da serpente, foram facilmente fisgados, facilmente conduzidos. Você conseguiu então enxergar a intenção de Satanás? Você conseguiu enxergar o propósito por trás do que ele disse? Você conseguiu perceber a trama e o esquema astucioso dele? (Não.) Que espécie de caráter é representada pelo modo de falar de Satanás? Que espécie de essência você viu em Satanás através dessas palavras? É insidioso? Talvez, por fora, ele sorria para você ou não revele nenhuma expressão. Mas, no coração dele, ele está calculando como atingir seu objetivo, e é esse objetivo que você não consegue ver. Então, você é seduzido por todas as promessas que ele lhe faz, por todas as vantagens sobre as quais fala. Você acha que são boas e pensa que aquilo que ele diz é mais útil, mais substancial do que o que Deus diz. Quando isso acontece, o homem não se torna então um prisioneiro submisso? (Sim.) Assim, não é diabólico esse meio usado por Satanás? Você se permite afundar bastante. Sem que Satanás tenha de mover um dedo, com essas duas sentenças você se contenta em segui-lo e acatá-lo. O objetivo dele foi alcançado. Essa não é uma intenção sinistra? Essa não é a mais elementar fisionomia de Satanás? Com base nas palavras de Satanás, o homem pode ver seus motivos sinistros, sua hedionda fisionomia e sua essência. Não é assim? (Sim.) Comparando essas sentenças, sem análise, talvez você ache que as palavras de Deus Jeová são banais, ordinárias, comuns, que por elas não valha a pena fazer-se alarde quanto a louvar a honestidade de Deus. Contudo, quando tomamos as palavras de Satanás e sua hedionda fisionomia e as usamos como um contraste, essas palavras de Deus têm grande importância para as pessoas de hoje? (Sim.) Por meio desse contraste, o homem é capaz de perceber a pura perfeição de Deus. Estou certo quando digo isso? (Sim.) Toda palavra que Satanás pronuncia, assim como seus motivos, intenções e o modo como fala são todos adulterados. Qual é o aspecto principal de seu modo de falar? Ele usa equívocos para seduzir você sem deixar que você perceba, nem lhe permite discernir qual é seu objetivo; ele deixa que você morda a isca, levando-o a elogiá-lo e louvar seus méritos. Não é essa a constante tramoia de Satanás? (Sim.)

0Busca por x resultados