114. Os princípios para identificar os espíritos malignos que seduzem o homem

(1) Qualquer pessoa que se faça passar por Cristo ou um anjo, que muitas vezes vomite bobagens que não estão de acordo com as palavras de Deus, é um espírito maligno que seduz o homem;

(2) Todos os que se dizem filhos amados de Deus, Seus filhos primogênitos, anjos ou profetas que vieram falar e trabalhar, que dizem todo tipo de coisas ilusórias são espíritos malignos que seduzem o homem;

(3) Todos cujo entendimento é especialmente insensato; que constantemente divulgam heresias e falácias e distorcem os fatos; e que negam Cristo e as palavras de Deus são os espíritos malignos que seduzem o homem;

(4) Todos os que se concentram no sobrenatural, que frequentemente ouvem vozes e têm visões, que podem detectar e apontar o pecado e fazer sinais e maravilhas são espíritos malignos que seduzem o homem.

Palavras de Deus relevantes:

Quando Satanás tentou Eva, ele disse: “Por que não come o fruto daquela árvore?” Eva respondeu: “Deus disse que aqueles que comerem do fruto dessa árvore, morrerão”. Satanás então disse: “Comer o fruto daquela árvore não é necessariamente fatal”. Ao dizer isso, a intenção de Satanás era seduzir; ele não disse com certeza que, ao comer o fruto daquela árvore, os humanos não morreriam; ele disse apenas que fazer isso não seria necessariamente fatal. Isso fez o humano pensar: “Não é necessariamente fatal, então comê-lo não deve ser um problema”. Ela não conseguiu resistir à tentação de comer o fruto. Desse modo, Satanás alcançou seu objetivo de tentar o homem a cometer um pecado; embora ele ainda não assumisse a responsabilidade por isso, porque, na verdade, ele não tinha forçado ninguém a comer o fruto. Agora todos os humanos têm dentro de si os venenos de Satanás, que tentam a Deus e seduzem o homem. Às vezes, quando falam, as pessoas falam nos tons de Satanás, com a intenção de tentar e seduzir. Todos os pensamentos e ideias que enchem as pessoas são os venenos de Satanás; a própria maneira como se portam é uma coisa de Satanás — e, às vezes, até mesmo uma piscadela ou gesto carrega um cheiro de tentação e sedução.

Extraído de ‘Aqueles que perderam a obra do Espírito Santo estão em maior risco’ em “Registros das falas de Cristo”

Hoje há alguns espíritos malignos que enganam o homem com coisas sobrenaturais; isso não passa de imitação da parte deles, para enganar o homem através de uma obra que, agora, não é feita pelo Espírito Santo. Muitas pessoas realizam milagres e curam os enfermos e expulsam demônios; essas coisas não passam de obra dos espíritos malignos, pois o Espírito Santo não mais faz tal obra nos dias de hoje, e todos os que imitaram a obra do Espírito Santo a partir daquele tempo são de fato espíritos malignos. Toda a obra executada em Israel naquele tempo foi de uma natureza sobrenatural, embora o Espírito Santo não opere agora de tal maneira, e qualquer obra semelhante agora é a imitação e o disfarce de Satanás e sua perturbação. Mas você não pode dizer que tudo o que for sobrenatural vem dos espíritos malignos — isso dependeria da era da obra de Deus.

Extraído de ‘O mistério da encarnação (1)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Se, durante o dia de hoje, surgir uma pessoa que seja capaz de mostrar sinais e maravilhas, expulsar demônios, curar os doentes e realizar muitos milagres e, se essa pessoa afirmar que ela é Jesus que veio, então isso seria uma fraude produzida pelos espíritos malignos que imita Jesus. Lembre-se disso! Deus não repete a mesma obra. O estágio da obra de Jesus já foi concluída, e Deus nunca mais realizará aquele estágio da obra. A obra de Deus é irreconciliável com as noções do homem; por exemplo, o Antigo Testamento predisse a vinda de um Messias, e o resultado dessa profecia foi a vinda de Jesus. Isso já tendo acontecido, seria errado se outro Messias viesse novamente. Jesus já veio uma vez, e seria errado se Jesus viesse novamente desta vez. Existe um nome para cada era, e cada nome contém a caracterização daquela era. Nas noções do homem, Deus deve sempre mostrar sinais e maravilhas, deve sempre curar os doentes e expulsar demônios e deve ser sempre ser igual a Jesus. Mas desta vez, Deus não é nada assim. Se, durante os últimos dias, Deus ainda mostrasse sinais e maravilhas e ainda expulsasse demônios e curasse os doentes — se Ele fizesse exatamente o mesmo que Jesus — então Deus estaria repetindo a mesma obra, e a obra de Jesus não teria significado nem valor. Assim, Deus realiza um estágio de obra em cada era. Uma vez que cada estágio de Sua obra foi concluída, logo ele é imitado por espíritos malignos e, depois que Satanás começa a seguir os passos de Deus, Deus adota um método diferente. Uma vez que Deus completou um estágio de Sua obra, ele é imitado por espíritos malignos. Isso deve estar claro para vocês.

Extraído de ‘Conhecer a obra de Deus hoje’ em “A Palavra manifesta em carne”

Há alguns que estão possuídos por espíritos malignos e clamam vociferantemente: “Eu sou Deus!”. Mas, no fim, eles são revelados, porque estão errados no que representam. Eles representam Satanás e o Espírito Santo não lhes presta atenção. Por mais alto que você se exalte ou por mais forte que você grite, você ainda é um ser criado que pertence a Satanás. Eu nunca grito: “Eu sou Deus, Eu sou o amado Filho de Deus!”. Mas a obra que Eu realizo é a obra de Deus. Preciso gritar? Não há necessidade de exaltação. Deus faz a Sua obra Ele Mesmo e não necessita que o homem Lhe confira um status ou título honorífico: Sua obra representa Sua identidade e status. Antes de Seu batismo, Jesus não era o Próprio Deus? Não era a carne encarnada de Deus? Não é certo que não se pode dizer que Ele só Se tornou o único Filho de Deus depois que testificaram Dele? Já não havia um homem com o nome de Jesus muito antes que Ele começasse a Sua obra? Você não pode gerar novas sendas ou representar o Espírito. Você não pode expressar a obra do Espírito ou as palavras que Ele profere. Você é incapaz de fazer a obra do Próprio Deus, e a do Espírito, também não. A sabedoria, a maravilha e a insondabilidade de Deus e a plenitude do caráter pelo qual Deus castiga o homem — todas essas estão além de sua capacidade de expressar. Portanto, seria inútil tentar afirmar ser Deus; você teria apenas o nome, mas nada da substância. O Próprio Deus veio, mas ninguém O reconhece, mesmo assim Ele continua em Sua obra e a faz representando o Espírito. Se você O chama de homem, Deus, o Senhor ou Cristo, ou O chama de irmã, não importa. Mas a obra que Ele faz é a do Espírito e representa a obra do Próprio Deus. Ele não Se importa com o nome pelo qual o homem O chama. Pode o nome determinar Sua obra? Independentemente do que você O chame, no que se refere a Deus, Ele é a carne encarnada do Espírito de Deus; Ele representa o Espírito e é aprovado por Ele. Se você é incapaz de abrir caminho para uma nova era ou de fazer terminar a era antiga, ou de introduzir uma nova era ou de fazer uma nova obra, então você não pode ser chamado de Deus!

Extraído de ‘O mistério da encarnação (1)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando as pessoas têm algum entendimento de Deus, elas podem sofrer de boa vontade por Ele e viver para Ele. Contudo, Satanás ainda está no controle sobre as fraquezas dentro delas e ainda pode fazê-las sofrer. Espíritos malignos ainda podem trabalhar nas pessoas, interferindo nelas e levando-as a um estado mental confuso, a perder os sentidos, a se sentir desconfortáveis e a ficar perturbadas em todos os sentidos. Há coisas da mente ou da alma nas pessoas que ainda podem ser controladas e manipuladas por Satanás. É por isso que você adoece e fica perturbado, e é possível que você cometa suicídio e, por vezes, sinta também que o mundo está desolado ou que a vida não tem sentido. Em outras palavras, esses sofrimentos humanos ainda estão sob o comando de Satanás; eles constituem uma das fraquezas fatais do homem. Satanás ainda é capaz de usar aquelas coisas que ele corrompeu e espezinhou; elas são as armas que Satanás pode usar contra a humanidade. […] Espíritos malignos se agarram a cada oportunidade para fazer seu trabalho; eles conseguem falar a você de dentro ou sussurrar em seu ouvido, ou conseguem desordenar seus pensamentos e sua mente. Eles podem até suprimir o toque do Espírito Santo de tal modo que você não consiga senti-lo. Depois disso começam a interferir com você, confundindo seu pensamento e avariando seu cérebro, deixando você inquieto e desequilibrado. Tal é o trabalho que os espíritos malignos fazem nas pessoas. Se não conseguirem discernir isso, elas se encontrarão em grande perigo.

Extraído de ‘O significado de Deus provar do sofrimento mundano’ em “Registros das falas de Cristo”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

Qualquer um que personificar Cristo para falar para enganar as pessoas é um falso cristo. Todos os falsos cristos são possuídos por espíritos malignos e são enganadores. Como vocês devem distinguir um falso cristo que está constantemente falando para enganar as pessoas? Se vocês meramente olharem para algumas das palavras do falso cristo, vocês coçarão a cabeça e serão incapazes de discernir quais são as reais intenções do espírito maligno. Se vocês continuarem a rastrear esse espírito maligno e considerar tudo o que ele está realmente dizendo, é muito fácil ver que tipo de coisa ele realmente é, o que ele está fazendo, o que realmente está dizendo, o que está tramando fazer com as pessoas e que senda ele está oferecendo a elas — então, o discernimento se torna fácil. Podemos ver que, essencialmente, as mesmas características estão presentes em muitas das palavras dos espíritos malignos. Eles podem apenas imitar as palavras de Deus, mas certamente não podem capturar a essência das Suas palavras. As palavras de Deus têm um contexto e um propósito. O propósito e o efeito finais das declarações de Deus são muito claros, e vocês podem ver que Suas palavras possuem autoridade e poder, que elas podem tocar o coração e mover a alma de alguém. No entanto, as palavras dos espíritos malignos e de Satanás não têm contexto e não têm efeito. Elas são como uma poça de água parada. As pessoas se sentem sombrias em seus corações após lê-las. Não ganham nada delas. Então, os espíritos malignos de todos os tipos não carecem totalmente da verdade e são certamente escuros e sombrios por dentro. Suas palavras não podem trazer luz para as pessoas e não podem mostrar para elas a senda que devem seguir. Os espíritos malignos não dizem claramente qual é o seu propósito nem o que estão tentando realizar; não há menção de coisa alguma a respeito da essência da verdade ou da raiz. Nem minimamente. Nada que as pessoas devam entender ou obter pode ser encontrado nas palavras dos espíritos malignos. Portanto, as palavras dos espíritos malignos podem apenas confundir as pessoas e trazer-lhes escuridão e sombras internas. Elas não podem fornecer sustento algum às pessoas. A partir disso, nós podemos ver que a natureza inerente e a essência dos espíritos malignos são do mal e das trevas. Falta-lhes vitalidade, em vez disso, têm o fedor da morte. Elas são, de fato, coisas negativas que devem ser amaldiçoadas. Não há verdade alguma em seu discurso; é completamente sem sentido e levam as pessoas à náusea, repugnância e vômito como se elas tivessem acabado de comer moscas mortas. Se as pessoas estiverem em busca da verdade e possuírem aptidão para receberem as palavras de Deus, elas distinguirão as palavras dos espíritos malignos depois de lê-las. Aqueles que não compreendem as questões espirituais e não têm a habilidade para receber as palavras de Deus, certamente serão confundidos pelas palavras dos espíritos malignos. Todas as pessoas a quem o Espírito Santo iluminou e esclareceu, que possuem o entendimento das palavras de Deus e que compreendem algumas verdades, distinguirão naturalmente as mentiras dos espíritos malignos. Elas serão capazes de ver que não há verdade em quaisquer palavras proferidas pelos espíritos malignos. Eles não têm o que Deus tem e é, tampouco têm o menor poder ou autoridade. As palavras deles possuem uma enorme diferença das palavras de Deus.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Anterior: 113. Os princípios para identificar vários espíritos malignos

Próximo: 115. Os princípios para identificar incrédulos

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro