O Próprio Deus, o Único II (Trecho V)

Não se deve confiar na experiência e na imaginação para conhecer o caráter justo de Deus

Quando você se encontrar face ao julgamento e do castigo de Deus, você dirá que a palavra de Deus é adulterada? Você dirá que há uma fábula por trás da raiva de Deus e que a Sua raiva é adulterada? Você difamará a Deus, dizendo que o Seu caráter não é necessariamente de todo justo? Ao lidar com cada um dos atos de Deus, você deve primeiro estar certo de que o caráter justo de Deus é isento de quaisquer outros elementos, que ele é santo e irrepreensível; esses atos incluem o abatimento, a punição e a destruição da humanidade por Deus. Sem exceção, cada um dos atos de Deus é feito em estrito acordo com o Seu caráter inerente e o Seu plano — isso não inclui conhecimento, tradição e filosofia humanos — e cada um dos atos de Deus é uma expressão de Seu caráter e substância, sem relação com qualquer coisa que pertença à humanidade corrupta. Na concepção do homem, somente o amor, a misericórdia e a tolerância de Deus para com a humanidade são infalíveis, puros e santos. No entanto, ninguém sabe que a raiva de Deus e a Sua ira são igualmente inadulteradas; além disso, ninguém contemplou perguntas como por que Deus não tolera ofensa ou por que a Sua raiva é tão grande. Ao contrário, alguns confundem a ira de Deus com a índole da humanidade corrupta; eles entendem a raiva de Deus como raiva da humanidade corrupta; eles até presumem, erroneamente, que a raiva de Deus seja igual à revelação natural do caráter corrupto da humanidade. Eles acreditam erroneamente que a emissão da ira divina é tal qual a raiva da humanidade corrupta, que surge do desagrado; eles até acreditam que a emissão da ira de Deus seja uma expressão do Seu humor. Depois desta comunhão, espero que todos vocês presentes não tenham mais quaisquer concepções errôneas, imaginações ou suposições quanto ao caráter justo de Deus e espero que, depois de ouvirem Minhas palavras, possam ter no coração de vocês um verdadeiro reconhecimento da ira do caráter justo de Deus, que vocês possam deixar de lado quaisquer entendimentos errôneos que tinham sobre a ira de Deus, que vocês possam mudar suas próprias convicções e visões errôneas da substância da ira de Deus. Além disso, espero que vocês possam ter uma definição exata do caráter de Deus em seu coração, que vocês não mais tenham dúvidas quanto ao caráter justo de Deus, que vocês não imponham qualquer raciocínio ou imaginação humanos ao verdadeiro caráter de Deus. O caráter justo de Deus é a própria substância verdadeira de Deus. Não é algo moldado ou escrito pelo homem. Seu caráter justo é Seu caráter justo e não tem nenhuma relação ou conexão com nada da criação. O Próprio Deus é o Próprio Deus. Ele nunca Se tornará parte da criação e, mesmo que Ele Se torne um membro dentre os seres criados, Seu caráter e substância inerentes não mudarão. Portanto, conhecer a Deus não é conhecer um objeto; não é dissecar algo, nem é entender uma pessoa. Se você usar seu conceito ou método de conhecer um objeto ou entender uma pessoa para conhecer a Deus, então você nunca será capaz de obter o conhecimento de Deus. Conhecer a Deus não depende de experiência ou imaginação, portanto, você nunca deve impor sua experiência ou imaginação a Deus. Não importa quão ricas a sua experiência e a sua imaginação possam ser, elas ainda são limitadas; além do mais, a sua imaginação não corresponde aos fatos, corresponde ainda menos à verdade e é incompatível com o verdadeiro caráter e substância divinos. Você nunca obterá êxito se confiar em sua imaginação para entender a substância de Deus. A única senda é, então: aceitar todas as coisas que provêm de Deus, depois gradualmente experimentá-las e entendê-las. Haverá um dia em que Deus irá iluminar você para realmente entendê-Lo e conhecê-Lo por causa de sua cooperação e por causa de sua fome e sede da verdade.

Extraído de “A Palavra manifesta em carne

Noções e imaginação jamais o ajudarão a conhecer a Deus

I

Conhecer a Deus não depende de experiência nem de imaginação. Estas nunca devem ser impostas a Deus. Por maiores que sejam a experiência humana e a imaginação elas são limitadas, não são fato nem verdade e também não refletem o verdadeiro caráter de Deus, e também são inconsistentes com a real essência de Deus. O caráter justo de Deus é Sua verdadeira essência; não é ditado pelo homem, nem igual à Sua criação. Deus é Deus, afinal, Ele nunca é parte da própria criação. Mesmo Se Ele entrar, Seu caráter e essência não mudarão, não mudarão.

II

Portanto, conhecer a Deus não é entender nem distinguir objetos, nem dissecar a matéria ou compreender outros humanos. O conhecimento de Deus não será alcançado por tais meios e caminhos. Conhecer a Deus não depende de experiência ou fantasia, são limitadas e não são o fato nem verdade. O caráter justo de Deus é Sua verdadeira essência; não é ditado pelo homem, nem igual à Sua criação. Deus é Deus, afinal, Ele nunca é parte da própria criação. Mesmo Se Ele entrar, Seu caráter e essência não mudarão. Nunca se compreenderá Deus confiando na imaginação. O único caminho para conhecer a Deus é assim: Aceite tudo o que vem Dele, experimente pouco a pouco.

III

Até que um dia Deus o ilumine para que possa entendê-Lo, e conhecê-Lo melhor, o resultado de sua cooperação com Deus e sua fome e sede pela verdade. O caráter justo de Deus é Sua verdadeira essência; não é ditado pelo homem, nem igual à Sua criação. Deus é Deus, afinal, Ele nunca é parte da própria criação. Mesmo Se Ele entrar, Seu caráter e essência não mudarão. O caráter justo de Deus é Sua verdadeira essência; não é ditado pelo homem, nem igual à Sua criação. Deus é Deus, afinal, Ele nunca é parte da própria criação. Mesmo Se Ele entrar, Seu caráter e essência não mudarão. Ele não mudará. Ele não mudará.

de Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado