131. Os princípios de tratar os outros de forma justa

(1) É necessário tratar todas as pessoas, eventos e coisas de acordo com a palavra de Deus a verdade. Somente tratar os outros atendo-se à verdade o princípio está de acordo com a vontade de Deus;

(2) Trate os pontos fortes e as fraquezas dos outros de modo apropriado. Não peça demais das pessoas nem exija que elas façam mais do que são capazes, e não as superestime ou menospreze;

(3) Seja amoroso com os escolhidos de Deus. Não se deixe guiar pela emoção nem alimente preconceitos em seu tratamento dos outros, e não os cerceie arbitrariamente. Considere-os do ponto de vista do desenvolvimento;

(4) Não inveje a virtude e o talento, e não exclua ou suprima aqueles que têm opiniões divergentes. Quando você descobrir pessoas de bom calibre que amam a verdade, recomende-as e promova-as;

(5) É necessário tratar os outros de acordo com suas essências. Uma boa pessoa que cometeu uma transgressão deve ser ajudada e apoiada com a comunhão amorosa da verdade, enquanto uma pessoa maligna deve ser desprezada e rejeitada.

Palavras de Deus relevantes:

Nas palavras de Deus, que princípio é mencionado em relação a como as pessoas deveriam tratar umas às outras? Amar o que Deus ama e odiar o que Deus odeia. Isto é, as pessoas que Deus ama, que verdadeiramente buscam a verdade e que fazem a vontade de Deus, são aquelas mesmas que você deveria amar. As que não fazem a vontade de Deus, que odeiam Deus, que desobedecem a Ele e a quem Ele despreza são as que nós também deveríamos desprezar e rejeitar. É isso que a palavra de Deus exige.

Extraído de ‘Só reconhecendo seus pontos de vista equivocados você pode se conhecer’ em “Registros das falas de Cristo”

O que, especificamente, envolve agir de acordo com os princípios? Por exemplo, no que diz respeito a como tratar os outros, quais são os princípios por trás de como você trata aqueles que têm status e aqueles que não têm, como também irmãos e irmãs comuns e vários níveis de líderes e obreiros? Você não pode tratar seus irmãos e irmãs da mesma forma como os incrédulos tratam as pessoas; você deve ser justo e sensato. Você não pode ser próximo deste, mas não daquele; tampouco deve formar grupinhos ou bandear. Você não pode intimidar pessoas porque não gosta delas nem bajular aquelas que são formidáveis. É a isso que se referem os princípios. Você deve ter princípios na forma com que lida com outras pessoas; você deve tratar todas elas de forma justa. Se você atrair aqueles que acha bastante bons para o seu lado ao mesmo tempo que exclui aqueles dos quais você acha difícil se aproximar, então você não carece de princípios? Essa é a filosofia dos incrédulos para viver no mundo e é o princípio por trás da maneira com que eles tratam outras pessoas. Isso é um caráter e uma lógica satânicos. De acordo com qual princípio você deve tratar os membros da família de Deus? (Trate cada irmão e irmã de forma justa.) Como você os trata de forma justa? Todos têm falhas e defeitos menores e também certas idiossincrasias; todas as pessoas possuem arrogância, fraqueza e áreas em que lhes falta algo. Você deve ajudá-las com um coração amoroso, ser tolerante e paciente e não ser duro demais ou fazer um escândalo por causa de cada detalhe minúsculo. No que diz respeito a pessoas que são jovens ou que não acreditam em Deus há muito tempo, ou que só recentemente começaram a cumprir seus deveres, essas pessoas que têm certas demandas especiais, se você se agarrar a essas coisas e as usar contra elas, você está sendo severo. Você ignora o mal causado por aqueles falsos líderes e anticristos, mas, ao detectar uma falha ou deficiência menor em seus irmãos e irmãs, você se recusa a ajudá-los, preferindo, em vez disso, fazer um escândalo por causa dessas coisas e julgá-los pelas costas, levando assim ainda mais pessoas a se opor a eles, a excluí-los e a bani-los. Que tipo de comportamento é esse? Isso é simplesmente você fazer as coisas com base em suas preferências pessoais e não ser capaz de tratar as pessoas de forma justa. Isso mostra um caráter satânico corrupto e é uma transgressão! Quando as pessoas fazem coisas, Deus está observando; o que quer que você faça ou como quer que você pense, Ele vê! Se deseja entender os princípios, você precisa primeiro entender a verdade. Uma vez que entende a verdade, você pode compreender a vontade de Deus. A verdade lhe diz como você deve tratar as pessoas, e uma vez que você tenha entendido isso, você saberá como tratar as pessoas de acordo com a vontade de Deus. Se não entender a verdade, você certamente não entenderá a vontade de Deus. As palavras de Deus mostram ou insinuam claramente como você deve tratar os outros; a atitude com a qual Deus trata a humanidade é a atitude que as pessoas deveriam adotar em seu tratamento, umas com as outras. Como Deus trata cada pessoa? Algumas pessoas são de estatura imatura, são jovens ou acreditam em Deus há pouco tempo. Deus pode ver essas pessoas como sendo nem ruins nem maliciosas por natureza e em essência; elas simplesmente são um tanto ignorantes, ou lhes falta calibre, ou foram poluídas demais pela sociedade. Elas não entraram na realidade da verdade, por isso, têm dificuldade de parar de fazer algumas coisas tolas ou de cometer alguns atos ignorantes. No entanto, sob a perspectiva de Deus, tais questões não são importantes; Ele vê apenas o coração dessas pessoas. Se elas estiverem determinadas a entrar na realidade da verdade, se estão indo na direção certa, e se esse for seu objetivo, Deus as estará observando, esperando por elas e dando-lhes tempo e oportunidades que permitem que elas entrem. Não é o caso que Deus as derruba com um golpe, tampouco Ele Se agarra a uma transgressão que cometeram uma vez e Se recusa a soltar; Ele nunca tratou as pessoas dessa forma. Dito isso, se as pessoas tratarem umas às outras dessa maneira, isso não mostra seu caráter corrupto? Isso é precisamente o seu caráter corrupto. Você deve observar como Deus trata pessoas ignorantes e tolas, como Ele trata pessoas de estatura imatura, como Ele trata as manifestações normais do caráter corrupto da humanidade e como Ele trata aqueles que são maliciosos. Deus trata pessoas diferentes de maneiras diferentes, e tem também várias maneiras de administrar a miríade de condições de pessoas diferentes. Você deve entender essas verdades. Uma vez que você tiver entendido essas verdades, você saberá como experimentá-las.

Extraído de ‘A fim de ganhar a verdade, você deve aprender com as pessoas, questões e coisas ao seu redor’ em “Registros das falas de Cristo”

Em seu cotidiano, em quais e em quantas situações vocês são tementes a Deus, e em quais coisas vocês não são? Vocês são capazes de odiar pessoas? Quando você odeia alguém, você é capaz de tomar atitudes graves contra essa pessoa ou vingar-se dela? (Sim.) Bem, então vocês são bem assustadores! Vocês não são tementes a Deus. Você ser capaz de fazer tais coisas significa que seu caráter é bastante vil, num grau bem sério! Amor e ódio são coisas que a humanidade normal deveria possuir, mas você deve diferenciar claramente entre aquilo que você ama e aquilo que você odeia. Em seu coração, você deve amar a Deus, amar a verdade, amar coisas positivas e amar seus irmãos e irmãs, enquanto deve odiar o diabo Satanás, odiar coisas negativas, odiar anticristos e odiar pessoas malignas. Se você abrigar ódio por seus irmãos e irmãs, você estará propenso a oprimi-los e se vingar deles; isso seria muito assustador. Algumas pessoas apenas têm pensamentos de ódio e ideias malignas. Após um tempo, se tais pessoas não conseguirem conviver com a pessoa que odeiam, elas começarão a se distanciar dela; no entanto, elas não permitem que isso afete seus deveres ou influencie seus relacionamentos interpessoais normais porque têm Deus em seu coração e O reverenciam. Não querem ofender Deus, e têm medo de fazê-lo. Embora possam abrigar certas opiniões sobre alguém, essas pessoas jamais colocam esses pensamentos em ação nem mesmo professam uma palavra sequer que seja imprópria, pois não querem ofender Deus. Que tipo de comportamento é esse? Isso é um exemplo de se comportar e lidar com as coisas com princípios e imparcialidade. Você pode ser incompatível com a personalidade de alguém e pode não gostar dele, mas quando trabalha com ele, você permanece imparcial e não desabafa suas frustrações em fazer seu dever, não sacrifica seu dever nem descarrega suas frustrações nos interesses da família de Deus. Você pode fazer as coisas de acordo com princípios; portanto, você tem uma reverência básica por Deus. Se você tiver um pouco mais do que isso, então, quando vir que alguém tem algumas falhas ou fraquezas — até se ele o ofendeu ou prejudicou seus interesses — você ainda é capaz de ajudá-lo. Fazê-lo seria ainda melhor; significaria que você é uma pessoa que possui humanidade, a realidade da verdade e reverência por Deus. Se você não consegue alcançar isso com sua estatura atual, mas consegue fazer as coisas, comportar-se e tratar as pessoas de acordo com princípios, então isso também conta como ser temente a Deus; isso é o mais fundamental. Se você não consegue nem alcançar isso e não consegue se conter, então você está em grande perigo e é bem assustador. Se lhe dessem um cargo, você poderia punir as pessoas e dificultar sua vida; você seria propenso a se tornar um anticristo a qualquer momento. Que tipo de pessoa é essa que se torna um anticristo? Ele ou ela não é uma pessoa que será eliminada? Quanto a se alguém é bom ou ruim e como ele ou ela deve ser tratado, as pessoas devem ter princípios próprios de comportamento; contudo, quanto ao desfecho dessa pessoa — se ele ou ela termina sendo punida por Deus ou se ele ou ela termina sendo julgada e castigada — é um assunto de Deus. As pessoas não devem interferir; Deus não permitiria que você tomasse a iniciativa em Seu nome. Como tratar essa pessoa é tarefa de Deus. Contanto que Deus não tenha decidido que tipo de desfecho tais pessoas terão, não as tenha expulsado e não as tenha punido, e elas estejam sendo salvas, então você deve ajudá-las pacientemente, por amor; você não deve esperar determinar o desfecho de tais pessoas nem deve usar meios humanos para reprimi-las ou puni-las. Você pode lidar com tais pessoas e pode podá-las ou abrir seu coração e se envolver em comunhão sincera para ajudá-las. Entretanto, se você considera punir, excluir e incriminar essas pessoas, então você estará em apuros. Fazer isso estaria de acordo com a verdade? Ter tais pensamentos resultaria de ter sangue quente; esses pensamentos vêm de Satanás e se originam no ressentimento humano, bem como no ciúme e no ódio. Tal conduta não está de acordo com a verdade. Isso é algo que faria cair retribuição sobre você e não está alinhado com a vontade de Deus. Você é capaz de inventar várias maneiras de punir pessoas porque você não gosta delas ou porque elas não se dão bem com você? Alguma vez você já fez esse tipo de coisa? Quanto disso você fez? Você não menosprezava sempre as pessoas indiretamente, fazia comentários mordazes e era sarcástico em relação a elas? (Sim.) Em que estados vocês se encontravam quando faziam tais coisas? Na época, vocês estavam desabafando e se sentiram felizes; vocês tinham vencido. Depois, porém, vocês pensaram consigo: “Fiz uma coisa tão desprezível. Eu não temo a Deus e tratei aquela pessoa de forma tão injusta”. Lá no fundo, vocês se sentiram culpados? (Sim.) Embora vocês não temam a Deus, vocês têm, pelo menos, algum senso de consciência. Assim, vocês ainda são capazes de fazer esse tipo de coisa novamente no futuro? Você ainda pode pensar em atacar e buscar vingança contra as pessoas, dificultando sua vida e lhes mostrando quem é o chefe sempre que você as desdenhar e não conseguir conviver com elas ou sempre que elas não obedecerem a você nem o ouvirem? Você dirá: “Se você não fizer o que eu quero, encontrarei uma oportunidade para punir você sem que alguém fique sabendo disso. Ninguém descobrirá, mas eu farei com que você se submeta diante de mim; eu lhe mostrarei o meu poder. Depois disso, ninguém ousará mexer comigo!”? Diga-Me o seguinte: que tipo de humanidade possui uma pessoa que faz tal coisa? Em termos de sua humanidade, ela é maliciosa. Quando comparada à verdade, ela não reverencia a Deus. Em sua fala e ações, ela não tem princípios; ela age arbitrariamente e faz tudo aquilo que lhe agrada. No que tange a ser temente a Deus, tais pessoas alcançaram a entrada na vida? É claro que não; a resposta é “não”, cem por cento. Se uma pessoa não alcançou entrada alguma no que diz respeito a reverenciar a Deus, então se pode dizer que nem um grama sequer do coração dessa pessoa reverencia a Deus?

Extraído de ‘Os cinco estados necessários para estar na trilha certa em sua fé’ em “Registros das falas de Cristo”

Se você sabe que a maneira com que trata os outros é injusta, por que continua a agir assim? O que o faz agir dessa maneira? Onde está com a cabeça? Por que é injusto com eles? Há algo mais por trás disso? Você diz: “Eu os menosprezo. Sou melhor do que eles. Não quero tratá-los com justiça. Quero passar por cima deles”. O que está acontecendo aqui? Isso é um caráter arrogante. Um caráter arrogante dá origem a esses estados dentro de você — você não quer tratar a pessoa com justiça nem avaliá-la com imparcialidade, muito menos falar sobre seus pontos positivos. Quando há um trabalho a fazer, você não quer escolhê-la para fazê-lo, pois, em seu coração, você a menospreza. Quando você entende esses estados, é fácil remediar sua opinião sobre essa pessoa? Não, não é. Portanto, um caráter dá origem a muitos estados, e esses estados estão dentro de você, controlando você, suas ações, sua fala, suas opiniões e como você trata as pessoas — eles controlam todo o seu ser. Como surgem esses estados? Eles surgem de seu caráter — é, na verdade, o seu caráter que controla você, não seu estado. Esse caráter o coloca contra a verdade. Portanto, se não usar a verdade para resolver esse caráter e reverter o curso de seu estado, você nunca estará livre de seu caráter satânico. Como, então, você pode reverter o curso de tais estados? Você deve se abrir para Deus, vir para diante Dele para orar, entender completamente a essência do problema e pedir que Deus o discipline e lide com você, que lhe dê confirmação e o faça entender. Em seguida, você deve ter o desejo de cooperar e renunciar a si mesmo. Diga: “Eu não voltarei a agir assim. O calibre dessa pessoa pode ser um pouco pobre, mas eu a tratarei como ela deve ser tratada. Se ela for apta a cumprir certo dever, pedirei que o cumpra. Se eu tiver um bom relacionamento com outra pessoa que não é apta para esse dever, não o atribuirei a ela. Em vez disso, eu o darei à primeira”. O curso do seu estado não foi revertido? Isto é, tendo abandonado sua maneira anterior de se comportar, você corrigiu as possíveis consequências do seu estado. Isso não é um aspecto de prática? Então, como você pode empreender esse tipo de prática? Você pode alcançar esse resultado se não cooperar e não renunciar nem um pouco à sua vontade subjetiva? De forma alguma. Portanto, a cooperação é essencial. Você deve cooperar absolutamente e ser capaz de obedecer absolutamente à verdade, e ter uma atitude de obediência à verdade e estar determinado a obedecer-lhe — somente então você será capaz de renunciar à sua vontade subjetiva individual e aos estados pessoais, e assim seu curso será gradualmente revertido. Talvez você venha a menosprezar alguém, e esse será seu estado — no entanto, se você não viver segundo esse estado, mas arranjar coisas que essa pessoa pode fazer e a tratar com justiça, sempre que essa pessoa for mencionada, sua consciência estará tranquila e você sentirá que não errou segundo Deus. Você está praticando a verdade, e, depois de um tempo, sua opinião sobre essa pessoa mudará. Como isso acontece? É Deus quem faz isso. Aos poucos, a verdade começa a fazer efeito dentro de você, mudando seu estado e revertendo o curso deste. No início, é difícil para você; após ter feito uso dessa pessoa, seu coração se abala sempre que você a vê e você sente que perdeu sua integridade. A despeito de ter feito uso dela, você não quer conversar muito com ela e, em seu coração, ainda a menospreza. Seu estado ainda não foi revertido completamente, o que significa que a raiz de seu caráter corrupto ainda está ali. O fato de um estado tão pequeno poder causar-lhe tanta dor — isso não é um problema de caráter? É um problema na natureza-essência do homem. À medida que reverte seu curso gradualmente, você conversa mais com essa pessoa, se comunica mais com ela e a entende mais; você vê seus pontos fortes e descobre que ela é, de fato, apropriada para certos deveres. Então, aos poucos, você virá a reconhecer sua maldade e vergonha, e que suas ações atuais e a maneira com que trata a pessoa agora são imparciais e estão em conformidade com a verdade, e então seu coração ficará tranquilo. Isso, porém, é apenas o começo. Quando deparar com o mesmo problema de novo, você não será necessariamente capaz de usar os mesmos métodos que usou com a pessoa anterior para lidar com ele. Outros e diferentes estados podem entrar no jogo ou o ambiente pode ser diferente, como também as pessoas, os assuntos ou as coisas, para testar quanto você ama a verdade e a sua determinação de renunciar ao seu caráter corrupto e à sua vontade. Essas são as provações de Deus. Em todas as interações com os outros, a qualquer momento e seja quem for, e sendo seu relacionamento bom ou ruim, se eles são próximos de você ou não, se o bajulam ou não, e qualquer que seja seu calibre — quando você for capaz de tratá-los justa e corretamente, seu estado terá mudado completamente. Quando a maneira com que você trata os outros não depender de suas imaginações, emoções ou de seu sangue quente, você terá ganhado esse aspecto da verdade.

Extraído de ‘A senda para resolver um caráter corrupto’ em “Registros das falas de Cristo”

Como líderes da igreja, vocês devem aprender a descobrir e cultivar talentos e não ter inveja de pessoas talentosas. Dessa maneira, o dever de vocês será cumprido satisfatoriamente e vocês terão cumprido a sua responsabilidade; também terão feito o máximo para ser leais. Algumas pessoas sempre temem que outros roubem seus holofotes e as ultrapassem, obtendo reconhecimento, enquanto elas mesmas são negligenciadas. Isso as leva a atacar e excluir os outros. Isso não é um caso de ter inveja de pessoas mais capazes do que elas mesmas? Tal comportamento não é egoísta e desprezível? Que tipo de caráter é esse? É malicioso! Pensar apenas em si mesmo, satisfazer apenas seus próprios desejos, não demonstrar consideração pelos deveres de outros e pensar apenas em seus próprios interesses e não nos interesses da casa de Deus — pessoas desse tipo têm um caráter ruim, e Deus não tem amor por elas. Se você for realmente capaz de ter consideração pela vontade de Deus, então você será capaz de tratar outras pessoas de forma justa. Se você der a alguém a sua recomendação e essa pessoa for cultivada em uma pessoa de talento, trazendo assim mais uma pessoa talentosa para a casa de Deus, você não terá feito bem o seu trabalho? Você não terá sido leal no cumprimento de seu dever? Isso é uma boa ação diante de Deus e é o tipo de consciência e razão que as pessoas deveriam possuir.

Extraído de ‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

Esse tipo de pensamento existe em seu coração? Quando vocês pensam em alguém, vocês pensam primeiro em suas fraquezas e nas maneiras em que ele é corrupto. Certo? Se vocês continuarem pensando desse jeito, jamais conseguirão conviver normalmente com os outros. Quando pensa em uma pessoa, você deve primeiro considerar se ela realmente acredita em Deus ou não e quais são os pontos fortes que ela tem. Se essa pessoa consegue aceitar a verdade, é magnânima e tolerante e quando aquilo que você diz a ela é correto, ela é capaz de aceitar e lidar com isso de maneira correta, então essa é uma pessoa que busca a verdade. Se você detectar que essa pessoa têm uma deficiência e se você não a apontar e ela mesma não estiver ciente dela, ela repreenderá você mais tarde por causa disso; se, porém, quando você apontá-la para ela, ela não só não odiar você, mas até agradecer a você, então essa é uma pessoa que genuinamente busca a verdade, que real e verdadeiramente busca a salvação e que está disposta a ser uma boa pessoa e a trilhar a senda correta na vida. Se tal pessoa tiver um preconceito contra alguém ou se alguém a prejudicar, ela poderá até sentir um pouco de ódio contra aquela pessoa, mas isso só será temporário. Depois de refletir um pouco e vir a conhecer a si mesma, ela odiará e amaldiçoará a si mesma. Até chegará ao ponto em que consegue pedir desculpas à outra pessoa. É assim que são os verdadeiros crentes de Deus. São capazes de nos perdoar, portanto, nós também devemos ser capazes de perdoá-los. Embora possam não nos perdoar devido a alguma fraqueza passageira, devemos, lá no fundo, também perdoá-los. Se formos incapazes de perdoar as pessoas, então seremos incapazes de conviver com elas. Além disso, quando alguém faz algumas coisas ruins contra você ou fala de forma crítica sobre você, você deve dar a essa pessoa uma chance de se arrepender e mudar. Você ousaria dizer que tal pessoa sempre agirá dessa forma? Ela continuará agindo com tal corrupção para sempre? Se você afirmasse tal coisa com finalidade absoluta, você estaria julgando alguém e formulando conclusões sobre ele. Mesmo que, atualmente, ele possa julgá-lo, odiá-lo e ter certos preconceitos sobre você, visto, porém, que ele acredita genuinamente em Deus e deseja buscar a verdade, não demorará para que essa corrupção comece a mudar e desaparecer nele. Essa é a maneira como devemos ver essa questão, e devemos ver as questões com uma visão voltada para o crescimento. Não devemos nos fixar na fraqueza de uma pessoa e condená-la para sempre, dizendo que a pessoa será desse jeito por toda a sua vida, que ela é esse tipo de pessoa. Fazer isso seria julgar e limitá-la! Quando Deus salvou as pessoas, Ele não falou desse jeito, dizendo que a humanidade foi corrompida até esse ponto e que, portanto, não faria sentido salvá-la, e que isso seria o fim da raça humana. De forma alguma Deus vê as coisas desse jeito. Todos nós estamos buscando a verdade agora. Todos nós desejamos buscar a verdade e acreditamos que, no mínimo, se continuarmos em nossa busca, dentro de poucos anos certamente seremos capazes de mudar um pouco e que, no fim, seremos completamente capazes de alcançar uma mudança de caráter e de ser aperfeiçoados por Deus. Todos vocês têm esse tipo de fé, não têm? Já que têm esse tipo de fé, vocês deveriam acreditar que outras pessoas também têm esse tipo de fé.

Extraído de “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida”

Anterior: 130. Os princípios para interagir com o sexo oposto

Próximo: 132. Os princípios de tratar os outros de acordo com suas essências

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro