89. Os princípios de coordenar o serviço

(1) Tratem os outros com justiça. Desde que não seja uma pessoa má, absurda ou um espírito maligno, vocês podem praticar a coordenação com ela. Tratar os outros com amor é um princípio fundamental;

(2) É necessário aprender a se submeter à verdade. Qualquer um que fala de acordo com a verdade deve ser aceito e obedecido, e a verdade deve ser buscada para resolver os problemas, não importa quem os tem;

(3) É necessário aprender a se engajar na autorreflexão e a se conhecer. Primeiro, corrija sua arrogância e hipocrisia, sua obstinação, devassidão e suas preferências carnais. Só assim se pode conviver com os outros;

(4) É necessário defender o princípio de salvaguardar a obra da casa de Deus. Se houver um problema de coordenação, ajude o outro com amor; se o problema for sério o suficiente para que a coordenação seja impossível, esta pode então ser anulada.

Palavras de Deus relevantes:

Hoje em dia, muitas pessoas não prestam atenção em quais lições deveriam ser aprendidas enquanto se coordenam com as outras. Descobri que muitos de vocês não conseguem aprender nenhuma lição sequer enquanto se coordenam com outras pessoas; a maioria de vocês se atém às suas próprias opiniões. Quando trabalham na igreja, você expressa sua opinião e outra pessoa expressa a sua, e uma não está relacionada à outra; na verdade, vocês não cooperam de forma alguma. Vocês todos estão tão absorvidos em comunicar meramente suas próprias percepções ou em aliviar os “fardos” que carregam dentro de vocês sem buscar a vida nem minimamente. Você parece apenas estar fazendo o trabalho superficialmente, sempre acreditando que você deve seguir sua própria senda, independentemente daquilo que todos os outros digam ou façam; você acha que deve comunicar conforme o Espírito Santo guia você, independentemente de quais possam ser as circunstâncias de outros. Vocês não são capazes de descobrir os pontos fortes dos outros, tampouco conseguem examinar a si mesmos. Sua aceitação das coisas é realmente pervertida e errônea. Pode-se dizer que, mesmo agora, vocês ainda exibem muita presunção, como se vocês tivessem recaído naquela velha doença. Vocês não se comunicam uns com os outros de modo que alcance abertura completa, por exemplo, sobre que tipo de resultado vocês obtiveram do trabalho em certas igrejas ou sobre a condição recente do estado interior de vocês e assim por diante; vocês simplesmente nunca se comunicam sobre essas coisas. Vocês não têm absolutamente nenhum envolvimento em práticas como largar suas próprias noções ou abandonar a si mesmos. Líderes e obreiros pensam apenas em como impedir que seus irmãos e irmãs fiquem negativos e em como capacitá-los a seguirem vigorosamente. No entanto, todos vocês acham que seguir vigorosamente em si já basta e, fundamentalmente, vocês não têm nenhum entendimento daquilo que significa conhecer a si mesmo e abandonar a si mesmo, muito menos entendem o que significa servir em coordenação com outros. Vocês só pensam em que vocês mesmos tenham a vontade para retribuir Deus por Seu amor, em que vocês mesmos tenham a vontade de viver o estilo de Pedro. Além dessas coisas, vocês não pensam em mais nada. Você até diz que, não importando o que outras pessoas façam, você não se submeterá cegamente e, não importando como sejam as outras pessoas, você mesmo buscará que Deus o aperfeiçoe, e isso será suficiente. Fato é, porém, que sua vontade de forma alguma encontrou uma expressão concreta na realidade. Tudo isso não é o tipo de comportamento que vocês exibem hoje em dia? Cada um de vocês se agarra à sua própria percepção, e todos vocês desejam ser aperfeiçoados. Vejo que vocês têm servido por tanto tempo sem terem feito muito progresso; mais especificamente, nessa lição de trabalhar juntos em harmonia, vocês não alcançaram absolutamente nada! Quando vai para as igrejas, você comunica do seu jeito, e outros comunicam do jeito delas. Raramente ocorre coordenação harmoniosa, e isso vale ainda mais para os seguidores que são subordinados a você. Ou seja, raramente algum de vocês entende o que é servir a Deus ou como se deve servir a Deus. Vocês estão confusos e tratam lições desse tipo como assuntos insignificantes. Há até muitas pessoas que não só falham por não praticarem esse aspecto da verdade, mas que também fazem a coisa errada conscientemente. Mesmo aqueles que serviram por muitos anos lutam e tramam uns contra os outros e são invejosos e competitivos; é cada um por si, e eles não cooperam de maneira alguma. Todas essas coisas não representam sua estatura real? Vocês que servem juntos diariamente são como os israelitas, que serviram diretamente ao Próprio Deus todos os dias no templo. Como é possível que vocês, que servem a Deus, não fazem ideia de como cooperar ou de como servir?

Extraído de ‘Sirva como serviram os israelitas’ em “A Palavra manifesta em carne”

A exigência feita a vocês hoje — trabalhar juntos em harmonia — é semelhante ao serviço que Jeová exigiu dos israelitas: caso contrário, simplesmente parem de prestar serviço. Visto que vocês são pessoas que servem diretamente a Deus, vocês devem, no mínimo, ser capazes de lealdade e submissão em seu serviço e também devem ser capazes de aprender lições de maneira prática. Especialmente para aqueles de vocês que trabalham na igreja, qualquer um dos irmãos e irmãs subordinados a vocês ousaria lidar com vocês? Alguém ousaria falar-lhes na cara sobre seus erros? Vocês estão muito acima de todos os outros; vocês reinam como reis! Vocês nem mesmo estudam nem entram nesses tipos de lições práticas, mesmo assim falam de servir a Deus! Atualmente, pede-se que você lidere um número de igrejas, mas você não só não desiste de si mesmo, mas até se agarra às suas próprias noções e opiniões, dizendo coisas como: “Acho que essa coisa deveria ser feita dessa maneira, visto que Deus disse que não devemos ser restritos pelos outros e que, hoje em dia, não devemos nos submeter cegamente”. Portanto, cada um de vocês se agarra à própria opinião, e ninguém obedece ao outro. Mesmo sabendo claramente que seu serviço se encontra num impasse, vocês ainda dizem: “A meu ver, meu jeito não está longe da meta. Em todo caso, cada um de nós tem um lado: você fala do seu, e eu falarei do meu; você comunica suas visões, e eu falarei da minha entrada”. Vocês nunca assumem responsabilidade pelas muitas coisas que deveriam ser tratadas ou simplesmente improvisam, cada um botando para fora as próprias opiniões e prudentemente protegendo o status, a reputação e a face de vocês. Nenhum de vocês está disposto a se humilhar, e nenhum lado toma a iniciativa para desistir de si mesmo e compensar as deficiências uns dos outros para que a vida possa progredir mais rapidamente. Quando vocês estão coordenando juntos, vocês deveriam aprender a buscar a verdade. Talvez vocês digam: “Eu não tenho um entendimento claro desse aspecto da verdade. Que experiência você tem com isso?”. Ou talvez vocês digam: “Você tem mais experiência do que eu no que diz respeito a esse aspecto; você poderia, por favor, me oferecer alguma orientação?”. Essa não seria uma boa maneira de resolver isso? Vocês ouviram muitos sermões e têm alguma experiência em prestar serviço. Se vocês não aprenderem uns com os outros, não ajudarem uns aos outros e não compensarem as deficiências uns dos outros quando trabalharem nas igrejas, como, então, poderão aprender quaisquer lições? Sempre que se depararem com qualquer coisa, vocês deveriam se comunicar uns com os outros para que sua vida possa se beneficiar. Além do mais, vocês deveriam se comunicar cuidadosamente sobre coisas de qualquer tipo antes de tomar qualquer decisão. Só se fizerem isso, vocês estarão assumindo responsabilidade pela igreja em vez de simplesmente agirem superficialmente. Após visitarem todas as igrejas, vocês deveriam se reunir e comunicar todas as questões que descobrirem e quaisquer problemas encontrados em seu trabalho, e então vocês deveriam comunicar o esclarecimento e a iluminação que vocês receberam — essa é uma prática de serviço indispensável. Vocês devem alcançar cooperação harmoniosa para o propósito da obra de Deus, para o benefício da igreja e a fim de incentivar seus irmãos e irmãs a avançarem. Vocês devem se coordenar uns com os outros, cada um corrigindo o outro e alcançando um resultado de trabalho melhor, a fim de cuidar da vontade de Deus. Isso é que é cooperação verdadeira, e apenas aqueles que se engajarem nela ganharão entrada verdadeira. Enquanto cooperam, algumas das palavras que você diz podem ser inapropriadas, mas isso não importa. Conversem sobre isso mais tarde e ganhem um entendimento claro sobre isso; não negligenciem isso. Depois desse tipo de comunhão, vocês podem compensar as deficiências de seus irmãos ou irmãs. Apenas se aprofundando cada vez mais em seu trabalho dessa maneira, vocês podem alcançar resultados melhores. Cada um de vocês, como pessoas que servem a Deus, deve ser capaz de defender os interesses da igreja em tudo que faz, em vez de simplesmente considerar seus próprios interesses. É inaceitável agirem sozinhos, boicotando uns aos outros. Pessoas que se comportam dessa maneira não são aptas para servir a Deus! Tais pessoas têm um caráter terrível; não resta nelas um pingo de humanidade. São cem por cento Satanás! São bestas! Mesmo agora, tais coisas ainda ocorrem entre vocês; vocês chegam até a atacar uns aos outros durante a comunhão, intencionalmente buscando pretextos e ficando todos vermelhos no rosto enquanto brigam por causa de algum assunto trivial, nenhuma pessoa estando disposta a tirar o foco de si mesmo, cada pessoa ocultando dos outros os seus pensamentos íntimos, observando intensamente a outra parte e sempre estando em guarda. Esse tipo de caráter condiz ao serviço a Deus? Um trabalho desse como o seu pode suprir qualquer coisa aos seus irmãos e irmãs? Você não só é incapaz de conduzir pessoas para o curso de vida correto, mas, na verdade, injeta seus próprios caracteres corruptos em seus irmãos e irmãs. Você não está ferindo os outros? Sua consciência é horrível e está totalmente podre! Você não entra na realidade, nem coloca a verdade em prática. Além disso, você descaradamente expõe sua natureza diabólica aos outros. Você simplesmente não tem vergonha! Esses irmãos e irmãs lhe foram confiados, no entanto, você os leva para o inferno. Você não é alguém cuja consciência se tornou podre? Você não tem absolutamente nenhuma vergonha!

Extraído de ‘Sirva como serviram os israelitas’ em “A Palavra manifesta em carne”

Se você deseja cumprir seus deveres adequadamente e satisfazer a vontade de Deus, então deve primeiro aprender a trabalhar harmoniosamente com outros. Ao coordenar-se com seus irmãos e irmãs, você deveria considerar o seguinte: o que é harmonia? A forma como falo com eles é harmoniosa? Meus pensamentos levam à harmonia com eles? A forma como estou fazendo as coisas leva à harmonia com eles? Considere como ser harmonioso. Às vezes, ser harmonioso envolve paciência e tolerância, mas também inclui manter sua posição e defender princípios; não significa reconciliar diferenças independentemente dos princípios, ou tentar ser “o sujeito legal”, ou ater-se à senda da moderação. Em especial, não significa agradar a alguém. Esses são os princípios. Uma vez que você tenha entendido esses princípios, você, sem nem mesmo perceber, agirá de acordo com a vontade de Deus e também viverá a verdade-realidade. Em suas interações umas com as outras, quando as pessoas confiam em filosofias de vida, em suas noções, ideias, desejos e egoísmo e em suas próprias capacidades, dons, especialidades e inteligência, elas são totalmente incapazes de alcançar unidade diante de Deus. Por estarem vivendo e fazendo coisas a partir de um caráter satânico corrupto, elas não podem se unir. Qual é a consequência final disso? Deus não opera nelas. Quando Ele não opera nelas e elas continuam a confiar em suas escassas habilidades, inteligência e especialidades e no pouquinho de conhecimento e qualificações que ganharam, elas têm muita dificuldade em ser postas a pleno uso na casa de Deus e também acham muito difícil agir de acordo com a Sua vontade. Isso é porque se Deus não está operando em você, você nunca pode compreender os princípios de colocar a verdade em prática ou de fazer coisas; isto é, você nunca pode compreender a essência ou a raiz dos princípios por trás do dever que está cumprindo, nem pode saber como agir em harmonia com a vontade de Deus ou o que fazer para alegrá-Lo. Você também não pode saber como agir alinhado com a verdade-princípio. Você é incapaz de compreender essas coisas essenciais; você nem faz ideia. Suas tentativas confusas de cumprir seu dever estão fadadas a falhar, e é certo que você será rejeitado por Deus.

Extraído de ‘Sobre a coordenação harmônica’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

O que é coordenação harmônica? Você faz o que quer, e eu faço o que quero; você termina as suas coisas, e eu termino as minhas. Cada um faz o que quer, e não há entendimento tácito entre nós; não há comunicação ou comunhão. Não chegamos a nenhum tipo de entendimento mútuo. No fundo, nós simplesmente sabemos: “Estou fazendo meu dever, e você está fazendo o seu; você realiza o seu, e eu realizarei o meu. O que você faz não é da minha conta, e o que eu faço não é da sua conta. Nós não estamos interferindo um com o outro e não estamos incomodando ou influenciando um ao outro”. Isso é coordenação harmônica? Superficialmente, pode parecer que não há conflito ou queixas entre duas pessoas como essas; elas parecem não estar interferindo uma com a outra, nem controlando ou restringindo uma à outra. Entretanto, espiritualmente, não há coordenação harmônica entre elas; elas não têm nenhum entendimento tácito ou cuidado uma com a outra. Tudo que acontece é que cada uma delas está colocando esforço num assunto próprio, e exercendo esforço individual, sem qualquer coordenação. Esse é um bom jeito de se fazer as coisas? Não é um bom jeito de se fazer as coisas. Parece que um não está gerenciando o outro, um não está ouvindo ou dando orientação ao outro, e eles não estão ajudando um ao outro. Eles podem aparentar ser racionais, mas um caráter corrupto está no interior de cada um. Vocês sabem que caráter é esse? É que ambos estão competindo para estar na dianteira e são completamente carentes de amor, cuidado e disposição para ajudar os outros. Não há coordenação harmoniosa dessa maneira. Sem coordenar com os outros, você está travando uma batalha solitária, e muitas das coisas que faz não serão tão perfeitas ou completas. Esse não é o tipo de estado que Deus quer ver nos humanos; isso não traz alegria a Ele.

Extraído de ‘Sobre a coordenação harmônica’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

O que as pessoas devem fazer para ser úteis ao trabalhar ao lado dos outros? Reparar e apontar as deficiências umas das outras, ficando de olho umas nas outras, buscando e consultando umas às outras. Apontar coisas uns para os outros faz parte de trabalhar ao lado dos outros. Alguém pode dizer: “Você está fazendo errado, não está buscando a verdade. Como você pode ser tão precipitado no que diz e em como está lidando com isso?”. E ouvindo isso, elas dirão: “Oh, não! Por sorte você apontou isso — se não tivesse apontado, poderia ter havido um desastre”. E quanto a ficar de olho um no outro? Toda pessoa tem momentos em que comete erros, é superficial, não leva em consideração os interesses da casa de Deus, age de forma desmedida ou é desobediente. Quando você vir alguém se exibindo, protegendo o próprio status e reputação, e não levando em consideração os interesses da casa de Deus, é nessas ocasiões que você deve se aproximar, ter comunhão com ele e também tomar isso como um aviso para si mesmo. Não é isso que significa ficar de olho um no outro? Qual é a utilidade de ficarmos de olho uns nos outros? É para proteger os interesses da casa de Deus e impedir que as pessoas se desviem.

Extraído de ‘Eles gostariam que os outros obedecessem apenas a eles, não à verdade nem a Deus (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”

Cooperação inclui pedir ajuda e dicas aos outros, pedir o conselho dos outros e ser capaz de buscar as verdades-princípio quando houver um problema. Tudo isso foi comunicado claramente; o que acontece em seguida se resume a como você pratica isso. Se você sempre achar que está acima dos outros, se tratar sua missão como uma posição oficial e estiver sempre seguindo vias alternativas, sempre tramando planos próprios, sempre executando gerenciamento próprio — isso causará problemas. Se é assim que você sempre age e você não quer cooperar com mais ninguém, para não dividir sua autoridade com os outros, para impedir que os outros fiquem com seu mérito e que sua auréola seja roubada — se você quiser tudo para si, então está na estrada errada. Mas se você busca a verdade com frequência e pratica abandonar tais coisas, e se você consegue tomar a iniciativa para cooperar com os outros, abrindo seu coração com frequência para se consultar com os outros e buscar seu conselho, e se você consegue adotar as sugestões dos outros e ouvir com atenção seus pensamentos e palavras, então você está seguindo a senda certa, na direção certa. Desça de seu pedestal e esqueça seu título. Não dê atenção a essas coisas, trate-as como coisas sem importância, e não as veja como um distintivo de status, como galardão. Acredite, em seu coração, que você e os outros são iguais; aprenda a colocar-se em pé de igualdade com os outros e seja capaz até mesmo de se rebaixar para pedir a opinião dos outros. Seja capaz de ouvir com seriedade, cuidado e atenção o que os outros têm a dizer. Dessa forma, você gerará cooperação pacífica entre você e os outros. A que função, então, serve a cooperação pacífica? Serve a uma grande função, na verdade. Com ela, você pode ganhar com coisas que os outros viram, mas você ainda não, com coisas que outros entenderam, mas você ainda não, e você pode descobrir os pontos fortes e as virtudes dos outros. E há mais uma coisa: os aspectos em meio às suas noções que o levam a considerar os outros imbecis, estúpidos, tolos, inferiores a você — quando você ouve as sugestões dos outros ou quando os outros abrem seu coração para falar com você, sem querer você vem a perceber que ninguém é tão simples assim, que todos, não importando quem sejam, têm uns pensamentos importantes. Isso o impede de pensar que você é esperto e de se sentir superior. Impede que você viva sempre num estado narcisista de autoadmiração. Serve para proteger você, não serve?

Extraído de ‘Eles gostariam que os outros obedecessem apenas a eles, não à verdade nem a Deus (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”

Às vezes, ao cooperar para cumprir um dever, duas pessoas discutem sobre uma questão de princípio. Elas têm pontos de vista diferentes e formaram opiniões diferentes. O que pode ser feito nesse caso? Esse é um problema que ocorre com frequência? É um fenômeno normal, causado por diferenças nas mentes, calibres, percepções, idades e experiências das pessoas. É impossível que a cabeça de duas pessoas tenha exatamente o mesmo conteúdo, tanto que duas pessoas virem a divergir em suas opiniões e visões é um fenômeno muito comum e uma ocorrência muito regular. Não se preocupe com isso. A questão crítica é, quando tal questão surge, como você deve cooperar e buscar alcançar a unidade perante Deus e a unanimidade de opinião. Qual é o objetivo de ter uma opinião unânime? É buscar a verdade-princípio a esse respeito e não agir de acordo com as próprias intenções ou as de outra pessoa, mas juntos buscar as intenções de Deus. Essa é a senda para alcançar uma cooperação harmoniosa. Somente quando busca as intenções de Deus e os princípios que Ele exige, você será capaz de alcançar a unidade. Caso contrário, se acontecesse do seu jeito, a outra pessoa ficaria insatisfeita. Se acontecesse do jeito dela, você ficaria descontente e frustrado. Você não consegue enxergar claramente e não consegue abrir mão. “Como é fazer as coisas desse jeito? É apropriado?” Você não está à vontade interiormente e sente que, se não lutar por isso, você não será capaz de prestar contas diante de Deus, mas se você lutar por isso, você pensará assim: “Isso não é o mesmo que me colocar em evidência para o meu próprio bem? Não é lutar pela minha reputação, pelo meu status?”. De qualquer maneira, você acha que não é apropriado. Nem isso nem aquilo parece certo. A unidade pode ser alcançada desse jeito? Nesse tipo de situação, você deve buscar a verdade. Deve buscar qual é o princípio e qual é o padrão que Deus exige. Uma vez que encontrar o padrão que Deus exige, você terá comunhão com aquela pessoa. Depois de ouvir, ela dirá: “Sim, minha opinião era falha”. Você pondera sobre isso e pensa: “A minha também não era tão maravilhosa assim. Estava um pouco errada, era um pouco superficial. A ideia dele era melhor e chegava perto do padrão que Deus exige. Se acrescentarmos um pouco e ajustarmos um pouco, vai ficar boa. Vou deixar a minha opinião de lado, obedecer. Devemos continuar com base na ideia dele, e no futuro talvez eu aprenda algumas coisas com ele, sobre esse método dele”. Não foi um favor que você recebeu? Ele cedeu um pouco, e você não ganhou com isso? Você desfrutou de algo já pronto. Isso é chamado de graça de Deus, e você recebeu um favor. Você realmente acha que apenas quando é iluminado pelo Espírito Santo você é favorecido? Alguém tem uma opinião ou alguma luz a compartilhar com você em comunhão; ou algo é colocado em prática e feito de acordo com o seu princípio, e você vê e acha que não é ruim. Isso não é ganhar algo? É sim. A cooperação entre irmãos e irmãs é, em si, um processo de compensar as fraquezas de um com os pontos fortes do outro. Você usa sua força para compensar as deficiências dos outros, e os outros usam seus pontos fortes para compensar as suas. Isso é o que significa compensar as próprias fraquezas com as forças dos outros e cooperar em harmonia. Somente cooperando em harmonia as pessoas podem ser abençoadas perante Deus, e, quanto mais disso você experimentar, mais praticidade possuirá, a senda se torna cada vez mais clara, e você fica cada vez mais à vontade. Se você está sempre em desacordo com os outros, sempre cético em relação aos outros, que nunca querem lhe dar ouvidos; se você tenta preservar a dignidade dos outros, mas estes não fazem o mesmo por você, o que você considera insuportável; se você os deixa sem saída por causa de algo que disseram e eles se lembram disso, e, na próxima vez em que surge uma questão, eles fazem o mesmo com você — o que você está fazendo pode ser chamado de compensar os pontos fracos do outro com seus pontos fortes e cooperar em harmonia? Isso é chamado de rixa, de viver de acordo com seu sangue quente e seu caráter corrupto. Isso não ganhará a bênção de Deus; isso não Lhe agrada.

Extraído de ‘Sobre a coordenação harmônica’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Quando estão coordenando com outros para cumprir seus deveres, vocês são capazes de ser abertos a opiniões divergentes? Vocês aceitam o que outros dizem? (Eu sempre costumava me apegar às minhas próprias ideias, mas, após ser exposto em situações arranjadas por Deus, vi que, quando todos se reuniam e discutiam coisas, nós normalmente acertávamos as coisas e, muitas vezes, era minha própria perspectiva pessoal que havia sido errada ou míope. Passei a apreciar como é importante trabalhar em harmonia com outros.) E o que vocês aprenderam com isso? Vocês acham que alguém é perfeito? Não importa quão fortes as pessoas sejam ou quão capazes e talentosas, elas ainda assim não são perfeitas. As pessoas devem reconhecer isso; é um fato. Essa é também a atitude mais apropriada de qualquer um que esteja considerando corretamente seus pontos fortes e vantagens ou defeitos; essa é a racionalidade que as pessoas possuem. Com tal racionalidade, você pode lidar adequadamente com seus próprios pontos fortes e fraquezas, assim também com os de outros, e isso irá capacitá-lo a trabalhar junto a eles harmoniosamente. Se está munido desse aspecto da verdade e pode entrar neste aspecto da verdade-realidade, então você pode se relacionar harmoniosamente com seus irmãos e irmãs, valendo-se dos pontos fortes uns dos outros para compensar quaisquer fraquezas que você tenha. Dessa forma, não importa que dever você esteja cumprindo ou o que esteja fazendo, você sempre ficará melhor no que faz e terá a bênção de Deus. Se você sempre pensa que é muito bom e que os outros são piores por comparação e se você sempre quer ter a última palavra, então isso será problemático. Alguém pode dizer algo correto, mas você pensa: “Mesmo que o que ele disse seja certo, se eu concordar com ele, o que os outros vão pensar de mim? Isso não significará que não sou tão bom quanto ele? Eu não posso concordar com ele. Terei que encontrar um jeito de evitar que os outros saibam que estou seguindo o conselho dele e fazê-los pensar que estou fazendo de meu jeito; então eles terão uma opinião elevada de mim”. Se é assim que você sempre lida com outras pessoas, você pode chamar isso de cooperação harmoniosa? Quais serão os efeitos colaterais? Com o passar do tempo, todos serão capazes de ver quem você realmente é. As pessoas dirão que você é astuto demais, que você não age de acordo com a verdade e que você é desonesto. Todos o detestarão, e você estará muito suscetível a ser abandonado. Como Deus vê alguém a quem todos abandonam? Deus o detesta também. Por que Ele detesta esse tipo de pessoa? Os esforços de tal pessoa para cumprir seu dever podem ser honestos, mas que tipo de abordagem é essa? Deus a detesta. O caráter que tal pessoa revelou diante de Deus, tudo em seu coração e em sua mente e todas as suas intenções são repugnantes para Deus; Deus as acha nojentas e más. Usar métodos e truques extremamente indesejáveis para alcançar os próprios objetivos e para ganhar a admiração de outros é o tipo de comportamento que Deus detesta.

Extraído de ‘Apenas praticando a verdade é possível possuir humanidade normal’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Qual é o dever que você pode cumprir? É fazer tudo de que é capaz. Se você tiver um pouco de calibre, então diga o que está pensando. E se tiver pontos fortes numa profissão, aplique esses pontos fortes. Se sua capacidade de entender é relativamente forte, então expresse suas ideias. É isso que significa cooperação pacífica, e dessa forma você pode cumprir seu dever. Se você sempre tenta assumir tudo, sempre tenta se destacar da multidão, mas nunca permite que os outros façam o mesmo, isso não é cumprir seu dever. Isso é chamado de dominação, exibir a si mesmo, e é comportamento de Satanás. Mesmo que alguém tenha um talento especial, um dom, uma habilidade especial, não pode suportar o fardo do trabalho sozinho e completar tudo. Todos devem aprender a cooperar pacificamente. Qual é o princípio por trás disso? Contanto que você dedique toda a sua força, dê toda a sua lealdade e contribua com tudo que for capaz de fazer, estará cumprindo seu dever. Cumprir seu dever não significa que você precisa empreender o máximo possível, nem significa que isso deve deixá-lo exausto e esgotado, muito menos que deve colocá-lo de costas contra a parede. Você deve aprender a cooperar pacificamente, a realizar tudo que pode, a desempenhar sua responsabilidade e a comprometer toda a sua força. Isso é que se chama de cumprir seu dever. Cumprir seu dever significa fazer o que você pode. Cumprir o que pode e contribuir com o que pode — isso basta. Não seja uma pessoa odiosa e não aja sempre de forma autocrática, sem compartilhar o que colhe. Não tente sempre ofuscar os outros. Se você sempre quer parecer altivo e diz: “Vocês dizem que devemos fazer daquele jeito, mas insisto que façamos de outro jeito”, você está cumprindo seu dever? Isso causa perturbação e solapa os outros. Causar perturbação e solapar os outros é o comportamento de alguém com humanidade normal? É exercer o papel de Satanás e não é cumprir seu dever. Portanto, quando você causa perturbação ou age de modo destrutivo ou autocrático, então não importa quanto se esforce, isso não será comemorado por Deus. A força com que você contribuiu pode parecer insignificante e discreta, mas pode haver um momento em que você diga algo que beneficie a todos ou um momento em que algo que você faça capacite todos a cooperar pacificamente e a agir juntos, em uma só direção, unidos em termos de visão e opinião. Embora talvez ninguém se lembre de que isso foi um feito seu e você se sinta como se não tivesse se esforçado muito, Deus verá que você é uma pessoa que pratica a verdade, uma pessoa que age de acordo com os princípios. Deus comemorará o fato de você ter feito isso. Isso é chamado de cumprir seu dever. Cumprir seu dever envolve alguma dificuldade? Na verdade, é fácil — basta não causar perturbação nem agir de modo autocrático. Você deve lembrar: cumprir seu dever não é uma questão de executar seu próprio empreendimento ou seu próprio gerenciamento. Essa obra é obra de Deus, e você só contribui com o que tem de forte. Você participa de uma parte da obra de gerenciamento de Deus ou exerce um papel pequeno numa área minúscula. Tais são a responsabilidade que você assume e seu papel. Esse trabalho não é seu trabalho pessoal, portanto você deve comunicar a todos qualquer questão grande ou pequena que surgir. Se não tiver ninguém do seu lado, o que você faz? Você deve buscar, orar a Deus e procurar os princípios. Essa é a senda da prática. Se todos estiverem com você e você sempre quiser que as coisas sejam feitas do seu jeito, que tipo de comportamento será esse? Você planeja sozinho o que faz sem informar os outros e não discute suas opiniões com ninguém; você não as compartilha com ninguém nem as revela, mas as mantém escondidas em seu coração. Quando chega a hora de agir, você sempre quer impressionar os outros com suas proezas brilhantes, fazer uma grande surpresa para todos, de modo que o tenham em alto conceito. Isso é cumprir seu dever? É executar seu próprio gerenciamento — gerenciar sua própria posição, consolidar seu próprio poder e influência. Caso contrário, por que você não contaria a ninguém o que está fazendo? Visto que esse trabalho não é só seu, por que você agiria sem discuti-lo com ninguém e tomaria decisões sozinho? Por que agiria em segredo, operando numa caixa preta, para que ninguém ficasse sabendo disso? Por que sempre tentaria fazer com que as pessoas ouvissem apenas você? Claramente, você vê esse trabalho como seu trabalho pessoal. Você é o chefe, e todos os outros são funcionários — eles trabalham para você. Não é isso um problema? Aquilo que esse tipo de pessoa revela não é o próprio caráter de Satanás?

Extraído de ‘O cumprimento adequado dos deveres exige cooperação harmoniosa’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Ao cumprir seu dever, você deve se treinar para trabalhar em harmonia com seus irmãos e irmãs, ter comunhão abertamente com eles, colocar tudo sobre a mesa, comunicar-se aberta, pública e honestamente, e falar com clareza. Então, todos dividem o trabalho e cooperam, trabalhando juntos em harmonia. Se algo ainda não foi compreendido, todos devem se reunir e ter mais comunhão. Aqueles que compreendem devem compartilhar seu entendimento sem hesitação, e qualquer um que ganhou a luz do esclarecimento deveria apressar-se em contar aos outros. Se, enquanto outros estão realizando seus deveres, você puder lhes dar mais ajuda e apoio, então não deve poupar esforços para fazê-lo, sem a menor reserva. Como as garotas desprezíveis tendem a pensar? “Eu sei disso, mas não vou contar para você.” “Se você não me contar, então eu não contarei a você.” É assim que as garotas desprezíveis pensam — mesquinhas e com muito medo de que os outros sejam melhores do que elas. Esse não é o tipo de pensamento que alguém com humanidade normal deveria ter. Não é humanidade normal ou algo positivo; é um caráter corrompido. Todas essas coisas que são egoístas, mesquinhas, enganosas, sombrias, sujas e vergonhosas não são coisas positivas; são todas coisas negativas. Vocês devem, portanto, aprender a abandonar essas coisas. Não devem deixá-las controlar, restringir ou dominar vocês; vocês têm de superá-las e se esforçar para serem pessoas de posse da verdade e que vivem na luz. Honestidade, transparência, sinceridade, a capacidade de ser tolerante, leniente, paciente e modesto; aprender a estimar os outros, a encontrar alegria em ajudar os outros, praticar boas ações e ter um bom coração — todas essas coisas são positivas. Quanto às coisas negativas, quando descobre que tem tais pensamentos ou ideias, ou que está em tais estados, você deve aprender a abandoná-los e renunciá-los. Se não fizer isso, eles controlarão você, e quando eles o tiverem sob controle, você será capaz de fazer esse tipo de coisa — e então, você será para sempre uma marionete, escravizado e controlado por seu corrompido caráter satânico, e você nunca ganhará a verdade. Se desejam ganhar a verdade, as pessoas devem primeiro reconhecer quais caracteres corrompidos possuem, como expressam esses caracteres corrompidos, quais são seus pensamentos, quais são suas ideias, e em quais estados estão que são em desacordo com a verdade. Elas deveriam trazer essas coisas negativas e passivas à tona e reconhecê-las, e então resolvê-las uma a uma, aprendendo a abandoná-las, romper com elas e desistir delas. Deveriam aprender a usar a verdade na maneira como tratam os outros, na abordagem de seus deveres e na abordagem de cada coisa que acontece em suas vidas, e deveriam aprender a falar e agir de acordo com a verdade. Desse jeito, pouco a pouco, as pessoas passarão a ter semelhança humana; ficarão cada vez melhores no desempenho de seus deveres, e todos trabalharão cada vez mais harmoniosamente juntos e se tornarão cada vez mais unificados.

Extraído de ‘Como vivenciar as palavras de Deus nos deveres de alguém’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Anterior: 88. Os princípios de servir a Deus

Próximo: 90. Os princípios de ser um líder de igreja

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro