160. Os princípios para observar os decretos administrativos e os mandamentos de Deus

(1) É necessário compreender a essência e o verdadeiro significado dos decretos administrativos e mandamentos. Entenda a vontade de Deus e reverencie-O em seu coração, para não ofender Seu caráter;

(2) É necessário buscar a verdade e conhecer o caráter de Deus por meio de Seus decretos administrativos e mandamentos. Tornem-se capazes de observar verdadeiramente Seus decretos administrativos e mandamentos;

(3) É necessário conhecer as próprias vulnerabilidades e fraquezas vitais para formular seus princípios de prática, garantindo assim a adesão aos decretos administrativos e mandamentos de Deus;

(4) Os decretos administrativos e mandamentos de Deus são sumamente reveladores de que uma pessoa possui humanidade. Quem não conseguir observar os decretos administrativos e mandamentos é alguém sem humanidade e certamente será eliminado.

Palavras de Deus relevantes:

Os dez decretos administrativos que devem ser obedecidos pelo povo escolhido de Deus na Era do Reino

1. O homem não deveria se engrandecer nem se exaltar. Ele deveria adorar e exaltar a Deus.

2. Faça tudo que seja benéfico à obra de Deus e nada que seja prejudicial aos interesses da obra de Deus. Defenda o nome de Deus, o testemunho de Deus e a obra de Deus.

3. Dinheiro, objetos materiais e todos os bens da casa de Deus são ofertas que deveriam ser dadas pelo homem. Essas ofertas podem ser desfrutadas apenas pelo sacerdote e por Deus, pois as ofertas do homem são para o deleite de Deus. Deus só compartilha essas ofertas com o sacerdote; ninguém mais está qualificado ou tem direito a desfrutar qualquer parte delas. Todas as ofertas do homem (inclusive dinheiro e coisas materiais que podem ser desfrutadas) são dadas a Deus, não ao homem, portanto, essas coisas não deveriam ser desfrutadas pelo homem. Se o homem fosse usufruir delas, então, ele estaria roubando ofertas. Qualquer um que faça isso é um Judas, pois, além de ser um traidor, Judas também se servia do que era posto na bolsa de dinheiro.

4. O homem tem um caráter corrupto e, além disso, está possuído de emoções. Como tal, é absolutamente proibido que dois membros de sexo oposto trabalhem juntos desacompanhados quando estão servindo a Deus. Qualquer pessoa que for descoberta fazendo isso será expulsa, sem exceção.

5. Não faça julgamento de Deus, nem discuta informalmente assuntos relacionados a Deus. Aja como o homem deve agir e fale como o homem deve falar, e não ultrapasse limites nem transgrida fronteiras. Vigie sua própria língua e tome cuidado onde pisa para evitar fazer qualquer coisa que ofenda o caráter de Deus.

6. Faça aquilo que deve ser feito pelo homem, cumpra suas obrigações, cumpra suas responsabilidades e atenha-se ao seu dever. Como você crê em Deus, faça sua contribuição à obra de Deus; se não o fizer, você não está apto a comer e beber as palavras de Deus e não está apto a viver na casa de Deus.

7. No trabalho e nos assuntos da igreja, além de obedecer a Deus, siga as instruções do homem que é usado pelo Espírito Santo em tudo. Até mesmo a mais leve infração é inaceitável. Seja absoluto em sua obediência e não analise o que é certo ou errado; o que é certo ou errado não tem nada a ver com você. Você deve se preocupar apenas com a obediência total.

8. As pessoas que creem em Deus deveriam obedecer a Ele e adorá-Lo. Não exalte nem admire ninguém; não coloque Deus em primeiro lugar, as pessoas que você admira em segundo e a si mesmo em terceiro. Ninguém deveria ocupar um lugar em seu coração, e você não deveria considerar que as pessoas — especialmente as que você venera — estejam no mesmo nível de Deus ou sejam iguais a Ele. Isso é intolerável para Deus.

9. Mantenha seus pensamentos no trabalho da igreja. Coloque de lado as perspectivas de sua própria carne, seja decidido a respeito de assuntos familiares, dedique-se integralmente à obra de Deus, coloque-a em primeiro lugar e sua vida pessoal em segundo. Essa é a decência de um santo.

10. Os parentes que não são da fé (seus filhos, seu marido ou sua esposa, suas irmãs ou seus pais etc.) não deveriam ser forçados a entrar na igreja. A casa de Deus não tem falta de membros, e não há necessidade de aumentar seu número com pessoas sem serventia. Todos aqueles que não creem alegremente não devem ser conduzidos à igreja. Este decreto se dirige a todas as pessoas. Vocês devem conferir, monitorar e lembrar uns aos outros dessa questão; ninguém pode violar este decreto. Mesmo que parentes que não são da fé entrem com relutância na igreja, eles não devem receber livros nem um novo nome; tais pessoas não são da casa de Deus e sua entrada na igreja deve ser impedida por quaisquer meios necessários. Se ocorrerem perturbações na igreja devido à invasão de demônios, você mesmo será expulso ou sofrerá a imposição de restrições. Em suma, todos têm uma responsabilidade nessa questão, embora não devam ser imprudentes nem usá-la para ajustar contas pessoais.

de “A Palavra manifesta em carne”

As pessoas têm de aderir aos muitos deveres que deveriam cumprir. É a isso que as pessoas deveriam aderir e o que devem realizar. Deixem o Espírito Santo fazer o que tem de ser feito pelo Espírito Santo; o homem não pode desempenhar nenhum papel nisso. O homem deveria aderir ao que deve ser feito pelo homem, o que não tem relação nenhuma com o Espírito Santo. Não é nada senão o que deve ser feito pelo homem e a que se deveria aderir como mandamento, exatamente como a adesão à lei do Antigo Testamento. Embora agora não seja a Era da Lei, ainda há muitas palavras às quais se deveria aderir que são do mesmo tipo das palavras faladas na Era da Lei. Essas palavras não são executadas simplesmente por se confiar no toque do Espírito Santo, antes são algo a que o homem deve aderir. Por exemplo: vocês não devem julgar a obra do Deus prático. Não devem se opor ao homem que é testificado por Deus. Perante Deus, vocês devem ficar em seu lugar e não ser dissolutos. Devem ser moderados na fala, e suas palavras e ações devem seguir os arranjos do homem testificado por Deus. Devem reverenciar o testemunho de Deus. Não devem ignorar a obra de Deus nem as palavras de Sua boca. Não devem imitar o tom nem os objetivos das declarações de Deus. Externamente, vocês não devem fazer nada que se oponha claramente ao homem testificado por Deus. E assim por diante. A isso é que toda pessoa deveria aderir. Em cada era, Deus especifica muitas regras que são análogas às leis e às quais o homem deve aderir. Com isso, Ele refreia o caráter do homem e detecta sua sinceridade. Vejamos, por exemplo, as palavras “Honra a teu pai e a tua mãe” da era do Antigo Testamento. Essas palavras não se aplicam à atualidade; naquele tempo, elas simplesmente refreavam um tanto do caráter exterior do homem, eram usadas para demonstrar a sinceridade da fé do homem em Deus e eram um sinal daqueles que acreditavam em Deus. Embora agora seja a Era do Reino, ainda existem muitas regras às quais o homem deve aderir. As regras do passado não se aplicam, e há hoje práticas muito mais adequadas para o homem realizar e que são necessárias. Elas não envolvem a obra do Espírito Santo e devem ser feitas pelo homem.

Na Era da Graça, muitas das práticas da Era da Lei foram descartadas porque essas leis não eram particularmente eficazes para a obra daquela época. Após terem sido descartadas, foram estabelecidas muitas práticas que eram adequadas à era e que se tornaram as muitas regras da atualidade. Quando o Deus de hoje veio, essas regras foram dispensadas, não foi mais exigido que se aderisse a elas, e foram estabelecidas muitas práticas adequadas à obra atual. Hoje, essas práticas não são regras, em vez disso, são destinadas a alcançar efeitos; elas são adequadas para hoje — amanhã, talvez se tornem regras. Em suma, você deveria aderir ao que é proveitoso para a obra de hoje. Não dê atenção ao amanhã: o que é feito hoje é por causa do hoje. Talvez quando chegar o amanhã haja melhores práticas que você será solicitado a realizar — mas não dê muita atenção a isso. Antes, adira àquilo a que se deveria aderir hoje de modo a evitar opor-se a Deus. Hoje, nada é mais crucial para o homem do que aderir ao seguinte: você não deve tentar seduzir o Deus que está diante de seus olhos, nem ocultar-Lhe coisa alguma. Você não deve proferir imundícies nem discurso arrogante perante o Deus à sua frente. Não deve enganar o Deus que está diante de seus olhos com palavras doces e falas agradáveis para ganhar Sua confiança. Você não deve agir de forma irreverente perante Deus. Deve obedecer a tudo que é falado pela boca de Deus e não deve resistir nem se opor às Suas palavras, nem deve contestá-las. Você não deve interpretar as palavras faladas pela boca de Deus como considera adequado. Você deveria vigiar sua língua para evitar que ela o faça se tornar vítima dos esquemas enganosos dos iníquos. Deveria vigiar seus passos para evitar transgredir os limites estabelecidos para você por Deus. Se transgredir, isso o levará a se colocar na posição de Deus e a falar palavras presunçosas e pomposas, e assim você se tornará detestado por Ele. Não deve espalhar de forma descuidada as palavras faladas pela boca de Deus, para que outros não zombem de você e os demônios não o façam de bobo. Você deve obedecer a toda a obra do Deus de hoje. Mesmo se não a entender, não deve julgá-la; tudo que você pode fazer é buscar e ter comunhão. Nenhuma pessoa deve transgredir o lugar original de Deus. Você não pode fazer nada além de servir ao Deus de hoje na posição de homem. Você não pode, na posição de homem, ensinar o Deus de hoje — fazer isso é equivocado. Ninguém pode ficar no lugar do homem testificado por Deus; em suas palavras, ações e pensamentos mais íntimos, você permanece na posição de homem. Isso deve ser cumprido, é a responsabilidade do homem, e ninguém pode alterar isso; tentar fazê-lo violaria os decretos administrativos. Isso deve ser lembrado por todos.

Extraído de ‘Os mandamentos da nova era’ em “A Palavra manifesta em carne”

As pessoas frequentemente dizem que Deus tem Seus decretos administrativos e que Ele usa esses decretos para punir as pessoas e mantê-las sob controle se elas forem desobedientes. As palavras “decretos administrativos” estão frequentemente nos lábios delas — mas elas não entendem de fato o que significam essencialmente. O que exatamente são os decretos administrativos? São uma classe de palavras dadas por Deus que tratam da natureza e do caráter corrupto do homem a fim de manter seu comportamento sob controle. Os decretos administrativos não são as leis de Jeová[a] ou um sistema legal, muito menos são comparáveis às constituições do mundo do homem. Eles são um conjunto de parâmetros definidos por Deus destinados a manter o comportamento do homem sob controle. Eles envolvem como temer a Deus, como adorar a Deus, como obedecer a Deus, como agir como um ser criado, como agir como uma pessoa, como testificar de Deus e como não envergonhar o nome de Deus. Algumas pessoas dizem: “O Espírito de Deus pode fazer coisas. Ele pode punir as pessoas e retribuir a toda pessoa na mesma moeda. Também há a verdade, que guia todas as pessoas. Por que tem que haver decretos administrativos?” A verdade está relacionada à entrada das pessoas na vida; ela diz respeito aos estados específicos de seu caráter corrupto. Os decretos administrativos são estipulações claramente definidas. Seja qual for o seu estado, seja qual for o tipo de pessoa que você é, se você crê em Deus, deve realizar tudo o que é estipulado pelos decretos administrativos — e se você não conseguir, seu nome será riscado e, aos olhos de Deus, você será detestado e rejeitado. Os decretos administrativos, na verdade, são o mínimo que é exigido das pessoas para crer em Deus, como quando, na Era da Lei, Jeová fez certas obras, falou muitas palavras e estabeleceu diversas leis, e aquelas leis naturalmente incluíram muito do que o homem deveria fazer: como deveria temer a Jeová, por exemplo, ou como fazer sacrifícios a Jeová, pagar dízimos, fazer doações. Naquela época, eles eram chamados de leis, e na Era da Graça, passaram a ser chamados de mandamentos.

Os mandamentos da Era da Graça não podem servir como decretos administrativos hoje porque o que é exigido do homem em cada era é diferente. Toda era tem mandamentos e toda era tem exigências e critérios de Deus para o homem, critérios que variam de acordo com as mudanças na era e nas exigências da obra de Deus. […] Hoje, Deus emitiu decretos administrativos conforme condizem com os estados e necessidades do homem. Algumas pessoas perguntam: “Por que emitir mais decretos administrativos? Isso já foi feito uma vez e as pessoas estão cientes deles e fazem o que é pedido. O assunto deveria estar encerrado. Por que continuar emitindo novos decretos?” Com as pessoas sendo corruptas como são hoje em dia, adiantaria não emitir os decretos administrativos? Todas as pessoas têm caráter corrupto e são governadas por sua natureza; não é que, uma vez que elas aceitem a obra de Deus e sejam capazes de seguir os mandamentos, elas vão se tornar santas e justas. Não é assim que funciona. As pessoas vivem sempre em meio a seu caráter corrupto, por isso sempre há necessidade de decretos administrativos correspondentes para manter o comportamento delas sob controle. Se as pessoas realmente violarem esses decretos administrativos, elas podem ser disciplinadas ou ter limitações postas sobre elas ou ser eliminadas e expulsas. Qualquer tipo de consequência é possível.

Extraído de ‘Uma conversa sobre os decretos administrativos de Deus na Era do Reino’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

A promulgação dos mandamentos na era nova é um testemunho ao fato de que todos as pessoas nessa corrente, todos aqueles que hoje ouvem a voz de Deus, entraram numa era nova. É um novo começo para a obra de Deus e, também, o início da última parte da obra no plano de gerenciamento de seis mil anos de Deus. Os mandamentos da era nova simbolizam que Deus e o homem entraram no reino de um novo céu e uma nova terra e que Deus, do mesmo modo que Jeová operou entre os israelitas e Jesus operou entre os judeus, fará mais obra prática e ainda mais e ainda maior obra na terra. Eles simbolizam também que esse grupo de pessoas receberá mais e maiores comissões de Deus, e será sustentado, alimentado, apoiado, cuidado e protegido por Ele de maneira prática, receberá Dele treinamento ainda mais prático, e será tratado, quebrantado e refinado pela palavra de Deus. O significado dos mandamentos da era nova é muito profundo. Eles sugerem que Deus realmente aparecerá na terra, a partir de onde Ele conquistará o universo inteiro, revelando toda a Sua glória na carne. Eles sugerem também que o Deus prático fará mais obra prática na terra a fim de aperfeiçoar todos os Seus escolhidos. Além disso, Deus realizará tudo na terra com palavras e tornará manifesto o decreto que “o Deus encarnado subirá à maior altura e será magnificado, e todos os povos e todas as nações se ajoelharão para adorar a Deus — que é grande”. Embora os mandamentos da era nova tenham de ser guardados pelo homem e embora fazer isso seja o dever do homem e sua obrigação, o significado que eles representam é, antes, profundo demais para ser inteiramente expresso em uma ou duas palavras. Os mandamentos da era nova substituem as leis do Antigo Testamento e as ordenanças do Novo Testamento promulgadas por Jeová e Jesus. Essa é uma lição mais profunda, não é uma questão tão simples como as pessoas talvez imaginem. Existe um aspecto de significado prático nos mandamentos da nova era: eles servem como interface entre a Era da Graça e a Era do Reino. Os mandamentos da era nova põem um fim a todas as práticas e ordenanças da era antiga como também a todas as práticas da era de Jesus e àquelas anteriores a ela. Eles trazem o homem para a presença do Deus mais prático, permitindo que ele comece a ser aperfeiçoado por Ele pessoalmente; eles são o início da senda do aperfeiçoamento. Assim, vocês deveriam possuir uma atitude correta com relação aos mandamentos da era nova e não devem segui-los negligentemente nem desprezando eles. Os mandamentos da era nova colocam ênfase em certo ponto: que o homem deve adorar o Próprio Deus prático de hoje, o que envolve submeter-se à essência do Espírito de maneira mais prática. Os mandamentos também salientam o princípio pelo qual Deus há de julgar o homem ou como culpado ou como justo após Ele Se manifestar como o Sol da justiça. Os mandamentos são mais fáceis de entender do que de colocar em prática. Isso mostra que, se Deus deseja aperfeiçoar o homem, então Ele deve fazê-lo por meio de Suas próprias palavras e orientação, e o homem não pode alcançar a perfeição apenas por via de sua própria inteligência inata. Se o homem pode ou não guardar os mandamentos da era nova tem a ver com seu conhecimento do Deus prático. Logo, se você pode ou não guardar os mandamentos não é uma questão que será resolvida numa questão de meros dias. Essa é uma lição muito profunda a ser aprendida.

Extraído de ‘Guardando os mandamentos e praticando a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”

A chave para guardar os mandamentos é ter um entendimento do Deus prático. Uma vez que tenha um entendimento do Deus prático, você será capaz de guardar os mandamentos. Há dois componentes para guardá-los: um é agarrar-se à essência do Seu Espírito e, perante o Espírito, ser capaz de aceitar o exame do Espírito; o outro é ser capaz de ter um entendimento genuíno da carne encarnada e alcançar submissão genuína. Quer seja perante a carne ou perante o Espírito, é preciso sempre abrigar a submissão e a reverência a Deus. Só uma pessoa como essa está qualificada a ser aperfeiçoada. Se você tiver um entendimento da praticidade do Deus prático — isto é, se você permaneceu firme nessa provação — então nada será demasiado para você.

Algumas pessoas dizem: “É fácil guardar os mandamentos; você só precisa falar franca e devotamente quando estiver perante Deus e não fazer gesticulações; é isso que é guardar os mandamentos”. Está certo? Então, se você faz umas poucas coisas pelas costas de Deus que Lhe sejam resistentes, isso conta como guardar os mandamentos? Você precisa ter um entendimento completo do que envolve guardar os mandamentos. Relaciona-se a se você tem um entendimento real ou não da praticidade de Deus; se você tem um entendimento da praticidade e não tropeça e cai durante essa provação, então você pode ser contado como tendo um testemunho forte. Dar um testemunho retumbante de Deus relaciona-se principalmente a se você tem ou não um entendimento do Deus prático e a se você é ou não capaz de submeter-se perante essa pessoa que não é apenas comum, mas normal, e de submeter-se mesmo até a morte. Se, por meio dessa submissão, você verdadeiramente der testemunho de Deus, isso significa que você foi obtido por Deus. Se puder submeter-se até a morte e, perante Ele, estar livre de reclamações, não fazer julgamentos, não caluniar, não ter quaisquer noções e não ter segundas intenções, então dessa maneira Deus ganhará glória. A submissão perante uma pessoa comum que é menosprezada pelo homem e ser capaz de submeter-se até a morte sem quaisquer noções — esse é o testemunho verdadeiro.

Extraído de ‘Aqueles que verdadeiramente amam a Deus são os que podem se submeter totalmente à Sua praticidade’ em “A Palavra manifesta em carne”

Na prática, guardar os mandamentos deveria estar vinculado a colocar a verdade em prática. Ao mesmo tempo que se guardam os mandamentos, deve-se praticar a verdade. Quando se pratica a verdade, não se devem violar os princípios dos mandamentos nem ir contra os mandamentos; você deve fazer tudo que Deus exige de você. Guardar os mandamentos e praticar a verdade estão interligados, não são contraditórios. Quanto mais você praticar a verdade, mais capaz você se torna de guardar a essência dos mandamentos. Quanto mais você praticar a verdade, mais compreenderá a palavra de Deus como expressa nos mandamentos. Praticar a verdade e guardar os mandamentos não são ações contraditórias, são interligadas. No início, o homem só pode praticar a verdade e alcançar o esclarecimento do Espírito Santo após guardar os mandamentos, mas essa não é a intenção original de Deus. Deus exige que você coloque seu coração em adorá-Lo, não apenas que você se comporte bem. No entanto, você deve guardar os mandamentos ao menos superficialmente. Aos poucos, por meio da experiência, após ganharem um entendimento mais claro de Deus, as pessoas deixarão de se rebelar contra Deus, de resistir a Ele e não terão mais quaisquer dúvidas sobre Sua obra. Essa é a única maneira como as pessoas podem se ater à essência dos mandamentos. Logo, meramente guardar os mandamentos sem praticar a verdade é ineficaz e não constitui adoração verdadeira a Deus, pois você ainda não atingiu estatura real. Guardar os mandamentos sem a verdade equivale apenas a aderir às regras com rigidez. Ao fazer isso, os mandamentos se tornariam sua lei, o que não lhe ajudaria a crescer na vida. Pelo contrário, eles se tornariam seu fardo e o amarrariam firmemente como a lei do Antigo Testamento, fazendo com que você perdesse a presença do Espírito Santo. Portanto, você pode guardar os mandamentos efetivamente só praticando a verdade, e você guarda os mandamentos para praticar a verdade. No processo de guardar os mandamentos, você colocará ainda mais verdades em prática e, ao praticar a verdade, você ganhará um entendimento ainda mais profundo daquilo que os mandamentos realmente significam. O propósito e o sentido por trás da exigência de Deus de que o homem deve guarde os mandamentos não é só para que ele siga as regras, como ele talvez imagine; tem a ver, antes, com sua entrada na vida. A extensão de seu crescimento na vida dita o grau em que você será capaz de guardar os mandamentos. Embora os mandamentos devam ser guardados pelo homem, a sua essência só se torna aparente por meio da experiência de vida do homem. A maioria das pessoas supõe que guardar bem os mandamentos significa que elas estão “completamente preparadas, e tudo que resta a ser feito é ser arrebatado”. Isso é um tipo extravagante de ideia e não está alinhado à vontade de Deus. Aqueles que dizem tais coisas não desejam progredir e cobiçam a carne. É absurdo! Não corresponde à realidade! Só praticar a verdade sem realmente guardar os mandamentos não é a vontade de Deus. Aqueles que fazem isso são aleijados; são como pessoas a quem falta uma perna. Simplesmente guardar os mandamentos como que obedecendo a regras, mas não possuir a verdade — isso tampouco é capaz de satisfazer a vontade de Deus; como aqueles a quem falta um olho, as pessoas que fazem isso também sofrem de uma forma de deficiência. Pode-se dizer que, se guardar bem os mandamentos e ganhar uma compreensão clara do Deus prático, então você possuirá a verdade. Falando em termos relativos, você terá ganhado estatura real. Se praticar a verdade que deveria praticar, você também guardará os mandamentos, e essas duas coisas não contradizem uma à outra. Praticar a verdade e guardar os mandamentos são dois sistemas, ambos os quais são partes integrantes da experiência de vida da pessoa. Sua experiência deve constituir uma integração, não uma divisão, de guardar os mandamentos e praticar a verdade. Todavia, há diferenças e vínculos entre essas duas coisas.

Extraído de ‘Guardando os mandamentos e praticando a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”

O longo tempo que Deus passou falando e professando levou o homem a considerar que ler e memorizar as palavras de Deus é sua tarefa principal. Ninguém presta atenção à prática, e mesmo aquilo que vocês deveriam cumprir vocês não cumprem. Isso tem causado muitas dificuldades e problemas para o serviço de vocês. Se, antes de praticar as palavras de Deus, você não tiver aderido àquilo a que deveria ter aderido, então você é um daqueles que são detestados e rejeitados por Deus. Ao aderir a essas práticas, você deve ser determinado e sincero. Não deve tratá-las como algemas, mas aderir a elas como mandamentos. Hoje, você não deve se preocupar com quais efeitos serão alcançados; em resumo, é desse modo que o Espírito Santo opera, e quem quer que cometa uma ofensa deve ser punido. O Espírito Santo é sem emoção e é indiferente ao seu entendimento atual. Se você ofender a Deus hoje, então Ele o punirá. Se você O ofender dentro do escopo de Sua jurisdição, Ele não o poupará. Ele não se importa com quão sério você é em sua adesão às palavras de Jesus. Se você violar os mandamentos atuais de Deus, Ele o punirá e o condenará à morte. Como poderia ser aceitável você não aderir a eles? Você deve aderir, mesmo que isso signifique sofrer um pouco de dor! Não importa qual seja a religião, o setor, a nação ou a denominação, no futuro todos terão de aderir a essas práticas. Ninguém está isento e ninguém será poupado! Porque elas são o que o Espírito Santo fará hoje, e ninguém pode violá-las. Ainda que não sejam grande coisa, elas devem ser feitas por todos e são os mandamentos estabelecidos para o homem por Jesus, que foi ressuscitado e ascendeu ao céu. “A senda… (7)” não diz que a definição de Jesus quanto a você ser justo ou pecador depende de sua atitude para com Deus hoje? Ninguém pode negligenciar esse ponto. Na Era da Lei, gerações e gerações de fariseus acreditaram em Deus, mas, com a chegada da Era da Graça, eles não reconheceram Jesus e opuseram-se a Ele. Daí que tudo que fizeram deu em nada e foi em vão, e Deus não aceitou seus feitos. Se puder enxergar isso, você não pecará com facilidade. Talvez muitas pessoas tenham se comparado a Deus. Como é o gosto de se opor a Deus? Amargo ou doce? Você deveria entender isso — não faça de conta que não sabe. Em seu coração, talvez, algumas pessoas continuem sem se convencer. Ainda assim, Eu aconselho você a tentar e ver — ver qual é o gosto. Isso evitará que muitas pessoas fiquem sempre desconfiadas a esse respeito. Muitas pessoas leem as palavras de Deus, mas, em seu coração, secretamente se opõem a Ele. Depois de se opor a Ele dessa forma, você não sente como se uma faca tivesse sido torcida em seu coração? Se não é desarmonia familiar, é desconforto físico ou aflições de filhos e filhas. Ainda que sua carne seja poupada da morte, a mão de Deus nunca deixará você. Você pensa que poderia ser simples assim? Em particular, é ainda mais necessário que os muitos que estão perto de Deus se concentrem nisso. Com o tempo, você esquecerá e, sem se dar conta, será mergulhado em tentação e se tornará desatento a tudo, e esse será o começo de seus pecados. Isso parece trivial para você? Se puder fazer isso bem, você tem a chance de ser aperfeiçoado — de vir diante de Deus e receber Sua orientação de Sua própria boca. Se você for descuidado, isso será um problema para você — estará desafiando a Deus, suas palavras e ações serão dissolutas e, mais cedo ou mais tarde, você será arrastado por ondas poderosas e fortes ventanias. Cada um de vocês deveria tomar nota desses mandamentos. Se você os violar, embora o homem testificado por Deus possa não condenar você, o Espírito de Deus terá negócios pendentes com você e não o poupará. Você consegue aguentar as consequências da sua ofensa? Assim, não importa o que Deus diga, você deve pôr Suas palavras em prática e deve aderir a elas de todas as maneiras que puder. Esse não é um assunto simples!

Extraído de ‘Os mandamentos da nova era’ em “A Palavra manifesta em carne”

Se você não entender o caráter de Deus, então será impossível realizar o trabalho que você deve fazer para Ele. Se você não conhecer a essência de Deus, será impossível você ter reverência e temor para com Ele; em vez disso, haverá apenas superficialidade desatenta e prevaricação e, além disso, blasfêmia incorrigível. Embora entender o caráter de Deus seja realmente importante e conhecer a essência de Deus não possa ser ignorado, ninguém jamais examinou ou pesquisou a fundo essas questões. É evidente que todos vocês têm rejeitado os decretos administrativos que Eu emiti. Se vocês não entenderem o caráter de Deus, é muito provável que venham a ofender o Seu caráter. Ofender o Seu caráter é equivalente a provocar a ira do Próprio Deus, caso em que o fruto final das suas ações será a violação dos decretos administrativos. Você deve perceber que, quando você conhece a essência de Deus, você pode também entender o Seu caráter — e quando você entender o Seu caráter, você também terá entendido os seus decretos administrativos. Não é preciso dizer que muito daquilo que está contido nos decretos administrativos toca o caráter de Deus, mas nem tudo de Seu caráter é expressado nos decretos administrativos; daí vocês devem ir um passo além ao desenvolver seu entendimento do caráter de Deus.

Extraído de ‘É muito importante entender o caráter de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Cada frase que tenho falado contém em si o caráter de Deus. Vocês fariam bem em ponderar Minhas palavras com cuidado e certamente lucrarão muito com elas. A essência de Deus é muito difícil de compreender, mas confio que todos vocês têm, pelo menos, alguma ideia do caráter de Deus. Espero, então, que vocês terão mais para Me mostrar das coisas que fizerem que não ofendem o caráter de Deus. Então serei reconfortado. Por exemplo, guarde Deus em seu coração sempre. Quando agir, faça-o de acordo com Suas palavras. Busque Suas intenções em todas as coisas e evite fazer o que desrespeita e desonra a Deus. Menos ainda você deve colocar Deus no fundo de sua mente para preencher o futuro vazio em seu coração. Se fizer isso, você terá ofendido o caráter de Deus. Novamente, supondo que você nunca faça observações ou queixas blasfemas contra Deus ao longo de sua vida e, novamente, supondo que você seja capaz de cumprir corretamente tudo que Ele lhe confiou e também de se submeter a todas as Suas palavras ao longo de sua vida, então você terá evitado transgredir os decretos administrativos. Por exemplo, se alguma vez você disse: “Por que eu não acho que Ele é Deus?”, “Acho que essas palavras nada mais são do que algum esclarecimento do Espírito Santo”, “Em minha opinião, nem tudo que Deus faz é necessariamente correto”, “A humanidade de Deus não é superior à minha”, “As palavras de Deus simplesmente não são críveis” ou outras observações críticas desse tipo, Eu exorto você a confessar e se arrepender de seus pecados mais vezes. Caso contrário, você nunca terá uma chance de ser perdoado, pois você ofende não um homem, mas o Próprio Deus. Você pode acreditar que está julgando um homem, mas o Espírito de Deus não o vê dessa forma. Seu desrespeito à Sua carne é igual a desrespeitá-Lo. Assim sendo, você não ofendeu o caráter de Deus? Você deve lembrar que tudo que é feito pelo Espírito de Deus é feito para proteger Sua obra na carne e para que essa obra seja bem-feita. Se você negligenciar isso, então Eu digo que você é alguém que jamais será capaz de ter êxito na crença em Deus. Pois você provocou a ira de Deus, e assim Ele usará uma punição apropriada para lhe ensinar uma lição.

Vir a conhecer a essência de Deus não é um assunto trivial. Você deve entender Seu caráter. Dessa forma, você virá a conhecer gradual e inconscientemente a essência de Deus. Quando tiver entrado nesse conhecimento, você se verá entrando num estado mais alto e mais belo. No fim, você chegará a se sentir envergonhado de sua alma hedionda e, além disso, sentirá que não há onde se esconder de sua vergonha. Nesse momento, haverá cada vez menos em sua conduta que ofenda o caráter de Deus, seu coração se aproximará cada vez mais do coração de Deus, e um amor por Ele crescerá gradualmente em seu coração. Esse é um sinal da humanidade entrando num estado lindo. Por ora, porém, vocês não alcançaram isso. Enquanto todos vocês correm por aí em prol de seu destino, quem tem algum interesse em tentar conhecer a essência de Deus? Caso isso continue, vocês transgredirão inconscientemente os decretos administrativos, pois vocês entendem pouquíssimo do caráter de Deus. Então, o que vocês fazem agora não está estabelecendo um fundamento para suas ofensas ao caráter de Deus? O fato de Eu pedir que vocês entendam o caráter de Deus não está separado da Minha obra. Pois, se vocês transgredirem os decretos administrativos com frequência, quem dentre vocês escapará da punição? Então Minha obra não teria sido totalmente em vão? Portanto, ainda peço que, além de escrutar a própria conduta, vocês sejam cautelosos nos passos que tomam. Essa é a exigência mais alta que faço a vocês, e espero que todos vocês a contemplem com cuidado e lhe deem sua sincera consideração. Caso venha um dia em que suas ações Me provocarão ao ponto de uma fúria gigantesca, então as consequências deverão ser contempladas apenas por vocês, e não haverá nenhum outro para suportar a punição em seu lugar.

Extraído de ‘É muito importante entender o caráter de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Todo homem, no curso de sua vida de fé em Deus, já fez coisas que resistem e enganam a Deus. Certos malfeitos não precisam ser registrados como ofensas, mas alguns são imperdoáveis; pois há muitos atos que transgridem os decretos administrativos, que ofendem o caráter de Deus. Muitos que se preocupam com o próprio destino podem perguntar o que são esses atos. Vocês devem saber que são arrogantes e soberbos por natureza e relutantes em se sujeitar aos fatos. Por essa razão, Eu lhes direi tudo em detalhe depois que tenham refletido sobre si mesmos. Exorto-os a adquir melhor entendimento do conteúdo dos decretos administrativos e a fazer um esforço para conhecer o caráter de Deus. Caso contrário, vocês acharão difícil manter seus lábios selados e evitar que sua língua se agite livremente demais com conversa pomposa, e vocês involuntariamente ofenderão o caráter de Deus e cairão em trevas, perdendo a presença do Espírito Santo e da luz. Como vocês são sem princípios em suas ações, como você faz e diz aquilo que não deve, você receberá uma retribuição cabível. Você deveria saber que, embora você seja sem princípios em palavra e em ato, Deus tem muitos princípios em ambos. A razão pela qual você recebe retribuição é porque você ofendeu a Deus e não a um homem. Se, em sua vida, você cometer muitas ofensas contra o caráter de Deus, então você certamente se tornará filho do inferno. Ao homem pode parecer que você cometeu somente alguns atos em contrários à verdade, nada mais. Você está ciente, porém, de que, aos olhos de Deus, você já é alguém para quem não há mais oferta pelo pecado? Porque você violou os decretos administrativos de Deus mais de uma vez e, além disso, não deu sinais de arrependimento, você não tem escolha a não ser ir para o inferno, onde Deus pune o homem. Um pequeno número de pessoas, enquanto seguia a Deus, cometeu certos atos que violam os princípios, mas depois que foram tratadas e orientadas, essas pessoas gradualmente descobriram a própria corrupção e, em seguida, entraram na trilha certa da realidade e continuam bem fundamentadas hoje. Tais pessoas são aquelas que permanecerão no fim. Não obstante, é o honesto que Eu busco; se você é uma pessoa honesta que age segundo as regras, então você pode ser um confidente de Deus. Se, em suas ações, você não ofende o caráter de Deus, busca a vontade de Deus e tem um coração de reverência a Deus, então sua fé está à altura do padrão. Todo aquele que não reverencia a Deus e não tem um coração que estremece de temor é altamente propenso a transgredir os decretos administrativos de Deus. Muitos servem a Deus na força da paixão, mas não têm entendimento dos decretos administrativos de Deus e, menos ainda, fazem qualquer ideia das implicações de Suas palavras. Assim, com suas boas intenções, muitas vezes acabam fazendo coisas que interrompem a gestão de Deus. Em casos graves, são lançados fora, privados de qualquer outra chance de segui-Lo e são lançados no inferno; toda associação com a casa de Deus cessa. Essas pessoas trabalham na casa de Deus na força de suas ignorantes boas intenções e acabam por irar o caráter de Deus. As pessoas trazem à casa de Deus suas maneiras de servir a oficiais e senhores e tentam fazê-las funcionar, pensando vaidosamente que podem ser aplicadas sem esforço algum aqui. Nunca imaginam que Deus não tem o caráter de um cordeiro, mas sim o de um leão. Portanto, aqueles que se associam com Deus pela primeira vez são incapazes de se comunicar com Ele, pois o coração de Deus é diferente do coração do homem. Somente após entender muitas verdades você poderá vir a conhecer continuamente a Deus. Esse conhecimento não é constituído de frases ou doutrinas, mas pode ser usado como tesouro por meio do qual você entra em íntima confidência com Deus e como prova de que Ele Se agrada de você. Se você não possui a realidade do conhecimento e não é equipado com a verdade, então seu serviço apaixonado só pode trazer sobre si o ódio e a aversão de Deus. A esta altura, você deve ter percebido que crer em Deus não é simplesmente estudar teologia!

Extraído de ‘Três admoestações’ em “A Palavra manifesta em carne”

Nota de rodapé:

a. O texto original não contém as palavras “de Jeová”.

Anterior: 159. Os princípios para se submeter à orquestração e aos arranjos de Deus

Próximo: 161. Os princípios para obedecer ao homem usado pelo Espírito Santo

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro