Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Testemunhos a Cristo dos últimos dias

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

Pergunta 5: O Senhor Jesus era o Deus encarnado; isso é incontestável. Agora vocês dão testemunho de que Deus Todo-Poderoso é o Senhor Jesus que voltou em carne, mas pastores e presbíteros religiosos dizem que aquilo em que vocês creem é apenas um ser humano, que vocês foram enganados. Não conseguimos compreender isso. Naquele tempo, quando o Senhor Jesus se fez carne e veio fazer a obra da redenção, os fariseus judeus também disseram que Ele era apenas um homem, dizendo que todos os que criam Nele estavam sendo enganados. Portanto, gostaríamos de buscar esse aspecto da verdade referente à encarnação de Deus. O que exatamente é a encarnação, e qual é a essência da encarnação? Por favor, comunguem conosco sobre isso.

Resposta:

Suas crenças no Senhor Jesus como a encarnação de Deus não é falsa. Mas por que vocês acreditam no Senhor Jesus? Vocês realmente pensam no Senhor Jesus como Deus? Acreditam no Senhor Jesus pelo que foi registrado na Bíblia e por causa da obra do Espírito Santo. Mas, não importa o que digam, se não viram o Senhor Jesus face a face, ousariam dizer que conhecem o Senhor Jesus? Nas suas crenças no Senhor, vocês estão apenas ecoando as palavras de Pedro, que disse que o Senhor Jesus é Cristo, o filho do Deus vivo, mas acreditam que o Senhor Jesus é a manifestação de Deus, o Próprio Deus? Ousam dizer que reconhecem a essência divina do Senhor Jesus? Ousam garantir que, se o Senhor Jesus retornar novamente expressando a verdade, reconhecerão Sua voz? Suas crenças no Senhor Jesus estão ancorada em nada mais do que a crença “no Senhor Jesus”, essas três palavras. Vocês acreditam apenas no nome Dele. Não entendem a essência divina do Senhor Jesus. Se entendem, então por que não distinguem a voz do Espírito de Deus? Por que não reconhecem que a verdade que Deus Todo-Poderoso expressa emerge de Deus e é a voz e a palavra do Espírito Santo? Pelo que vi hoje, do modo como rejeitam a voz de Deus e negam a verdade que Ele expressa, tenho certeza que não conhecem o Deus encarnado! Se tivessem nascido há dois mil anos, na época em que o Senhor Jesus estava pregando e realizando Sua obra, vocês certamente se uniriam aos sumos sacerdotes judeus, escribas e fariseus condenando o Senhor Jesus. Não é esse o caso? Os sumos sacerdotes judeus, escribas e fariseus acreditaram em Deus único por muitos anos, mas por que eles não reconheceram o Senhor Jesus? Por que O pregaram na cruz? Qual é o problema? Por que os pastores e presbíteros do mundo religioso nos últimos dias não ouvem a voz do Espírito Santo? Por que ainda condenam a obra do julgamento de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias? Deixe-me perguntar a todos vocês: Quem acredita em Deus, mas não reconhece a encarnação de Deus, não é um anticristo? Os líderes judeus resistiram e condenaram o Senhor Jesus, a encarnação de Deus. Eles foram anticristos revelados pela obra de Deus. Quanto aos pastores e presbíteros do mundo religioso nos últimos dias que resistem e condenam o Deus Todo-Poderoso encanado, não são também anticristos expostos pela obra de Deus? Vemos claramente que a maioria dos pastores e presbíteros resiste em condenar a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias. Eles olham para a obra de Deus Todo-Poderoso sem realmente ver. Eles ouvem Sua palavra sem escutar. Deus Todo-Poderoso expressou todas as verdades para purificar e salvar a humanidade. Ele conquistou, salvou e criou um grupo de vencedores. O evangelho do reino está sendo anunciado pelo mundo. Isso é inexorável! Poderiam os pastores e líderes do mundo religioso não enxergarem os fatos da obra de Deus? Como ainda dizem coisas ridículas, como: “Acreditar em Deus Todo-Poderoso é acreditar em um humano”? Qual é o problema aqui? Isso mostra que muitos creem em um Deus vago dos altos céus, mas poucos reconhecem o Deus encarnado. Isso não é um fato? Por que o Senhor Jesus condenou os fariseus que resistiram a Ele? Por crerem apenas em Deus vago dos altos céus, mas condenarem e resistirem a Deus encarnado.

Os sumos sacerdotes, escribas e fariseus claramente viram a autoridade e o poder das palavras e obra do Senhor Jesus. Então como ainda resistiram descaradamente, condenaram e blasfemaram o Senhor Jesus? Eles disseram que Ele expulsou demônios pelo poder de Belzebu, chefe dos demônios, e que buscava enganar o homem. Até mesmo O crucificaram. O que isso mostra? Não foi porque viram o Senhor Jesus como um humano comum que eles fizeram isso? Como eles disseram: “Não é o nazareno, o filho do carpinteiro?” Na concepção dos fariseus, a carne do Deus encarnado deve possuir qualidades sobrenaturais. Ele deve ser de grande estatura e constituição poderosa, com uma presença heroica e dominante. Sua voz deve ter um timbre tremendo e ensurdecedor. Ela deve gerar medo nos corações dos homens, para que não se aproximem Dele. Caso contrário, Ele não poderia ser considerado Deus. Na verdade, eles nunca tiveram a menor ideia do que significava a encarnação e não buscavam no Senhor Jesus a palavra e a obra da verdade para encontrar o caráter de Deus e tudo o que Deus tem e é. Eles tomaram o Senhor Jesus como homem comum, O julgando e blasfemando, baseados em suas ilusões e concepções. Isso prova que mesmo acreditando em Deus, eles não O conheciam e resistiram a Ele. Hoje, os pastores e os presbíteros do mundo religioso dizem que Aquele em quem cremos é meramente humano. Isso não é diferente da forma como os sumos sacerdotes judeus, escribas e fariseus condenaram os seguidores do Senhor Jesus. Como podem ver, a maioria dos pastores e presbíteros do mundo religioso não é diferente dos fariseus hipócritas de outrora. Todos eles acreditam em Deus enquanto resistem a Ele. Eles são canalhas que reconhecem apenas o Deus vago dos altos céus, enquanto negam o Próprio Cristo! Que direito eles têm de condenar quem aceita e obedece a Cristo?

Nos últimos dias, Deus encarnou novamente para expressar Sua palavra e realizar Sua obra entre os homens. Ele veio dessa vez como o Deus Todo-Poderoso encarnado. Por Sua aparência externa, Deus Todo-Poderoso parece uma pessoa comum, vivendo na prática e na realidade na companhia dos homens, entre eles, compartilhando suas vidas. Ele expressa a verdade de acordo com as necessidades dos homens e realiza a obra de julgamento começando pela casa de Deus. Vivendo a obra de Deus Todo-Poderoso, ouvimos Sua palavra com nossos próprios ouvidos. Nós O vimos desvendar os mistérios do plano de gestão de Deus com nossos próprios olhos, ou seja, a história dos três estágios da obra da salvação da humanidade por Deus, o propósito do plano de gestão de Deus, o mistério da encarnação, como Satanás corrompe a humanidade, a essência e a verdade da corrupção do homem por Satanás, como Deus purifica, salva e aperfeiçoa o homem, o significado e o propósito da obra de julgamento de Deus, quem Deus ama e quem Ele amaldiçoa, quem será salvo e quem será destruído, o destino do homem, os fins de todos os tipos de homem e como o reino de Deus será realizado na Terra, etc. Enquanto expressa essas verdades, Deus Todo-Poderoso também julga e expõe o caráter satânico do homem e sua natureza e substância de resistência a Deus. Permitindo-nos perceber nossa essência e o fato de nossa contínua corrupção por Satanás, para vermos como somos arrogantes, presunçosos, traiçoeiros e egoístas, como não temos nada da aparência humana e como somos indignos de viver diante de Deus. E mesmo assim, Deus encarnou, humilde e oculto, vivendo entre homens imundos e corruptos, expressando a verdade para julgar, expor e salvar a humanidade. Nós sentimos profundamente que a essência da vida de Deus é amável e louvável. O amor de Deus pela humanidade é real! Vivendo o julgamento de Deus pela palavra, nos tornamos íntimos o caráter justo, santo e inofendível de Deus e sentimos a autoridade e o poder da palavra de Deus Todo-Poderoso. Sem saber, a reverência por Deus cresce em nossos corações e começamos a buscar a verdade e nosso caráter de vida mudam. É nesse momento que entendemos que Deus Todo-Poderoso encarnado expressou a verdade para nos purificar e salvar para que nos livremos da arrogância, da traição e do nosso caráter satânico e para vivermos aparentemente como pessoas honestas. Deus Todo-Poderoso vive entre nós, andando pelas igrejas. Por fora, Ele é uma pessoa comum entretanto, Ele expressa a verdade e manifesta o justo caráter de Deus e tudo o que Deus tem e é. Aqueles que O seguem e vivem Sua obra recebem a verdade, o caminho e a vida. Eles veem como a forma que Deus trabalha é prática e sábia. Eles veem como Deus é humilde, oculto e muito amável. Deus não é arrogante, Seu caráter não é corrompido. Estaria de acordo com a razão que Deus, o Altíssimo, usasse um corpo alto e forte, do tipo que o homem seria compelido a venerar. Mas não é assim que Deus faz. Para salvar o homem corrupto, Deus vestiu-se da carne comum. Ele tomou a fisionomia de um homem normal e veio viver entre nossos homens corrompidos. Ele expressa palavras, julga e nos alimenta de acordo com a nossa necessidade. Deus encarnou como um homem franzino e já suportou grandes sofrimentos e indignidades. Além disso, Ele sofreu a calúnia, a condenação e a rejeição da humanidade corrupta, bem como a perseguição do governo do Partido Comunista Chinês. Ainda assim, Deus persiste com uma enorme força de vontade para expressar a verdade e cumprir a obra de salvação da humanidade. Deus sofreu incríveis tormentos para salvar a humanidade! O amor de Deus pela humanidade é muito real! Disso, vemos como Deus é santo e grande. Não há palavras para descrevê-Lo. Deus Todo-Poderoso nos deixa mais próximos de Deus, colocando-nos face a face com Ele, para que possamos vê-Lo, conhecê-Lo e amá-Lo de verdade. E assim nos permitindo receber a perfeição de Deus, para que possamos venerá-Lo e obedecê-Lo. Reconhecemos em nossos corações que Deus Todo-Poderoso em quem acreditamos é o Senhor Jesus que retornou à carne. Ele é homem, mas também Deus. Deus Todo-Poderoso é o Deus único, o Criador dos céus, da terra e de todas as coisas. Os pastores e presbíteros do mundo religioso nos condenam, pensando que cremos em um mero humano. Deixem-me perguntar: quem dentre toda a humanidade expressa a verdade e a voz de Deus? Quem dentre os homens realiza na prática e na realidade a obra de purificar e salvar a humanidade? Quem dentre os homens faz com que o homem corrupto seja obediente e conhecedor de Deus por meio de Sua obra? Não há ninguém! Apenas Deus Todo-Poderoso é capaz dessa obra prática. Deus Todo-Poderoso é a manifestação do Salvador do mundo. Ele é o Deus prático encarnado. Apenas Deus Todo-Poderoso salva a humanidade e a leva a um destino lindo.

de “Perguntas e respostas clássicas sobre o evangelho do reino”

Quanto às perguntas sobre o que é encarnação e o que é Cristo, vocês podem dizer que é um mistério da verdade que nenhum crente entende. Embora os crentes saibam há milhares de anos que o Senhor Jesus é o Deus encarnado, ninguém entende a encarnação e a encarnação real substância. Apenas agora, com a vinda de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias, esse aspecto do mistério da verdade foi revelado ao homem. Vamos ler algumas passagens da palavra de Deus Todo-Poderoso.

Deus Todo-Poderoso diz: “O significado de encarnação é que Deus aparece na carne, e Ele vem para trabalhar entre os homens de Sua criação na imagem de uma carne. Assim, para Deus Se encarnar, Ele precisa primeiro ser carne, carne com humanidade normal; isso, no mínimo, deve ser verdade. De fato, a implicação da encarnação de Deus é que Deus vive e trabalha na carne, Deus, em Sua essência, se torna carne, se torna um homem” (de ‘A essência da carne habitada por Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

O Deus encarnado é chamado de Cristo e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus” (de ‘A substância de Cristo é obediência à vontade do Pai celestial’ em “A Palavra manifesta em carne”).

O Cristo com humanidade normal é uma carne na qual o Espírito é realizado, possuindo humanidade normal, senso normal e pensamento humano. “Ser realizado” significa Deus Se tornando homem, o Espírito se tornando carne. Para ser claro, é quando o Próprio Deus habita uma carne com humanidade normal e através dela expressa a Sua obra divina — isso é o que significa ser realizado ou encarnado” (de ‘A essência da carne habitada por Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Porque Ele é um homem com a essência de Deus, Ele está acima de qualquer um dos humanos criados, acima de qualquer homem que pode realizar a obra de Deus. E assim, entre todos aqueles que possuem uma casca humana como a Dele, entre todos aqueles que possuem humanidade, somente Ele é o Próprio Deus encarnado — todos os outros são humanos criados. Ainda que todos tenham humanidade, os humanos criados são nada além de humanos, enquanto o Deus encarnado é diferente: em Sua carne Ele não apenas tem humanidade, mas, o que é mais importante, tem divindade. Sua humanidade pode ser vista na aparência externa de Sua carne e em Sua vida diária, mas Sua divindade é difícil de perceber. Porque Sua divindade somente é expressa quando Ele tem humanidade e não é tão sobrenatural quanto as pessoas a imaginam ser, ela é extremamente difícil para as pessoas verem. […] uma vez que Deus Se torna carne, Sua essência é uma combinação de humanidade e divindade. Essa combinação é chamada de Próprio Deus, Próprio Deus na terra” (de ‘A essência da carne habitada por Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Nas palavras de Deus Todo-Poderoso, vemos que a encarnação é o Espírito de Deus que Se reveste de carne, ou seja, o Espírito de Deus é materializado na carne com a humanidade e o pensamento humano normal. Assim, Ele vira uma pessoa comum, operando e falando entre os homens. Essa carne tem humidade normal, mas também é totalmente divina. Embora por fora Sua carne pareça normal, Ele pode assumir a obra de Deus, expressar a voz de Deus e orientar e salvar a humanidade. Pois Ele tem divindade completa. A plena divindade significa que tudo o que o Espírito de Deus possui: os caracteres inerentes de Deus, a essência sagrada e justa de Deus, tudo o que Deus tem e é, a onipotência e a sabedoria de Deus, Sua autoridade e poder… Tudo isso foi materializado na carne. Essa carne é Cristo, é o Deus prático que está aqui na Terra para fazer a obra e salvar a humanidade. Por fora, Cristo é Filho do homem comum, mas essencialmente diferente de qualquer ser humano já criado. O homem criado tem apenas a humanidade, sem o menor vestígio da essência divina. Cristo, no entanto, não tem só a humanidade. Mais importante, tem plena divindade. Ele tem a essência de Deus e pode representar Deus, expressar todas as verdades como o Próprio Deus, expressar o caráter de Deus e tudo o que Deus tem e é, e dotar o homem com a verdade, o caminho e a vida. Nenhum homem criado é capaz de tais feitos. Cristo opera e fala, expressa o caráter de Deus, e tudo o que Deus tem e é em Sua carne. Não importa como Ele profere a palavra de Deus e faça a obra de Deus, Ele sempre faz isso dentro da humanidade normal. Ele tem carne normal, não há nada sobrenatural Nele. Isso prova que Deus entrou na carne e já virou um humano comum. Essa carne normal cumpriu o fato de “A Palavra manifesta em carne”. Ele é o Deus prático encarnado. Como Cristo é plenamente divino, Ele pode representar Deus, proferir a verdade e salvar a humanidade. Como Cristo é plenamente divino, Ele pode proferir a palavra de Deus diretamente, não apenas retransmiti-la. Ele pode proferir a verdade a qualquer hora e em qualquer lugar, suprindo, regando e guiando o homem, guiando toda a humanidade. Somente por Cristo ser plenamente divino e possuir a identidade e a essência de Deus, podemos dizer que Ele é a encarnação de Deus, o Próprio Deus prático.

O maior mistério da encarnação pouco tem a ver se a carne de Deus é grande em estatura ou se é como a do homem comum. Tem a ver com a divindade plena estar oculta dentro dessa carne normal. Ninguém consegue descobrir ou ver essa divindade oculta. Assim como quando o Senhor Jesus veio fazer Sua obra, se ninguém tivesse ouvido Sua voz e vivenciado a Sua palavra e Sua obra, ninguém teria reconhecido que o Senhor Jesus é Cristo, o Filho de Deus. Portanto, a encarnação de Deus é o melhor jeito de Ele descer em segredo entre os homens. Quando o Senhor Jesus veio, ninguém conseguiu ver, pela Sua aparência exterior, que Ele era Cristo, o Deus encarnado, nem ver a divindade oculta dentro da Sua humanidade. Somente após o Senhor Jesus proferir a verdade e fazer a obra de redenção da humanidade, o homem descobriu que Sua palavra tem autoridade e poder e começou a segui-Lo. Somente quando o Senhor Jesus apareceu ao povo após ter ressuscitado, o homem viu que Ele é o Cristo encarnado, a manifestação de Deus. Se Ele não tivesse proferido a verdade e feito Sua obra, ninguém O seguiria. Se Ele não tivesse testemunhado que é Cristo, a manifestação de Deus, ninguém O teria reconhecido. Porque o homem acredita que se Ele é realmente Deus encarnado, Sua carne deve ter qualidades sobrenaturais. Ele deve ser sobre-humano, com ampla e poderosa estatura, uma presença imponente. Ele não deve apenas falar com autoridade e poder, mas também operar sinais e maravilhas aonde quer que vá… Deve ser assim quando Deus se tornar carne. Se Ele tiver uma aparência exterior comum, igual à de outro homem, e tiver uma humanidade normal, certamente não é a encarnação de Deus. Recordemos que, quando o Senhor Jesus encarnou para pregar e fazer Sua obra, não importa como Ele proferiu a verdade e a voz de Deus, os sumos sacerdotes judeus, escribas e fariseus, ninguém O reconheceu. Ao ouvirem alguém testemunhando o Senhor Jesus, até disseram: Este não é o filho de José? Não é um nazareno? Por que se referiram a Ele dessa forma? Porque o Senhor Jesus tinha a humanidade normal na aparência exterior. Como Ele era uma pessoa normal, sem uma presença forte e imponente, ninguém O aceitou. Na verdade, por ser a encarnação, Ele deve ter a humanidade normal por definição, Ele deve mostrar que a carne que Deus veste é comum e normal, Ele se manifesta como um humano normal. Se Deus se vestisse em carne sobre-humana e não de alguém com humanidade normal, todo o significado da encarnação seria perdido. Então Cristo deve ter a humanidade normal. Só isso prova que Ele é o Verbo que se fez carne.

Vamos ler outra passagem da palavra de Deus Todo-Poderoso: “A importância da encarnação é que um homem comum e normal realiza a obra do Próprio Deus; isto é, que Deus realiza a Sua obra divina na humanidade e assim derrota Satanás. […] Se, durante a Sua primeira vinda, Deus não tivesse humanidade normal antes da idade dos vinte e nove anos — se, assim que nascesse, Ele pudesse fazer milagres, se, tão logo aprendesse a falar, pudesse falar a língua do céu, se, no momento em que pusesse os pés na terra pela primeira vez, Ele pudesse apreender todos os assuntos mundanos, discernir os pensamentos e intenções de cada pessoa — então tal pessoa não poderia ser chamada um homem normal, e tal carne não poderia ser chamada carne humana. Se esse tivesse sido o caso com Cristo, então o significado e a essência da encarnação de Deus teriam sido perdidos. Que Ele possuiu a humanidade normal prova que Ele era Deus encarnado na carne; o fato de que Ele passou por um processo de crescimento humano normal demonstra ainda que Ele era uma carne normal; além disso, Sua obra é prova suficiente de que Ele era a Palavra de Deus, o Espírito de Deus tornando-Se carne. Deus Se torna carne por causa das necessidades da obra; em outras palavras, esse estágio da obra precisa ser feito na carne, feito na humanidade normal. Esse é o pré-requisito para ‘o Verbo Se tornar carne’, para ‘a Palavra Se manifestar na carne’, e é a verdadeira história por trás das duas encarnações de Deus” (de ‘A essência da carne habitada por Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Se, a partir do momento de Seu nascimento, o Deus encarnado começasse seriamente o Seu ministério, fazendo sinais e maravilhas sobrenaturais, então Ele não teria essência corpórea. Portanto, Sua humanidade existe para o bem de Sua essência corpórea; não pode haver carne sem humanidade, e uma pessoa sem humanidade não é um ser humano. Dessa forma, a humanidade da carne de Deus é uma propriedade intrínseca da carne encarnada de Deus. Dizer que ‘quando Deus Se torna carne, Ele é totalmente divino, mas de forma alguma humano’ é uma blasfêmia, porque essa é uma postura impossível de se assumir, uma que viola o princípio da encarnação. […]

[…] A humanidade de Deus encarnado existe para manter a obra divina normal na carne; Seu pensamento humano normal sustenta Sua humanidade normal e todas as Suas atividades corporais normais. Pode-se dizer que Seu pensamento humano normal existe para sustentar toda a obra de Deus na carne. Se essa carne não possuísse uma mente humana normal, então Deus não poderia operar na carne, e o que Ele precisa fazer na carne nunca poderia ser realizado. […] Assim, o Deus encarnado deve possuir uma mente humana normal, deve possuir humanidade normal, porque Ele deve realizar Sua obra na humanidade com uma mente normal. Essa é a essência da obra do Deus encarnado, a própria essência do Deus encarnado” (de ‘A essência da carne habitada por Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

As palavras de Deus Todo Poderoso mostram claramente que o Deus encarnado deve ter a humanidade normal. Caso contrário, Ele não seria a encarnação de Deus. Na aparência exterior, Ele parece um homem comum e normal, e não há nada sobrenatural na Sua humanidade. Então, se medirmos Cristo usando nossos conceitos e imaginações, nunca O reconheceremos ou aceitaremos. No máximo, só reconheceremos que Ele é um profeta enviado por Deus, ou alguém que Deus utiliza. Se realmente quisermos conhecer Cristo, devemos estudar Suas palavras e obra para ver se o que Ele profere é a própria voz de Deus, se as palavras que Ele profere são manifestações dos caracteres de Deus e de tudo o que Ele tem e é, e ver se Suas obras e a verdade que Ele profere podem salvar a humanidade. Só então podemos conhecer, aceitar e obedecer a Cristo. Se não buscarmos a verdade, não investigarmos a obra de Deus, mesmo se escutarmos as palavras de Cristo e enxergarmos Sua obra, ainda assim não O conheceremos. Mesmo estando com Cristo de manhã até a noite, ainda O trataremos como um homem comum e, assim, resistiremos e condenaremos Cristo. Na verdade, para reconhecer e aceitar Cristo, só precisamos reconhecer a voz de Deus e admitir que Ele faz a obra Dele. Mas para conhecer a essência divina de Cristo e, assim, alcançar a verdadeira obediência a Cristo e amar o Deus prático, devemos descobrir a verdade nas palavras e na obra de Cristo, ver os caracteres de Deus e tudo o que Ele tem e é, ver a essência sagrada, a onipotência e a sabedoria de Deus, que Deus é amável e valorizar Suas sinceras intenções. Só assim obedeceremos realmente a Cristo e adoraremos o Deus prático no coração dele.

Todos os crentes sabem que o caminho que o Senhor Jesus pregou, a palavra que Ele proferiu, os mistérios do reino dos céus que Ele revelou e as exigências que Ele fez do homem eram toda a verdade, a própria voz de Deus e tudo isso foram manifestações dos caracteres da vida de Deus e de tudo o que Ele tem e é. Seus milagres: a cura os doentes, expulsão de demônios, a calmaria do vento e mar, alimentar cinco mil com cinco pães e dois peixes e revivendo os mortos, foram manifestações da própria autoridade e do poder de Deus. Quem buscou a verdade naquela época, como Pedro, João, Mateus e Natanael, reconheceu pela palavra e obra do Senhor Jesus que Ele é o Messias prometido e, assim, O seguiu e recebeu Sua salvação. Enquanto que os judeus fariseus, mesmo ouvindo os sermões do Senhor Jesus e O vendo realizar milagres, ainda O viam como uma pessoa comum, sem poder ou estatura, e se atreveram a resistir e a descartá-Lo sem o menor medo. No fim, cometeram o maior dos pecados ao crucificarem o Senhor Jesus. A lição dos fariseus pede uma profunda reflexão! Ela expõe claramente a natureza do anticristo que odeia a Deus e a verdade e revela a loucura e a ignorância da humanidade corrupta. No presente, o Deus Todo-Poderoso encarnado, assim como o Senhor Jesus, faz as obras de Deus dentro da humanidade normal. Deus Todo-Poderoso profere todas as verdades que a humanidade corrupta precisa para ser salva e realiza a obra de julgamento começando pela casa de Deus nos últimos dias. Ele não só julga e expõe a natureza satânica da humanidade corrupta e a verdade da corrupção, mas também revelou todos os mistérios do plano de gestão de seis mil anos de Deus para salvar a humanidade, elucidou o caminho pelo qual a humanidade pode se libertar do pecado, ser purificada e salva, revelou os caracteres justos e inerentes de Deus, tudo o que Deus tem e é, e o poder e a autoridade próprios de Deus… A palavra e a obra de Deus Todo-Poderoso são a manifestação plena da identidade e da essência do Próprio Deus. Nestes dias, todos que seguem Deus Todo-Poderoso ouviram a voz de Deus na palavra e obra de Deus Todo-Poderoso, viram a manifestação da palavra de Deus na carne e ficaram diante do trono de Deus Todo-Poderoso, recebendo a purificação e a perfeição de Deus. Quem, do mundo religioso, ainda negar, resistir e condenar a Deus Todo-Poderoso, comete o mesmo erro que os fariseus judeus, tratando Cristo dos últimos dias, Deus Todo-Poderoso, como uma pessoa qualquer, sem se esforçar para buscar e estudar todas as verdades que Deus Todo-Poderoso proferiu e, assim, crucificando Deus mais uma vez e enfurecendo o caráter Dele. Como dá para ver, quem se apegar aos próprios conceitos e imaginações e não buscar e estudar as verdades que Cristo profere, não reconhecerá a voz de Deus proferida por Cristo, não saberá aceitar e obedecer às obras de Cristo e nunca receberá a salvação de Deus nos últimos dias. Se o homem não entender a verdade da encarnação, não saberá aceitar e obedecer às obras de Deus. Ele condenará Cristo e resistirá a Deus, e também poderá receber o castigo e as maldições de Deus. Assim, na nossa fé, para ser salvo por Deus, é importante buscarmos a verdade e compreendermos o mistério da encarnação!

de “Perguntas e respostas clássicas sobre o evangelho do reino”

Anterior:Pergunta 4: Os pastores e presbíteros religiosos frequentemente pregam aos crentes que qualquer testemunho sobre o retorno do Senhor na carne é falso. Eles baseiam isso nos seguintes versículos da Bíblia: “Se, pois, alguém vos disser: Eis aqui o Cristo! ou: Ei-Lo aí! não acrediteis; porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos” (Mateus 24:23-24). Agora não temos ideia de como devemos discernir o verdadeiro Cristo dos falsos. Vocês podem lançar alguma luz sobre essa pergunta?

Próximo:Pergunta 6: Todos sabemos que o Senhor Jesus era a encarnação de Deus. Tendo concluído a Sua obra, Ele foi crucificado, ressuscitou, apareceu para Seus discípulos e ascendeu aos céus em Seu glorioso corpo espiritual. Exatamente como diz a Bíblia: “Varões galileus, por que ficais aí olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi elevado para o céu, há de vir assim como para o céu O vistes ir” (Atos 1:11). A escritura bíblica confirma que, quando o Senhor retornar, será o Seu corpo espiritual ressuscitado que aparecerá para nós. Nos últimos dias, por que Deus encarnaria na forma do Filho do homem para realizar a obra do julgamento? Qual a diferença entre o corpo espiritual ressuscitado do Senhor Jesus e Sua encarnação como Filho do homem?

Conteúdo Relacionado