81. Os princípios de propagar o evangelho e de testemunhar a Deus

(1) É necessário entender que todos os crentes têm o dever de pregar o evangelho e dar testemunho de Deus, e que é ordenado pelo Céu e reconhecido pela terra que assim o façam. Eles devem se submeter a isso e aceitar, visto que estão vinculados pela honra a fazer isso;

(2) É necessário dar testemunho da obra de Deus nos últimos dias de acordo com Suas palavras, um testemunho que torne essa obra clara e transparente, com foco em comunicar verdades-chave e eliminar as principais noções e dificuldades que impedem o homem de aceitar a obra de Deus;

(3) Cada hipótese deve ser submetida a análise e pesquisa cuidadosas, e planos viáveis devem ser estabelecidos. Esforcem-se para abrir novos caminhos da forma mais efetiva possível;

(4) É necessário escolher os alvos certos para pregar o evangelho. Empreguem com flexibilidade uma variedade de métodos sábios e, desde que não seja ilegal nem pecaminoso, façam o que for preciso para ganhar mais pessoas;

(5) É necessário se espelhar na obra do Espírito Santo e seguir Sua orientação. Em cada país, adotem métodos que se adaptem aos sistemas, leis e regulamentos locais, que podem incluir a propagação direta do evangelho, a propagação espontânea do evangelho ou o “evangelismo em grupo”.

Palavras de Deus relevantes:

Como membros da raça humana e cristãos devotos, é responsabilidade e obrigação de todos nós oferecer nossa mente e nosso corpo para a realização da comissão de Deus, pois todo o nosso ser veio de Deus e existe graças à Sua soberania. Se a nossa mente e o nosso corpo não servirem à comissão de Deus e à causa justa da humanidade, então nossa alma será indigna daqueles que foram martirizados pela comissão de Deus e mais indigna ainda de Deus, que nos proveu de todas as coisas.

Extraído de ‘Deus preside o destino de toda a humanidade’ em “A Palavra manifesta em carne”

O que Eu concedo a vocês supera Moisés e eclipsa Davi, então, da mesma maneira, peço que o seu testemunho supere Moisés e que as suas palavras sejam maiores que Davi. Eu lhes dou centuplicado — então, da mesma maneira, peço que Me retribuam de modo equivalente. Vocês devem saber que Eu sou Aquele que concede vida à humanidade e que são vocês que recebem vida de Mim e devem dar testemunho por Mim. Esse é o seu dever, que Eu envio sobre vocês e que vocês devem cumprir por Mim. Eu concedi toda a Minha glória a vocês, concedi a vocês a vida que o povo escolhido, os israelitas, nunca recebeu. Por direito, vocês devem dar testemunho de Mim, dedicar a Mim a sua juventude e renunciar à sua vida. Qualquer pessoa a quem Eu conceder a Minha glória deve dar testemunho de Mim e dar sua vida por Mim. Isso há muito tempo foi predestinado por Mim. É sorte sua Eu conceder Minha glória a vocês e o seu dever é testificar a Minha glória. Se vocês fossem crer em Mim apenas para ganhar bênçãos, então a Minha obra teria pouca importância e vocês não cumpririam seu dever. Os israelitas viram apenas o Meu amor, misericórdia e grandeza e os judeus testemunharam apenas a Minha paciência e redenção. Eles viram bem, bem pouco da obra do Meu Espírito, a ponto de só entenderem um décimo de milésimo do que vocês ouviram e viram. O que vocês viram excede até os principais sacerdotes entre eles. As verdades que vocês entendem hoje ultrapassam as deles; o que vocês viram hoje excede o que foi visto na Era da Lei, assim como na Era da Graça, e o que vocês experimentaram ultrapassa até Moisés e Elias. Pois o que os israelitas entenderam foi apenas a lei de Jeová e o que viram foi apenas a visão das costas de Jeová; o que os judeus entenderam foi apenas a redenção de Jesus, o que receberam foi apenas a graça concedida por Jesus e o que viram foi apenas a imagem de Jesus dentro da casa dos judeus. O que vocês veem neste dia é a glória de Jeová, a redenção de Jesus e todos os Meus feitos deste dia. Assim também ouviram as palavras do Meu Espírito, apreciaram a Minha sabedoria, passaram a conhecer a Minha maravilha e aprenderam sobre o Meu caráter. Eu também contei a vocês todo o Meu plano de gestão. O que vocês viram não é apenas um Deus amoroso e misericordioso, mas um Deus repleto de justiça. Vocês viram Minha obra maravilhosa e souberam que Eu transbordo de majestade e ira. Além do mais, vocês sabem que Eu uma vez fiz descer a Minha fúria violenta sobre a casa de Israel e que hoje ela veio sobre vocês. Vocês entendem mais dos Meus mistérios no céu que Isaías e João; conhecem mais da Minha amabilidade e venerabilidade que todos os santos de eras passadas. O que vocês receberam não são apenas a Minha verdade, o Meu caminho e a Minha vida, mas uma visão e revelação maiores que as de João. Vocês entendem muito mais mistérios e também olharam para o Meu verdadeiro semblante; vocês aceitaram mais do Meu julgamento e conhecem mais do Meu caráter justo. E assim, apesar de vocês terem nascido nos últimos dias, a sua compreensão é a do antigo e do passado, e vocês também experimentaram as coisas de hoje, e tudo isso foi feito pessoalmente por Mim. O que lhes peço não é excessivo, porque Eu lhes dei tanto e vocês viram muito em Mim. Assim, peço que deem testemunho por Mim dos santos das eras passadas, e esse é o único desejo do Meu coração.

Extraído de ‘O que você sabe sobre a fé?’ em “A Palavra manifesta em carne”

Todas as pessoas precisam entender os objetivos da Minha obra na terra, isto é, o que desejo ganhar no final, e que nível devo alcançar nesta obra antes que ela possa ser concluída. Se, depois de caminhar Comigo até hoje, as pessoas não entendem o que a Minha obra significa, então não terão andado Comigo em vão? Se as pessoas Me seguem, deveriam conhecer a Minha vontade. Eu tenho operado na terra há milhares de anos e, até hoje, continuo a realizar Minha obra desta forma. Embora Minha obra contenha muitos projetos, seu propósito permanece inalterado; embora Eu esteja repleto de julgamento e castigo para com o homem, por exemplo, o que realizo ainda é para salvá-lo e para melhor difundir Meu evangelho e expandir Minha obra entre todas as nações gentias, quando o homem for completado. Portanto, hoje, em uma época em que muitas pessoas há muito se afundam em profundo desânimo, ainda continuo a Minha obra, continuo com a obra que preciso realizar para julgar e castigar o homem. Apesar de o homem estar farto do que Eu digo, e independentemente do fato de ele não desejar se preocupar com a Minha obra, Eu ainda estou cumprindo Meu dever, pois o propósito da Minha obra permanece inalterado, e Meu plano original não será desfeito. A função do Meu julgamento é capacitar o homem para Me obedecer melhor, e a função do Meu castigo é permitir que o homem mude de forma mais efetiva. Embora o que Eu realizo seja por causa do Meu gerenciamento, nunca realizei nada que não tenha sido benéfico para o homem, porque desejo tornar todas as nações além de Israel tão obedientes quanto os israelitas, torná-las seres humanos de verdade, para que Eu possa ter apoio para os pés nas terras fora de Israel. Este é o Meu gerenciamento; é a obra que estou realizando entre as nações gentias. Mesmo agora, muitas pessoas ainda não entendem o Meu gerenciamento, porque não têm interesse em tais coisas e se importam apenas com o próprio futuro e destino. Não importa o que Eu diga, elas permanecem indiferentes à obra que realizo e, em vez disso, focam exclusivamente em seu destino de amanhã. Se as coisas continuarem assim, como a Minha obra pode se expandir? Como o Meu evangelho pode ser difundido pelo mundo? Saibam vocês que, quando a Minha obra for difundida, Eu vou dispersá-los e vou feri-los da mesma forma que Jeová feriu cada uma das tribos de Israel. Tudo isso será feito de modo que Meu evangelho possa se difundir por toda a terra, para que possa alcançar as nações gentias a fim de que o Meu nome seja engrandecido, tanto por adultos como por crianças, e o Meu santo nome, exaltado na boca das pessoas de todas as tribos e nações. É assim para que, nesta era final, Meu nome possa ser engrandecido entre as nações gentias, de modo que Meus feitos possam ser vistos pelos gentios e eles Me chamem de o Todo-Poderoso por causa de Minhas ações, e para que Minhas palavras possam logo acontecer. Eu farei com que todas as pessoas saibam que não sou apenas o Deus dos israelitas, mas também o Deus de todas as nações dos gentios, mesmo aquelas que amaldiçoei. Deixarei todas as pessoas verem que sou o Deus de toda a criação. Esta é a Minha maior obra, o propósito do Meu plano de obra para os últimos dias e a única obra a ser cumprida nos últimos dias.

Extraído de ‘A obra de difundir o evangelho é também a obra de salvar o homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

Você é capaz de comunicar o caráter expresso por Deus em cada era de maneira concreta, em uma linguagem que transmite apropriadamente o significado da era? Você, que experimenta a obra de Deus dos últimos dias, é capaz de descrever o caráter justo de Deus em detalhe? Você consegue dar testemunho sobre o caráter de Deus de forma clara e correta? Como você transmitirá aquilo que viu e vivenciou àqueles crentes religiosos lastimáveis, pobres e devotos que têm fome e sede de justiça e estão a sua espera para que você os pastoreie? Que tipo de pessoas está esperando para que você o pastoreie? Você consegue imaginar? Você está ciente do fardo sobre seus ombros, da sua comissão e da sua responsabilidade? Onde está seu senso de missão histórica? Como você servirá adequadamente como mestre na próxima era? Você tem um forte senso do papel de mestre? Como explicaria o mestre de todas as coisas? Será que é mesmo o mestre de todas as criaturas vivas e de todas as coisas físicas no mundo? Quais são os seus planos para o progresso da próxima fase da obra? Quantas pessoas estão à sua espera para que você seja seu pastor? A sua tarefa é pesada? Elas são pobres, lastimáveis, cegas e perdidas, lamentando na escuridão — onde está o caminho? Como elas anseiam para que a luz, como uma estrela cadente, desça repentinamente e disperse as forças da escuridão que oprimem a humanidade há tantos anos! Quem pode saber a extensão de sua esperança ansiosa, e como anelam, dia e noite, por isso? Mesmo num dia em que a luz passa brilhando, essas pessoas profundamente sofridas permanecem presas em um calabouço escuro sem esperança de libertação; quando deixarão de chorar? Terrível é o infortúnio desses espíritos frágeis, que nunca receberam descanso e que, há muito tempo, são mantidos presos nesse estado por laços impiedosos e história congelada. E quem já ouviu o som dos seus lamentos? Quem já contemplou seu estado miserável? Alguma vez já lhe ocorreu como o coração de Deus está entristecido e ansioso? Como Ele pode suportar ver a humanidade inocente, que Ele criou com Suas próprias mãos, sofrer tamanho tormento? Afinal de contas, os seres humanos são as vítimas que foram envenenadas. E, embora o homem tenha sobrevivido até hoje, quem poderia saber que a humanidade foi, há muito tempo, envenenada pelo maligno? Você se esqueceu de que é uma das vítimas? Em nome de seu amor a Deus, você não está disposto a se esforçar para salvar esses sobreviventes? Você não está disposto a dedicar toda a sua energia para retribuir ao Deus que ama a humanidade como Sua própria carne e sangue? No fim das contas, como você interpretaria ser usado por Deus para viver sua vida extraordinária? Você realmente tem a determinação e a confiança para viver a vida com significativa de uma pessoa piedosa, que serve a Deus?

de ‘Como você deve cuidar de sua missão futura’ em “A Palavra manifesta em carne”

Qual é o propósito de propagar o evangelho? Conforme tem sido continuamente dito desde que este estágio da obra começou, Deus veio fazer Sua obra desta vez para inaugurar uma nova era, para introduzir uma nova era e encerrar a antiga, um fato que pode agora ser visto naqueles de nós agora aqui e que já foi cumprido. Isto é, Deus está fazendo obra nova, e as pessoas aqui já aceitaram isso e já emergiram da Era da Lei e da Era da Graça, não mais lendo a Bíblia, não mais vivendo sob a cruz, não mais clamando o nome do Senhor Jesus o Salvador, mas ao mesmo tempo orando ao nome de Deus do dia presente e aceitando as palavras que Deus agora expressa e tomando-as como os princípios de sobrevivência, os métodos e os objetivos da vida humana. Nesse sentido, as pessoas aqui já não entraram em uma nova era? Em que era, então, vivem as muitas outras pessoas que não aceitaram esse evangelho e essas palavras? Elas ainda estão vivendo na Era da Graça. Agora é vocação de vocês tirar essas pessoas da Era da Graça e fazê-las entrar nesta nova era. Você pode cumprir esta comissão meramente ao orar e chamar o nome de Deus? É suficiente meramente pregar algumas das palavras de Deus? Certamente não; isso requer que todos vocês assumam a responsabilidade pelo dever de difundir o evangelho, de propagar as palavras de Deus, de levá-las para adiante e estender o alcance delas. O que significa “estender o alcance delas”? Significa difundir o evangelho de Deus para além de somente as pessoas que estão aqui; significa tornar mais pessoas cientes da nova obra de Deus e depois pregar as palavras de Deus a elas. Significa usar sua experiência para dar testemunho da obra de Deus e trazê-las também à nova era. Então elas serão o mesmo que vocês. A intenção de Deus é bastante óbvia — Ele não faria entrar na nova era somente vocês que ouviram e aceitaram Suas palavras e começaram a segui-Lo; Ele quer conduzir toda a raça humana à nova era. Essa é a intenção de Deus, e isso é uma verdade que toda pessoa que atualmente segue a Deus deve entender. Deus não está conduzindo uma leva ou um pequeno grupo de pessoas à nova era, mas conduzindo toda a humanidade à nova era. Para alcançar esse objetivo, é necessário difundir o evangelho e usar muitos métodos e canais para fazê-lo.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (1)’ em “Registros das falas de Cristo”

Se você deseja estar apto para ser usado por Deus, deve conhecer a obra de Deus; deve conhecer a obra que Ele fez anteriormente (no Novo e no Antigo Testamentos) e, além disso, deve conhecer Sua obra de hoje; o que significa que você deve conhecer os três estágios da obra de Deus realizados ao longo de seis mil anos. Se for solicitado que você dissemine o evangelho, você não será capaz de fazê-lo sem conhecer a obra de Deus. Alguém pode lhe perguntar sobre o que o Deus de vocês disse sobre a Bíblia, o Velho Testamento e a obra de Jesus e Suas palavras naquele tempo. Se você não conseguir falar sobre a história interna da Bíblia, então, eles não serão convencidos. Na época, Jesus falou muito sobre o Antigo Testamento com Seus discípulos. Tudo o que leram era do Antigo Testamento; o Novo Testamento só foi escrito várias décadas depois de Jesus ter sido crucificado. Para disseminar o evangelho, vocês devem captar, principalmente, a verdade interior da Bíblia e a obra de Deus em Israel, que é a obra feita por Jeová, e vocês também têm que entender a obra feita por Jesus. Essas são as questões com as quais todas as pessoas estão mais preocupadas, e a história interna daquelas duas etapas da obra é o que eles não ouviram. Ao disseminar o evangelho, primeiro deixe de lado a conversa a respeito da obra de hoje do Espírito Santo. Essa etapa da obra está além do alcance delas, porque o que vocês buscam é o que há de mais sublime — um conhecimento de Deus e um conhecimento da obra do Espírito Santo — e nada é mais elevado do que essas duas coisas. Se vocês falarem primeiro sobre o que é sublime, será demais para elas, pois ninguém vivenciou tal obra pelo Espírito Santo; não tem precedentes e ela não é fácil para o homem aceitar. As experiências delas são coisas antigas, do passado, com alguma obra ocasional do Espírito Santo. O que vivenciam não é a obra de hoje do Espírito Santo, ou a vontade de hoje de Deus. Elas ainda agem de acordo com antigas práticas, sem nova luz nem coisas novas.

Extraído de ‘Sobre denominações e identidade’ em “A Palavra manifesta em carne”

Para disseminar o evangelho, para que todos os que buscam com um coração verdadeiro possam ganhar conhecimento da obra feita neste dia e estar completamente convencidos, então você deve entender os bastidores, a substância e o significado da obra realizada em cada estágio. Faça com que, ao ouvirem sua comunicação, outros possam entender a obra de Jeová, a obra de Jesus e, mais ainda, toda a obra do Deus de hoje, bem como as conexões e as diferenças entre os três estágios da obra. Faça com que, depois de terminarem de ouvir, os outros vejam que os três estágios não interrompem uns aos outros, mas que todos são a obra do mesmo Espírito. Embora Eles operem em eras diferentes, o conteúdo da obra que Eles executam é diferente, e as palavras que Eles proferem são diferentes, mas os princípios pelos quais Eles operam são exatamente os mesmos. Essas coisas são as maiores visões que todas as pessoas que seguem a Deus deveriam entender.

Extraído de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Dar testemunho de Deus é primeiramente uma questão de falar sobre seu conhecimento da obra de Deus, de como Deus conquista as pessoas, de como Ele as salva, de como as transforma; é uma questão de falar de como Ele guia as pessoas para entrarem na verdade-realidade, permitindo-lhes ser conquistadas, aperfeiçoadas e salvas por Ele. Dar testemunho significa falar de Sua obra e de tudo que você tem experimentado. Só a Sua obra pode representá-Lo e só a Sua obra pode revelá-Lo publicamente, em Sua inteireza; Sua obra dá testemunho Dele. Sua obra e Suas declarações representam diretamente o Espírito; a obra que Ele faz é executada pelo Espírito, e as palavras que Ele profere são faladas pelo Espírito. Essas coisas são meramente expressas por meio da carne encarnada de Deus, mas, na verdade, elas são expressões do Espírito. Toda a obra que Ele faz e todas as palavras que Ele profere representam Sua essência. Se, depois de revestir-Se de carne e vir entre os homens, Deus não falasse nem operasse e então lhes pedisse que conhecessem Seu realismo, Sua normalidade e Sua onipotência, você seria capaz disso? Você seria capaz de saber qual é a substância do Espírito? Você seria capaz de saber quais são os atributos de Sua carne? É só por terem experimentado cada etapa de Sua obra que Ele lhes pede para dar testemunho Dele. Se vocês não tivessem essa experiência, então Ele não insistiria para darem testemunho. Assim, quando você dá testemunho de Deus, não só testifica de Seu exterior de humanidade normal, mas também da obra que Ele faz e a senda que Ele lidera; você deve testificar de como foi conquistado por Ele e em que aspectos foi aperfeiçoado. Esse é o tipo de testemunho que você deveria dar. Seja onde for, se você clamar: “Nosso Deus veio para operar e Sua obra é verdadeiramente prática! Ele nos ganhou sem atos sobrenaturais, sem milagres e maravilhas de espécie alguma!”, outros perguntarão: “O que você quer dizer quando diz que Ele não opera milagres e maravilhas? Como Ele pôde ter conquistado você sem operar milagres e maravilhas?”. E você diz: “Ele fala e, sem uma demonstração de qualquer maravilha ou milagre, Ele nos conquistou. Sua obra nos conquistou”. No final, se você é incapaz de dizer qualquer coisa de substância, se você não consegue falar de especificidades, isso é testemunho verdadeiro? Quando Deus encarnado conquista as pessoas, são as Suas palavras divinas que o fazem. Humanidade não pode realizar isso; não é algo que qualquer mortal possa alcançar, e mesmo aqueles de calibre mais elevado entre as pessoas normais são incapazes disso, pois Sua divindade é mais elevada que qualquer ser criado. Isso é extraordinário para as pessoas; o Criador, afinal, é mais elevado que qualquer ser criado. Seres criados não podem ser mais elevados que o Criador; se você fosse mais elevado que Ele, Ele não seria capaz de conquistá-lo, e Ele só pode conquistá-lo porque é mais elevado que você. Aquele que pode conquistar toda a espécie humana é o Criador, e ninguém a não ser Ele pode fazer essa obra. Essas palavras são “testemunho” — o tipo de testemunho que você deveria dar. Passo a passo, você experimentou castigo, julgamento, refinamento, provações, reveses e tribulações e foi conquistado; você pôs de lado as expectativas da carne, suas motivações pessoais e os interesses íntimos da carne. Em outras palavras, as palavras de Deus conquistaram seu coração completamente. Embora não tenha crescido em sua vida tanto quanto Ele exige, você sabe todas essas coisas e está completamente convencido pelo que Ele faz. Então, isso pode ser chamado de testemunho, testemunho que é real e verdadeiro. A obra que Deus veio fazer, a obra de julgamento e castigo, tem por propósito conquistar o homem, mas Ele também está concluindo Sua obra, finalizando a era e executando a obra de conclusão. Ele está finalizando a era inteira, salvando toda a espécie humana, livrando-a do pecado de uma vez por todas; Ele está ganhando plenamente a raça humana que Ele criou. Você deveria dar testemunho de tudo isso. Você experimentou tanta coisa da obra de Deus, você a viu com os próprios olhos e a experimentou pessoalmente; quando tiver alcançado o verdadeiro fim, você não deve ser incapaz de desempenhar a função que lhe for incumbida. Que pena seria! No futuro, quando o evangelho tiver se espalhado, você deveria ser capaz de falar do seu conhecimento, testificar tudo que ganhou em seu coração e não poupar esforços. É isso que um ser criado deveria alcançar. Qual é o significado real desse estágio da obra de Deus? Qual é o seu efeito? E quanto dela é executado no homem? O que as pessoas deveriam fazer? Quando vocês puderem falar claramente de toda a obra que Deus encarnado tem feito desde que veio para a terra, então o seu testemunho estará completo. Quando você puder falar claramente dessas cinco coisas: o significado de Sua obra; seu conteúdo; sua substância; o caráter que representa e seus princípios, então isso provará que você é capaz de dar testemunho de Deus, que você realmente é possuidor de conhecimento. Minhas exigências para vocês não são muito elevadas e são alcançáveis por todos aqueles que buscam de verdade. Se está decidido a ser uma das testemunhas de Deus, você deve entender o que Deus odeia e o que Deus ama. Você experimentou muito de Sua obra; por meio dessa obra, você deve chegar a conhecer Seu caráter, entender Sua vontade e Suas exigências para os seres humanos, e usar esse conhecimento para testificar a respeito Dele e desempenhar seu dever.

Extraído de ‘Prática (7)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Há desvios na maneira pela qual muitas pessoas entendem a difusão do evangelho. Algumas pessoas creem que estão engajadas na realização de um dever especial; pensam que difundir o evangelho não tem relação com elas, e que os princípios, verdades e intenções de Deus que devem ser entendidos para que se cumpra o dever de difundir o evangelho também não têm nada a ver com elas, então, quando este aspecto da verdade é comunicado, elas não ouvem atentamente. Tudo o que ouvem entra por um ouvido e sai pelo outro, e quando acabam de ouvir, elas não sabem sobre o que foi falado. Elas sentem que não precisam entender essas verdades. Algumas outras creem que têm trabalhado como um líder desde que vieram a crer em Deus; creem que são pessoas de qualidade e habilidade, que foram preordenadas para serem líderes, que seu dever dado por Deus e sua missão vitalícia é ser líder. Implícito nisso está que a obra de difusão do evangelho nada tem a ver com elas. É por isso que, quando a verdade da difusão do evangelho é falada, elas aparentam ouvir, mas em seu coração, não atribuem importância a isso. Em vista disso, pode-se ver uma atitude que as pessoas têm para com a verdade. Então, advirto todas as pessoas e informo a todas elas que difundir o evangelho não é a vocação especial de um único tipo ou grupo de pessoas; é a vocação de toda pessoa que segue a Deus. Por que Eu devo fazer as pessoas entenderem isso? E por que elas precisam saber disso? É a missão e a vocação que todo ser criado e todo seguidor de Deus, seja velho ou jovem, homem ou mulher, deve aceitar. Se essa missão lhe sobrevier e exigir que você ofereça o seu corpo, que se despenda e pague um preço, o que você deve fazer? Você deve aceitar aquilo que você está obrigado a realizar. Essa é a verdade, e é o que você deve entender. Não se trata de frases de efeito vazias, nem é meramente produto de retórica bombástica, nem é uma opinião; é a verdade. E o que faz dela a verdade? É porque, independentemente da mudança forjada pela passagem do tempo, ou de como a era muda, ou de como a geografia e o espaço mudam, difundir o evangelho e dar testemunho de Deus é eternamente verdadeiro; seu significado, seu valor e sua formulação são imutáveis. Isso não muda com a passagem do tempo ou com a localização geográfica. Isso existe eternamente, e é o que você precisa aceitar, colocar em prática e manifestar na maneira pela qual você vive como ser criado. Isso é a verdade. Algumas pessoas dizem que é provável que passem toda a sua vida sem entrar em contato com esse aspecto da verdade, porém, ainda é um aspecto da verdade que as pessoas devem entender. E por que isso é assim? Porque difundir o evangelho não tem tempo fixo, localização geográfica fixa, nem pessoal fixo para fazê-lo. Então, uma vez que tenha entendido essa verdade, você saberá em seu coração que: “Pregar a nova obra de Deus e pregar o evangelho de Sua obra para salvar as pessoas é minha vocação; independentemente de lugar ou tempo, independentemente de minha posição ou de meu papel, ou do dever que estou cumprindo atualmente, tenho uma obrigação de ir e difundir as boas novas da nova obra de Deus. É meu dever obrigatório transmiti-la sempre que tiver oportunidade ou tempo livre”. Esses são atualmente os pensamentos de uma maioria de pessoas? (Não.) Uma maioria de pessoas pensa: “Atualmente tenho um dever fixo; atualmente estou envolvido em estudar e me aprofundar em uma profissão e especialização fixas, então difundir o evangelho não tem absolutamente nada a ver comigo”. Que tipo de atitude é essa? É uma atitude de se esquivar do dever que se tem e da missão que se tem e é uma atitude de negatividade em relação ao dever de difundir o evangelho. Quando as pessoas não assumem o fardo e não atentam para difundir o evangelho da salvação do homem por Deus, essa comissão, elas estão manifestando uma consciência ou humanidade? Se você não for vigoroso e proativo em cooperar, estendendo sua consideração ou assumindo responsabilidade, então você está meramente reagindo de forma negativa e passiva. Essa é uma atitude imprudente. Não importa onde você esteja ou em que dever esteja envolvido, e não importa que profissão ou que especialização seu dever envolva, um dos frutos mais importantes de todos de seu trabalho é ser capaz de difundir e de dar testemunho do evangelho da obra de Deus para salvar a humanidade. Isso é o mínimo que um ser criado deveria fazer.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (1)’ em “Registros das falas de Cristo”

Ao propagar o evangelho, você deve cumprir sua responsabilidade de lidar seriamente com todos a quem você o propaga. Você não deve pôr ninguém de lado de forma descuidada. Isso significa que você deve buscar entender conscientemente cada pessoa com quem compartilha o evangelho. Se elas estiverem alinhadas com os princípios de propagar o evangelho, você deve tentar convencê-las. Como você as convencerá? Você deve pensar em todo meio possível de cumprir sua responsabilidade, deve pagar um preço e deve aproveitar-se de algumas técnicas e métodos. Em suma, seu ímpeto deve ser o cumprimento de suas responsabilidades, de todo o seu coração, de uma forma que mantenha a sua consciência limpa. Em dez ou vinte anos, quando se lembrar de uma pessoa com quem compartilhou o evangelho, você sentirá que usou toda a sua força e, mesmo se ela não o aceitou, você terá uma consciência limpa. Se, em seu coração, você ainda se sentir inquieto e como se devesse ter sido capaz de convencê-la, mas perdeu esse convertido em potencial devido à sua própria negligência ou preguiça momentânea, ou devido a um sentimento momentâneo de teimosia ou porque você não aproveitou a oportunidade, então isso será uma mancha que macula você. Sendo maculado, você então está condenado por Deus? Deus ainda não irá tão longe a ponto de condenar você por essa questão menor; Ele não irá tão longe a ponto de fazer tempestades num copo d´água, mas, se essa questão for colocada em seu lugar apropriado comparando-a à verdade, então no mínimo, você não cumpriu sua responsabilidade, e assim será o julgamento de Deus. Isso não se qualifica como condenação, mas Deus assim julgará suas transgressões e faltas. Portanto, a fim de reduzir ou evitar esses tipos de erros, as pessoas devem adotar uma abordagem mais ativa ao lidarem com cada convertido em potencial que encontram. Se um convertido em potencial fizer uma pergunta repetidamente, como você deve responder? Você não deve se importar em gastar tempo e esforço para respondê-la, em pensar em todo meio possível de resolver a pergunta dele, até que ele entenda e não pergunte novamente. Você então terá cumprido sua responsabilidade, e seu coração estará isento de culpa. Isso significa estar isento de culpa da parte deles? Não, não significa. Você estará isento de culpa da parte de Deus porque esse dever, essa responsabilidade, foi confiada a você por Deus. Quando tudo o que você faz for feito diante de Deus, voltado para Deus, quando tudo for feito de acordo com a palavra de Deus, de acordo com os princípios da verdade, então seus padrões internos se elevarão a um nível superior. As pessoas aprovarão e aceitarão facilmente as coisas que você fizer e as palavras que você disser uma vez que seus padrões sejam elevados. Se as palavras que disser forem iluminadoras e práticas, então você será capaz de evitar discórdia e confrontação e, ao fazê-lo, você edificará outros. Você também será capaz de evitar influência negativa sobre o testemunho e a propagação do evangelho.

Extraído de ‘Propagar o evangelho é o dever a que todos os crentes estão moralmente obrigados’ em “Registros das falas de Cristo”

Propagar o evangelho é dever e obrigação de todos. A qualquer tempo, independentemente do que ouvimos ou do que vemos, ou do tipo de tratamento que encontramos, devemos sempre persistir nessa responsabilidade de propagar o evangelho. Em circunstância alguma podemos desistir desse dever por causa de negatividade ou fraqueza. O dever de propagar o evangelho não é navegação em águas calmas, mas está repleto de perigo. Quando propagarem o evangelho, vocês não enfrentarão anjos, alienígenas ou robôs. Vocês enfrentarão somente humanidade maligna e corrupta, demônios vivos, bestas — eles todos são humanidade que está sobrevivendo neste espaço maligno e que foi profundamente corrompido por Satanás e resiste a Deus. Portanto, no processo de propagar o evangelho, há certamente todo tipo de perigo, sem mencionar difamação mesquinha, escárnio e equívocos, dos quais há ainda mais. Se realmente considerar a propagação do evangelho uma responsabilidade, uma obrigação e seu dever, então você será capaz de ver essas coisas corretamente e até lidar com elas corretamente, e você não desistirá de sua responsabilidade e obrigação, nem se desviará de sua intenção original de propagar o evangelho e testificar de Deus por causa dessas coisas, pois esse é seu dever. Como esse dever deve ser entendido? O valor e a responsabilidade principal desta vida que você vive é propagar as boas novas da obra de Deus nos últimos dias e propagar o evangelho da obra de Deus.

Extraído de ‘Propagar o evangelho é o dever a que todos os crentes estão moralmente obrigados’ em “Registros das falas de Cristo”

Se você reconhece que é um ser criado, você deve se preparar para sofrer e pagar um preço em favor do cumprimento da responsabilidade de propagar o evangelho e em favor do cumprimento adequado de seu dever. O preço pode ser sofrer alguma dificuldade ou doença física, ou as perseguições surgidas em seu ambiente ou os equívocos das pessoas mundanas, bem como ser espancado, repreendido e abandonado por convertidos em potencial; ou, nos casos mais graves, possivelmente ter sua vida ameaçada. É possível, no decurso de propagar o evangelho, que você morra antes que a obra de Deus esteja completa e que você não viva para ver o dia da glória de Deus. Você deve estar preparado para isso. Isso não é para assustar vocês; é um fato. Entretanto, agora que Eu deixei isso claro claro e vocês entenderam, se vocês ainda têm essa aspiração e ela ainda não mudou, isso prova que vocês possuem certa estatura. Não presumam que propagar o evangelho nessas nações além-mar com liberdade religiosa e direitos humanos será isento de perigo ou que, com o grande poder e autoridade de Deus e com a proteção de Deus, tudo correrá bem, tudo com as bênçãos de Deus — isso é imaginação humana. Você não pode propagar o evangelho sem sabedoria, e contratempos frequentemente sobrevêm ao ignorante. Os fariseus também criam em Deus, mas pegaram o Deus encarnado e O crucificaram. Você acha que o mundo religioso de hoje não faria uma coisa dessas? Não se esqueça de que aqueles que pegaram o Senhor Jesus e O crucificaram eram crentes. Somente eles tiveram a oportunidade de fazer esse tipo de coisa. Os incrédulos não ligavam para essas coisas. Foram esses crentes que conspiraram com o governo para pegar o Senhor Jesus e crucificá-Lo. Ademais, como aqueles discípulos morreram? Entre os discípulos, houve aqueles que foram apedrejados, arrastados por cavalo, crucificados de cabeça para baixo, desmembrados por cinco cavalos — todo tipo de morte sobreveio a eles. Qual foi a razão da morte deles? Eles foram legalmente executados por seus crimes? Eles foram condenados, espancados, repreendidos e executados porque propagavam o evangelho do Senhor e foram rejeitados pelas pessoas do mundo — é assim que foram martirizados. Não falemos do fim decisivo desses mártires ou da definição de Deus da conduta deles, mas perguntemos: quando eles chegaram ao fim, a forma como encontraram o fim de suas vidas estava de acordo com as noções humanas? Da perspectiva das noções humanas, se eles pagaram esse tipo de preço para propagar a obra de Deus, deveriam ao menos ter recebido uma boa morte. Mas essas pessoas morreram tragicamente antes da hora. Isso não está de acordo com as noções humanas, mas Deus fez precisamente isto — Deus permitiu que acontecesse. Que verdade pode ser buscada em Deus ter permitido que isso acontecesse? O fato de Deus permitir que eles morressem daquela forma era Sua maldição e condenação ou era o Seu plano e bênção? Não era nada disso. O que era? As pessoas agora refletem sobre a morte deles com muita dor no coração, mas é assim que as coisas eram: aqueles que criam em Deus morriam dessa forma, e isso faz o coração das pessoas doer. Como isso se explica? Quando tocamos nesse tópico, vocês se colocam no lugar deles; seu coração então se entristece e vocês sentem uma dor oculta? Vocês pensam: “Essas pessoas fizeram o seu dever para propagar o evangelho de Deus e deveriam ser consideradas boas pessoas, então como elas puderam chegar a tal fim, tal desfecho?” Na realidade, é assim que seus corpos morriam e pereciam; esse era o meio como partiam do mundo humano, mas isso não significa que o desfecho deles fosse igual. O meio da sua morte e partida, não importa qual foi ou como aconteceu, não é como Deus define os desfechos finais daquelas vidas, daqueles seres criados. Isso é algo que você deve ver com clareza. Longe disso, eles usaram precisamente aqueles meios para condenar este mundo e testificar dos feitos de Deus. As pessoas, que são seres criados, usaram sua vida, que é tão preciosa — elas usaram o último momento de sua vida para testificar dos feitos de Deus, para testificar do grande poder de Deus e para declarar a Satanás e ao mundo que os feitos de Deus estão certos, que o Senhor Jesus é Deus, que Ele é o Senhor e é a carne encarnada de Deus; até mesmo no momento final de sua vida, eles nunca negaram o nome do Senhor Jesus. Isso não era uma forma de julgamento sobre este mundo? Eles usaram sua vida para proclamar ao mundo, para confirmar aos seres humanos que o Senhor Jesus é o Senhor, que o Senhor Jesus é Cristo, que Ele é a carne encarnada de Deus, que a obra de redenção que Ele preparou para toda a humanidade permite que a humanidade continue viva — esse fato é para sempre imutável. Até que ponto eles cumpriram seu dever? Foi ao grau máximo? Como o grau máximo se manifestou? Eles pagaram o preço com suas vidas. Família, riqueza e as coisas materiais desta vida são todas coisas externas; a única coisa que é interna para si mesmo é a vida. Para toda pessoa que vive, a vida é a coisa mais digna de ser valorizada, a coisa mais preciosa e, supreendentemente, essas pessoas foram capazes de oferecer seu bem mais precioso — a vida — como confirmação, em troca do reconhecimento da obra de Deus por parte das pessoas do mundo. Até o dia em que morreram, elas não negaram o nome de Deus nem negaram a obra de Deus e usaram o seu último momento de vida para testificar da existência deste fato — essa não é a mais elevada forma de testemunho? Essa é a melhor maneira de se fazer o dever; isso é que é cumprir sua responsabilidade. Quando Satanás os ameaçou e aterrorizou e, no fim, até mesmos quando ele os fez pagar o preço de sua vida, eles não revogaram sua responsabilidade. Isso é que é cumprir o dever ao máximo. O que quero dizer com isso? Minha intenção é fazer com que vocês usem o mesmo método para testificar de Deus e para propagar o evangelho? Você não precisa necessariamente fazer isso, mas deve entender que é sua responsabilidade, que se Deus precisar que você o faça, você deve aceitá-lo como obrigação moral. As pessoas de hoje têm medo e preocupação dentro de si, mas qual é a utilidade desses sentimentos? Se Deus não precisar que você o faça, para que se preocupar com isso? Se Deus precisar que você o faça, você não deve fugir dessa responsabilidade nem rejeitá-la. Você deve cooperar proativamente e aceitá-la sem preocupação. Independentemente de como se morra, não se deve morrer diante de Satanás e nem morrer em suas mãos. Se alguém for morrer, ele deve morrer nas mãos de Deus. As pessoas vieram de Deus e para Deus retornam — tal é a percepção e a atitude que um ser criado deve possuir. Essa é a verdade final que se deve entender ao cumprir o dever de propagar o evangelho — deve-se pagar o preço com a própria vida para propagar e testificar do evangelho de Deus encarnado cumprindo a Sua obra e salvando a humanidade. Se você tem essa aspiração, se pode alcançar isso, isso é maravilhoso. Se ainda não possui esse tipo de aspiração, você deve, no mínimo, cumprir adequadamente a responsabilidade e o dever que se encontram diante de você, dando o restante a Deus. Talvez então, conforme passarem os meses e anos e sua experiência e idade aumentarem e seu entendimento da verdade se aprofundar, você perceberá que tem uma obrigação e uma responsabilidade de oferecer a sua vida para a obra do evangelho de Deus, até o fim de sua vida.

Extraído de ‘Propagar o evangelho é o dever a que todos os crentes estão moralmente obrigados’ em “Registros das falas de Cristo”

Anterior: 80. Os princípios de avaliar os convertidos em potencial

Próximo: 82. Os princípios de regar os recém-chegados

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro