133. Os princípios do tratamento de irmãos e irmãs que são novos na fé

(1) Os recém-chegados devem ser regados com a verdade da visão, resolvendo-se todas as suas noções e imaginações, para que possam estabelecer uma base firme no caminho verdadeiro o mais rápido possível;

(2) Não se deve pedir demais de recém-chegados. Suas noções e dificuldades devem ser resolvidas pronta e pacientemente, através da comunhão sobre a verdade;

(3) Não se deve usar regulamentos para controlar os outros. Todas as pessoas devem ser regadas com a verdade com base em suas situações reais, e não se deve tentar fazer um pato subir num poleiro, ou seja, exigir dos outros o que eles não podem fazer;

(4) Seja sábio na maneira de tratar os que são novos na fé. Deve-se tomar precauções contra os de humanidade fraca que não amam a verdade, e nunca se deve revelar informações pessoais ou da igreja.

Trechos de sermão e comunhão para referência:

Regar novos crentes para que eles possam estabelecer rapidamente uma fundação firme no caminho verdadeiro e entrar na trilha certa em sua fé é o trabalho mais fundamental e essencial da casa de Deus. As verdades com as quais os novos crentes devem ser regados incluem: a verdade dos três estágios da obra de Deus; a verdade da encarnação de Deus; a verdade dos nomes de Deus; a verdade das diferenças entre a obra de Deus e o trabalho do homem; a verdade de discernir o Cristo verdadeiro dos cristos falsos; a verdade de conhecer a obra do Espírito Santo e de discernir o trabalho de espíritos malignos; a verdade de trazer as palavras de Deus para a vida real; e a verdade de ser uma pessoa honesta etc. Regue essas verdades na profundeza do coração de todos aqueles que acabaram de aceitar a obra de Deus para que eles possam estabelecer bons fundamentos. Isso pode garantir que eles serão capazes de permanecer firmes no caminho verdadeiro e de não trair nem negar a Deus, independentemente das perturbações de Satanás, o diabo, que possam encontrar. Somente quando se alcança esse resultado, eles servem a Deus de acordo com Sua vontade e genuinamente fazem a vontade de Deus.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Devemos ser claros quando regamos esses recém-chegados dos incrédulos, devemos ser amorosos e pacientes e não devemos fazer exigências que sejam altas demais nem podar e lidar com eles. Devemos esperar até que entendam algo da verdade e tenham um fundamento antes de fazer exigências rígidas ou de podá-los e lidar com eles. Não importa há quantos meses um recém-chegado dos incrédulos tenha acreditado, contanto que ele tenha calibre bom e algum anseio pela verdade, devemos lhe dar ou emprestar livros para ler, enquanto aqueles que têm acreditado por pelo menos seis meses devem receber todos os livros de testemunhos experienciais. Quando regamos e pastoreamos recém-chegados dos incrédulos, não deve haver meias medidas. Na verdade, não são tão diferentes daqueles que foram conquistados de outras denominações; sua humanidade é a mesma, só lhes falta algum conhecimento da Bíblia, e isso não é um problema grave. Eles não devem ser discriminados nem vistos como ignorantes demais; depois de um ano de crença, eles não parecerão mais tão retrógrados. Se não puderem ser regados de modo oportuno, porém, algumas vidas serão arruinadas. É por isso que o momento deve ser aproveitado para regar e prover sinceramente para cada recém-chegado dos incrédulos, para fazê-lo sentir o amor de Deus pela humanidade e o calor da casa de Deus e, ainda mais, fazê-lo perceber que Deus é genuíno e crível. Isso está de acordo com a vontade de Deus. Comparados com aqueles que foram conquistados de outras denominações, aqueles dentre os incrédulos que aceitam o caminho verdadeiro são mais puros e conseguem aceitar coisas novas de forma mais rápida. No entanto, ainda não se deve contar-lhes nada relacionado aos decretos administrativos da igreja. Devem ser tratados com sabedoria e ser informados mais sobre as regras da casa de Deus. Eles devem ser proibidos de participar aleatoriamente de qualquer reunião em grupo pequeno e de fazer perguntas sobre assuntos da igreja; além disso, devemos estar atentos àqueles que parecem suspeitos, àqueles dos quais pouco se sabe. Esses são os princípios que devem ser entendidos para a rega e a guiança de recém-chegados.

Para esses recém-chegados dos incrédulos, não devemos estipular uma participação semanal obrigatória em reuniões. As reuniões devem ser determinadas com base em suas circunstâncias reais, e não deve haver excesso nem falta de reuniões; o número de reuniões pode ser decidido pela maioria. Em reuniões com esses novos crentes, devemos ler as palavras de Deus, ensinar-lhes hinos e danças, ensinar-lhes a orar, para que possam entrar numa vida espiritual normal. Dessa forma, após acreditarem por vários meses, eles serão capazes de cumprir deveres. Sejam especialmente amorosos e pacientes com eles e os reguem e provejam para eles apropriadamente. Não abafem sua positividade nem sufoquem seu entusiasmo sob circunstância alguma. Todos nós fomos incrédulos no passado; só acontece que viemos a crer em Deus antes deles. Seria errado menosprezar esses recém-chegados por essa razão. Aos olhos de Deus, não importa quem acreditou primeiro e quem acreditou depois. Todos que ganham a verdade têm uma boa fé. Contanto que estejam dispostos a buscar a verdade, após alguns anos de crença, eles serão iguais a nós.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

A quarta característica é ter sabedoria em suas interações. Algumas pessoas dizem: “Conviver em harmonia com irmãos e irmãs exige sabedoria?” Sim, pois usar sabedoria proporciona benefícios ainda maiores para seus irmãos e irmãs. Alguns perguntarão: “Empregar sabedoria com irmãos e irmãs não é ser astuto?” Sabedoria não é astúcia. Pelo contrário: é o oposto exato da astúcia. Usar a sabedoria significa prestar atenção a como você fala com os irmãos e irmãs quando forem de pequena estatura, caso não consigam aceitar o que você diz. Além disso, para pessoas de pequena estatura, principalmente as que não possuem a verdade, que revelam alguma corrupção e têm alguns caracteres corrompido, se você for simples e aberto demais e lhes contar tudo, você dará a elas algo para usar contra você ou para explorar você. Você deve, por assim dizer, tomar algumas precauções e ter alguma técnica ao falar. Mas ser cauteloso com as pessoas não significa não as ajudar nem ter amor por elas. Significa apenas não lhes contar imediatamente algumas coisas importantes sobre a casa de Deus e simplesmente comunicar-lhes a verdade. Se precisarem de assistência espiritual na vida, se exigirem o sustento da verdade, precisamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para satisfazê-las nesse aspecto. Mas se elas perguntarem acerca de uma coisa ou outra sobre a casa de Deus ou isso e aquilo sobre seus líderes e obreiros, não há necessidade de lhes contar. Se você contar, é provável que divulguem essas informações, e isso afetará a obra da casa de Deus. Em outras palavras, se for algo que não devem saber ou que não tenham necessidade de saber, não diga a elas. Se for algo que devem saber, faça todo o possível para lhes contar, de maneira concreta e sem reservas. Então, que coisas elas devem saber? A busca da verdade é o que elas devem saber: com qual verdade devem se equipar, quais aspectos da verdade devem compreender, quais deveres devem cumprir, quais deveres estão aptas para cumprir, como devem cumprir esses deveres, como viver a humanidade normal, como viver a vida da igreja — todas essas são coisas que as pessoas devem saber. Por outro lado, as regras e os princípios da casa de Deus, a obra da igreja e as situações de seus irmãos e irmãs não podem ser divulgados casualmente a pessoas de fora ou descrentes em sua família. Esse é o princípio que deve ser respeitado quando usamos a sabedoria. Os nomes e endereços de seus líderes, por exemplo, são coisas sobre as quais você jamais deve falar. Se você falar sobre essas coisas, jamais saberá quando essas informações caírem em ouvidos de descrentes, e isso pode se tornar um grande problema se forem transmitidas a alguns espiões do mal ou agentes secretos. Isso exige sabedoria, e é por isso que digo que possuir sabedoria é essencial. Além disso, quando está sendo simples e aberto, existem certas coisas privadas que não deve contar a qualquer um. Você precisa julgar a estatura de seus irmãos e irmãs para verificar se, após lhes contar, eles poderiam agir com impiedade e fazer piadas com o que você disser, criando problemas para você após isso se espalhar, prejudicando sua integridade. É por isso que ser simples e aberto também requer sabedoria.

Extraído de “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida”

Anterior: 132. Os princípios de tratar os outros de acordo com suas essências

Próximo: 134. Os princípios do tratamento de pessoas que amam a verdade

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro