137. Os princípios do tratamento de líderes e obreiros

(1) As pessoas escolhidas por Deus devem honrar a Deus como grandioso e não procurar e adorar qualquer líder ou obreiro. Em todas as coisas, elas devem se submeter a Deus e à verdade, e não ser controladas por seres humanos;

(2) Enquanto os líderes e os obreiros forem pessoas justas, cujo discurso e cujas ações estão de acordo com a palavra de Deus a verdade, e que podem exaltar e testemunhar a Ele, eles devem ser aceitos e obedecidos;

(3) Se os líderes ou obreiros se revelarem corruptos ou se suas ações não estiverem de acordo com a verdade o princípio, seus erros devem ser corrigidos através da comunhão. Eles não devem ser obedecidos cegamente;

(4) Se quaisquer líderes ou obreiros forem malfeitores, atuando como desejam, de maneira a violarem os arranjos do trabalho, então devem ser considerados como falsos líderes ou anticristos e devem ser expostos e dispensados.

Palavras de Deus relevantes:

As pessoas que creem em Deus deveriam obedecer a Ele e adorá-Lo. Não exalte nem admire ninguém; não coloque Deus em primeiro lugar, as pessoas que você admira em segundo e a si mesmo em terceiro. Ninguém deveria ocupar um lugar em seu coração, e você não deveria considerar que as pessoas — especialmente as que você venera — estejam no mesmo nível de Deus ou sejam iguais a Ele. Isso é intolerável para Deus.

Extraído de ‘Os dez decretos administrativos que devem ser obedecidos pelo povo escolhido de Deus na Era do Reino’ em “A Palavra manifesta em carne”

Não importa o nível de líderes e trabalhadores dentro de uma igreja, se vocês sempre os adorarem e confiarem neles em tudo a fim de crer em Deus e alcançar a salvação, esse ímpeto em si está errado. Independentemente de sua posição na liderança, eles ainda são pessoas comuns, e se você os vê como seus superiores, se sentir que eles estão acima de você, que são maiores ou mais competentes do que você, e que eles devem conduzir você, que eles estão, em todos os aspectos, um degrau acima de qualquer outra pessoa, então isso está errado — é sua ilusão. E quais são as consequências dessa ilusão? Essa ilusão, esse entendimento falho, levará você inconscientemente a avaliar seus líderes com base em requisitos que não estão em conformidade com a realidade; ao mesmo tempo, sem que você saiba disso, você também será profundamente atraído pelos seus ditos estilo e brio extravagante ou suas habilidades e talentos, de modo que, antes que você perceba, você está os adorando, e eles se tornaram seus deuses. Essa senda, desde o momento em que eles começam a se tornar seu modelo, o objeto de sua adoração, até o momento em que você se torna um de seus seguidores, é uma senda que o afastará inconscientemente de Deus. E mesmo ao se afastar gradualmente de Deus, você ainda acreditará que está seguindo a Deus, que está na casa de Deus, que está na presença de Deus. Sem saber, no entanto, você terá sido afastado por alguém que foi corrompido por Satanás ou mesmo um anticristo. Esse é uma situação muito perigosa. Para resolver esse problema, você deve, portanto, ser capaz de entender com precisão os diferentes caracteres dos anticristos e as maneiras pelas quais operam, bem como a natureza de suas ações e os métodos e truques que gostam de usar; vocês também devem começar a trabalhar em si mesmos. Crer em Deus e ainda assim adorar o homem não é a senda correta. Alguns podem dizer: “Bem, eu tenho motivos para adorar os líderes que eu adoro — aqueles que eu adoro estão alinhados com minhas noções e imaginações”. Por que você insiste em adorar o homem, embora acredite em Deus? Depois que tudo estiver dito e feito, quem salvará você? Quem realmente ama você e protege você — você realmente não consegue enxergar? Por que você é tão vulgar? Você segue a Deus e ouve Sua palavra; se alguém fala e age corretamente e se conforma aos princípios da verdade, obedecer à verdade não basta para você? Por que você é tão vulgar, insistindo em encontrar alguém a quem você adora para seguir — por que você gosta de ser escravo de Satanás? Por que não ser um servo da verdade? Olhe aqui para ver se uma pessoa tem senso e dignidade. Você deve começar trabalhando em si mesmo, equipando-se com as verdades que diferenciam pessoas e eventos diferentes, desenvolvendo discernimento entre todas as maneiras pelas quais cada tipo de evento e pessoa se manifesta, sabendo, em todos os casos, que essência e caráter estão sendo revelados; você também deve entender que tipo de pessoa você é, que tipo de pessoa são aqueles à sua volta e que tipo de pessoa está lhe conduzindo. Você deve ser capaz de vê-las corretamente. Uma vez que você esteja equipado com uma medida de sua estatura, você não cairá facilmente nos truques dos anticristos, nem temerá suas enganações.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (4)’ em “Registros das falas de Cristo”

Qual é a atitude que as pessoas devem ter em termos de como tratar um líder ou obreiro? Se o que ele faz é certo, então você pode lhe obedecer; se o que ele faz é errado, então você pode expô-lo e até se opor a ele e expressar uma opinião diferente. Se ele for incapaz de fazer obra prática e revelar ser um falso líder, falso obreiro ou anticristo, então você pode se recusar a aceitar sua liderança e também pode denunciá-lo e expô-lo. Entretanto, alguns entre o povo escolhido de Deus não entendem a verdade e são especialmente covardes; então não ousam fazer nada. Eles dizem: “Se o líder me expulsar, para mim acabou; se ele fizer com que todos me exponham ou abandonem, então eu não serei mais capaz de crer em Deus. Se eu deixar a igreja, então Deus não vai me querer e não me salvará. A igreja representa Deus!”. Essas formas de pensar não afetam a atitude de tal pessoa em relação a essas coisas? Poderia realmente ser verdade que, se o líder o expulsar, você não pode mais ser salvo? A questão de sua salvação depende da atitude de seu líder em relação a você? Por que tantas pessoas têm tal grau de temor? Se, assim que alguém que é um falso líder ou anticristo o ameaça, você não ousa denunciar aos superiores e até garante que, dali em diante, você terá o mesmo modo de pensar que o líder, então você não está perdido? Esse é o tipo de pessoa que busca a verdade? Não só você não ousa expor tal comportamento perverso como pode ser cometido por anticristos satânicos, mas, ao contrário, você lhes obedece e até toma as palavras deles como verdade, às quais você se submete. Esse não é o epítome da estupidez? Então, quando você é prejudicado, isso não é o que você merece? Deus fez com que você fosse prejudicado? Você mesmo desejou isso para si mesmo. Você tomou um anticristo para que fosse seu líder e o tratou como se fosse um irmão ou irmã — e isso é culpa sua. Qual é a atitude com a qual se deve tratar um anticristo? Ele deve ser exposto e combatido. Se você não consegue fazer isso sozinho, então muitas pessoas devem se unir e denunciá-lo. Quando descobriram que certos líderes e obreiros em posições mais altas estavam trilhando a senda do anticristo, disciplinando os irmãos e as irmãs, não fazendo um trabalho real e cobiçando a bênção do status, algumas pessoas assinaram uma petição para remover esses anticristos. Que trabalho fantástico fizeram essas pessoas! Isso mostra que elas entendem a verdade, que possuem certa estatura e que não são nem controladas nem enganadas por Satanás. Isso prova também que anticristos e falsos líderes não detêm uma posição dominante na igreja, e não ousam mostrar seu ser verdadeiro de forma demasiadamente clara em qualquer coisa que digam ou façam. Se revelarem a si mesmos, há pessoas para monitorá-los, identificá-los e expulsá-los. Isto é, no coração das pessoas que genuinamente entendem a verdade, o status, o prestígio e a autoridade de uma pessoa não são coisas que imperam; todos aqueles que entendem a verdade são capazes de ter discernimento e refletir sobre que senda as pessoas devem seguir em sua fé em Deus e também como devem tratar líderes e obreiros. Também começam a pensar sobre quem as pessoas devem seguir, quais comportamentos constituem seguir pessoas e quais comportamentos constituem seguir a Deus. Tendo ponderado essas verdades por vários anos e ouvido sermões muitas vezes, elas inconscientemente vêm a entender as verdades sobre crer em Deus, e assim ganharam alguma estatura. Elas se puseram na trilha certa de crer em Deus.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (1)’ em “Registros das falas de Cristo”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

O povo escolhido de Deus deve entender como tratar líderes e colaboradores em todos os níveis da igreja. Deve ser capaz de distinguir o bem do mal e discernir se líderes e colaboradores são pessoas que buscam a verdade. Essas são habilidades fundamentais que o povo escolhido de Deus deve possuir. Quando vemos que um líder ou colaborador é uma pessoa boa que busca a verdade, mas cometeu algumas transgressões ou algum erro, devemos tratá-lo corretamente e ajudá-lo com amor. De forma alguma devemos aproveitar esses erros ou transgressões para condená-lo, rotulá-lo arbitrariamente e aplicar uma mão tão pesada a ponto de espancar as pessoas até a morte com um cassetete; fazer isso é acusar falsamente e prejudicar outros. Pessoas boas também cometeram transgressões e, às vezes, erraram, mas pessoas boas podem se arrepender e mudar. Assim, não importa quais transgressões você descubra que uma pessoa boa tenha cometido ou quais erros tenha feito, contanto que consiga aceitar a verdade, vir a conhecer a si mesma e se arrepender, ela deve ser apoiada com amor. Quando um líder ou colaborador é uma pessoa boa que busca a verdade e alguém se aproveita de uma transgressão que ele tenha cometido e não desiste até que tenha destruído aquele líder ou colaborador, isso não é oprimi-lo e fazê-lo sofrer? Isso não é diferente de falsos líderes e anticristos que fazem as pessoas sofrer. O povo escolhido de Deus não deve causar sofrimento aos outros, e líderes e colaboradores devem ainda menos causar sofrimento aos outros. O povo escolhido de Deus deve tratar líderes e colaboradores corretamente, e líderes e colaboradores devem tratar corretamente o povo escolhido de Deus. Todos nós devemos tratar uns aos outros de forma justa e ajudar uns aos outros por amor. Esse é o modo de conduta de relacionamentos humanos normais e também um sinal de entrada na verdade-realidade.

Quando líderes e colaboradores escolhidos em eleições da igreja oprimem e incriminam outros repetidas vezes, eles também podem ser definidos como pessoas perversas e, uma vez que forem obtidas evidências irrefutáveis, eles devem ser convencidos a renunciar; se eles não aceitarem a crítica, a responsabilidade, a poda e o tratamento do povo escolhido de Deus, os escolhidos de Deus deverão se unir para banir e removê-los. Fazer isso é eliminar a fonte de danos para o benefício de todos, é totalmente conforme a vontade de Deus, é benéfico para proteger a vida da igreja e se insere totalmente na definição de proteger a obra de Deus. A igreja é governada por Deus, pela verdade e pela palavra de Deus e de forma alguma tolera a presença de pessoas perversas. Se qualquer tratamento de falsos líderes e anticristos pela igreja os tolerar e ignorar, tolerar suas perturbações e destruição e seus danos ao povo escolhido de Deus, isso prova que essa igreja carece de pessoas que entendem a verdade e defendem a justiça e que ela consiste inteiramente de pessoas confusas, e é por isso que os membros dessa igreja são enganados e controlados por falsos líderes e anticristos; eles só podem sofrer e ser oprimidos cruelmente. Isso, por sua vez, prova que, se crentes em Deus não entendem a verdade, eles estão condenados a ser atormentados por Satanás e tiranizados por pessoas perversas. Mesmo que o Alto deseja ajudar tais pessoas, seremos incapazes de fazê-lo. Os arranjos de trabalho do Alto já forneceram regras claras para os escolhidos de Deus, e é totalmente possível eles banirem falsos líderes e falsos colaboradores de acordo com a verdade e os arranjos de trabalho do Alto. Esse é um direito dado por Deus, e se as pessoas escolhidas de Deus não souberem usá-lo, elas só podem culpar a si mesmas.

O povo escolhido de Deus deve tratar os líderes e colaboradores em todos os níveis da igreja com base na verdade e em observação dos princípios. Deve apoiar, defender e cooperar com os líderes e colaboradores que estão de acordo com a vontade de Deus e que podem resolver problemas e fazer coisas práticas para os escolhidos de Deus. Devem ajudar com paciência aqueles líderes e colaboradores que buscam a verdade e têm a obra do Espírito Santo, mas que podem ter transgredido e não ter alcançado resultados ideais em seu trabalho. Os escolhidos de Deus podem criticar e repreendê-los e também podá-los e lidar com eles, mas não têm a permissão de condenar ou incriminá-los, muito menos de banir ou removê-los casualmente. Devem agir com base na verdade e de acordo com princípios. No caso de líderes e colaboradores que não perderam completamente a obra do Espírito Santo e que ainda conseguem fazer algum trabalho prático, as pessoas escolhidas de Deus jamais devem tratá-los como falsos líderes e falsos colaboradores. Devem apenas oferecer ajuda por amor e apoiá-los com paciência. Essa é a responsabilidade das pessoas escolhidas de Deus. Se líderes e colaboradores que não buscam a verdade e que não têm a obra do Espírito Santo não desejam se arrepender, negligenciam suas devidas tarefas e agem descuidadamente, eles devem ser removidos e banidos. A obra de Deus só pode ser protegida e a vida da igreja só pode ser mantida segura de perturbações por meio dessas práticas. Isso é benéfico para executar a vontade de Deus e também para a entrada na vida do povo escolhido de Deus.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

O povo de Deus deve ter clareza de que a maioria dos líderes e colaboradores acredita sinceramente em Deus e é capaz de buscar a verdade. Embora todos eles revelem corrupção e transgressões, contanto que sejam basicamente capazes de cumprir seu dever de acordo com os arranjos de trabalho e realizar algum trabalho real na maior parte do tempo, eles certamente são pessoas que têm esperança de alcançar salvação; portanto, o povo escolhido de Deus deve aceitar e apoiá-los e cooperar com eles. Esse é o princípio para tratar a maioria dos líderes e colaboradores. Se for descoberto que um líder ou colaborador viola frequentemente os arranjos de trabalho e se o que estão fazendo não for compatível com a verdade, então podemos ter certeza absoluta de que é um falso líder ou anticristo. No que diz respeito a falsos líderes e anticristos, não só nunca devemos aceitá-los nem obedecer a eles, também devemos expor e abandoná-los completamente; somente isso está alinhado com a vontade de Deus. Quando lidamos com líderes e colaboradores, devemos aplicar discernimento, analisando primariamente se eles possuem ou não boa humanidade e se possuem ou não verdade-realidade. Jamais devemos ressaltar os dons de uma pessoa e adorar cegamente. Todos nós devemos entender que os dons de uma pessoa não são sua vida, a única coisa fundamental sendo se alguém tem ou não a verdade-realidade. Todos aqueles que se entusiasmam com os dons de uma pessoa são aqueles que facilmente adoram falsos líderes e anticristos, enquanto somente aqueles que são mais pragmáticos prestam atenção em se alguém tem a verdade-realidade ou não. Muitas vezes, a maioria dos falsos líderes e anticristos tem dons, eles sabem falar com eloquência e estão ávidos por se exibir para que os outros os admirem, ganhando assim facilmente a adoração e a adesão de algumas pessoas. No entanto, aqueles que têm verdade-realidade muitas vezes caminham com firmeza e realizam trabalho real, concentrando-se apenas em comungar sobre a verdade para resolver problemas práticos, oferecendo todo seu esforço para cumprir seu próprio dever e indispostos a se exibir. Essa é a distinção principal entre líderes e colaboradores reais e falsos. Se o povo escolhido de Deus realmente tiver entendido a verdade, ele naturalmente terá tal discernimento. Todos aqueles que são capazes de adorar falsos líderes e anticristos são pessoas que não têm nenhuma verdade-realidade. Homens só são enganados e controlados porque não têm verdade. Portanto, o povo escolhido de Deus não deve tratar líderes e colaboradores concentrando-se em suas aparências e em se sabem pregar ou não. O importante é analisar se seu caráter é bom ou não, se conseguem comungar sobre a verdade e realizar trabalho prático ou não. Isso é o mais essencial. Se realmente conseguirem comungar sobre a verdade e resolver problemas práticos, então, mesmo que tenham uma aparência comum, eles ainda assim são pessoas boas e dignas de confiança. Se não conseguirem comungar sobre a verdade, não importa quão boa seja sua aparência ou quão talentosos sejam, eles são lixo e não merecem confiança. Uma boa aparência, um bom temperamento, ter dons – essas coisas não representam que uma pessoa tem verdade-realidade. Embora algumas pessoas tenham uma aparência comum e não aparentem ter um bom temperamento, elas têm verdade-realidade, portanto são pessoas que agradam a Deus e são abençoadas por Ele. O povo escolhido de Deus deve se concentrar no ponto fundamental de alguém ter verdade-realidade ou não; esse é o princípio ao tratar líderes e colaboradores. Só pessoas que são capazes de olhar para as coisas e tratar outros de acordo com as palavras de Deus são pessoas com princípios em seu modo de resolver as coisas e que entendem a verdade e entraram na realidade.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

O povo escolhido de Deus deve ver isso claramente: é por meio de um longo processo de provações, refinamento, poda e tratamento que Deus alcança plenamente resultados em salvar e aperfeiçoar o homem. Se alguém só experimenta oito ou dez anos da obra de Deus, entende algo da verdade e tem pouca realidade, é impossível que ele seja apto a ser usado por Deus. Mesmo que Deus aperfeiçoe alguém especialmente, ele terá que passar por pelo menos dez ou vinte anos de provações, refinamentos, poda e tratamento para ser apto a ser usado por Deus. Isso é um fato. Embora a maioria dos líderes e colaboradores em todos os níveis da casa de Deus tenha agora a obra do Espírito Santo, isso não significa que são aptos a serem usados por Deus. Pode-se dizer que todos eles cometeram algumas transgressões, expressaram algumas corrupções e violaram a verdade-princípio de alguma forma ou outra. Isso é totalmente normal. Se um líder ou colaborador tem a obra do Espírito Santo, embora tenha cometido algumas transgressões e expressado algumas corrupções, ele não é um líder falso ou colaborador falso. Ninguém deve aproveitar a maneira incorreta de alguém de fazer algo ou suas transgressões ou expressões de corrupção e insistir que ele é um falso líder ou falso colaborador; isso é totalmente errado e não está de acordo com a verdade. Pois devemos avaliar se um líder ou colaborador é um falso líder ou falso colaborador segundo o padrão de ele possuir a obra do Espírito Santo ou não e jamais somente na base de ele ter cometido transgressões ou expressado corrupções. Se confiássemos em noções e imaginações humanas para julgar líderes e colaboradores, não haveria pessoas qualificadas em lugar nenhum, e como, então, a obra de Deus avançaria? Como a vontade de Deus seria realizada? Isso seria um problema. Hoje, o Espírito Santo está fazendo a obra de aperfeiçoar o homem. Ele está guiando o povo escolhido de Deus para experimentar o julgamento, castigo, provações e refinamentos de Deus e para experimentar a poda e o tratamento e finalmente, somente após passarem por provações e refinamento ainda maiores, aqueles que buscam a verdade serão aperfeiçoados. Os líderes e colaboradores em cada nível já passaram por centenas de provações e refinamentos? Eles estão experimentando agora um julgamento e castigo mais severo? Não. Isso virá mais tarde. Então, não usem um padrão alto demais para avaliar líderes e colaboradores. Vocês devem usar os quatro seguintes padrões para avaliar líderes e colaboradores: em primeiro lugar, devem ser pessoas que realmente buscam a verdade; em segundo lugar, de forma alguma podem ser pessoas malignas; em terceiro lugar, devem ser capazes de fazer algum trabalho prático; em quarto lugar, quando cometem transgressões ou há algo de errado com eles, eles devem ser capazes de aceitar poda e tratamento e ser capazes de se arrepender. Contanto que cumpram esses quatro padrões, eles podem ser usados como líderes e colaboradores e não devem ser definidos como falsos líderes e falsos colaboradores. Somente aqueles que, sem dúvida alguma, podem ser descritos como carecendo da obra do Espírito Santo podem ser chamados falsos líderes e falsos colaboradores. Espera-se que os escolhidos de Deus possam tratar líderes e colaboradores em todos os níveis com objetividade e imparcialidade. Quando são descobertos falsos líderes e falsos colaboradores que, sem dúvida alguma, carecem da obra do Espírito Santo, eles devem ser denunciados ou removidos diretamente, que é uma responsabilidade que o povo escolhido de Deus é obrigado a cumprir. Alguns líderes e colaboradores recém-eleitos carecerão de direção em seu trabalho devido à sua falta de experiência, e eles também poderão cometer transgressões e expressar corrupção, mas, contanto que cumpram esses quatro padrões, eles devem ser tratados com amor e apoiados com paciência; somente isso está de acordo com a vontade de Deus. Qualquer um que tem experiência verdadeira da obra de Deus deve ser capaz de ver esse fato claramente: há pouquíssimas pessoas boas capazes de praticar a verdade hoje em dia, e, na verdade, elas são tão raras que quase nunca são vistas. Portanto, é quase impossível escolher pessoas que são genuinamente aptas e que uma maioria vê como ideais para se tornar líderes e colaboradores, pois o homem é profundamente corrompido. O povo escolhido de Deus deve mudar suas noções sobre como avaliar e tratar líderes e colaboradores em cada nível e deve contemplar as coisas à luz das palavras de Deus e dos fatos objetivos. Somente isso está de acordo com a verdade, somente se fizer isso poderá ter uma atitude correta em relação aos líderes e colaboradores da igreja em cada nível e somente então é possível impedir que desordem surja na igreja, evitá-la e resolvê-la efetivamente.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Anterior: 136. Os princípios do tratamento de pessoas que foram expostas e eliminadas

Próximo: 138. Os princípios do tratamento de líderes e obreiros que cometeram transgressões

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro