10. A agonia do vício em jogos online

Por Gao Qiang, China

Quando comecei a faculdade, notei que os outros alunos seguravam o celular e jogavam joguinhos em todo lugar: sala de aula, quartos, cantina, biblioteca, quadra de basquete... Eles viviam falando sobre esses jogos de forma obscena e violenta, dizendo o quanto se divertiam jogando. Como crente, eu sentia que jogar jogos online não era algo positivo, então não seguia o exemplo. Eu sempre me reunia e lia muito as palavras de Deus com os irmãos e me sentia bem contente.

Mas, um tempo depois, descobri que vários estudantes estavam jogando uns jogos chamados MOBAs e me apresentaram a eles. Comecei a jogar só um pouco, fora do horário de aula, mas fui sendo cada vez mais sugado pela emoção da luta. Eu queria a emoção de golpear e matar outros jogadores, e mais ainda, me empenhava em subir de nível. Sempre que eu tinha um tempo livre, minha mente era preenchida com pensamentos sobre aqueles personagens e aquelas lutas. Chegou ao ponto de, eu e meus colegas de quarto, de tão absorvidos nas conversas sobre os jogos durante as refeições, perdermos todo o apetite. Eu só pensava na estratégia da próxima partida enquanto voltava ao dormitório, e à noite nos reuníamos e jogávamos sem parar até o amanhecer. Eu sempre perdia a hora, e era normal eu me atrasar ou cochilar durante a aula. Em pouco tempo, minhas notas decaíram bruscamente. Conforme o tempo passou, comecei a viver inteiramente dentro daquele mundo imaginário e não quis fazer mais nada a não ser jogar. Antes, no meu tempo livre, eu saía para participar de atividades ou ler na biblioteca. Depois de ser fisgado por esses jogos, eu só ficava enfiado no quarto jogando e perdi o interesse em tudo mais. Dentro do jogo que eu estava jogando, eu tinha de comprar coisas, assim eu levianamente gastava toda a minha mesada para desenvolver novos personagens. Sem dinheiro para a comida, eu pegava emprestado de colegas de sala ou de quarto. Pior ainda, a maneira que eu enxergava as coisas também mudou. Eu achava que poderia aprender coisas úteis na faculdade e obter alguma educação. Mas após me perder nos jogos online, senti que o único interesse em estar lá era pra jogar. Meus pais não estavam lá para me controlar e me mandavam uma mesada. Eu não pensava nas necessidades básicas, só em jogar, e vi que a faculdade seria minha única chance de jogar aquele tanto.

Mas não só isso. Eu me distanciei cada vez mais de Deus. Eu não conseguia aquietar meu coração quando lia as palavras de Deus, e minhas orações se tornaram vazias. Eu não estava plenamente presente nas reuniões e às vezes eu nem ia. Houve uma vez que eu quis usar o tempo livre para ler as palavras de Deus, mas depois de apenas meia hora, peguei meu celular e comecei a explorá-lo sem perceber o que eu estava fazendo. Eu estava tomado por pensamentos dos personagens e da luta no jogo. Era como um vício em drogas que me dominava. Eu não conseguia me impedir, e pensava: “Vou jogar só um pouquinho. Não preciso ler as palavras de Deus agora. Vou lê-las na próxima reunião mesmo... Eu já li um pouco e jogar é diferente. Se eu não completar os desafios no jogo, não recebo as recompensas.” Com isso, deixei as palavras de Deus de lado e comecei a jogar. Uma vez, após jogar a noite inteira, não fui a uma reunião na manhã seguinte. Quando os irmãos perguntaram, menti e disse que tive de participar de um evento na faculdade, fugindo do assunto.

Às vezes, quando eu jogava ao ponto de ficar exausto, eu pensava em como estava negligenciando meus estudos, desperdiçando todo o dinheiro sofrido que meus pais ganhavam com sangue, suor e lágrimas. Senti que eu os estava enganando. Também pensei sobre minha vinda à casa de Deus e como eu desfrutava de Seu amor, mas que eu não ia às reuniões nem lia as palavras de Deus, só porque estava obcecado em jogar. Eu até menti para os irmãos. Eu me senti muito culpado a respeito, e que eu tinha uma dívida enorme para com Deus. Eu queria ler as palavras de Deus, mas assim que eu via que ia ter uma nova partida em um jogo, não conseguia deixar de participar.

Um dia, ocorreu-me que, por causa dos jogos online, meus estudos e minha vida da igreja tinham sofrido um enorme golpe. Eu era tão jovem. Não seria uma grande perda de tempo continuar jogando daquele jeito? Eu sabia que tinha de desistir de jogar, que eu não poderia continuar daquela maneira. Mas, prestes a confirmar a desinstalação do jogo, minha mão simplesmente parou. Pensei em todo o dinheiro que eu havia gasto nele, sem contar todo o tempo e energia. Eu simplesmente não suportava ter de desistir tão facilmente, e poderia ir levando dia após dia. Sofrendo aquele debate interno, no final, acabei não desinstalando. Não sei quantas vezes decidi a Deus que me livraria daquilo, quantas vezes estive determinado a desinstalá-lo, mas no final, eu fracassava. Era como se eu estivesse vivendo nas trevas havia anos, mas quando queria ir em direção à luz, descobria que estava amarrado no local e não podia me mover. Eu estava me debatendo contra essa tormenta e não sabia o que fazer. Eu orava bastante a Deus na época, pedindo a Ele que me ajudasse e me guiasse.

Deus Todo-Poderoso diz: “Embora muitos jovens acreditem em Deus, eles não conseguem se livrar dos maus hábitos de jogar no computador e ir para LAN houses. O que esses jogos de computadores tendem a envolver? Eles contêm muita violência. Jogos eletrônicos — esse é o império do diabo. Pois a maioria, após jogar esses jogos por muitos tempo, não consegue mais fazer nenhum trabalho de verdade; não quer mais ir à escola ou ao trabalho nempensar em seu futuro, muito menos refletir sobre sua vida. Quais são as coisas que ocupam os pensamentos e as almas da maioria dos jovens no mundo? Comer, beber e jogar. Tudo que dizem e pensam é inumano. Não se pode nem mais usar as palavras ‘sujo’ ou ‘maligno’ para descrever as coisas em que eles pensam; tantas delas são coisas não humanas. Se você falar com eles de assuntos relacionados à humanidade normal ou discutir sobre um tópico referente à humanidade normal, eles não suportam ouvir; não estão interessados nem dispostos a ouvir, e tão logo ouvem, reviram os olhos e agem indelicadamente. Eles não partilham uma linguagem comum ou tópicos comuns com uma normal humanidade, mas quando estão com outras pessoas iguais a eles, encontram temas para discutir. A maioria dos tópicos que discutem giram em torno de jogar, comer, beber e se divertir. Aqueles que sempre discutem esses tópicos enchem seu coração com essas coisas. Qual a perspectiva de futuro que eles têm? Eles têm alguma perspectiva de futuro? […] Quando as pessoas estão sempre jogando e desperdiçando tempo no computador, sua vontade desaparece e elas se tornam decadentes; então carecem de humanidade normal. Elas se enchem com a violência e matança nesses jogos e com as coisas do mundo virtual. As coisas da humanidade normal são retiradas desses jogos, elas se encem e ocupam com esses jogos, e seus pensamentos são ocupados por eles; essas pessoas se tornaram decadentes. Incrédulos também não gostam dessas pessoas, mas, no mundo atual de incrédulos, esses jovens não têm onde buscar ajuda; seus pais são incapazes de gerenciá-los, seus professores não podem fazer nada por eles, e não há nada que o sistema educacional de qualquer país possa fazer algo a respeito desta tendência a não ser sucumbir a ela. O diabo Satanás faz essas coisas com o intuito de tentar as pessoas e levá-las à depravação. Aqueles que vivem no mundos virtual não têm interesse algum em nada que tenha a ver com viver uma vida de humanidade normal; simplesmente não têm ânimo para trabalhar ou estudar. Sua única preocupação é ir para o mundo virtual, como se fossem atraídos por algo. Sempre que ficam entediados ou estão fazendo algum trabalho de verdade, eles querem jogar, e gradualmente jogar se torna toda sua vida. Jogar é como tomar algum tipo de droga: uma vez que alguém se vicia nisso, torna-se difícil afastar-se disso e muito difícil parar. Assim, seja ela jovem ou velha, quando uma pessoa desenvolve esse hábito, ela tem dificuldades de largá-lo. […] Se jogar fosse necessário para uma humanidade normal — se fosse a senda certa —, por que, então, as pessoas não conseguem deixar de jogar? Como as pessoas podem ser cativadas por isso em tal medida? Uma coisa que isso prova é que isso não é uma senda boa. Navegar nas redes por isso ou aquilo, olhar coisas nocivas e jogar — nada disso é uma senda boa. Não são sendas certas” (‘Os crentes começam a enxergar as tendências malignas do mundo’ em “Registros das falas de Cristo”).

As palavras de Deus revelaram meu estado com exatidão. Eu me tornei degenerado e depravado por perder para os jogos online, e minha cabeça estava tomada pelas lutas e matanças. Senti como se nada pudesse se comparar àquilo. Aquela emoção momentânea me deixava com uma sensação de vazio e desesperado por mais adrenalina. Fazer isso sem parar se tornou um ciclo vicioso. Satanás estava usando a violência e o mal nos jogos para seduzir meu coração. Ele saciava meus desejos e controlava meus pensamentos, deixando-me viciado e sem nenhuma saída. Abandonei meus estudos pelos jogos, perdendo qualquer semelhança de uma humanidade normal. Eu não queria ir às reuniões nem ler as palavras de Deus, e até enganava os irmãos. Também me distanciei cada vez mais de Deus. Somente por meio da leitura das palavras de Deus eu vi que esses jogos são uma das táticas de Satanás para ferir e consumir as pessoas. Ele queria que eu perdesse minha humanidade normal e razão, que eu evitasse a Deus e O traísse, e perdesse Sua salvação. Depois, Satanás poderia me devorar por inteiro. Pensei em como tantos outros jovens são feridos por jogos online, assim como eu. De jovens abertos e cheios de vida, eles passam a ser antissociais e indiferentes, de bem-comportados a autoindulgentes e o inverso. Eles costumavam interagir normalmente com seus pais e com os outros, mas depois, ignoraram a escola, abandonaram seus lares e desistiram dos estudos pelos jogos. Para comprar equipamentos de jogos, alguns até aprendem a trapacear e a matar, passando para uma vida criminosa. E alguns morrem em frente ao computador, por jogar excessivamente. Tudo isso mostra que Satanás usa jogos online para ferir e devorar inúmeros jovens. É tão sinistro e perverso! Quando pensei em tudo isso, vi o quanto jogar era algo realmente assustador. É uma senda diabólica que leva as pessoas ao esquecimento. Quando percebi isso, decidi que eu tinha de me libertar definitivamente das amarras dos jogos online.

Embora eu quisesse escapar deles, eu ainda não tinha uma prática específica a adotar na vida real. Assim, numa manhã, em meus devocionais, li algo nas palavras de Deus: “Às vezes, confiar em Deus não significa pedir a Deus que faça algo usando palavras específicas, nem pedir Sua orientação ou proteção específicas. Ao contrário, é quando encontram algum problema que as pessoas são capazes de invocá-Lo sinceramente. Então, o que Deus está fazendo ali quando as pessoas o invocam? Quando o coração da pessoa se agita e ela pensa: ‘Ó Deus, não consigo fazer isso sozinha, não sei como fazer e me sinto fraca e negativa…’, quando esses pensamentos surgem nela, Deus não sabe disso? Quando esses pensamentos surgem, o coração das pessoas é sincero? Quando elas invocam Deus sinceramente dessa maneira, Deus concorda em ajudá-las? Apesar do fato de poderem não ter dito uma palavra, elas mostram sinceridade, e assim Deus concorda em ajudá-las. Quando alguém encontra uma dificuldade especialmente espinhosa, quando não tem ninguém a quem recorrer, quando se sente particularmente desamparado, ele coloca sua única esperança em Deus. Como são suas orações? Qual é o seu estado de espírito? Ele é sincero? Existe alguma adulteração nesse momento? Só quando confia em Deus como se Ele fosse a última gota a que você se agarra para salvar sua vida, esperando que Ele o ajude, é que seu coração é sincero. Embora você possa não ter dito muito, seu coração já se mexeu. Isto é, você dá o seu coração sincero a Deus e Deus ouve. Quando ouve, Deus vê suas dificuldades e Ele irá esclarecer você, guiar você e ajudar você” (‘Os crentes começam a enxergar as tendências malignas do mundo’ em “Registros das falas de Cristo”). As palavras de Deus me deram uma senda clara, que era orar sinceramente a Deus sobre minhas dificuldades. Ele me ouviria, e então me iluminaria e me ajudaria. Então orei bastante a Deus, pedindo que Ele me guiasse para que eu me libertasse dos jogos. Pensei na comunhão de Deus dizendo que os jovens tinham de ser ordeiros em sua vida, fazendo as coisas conforme programadas, na hora certa, de acordo com o planejado. Eles têm de ser organizados, com uma vida normal, não tão indulgentes e não tão livres de espírito. Pessoas livres demais, que fazem o que querem sem regras ou restrições não chegam a lugar nenhum. Portanto, conforme as palavras de Deus diziam, fiz uma programação para mim todos os dias para limitar meu tempo com jogos online. Após seguir esse plano por alguns dias, minha vida se tornou ordeira e todos os dias pareciam gratificantes. Mas meus anseios eram muito intensos, de modo que, não demorou e não pude controlar por mais tempo meu desejo constante de jogar. Temi ser enlaçado outra vez, e assim afundar no vício. Rapidamente, vim para diante de Deus e fiz esta oração: “Oh Deus, conheço a essência e o perigos dos jogos e senti o gosto do sofrimento que eles causam. Não quero mais seguir as tendências malignas e satânicas. Quero desistir delas por completo, mas minha estatura é pequena demais. Não consigo resistir às tentações de Satanás e parar com os jogos online. Oh Deus! Por favor, guia-me.”

Depois de orar, li esta passagem das palavras de Deus: “Você deve sofrer dificuldades pela verdade, deve se entregar à verdade, deve suportar humilhação pela verdade e, para ganhar mais da verdade, você deve passar por mais sofrimento. É isso que você deve fazer. Você não deve jogar a verdade fora em favor de uma vida familiar pacífica nem deve perder a dignidade e integridade da sua vida por causa de um prazer momentâneo. Você deve buscar tudo que é belo e bom e buscar uma senda na vida que seja mais significativa. Se você levar uma vida tão vulgar e não buscar quaisquer objetivos, você não desperdiça a vida? O que você pode ganhar com uma vida assim? Você deve abandonar todos os prazeres da carne em favor da verdade e não deve jogar fora todas as verdades em favor de um pouco de prazer. Pessoas assim não têm integridade nem dignidade; sua existência não faz sentido!” (‘As experiências de Pedro: seu conhecimento de castigo e julgamento’ em “A Palavra manifesta em carne”). Ler isso me ajudou a entender que praticar a verdade requer renunciar à carne e se dispor a sofrer e pagar um preço. Eu não poderia perder minha chance de buscar a verdade só por causa do meu vício ou dos prazeres efêmeros da carne. Jogos não poderiam me trazer a vida. Só enfraqueceriam meu espírito pouco a pouco, até que eu não tivesse mais nenhuma humanidade normal. Eles não me trouxeram nada a não ser vazio e dor, e me fariam desperdiçar a minha vida. Eu realmente não queria continuar vivendo assim. Com uma criatura criada, minha responsabilidade e missão são buscar a verdade e cumprir bem o meu dever para dar testemunho de Deus. Apenas isso é significativo. Entender a vontade de Deus renovou minha determinação de praticar a verdade. Resolvi firmemente deixar os jogos online pra trás.

Depois disso, sempre que eu queria jogar, eu corria para diante de Deus em oração pedindo que Ele protegesse meu coração e assim eu pudesse me aquietar diante Dele. Também lia as palavras Dele, cantava hinos e me reunia e comunicava mais com os irmãos. Pouco a pouco, parei de jogar jogos online. Também senti que eles não passam de luta e matança sem sentido, que são entediantes, e assim, perdi de verdade meu desejo de jogar. Minha vida se tornou mais ordeira e minhas notas melhoraram bastante. Eu ia às reuniões e lia as palavras de Deus como deveria, e até cumpria meu dever na igreja.

Posteriormente, dois colegas de quarto me disseram: “Ei, faz um tempo que não te vemos no jogo. Que tal jogarmos uma partida daqui a pouco?” Ouvir isso me atraiu um pouco, e pensei: “Não jogo há tanto tempo. Talvez só mais uma vez?” Mas então, lembrei-me das palavras de Deus: “Vocês precisam estar atentos e em espera o tempo todo e precisam orar mais perante Mim. Vocês precisam reconhecer os diversos complôs e esquemas astutos de Satanás, reconhecer os espíritos, conhecer as pessoas e ser capazes de discernir todos os tipos de pessoas, acontecimentos e coisas” (‘Capítulo 17’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). Graças à iluminação de Deus, percebi que os esquemas astutos de Satanás estavam por trás do convite de meus colegas para jogar. Satanás queria que eu me viciasse nos jogos de novo, que eu evitasse a Deus e O traísse, que eu voltasse ao abrigo de Satanás para que ele me ferisse. Eu não me deixaria enganar de novo. Orei a Deus em meu coração: “Deus, não quero mais seguir as tendências malignas de Satanás. Quero praticar a verdade e renunciar à carne.” Então, eu disse a eles com firmeza: “Não, obrigado. Já deu pra mim.” Dizer isso me deixou com uma verdadeira sensação de liberdade. Ser livre de jogos online hoje deve-se inteiramente à orientação das palavras de Deus. Sou verdadeiramente grato a Deus por me salvar.

Anterior: 9. As palavras de Deus me guiaram durante a tragédia do meu casamento

Próximo: 11. Conhecendo a autoridade e a soberania de Deus na vida

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

56. Como acabar com o egoísmo

Por Zhang Jing, República ChecaDeus Todo-Poderoso diz: “Qual é o critério pelo qual os feitos de uma pessoa são julgados como sendo bons ou...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro