126. Os princípios do amor entre irmãos e irmãs

(1) Irmãos e irmãs que realmente acreditam em Deus e amam a verdade devem amar e encorajar uns aos outros e cooperar em harmonia. Só assim suas vidas crescerão;

(2) Leiam juntos com frequência as palavras de Deus e compartilhem a verdade, comunicando o que sabem por experiência. Apoiem-se mutuamente, ajudem-se mutuamente e compartilhem seu progresso enquanto buscam a verdade;

(3) Mantenha um coração de boa vontade e seja capaz de tolerar e apiedar-se de seu interlocutor. Se você achar que ele tem um problema, ajude-o; se você não puder ajudá-lo, não o trivialize, menospreze nem prejulgue;

(4) O amor mútuo deve ser construído sobre o fundamento da verdade o princípio. Se alguém cometer atos que violam os princípios, deverá ser criticado, exposto, podado e tratado.

Versos da Bíblia para referência:

“Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como Eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois Meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros” (João 13:34-35).

“Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:37-39).

Palavras de Deus relevantes:

Esses relacionamentos não são estabelecidos na carne, e sim no fundamento do amor de Deus. Quase não há interações carnais, mas no espírito há comunhão, amor mútuo, conforto mútuo e provisão de um para o outro. Isso tudo é feito sobre o fundamento de um coração que satisfaz a Deus. Esses relacionamentos não são mantidos confiando-se em uma filosofia humana para viver, mas são formados muito naturalmente por carregar um fardo por Deus. Não requer esforço humano. Você só precisa praticar de acordo com a palavra-princípio de Deus. Você está disposto a atender à vontade de Deus? Está disposto a ser uma pessoa que é “sem razão” diante de Deus? Está disposto a entregar totalmente seu coração a Deus e a desconsiderar sua posição entre as pessoas? De todas as pessoas com quem você tem contato, com quais delas você tem os melhores relacionamentos? Com quais delas você tem os piores relacionamentos? Seus relacionamentos com as pessoas são normais? Você trata todas as pessoas igualmente? Seus relacionamentos com os outros são mantidos segundo a sua filosofia para viver ou são construídos sobre o fundamento do amor de Deus? […] Um relacionamento normal entre as pessoas é estabelecido sobre o fundamento de entregar seu coração a Deus, e não por meio de esforço humano. Sem Deus no coração, os relacionamentos interpessoais são meramente relacionamentos da carne. Não são normais, mas, em vez disso, são um abandono à luxúria — são relacionamentos que Deus detesta, que odeia. Se você diz que seu espírito foi movido, mas sempre quer ter comunhão com pessoas de quem gosta, com aqueles por quem tem alta estima, e se outra pessoa estiver buscando, mas você não gosta dela e até mantém um preconceito contra ela e não quer se envolver com ela, isso é mais uma prova de que você está sujeito a suas emoções e não tem nada de um relacionamento normal com Deus. Você está tentando enganar a Deus e encobrir a própria fealdade. Mesmo que consiga compartilhar algum entendimento, se você tiver intenções erradas, então tudo que faz é bom somente segundo padrões humanos. Deus não o elogiará — você está agindo segundo a carne, não segundo o fardo de Deus. Se você for capaz de aquietar seu coração diante de Deus e de ter interações normais com todas as pessoas que amam a Deus, só então estará apto para o uso de Deus. Desse modo, independentemente de como você se associar aos outros, não será segundo uma filosofia para viver, mas será diante de Deus, vivendo de uma maneira que é atenciosa ao Seu fardo.

Extraído de ‘É muito importante estabelecer um relacionamento normal com Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Se vocês ainda não encontraram o sentimento e os princípios para ser um santo, isso prova que sua entrada na vida é superficial demais e que vocês ainda não entenderam a verdade. Em sua conduta e no ambiente em que vivem cada dia, isso exige que vocês provem e ponderem, comunguem uns com os outros, encorajam uns aos outros, mantenham uns aos outros alertas, ajudem e cuidem uns dos outros e apoiem e provejam uns para os outros. Não se concentrem sempre nas falhas dos outros; reflitam frequentemente sobre si mesmos e sejam proativos, depois, em admitir ao outro o que fizeram que constitui interferência ou dano a ele. Aprendam a se abrir e comungar, e discutam juntos com frequência sobre como comungar de forma prática com base nas palavras de Deus. Quando o ambiente de sua vida é frequentemente como esse, os relacionamentos entre irmãos e irmãs se tornam normais — não complicados, indiferentes, frios ou cruéis como os relacionamentos dos incrédulos. Lentamente, vocês se despojarão de tais relacionamentos. Irmãos e irmãs se tornam mais próximos e mais íntimos uns com os outros; vocês são capazes de apoiar e amar uns aos outros; há boa vontade em seu coração, ou vocês têm uma mentalidade com que são capazes de ter tolerância e compaixão uns para com os outros, e apoiam e cuidam uns dos outros, em vez de um estado e de uma atitude em que lutam uns contra os outros, pisoteiam uns aos outros, são invejosos uns dos outros, se empenham em competição secreta, abrigam desprezo ou desdém oculto uns pelos outros ou em que ninguém obedece ao outro. Viver em tais estados ou circunstâncias cria relacionamentos terríveis entre as pessoas. Não somente cria todo tipo de influência negativa sobre você e lhe causa dano, como também influencia negativamente e prejudica os outros em graus variados. Em geral, é muito difícil as pessoas superarem isso — você se irrita quando as pessoas o olham do jeito errado ou quando dizem algo que não está alinhado à sua vontade, e quando alguém faz algo que o impede de obter uma brecha, você se ressente dele e se sente desconfortável e infeliz, e só consegue pensar em como restaurar sua reputação. Mulheres e jovens são especialmente incapazes de superar isso. Estão sempre envolvidos nesses caracteres mesquinhos, nessas birras, nessas emoções mesquinhas, e têm dificuldade de vir para diante de Deus. Emaranhadas nesses relacionamentos complexos semelhantes a teias, entrelaçadas neles, as pessoas têm dificuldade de se aquietar diante de Deus e de se aquietar nas palavras de Deus. Portanto, primeiro vocês devem aprender a conviver bem com seus irmãos e irmãs. Devem ser tolerantes e lenientes uns com os outros, ser capazes de ver o que há de excepcional no outro, quais são os pontos fortes de cada um — e devem aprender a aceitar as opiniões dos outros e recuar fundo dentro de si para se empenhar em autorreflexão e ganhar autoconhecimento. Não devem deixar-se levar, nem dar rédea solta às suas ambições, desejos ou meras forças, obrigando os outros a ouvir vocês, a fazer o que vocês mandam, a admirá-los e elevá-los, e mesmo assim ser indiferentes em relação aos pontos fortes dos outros, exagerando e aumentando suas fraquezas sem comedimento, publicando, menosprezando e desprezando suas fraquezas a todo momento, ou usando palavras e outros meios para machucar e irritar os outros, a ponto de obrigá-los a obedecer-lhes, ouvi-los, temê-los e se esconder de vocês. Vocês gostariam de ver surgir ou que existisse um relacionamento como esse entre as pessoas? Gostariam de saber como é?

Extraído de ‘O princípio mais fundamental para a prática da entrada na verdade-realidade’ em “Registros das falas de Cristo”

Deus ergue os necessitados do pó; os humildes devem ser elevados. Usarei a Minha sabedoria em todas as suas formas para governar a igreja universal, para governar todas as nações e todos os povos, para que eles estejam todos dentro de Mim, e para que todos vocês na igreja possam se submeter a Mim. Aqueles que não obedeceram antes agora devem ser obedientes diante de Mim, devem se submeter uns aos outros, tolerar uns aos outros; suas vidas devem estar interconectadas e vocês devem amar uns aos outros, todos aproveitando os pontos fortes uns dos outros para compensar as próprias fraquezas, e servir em coordenação. Dessa forma, a igreja será edificada e Satanás não terá oportunidade de explorar. Só assim Meu plano de gestão não terá falhado. Deixe-Me lhes dar outro lembrete aqui. Não permita que mal-entendidos surjam em você porque tal e tal pessoa é de certa maneira, ou agiu de tal e tal forma, com o resultado de você se degenerar dentro da sua condição espiritual. A Meu ver, isso não é apropriado e é algo sem valor. Aquele em quem você acredita não é Deus? Não é uma pessoa. As funções não são as mesmas. Existe um só corpo. Cada qual cumpre seu dever, cada qual em seu lugar e fazendo o melhor — para cada centelha há um raio de luz — e buscando maturidade na vida. Dessa maneira, Eu ficarei satisfeito.

Extraído de ‘Capítulo 21’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”

Quer sejam irmãos ou irmãs mais jovens ou mais velhos, vocês sabem a função que devem desempenhar. Os que são jovens não são arrogantes; os que são mais velhos não são passivos, nem retrocedem. Mais ainda, eles são capazes de usar as forças uns dos outros para compensar suas fraquezas, e podem servir uns aos outros sem qualquer preconceito. Uma ponte de amizade é construída entre irmãos e irmãs mais jovens e mais velhos, e, por causa do amor de Deus, vocês são capazes de entender melhor uns aos outros. Irmãos e irmãs mais jovens não desprezam irmãos e irmãs mais velhos, e os irmãos e irmãs mais velhos não são hipócritas: essa não é uma parceria harmoniosa? Se todos vocês tiverem tal determinação, então a vontade de Deus certamente será cumprida em sua geração.

Extraído de ‘Sobre cada um desempenhar sua função’ em “A Palavra manifesta em carne”

Ao cumprir seu dever, você deve se treinar para trabalhar em harmonia com seus irmãos e irmãs, ter comunhão abertamente com eles, colocar tudo sobre a mesa, comunicar-se aberta, pública e honestamente, e falar com clareza. Então, todos dividem o trabalho e cooperam, trabalhando juntos em harmonia. Se algo ainda não foi compreendido, todos devem se reunir e ter mais comunhão. Aqueles que compreendem devem compartilhar seu entendimento sem hesitação, e aqueles que ganharam a luz do esclarecimento deveriam compartilhar com os outros. Se, enquanto outros estão realizando seus deveres, você puder lhes dar mais ajuda e apoio, então não deve poupar esforços para fazê-lo, sem a menor reserva. Como as garotas desprezíveis tendem a pensar? “Eu sei disso, mas não vou contar para você.” “Se você não me contar, então eu não contarei a você.” É assim que as garotas desprezíveis pensam — mesquinhas e com muito medo de que os outros sejam melhores do que elas. Esse não é o tipo de pensamento que alguém com humanidade normal deveria ter. Não é humanidade normal ou algo positivo; é um caráter corrompido. Todas essas coisas que são egoístas, mesquinhas, enganosas, sombrias, sujas e vergonhosas não são coisas positivas; são todas coisas negativas. Vocês devem, portanto, aprender a abandonar essas coisas. Não devem deixá-las controlar, restringir ou dominar vocês; vocês têm de superá-las e se esforçar para serem pessoas de posse da verdade e que vivem na luz. Honestidade, transparência, sinceridade, a capacidade de ser tolerante, leniente, paciente e modesto; aprender a estimar os outros, a encontrar alegria em ajudar os outros, praticar boas ações e ter um bom coração — todas essas coisas são positivas. Quanto às coisas negativas, quando descobre que tem tais pensamentos ou ideias, ou que está em tais estados, você deve aprender a abandoná-los e renunciá-los. Se não fizer isso, eles controlarão você, e quando eles o tiverem sob controle, você será capaz de fazer esse tipo de coisa — e então, você será para sempre uma marionete, escravizado e controlado por seu corrompido caráter satânico, e você nunca ganhará a verdade. Se desejam ganhar a verdade, as pessoas devem primeiro reconhecer quais caracteres corrompidos possuem, como expressam esses caracteres corrompidos, quais são seus pensamentos, quais são suas ideias, e em quais estados estão que são em desacordo com a verdade. Elas deveriam trazer essas coisas negativas e passivas à tona e reconhecê-las, e então resolvê-las uma a uma, aprendendo a abandoná-las, romper com elas e desistir delas. Deveriam aprender a usar a verdade na maneira como tratam os outros, na abordagem de seus deveres e na abordagem de cada coisa que acontece em suas vidas, e deveriam aprender a falar e agir de acordo com a verdade. Desse jeito, pouco a pouco, as pessoas passarão a ter semelhança humana; ficarão cada vez melhores no desempenho de seus deveres, e todos trabalharão cada vez mais harmoniosamente juntos e se tornarão cada vez mais unificados.

Extraído de ‘Como vivenciar as palavras de Deus nos deveres de alguém’ em “Registros das falas de Cristo”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

O amor entre irmãos e irmãs deve ser estabelecido sobre a verdade-princípio. Tanto fala como ação devem estar alinhadas com a verdade, tomando a verdade como padrão. Vocês não devem confiar em suas emoções nem se empenhar em engano ou enganação e, sobretudo, não devem usar uns aos outros. Vocês devem comungar sobre a verdade com frequência, encorajar e ajudar uns aos outros em sua entrada na vida e não devem tergiversar por ganhos ou perdas pessoais. Visto que as pessoas têm caracteres corruptos, fricção pode ser inevitável durante interações, mas vocês devem ser capazes de tolerar e perdoar uns aos outros, buscar a verdade juntos e tomar medidas coordenadas para alcançar um objetivo comum. Se comungarem sobre a verdade com frequência, vocês podem abrir seu coração e estar livres de preconceitos, encorajando e obedecendo uns aos outros, tornando-se parceiros na vida. É assim que o amor mútuo deve ser. Se irmãos e irmãs forem realmente espíritos parentes, eles serão capazes de estabelecer relacionamentos de amor mútuo. Em seu amor mútuo, serão capazes de comungar normalmente e buscar a verdade juntos; não conspirarão para fazer coisas em violação da verdade nem para seguir a senda de resistir a Deus. Ao contrário, serão de uma só mente para satisfazer a vontade de Deus. Se alguém cometer um lapso e ferir outro, ambos serão tolerantes e perdoadores. Se alguém fizer algo contrário à verdade que prejudica os interesses da igreja, ele não deverá ser protegido. Seus problemas devem ser apontados diretamente por meio da comunhão sobre a verdade para que ele tenha a oportunidade de se arrepender e começar de novo, de perceber seu erro e sentir remorso por aquilo que fez. Isso é amor mútuo verdadeiro. Pessoas que são capazes de ajudar uns aos outros e de progredir na entrada na verdade e na mudança de caráter têm um relacionamento interpessoal de amor mútuo verdadeiro, totalmente de acordo com a verdade-princípio. Não importa quão íntimo possa ser, um relacionamento baseado em emoções não é um relacionamento de amor mútuo. Quando duas ou três pessoas se agrupam na igreja, dão cobertura uns aos outros, bajulam uns aos outros, usam e protegem uns aos outros e não praticam a verdade de forma alguma, então estão conspirando para cometer o mal e são um bando de vilões. A reunião de tais pessoas é algo que Deus odeia e amaldiçoa. Todos que formam cliques com frequência na igreja, que conquistam outros prestando-lhes pequenos favores e esperam em vão assumir o controle da igreja são lacaios de Satanás, e Deus os punirá. Quando as pessoas amam umas às outras genuinamente, isso não beneficia apenas elas na vida e com a verdade, mas pode beneficiar também a igreja e o trabalho da igreja. Todos que possuem um coração que ama são necessariamente aqueles que amam a verdade e sempre conviverão bem com a maioria dos outros. Não importa quais falhas os outros possam ter, contanto que busquem a verdade, as pessoas com um coração que ama conviverão bem com eles. Tal relacionamento foi construído sobre um fundamento de ser capaz de comungar sobre a verdade e ajudar uns aos outros; isso é amor mútuo verdadeiro. Amor mútuo não surge quando se conspira uns com os outros para cometer o mal ou se trama contra os outros, mas quando se busca a verdade a fim de cumprir bem o seu dever. Se o amor mútuo não foi construído sobre o fundamento de buscar a verdade-vida, mas sobre os afetos da carne, então tal amor mútuo é inútil e não beneficia ninguém e, ao contrário, pode ser um problema para a igreja.

Extraído da comunhão do alto

Anterior: 125. Os princípios para abrir o coração para os outros

Próximo: 127. Os princípios para ajudar os outros com amor

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro