Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Tudo o que Deus diz é o julgamento do homem

7

Xunqiu Cidade de Nanyang, Província de Henan

Eu costumava pensar que Deus julgava e castigava o homem apenas quando Ele revelava a corrupção inerente do homem ou transmitia palavras duras que julgavam o seu fim. Muito mais tarde, um incidente me fez entender que mesmo as palavras gentis de Deus eram Seu julgamento e castigo. Eu percebi que toda palavra que Deus dizia era Seu julgamento do homem.

RecentementePouco tempo atrás, a irmã mais velha de uma família anfitriã envolveu-se com sentimentos carnais e, por isso, sofreu muito. Eu comunguei com ela diversas vezes, mas parecia ser em vão. Ela continuava igual. Aos poucos, fiquei impaciente, pensando: “Falei com você várias vezes, mas você não mudou. Você provavelmente não tem nenhum interesse pela verdade. Nunca mais vou comungar com você”. Depois disso, eu não me sentia inclinada a me associar com ela e não me preocupava mais. Um dia, uma irmã parceira sugeriu que deveríamos orar com aquela irmã mais velha. Ao ouvir aquilo, senti aversão: “Por quê? Seria uma perda de tempo estar com ela e as nossas orações seriam infrutíferas”. Na verdade, eu sabia que isso revelava a minha arrogância, que era o caráter de Satanás. Eu estava rejeitando e não demonstrava amor pelos outros. Contudo,Mas eu não podia conseguia evitar. Quando oramos juntas, achei tão difícil me libertar de meus pensamentos e sentimentos, que afundei-me na escuridão espiritual e não sentia mais que Deus estava comigo. Além disso, sentia-me sufocada, como se meu coração estivesse preso e não pudesse se soltar. Mais tarde, orei diante de Deus sobre meu dilema: “Deus, eu estava ciente da minha arrogância e desumanidade. Não mostrei simpatia ou consideração pela irmã mais velha. Mas falhei em transformar a mim mesma. Deus, eu suplico que me ilumine em relação à verdade e que eu me conheça melhor”. Enquanto oferecia aquela oração, lembrei-me vagamente de algumas palavras de Deus. Imediatamente, abri o livro da palavra de Deus e encontrei as seguintes declarações: “Por que se diz que o alcance da sua determinação de amar a Deus e se você verdadeiramente renunciou à carne depende de você ser preconceituoso em relação a seus irmãos e irmãs e, se for, de ser capaz de pôr esses preconceitos de lado? Ou seja, quando seu relacionamento com seus irmãos e irmãs é normal, suas condições perante Deus também são normais. Quando um de seus irmãos e irmãs é fraco, você não o odiará, o desprezará nem o ridiculizará, nem lhe dará as costas. Se você puder ser útil a eles, comungará com eles […] Se você se sentir incapaz de prover para eles, você pode lhes fazer uma visita. Isso não precisa ser feito pelo líder da igreja — é responsabilidade de cada irmão e irmã fazer esse trabalho. Se vocês virem que um irmão ou uma irmã está num estado ruim, vocês deveriam lhe fazer uma visita. Essa é a responsabilidade de cada um de vocês” (de ‘A obra do Espírito Santo e a obra de Satanás’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler as palavras de Deus, a admoestação de que “quando seu relacionamento com seus irmãos e irmãs é normal, suas condições perante Deus também são normais” foi impressa em minha mente com uma clareza particular. Eu buscava, enquanto contemplava essa declaração. Pela iluminação do Espírito Santo, senti que essa declaração aparentemente simples, na verdade, encarnava a majestade e o julgamento. Ela penetrou o meu coração como uma espada. Deus sempre disse claramente ao homem que, somente com base em Suas palavras, a humanidade poderia estabelecer relacionamentos normais entre irmãos e irmãs, e que a relação do homem com Deus seria normal, desde que seus relacionamentos com irmãos e irmãs fossem normais. Quando estava com os outros, tudo o que eu manifestava era o caráter corrupto de Satanás, desdenhando e rejeitando os irmãos. Eu não tinha uma relação normal com as pessoas, então com poderia ter um relacionamento normal com Deus? Era a responsabilidade imutável do homem visitar e servir aos irmãos e irmãs que fossem passivos e fracos. Era a vida a ser vivida por pessoas que buscavam amar a Deus, a conduta de irmãos e irmãs que se amavam. Em contraste, eu não me importei quando soube da situação ruim da irmã mais velha. Embora eu parecesse comungar com ela, lá no fundo não fazia com um coração que amava a Deus. Eu não dei o meu melhor para ajudá-la e apoiá-la. Não comunguei com ela com paciência, com um coração bondoso ou com a compreensão de alguém que sofreu — alguém que viveu na escuridão — para ajudá-la a sair de uma situação negativa. Até decidi que a irmã mais velha não tinha intenção de buscar a verdade e, portanto, eu a desprezava e evitava. Portanto, perdi uma relação saudável com Deus e me sujeitei ao Seu castigo. Sofri de escuridão espiritual. Não era o caso do caráter de Deus precisar vir até mim? Quanto mais eu pensava sobre isso, com mais força eu sentia que essa declaração era o julgamento face a face de Deus sobre mim. Eu estava com vergonha e profundo remorso. Minha humanidade é tão carente! Então, contudo, minha reverência por Deus surgiu espontânea e simultaneamente. Percebi que o caráter de Deus é de majestade e ira. Entendi que Deus é realmente justo e santo. Ele poderia vasculhar todo e cada pensamento, de modo que não havia escapatória de Seu julgamento.

O julgamento das palavras de Deus me ajudou a abandonar o meu preconceito contra a irmã mais velha. Portanto, senti vontade de comungar com ela em um espírito de amor e bondade. Inesperadamente, porém, antes que eu voltasse a comungar com ela, a irmã mais velha recebeu a iluminação de Deus e saiu de sua situação negativa, pela oração e escuta dos hinos da palavra de Deus. Naquele momento, fiquei satisfeita pela melhora de sua situação. Estava grata porque Deus havia nos guiado, como Ele sempre fará. Também senti vergonha pelo meu péssimo comportamento.

Eu dei graças a Deus! Apesar de ter demonstrado apenas rebeldia e corrupção nessa experiência, aprendi que as palavras menos severas de Deus são também Seu julgamento e castigo ao homem, e que cada palavra Dele destina-se ao julgamento da humanidade. Nunca mais me apegarei à minhas próprias concepções das palavras de Deus. Eu aceitarei o julgamento e o castigo de Deus em palavras com absoluta submissão. Vou apreender e receber mais verdades para transformar meu caráter o mais rápido possível.

Conteúdo Relacionado