Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Declarações de Deus Todo-Poderoso (O caminho para conhecer a Deus)

Declarações de Deus Todo-Poderoso
Declarações de Deus Todo-Poderoso (O caminho para conhecer a Deus)

Categorias

Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)
Declarações de Cristo dos Últimos Dias (Seleções)

A autoridade de Deus (II) (Parte 2)

As seis conjunturas numa vida humana

No curso da vida, toda pessoa chega a uma série de conjunturas críticas. Elas são as etapas mais fundamentais e mais importantes que determinam o destino de uma pessoa na vida. Segue-se uma breve descrição desses marcos que toda pessoa deve passar no curso da sua vida.

Nascimento: A primeira conjuntura

O lugar onde uma pessoa nasce, a família na qual ele ou ela nasce, seu gênero, sua aparência e a hora de seu nascimento: eis aqui os detalhes da primeira conjuntura da vida de uma pessoa.

Ninguém tem escolha alguma quanto a esses aspectos nesta conjuntura; o Criador predetermina todos eles com muita antecipação. Eles não são influenciados de modo algum pelo ambiente externo e nenhum fator resultante de ação humana pode mudar esses fatos predeterminados pelo Criador. Uma pessoa nascer significa que o Criador já realizou a primeira etapa do destino que Ele arranjou para essa pessoa. Como Ele predeterminou todos esses detalhes com muita antecipação, ninguém tem a capacidade de alterar nenhum deles. Independentemente do destino posterior de uma pessoa, as condições de seu nascimento estão predeterminadas e permanecem como são; elas de modo algum são influenciadas pelo destino da pessoa na vida nem afetam a soberania do Criador sobre ela.

1. Uma nova vida nasceu dos planos do Criador

Quais são os detalhes da primeira conjuntura – o lugar de nascimento, a família, o gênero, a aparência física, a hora do nascimento – que uma pessoa pode escolher? Obviamente, o nascimento de alguém é um evento passivo: nasce-se involuntariamente, em certo lugar, a certa hora, em certa família, com certa aparência física; involuntariamente, a pessoa torna-se membro de certo grupo familiar, herda certa árvore genealógica. Não se tem escolha nessa primeira conjuntura da vida, mas se nasce dentro de um ambiente fixado de acordo com os planos do Criador, em uma família específica, com um gênero e uma aparência específicos e a uma hora específica que está estreitamente ligada com o curso da vida da pessoa. O que a pessoa pode fazer nesta conjuntura crítica? Pensando bem, ninguém tem escolha a respeito de nenhum desses detalhes concernentes ao próprio nascimento. Não fosse pela predeterminação do Criador e por Sua orientação, uma vida recém-nascida neste mundo não saberia para onde ir nem onde ficar, não teria parentes, não pertenceria a lugar algum, não teria nenhum lar real. Mas, devido aos meticulosos arranjos do Criador, ela começa a jornada da sua vida com um lugar para ficar, pais, um lugar ao qual ela pertence e parentes. Ao longo de todo esse processo, o advento dessa nova vida é determinado pelos planos do Criador e tudo o que ela chegar a possuir lhe será outorgado pelo Criador. Sendo no início um corpo solto com nada em seu nome, ela vai gradualmente se tornando um ser humano de carne e osso, visível, tangível, uma das criações de Deus, que pensa, respira e sente calor e frio, que pode participar de todas as atividades habituais de um ser criado no mundo material e que passará por todas as coisas que um ser humano criado deve experimentar na vida. A predeterminação do nascimento de uma pessoa pelo Criador significa que Ele concederá a essa pessoa tudo o necessário para sobreviver; e o fato de uma pessoa nascer da mesma forma significa que ele ou ela receberá do Criador tudo o que necessitar para sobreviver, que dali em diante ele ou ela viverá de outra forma, provida pelo Criador e sujeita à soberania do Criador.

2. Por que diferentes seres humanos nascem em diferentes circunstâncias

Com frequência as pessoas gostam de imaginar que, se fossem nascer de novo, seria no seio de uma família ilustre; se fossem mulheres, elas se pareceriam com Branca de Neves e seriam amadas por todos, e, se fossem homens, seriam o Príncipe Encantado, a quem nada falta, com o mundo inteiro à sua disposição. Há com frequência pessoas que têm muitas ilusões sobre seu nascimento e estão muito insatisfeitas com ele, ressentidas com sua família, sua aparência, seu gênero, até com a hora de seu nascimento. Todavia, as pessoas nunca entendem por que nascem numa determinada família nem por que têm uma certa aparência. Elas não sabem que, independentemente de onde nascerem ou da aparência que tiverem, terão de desempenhar diversos papéis e cumprir diferentes missões na gestão do Criador – este propósito jamais mudará. Aos olhos do Criador, o lugar em que se nasce, o gênero e a aparência física são coisas temporárias. São uma série de ninharias minúsculas, símbolos diminutos em cada fase de Sua gestão da humanidade como um todo. E o que determina o destino e o fim reais de uma pessoa não é seu nascimento em uma fase em especial, mas sim a missão que ele ou ela cumpre em cada vida, pelo julgamento que o Criador lhe fizer quando Seu plano de gestão estiver concluído.

Diz-se que existe uma causa para todo efeito, que não há efeito sem causa. E, portanto, o nascimento de uma pessoa está necessariamente ligado tanto à sua vida atual quanto à sua vida anterior. Se a morte de uma pessoa encerra seu período de vida atual, o nascimento de uma pessoa é o início de um novo ciclo; se um ciclo antigo representa a vida anterior de uma pessoa, o novo ciclo é, naturalmente, sua vida atual. Posto que o nascimento de alguém está conectado tanto à sua vida passada quanto à sua vida atual, o local, a família, o gênero, a aparência e outros fatores desse tipo, associados com o nascimento, estão todos necessariamente relacionados a eles. Isto é, os fatores do nascimento de uma pessoa não são influenciados somente por sua vida anterior, mas são determinados por seu destino na vida atual. Isto explica a diversidade de circunstâncias em que as pessoas nascem: algumas nascem em famílias pobres, outras em famílias ricas. Algumas são de origem comum, outras têm linhagem ilustre. Algumas nascem no Sul, outras no Norte. Algumas nascem no deserto, outras em terras verdejantes. Os nascimentos de algumas pessoas são acompanhados de alegria, riso e celebrações, outros trazem lágrimas, calamidade e desgraça. Algumas nascem para ser estimados, outras para ser rejeitadas como ervas daninhas. Algumas nascem com feições finas, outras têm feições irregulares. Algumas são adoráveis de olhar, outras são feias. Algumas nascem à meia-noite, outras sob o brilho do sol do meio-dia... Os nascimentos de pessoas de todas as classes são determinados pelos destinos que o Criador reserva para elas; seus nascimentos determinam seus destinos na vida atual, bem como os papéis que elas desempenharão e as missões que cumprirão. Tudo isto está sujeito à soberania do Criador, predestinado por Ele; ninguém pode escapar da sorte que lhe é predestinada, ninguém pode mudar as circunstâncias de[a] seu nascimento e ninguém pode escolher seu próprio destino.

Crescimento: A segunda conjuntura

Dependendo do tipo de família em que nascem, as pessoas crescem em diferentes ambientes domésticos e aprendem diferentes lições de seus pais. Isto determina as condições sob as quais uma pessoa atinge a maioridade, e crescer[b] representa a segunda conjuntura crítica da vida. Nem é preciso dizer que as pessoas também não têm escolha nessa conjuntura. Ela é fixa demais, previamente arranjada.

1. As circunstâncias em que a pessoa cresce são fixadas pelo Criador.

Ninguém pode escolher as pessoas nem os fatores sob cuja edificação e influência ele cresce. Ninguém é capaz de escolher o conhecimento nem as habilidades que adquire, nem os hábitos que cria. Ninguém tem o direito de decidir que pais e parentes tem, em que tipo de ambiente crescer; os relacionamentos com pessoas, eventos e coisas que rodeia uma pessoa e como eles influenciam seu desenvolvimento estão fora do nosso controle. Então, quem decide essas coisas? Quem as organiza? Uma vez que as pessoas não têm escolha na questão, uma vez que elas não podem decidir essas coisas sozinhas e uma vez que obviamente não tomam forma naturalmente, nem é preciso dizer que a formação de tudo isso está nas mãos do Criador. Assim como o Criador arranja as circunstâncias especiais do nascimento de cada pessoa, Ele também arranja as circunstâncias específicas em que a pessoa cresce. Se o nascimento de alguém traz mudanças para as pessoas, os eventos e as coisas que o circundam, também o crescimento e o desenvolvimento dessa pessoa irão necessariamente afetá-las. Por exemplo, algumas pessoas nascem em famílias pobres, mas crescem rodeadas de riqueza; outras nascem em famílias abastadas, mas causam o declínio das fortunas das famílias, de modo que crescem em ambientes pobres. Nenhum nascimento é regido por uma regra fixa e ninguém cresce sob um conjunto de circunstâncias fixo e inevitável. Estas não são coisas que alguém possa imaginar nem controlar; elas são os produtos do destino da pessoa e são determinadas pelo destino da pessoa. O resultado é, claro, que elas são predeterminadas para o destino da pessoa pelo Criador, são determinadas pela soberania do Criador sobre o destino dessa pessoa e por Seus planos para o destino daquela pessoa.

2. As diversas circunstâncias em que as pessoas crescem dão origem aos diferentes papéis

As circunstâncias do nascimento de uma pessoa estabelecem num nível básico o ambiente e as circunstâncias em que ela cresce, e as circunstâncias em que uma pessoa cresce são, do mesmo modo, um produto das circunstâncias de seu nascimento. Durante esse período a pessoa começa a aprender a linguagem e sua mente começa a encontrar e assimilar muitas coisas novas, em cujo processo ela cresce constantemente. As coisas que uma pessoa ouve com seus ouvidos, vê com seus olhos e compreende com sua mente vão enriquecendo e dando vida em seu mundo interior. As pessoas, os eventos e as coisas com que uma pessoa entra em contato, o senso comum, o conhecimento e as habilidades que ela aprende e as maneiras de pensar que a influenciam ou lhe são inculcadas ou ensinadas vão guiar e influenciar seu destino na vida. O idioma que se aprende ao crescer e o modo de pensar são inseparáveis do ambiente em que se passa a juventude, ambiente este que consiste em pais, irmãos e outras pessoas, eventos e coisas circundantes. Logo, o curso do desenvolvimento de uma pessoa é determinado pelo ambiente em que ela cresce e depende também das pessoas, dos eventos e das coisas com que ela entra em contato durante esse período. Como as condições em que uma pessoa cresce são predeterminadas com muita antecipação, o ambiente em que ela vive durante esse processo também está predeterminado, naturalmente. Não é decidido pelas escolhas e preferências da pessoa, mas sim em conformidade com os planos do Criador, determinado pelos cuidadosos arranjos do Criador, por Sua soberania sobre o destino da pessoa na vida. Por isso, todas as pessoas que qualquer um encontra no curso de seu crescimento e as coisas com as quais entra em contato estão inevitavelmente ligadas à orquestração e ao arranjo do Criador. As pessoas não podem prever interrelações complexas destes tipos, também não as podem controlar nem compreender. Muitas coisas e muitas pessoas diferentes têm relação com o ambiente em que uma pessoa cresce e nenhum ser humano é capaz de arranjar e orquestrar uma rede tão vasta de conexões. Nenhuma pessoa ou coisa, com exceção do Criador, pode controlar a aparição, a presença e o desaparecimento de todas as diversas pessoas, eventos e coisas, e precisamente essa vasta rede de conexões é que molda o desenvolvimento da pessoa como predeterminado pelo Criador, forma os diversos ambientes em que as pessoas crescem e cria as diversas funções necessárias à obra de gestão do Criador, deitando alicerces sólidos e fortes para elas cumprirem suas missões com sucesso.

0Busca por x resultados