Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

Capítulo 20. Somente a busca da verdade é a verdadeira crença em Deus

Em sua crença em Deus, todas as pessoas podem falar de doutrinas, dizendo: “nossas visões sobre a crença em Deus devem ser todas puras”, “devemos obedecer a Deus”, “devemos amar a Deus”, “devemos cumprir lealmente nossos deveres”, “não devemos nos rebelar contra Deus” e “devemos entender a nós mesmos”. Embora tenham falado com frequência sobre essas coisas, elas não as entendem. Ainda não existe uma compreensão real do significado real por trás dessas verdades. Vocês só entendem as palavras na superfície, mas não o significado espiritual ou o conteúdo interno das palavras. Por isso, vocês não têm verdade em seu coração. Vocês podem até ter alguma compreensão, porém, ela é muito superficial. Para aqueles veteranos da igreja que têm algumas experiências, eles entendem em seu coração algumas coisas simples, mas não conseguem expressar ou aplicar seu entendimento. Para aqueles que são novos na igreja, eles só podem falar de algumas doutrinas e pregar o evangelho, mas eles não entendem a verdade de forma alguma. Aqueles de vocês que são educados e cultos também não entendem a verdade. Não considere o seu entendimento de doutrinas ou significados literais como um entendimento da verdade. Alguns daqueles que acreditaram em Deus por um longo tempo, que são de bom calibre e que entendem relativamente bem o espírito, podem até ter alguma experiência da verdade, mas eles ainda não podem dizer que a entendem. Quando você fala de entendimento, de dez frases que você profere, talvez duas contenham um entendimento verdadeiro. O resto do que você diz é doutrinário, mas você sente que agora pode fazer isso – você pode pregar constantemente por um dia ou vários dias, não importa onde você vá, sempre tendo algo a dizer e sem nunca parar. Quando tiver terminado, você quer organizar essas palavras em um livro, copiá-las e distribuí-las, para fazer uma “biografia de celebridade” que, uma vez publicada, permitiria às pessoas comer e beber essas palavras e isso traria benefícios para todos. As pessoas não conseguem captar a verdade de jeito nenhum, quando muito entendem o significado literal. Quando tiverem se equipado até certo ponto, porque são inteligentes e têm boa memória, porque muitas vezes falam sobre a obra de Deus, o significado da encarnação, o mistério da encarnação e os métodos e as etapas da obra de Deus, elas mesmas sentem que possuem a verdade, que são abundantes com ela. Isso é tão insensato! Isso prova que nenhuma delas compreende a verdade. Agora as pessoas entendem algumas doutrinas, elas não entendem a si mesmas, muito menos têm algum sentido. Por entenderem algumas doutrinas, elas sentem que possuem a verdade, que não são tão insignificantes e se mantêm em pé, pensando: “Eu já li a palavra de Deus muitas vezes. Algumas palavras eu lembro com precisão e as gravei no meu coração. Onde quer que eu vá, se eu começar a falar, posso continuar por dias, e posso falar sistemática e profundamente sobre qualquer passagem das palavras de Deus”. Na verdade, você não entende nada. Por que se diz que você não entende? Um aspecto é que vocês não conseguem resolver problemas, não conseguem encontrar sua origem, nem conseguem discernir sua essência. Outro aspecto é que, seja qual for o problema ou a questão, seu conhecimento é apenas mal-concebido e ambíguo, e vocês não conseguem conectá-lo com a verdade.

Quanto ao ponto de vista da crença de alguém em Deus – como as pessoas acreditam em Deus, o que pode ser chamado de “crença”, que tipo de pessoa é crente, que tipo de pessoa tem Deus em seu coração, como explicar as palavras “crença em Deus”, como compreender essa verdade, que tipo de atitude mostra que o modo como alguém vê a crença em Deus está correto, que tipo de atitude mostra que o modo como alguém vê a crença em Deus é incorreto e como as pessoas devem acreditar em Deus – vocês alguma vez já consideraram essas coisas? Vocês todos parecem ser os gigantes da verdade. Você já considerou o que constitui a crença? Que coisas em sua vida diária são demonstração de incredulidade, que demonstrações são feitas por aqueles crentes que possuem uma crença real, que demonstrações são feitas por aqueles que não creem e, nas coisas com as quais você entra em contato na sua vida diária, quais delas têm a ver com a crença em Deus e quais delas não têm nada a ver com a crença em Deus – vocês podem falar claramente sobre essas coisas? Você realmente entende o significado da crença em Deus? Você entende que tipo de pessoa tem uma crença real ou que tipo de pessoa é um verdadeiro crente? Vocês entendem o significado de seres criados que acreditam em Deus? Isso envolve visões sobre a crença em Deus. Algumas pessoas dizem: “A crença em Deus é uma coisa boa e é o caminho certo. A crença em Deus é melhor que qualquer negócio ou carreira. A crença em Deus é a coisa mais importante na vida do homem”. “Desempenhar o próprio dever para com Deus enquanto crê em Deus é uma expressão prática.” “Crer em Deus é para ser salvo.” “Crer em Deus é satisfazer a Sua vontade.” Todos vocês já disseram essas coisas antes, não foi? Vocês realmente entendem essas palavras? Não, vocês não as entenderam realmente. Uma crença verdadeira em Deus nada tem a ver com acreditar Nele para ser salvo e menos ainda com ser uma boa pessoa. Também não se trata apenas de crer em Deus para ter semelhança humana. Na verdade, as pessoas não devem considerar sua crença em Deus como apenas uma crença de que existe um Deus e nada além disso; não é que você deva acreditar meramente que Deus é a verdade, o caminho, a vida e nada além disso. Nem é apenas que você reconheça Deus, muito menos é meramente crer que Deus é o Regente de todas as coisas, que Deus é todo-poderoso, que Deus criou todas as coisas no mundo, que Deus é único e que Deus é supremo. Não é meramente para que você acredite nesse fato; pelo contrário, a vontade de Deus é que todo o seu ser e seu coração seja dado a Deus e se submeta a Deus, isto é, você deve seguir a Deus, permitir que Deus o utilize, estar disposto a servi-Lo e que você faça qualquer coisa por Deus. Não é que só aqueles predestinados e escolhidos por Deus devem acreditar Nele. Na verdade, toda a humanidade deve adorar a Deus, dar atenção a Ele e obedecer-Lhe, porque a humanidade foi feita por Deus. Isso agora toca na questão da essência. Se você sempre fala sobre seus propósitos em acreditar em Deus, dizendo: “Não acreditamos em Deus para ganhar a vida eterna? Não acreditamos em Deus para ser salvos?”, como se a sua crença em Deus fosse como algum tipo de assunto periférico, crendo meramente para ganhar algo, então essa não é a visão que você deveria ter de sua crença em Deus. Em relação a toda e qualquer verdade, as pessoas devem buscar, tentar descobrir e investigar qual é o significado interno da verdade, como praticar esse aspecto da verdade e como se pode entrar nela – essas são as coisas que as pessoas devem possuir. Em todos os aspectos da verdade que vocês deveriam possuir agora, vocês só entendem a doutrina superficial, a aparência externa, e vocês não entendem a essência da verdade, já que você não a vivenciou. Por exemplo: há muita verdade contida no aspecto de alguém cumprir o dever, há também muita verdade contida no aspecto de o homem amar a Deus e, para conhecerem a si mesmas, as pessoas devem entender muita verdade. Há muita verdade do significado e mistério da encarnação que também deve ser entendida. Há muita verdade contida nas questões tais como: de que modo as pessoas devem adorar a Deus, de que modo devem se comportar, de que modo devem obedecer a Deus, o que devem fazer para se conformar com a vontade de Deus e de que modo devem servir a Deus. Como vocês consideram ou tentam descobrir as questões de todos esses aspectos da verdade? Há verdade que é especialmente profunda dentro de cada aspecto, e ela exige que as pessoas a vivencie. Se você não a vivencia e apenas fala sobre a superfície das palavras, nunca as descobrindo ou experimentando a partir de suas profundezas, você viverá para sempre na superfície das palavras e será incapaz de mudar.

Quando pessoas comuns fazem comentários sobre vocês que são líderes, vocês dizem: “Epa, o que o torna qualificado para fazer comentários sobre mim? Quantos sermões você pode dar? Quanto você pode falar? Quantas pessoas você pode liderar? O que você pode fazer?”. É como se vocês estivessem qualificados. Se vocês continuarem assim, estarão em apuros; vocês podem servir por um tempo, mas então vocês vão errar. No que se refere a todos vocês, se as igrejas em uma área são confiadas a vocês e ninguém os supervisiona por seis meses, vocês começam a se perder. Se ninguém o supervisiona por um ano, você as conduz para longe e as perde. Dois anos se passam e ainda ninguém está supervisionando você, e você traz essas pessoas diante de você. Por que isso? Vocês alguma vez já consideraram essa questão? Digam-Me, vocês poderiam ser assim? Seu conhecimento pode suprir as pessoas por um momento. Conforme o tempo passa, se você continuar dizendo a mesma coisa, algumas pessoas poderão perceber; elas dirão que você é muito superficial, muito carente de profundidade. Você não terá outra opção senão tentar e enganar as pessoas falando doutrinas. Se você continuar assim para sempre, as pessoas subordinadas a você seguirão seus métodos, passos e modelo para crer em Deus e vivenciar, e colocarão essas palavras e doutrinas em prática e, no final, visto que você fala dessa maneira, elas usarão você como exemplo. Você profere doutrinas quando lidera pessoas e aquelas subordinadas a você aprenderão doutrinas de você e, na medida em que as coisas progridem, você terá tomado o caminho errado. As pessoas subordinadas a você seguem sua senda e todas elas aprendem de você e seguem você, assim você sente: “Eu sou poderoso agora; tantas pessoas me ouvem e o mundo está à minha disposição”. Essa natureza traidora dentro do homem inconscientemente faz com que você transforme Deus em um mero líder nominal, e você mesmo então forma alguma religião, alguma denominação. É assim que surgem as várias denominações. Olhe para os líderes de cada denominação. São todos arrogantes e praticantes de justiça própria; eles interpretam a Bíblia fora de contexto e de acordo com sua própria imaginação. Eles todos se fiam em seus dons e em sua erudição para realizar seu trabalho. Se fossem incapazes de pregar qualquer coisa, será que aquelas pessoas iriam segui-los? Afinal de contas, eles, de fato, possuem certa erudição e conseguem falar um pouco de doutrina, ou sabem como conquistar as pessoas e como usar alguns artifícios por meio dos quais atraíram pessoas para si e as enganaram. Essas pessoas acreditam em Deus só de nome – mas, na realidade, seguem seus líderes. Se encontrassem aqueles que pregam do verdadeiro caminho, alguns iriam dizer: “Temos que consultar nosso líder sobre nossa crença em Deus”. Eles precisam da aprovação de alguém para acreditar em Deus; será que isso não é um problema? Então, no que esses líderes se transformaram? Será que não se tornaram em fariseus, falsos pastores, anticristos e pedras de tropeço para que as pessoas aceitem o caminho verdadeiro? Tais pessoas são do mesmo tipo de Paulo. Por que dizer isso? As epístolas escritas por Paulo têm quase dois mil anos e permearam toda a Era da Graça. Todas as pessoas comeram e beberam suas palavras e tomaram suas palavras como norma, tais como, sofrer, disciplinar o próprio corpo e receber a coroa final da justiça. As pessoas acreditavam em Deus de acordo com as palavras e as doutrinas dele. Quanto da vontade de Deus as pessoas podiam entender durante a Era da Graça? Afinal de contas, aquelas que seguiram Jesus naquela época eram minoria e aquelas que O conheceram eram ainda menos – até vários de Seus discípulos não O conheceram realmente. Não se pode dizer que uma pequena luz que o homem vê nas páginas da Bíblia representa a vontade de Deus. Muito menos pode ser dito que um pouco de esclarecimento significa um entendimento de Deus. As pessoas são arrogantes e vaidosas e não mantêm Deus em seu coração. Com algum entendimento doutrinal, elas se estabelecem e formam muitas denominações. Felizmente, essa era a Era da Graça e Deus não foi rigoroso com o homem; todas as denominações em nome de Jesus foram operadas pelo Espírito Santo e tudo foi feito pelo Espírito Santo, exceto as ocasiões em que o trabalho dos espíritos malignos foi feito, de modo que a maioria das pessoas ainda desfrutou a graça de Deus.

Não importa se você seguiu outra pessoa ou não satisfez a vontade de Deus quando acreditou em Deus anteriormente, você deve vir diante de Deus durante esta etapa da obra dos últimos dias. Se você continuar a seguir alguém com base em experimentar esta etapa da obra, você será considerado imperdoável e terminará exatamente como Paulo. Desde o início, usei Paulo e Pedro como exemplos. Por quê? Essas são duas sendas distintas. Se alguém em sua crença em Deus não andar na senda de Pedro, anda na senda de Paulo. Essas são as duas únicas sendas. Não importa se você é um seguidor ou um líder, é tudo a mesma coisa. Se você não tomar a senda de Pedro, você andará pela senda de Paulo. É inevitável e não há terceira senda a andar. Se as pessoas não entenderem a vontade de Deus, não conhecerem a Deus, não buscarem entender a verdade e não puderem obedecer a Deus absolutamente, no final elas deverão acabar como Paulo. Se você não buscar conhecer a Deus, não buscar entender a vontade de Deus, mas apenas procurar falar e equipar-se com doutrinas, você só poderá desafiar e trair Deus, porque a natureza do homem é desafiar a Deus. É garantido que aquelas coisas que não se ajustam à verdade surgem da vontade do homem. Não se pode dizer que elas ainda não são tão ruins, apesar delas não estarem de acordo com a verdade. Alguns dizem: “Embora essas coisas não sejam feitas de acordo com a verdade, eu ainda não acho que elas desafiam Deus”. Se você faz algo que não está de acordo com a verdade, seguramente isso desafia Deus. Se não for feito de acordo com a verdade, então é feito de acordo com as doutrinas e com a vontade do homem. Terá surgido de Satanás ou da vontade do homem. Isso desafia a Deus. Aqueles que não buscam a verdade, embora creiam em Deus, são incapazes de obedecer a Deus e são capazes apenas de desafiá-Lo.

Anterior:Capítulo 19. O sentido de Deus experimentar a dor do mundo

Próximo:Capítulo 22. Como entender o relacionamento entre a carne de Deus e o Espírito