80. Os princípios de avaliar os convertidos em potencial

(1) Primeiro, é necessário averiguar se um convertido em potencial é de boa ou pobre humanidade, se consegue aceitar a verdade e se algum espírito maligno está operando nele. Depois disso, estabeleçam se o evangelho pode ser pregado a ele;

(2) Ao confirmar que um convertido em potencial é bom, você deve interagir com sinceridade e encontrar oportunidades de comunhão na verdade, pavimentando assim o caminho para pregar o evangelho;

(3) Você deve compreender e perceber o calibre, as preferências, as fraquezas vitais e as noções de um convertido em potencial, a fim de lhe fornecer uma base para testemunho futuro;

(4) Se um convertido em potencial for considerado muito arrogante e hipócrita para aceitar a verdade, mas tiver o dom de pregar o evangelho e for capaz de prestar serviço, vocês devem se esforçar para convertê-lo.

Palavras de Deus relevantes:

Originalmente, o homem criado por Deus estava vivo, mas, por causa da corrupção de Satanás, o homem vive em meio à morte, vive sob a influência de Satanás, e, dessa maneira, as pessoas se tornaram os mortos sem espírito, se tornaram inimigos que se opõem a Deus, se tornaram as ferramentas de Satanás, se tornaram os prisioneiros de Satanás. Todas as pessoas vivas criadas por Deus se tornaram pessoas mortas, e assim Deus perdeu Seu testemunho, perdeu a humanidade que Ele criou e que é a única coisa que tem o Seu sopro. Se Deus for recuperar Seu testemunho e recuperar aqueles que foram criados por Sua própria mão, mas que foram levados cativos por Satanás, então Ele deve ressuscitá-los para que se tornem seres vivos e deve reivindicá-los para que vivam em Sua luz. Os mortos são aqueles que não têm espírito, aqueles que estão entorpecidos ao extremo e que se opõem a Deus. Eles são, sobretudo, os que não conhecem Deus. Essas pessoas não têm a menor intenção de obedecer a Deus; elas só se rebelam contra Ele, se opõem a Ele e não têm a menor lealdade. Os vivos são aqueles cujo espírito renasceu, que sabem obedecer a Deus e que são leais a Deus. Eles possuem a verdade e o testemunho, e somente essas pessoas são agradáveis a Deus em Sua casa. Deus salva aqueles que podem vir à vida, que conseguem enxergar a salvação de Deus, que podem ser leais a Deus e que estão dispostos a buscar a Deus. Ele salva aqueles que acreditam na encarnação de Deus e na Sua aparição. Algumas pessoas podem vir à vida, e algumas não podem; isso depende da natureza delas poder ser salva ou não.

Extraído de ‘Você é alguém que veio para a vida?’ em “A Palavra manifesta em carne”

Ao realizar o dever de propagar o evangelho, você deve cumprir sua responsabilidade. Como você entende o termo “responsabilidade”? Como você assume essa responsabilidade e a aplica com precisão em situações reais? Esta é sua obrigação — transmitir seu entendimento do evangelho e o que dele você recebeu da parte de Deus para aqueles a quem Ele quer que você o propague. Então, como você o propaga? Não é algo que você faça em seu tempo livre, e ele não é propagado segundo seus próprios sentimentos ou preferências, nem mudando o menu conforme você ache que cada convidado mereça. Antes, ele é propagado de acordo com as exigências de Deus e os princípios da casa de Deus — isso em termos gerais. Em termos específicos, é fazendo tudo o que você pode para encontrar cada oportunidade de compartilhar o que recebeu e o que entende com aqueles a quem você está destinado a compartilhá-lo. O que você deve fazer enquanto se encarrega disso? Cumprir sua responsabilidade, fazer tudo o que pode e não hesitar em pagar qualquer preço. O que significa fazer tudo o que pode? Significa que, mesmo que só venha propagando o evangelho há pouco tempo e não tenha muita experiência ou não seja um grande orador nem seja muito instruído, você não tem motivo ou desculpa para não ganhar pessoas. Você deve redobrar seus esforços nessa empreitada, entender as circunstâncias daqueles com quem você compartilha o evangelho e procurar meios adequados para compartilhar o evangelho com eles. Por exemplo, considere o que convertidos em potencial entendem, como é a personalidade deles, se eles gostam de falar e se gostam de conversa animada. Se eles não gostam de de conversa animada, você deve falar de modo um pouco mais suave e mais devagar com eles; se o nível de instrução deles não for alto e se carecerem de capacidade para entender, então você precisa falar de forma muito metódica, lenta e firme, linha por linha, pouco a pouco; se eles têm algum conhecimento cultural e gostam de ouvir uma linguagem mais culta, mas seu nível de instrução é insuficiente, então você deve preparar alguns materiais acadêmicos ou encontrar alguém instruído para o acompanhar em suas discussões com eles. Se um convertido em potencial tiver grande conhecimento da Bíblia, mas você não leu a Bíblia em nenhum dia de sua vida, o que você vai fazer? Você deve se equipar e buscar na Bíblia especificamente aquilo de que o convertido em potencial precisa, por profecias relevantes do Antigo Testamento e versículos relevantes no Novo Testamento. Quando não tem nada para fazer, você deve ler, fazer anotações ou decorar versículos. Ademais, você deve contemplar como pessoas religiosas entendem esses versículos da Bíblia e como você pode chegar a um ponto em que possa ajudar essas pessoas a entendê-los de forma precisa e pura para que, mais tarde, você possa se conectar com esses versículos e guiá-las a entender a obra de Deus nos últimos dias. Isso é o que é fazer lição de casa. Você deve entender o que vários tipos de pessoas precisam e então, com base nessas circunstâncias, fazer um pouco de lição de casa. Isso é fazer tudo o que você pode e cumprir sua responsabilidade.

Extraído de ‘Propagar o evangelho é o dever a que todos os crentes estão moralmente obrigados’ em “Registros das falas de Cristo”

Há diferentes tipos de pessoas, e elas são diferenciadas pelo tipo de espírito que possuem. Algumas pessoas têm espírito humano e são aquelas que Deus predestinou para seleção. Algumas não têm espírito humano; são demônios que entraram sorrateiros. Estas, que não foram predestinadas e escolhidas por Deus, não podem ser salvas mesmo tendo entrado, e, no fim, serão levadas por demônios. Se as pessoas podem aceitar o trabalho de Deus e, depois que aceitaram, qual senda percorrem e se podem se transformar, tudo isso depende do espírito e da natureza em seu interior. Algumas pessoas não conseguem evitar perder-se no caminho; seu espírito determina que elas sejam a pessoa que são, e elas não conseguem mudar. Em algumas delas, o Espírito Santo não opera, porque elas não trilham a senda correta; se, contudo, elas dessem uma guinada, o Espírito Santo poderia operar. Se elas não o fizerem, estará tudo acabado para elas. Todo tipo de situação existe, mas, seja qual for o caso, Deus é justo em como trata cada pessoa.

Extraído de ‘Como conhecer o caráter justo de Deus’ em “Registros das falas de Cristo”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

Deus realiza a obra dos últimos dias expressando a verdade para julgar e purificar as pessoas. Assim, somente aqueles que são de humanidade boa, que amam a verdade e que são capazes de compreender as palavras de Deus e aceitar a verdade têm esperança de salvação. Durante a propagação do evangelho, descobrimos que existe apenas um punhado dentre a humanidade corrupta que é de humanidade boa, que ama a verdade e que pode ser salvo; a maioria não cumpre as condições para que o evangelho seja espalhado para ela. Assim, quando espalhamos o evangelho, devemos primeiro sondar as pessoas e escolher aquelas pessoas boas que realmente acreditam em Deus e buscam a verdade. Somente testificar de Deus para aquelas que satisfazem as condições para que o evangelho seja espalhado para elas é cooperar com a obra de Deus de salvar o homem e está alinhado com a vontade de Deus. Se não discriminarmos quando espalhamos o evangelho, somos suscetíveis a trazer para a casa de Deus pessoas que não são os escolhidos de Deus, como, por exemplo, pessoas que não entendem coisas espirituais, espíritos malignos, pessoas absurdas, anticristos, pessoas perversas e falsos crentes que só querem encher a barriga. Essas pessoas são aquelas que não têm nenhum amor pela verdade e não acreditam verdadeiramente em Deus ou que simplesmente são incapazes de compreender a verdade ou que até agem sem restrições e cometem muitos atos malignos. Essas pessoas pertencem a Satanás e não são os escolhidos a serem salvos por Deus. Quando entrarem na casa de Deus, eles não só não serão salvos como também causarão interrupções e perturbações no trabalho da casa de Deus. E assim, devemos discriminar quando espalhamos o evangelho, eliminar aqueles que não cumprem as condições para que o evangelho seja espalhado para eles e trazer para diante de Deus aqueles que se conformam aos princípios segundo os quais o evangelho é espalhado. Somente isso concorda com a vontade de Deus.

Extraído da comunhão do alto

É preciso pregar para pessoas boas com humanidade relativamente boa, que, lá no fundo, admitem que existe um Deus, que são capazes de buscar o caminho verdadeiro e que podem aceitar a verdade, sejam eles tipos religiosos ou incrédulos. Não se deve pregar para pessoas que não cumprem essas condições. Agora a casa de Deus estipula que, ao pregar o evangelho, as pessoas devem fazê-lo de acordo com os princípios de “cinco pregam” e “cinco não pregam”. Ninguém deve violar esses princípios.

Os detalhes dos princípios de “cinco pregam” são os seguintes:

1. Pregue somente para pessoas que realmente acreditam que há um Deus em seu coração e que estão dispostas a buscar e investigar o caminho verdadeiro.

2. Independentemente do tipo de trabalho ou do nível de educação de uma pessoa, pode-se pregar a elas contanto que possuem uma humanidade relativamente boa e consigam aceitar a verdade.

3. Não importa a que grupo religioso uma pessoa tenha pertencido anteriormente – e isso inclui pessoas que acreditam em todos os tipos de superstições ou que até adoraram espíritos malignos ou deuses falsos – pode-se pregar a elas contanto que não administrem profissionalmente o grupo religioso e não estejam possuídos de espíritos malignos e que estejam dispostas a buscar e investigar o caminho verdadeiro.

4. No que diz respeito a pessoas famosas na sociedade de vários contextos de vida, pode-se pregar a elas contanto que reconheçam que existe um dois, consigam aceitar a verdade e se garanta que sua compreensão não será absurda e que não cometerão todos os tipos de perversidade.

5. No que diz respeito a líderes religiosos, pode-se pregar a eles contanto que reconheçam o caminho verdadeiro e aceitem a verdade, sua reputação não seja ruim demais, eles não sejam perversos e não sejam absurdos e incapazes de entender assuntos espirituais.

Os detalhes dos princípios de “cinco não pregam” são os seguintes:

1. Nunca pregue a pessoas que estiveram possuídos de espíritos malignos por determinado período ou que têm o trabalho grave de espíritos malignos.

2. Nunca pregue a pessoas com humanidade extremamente pobre, que têm uma reputação ruim, que são capazes de cometer todos os tipos de atos malignos e que são pessoas malignas.

3. Nunca pregue a pessoas que têm uma aparência feroz, feia e estranha semelhante a demônios e que lhe causam desconforto ou até horror.

4. Nunca pregue a pessoas com várias deficiências severas, cuja mente é distorcida e que não aceitam a verdade facilmente.

5. Nunca pregue a pessoas de calibre extremamente baixo, que têm intelecto fraco e são incapazes de entender a palavra de Deus a verdade.

O povo escolhido de Deus deve obedecer rigorosamente aos princípios acima de “cinco pregam” e “cinco não pregam”. Qualquer um que prega a um dos cinco tipos de pessoas às quais não se deve pregar é uma pessoa que interrompe e perturba o trabalho evangelístico. Ele será considerado uma pessoa que causa problemas por nada, uma pessoa que se comporta mal intencionalmente e que deve ser advertida. Tais pessoas devem ser impedidas de cumprir seu dever se não se arrependerem. Pode haver flexibilidade em algumas circunstâncias especiais, e não se deve adotar uma abordagem de “uma regra se aplica a todos”. Por exemplo, se uma pessoa é capaz de aceitar a verdade, mas existe uma suspeita de que ela se insere em uma das categorias de “cinco não pregam”, pode-se pregar a ela contanto que o seguinte seja garantido: primeiro, ela não está possuída de demônios; segundo, ela não é uma pessoa perversa; e, terceiro, ela não é um espião. Se alguém a quem se pode pregar tem alguns problemas – talvez já tenha falado em línguas ou se juntado a um grupo de um espírito maligno etc. – ainda assim pode-se pregar a ela se houver a garantia de que, no mínimo, ela é capaz de contribuir para a propagação do evangelho. Se essa pessoa não pode contribuir para a propagação do evangelho e pode até causar danos ou interrupções, então certamente não se deve pregar a ela. Esse é um princípio especial. Além disso, se uma pessoa deficiente tem uma boa reputação e é possível garantir que essa pessoa tem uma humanidade boa, consegue aceitar a verdade e contribuir para a propagação do evangelho, então também se pode pregar a ela. Se surgir uma situação incerta, as recomendações da maioria deverão ser adotadas por meio de comunhão. No passado, igrejas em toda parte eram limitadas por certas regras na pregação do evangelho, tais como não pregar a pessoas com marcas de nascença em seu rosto, a pessoas que já contraíram doenças estranhas, a pessoas envolvidas em esquemas de pirâmide, a pessoas com vitiligo, a pessoas com diversos tipos de deficiências, a pessoas que conseguem ver coisas de olhos fechados, a pessoas com poderes sobrenaturais, a pessoas que conseguem ver fenômenos estranhos, a pessoas que sempre têm sonhos estranhos etc. Tudo isso é errado e absurdo e deve ser banido. Pode-se pregar a uma pessoa contanto que ela acredite em seu coração que existe um Deus, que ela tenha humanidade boa, consiga amar e aceitar a verdade e não seja uma pessoa perversa, não esteja possuída por demônios e não seja alguém que obviamente tem espíritos malignos trabalhando nela. Esse é o princípio mais elementar e simples. Aqueles que ainda não conseguem entender ou compreender isso são pessoas confusas.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Satanás permanece em poder sobre este mundo maligno e o grande dragão vermelho ainda está em seus espasmos finais, portanto, quando se prega o evangelho, é preciso garantir os princípios de prática e uma maneira de fazê-lo sabiamente de acordo com a situação atual, e só podemos pregar àqueles que acreditam que um Deus existe e que buscam o caminho verdadeiro. Portanto, é primeiro necessário aprender a identificar pessoas ao pregar o evangelho. Podemos conversar e identificar aqueles que parecem ser pessoas boas, dignas e decentes e então pregar a eles somente quando estivermos certos de que eles se conformam aos princípios de pregar o evangelho. Não pregue àqueles que parecem ser pessoas tolas ou malignas ou pessoas com calibre pobre; isso é sabedoria. Alguns demônios podem parecer civilizados, educados e ter um temperamento bom, mas não são necessariamente pessoas boas que amam a verdade, e eles podem, na verdade, ser ateus que odeiam a verdade. É semelhante a como alguns oficiais podem parecer um tanto dignos, mas no momento em que Deus é mencionado, eles se tornam ferozes, e tais pessoas são demônios que odeiam a verdade. Pregar o evangelho a tais pessoas é procurar encrenca e pode facilmente causar problemas. Se você descobrir que alguém é decente e honesto, você deve entrar em contato com ele após garantir que é seguro fazê-lo. Uma vez que tem certeza que a pessoa é um alvo evangelístico, você deve primeiro conversar sobre alguns testemunhos experienciais de crer em Deus, observar sua reação para ver se ele está interessado na verdade e então decidir se deve dar testemunho de Deus ou não. Esse modo de prática é mais seguro. Se duas pessoas estão trabalhando juntas pregando o evangelho, elas devem aprender a cooperar para primeiro sentir as pessoas e então comunicar a verdade. Além do mais, devem também observar constantemente a reação do alvo evangelístico no caso de uma situação inesperada. Só será seguro trabalhar juntos dessa maneira para pregar o evangelho. Isso não só torna mais fácil ganhar pessoas, mas também garante segurança ao mesmo tempo. Aqueles que pregam o evangelho e testificam de Deus devem orar a Deus com um só coração e com uma só mente a fim de cumprir corretamente o seu dever. Dessa forma, serão capazes de viver sob a orientação do Espírito Santo. Esse é o princípio de prática mais importante para espalhar o evangelho.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Anterior: 79. Os princípios de ser devotado a Deus

Próximo: 81. Os princípios de propagar o evangelho e de testemunhar a Deus

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro