52. Princípios para tratar a si mesmo adequadamente

(1) É necessário engajar-se em autorreflexão frequente, se conhecer à luz das palavras de Deus e discernir a verdade sobre a própria corrupção e suas deficiências. Só assim se pode atingir o autoconhecimento;

(2) Somente pela compreensão da verdade alguém pode ver claramente e saber que não possui absolutamente nada, nada além de uma pobre alma, e somente assim pode se livrar da arrogância e da hipocrisia;

(3) Quando alguém for confrontado com reveses e fracassos, não deverá se entregar ao desespero. Somente chegando a se conhecer por meio da autorreflexão e buscando compreender a verdade é que alguém conseguirá tratar a si mesmo de maneira adequada;

(4) Somente ao ser julgado, punido, podado e tratado pelas palavras de Deus, fazendo com que seu caráter corrupto seja purificado, alguém pode praticar a verdade e viver uma semelhança humana.

Palavras de Deus relevantes:

Quando as pessoas são incapazes de ver seus problemas práticos corretamente, isso também afeta seu conhecimento de Deus. Algumas pessoas, ao perceber que são de um calibre excessivamente baixo ou que cometeram graves transgressões, se deixam tomar pelo desespero e perdem a confiança. Não estão mais dispostas a sofrer adversidades para colocar a verdade em prática, nem procuram transformar seu caráter; elas acreditam que nunca mudaram. Na verdade, mudanças ocorreram nessas pessoas, mas elas próprias não são capazes de descobrir esse fato. Em vez disso, simplesmente se concentram em suas falhas e não estão mais dispostas a cooperar com Deus. Isso não apenas atrasa sua entrada normal, mas também aumenta seus equívocos sobre Deus. Mais ainda, exerce um efeito em seus destinos. Portanto, essa é uma questão que vocês deveriam considerar com muito cuidado para obter uma entrada mais profunda e alcançar os efeitos de transformação que deveriam alcançar.

Algumas pessoas, apesar de estarem em meio à negatividade, ainda conseguem manter uma atitude de “ser fiel até o fim, não importa o resultado” ao desempenharem seus deveres. Eu digo que isso é mudança, mas vocês mesmos são incapazes de reconhecê-la. Na verdade, se você se examinar cuidadosamente, verá que uma parte de seu caráter corrompido já mudou; no entanto, quando está constantemente se comparando aos mais elevados padrões, você não apenas não será capaz de atendê-los, mas também negará qualquer mudança que já tenha feito dentro de si mesmo. É aqui que as pessoas se perdem. Se você é realmente alguém que pode distinguir o certo do errado, então não há mal algum em se tornar ciente das mudanças que ocorreram dentro de você; você pode não apenas vê-las, mas, inclusive, encontrar uma senda para praticar seguir adiante. Quando isso acontecer, você verá que, enquanto trabalhar arduamente, ainda terá esperança; você verá que não é irredimível. Agora mesmo Eu lhe digo isto: aqueles que podem ver corretamente seus problemas têm esperança; eles podem sair da negatividade.

Você desiste da verdade porque pensa que já não tem salvação, então acaba abandonando até as verdades mais fundamentais. Talvez não seja que você não possa colocar a verdade em prática, mas que você descartou oportunidades de fazê-lo. Se desistir da verdade, você ainda pode mudar? Se você desistir da verdade, onde está o significado de sua crença em Deus? Como já foi dito, “independentemente de quando é feito, buscar uma mudança no caráter nunca é errado”. Você esqueceu essas palavras? No entanto, você sente que não tem esperança. Se você perdeu suas buscas positivas, as coisas negativas não emergirão? Como, então, você conseguirá abster-se de ser negativo? Assim, continuo a dizer-lhe: você deve se ver corretamente e não desistir da verdade.

de ‘Veja-se corretamente e não desista da verdade’ em “Registros das falas de Cristo”

As pessoas revelam caracteres corruptos. Isso é um fato. Ninguém pode evitar ou escapar disso; deve-se encarar esse fato. Por que é assim? Alguns dizem: “Estou sempre revelando meu caráter corrupto. Não consigo mudá-lo. O que fazer? Isso é o que eu sou? Deus não gosta de mim ou me odeia?”. Essa atitude é correta? Pensar assim está correto? O fato de as pessoas terem um caráter corrupto e de frequentemente o revelarem não significa que estão perdidas, incuráveis. O fato de as pessoas frequentemente revelarem um caráter corrupto prova que sua vida é controlada pelo caráter corrupto de Satanás, e que sua essência é a essência de Satanás. As pessoas devem reconhecer e aceitar esse fato. Existe uma diferença entre a natureza-essência do homem e a essência de Deus. O que devem fazer depois de reconhecer esse fato? Quando as pessoas revelam um caráter corrupto; quando se entregam aos prazeres da carne e se distanciam de Deus; ou quando Deus opera de uma maneira que está em desacordo com as ideias delas, e surgem reclamações dentro delas, elas deveriam se conscientizar imediatamente de que isso é um problema, e um caráter corrupto; é rebeldia contra Deus, oposição a Deus; não está de acordo com a verdade e é um anátema para Deus. Quando as pessoas percebem essas coisas, não devem reclamar ou se tornar negativas e ociosas, menos ainda devem ficar chateadas; em vez disso, devem se tornar capazes de autorreflexão e autoconhecimento mais profundos. Além disso, devem se tornar capazes de ir diante de Deus de forma proativa, e não devem ser passivas. Devem assumir a responsabilidade de ir diante de Deus para buscar e aceitar Sua reprovação e disciplina, e devem imediatamente reverter seu estado, de modo que sejam capazes de praticar de acordo com a verdade e as palavras de Deus, e possam agir de acordo com os princípios. Dessa forma, seu relacionamento com Deus se tornará cada vez mais normal, assim como o estado dentro de você. Você será capaz de identificar os caracteres corruptos, a essência da corrupção e os vários estados repugnantes de Satanás com clareza crescente. Você não vai mais proferir palavras tolas e infantis como “foi Satanás interferindo comigo” ou “foi uma ideia que Satanás me deu”. Em vez disso, você terá conhecimento preciso dos caracteres corruptos, da essência da oposição das pessoas a Deus e da substância de Satanás. Você terá uma maneira mais precisa de tratar essas coisas, e essas coisas não o restringirão. Quando tiver revelado um pouco de seu caráter corrupto, ou transgredido, ou cumprido seu dever superficialmente, ou quando se encontrar frequentemente em um estado passivo e negativo, você não se tornará fraco nem perderá a fé em Deus e em Sua salvação. Você não viverá em tais circunstâncias, mas enfrentará seu caráter corrupto corretamente e será capaz de uma vida espiritual normal, e, quando seu caráter corrupto for revelado, você será imediatamente capaz de reverter seu curso, e logo viver diante de Deus e buscar Sua disciplina e reprovação. Você não será controlado por seu caráter corrupto, nem pela essência de Satanás, por seus vários estados negativos e passivos, mas terá fé na busca da verdade, na salvação e na aceitação do julgamento, castigo, disciplina e reprovação de Deus. Assim, as pessoas não viverão livremente? Essa é a senda da prática e obtenção da verdade, e também a senda da salvação. Os caracteres corruptos criaram raízes profundas nas pessoas; a essência e a natureza de Satanás controlam seus pensamentos, comportamento e mentalidade; contudo, na presença da verdade, a obra de Deus e Sua salvação, nada disso constitui preocupação e não representa dificuldades. Mesmo com os caracteres corruptos das pessoas, ou os problemas que têm, ou suas limitações, há uma senda que elas podem tomar. Existe uma maneira de resolver essas coisas, e existem verdades correspondentes com as quais resolvê-las. Não há, portanto, esperança para a sua salvação?

Extraído de ‘Como resolver o problema de ser descuidado e superficial no cumprimento do seu dever’ em “Registros das falas de Cristo”

É bom ou ruim quando as pessoas descobrem como são sérios os seus problemas? É bom. Quanto mais capaz você é de descobrir sua própria corrupção, quanto mais correta é essa descoberta e quanto mais você consegue conhecer sua própria essência, mais provável é que você será salvo e mais você se aproximará da salvação; quanto mais incapaz você é de descobrir seus problemas, quanto mais pensar que é uma pessoa boa, uma pessoa bem maravilhosa, mais longe você está da senda para a salvação, e você ainda se encontra em grande perigo. Qualquer um que passa o dia inteiro exibindo a si mesmo — ostentando suas conquistas, dizendo que é eloquente, sensato, que entende a verdade, consegue praticar a verdade e é capaz de fazer sacrifícios — é de estatura especialmente pequena. Que tipo de pessoa tem uma esperança maior de salvação e é capaz de trilhar a senda da salvação? Aquele que realmente conhece seu caráter corrupto. Quanto mais profundo seu conhecimento, mais se aproxima da salvação. Conhecer seu caráter corrupto, saber que você não é nada, inútil, que é um Satanás vivo — quando você realmente conhece sua essência, isso não é mais um problema sério. É uma coisa boa, não é uma coisa ruim. Existe alguém que se torna mais negativo quanto mais ele conhece a si mesmo, pensando consigo mesmo: “Está tudo acabado, o julgamento e castigo de Deus caíram sobre mim, é punição e retribuição, Deus não me quer e não tenho esperança de salvação”? Essas pessoas terão tais ilusões? Na verdade, quanto mais as pessoas reconhecem quão desesperançadas são, maior a esperança para elas; não deveriam ser negativas e não deveriam desistir. Conhecer a si mesmo é uma coisa boa — é a senda que deve ser trilhada para a salvação. Se você é totalmente insensível em relação ao seu próprio caráter corrupto e sua essência, que são variados em sua oposição a Deus, e se você não tem quaisquer planos de mudar, então você está encrencado; tais pessoas já ficaram entorpecidas, estão mortas. Os mortos podem ser trazidos de volta à vida? Eles já estão mortos — não podem.

Extraído de ‘Apenas conhecendo a si mesmo você pode buscar a verdade’ em “Registros das falas de Cristo”

Por que muitas pessoas seguem suas preferências carnais? Porque se consideram bastante boas, sentindo que suas ações são certas e justificadas, que não têm falhas e até mesmo que estão inteiramente certas, elas são, portanto, capazes de agir supondo que a justiça está do seu lado. Quando se reconhece o que é a verdadeira natureza — quão feia, desprezível e lamentável —, então não se tem muito orgulho de si mesmo, não é tão descontroladamente arrogante e não está tão satisfeito consigo mesmo como antes. Tal pessoa sente: “Preciso ser honesta e realista, e praticar algumas das palavras de Deus. Se não, então, não estarei à altura do padrão do ser humano e me envergonharei de viver na presença de Deus”. Ele, portanto, se vê de fato como um ser de pouco valor, verdadeiramente insignificante. Nesse momento, fica fácil para ele realizar a verdade, e ele parecerá ser um pouco como um humano deveria ser. Só quando as pessoas se detestam verdadeiramente, elas são capazes de abandonar a carne. Se não detestarem a si mesmas, elas serão incapazes de abandonar a carne. Odiar-se de verdade engloba algumas coisas: em primeiro lugar, conhecer a sua própria natureza e, em segundo lugar, ver-se como necessitado e lamentável, ver-se como extremamente pequeno e insignificante e ver a sua própria alma suja e lamentável. Quando uma pessoa vê plenamente o que ela realmente é e esse resultado é alcançado, ela ganha verdadeiramente conhecimento de si mesma, e pode-se dizer que a pessoa veio a conhecer-se plenamente. Só então ela pode se odiar verdadeiramente, chegando até a amaldiçoar-se e sentir verdadeiramente que ela foi profundamente corrompida por Satanás, ao ponto de nem mesmo se parecer com um ser humano. Então, algum dia, quando aparecer a ameaça da morte, tal pessoa pensará: “Isso é a punição justa de Deus. Deus é realmente justo; eu devia morrer mesmo!”. A essa altura, ela não fará uma queixa, muito menos culpará Deus, simplesmente sentindo que é tão carente e deplorável, tão imunda e corrompida que deveria ser aniquilada por Deus, e uma alma como a sua não é digna de viver na terra. A essa altura, essa pessoa não resistirá a Deus, muito menos trairá a Deus.

Extraído de ‘Conhecer a si mesmo trata primariamente de conhecer a natureza humana’ em “Registros das falas de Cristo”

Como Deus trata as pessoas não depende de quantos anos elas tenham, do tipo de ambiente em que nasceram ou de quão talentosas elas sejam. Antes, Ele trata as pessoas com base na atitude delas em relação à verdade, e essa atitude está relacionada ao caráter delas. Se você tiver uma atitude correta em relação à verdade, uma atitude de aceitação e humildade, então, mesmo se você for de calibre pobre, Deus mesmo assim iluminará você e permitirá que você ganhe algo. Se você for de calibre bom, mas sempre for arrogante, pensando constantemente que você está certo, e não estiver disposto a aceitar qualquer coisa que outra pessoa diz e sempre estiver resistindo a ela, então Deus não operará em você. Ele dirá que essa pessoa tem um caráter ruim e que não é digna de receber qualquer coisa, e Ele até tirará o que você teve no passado. É isso que significa ser exposto. Você claramente não é nada e é inepto em todas as coisas, mas ainda pensa que é muito bom, que pode realizar qualquer coisa e é melhor do que todos os demais em todos os aspectos. Você nunca discute suas falhas ou deficiências na frente de outros nem os deixa ver suas fraquezas e negatividade. Você está sempre fingindo competência e passando aos outros uma falsa impressão, fazendo-os pensar que você é hábil em tudo, desprovido de fraquezas, que não precisa de ajuda alguma, não precisa ouvir as opiniões de outros e não precisa aprender com os pontos fortes dos outros para compensar suas próprias deficiências, e tentando fazê-los pensar que você sempre será melhor do que todos os demais. Que tipo de caráter é esse? (Arrogância.) Tal pessoa vive uma vida patética. Ela é rica de fato? Ela não é rica; ela não aprende nem aceita coisas novas. Por dentro, ela é muito ressequida, limitada e empobrecida. Tal pessoa não entende os princípios por trás de nada, não consegue compreender os princípios, não tem entendimento algum da vontade de Deus e só sabe aderir às regras e despender muito esforço no significado literal de Suas palavras. Como resultado, ela alcança resultados limitados. Esse tipo de pessoa tem um caráter ruim.

Quando estão coordenando com outros para cumprir seus deveres, vocês são capazes de ser abertos a opiniões divergentes? Vocês aceitam o que outros dizem? (Eu sempre costumava me apegar às minhas próprias ideias, mas, após ser exposto em situações arranjadas por Deus, vi que, quando todos se reuniam e discutiam coisas, nós normalmente acertávamos as coisas e, muitas vezes, era minha própria perspectiva pessoal que havia sido errada ou míope. Passei a apreciar como é importante trabalhar em harmonia com outros.) E o que vocês aprenderam com isso? Vocês acham que alguém é perfeito? Não importa quão fortes as pessoas sejam ou quão capazes e talentosas, elas ainda assim não são perfeitas. As pessoas devem reconhecer isso; é um fato. Essa é também a atitude mais apropriada de qualquer um que esteja considerando corretamente seus pontos fortes e vantagens ou defeitos; essa é a racionalidade que as pessoas possuem. Com tal racionalidade, você pode lidar adequadamente com seus próprios pontos fortes e fraquezas, assim também com os de outros, e isso irá capacitá-lo a trabalhar junto a eles harmoniosamente.

Extraído de ‘Apenas praticando a verdade é possível possuir humanidade normal’ em “Registros das falas de Cristo”

Há aqueles que dizem: “Sou uma pessoa muito boa; não fiz nada para resistir a Deus e sofri muito por Ele. Por que Ele ainda me poda e lida comigo assim? Por que Deus nunca me reconhece nem me eleva?” Ainda outros dizem: “Sou franco e honesto; tenho crido em Deus desde que estava no útero e ainda creio Nele agora. Sou tão puro! Deixei minha família e larguei meu emprego para me despender por Deus e ainda penso no quanto Deus me ama. Agora, Deus parece não amar tanto as pessoas, e sinto que fui largado no frio, desapontado e consternado com Ele.” O que essas pessoas estão fazendo de errado? Elas não permaneceram em seu devido lugar; não sabem quem são e sentem sempre que são figuras estimadas que Deus deveria respeitar e elevar ou valorizar e apreciar. Se as pessoas sempre têm tais concepções erradas, tais exigências absurdas e insensatas, então isso causará problemas. O que, então, as pessoas deveriam fazer, e como elas deveriam conhecer e tratar a si mesmas para serem capazes de se conformar à maneira como Deus trata o homem, a fim de resolverem essas dificuldades e abandonarem essas exigências que fazem de Deus? Você deve saber quem você é. Não importa que tipo de dons ou pontos fortes você tenha ou quanta aptidão ou habilidade você tenha, nem mesmo de quanto mérito você tenha ganhado na casa de Deus, ou de quanto você tenha corrido de um lado para outro, ou de quanto capital você tenha acumulado, essas coisas são nada para Deus, e se elas parecem importantes de onde você está, então não surgiram novamente equívocos e contradições entre você e Deus? Como esse problema deve ser resolvido? Você deve reduzir a distância entre você e Deus, resolver essas contradições e negar aquelas coisas que você considera certas e às quais você se apega. Ao fazê-lo, não haverá mais distância entre você e Deus, e você se colocará devidamente em seu posto e será capaz de se submeter, capaz de reconhecer que tudo que Deus faz é certo, capaz de negar a si mesmo e de abrir mão de si mesmo. Você não tratará mais o mérito que ganhou como um tipo de capital, nem tentará mais estabelecer condições com Deus, nem fazer exigências a Ele, nem pedir recompensa a Ele. Nesse momento, você não terá mais dificuldades. Por que surgem todas as concepções erradas do homem sobre Deus? Elas surgem porque as pessoas não conhecem minimamente a si mesmas; para ser preciso, elas não sabem que tipo de coisas elas são aos olhos de Deus. Elas se avaliam de forma elevada demais e estimam sua posição aos olhos de Deus de forma elevada demais, e elas veem o que consideram ser o valor e o capital de uma pessoa como os padrões pelos quais Deus mede se elas serão salvas. Isso é errado. Você deve saber que tipo de lugar você tem no coração de Deus, e como é adequado que Deus o trate. Saber isso é se conformar à verdade e estar de acordo com as visões de Deus. Quando sua prática e tratamento de si mesmo estiverem de acordo com esse conhecimento, não haverá mais qualquer contradição entre você e Deus. E quando Deus o tratar novamente à Sua maneira, você não será capaz de se submeter? Você pode sentir algum desconforto em seu coração ou não entender essas coisas e sentir que elas não são como você deseja, porém, porque você será equipado com essas verdades e entenderá essas verdades, e porque será capaz de permanecer firme em sua posição, você não lutará mais contra Deus, o que significa que aqueles seus comportamentos e práticas que o fariam perecer cessarão de existir. E então você não estará seguro? Uma vez seguro, você se sentirá fundamentado, que é o que significa trilhar a senda de Pedro.

Extraído de ‘A atitude que o homem deve ter para com Deus’ em “Registros das falas de Cristo”

Anterior: 51. Os princípios para lidar com as próprias falhas e quedas

Próximo: 53. Os princípios para corrigir arrogância e presunção

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro