154. Os princípios para tratar os incrédulos

(1) Pode-se interagir sabiamente com pessoas boas entre os incrédulos, sendo elas as que têm consciência e que são receptivas à razão. Pode-se também pregar o evangelho a elas;

(2) Pessoas más entre os incrédulos, sendo elas as que são capazes de qualquer coisa quando confrontadas com o menor prejuízo aos seus interesses, devem ser mantidas à distância. Nunca se deve manter contato com elas;

(3) Com as que se precisa manter contato devido ao trabalho, deve-se ser cauteloso no que se diz. Falem apenas de coisas exteriores; não abram seu coração para elas;

(4) Deve-se respeitar o chefe ou líder e obedecer-lhe. No entanto, não façam nada pecaminoso e não se envolvam abertamente com ele, mas o respeite à distância.

Palavras de Deus relevantes:

Quais são as diferenças entre os incrédulos e as pessoas que acreditam em Deus? É apenas uma diferença de fé? Considere “O homem foi criado por Deus”, por exemplo: Isso é a verdade. Qual é a atitude das pessoas que acreditam em Deus quando ouvem isso? Elas reconhecem e acreditam nisso de forma absoluta. Abraçam esse fato, essa verdade, como o fundamento de sua fé em Deus — aceitar a verdade é isso. Significa aceitar, do fundo do seu coração, o fato da criação do homem por Deus, ser alegremente uma criatura de Deus, aceitar de bom grado a orientação e a soberania de Deus e reconhecer que Deus é nosso Deus. E qual é a atitude daqueles que não acreditam em Deus quando ouvem “O homem foi criado por Deus”? Não apenas eles não reconhecerão isso, como rirão de você, zombarão de você, olharão para você com desprezo e desprezarão esse fato; eles farão todo o possível para tentar usar isso contra você e podem até adotar uma atitude de zombaria, sarcasmo, desprezo e hostilidade em relação àqueles que aceitarem essas palavras. Isso não é ódio da verdade? O que você pensa quando vê tais pessoas? Você as odeia? “O homem foi feito por Deus — o que há de errado com isso? Você não aceita isso, não sabe de onde veio, é verdadeiramente ingrato, é inescrupuloso e traiçoeiro. Você realmente é da laia de Satanás!” É isso que você pensa? E o que faz uma mentalidade tão avessa surgir em você? É simplesmente porque elas não gostam dessas palavras? É por causa de sua atitude: elas não aceitam a verdade. Sua raiva não seria tão grande se elas respeitassem essas palavras como palavras comuns, como teoria ou fé. Mas quando elas apresentam palavras, atitudes e caracteres repulsivos, antagônicos, desdenhosos e difamatórios, você fica com raiva. É assim? Embora não acreditem em Deus, há aqueles que respeitam a fé de outras pessoas, que não tentam vilificar tudo o que as outras pessoas dizem. Você não tem aversão ou ódio por eles; você pode se dar bem com eles e interagir com eles. Com relação àqueles que tentam difamar a verdade — que odeiam a verdade — você sente raiva em seu coração. Você poderia ser amigo deles? Além de não ser amigo deles, o que mais você pensa sobre eles? Como você escolheria reagir às palavras deles, se pudesse? Você diria: “O homem foi feito por Deus, e que coisa grande e santificada é essa! Você não apenas aceita isto, mas também tenta destruí-lo — você realmente não tem consciência. Se Deus me desse o poder, eu o amaldiçoaria, eu o espancaria, eu o transformaria em cinzas!” É esse o seu sentimento? Isso é um senso de justiça. Mas quando você vê que eles são um demônio, o mais sensato seria ignorá-los, manter distância deles, apenas aparentar concordar quando falam com você — essa é a coisa mais sábia a se fazer. No fundo, porém, você sabe que não tem nada em comum com essas pessoas. Elas nunca poderiam ter fé em Deus, e mesmo que tivessem, Deus não as desejaria. Elas são bestas, demônios. As coisas que amamos, o caminho que percorremos, nossa visão da vida — são todos diferentes dos delas. Portanto, não volte a falar de assuntos da verdade com elas, não lance pérolas aos porcos. Elas detestam a verdade, você sabe que tipo de coisa elas são, e voltar a falar da verdade com elas seria claramente uma tolice, pois depois que você acabar de falar, elas buscam arbitrariamente destruir a verdade, e então você não poderá encarar Deus e se sentirá em dívida com Deus. Se as pessoas podem manter essa atitude em relação àqueles que não amam a verdade, àqueles que detestam a verdade e que tentam derrubar a verdade, isso é ainda mais verdadeiro para Deus? O caráter de Deus, a substância de Deus, o que Deus tem e é, a vida de Deus e o que é revelado em Deus são toda a verdade. Não há dúvida de que alguém que detesta a verdade é hostil a Deus e é inimigo de Deus. Isso é mais do que um problema de ser incompatível com Deus, e a ira de Deus para com essas pessoas é muito grande.

Extraído de ‘Entender a verdade é crucial para cumprir corretamente o seu dever’ em “Registros das falas de Cristo”

Se houver uma mudança no seu caráter e você ganhar a verdade, então sua perspectiva será compatível com Deus. Quando a sua perspectiva é compatível com Deus, você continua compatível com aqueles que são corruptos? Você resiste a eles, você sente repulsa por eles, você os odeia — não é esse o efeito que é alcançado? A substância deles se torna evidente para você. Porque você já viu a sua própria substância e mudou, você não consegue ver também a substância da humanidade corrupta? E agora que vê a substância da humanidade corrupta e é compatível com Deus, você não despreza a humanidade corrupta? Você não despreza aqueles que não acreditam em Deus, que são hostis a Deus, que abandonaram Deus, que deram as costas a Deus e desobedeceram a Deus? Como poderia você ser compatível com tais pessoas? Assim, se houve uma mudança no seu caráter, certamente você despreza essas pessoas e sente repulsa por elas. Entretanto, porque hoje nós vivemos em meio aos corruptos, podemos apenas suportar e podemos apenas viver segundo a nossa sabedoria. Não podemos, por causa da mudança em nosso caráter, dar ouvidos a eles, ou entrar em discussões acaloradas com eles — não podemos fazer isso, devemos ser sábios.

Extraído de ‘O que é uma mudança de caráter e a senda para uma mudança de caráter’ em “Registros das falas de Cristo”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

Como tratar os descrentes: A maioria dos descrentes não aceita a verdade, assim como nega e se opõe a Deus, vivendo todos sob o império de Satanás. Em vista disso, precisamos nos munir de inteligência ao lidar com eles. Hoje, a obra de salvação executada por Deus ainda está por se completar, de modo que ainda é necessário espalhar o evangelho e atestar a Deus. Um pequeno número de descrentes são pessoas relativamente boas e buscam o verdadeiro caminho, portanto ainda se deve pregar o evangelho para elas. Assim, devemos nos empenhar mais para procurar e nos engajar com aqueles que buscam Deus e os indivíduos bons que nos dão assistência em meio aos descrentes; precisamos aprender mais uns sobre os outros, e quando uma oportunidade propícia surgir, o evangelho deverá ser partilhado com essas pessoas. Sem dúvida, os ímpios que negam a Deus, que vilipendiam o verdadeiro caminho, servindo a demônios malignos e perseguindo os escolhidos por Deus, devem ser rejeitados e evitados; é perigoso para qualquer um aproximar-se desses demônios malévolos, e quem assim o faz cedo ou tarde acabará em desgraça. Relações devem ser mantidas com os familiares e amigos dos descrentes, caso sejam bons e ajudarem aqueles que creem em Deus; mas se forem maus, então é melhor cortar relações com eles. Em suma, devemos ter inteligência ao tratar com aqueles que não creem em Deus.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Deus exige que ajamos com princípio, falemos com princípio, nos aproximemos das pessoas com princípio e não violemos os princípios em como tratamos pessoas diferentes. Violar os princípios é violar a verdade. Se você age ou fala irresponsável e arbitrariamente, isso prova que você não está vivendo nas palavras de Deus nem diante Dele; significa que você é uma pessoa desenfreada que vive dentro de um caráter satânico e sob o império de Satanás. […] Qual é o princípio de como tratar Satanás? A maneira de tratar Satanás é odiá-lo para sempre, amaldiçoá-lo para sempre, rejeitá-lo para sempre e lutar contra ele resolutamente até o fim. Qual princípio você deve usar ao lidar com esse mundo maligno e imoral? É abandoná-lo para sempre, detestá-lo e estabelecer um limite claro entre você e ele. Qual princípio você deve usar ao lidar com pessoas perversas? Você deve odiar e renunciar a elas para sempre. Além do mais, deve se proteger contra elas e aprender a discerni-las, a não cair em seus truques, não interagir com elas, não aceitar nenhum favor delas e estabelecer um limite claro entre você e elas. Quais princípios você deve usar em relação a quaisquer parentes e amigos incrédulos? No que diz respeito àqueles que possuem alguma humanidade, você pode interagir com eles, mas com cuidado; não se envolva demais, pois fazer isso não é benéfico. Incrédulos só buscam lucro e dizem e fazem tudo com uma segunda intenção. Portanto, você deve se recusar a interagir com pessoas que têm humanidade pobre. É permitido interagir com pessoas com uma humanidade um pouco melhor e que são relativamente bem-intencionadas, mas você deve ter sabedoria. Não importa quais pessoas, eventos ou coisas as pessoas que acreditam em Deus possam encontrar, elas sempre devem lidar com elas com princípio. Não ter nenhum princípio prova que você não possui nenhuma verdade, que você vive segundo a filosofia de Satanás e que suas ações são iguais às ações dos incrédulos. Você é nominalmente um crente em Deus, mas, na verdade, é um incrédulo.

Extraído de “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida”

Anterior: 153. Os princípios para tratar as teorias teológicas da religião

Próximo: 155. Os princípios para tratar o governo no poder

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro