O conhecimento pode mesmo mudar o seu destino?

10 de Outubro de 2020

Eu nasci numa família de agricutores. As pessoas nos menosprezavam porque éramos pobres, e eu costumava ser excluída e maltratada quando criança. Quando comecei a frequentar a escola, sempre ouvia meu professor dizer: “Ser um estudioso é estar no topo da sociedade” e “O conhecimento pode mudar seu destino”. Então eu jurei que estudaria muito, entraria na faculdade e faria com que aqueles que nos menosprezaram vissem do que uma camponesa como eu era capaz. Eu acreditava que conhecimento era tudo, que era a chave para abrir o destino de uma pessoa. Eu nunca pensei que essa noção traria tanta dor à nossa família!

Prestei vestibular nos anos 1990. Eu acordava cedo e ia dormir tarde. Passava dia e noite me preparando e às vezes até deixava de comer. Eu sempre estava entre os melhores alunos, então meus professores se interessavam muito pela minha educação. E eu me sentia bem confiante. Mas, contrariando todas as expectativas, eu não passei no vestibular. Isso me deixou desesperada. Eu não aguentava a ideia de passar a vida toda naquela cidadezinha. Mas, devido à idade avançada dos meus pais e à nossa falta de dinheiro, eu tive que encarar a realidade. Tive que desistir de refazer o vestibular e comecei a trabalhar. Depois de um tempo, arrumei emprego numa empresa de design. Eu tinha de fazer hora extra todo dia, mas eles pagavam muito mal. Por outro lado, quem tinha formação e diploma trabalhava pouco, mas recebia muito mais e tinha muito mais chances de promoção. Parecia que ter conhecimento e diploma dava status e respeito às pessoas, o que me fazia idolatrar ainda mais o conhecimento. Mas, sabendo que a faculdade não era uma opção para mim, eu me senti ressentida e incapaz.

Eu tive uma filha em 2001. Depositei todos os sonhos que não realizei, de fazer faculdade, nos ombros dela. Quando ela era bem nova, eu dizia a ela que a única forma de ter um futuro melhor era estudando bastante e fazendo uma boa faculdade. Nosso dinheiro era limitado, mas para garantir que ela tivesse uma boa educação, eu paguei aulas particulares para ela, comprei apostilas e baixei material de estudo na internet. Também lhe preparei um cronograma de estudos com todo o cuidado. Eu dizia a ela o que fazer depois da escola, quanto tempo passar fazendo os deveres de casa, quanto tempo passar lendo... Enchi o cronograma dela. Para garantir que ela aprendesse a se concentrar nos estudos, eu dizia que ela só podia usar o banheiro depois de uma hora de estudo. Eu a supervisionava o tempo todo enquanto ela estudava, às vezes até a meia-noite. Eu a pressionava muito como tutora, por isso as notas dela melhoraram um pouco. Mas recebi uma ligação inesperada do professor dela um dia, dizendo: “A sua filha anda distraída ultimamente nas aulas. Ela não brinca com os colegas no intervalo, e as notas dela estão caindo, mas não sabemos por quê.” Eu não queria acreditar naquilo. Senti uma onda de ressentimento pela minha filha, pensando: “Eu fiz de tudo por você, me esforcei para te ajudar a estudar. Como pôde me decepcionar assim? Você vai se ver comigo quando voltar!” Quando ela chegou em casa, dei uma longa bronca nela. Ela ficou chateada e disse que eu a pressionava muito. Ela chorou e se trancou no quarto. Eu não conseguia fazê-la sair. Eu me senti impotente. Desabei no sofá em prantos e pensei: “Como ela pode ter entendido errado toda a consideração que eu tive por ela?” Depois disso, fiquei entre a cruz e a espada sobre a educação dela. Se eu fosse rígida, tinha medo de estressá-la, e como ela poderia reagir? Mas, se eu não fosse, as notas dela cairiam, e ela não entraria na faculdade. Como eu poderia garantir um bom futuro para ela? Eu não conseguia comer nem dormir pensando nisso. Um dia, pensei na minha mãe e em como ela compartilhou o evangelho de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias comigo. Muitas vezes, ela me dizia: “Quando encontrar dificuldades, ore a Deus, que Ele encontrará uma saída.” Então, eu orei e contei a Deus sobre o meu problema. Eu comecei a ler a palavra de Deus Todo-Poderoso e a participar na vida da igreja.

Um dia, encontrei uma irmã na rua. Enquanto conversávamos, compartilhei com ela sobre minha frustração na educação da minha filha. Ela respondeu: “Ensinar aos nossos filhos, educá-los e mostrar a eles a senda certa... Tudo isso é dever dos pais. Todos queremos que nossos filhos vão à faculdade e se saiam bem. Então entendo completamente. Mas, se isso vai acontecer ou não, não está em nossas mãos. Nosso destino está nas mãos de Deus. Nossa aparência, nosso trabalho, nosso casamento e educação, nossas finanças e nossa expectativa de vida... Tudo isso foi decidido por Deus antes mesmo de nascermos. Ninguém pode mudar nada disso. Nossos filhos e filhas são a mesma coisa. A aparência, a personalidade, a senda na vida e a fortuna deles não podem ser mudados pelos ensinamentos dos pais. Alguns pais são intelectuais, inteligentes e capazes. Mas seus filhos são tolos, incompetentes e não conquistam nada. Alguns pais são pessoas comuns e sem cultura, mas seus filhos são inteligentes, talentosos e se destacam. Isso nos mostra que, não importa o que façamos, não podemos mudar nosso destino. É como dizem: ‘O destino do homem é decidido pelo Céu’. Temos que cumprir nossas responsabilidades de educar nossos filhos. Mas temos que lembrar que devemos fazer o nosso melhor e deixar o resto nas mãos de Deus. Assim, você não vai ficar tão agoniada!” Eu sabia que o que ela estava dizendo era verdade. Antes de ir embora, ela mencionou duas passagens da palavra de Deus Todo-Poderoso e disse que eu deveria lê-las.

Deus Todo-Poderoso diz: “Desde o momento em que chega a este mundo chorando, você começa a cumprir seu dever. Desempenhando seu papel no plano de Deus e em Sua ordenação, você começa a sua jornada de vida. Não importa o seu passado, não importa a jornada à sua frente, ninguém pode escapar das orquestrações e dos arranjos do Céu, e ninguém está no controle do próprio destino, pois apenas Aquele que governa todas as coisas é capaz de tal obra”. “As pessoas sabem que são impotentes e desesperançadas nesta vida, que não terão outra chance, outra esperança, de distinguir-se de outros e que não têm opção a não ser aceitar sua sina. E assim elas projetam todas as suas esperanças, seus desejos e ideais irrealizados, na próxima geração, esperando que a prole possa ajudá-las a concretizar seus sonhos e realizar seus desejos; que seus filhos e filhas trarão glória para o nome da família, se tornarão importantes, ricos ou famosos; em suma, elas querem ver a prosperidade de seus filhos decolar. Os planos e as fantasias das pessoas são perfeitos; elas não sabem que o número de filhos que têm, a aparência, as habilidades deles e assim por diante, não são para eles decidirem, que a sina de seus filhos de modo algum está nas mãos delas? Os humanos não são senhores da própria sina, mas desejam mudar a sina da geração mais jovem; são impotentes para escapar da própria sina, mas tentam controlar a de seus filhos e filhas. Eles não estão se superestimando? Isso não é tolice e ignorância humana?” (“A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus tocaram o meu coração. Quando eu era jovem, sempre me esforcei para realizar meu sonho de fazer faculdade. Mas, apesar de muito esforço, eu não consegui. Quando minha filha nasceu, esse sentimento renasceu em mim. Parecia uma segunda chance. Depositei todas as esperanças da minha própria vida nos ombros da minha filha. Eu queria que ela aprendesse, que se saísse bem, tivesse um bom futuro à frente, que vivesse meus sonhos por mim. Mas apesar do meu esforço, as coisas não aconteceram dessa forma. Minha filha sempre foi sensível e bem-comportada, e as notas dela eram boas. Ela só começou a decair quando eu a pressionei. As notas dela e a senda que ela tomou na vida estavam fora do meu controle. Estava tudo nas mãos de Deus. Eu não podia controlar nem meu próprio destino, muito menos o da minha filha! Eu tinha sido arrogante e superestimado a mim mesma. Perceber isso foi um alívio para mim.

Depois disso, eu parei de organizar o cronograma da minha filha como antes e parei de exigir tanto dela. Um pouco depois, quando fui à escola, o professor disse: “Sua filha é inteligente e tem muito potencial. Com certeza ela conseguirá entrar em um bom ensino médio com a tutoria certa. E assim vai ser fácil entrar numa faculdade.” O que ele disse me fez hesitar na minha atitude. Eu não ligava se a minha filha era uma das melhores alunas da sala ou não, mas eu sempre quis que ela fizesse faculdade. Senão, ela sofreria muita pressão mais à frente, e nunca conseguiria se estabelecer na sociedade. Eu reparei que meu marido começou a forçá-la a estudar, querendo que ela se tornasse uma das melhores alunas. Quando as notas dela eram boas, ele a recompensava. Se não fossem, ele a punia. Eu não concordava muito com ele, mas também não o impedia. Eu até achava que, se os métodos dele funcionassem, e ela realmente fosse bem, isso traria honra aos nossos ancestrais. Mas aos poucos descobri que, sob essa pressão, nossa filha estava se tornando antissocial. Ela se fechava em seu quarto sem conversar conosco, e sempre ficava brava comigo. Uma vez, meu marido brigou com ela por não conseguir decorar o I-Ching. Ela ficou tão brava, que saiu de casa correndo e bateu a porta. Nós a procuramos, mas não conseguimos achá-la em lugar nenhum. Ficamos apavorados, com medo do que poderia acontecer com ela. Tudo passava pela nossa cabeça. “E se ela sofrer um acidente de trânsito? Será que ela faria alguma besteira?” Ela acabou voltando para casa mais tarde, e fiquei aliviada. Naquela época, eu vi algumas notícias nos jornais que fizeram meu coração sair pela boca. Um aluno do ensino médio cometeu suicídio por causa da pressão acadêmica. Entrei na internet para procurar mais informações e fiquei apavorada com o que encontrei. Muitos alunos desenvolvem problemas psicológicos por causa da pressão acadêmica. Alguns se tornam antissociais ou perdem a habilidade de concentração, e alguns até se matam. Eu comecei a suar frio e não consegui dormir naquela noite.

No dia seguinte, fiquei preocupada com o que dizer à minha filha. Eu sabia que qualquer palavra errada a faria fugir de casa de novo ou coisa pior. Depois disso, passei vários dias nervosa. Mais uma vez, eu precisei analisar minha postura diante da educação da minha filha. Eu sempre idolatrei o conhecimento e achava que, obtendo conhecimento e fazendo faculdade, os caminhos se abririam para um futuro melhor. Mas minha filha estava desmoronando de tanto estresse! Eu não sabia o que fazer nem sabia como as coisas chegaram àquele ponto. Eu questionava por que a vida era tão sofrida! Um dia, nos meus devocionais, assisti a dois vídeos de leituras da palavra de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Desde que o homem começou a ter as ciências sociais, a mente humana foi ocupada pela ciência e pelo conhecimento. Depois, ciência e conhecimento tornaram-se ferramentas para governar a humanidade e não houve mais espaço suficiente para o homem adorar a Deus, não houve mais condições favoráveis para a adoração a Deus. A posição de Deus no coração do homem decresceu mais ainda. Um mundo no coração do homem que não tem lugar para Deus é escuro, vazio e sem esperança. E assim surgiram muitos cientistas sociais, historiadores e políticos para elaborar teorias de ciências sociais, a teoria da evolução humana e outras que contradizem a verdade de que Deus criou o homem, para encher o coração e a mente humana. Dessa forma, aqueles que acreditam que Deus criou todas as coisas se reduzem a cada vez menos; já a quantidade dos que acreditam na teoria da evolução cresce cada vez mais. Mais e mais pessoas consideram como mitos e lendas os registros da obra de Deus e de Suas palavras na era do Antigo Testamento. No seu coração, essas pessoas se tornam indiferentes e à dignidade e grandeza de Deus, ao princípio de que Deus existe e mantém domínio sobre todas as coisas. A sobrevivência da humanidade e o destino de países e nações não têm mais importância para elas. O homem vive em um mundo vazio, preocupado apenas com comer, beber e buscar o prazer…” “Satanás usa o conhecimento como isca. Escute atentamente: conhecimento é só um tipo de isca. As pessoas são seduzidas a estudar com afinco e aprimorar-se dia após dia, a usar o conhecimento como arma e armar-se com ele e, então, usar o conhecimento para abrir a porta de entrada para a ciência; em outras palavras, quanto mais conhecimento você ganhar, mais você entenderá. Satanás diz às pessoas tudo isso; ele diz às pessoas que fomentem ideais elevados quando estão adquirindo conhecimento, instruindo-as a desenvolver ambições e ideais. Sem que o homem se dê conta, Satanás transmite muitas mensagens como essa, fazendo com que as pessoas sintam inconscientemente que essas coisas são corretas ou benéficas. Inconscientemente, as pessoas colocam os pés nessa senda, sem que o saibam, são levadas adiante por seus próprios ideais e ambições… Seduzidas por Satanás, elas, sem saber, percorrem a estrada que foi preparada para elas. Enquanto percorrem essa estrada, elas são forçadas a aceitar as regras de vida de Satanás. Completamente inconscientes, elas desenvolvem suas próprias regras pelas quais vivem, mas essas não são nada mais que regras de Satanás, que ele forçosamente incutiu nelas. Satanás as obriga durante o processo de aprendizagem a fomentar seus próprios objetivos e a determinar seus próprios objetivos de vida, regras pelas quais vivem e o rumo na vida, durante todo o tempo incutindo nelas as coisas de Satanás, usando narrativas, biografias e todos os outros meios possíveis para seduzir as pessoas, pouco a pouco, até que mordam a isca” (“A Palavra manifesta em carne”). “Satanás corrompe as pessoas por meio da educação e da influência de governos nacionais, dos famosos e grandes. Seus absurdos e mentiras têm se tornado parte da vida e da natureza do homem. ‘Cada um por si e o demônio pega quem fica por último’ é um ditado satânico popular que tem sido plantado em cada um e tem se tornado a vida do homem. Existem outros dizeres das filosofias para viver que também são semelhantes. Satanás usa a boa cultura tradicional de cada nação para educar as pessoas, fazendo com que a humanidade caia e afunde em um abismo de destruição sem limites, e no fim as pessoas são destruídas por Deus por servirem a Satanás e resistirem a Deus” (“Registros das falas de Cristo”).

A palavra de Deus aponta para a fonte de todo o sofrimento humano. Somos encharcados pelos venenos de Satanás por meio da educação do governo e da influência de pessoas famosas e da cultura tradicional, como “O conhecimento pode mudar seu destino”, “O destino de uma pessoa está em suas próprias mãos”, e “Ser um estudioso é estar no topo da sociedade”. Isso tudo faz com que busquemos conhecimento, que pensemos que conhecimento é tudo, e assim podemos nos destacar da multidão e ter uma vida boa. Nós começamos a buscar e idolatrar o conhecimento, negando a existência e a soberania de Deus. Nós evitamos e resistimos a Deus, que está ausente em nosso coração. Perdemos o cuidado e a proteção Dele, e Seu sustento de vida. Nós nos tornamos vazios e degenerados. Muita gente tem conhecimento, renome e o respeito dos outros, mas suas vidas são vazias e dolorosas. Muitos oficiais de alta patente são inteligentes e possuem diplomas, mas têm também problemas com dinheiro, poder e status. Eles enganam, armam e matam uns aos outros, e alguns deles cometem suicídio ou são mortos pelos outros. A inteligência e o status de uma pessoa não têm nenhum impacto no seu destino ou resultado final. Os ditados “O destino de uma pessoa está em suas próprias mãos” e “O conhecimento pode mudar seu destino” são mentiras de Satanás para enganar e corromper as pessoas. Deus criou o homem. A humanidade necessita da salvação de Deus e de Seu sustento de vida. A humanidade precisa adorar só a Deus e se submeter à Sua soberania para obter um bom desfecho. As pessoas evitam e renunciam a Deus, achando que o conhecimento pode mudar seu destino. No fim das contas, elas resistem a Deus e perecem. É como Deus disse: “Se confiar no seu conhecimento e na sua habilidade em seus empreendimentos, você sempre será um fracasso e sempre estará destituído das bênçãos de Deus” (“A Palavra manifesta em carne”). Eu era exatamente assim! Antes de acreditar em Deus, eu vivia sob princípios satânicos, como “O conhecimento pode mudar seu destino” e “Ser um estudioso é estar no topo da sociedade”. Eu não poupava esforços nos meus estudos para entrar na faculdade e me sobressair. Quando meus sonhos falharam, eu achei que não tinha mais perspectiva, que a vida não tinha significado. Depois de ter a minha filha, impus a ela esses princípios satânicos, além de pressioná-la sem parar. No final, por causa desse ambiente opressivo, ela se tornou teimosa, frágil, antissocial e nervosa. Ela não conseguia ser sincera comigo, e a nossa relação de mãe e filha se tornou hostil. Eu vivia sob os princípios de sobrevivência de Satanás. Eu não só ficava exausta, mas também forçava a minha filha a se esforçar, quase arruinando a vida dela. Isso vem do dano causado por Satanás. Eu sabia que, se eu continuasse a viver sob os princípios de Satanás, querendo que a minha filha mudasse seu destino por meio de conhecimento e habilidades, eu só a prepararia para o fracasso. Foi então que eu entendi: o destino e as perspectivas de futuro da minha filha não são determinados por ela fazer faculdade ou não. Adorar a Deus é o único caminho para um futuro positivo. Como pais, precisamos ensinar aos nossos filhos com base na verdade da palavra de Deus e guiá-los pela senda correta na vida. Essa é a nossa responsabilidade para com eles.

Nos dias seguintes, parei de forçar minha filha a estudar e ser a melhor aluna da sala. Eu deixei as coisas fluírem. De noite, eu lia a palavra de Deus com ela e lhe ensinava como Deus criou o céu, a Terra e todas as coisas, como as pessoas são corrompidas por Satanás, como Deus nos salva e etc. Quando minha filha encontrava dificuldades, ela sabia orar e confiar em Deus. Aos poucos, ela foi ficando mais sensata e passou a sorrir mais. As notas dela ficaram ainda melhores do que antes, e a nossa relação ficou mais harmoniosa. Um dia, li esta passagem da palavra de Deus: “Começaremos tratando do aspecto mais superficial do conhecimento. A gramática e as palavras nas línguas são capazes de corromper as pessoas? Palavras podem corromper as pessoas? (Não.) Palavras não corrompem pessoas; elas são uma ferramenta que as pessoas usam para falar e também são uma ferramenta com a qual as pessoas se comunicam com Deus, sem mencionar que, atualmente, língua e palavras são o modo como Deus Se comunica com as pessoas. Elas são ferramentas e são uma necessidade. Um mais um é igual a dois, e dois multiplicado por dois é igual a quatro; isso não é conhecimento? Mas isso pode corromper você? Isso é conhecimentoé um padrão fixoe assim não pode corromper as pessoas. Então, que tipo de conhecimento corrompe as pessoas? Conhecimento que corrompe é conhecimento que se misturou com os pontos de vista e pensamentos de Satanás, Satanás procura inculcar esses pontos de vista e esses pensamentos na humanidade por meio da mídia do conhecimento. Por exemplo, em um artigo, não há nada errado com as palavras escritas em si. O problema está nos pontos de vista e na intenção do autor quando escreveu o artigo, bem como no conteúdo dos seus pensamentos. Essas são coisas do espírito e elas são capazes de corromper as pessoas” (“A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus esclareceram as coisas sobre ter conhecimento. O conhecimento prático é uma coisa positiva que todo mundo deve ter, porque melhora nosso calibre. Devemos abordar isso corretamente. Conhecimento sobre escrita e música são bons. Algum conhecimento científico também é bom, como aprender sobre máquinas, química, física, além de medicina e culinária. Precisamos dessas ferramentas para sobreviver, e devemos entendê-las bem. Mas o conhecimento não é a verdade. Ele não pode mudar uma pessoa ou se tornar a vida dela. Ele não deve ser idolatrado cegamente. Por mais que as pessoas aprendam, a menos que vivam segundo a verdade, elas nunca escaparão da corrupção de Satanás. A vida delas será dolorosa e vazia, e quando os grandes desastres acontecerem, todas elas perecerão. Eu não entendia a verdade e não sabia como abordar o conhecimento. Eu estava envenenada por Satanás, pensando que buscar conhecimento poderia mudar o meu destino e me ajudar a me destacar. Quando meus sonhos foram despedaçados, depositei todas as minhas esperanças nos ombros da minha filha. Gastei todo o meu tempo, dinheiro e energia nos estudos dela, forçando-a a entrar na faculdade. Mas ela só se tornou cada vez mais antissocial e quase fugiu de casa. Satanás havia me ferido profundamente, é verdade, mas machucou ainda mais a minha filha. Toda a nossa família foi prejudicada pela falácia satânica de que “O conhecimento pode mudar seu destino”. As palavras de Deus Todo-Poderoso me mostraram como Satanás usa o conhecimento para enganar e corromper as pessoas. O conhecimento não é a verdade. Ele não pode nos mudar nem nos salvar. Só Deus é a verdade, e só as palavras de Deus podem nos salvar. Entendi que guiar a minha filha a crer em Deus, estudar a palavra Dele e buscar a verdade são a única senda correta na vida.

Um dia, minha filha me contou sobre outros alunos que discutiam, brigavam, fumavam, bebiam e namoravam abertamente. A escola fazia vista grossa para esses comportamentos, e os pais não podiam fazer nada. Quando eu perguntei à minha filha o que ela achava, ela disse: “Eu acredito em Deus. Eu não faço essas coisas, porque sei que Deus não gosta.” Fiquei muito emocionada. Se eu não a tivesse trazido para diante de Deus nem a fizesse ler as palavras Dele para entender a verdade, ela poderia ter ido pela mesma senda errada daqueles alunos. Foi a palavra de Deus Todo-Poderoso que me transformou, que me libertou dos grilhões do conhecimento e me ajudou a guiar a minha filha na senda correta. Do fundo do meu coração, eu agradeço a Deus Todo-Poderoso por toda a sua proteção e salvação!

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

A libertação do coração

Deus Todo-Poderoso diz: “A obra realizada por Deus durante esta era é principalmente a provisão das palavras para a vida do homem, a...

Toda palavra de Deus é uma expressão do Seu caráter

Sempre que eu via estas palavras ditas por Deus, ficava ansiosa: “Cada sentença que proferi contém o caráter de Deus. Vocês farão bem em ponderar com cuidado Minhas palavras e certamente tirarão muito proveito delas” (de ‘É muito importante entender o caráter de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).