63. Os princípios para eleger líderes e obreiros

(1) Coisa É nada mais do que apropriado que os eleitos para serem líderes e obreiros tenham um entendimento puro da verdade e sejam capazes de aceitá-la; eles devem buscar a verdade e ter bom calibre;

(2) Nem todos os que têm um caráter arrogante devem ser tratados da mesma forma. Se alguém for capaz de aceitar a verdade e fazer uma obra prática, poderá ser eleito;

(3) Desde que tenham se arrependido sinceramente e sejam capazes de realizar a obra prática, podem ser eleitos líderes e obreiros que transgrediram e foram dispensados no passado;

(4) Os eleitos como líderes e obreiros devem ser as melhores escolhas entre aqueles que são relativamente capazes de resolver problemas por meio da comunicação da verdade e que podem fazer trabalho prático.

Palavras de Deus relevantes:

Desde o início de Sua obra em todo o Universo, Deus predestinou muitas pessoas para O servirem, incluindo pessoas de todos os estilos de vida. Seu propósito é satisfazer a Sua vontade e fazer com que Sua obra na terra se concretize sem dificuldades; esse é o objetivo de Deus ao escolher pessoas para O servirem. Toda pessoa que serve a Deus tem de entender Sua vontade. Essa obra Dele faz a Sua sabedoria e a Sua onipotência, e os princípios de Sua obra na terra, mais evidentes para as pessoas. De fato, Deus vem à terra para fazer a Sua obra, para entrar em contato com as pessoas de modo que elas possam conhecer Suas ações com maior clareza. Hoje, vocês, esse grupo de pessoas, são afortunados por servir ao Deus prático. Essa é uma bênção incalculável para vocês — verdadeiramente vocês são elevados por Deus. Ao escolher uma pessoa para servi-Lo, Deus sempre tem princípios Próprios. Servir a Deus não é, absolutamente, como as pessoas imaginam, apenas uma questão de entusiasmo. Hoje, vocês veem que quem quer que sirva a Deus em Sua presença o faz porque tem a orientação Dele e a obra do Espírito Santo, e porque são pessoas que buscam a verdade. Essas são as condições mínimas que todos os que servem a Deus devem ter.

Extraído de ‘O serviço religioso precisa ser purgado’ em “A Palavra manifesta em carne”

Aqueles que podem liderar igrejas, prover as pessoas com vida e ser apóstolos para o povo devem ter experiência real; devem ter uma compreensão correta de coisas espirituais e um apreço e experiência corretos da verdade. Apenas tais pessoas estão qualificadas para serem trabalhadores ou apóstolos que lideram as igrejas. Caso contrário, só podem seguir como os menores e não podem liderar, muito menos ser apóstolos que são capazes de prover as pessoas com vida. Isso acontece porque a função dos apóstolos não é correr por aí ou lutar; é fazer o trabalho de ministrar vida e liderar os outros na transformação do seu caráter. Aqueles que desempenham essa função são convocados a assumir uma responsabilidade pesada, uma que uma pessoa qualquer não pode assumir. Esse tipo de trabalho só pode ser realizado por aqueles cujo ser é vida, isto é, aqueles que têm experiência da verdade. Não pode ser realizado meramente por qualquer um consiga renunciar, correr por aí ou deseje se despender; pessoas que não têm experiência da verdade, que não foram podadas ou julgadas, são incapazes de fazer esse tipo de trabalho. Pessoas sem experiência, que são pessoas sem realidade, são incapazes de enxergar claramente a realidade porque elas mesmas carecem desse tipo de ser. Portanto, esse tipo de pessoa não só é incapaz de realizar o trabalho de liderança, mas, se ele permanecer sem a verdade por muito tempo, se tornará um objeto de eliminação.

Extraído de ‘A obra de Deus e a obra do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

O trabalho de um trabalhador qualificado é capaz de trazer as pessoas para o caminho certo e conceder-lhes uma entrada maior na verdade. Seu trabalho pode trazer as pessoas para diante de Deus. Além disso, o trabalho que ele realiza pode variar de um indivíduo para outro e não está sujeito a regras, permitindo liberação e liberdade às pessoas e a capacidade de crescer na vida e a ter uma entrada mais profunda na verdade. O trabalho de um trabalhador não qualificado fica muito aquém disso. Sua obra é tola. Ele só é capaz de trazer as pessoas para regras, e o que ele exige das pessoas não varia de um indivíduo para outro; ele não realiza o trabalho de acordo com as necessidades reais das pessoas. Nesse tipo de trabalho, há regras e doutrinas demais, e ele é incapaz de trazer as pessoas para a realidade e para a prática normal de crescimento na vida. Pode apenas capacitar as pessoas a aderirem a algumas regras sem valor. Tal orientação só pode desviar as pessoas. Ele guia você a tornar-se igual a ele; ele só pode trazê-lo para o que ele tem e é. Para que os seguidores possam identificar quais líderes são qualificados, a chave é observar a senda em que eles lideram e os resultados de seu trabalho e ver se os seguidores recebem princípios de acordo com a verdade e se recebem maneiras de prática adequadas para sua transformação.

Extraído de ‘A obra de Deus e a obra do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

Os princípios para a eleição de líderes e diáconos da igreja

Após a fundação de uma igreja de novos crentes, depois de um ano vivendo a vida da igreja, as pessoas do povo escolhido de Deus estarão naturalmente familiarizadas umas com as outros, e eleições anuais de líderes e diáconos da igreja poderão ser introduzidas. Os princípios dessas eleições devem ser comunicados antes de sua realização, e a verdade também deve ser comunicada à luz das palavras relevantes de Deus. As eleições só serão corretas e apropriadas se, primeiramente, a maioria das pessoas entender os princípios por trás delas. A eleição de líderes e diáconos da igreja deve ser feita de acordo com os arranjos de trabalho da casa de Deus. As pessoas não devem seguir seus próprios caprichos nem eleger pessoas confiando em conjecturas e imaginação. Essas questões devem ser tratadas com base em princípios, de modo que mais pessoas possam dar um voto justo. A eleição de líderes e diáconos em igrejas de novos crentes não está sujeita a quanto tempo uma pessoa acredita em Deus; contanto que a pessoa tenha acreditado em Deus por mais de seis meses, acredite verdadeiramente em Deus, seja de boa humanidade, ame a verdade e tenha um senso de fardo para com a igreja, ela pode ser eleita como líder ou diácono. A eleição de líderes e diáconos da igreja com base nesses princípios garante que a maioria será capaz de permanecer firme. Os princípios para a eleição de líderes e diáconos da igreja são agora estipulados da seguinte forma:

1. Devem ser sensatos, ter boa consciência, ser bondosos e amar a verdade.

2. Devem ser capazes de aceitar a verdade, de concentrar-se na autorreflexão e no conhecimento de si próprios e ser capazes de arrependimento verdadeiro.

3. Devem ter um senso de fardo para com a igreja, ser capazes de oferecer ajuda sincera aos seus irmãos e irmãs, ser relativamente honestos e idôneos e ter um senso de justiça.

Pessoas que cumprirem basicamente as três condições acima poderão ser selecionadas como líderes ou diáconos. Antes das eleições, cada pessoa deve orar a Deus e aceitar o Seu escrutínio. Ela deve garantir que votará na eleição de acordo com as exigências de Deus e dar uma garantia a Deus de que obedecerá à verdade, renunciará à carne e dará um voto justo e imparcial com base nos fatos, não com base em seus próprios sentimentos ou imaginações.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

A seleção de líderes em todos os níveis na casa de Deus se baseia primariamente em três critérios, mas não é fácil determinar se alguém cumpre esses três critérios. Certamente não é confiável depender no julgamento subjetivo de uma única pessoa; portanto, fazem-se necessárias evidências providenciadas por três ou quatro partes diferentes familiarizadas com as circunstâncias do candidato, para garantir que o julgamento seja correto. Por causa disso, antes de escolher um líder, devemos ganhar um entendimento de múltiplas partes, obtendo evidências e informações fornecidas por aqueles que estão familiarizados com o candidato e por líderes e colaboradores superiores ao candidato e também por pessoas subordinadas ao candidato. As pessoas escolhidas por Deus devem ter uma análise abrangente para ponderar prós e contras; por fim, se tivermos determinado que essa pessoa realmente cumpre os três critérios, ela pode então ser eleita. Esse é o procedimento necessário para selecionar líderes em todos os níveis e é um processo totalmente justo, apropriado e sensato. As evidências fornecidas por aquelas quatro partes familiarizadas com o candidato podem incluir as seguintes:

1. evidências fornecidas por aqueles na igreja que conhecem essa pessoa há mais tempo e têm o relacionamento mais próximo com ela (pelo menos três a cinco pessoas);

2. evidências apresentadas pela maioria das pessoas da igreja;

3. evidências fornecidas pela família, amigos e parentes dessa pessoa;

4. evidências apresentadas por colaboradores de níveis superiores e inferiores (pelo menos três a cinco pessoas).

Essas são as evidências dos quatro aspectos mais essenciais para entender se alguém cumpriu os três critérios. As evidências de apenas um ou dois aspectos são insuficientes, portanto, devemos obter as evidências de três ou quatro aspectos. Primeiramente, devemos verificar as cinco seguintes situações usando as evidências:

1. devemos verificar que a humanidade dessa pessoa é um tanto honesta e íntegra, que ela tem um senso de justiça e que certamente não é uma pessoa desonesta e enganosa, promíscua ou maligna;

2. devemos verificar que seu entendimento da verdade é puro, que ama buscar a verdade e que certamente não é uma pessoa absurda que não entende assuntos espirituais nem uma pessoa com um entendimento superficial demais da verdade;

3. devemos verificar que é competente e leal aos seus deveres e que certamente não é uma pessoa que evita trabalho árduo e só faz o mínimo ao cumprir os seus deveres;

4. devemos verificar que ela tem um entendimento verdadeiro de Deus, que tem obediência verdadeira e que certamente não é uma pessoa que abriga noções e resistência contra Cristo e o homem usado pelo Espírito Santo;

5. devemos verificar que é uma pessoa que pode realizar o trabalho de acordo com os arranjos do Alto e que certamente não é uma pessoa que se comporta de maneira diferente e age de acordo com suas próprias ideias.

Evidências corretas referentes a essas cinco condições devem ser obtidas daquelas quatro partes familiarizadas com o candidato. Se as questões nesses cinco aspectos não puderem ser verificadas, então os três critérios certamente não foram cumpridos. Todos esses cinco aspectos devem ser verificados antes de determinar que uma pessoa cumpriu os três critérios, e somente então ela pode ser escolhida. Exatidão só pode ser garantida pela seleção de pessoas com base nas informações fornecidas por aquelas quatro partes familiarizadas com os candidatos. Caso alguém selecione líderes sem adquirir as evidências das pessoas de quatro partes familiarizadas com eles, essa pessoa deve ser irresponsável para com o povo escolhido de Deus e deve ser alguém que age teimosamente e é arrogante e presunçoso. Todos aqueles que foram escolhidos com base em suposições subjetivas, sem a aquisição de evidências das pessoas de quatro partes familiarizadas com eles, devem ser reavaliados (exceto aqueles que são muito familiares). Essa é a regra da casa de Deus. Todos devem segui-la; ela não deve ser violada! Qualquer um que viole a regra da casa de Deus e selecione líderes com base em suas próprias decisões subjetivas está se rebelando e resistindo a Deus e é um anticristo.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

A eleição de líderes e colaboradores é de suma importância para a igreja. Líderes e colaboradores devem possuir no mínimo algumas realidades-verdade e também devem ter discernimento sobre pessoas e ser capazes de descobrir talento e cultivar aqueles que buscam a verdade. Se um líder ou colaborador não conseguir identificar se uma pessoa possui verdade-realidade ou se uma pessoa é de calibre alto ou baixo e se concentrar apenas nos dons que aquela pessoa tem, então ele carece de discernimento e não possui entendimento espiritual. Essa pessoa não é, sem dúvida alguma, adequada para ser um líder ou colaborador. Se alguém eleger líderes e colaboradores que carecem de discernimento, então ele mesmo é cego e cegamente provoca grandes problemas. Não sabe como enxergar se uma pessoa tem entendimento espiritual ou se o calibre daquela pessoa é bom ou ruim. Tal pessoa também não tem nenhum calibre. É necessário entender a verdade a fim de perceber se uma pessoa é boa ou má? Pode ser considerado desnecessário, pois o que define uma pessoa boa ou má pode ser determinado pela consciência de uma pessoa. Pessoas que agem de acordo com sua consciência são, sem dúvida, pessoas boas e são incapazes de grandes males. Mesmo se forem hostis em relação a outros, elas não irão tão longe a ponto de prejudicá-los. Aqueles que agem contra sua consciência e que abrigam intenções traiçoeiras e astutas dão malignos. Portanto, é possível discernir se uma pessoa é boa ou má confiando em sua consciência. No entanto, a fim de discernir se uma pessoa possui verdade-realidade ou não e se ela ama a verdade ou não, nós devemos possuir no mínimo um pouco de entendimento da verdade. Por exemplo, como devemos considerar se uma pessoa tem ou não princípios ao lidar com seus assuntos? Como devemos determinar se uma pessoa possui ou não verdade-realidade? Alguém que prega letras e doutrinas possui verdade-realidade? Em geral, as pessoas são incapazes de discernir essas coisas. Devem, no mínimo, entender um pouco da verdade, pois se não entenderem, elas não podem discernir se uma pessoa possui ou não qualquer verdade realidade. Para ser capaz de discernir a essência de uma pessoa e ver claramente quem uma pessoa é, é preciso entender a verdade. Se líderes e colaboradores são incapazes até mesmo de discernir se uma pessoa é de calibre bom ou ruim e se ela possui verdade-realidade ou não, isso prova que os próprios líderes e colaboradores não possuem verdade-realidade.

Extraído de “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida”

O voto para eleger líderes e obreiros da igreja também deve ser avaliado com base em haver ou não reais experiências e conhecimento em suas respostas às perguntas do exame da verdade. As respostas dadas às perguntas do exame da verdade são muito reveladoras quanto a se possuir ou não a realidade da verdade. À época da eleição, cada candidato deve ler as respostas que escreveu relativas às perguntas do exame em voz alta para o povo escolhido de Deus, que deve então votar com base nos desempenhos habituais dos candidatos e no testemunho das suas respostas do exame. O povo escolhido de Deus deve entender que os princípios da casa de Deus em eleger líderes e obreiros da igreja são: primeiramente, eles devem ser pessoas relativamente honestas e direitas, isto é, pessoas corretas; em segundo lugar, elas devem ser alguém que possa aceitar e buscar a verdade; em terceiro lugar, suas respostas no exame da verdade devem conter experiências e conhecimento verdadeiros e a realidade da verdade. Esses são os três princípios para eleger líderes e obreiros da igreja. Se um princípio não for satisfeito, o povo escolhido de Deus não deverá votar naquele candidato. Somente aqueles que satisfizerem relativamente todos os três princípios e forem ligeiramente melhores do que a maioria das pessoas é que podem ser eleitos. De agora em diante, as eleições da igreja devem ser baseadas nesses três princípios. Ninguém tem permissão para mudá-los. A casa de Deus pedirá contas aos líderes de qualquer igreja que viole esses três princípios de eleição. Eleger uma pessoa perversa ou enganosa como líder ou obreiro da igreja é um problema muito sério que atrapalha e perturba a obra da casa de Deus. O povo escolhido de Deus deve expor, denunciar e lidar com isso de maneira oportuna. Os líderes e obreiros da igreja em toda parte devem supervisionar estritamente as eleições da igreja e devem evitar a manipulação por pessoas perversas.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

A seleção de líderes e colaboradores deve se basear em se eles conseguem ou não resolver problemas práticos. Aqueles que conseguem resolver problemas práticos em comunhão regular devem ser escolhidos como líderes e colaboradores. A pessoa que solve o maior número de problemas deve ser o líder ou colaborador principal, enquanto aqueles que resolver menos problemas podem ser escolhidos como líderes ou colaboradores comuns. Os líderes e colaboradores devem ser escolhidos de acordo com esse padrão. Existem quaisquer restrições de idade para resolver problemas práticos? Não importa se alguém é um irmão idoso ou uma irmã idosa com mais de sessenta ou setenta anos de idade ou um irmão ou uma irmã mais jovem de vinte e poucos anos de idade, contanto que ele seja capaz de comungar sobre a verdade e resolver alguns problemas práticos, ele pode ser escolhido como líder. Não existem restrições de idade, portanto, não tentem estabelecer regras. Contanto que a pessoa consiga resolver problemas práticos, ela pode ser escolhida independentemente da profundeza de sua experiência. Algumas pessoas têm acreditado em Deus por muitos anos e parecem ter muita experiência, mas se elas não conseguirem resolver nenhum problema, elas não são qualificadas para ser um líder. Que tipo de pessoa é qualificado para ser um líder? Aquele que consegue resolver os problemas e as dificuldades práticas do povo escolhido de Deus. Essas pessoas são capazes de usar a verdade para resolver problemas referentes a como os escolhidos de Deus podem entrar na vida, problemas quando as pessoas enfrentam provações ou são podadas e tratadas e têm dificuldades de se submeter, problemas referentes à incapacidade das pessoas de entender quando leem as palavras de Deus e problemas referentes a como lidar com a vida material e relacionados à carne. Tais pessoas são líderes aptos. Se uma pessoa só consegue pregar letras e doutrinas e é incapaz de resolver nenhum problema prático, então essa pessoa é um impostor religioso e carece totalmente da verdade-realidade. Agora, você tem clareza sobre o que significa possuir verdade-realidade? Significa ser capaz de resolver todos os tipos de problemas práticos para os escolhidos de Deus. Isso significa possuir verdade-realidade, que prova que uma pessoa tem experiência e que é capaz de entender e de realizar trabalho. Em suma, ela tem força. Se uma pessoa não consegue resolver os problemas dos escolhidos de Deus, primeiro, ela não possuir verdade-realidade; segundo, ela é incapaz de realizar trabalho; e, terceiro, ela é incapaz de entender. Ela não tem força nenhuma, e tal pessoa não pode, de forma alguma, ser escolhida como líder ou colaborador. Se for eleita, deverá ser eliminada!

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Agora, após repetidos casos em que foram substituídas, podadas e tratadas, muitas pessoas na casa de Deus finalmente despertaram. Perceberam que carecem de verdade-realidade, que foram corrompidas demais e que não têm sido obedientes e começaram a se arrepender. Se elas têm um entendimento verdadeiro de si mesmas e se arrependem genuinamente, especialmente após terem sido substituídas e então reeleitas várias vezes, tais pessoas exibiram alguma mudança real e devem ser promovidas. Por que devem ser promovidas? Porque o número de pessoas capazes de realizar trabalho prático é pequeno. Os seres humanos são corruptos demais e são incapazes de mudar verdadeiramente sem julgamento e castigo. Nenhuma pessoa pode ser apta para ser usada por Deus sem passar por provações e refinamento e sem ser podada e tratada. Todas as pessoas que foram corrompidas por Satanás têm um caráter e uma natureza satânicas. Portanto, experimentar o julgamento e castigo de Deus e experimentar poda e tratamento é experimentar a obra de Deus. Se uma pessoa experimentou ser substituída várias vezes, experimentou fracassos e caiu e ainda consegue se levantar e se arrepender de verdade, isso é o efeito do julgamento e castigo de Deus. Existe alguém que é relativamente menos corrupto e que, após ouvir o julgamento e castigo das palavras de Deus, vir a conhecer sua própria corrupção e se reunir normalmente todos os dias, experimenta involuntariamente uma mudança completa em seu caráter? Tal pessoa existe? Não, não existe. Cada pessoa deve passar por julgamento e castigo, poda e tratamento, provações e refinamento, e deve passar por provações e refinamento centenas de vezes antes de poder ser aperfeiçoada. O que isso significa? Os seres humanos foram corrompidos tão profundamente que eles não conseguem alcançar mudança simplesmente sendo podados e tratados algumas vezes. Portanto, quanto mais julgamento e castigo, poda e tratamento a humanidade corrupta sofrer, melhor para ela – isso é o amor profundo de Deus. Algumas pessoas, mesmo após alguns casos de fracasso e queda ou de promoção e demoção, ainda são capazes de se levantar para cumprir seus deveres. Isso mostra que elas estão certas e que são pessoas que buscam a verdade. Se não fossem pessoas que buscam a verdade, talvez teriam sido expostas e expulsas após a primeira vez em que foram substituídas. Aquelas que ainda buscam a verdade e continuam a cumprir seus deveres apesar de terem fracassado e caído repetidas vezes são pessoas que têm fé em Deus. Não importa como Ele as trate, elas jamais O abandonarão. Após serem substituídas e expostas algumas vezes, elas ainda são capazes de autorreflexão e tentam conhecer a si mesmas, se arrepender genuinamente e se levantar de novo. Não importa se Deus as use ou não, elas ainda assim O seguem e cumprem seu dever para retribuir o Seu amor. Somente pessoas assim realmente amam a verdade e amam a Deus. Se compararmos uma pessoa como essa que mostrou arrependimento e que tem verdade-realidade com uma pessoa que não experimentou fracassos nem quedas, qual delas é mais apta para ser um líder ou colaborador? A pessoa que ainda consegue permanecer firme após ter sido substituída repetidas vezes tem um testemunho real, enquanto a pessoa que nunca experimento poda nem tratamento e que nunca fracassou e caiu não tem um testemunho real de experiência. Quando ela é realmente substituída e ela fracassa e cai, é difícil dizer se ela é passiva e fraca ou se é simplesmente incapaz de se levantar. Não sabemos se alguns indivíduos serão capazes de continuar a seguir a Deus. Algumas pessoas agem melhor e de modo mais vigoroso quando disciplinadas; outras, quando você falar delicadamente com elas, mesmo assim elas cairão às vezes, chorarão e serão incapazes de se levantar. Qual desses dois tipos de pessoas se torna mais forte? A pessoa disciplinada, certo? Portanto, ao escolher líderes e colaboradores, você deve ser capaz de distinguir que aqueles que são disciplinados se tornam fortes, pois experimentam constantemente poda e tratamento. Depois de passarem por esse processo, eles podem ser obedientes e se arrepender de verdade. Tais pessoas certamente farão progresso e, quando escolhidas como líderes e colaboradores, serão confiáveis e responsáveis. Não escolham uma pessoa que só foi tratada com delicadeza. Ela é frágil demais e não passou por nenhuma provação ou castigo. Não tem estatura, carece de humanidade em sua rudeza e é como uma criança, ingênua e inconfiável.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Devemos prestar atenção no seguinte quando elegermos líderes e diáconos da igreja:

1. Jamais elejam pessoas possuídas por demônios ou que frequentemente foram influenciadas por espíritos malignos.

2. Jamais elejam os anticristos que são arrogantes e presunçosos, não ouvem ninguém, são irracionais, ousam julgar a obra de Deus e espalham suas noções e falácias.

3. Jamais elejam pessoas que dizem “amém” a tudo, que gostam de falar e agir com base em emoções, não conseguem seguir princípios e não defendem os interesses da casa de Deus.

4. Jamais elejam pessoas que gostam de falar sobre letras e doutrinas, que não praticam a verdade e não carregam fardos nem assumem responsabilidade quando cumprem seus deveres.

5. Jamais elejam pessoas de humanidade pobre, que gostam de formar grupinhos, atiçar inimizade, que são desonestas e enganosas ou têm um caráter malicioso.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Anterior: 62. Os princípios para as eleições da igreja

Próximo: 64. Os princípios para destituir líderes e obreiros

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro