44. Os princípios para conhecer a si mesmo por meio da autorreflexão

(1) É necessário usar cada frase das palavras de Deus nas quais Ele julga e expõe o homem como base para uma autorreflexão frequente. É preciso se esforçar para estar à altura de cada linha de Suas palavras;

(2) Em todos os assuntos, reflita se sua corrupção se reflete em suas palavras, seu comportamento, sua maneira de agir ou em seus pensamentos ou suas ideias; e se eles estão de acordo com a verdade ou ofendem o caráter de Deus;

(3) É necessário captar suas transgressões e expressões de corrupção quando se reflete sobre si mesmo, para que se possa conhecer sua natureza e essência e ver o quanto são lamentáveis;

(4) Quando confrontado com poda e tratamento, com provações e refinamentos ou com fracassos e reveses, é preciso orar a Deus ainda mais, para que se possa aprender a se submeter à verdade e renunciar à carne. Nunca se deve racionalizar;

(5) Usar as experiências de fracasso e queda dos falsos líderes e anticristos para refletir sobre si mesmo é o melhor treinamento; isso redobra as lições que se aprende.

Palavras de Deus relevantes:

A chave para alcançar uma mudança no caráter é conhecer a sua própria natureza, e isso deve acontecer de acordo com as revelações de Deus. Apenas na palavra de Deus é possível que alguém conheça sua própria natureza desprezível, reconheça os vários venenos de Satanás em sua própria natureza, perceba que é tolo e ignorante, e reconheça os elementos fracos e negativos em sua própria natureza. Quando essas forem plenamente conhecidas e você for verdadeiramente capaz de odiar a si mesmo e abandonar a carne, de executar a palavra de Deus de maneira consistente e ter a vontade de se submeter absolutamente ao Espírito Santo e à palavra de Deus, então você terá embarcado na senda de Pedro.

Extraído de ‘Conhecer a si mesmo trata primariamente de conhecer a natureza humana’ em “Registros das falas de Cristo”

Para conhecer a si mesmo, você deve conhecer as suas próprias expressões de corrupção, suas fraquezas vitais, seu caráter e sua natureza-essência. Deve conhecer também, em seus mínimos detalhes, aquelas coisas que são reveladas em seu dia a dia — seus motivos, suas perspectivas e suas atitudes em relação a cada coisa — esteja você em casa ou fora, quando está em reuniões, quando está comendo e bebendo das palavras de Deus ou em cada um dos problemas que encontrar. Através dessas coisas, você deve vir a se conhecer. Para conhecer a si mesmo num nível mais profundo, você deve integrar as palavras de Deus; você só pode alcançar resultados conhecendo a si mesmo com base em Suas palavras. Quando recebemos o julgamento das palavras de Deus, não devemos temer o sofrimento, nem deveríamos ter medo da dor, e muito menos deveríamos temer que as palavras de Deus traspassarão nosso coração. Deveríamos ler mais de Suas declarações sobre como Ele nos julga e castiga e expõe a nossa essência corrupta. Precisamos lê-las e nos apoiarmos mais nelas. Não compare os outros com elas — devemos comparar nós mesmos com elas. Não nos falta nem uma única dessas coisas; todos nós podemos nos enquadrar nelas. Se você não acredita nisso, vá experimentar por sua conta. Após lerem as palavras de Deus, algumas pessoas são incapazes de aplicá-las a si mesmas; pensam que partes dessas palavras não são sobre elas, mas, antes, sobre outras pessoas. Por exemplo, quando Deus expõe pessoas como vadias e prostitutas, algumas irmãs sentem que, por terem sido infalivelmente fiéis ao seu marido, tais palavras não devem se referir a elas; algumas irmãs sentem que, já que são solteiras e nunca fizeram sexo, tais palavras também não devem ser sobre elas. Alguns irmãos sentem que essas palavras visam apenas a mulheres e nada têm a ver com eles; algumas pessoas acreditam que tais palavras de Deus soam desagradáveis demais e se recusam a aceitá-las. Existem até pessoas que dizem que, em alguns casos, as palavras de Deus estão erradas. Essa é a atitude certa a se ter em relação às palavras de Deus? As pessoas são incapazes de refletir sobre si mesmas com base nas palavras de Deus. Aqui, “vadias” e “prostitutas” se referem à corrupção das pessoas na promiscuidade. Sejam eles homens ou mulheres, casados ou solteiros, todos possuem a corrupção da promiscuidade — como, então, isso pode não ter nada a ver com você? As palavras de Deus expõem os caracteres corruptos das pessoas; seja homem ou mulher, seu nível de corrupção é o mesmo. Isso não é um fato? Antes de fazermos qualquer outra coisa, temos de perceber que devemos aceitar cada uma das palavras ditas por Deus, não importa se essas declarações tenham um som agradável ou não ou se nos causem um sentimento amargo ou doce. Tal é a atitude que deveríamos ter em relação às palavras de Deus. Que tipo de atitude é essa? É uma atitude devota, uma atitude paciente ou uma atitude de aceitar o sofrimento? Eu lhes digo que não é nenhuma dessas. Em nossa fé, devemos manter firmemente que as palavras de Deus são a verdade. Já que sem dúvida elas são a verdade, deveríamos aceitá-las racionalmente. Sendo ou não capazes de reconhecê-las ou admiti-las, a nossa primeira atitude para com as palavras de Deus deveria ser a de aceitação absoluta. Cada linha das palavras de Deus se refere a um estado específico. Isto é, nenhuma das linhas de Suas declarações trata de aparências externas, muito menos de regras externas ou de uma forma simples de comportamento nas pessoas. Elas não são assim. Se você vir cada linha professada por Deus como tratando de um tipo simples de comportamento humano ou aparência externa, então você não tem entendimento espiritual e não entende o que é a verdade. As palavras de Deus são profundas. Como são profundas? Tudo que Deus diz, tudo que Ele revela trata dos caracteres corruptos das pessoas e das coisas essenciais e profundamente enraizadas em sua vida. São coisas essenciais, não são aparências externas e, sobretudo, não são comportamentos externos.

Extraído de ‘A importância de buscar a verdade e a senda de buscá-la’ em “Registros das falas de Cristo”

Se é para se entenderem, as pessoas devem entender seus verdadeiros estados. O aspecto mais importante de entender o próprio estado é ter uma compreensão dos próprios pensamentos e ideias. Em cada período de tempo, os pensamentos das pessoas foram controlados por uma coisa maior. Se você conseguir ganhar controle sobre seus pensamentos, pode ganhar controle sobre as coisas que estão por trás deles. As pessoas não conseguem controlar seus pensamentos e ideias, mas precisam saber de onde vêm esses pensamentos e ideias, quais são os motivos por trás deles, como esses pensamentos e ideias são produzidos, o que os controla e qual é a sua natureza. Depois que seu caráter é transformado, seus pensamentos e ideias, os desejos que seu coração busca e seus pontos de vista sobre a busca — que foram produzidos pelas partes em você que foram transformadas — serão diferentes. Aqueles pensamentos e ideias que se originam nas partes de você que não mudaram, as coisas que você não entende claramente e as coisas que você não substituiu pelas experiências da verdade são imundas, sujas e feias. Hoje em dia, as pessoas que têm experimentado a obra de Deus por vários anos, possuem algum sentido e consciência dessas questões. Aqueles que têm experimentado a obra de Deus por um período curto de tempo ainda não entendem essas questões; ainda não possuem clareza. Eles não sabem onde é o calcanhar de Aquiles deles, nem em que áreas cairão com facilidade. Atualmente, vocês não sabem que tipo de pessoas são e, embora outras pessoas possam ver, até certo ponto, que tipo de pessoas vocês são, vocês não conseguem percebê-lo. Vocês não podem distinguir claramente seus pensamentos ou intenções comuns, e não têm entendimento claro de qual seja a essência dessas questões. Quanto mais profundo for o seu entendimento de um aspecto, mais você se transformará nesse aspecto; sendo assim, as coisas que você fizer estarão de acordo com a verdade, você será capaz de cumprir as exigências de Deus e você estará mais próximo da vontade de Deus. Você só pode obter resultados se buscar dessa maneira.

Extraído de ‘Pessoas que fazem exigências constantes a Deus são as menos razoáveis’ em “Registros das falas de Cristo”

Independentemente de tempo ou lugar e qualquer que seja o nosso entorno, somos capazes de nos conhecer, de nos dissecar e de mergulhar em nós mesmos — e podemos tratar esses assuntos como nossa primeira prioridade. Se o fizermos, certamente colheremos recompensa e certamente faremos progresso gradual na questão de conhecer a nós mesmos e, ao fazer isso, seremos capazes de praticar a verdade, ter mais e mais verdade, e a realidade das palavras de Deus cada vez mais passará a ser nossa vida. No entanto, se você não se dedicar de forma alguma a conhecer a si mesmo, sua prática da verdade será falsa, pois você será enganado por muitos fenômenos externos. Talvez você sinta que seu comportamento melhorou, que você está mais gentil do que antes, mais atencioso com os outros, mais tolerante e paciente com os outros, mais indulgente com os outros; então você pensa que já é um grande e perfeito espécime, possuidor de humanidade normal. No entanto, da perspectiva de Deus, você permanece muito longe dos padrões e exigências Dele. Isso demonstra que não sabemos em que momentos estamos de fato praticando a verdade e em que momentos não a praticamos de forma alguma, mas meramente mudamos um pouco nosso comportamento externo. Há agora muitas pessoas que pensam que sua vida na igreja é bastante normal, que são capazes de se dar bem com seus irmãos e suas irmãs com tolerância mútua e nos melhores termos. Elas acham que podem se dar bem com qualquer pessoa, sem brigar, e que, aconteça o que acontecer, podem exercer a paciência e adotar a abordagem correta. Elas acham que sua vida espiritual também é especialmente normal, que são diligentes em sua leitura das palavras de Deus e que têm um coração reverente por Ele — contudo, seus pontos de vista sobre muitos assuntos permanecem antitéticos à verdade e hostis a Deus. Isso basta para mostrar que elas ainda não obtiveram a verdade. Por isso, no que diz respeito a conhecer todos os nossos aspectos, devemos buscar a verdade e aprofundar nosso autoconhecimento.

Extraído de ‘Só reconhecendo seus pontos de vista equivocados você pode se conhecer’ em “Registros das falas de Cristo”

O segredo para a autorreflexão e se conhecer é este: quanto mais você sente que em certas áreas fez o bem ou que fez a coisa certa, e quanto mais você acha que pode satisfazer a vontade de Deus ou que é capaz de se gabar em certas áreas, então mais vale a pena para você se conhecer naquelas áreas e mais vale a pena para você escavá-las a fundo para ver que impurezas existem em você, bem como que coisas não podem satisfazer a vontade de Deus. Tomemos Paulo como exemplo. Paulo era especialmente instruído, e ele sofreu muito em seu trabalho de pregação. Ele era especialmente adorado por muitos. Como resultado, após completar muito trabalho, ele supôs que haveria uma coroa reservada para ele. Isso fez com que ele seguisse cada vez mais a senda errada, até que, finalmente, ele foi punido por Deus. Se, naquele tempo, ele tivesse refletido sobre si mesmo e se dissecado, ele não teria pensado isso. Em outras palavras, Paulo não tinha se concentrado em buscar a verdade nas palavras do Senhor Jesus; ele só tinha acreditado em suas próprias noções e imaginações. Ele acreditava que, contanto que fizesse algumas coisas boas e demonstrasse um bom comportamento, ele seria elogiado e recompensado por Deus. No fim, suas próprias noções e imaginações cegaram seu espírito e encobriram seu rosto verdadeiro. No entanto, as pessoas não sabiam disso, e sem que Deus trouxesse isso à luz, elas continuaram a estabelecer Paulo como um padrão a ser alcançado, como um exemplo de vida, e o consideravam como aquele a quem queriam ser semelhantes e como o objeto da sua busca, como alguém a ser imitado. Essa história sobre Paulo serve como uma advertência para todos que acreditam em Deus, que é que, toda vez que sentimos que nos saímos especialmente bem, ou acreditamos que somos especialmente dotados em certo respeito, ou pensamos que não precisamos mudar nem precisamos ser tratados em certo respeito, deveríamos nos esforçar para refletir e nos conhecer melhor a esse respeito; isso é crucial. Isso é porque você certamente não desenterrou, não prestou atenção nem dissecou os aspectos de si mesmo nos quais você acredita ser bom a fim de ver se de fato eles contêm ou não algo que resiste a Deus.

Extraído de ‘Só reconhecendo seus pontos de vista equivocados você pode se conhecer’ em “Registros das falas de Cristo”

Conhecer a nós mesmos é saber que coisas há em nossos pensamentos e pontos de vista que estão em oposição a Deus, que não são de forma nenhuma compatíveis com a verdade e que não contêm a verdade. A arrogância, a hipocrisia, as mentiras e o engano do homem, por exemplo, são aspectos em um caráter corrupto que as pessoas facilmente poderão reconhecer. Você pode chegar a algum conhecimento sobre eles simplesmente por compartilhar a verdade algumas vezes ou por compartilhar frequentemente ou por ter sua condição apontada por seus irmãos e irmãs. Além disso, todos possuem arrogância e desonestidade, embora em graus variados. Entretanto, os pensamentos e pontos de vista das pessoas não são fáceis de se conhecer; não são tão fáceis quanto conhecer os caracteres das pessoas. Essas são coisas profundamente enraizadas. Assim, quando você alcançou uma pequena mudança em seu comportamento e conduta exterior, ainda há muitos aspectos de seu pensamento, noções, pontos de vista e a educação da cultura tradicional que você recebeu que são contrários a Deus e que você ainda não descobriu. Essas são as coisas profundas que levam à nossa inimizade para com Deus. Por isso, quando Deus fizer algo que não esteja de acordo com suas noções ou algo que difira do que você imagina que Deus faça, você resistirá e se oporá. Você não entenderá por que Deus agiu assim e, embora saiba que há verdade em tudo que Deus faz e deseje se submeter, perceberá que não é capaz de fazê-lo. Por que você não conseguirá se submeter? Por que tanta resistência e oposição? A razão é que existem algumas coisas nos pensamentos e pontos de vista do homem que são hostis a Deus e que são hostis aos princípios pelos quais Ele age e à Sua essência. Para o homem é difícil conhecer esses pensamentos e pontos de vista.

Extraído de ‘Só reconhecendo seus pontos de vista equivocados você pode se conhecer’ em “Registros das falas de Cristo”

Cada uma das coisas que existem em nosso coração está em oposição a Deus. Isso inclui as coisas que acreditamos ser boas e até mesmo aquelas que já acreditamos ser positivas. Nós listamos essas coisas como verdades, como parte da humanidade normal e como coisas positivas; no entanto, sob a perspectiva de Deus, são coisas que Ele odeia. O abismo entre o que pensamos e a verdade falada por Deus é imensurável. Assim sendo, devemos conhecer a nós mesmos. Desde as nossas ideias, pontos de vista e ações até a educação cultural que recebemos, vale a pena mergulhar profundamente em cada coisa e dissecá-la completamente. Algumas dessas coisas provêm de ambientes sociais; algumas, da família; algumas, da educação escolar; e algumas, de livros. Algumas também vêm de nossas imaginações e noções. Esses tipos de coisas são os mais assustadores, pois eles enlaçam e controlam nossas palavras e ações, dominam nossa mente e guiam nossos motivos, intenções e objetivos naquilo que fazemos. Se não desenterrarmos essas coisas, nunca acolheremos plenamente dentro de nós as palavras de Deus e nunca aceitaremos as exigências de Deus sem reservas e as colocaremos em prática. Enquanto você abrigar suas próprias ideias, pontos de vista e convicções sobre coisas que você acredita serem corretas, você jamais aceitará as palavras de Deus plenamente ou sem reservas, tampouco as praticará em sua forma original; certamente, você só as colocará em prática após primeiro processá-las em sua mente. Será assim que você fará as coisas e será também a maneira pela qual ajudará os outros: você ainda poderá comunicar as palavras de Deus, mas sempre terá as suas impurezas próprias misturadas nelas e pensará que é isso que significa praticar a verdade, que você entendeu a verdade e que a possui toda. O estado do homem não é deplorável? Não é assustador? Uma ou duas palavras não podem ser suficientes para dizer essas coisas em sua totalidade nem para torná-las claras. É claro que há muitas outras coisas na vida, como os mais de cem venenos de Satanás resumidos anteriormente. Você entendeu as palavras, mas como você se mede por meio delas? Qual é a sua prática na vida? Você não compartilha também esses venenos e não concorda com eles? Você também age confiando nesses venenos? Você deve cavar fundo em sua experiência pessoal e avaliá-la mediante essas palavras. Podemos simplesmente apresentar essa lista de venenos de Satanás e lê-la casualmente ou apenas dar uma olhada nela e depois colocá-la de lado; ou podemos ler superficialmente as palavras de Deus, equipar-nos com tudo o que uma certa passagem diz e seguir a letra e os regulamentos das palavras de Deus em nossa prática, acreditando que estamos praticando a verdade — mas é tão simples assim? As pessoas são coisas vivas: todas têm pensamentos e os artefatos dentro de seus pensamentos criam raízes em seu coração. Quando uma pessoa age, esses artefatos certamente emergem, pois eles já passaram a ser a vida dessa pessoa. Então, em cada coisa que você faz, há um ponto de vista e um princípio que rege como fazer isso, que orienta o seu curso. Quando você agir, você saberá se essas coisas existem ou não dentro de você. Agora, é claro, ao examinar seus pensamentos e pontos de vista, você sente como se nada fosse hostil a Deus; você se sente honesto e leal, mais que disposto a cumprir seu dever, capaz de fazer sacrifícios e se dedicar a Deus, e que é muito forte em todas as áreas. Ainda assim, se Deus testasse sua coragem ou se você realizasse uma tarefa ou se Deus fizesse com que algo lhe sucedesse, como você lidaria com isso? Nesse momento, seus pensamentos e suas visões viriam implacavelmente à tona, como se as comportas tivessem sido rompidas; eles fugiriam ao seu controle — escapariam de suas mãos — e, por mais que os odiasse, eles surgiriam do mesmo jeito, uma onda de coisas que são todas elas resistentes a Deus. Quando você diz: “Por que não pude fazer nada a respeito disso? Eu não quero resistir a Deus, então por que eu faria isso? Eu não quero julgar Deus e não quero ter noções sobre o que Ele faz, então como eu poderia ter essas noções?” — é quando você deve se esforçar para se conhecer, para examinar o que há dentro de você que resiste a Deus e o que há dentro de você que é hostil e antagônico à obra que Ele está fazendo atualmente.

Extraído de ‘Só reconhecendo seus pontos de vista equivocados você pode se conhecer’ em “Registros das falas de Cristo”

Não importa que aspecto da verdade alguém persiga, quer esteja aspirando a ser honesto ou treinando a si mesmo para se submeter a Deus, quer se envolva amigavelmente com seus irmãos e suas irmãs, quer viva a humanidade normal, esse alguém pode abraçar sua prática todos os dias de sua vida, com cada verdade abordando a questão do autoconhecimento. Aspirar a ser honesto não tem algo a ver com conhecer a si mesmo? Você não vai aspirar a ser honesto enquanto não tiver conhecido seu próprio engano e desonestidade. Quando vier a perceber que falhou em obedecer a Deus, você praticará a obediência a Ele ou procurará o que é preciso fazer para obedecer a Ele. Se você não se conhece, qualquer conversa sobre sua aspiração a ser honesto ou a se submeter a Deus soa vazia, pois o caráter do homem é corrupto e nenhum aspecto da verdade é fácil de praticar, e cada aspecto é praticado dentro do caráter corrupto do homem. Em sua prática de qualquer aspecto da verdade, seu caráter corrupto certamente aparecerá, frustrando sua aspiração a ser honesto, obstruindo sua submissão a Deus e inibindo sua paciência e tolerância para com seus irmãos e suas irmãs. Se você não reconhecer, dissecar e desenterrar isso, mas confiar em sua imaginação para praticar a verdade, então sua prática não será verdadeira. Por isso, não importa que aspecto da verdade alguém esteja praticando ou o que esteja fazendo, é preciso que as pessoas primeiro conheçam a si mesmas. Conhecer a si mesmo é conhecer toda palavra e feito, todo movimento seu e toda ação sua; é conhecer sua mente e seus pensamentos, seus motivos e suas noções e imaginações; é até mesmo conhecer suas filosofias de vida que são do mundo e as várias toxinas de Satanás dentro de você, bem como o conhecimento e a educação que você adquiriu na escola. Todas essas coisas devem ser dissecadas.

Extraído de ‘Só reconhecendo seus pontos de vista equivocados você pode se conhecer’ em “Registros das falas de Cristo”

Deus pode aperfeiçoar o homem em ambos os aspectos positivo e negativo. Isso depende de se você é capaz de experimentar e se você busca ser aperfeiçoado por Deus. Se você verdadeiramente busca ser aperfeiçoado por Deus, então o negativo não pode fazer você sofrer prejuízo, mas pode lhe trazer coisas que são mais reais, pode torná-lo mais capaz de saber o que está faltando dentro de você, mais capaz de entender seu estado real e ver que o homem não tem nada e não é nada; se não experimenta provações, você não sabe, e sempre sentirá que está acima dos outros e é melhor do que todos os outros. Através disso tudo, você verá que tudo que veio antes foi feito por Deus e estava protegido por Deus. A entrada em provações o deixa sem amor e fé, você carece de oração, é incapaz de cantar hinos e, sem percebê-lo, no meio disso, você passa a conhecer a si mesmo. Deus tem muitos meios de aperfeiçoar o homem. Ele emprega todo tipo de ambientes para lidar com o caráter corrupto do homem e utiliza várias coisas para desnudar o homem; num aspecto, Ele lida com o homem, em outro, Ele o desnuda, e em outro Ele o revela, desenterrando e revelando os “mistérios” das profundezas do coração do homem e mostrando ao homem a sua natureza ao revelar muitos de seus estados. Deus aperfeiçoa o homem através de muitos métodos — através de revelação, lidando com o homem, através do refinamento do homem e do castigo — para que o homem saiba que Deus é prático.

Extraído de ‘Somente os que se concentram na prática podem ser aperfeiçoados’ em “A Palavra manifesta em carne”

Por um lado, durante as provações de Deus, o homem vem a conhecer suas deficiências e a ver que ele é insignificante, desprezível e baixo, que ele não tem nada e não é nada; por outro, durante Suas provações, Deus cria ambientes diferentes para o homem que o tornam mais capaz de experimentar a amabilidade de Deus. Embora a dor seja grande e às vezes insuperável — alcançando até um nível de tristeza esmagadora — ao experimentá-la, o homem vê o quão amável é a obra de Deus nele, e é somente sobre esse fundamento que nasce o verdadeiro amor a Deus no homem. Hoje, o homem vê que, somente com a graça, o amor e a misericórdia de Deus, ele é incapaz de se conhecer verdadeiramente e, ainda mais, de conhecer a sua essência. Somente através do refinamento e julgamento de Deus, somente durante o próprio processo de refinamento, o homem pode conhecer suas deficiências e saber que não possui nada.

Extraído de ‘Somente experimentando provações dolorosas é que você pode conhecer a amabilidade de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Ter falhado e caído muitas vezes não é uma coisa ruim; tampouco o é ser exposto. Se você foi tratado, podado ou exposto, você deve sempre se lembrar disto: ser exposto não significa que você está sendo condenado. Ser exposto é algo bom; é a sua melhor oportunidade de conhecer a si mesmo. Isso pode fazer com que a sua experiência de vida mude de marcha. Sem isso, você não possuirá a oportunidade, a condição e nem o contexto para ser capaz de alcançar um entendimento da verdade de sua corrupção. Se você puder vir a conhecer as coisas dentro de você, todos aqueles aspectos escondidos profundamente dentro de você, que são duros de reconhecer e difíceis de desenterrar, então isso será uma coisa boa. Tornar-se capaz de verdadeiramente conhecer a si mesmo é a melhor oportunidade de você corrigir seus rumos e se tornar uma pessoa nova; é a melhor oportunidade de você obter uma vida nova. Quando conhecer a si mesmo de verdade, você será capaz de ver que, quando a verdade se torna sua vida, ela é realmente uma coisa preciosa, e você terá sede da verdade e entrará na realidade. Isso é uma coisa tão maravilhosa! Se você conseguir aproveitar essa oportunidade e refletir honestamente sobre si mesmo e ganhar um conhecimento genuíno de si mesmo sempre que você cair ou falhar, então, em meio à negatividade e fraqueza, você será capaz de se levantar de novo. Uma vez que você tiver ultrapassado esse limiar, você será capaz de tomar um grande passo à frente e entrar na verdade-realidade.

Extraído de ‘A fim de ganhar a verdade, você deve aprender com as pessoas, questões e coisas ao seu redor’ em “Registros das falas de Cristo”

Anterior: 43. Os princípios para buscar ser aperfeiçoado

Próximo: 45. Os princípios para refletir sobre transgressões

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro