59. Os princípios para congregar-se para comunicar as palavras de Deus

(1) É necessário comunicar a experiência real e o conhecimento da palavra de Deus a verdade, para poder fazer os outros compreenderem a verdade e edificá-los, para que tenham uma senda de prática;

(2) A comunicação da palavra de Deus a verdade deve falar da experiência real que reflete autoconhecimento. Enquanto vocês falam, usem os fatos; não falem de letras nem de doutrinas e não tentem explicar as palavras de Deus;

(3) Quando vocês se congregam, deixem os que têm a obra do Espírito Santo e experiência prática comunicar mais, para que a maioria possa ser edificada e se beneficiar disso. Só então ela será capaz de entrar na verdade-realidade;

(4) Pessoas insensatas, pessoas más e espíritos malignos que perturbam a vida da igreja devem ser expostos e dissecados para que as pessoas possam discerni-los. Não há como superestimar o benefício que isso traz para a compreensão da verdade.

Palavras de Deus relevantes:

Seguindo adiante, conversar sobre as palavras de Deus deveria ser o princípio pelo qual você fala. Normalmente, quando vocês se reúnem, deveriam ser capazes de se engajar em comunhão sobre as palavras de Deus, tomando-as como conteúdo de suas interações, conversando sobre o que sabem sobre essas palavras, como as colocam em prática e como o Espírito Santo opera. Contanto que você comunique as palavras de Deus, o Espírito Santo o iluminará. Alcançar o mundo das palavras de Deus exige a cooperação do homem. Se você não entrar nisso, Deus não terá como operar; se você mantiver sua boca fechada e não falar sobre Suas palavras, Ele não terá como o iluminar. Sempre que você não estiver de outra forma ocupado, converse sobre as palavras de Deus, e não se meta apenas em conversa fiada! Deixe a sua vida ser preenchida com as palavras de Deus — só então você será um crente devoto. Não importa que a sua comunicação seja superficial. Sem superficialidade não pode haver profundidade. Tem de haver um processo. Através do treinamento, você captará a iluminação do Espírito Santo sobre você e como comer e beber efetivamente das palavras de Deus. Após um intervalo de exame profundo, você entrará na realidade das palavras de Deus. Só se estiver decidido a cooperar, você será capaz de receber a obra do Espírito Santo.

Extraído de ‘A Era do Reino é a Era da Palavra’ em “A Palavra manifesta em carne”

“Compartilhar e comunicar experiências” significa dar voz a cada pensamento em seu coração, a seu estado de ser, às suas experiências, ao seu conhecimento das palavras de Deus e ao caráter corrupto dentro de você e então permitir que os outros os discirnam, aceitem as partes positivas e reconheçam o que é negativo. Só isso é compartilhar e só isso é verdadeiramente comunicar. Não enolve simplesmente ter certas percepções das palavras de Deus ou de uma parte de um hino e então comunicar como lhe agradar sem levar isso adiante ou sem dizer nada relacionado à sua vida real. Todos falam de conhecimento doutrinário e teórico, mas nada dizem do conhecimento ganho das experiências reais. Todos vocês evitam falar sobre tais coisas — sobre a vida pessoal de vocês, sobre a vida na igreja com seus irmãos e irmãs, sobre o próprio mundo interior. Fazendo isso, como pode ocorrer comunicação verdadeira entre as pessoas? Como pode haver qualquer confiança real? Não pode haver nada disso! Se uma esposa nunca articular as palavras em seu coração para o marido, eles são confidentes? Eles sabem o que está na mente do outro? Suponhamos que estejam dizendo constantemente: “Eu amo você!” Isso é tudo que dizem, no entanto, nunca expuseram o que estão realmente pensando em seu íntimo, o que querem um do outro ou que problemas têm. Nunca falaram um com o outro sobre essas coisas nem jamais se confidenciaram um ao outro — assim, eles são realmente um casal que se ama? Se, quando juntos, não tiverem nada além de cordialidades agradáveis um para o outro, então eles são verdadeiramente marido e esposa? Certamente não! Se irmãos e irmãs devem ser capazes de se confidenciar uns aos outros, ajudando uns aos outros e provendo uns para os outros, então cada pessoa deve falar das próprias experiências verdadeiras. Se não falar das próprias experiências verdadeiras, se só falar bordões, palavras que são doutrinárias e superficiais, então você não é uma pessoa honesta e é incapaz de ser uma pessoa honesta.

Extraído de ‘A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Alguns líderes e colaboradores não conseguem enxergar os verdadeiros problemas que existem dentro da igreja. Durante um encontro, eles acham que não têm nada que valha a pena dizer, então apenas encaram a situação e dizem algumas palavras e doutrinas. Eles sabem perfeitamente bem que o que estão dizendo é mera doutrina, mas mesmo assim o dizem. No final, até mesmo eles acham que suas palavras são insípidas, e ao ouvi-los, seus irmãos e irmãs também acham que eles são maçantes. É assim que funciona, não é? Se eles têm que se forçar a dizer essas palavras, por um lado, o Espírito Santo não está operando neles e, por outro, suas palavras não têm nenhum benefício para os outros. Se você não experimentou a verdade, mas ainda quer pregar sobre ela, não importa o que diz, você não será capaz de penetrar a verdade; tudo que disser mais adiante serão apenas letras e doutrinas. Você pode pensar que estas são iluminadas, mas são apenas doutrinas; não são a verdade-realidade, e não importa quanto se esforcem, os ouvintes não serão capazes de assimilar nada de verdadeiro delas. Enquanto ouvem, eles podem achar que o que você diz está bem correto, mas depois esquecerão tudo. Se você não falar sobre seu verdadeiro estado, então não será capaz de tocar o coração das pessoas; elas vão esquecer o que você diz ainda que queiram se lembrar, e você não será capaz de ajudá-las. Se você se deparar com esse tipo de situação, em que deseja falar, mas sente que não consegue fazê-lo de uma forma que penetre até a verdade, e você tem apenas um pouco de conhecimento doutrinário sem saber nada sobre coisas essenciais, e se outros trouxerem questões de natureza essencial, que você não é capaz de responder, é melhor não dizer nada. Também há ocasiões em que você discute um tema em um encontro e sente que tem bastante conhecimento sobre ele, podendo dar comunhão sobre alguns fatos ocorridos. No entanto, todos entenderão aquilo de que você está falando se você discutir o assunto de forma superficial, mas não tem nada a dizer em um nível mais profundo, pois os outros podem não ter vivenciado algumas situações, e você também não. Nesse caso, você não deveria se forçar a continuar falando; em vez disso, você pode fazer com que todos compartilhem sobre o assunto. Se você pensa que é apenas doutrina, então é inútil falar sobre ela, e as pessoas não serão edificadas a partir dela; nessa situação, não importa o que você diz, o Espírito Santo não fará Seu trabalho, e quando insistir em ficar falando, você poderá acabar dizendo coisas absurdas e desviantes, podendo até desencaminhar as pessoas. Elas não conseguem absorver ideias relativamente profundas em um curto período; a maioria tem uma base muito limitada e é mais humilde, e não consegue memorizar facilmente o que ouve. No entanto, ainda são bastante rápidas em aceitar ideias absurdas, regulamentares e doutrinárias. Isso é realmente estranho! Portanto, nesse caso, você deve prestar uma atenção especial. As pessoas são vaidosas e às vezes dominadas por suas vaidades; sabem perfeitamente bem que o que estão dizendo é doutrina, mas continuam fazendo isso de qualquer maneira, acreditando que seus irmãos e irmãs talvez não notem. Em um esforço para salvar a própria pele, podem ignorar essas situações e, em vez disso, apenas se concentrar em lidar com a situação em questão. Isso não é enganar as pessoas? Isso é ser desleal com Deus! Se você é uma pessoa que entende a verdade, ficará culpado por dentro, sentirá que não pode mais falar dessa maneira e que deve mudar de assunto. Você pode ter comunhão sobre algo com o qual tem experiência ou falar sobre algum conhecimento que tem da verdade. Se você não souber falar claramente sobre algo, então todos podem ter comunhão sobre isso juntos! Ter apenas uma pessoa falando nunca é uma coisa boa. Porque você precisa de experiência, não importa quão bem você é capaz de imaginar e conceber algo, o que você diz acabará sendo apenas doutrina e matéria de noções humanas. As coisas só podem ser categorizadas como verdade se forem experimentadas; sem experiência, ninguém pode entender completamente a essência da verdade, muito menos explicar com clareza as condições para experimentar uma verdade. É preciso ter uma experiência da verdade antes de ter algo real sobre o que falar, e não a ter não é aceitável; mesmo se você tiver experiência, ela será limitada, e você só poderá falar sobre algumas situações específicas, nada mais. Se um encontro sempre gira em torno de um ou dois temas, então, depois de ter comunhão dessa maneira por um tempo, algumas pessoas passarão a entender um pouco melhor. Outra possibilidade é que, imediatamente depois de começarem a falar, vocês possam pensar que estão se comunicando de forma muito clara, mas seus irmãos e irmãs ainda não compreendem bem. Isso acontece porque suas condições são suas e as condições de seus irmãos e irmãs não serão necessariamente iguais às suas. Além disso, se você tem alguma experiência com o assunto, mas seus irmãos e irmãs talvez não, então eles talvez achem que o que você está falando não se aplica a eles. E o que fazer ao se deparar com esse tipo de situação? Você deve fazer algumas perguntas para compreender as circunstâncias deles. Pergunte-lhes o que acham que se deve fazer quando esses assuntos forem abordados e como se deve agir de acordo com a verdade. Ao ter comunhão dessa maneira por um tempo, um caminho de avanço se abrirá. Desta forma, você pode levar as pessoas direto ao ponto, e se você continuar a ter comunhão, alcançará resultados.

Extraído de ‘Você sabe o que de fato é a verdade?’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Você pode falar de tanto conhecimento quanto há areia na praia, mas nenhuma parte dele contém senda real alguma. Com isso, você não está enganando as pessoas? Você não está fazendo uma demonstração vazia, sem nenhuma substância para sustentá-la? Todo comportamento como esse é prejudicial às pessoas! Quanto mais elevada e mais desprovida de realidade é a teoria, mais incapaz ela é de levar as pessoas para a realidade; quanto mais elevada a teoria, mais ela faz você desafiar e se opor a Deus. Não trate as teorias mais elevadas como um tesouro precioso; elas são perniciosas e não servem a propósito nenhum! Talvez algumas pessoas possam falar das teorias mais elevadas — mas estas não contêm nada da realidade, pois essas pessoas não as vivenciaram pessoalmente, e, portanto, não têm senda alguma para a prática. Essas pessoas são incapazes de levar os outros para a trilha certa e apenas os levarão a desviar-se. Isso não é prejudicial para as pessoas? No mínimo, você deve ser capaz de resolver os problemas atuais das pessoas e permitir que elas alcancem a entrada; apenas isso conta como dedicação, e só então você estará qualificado para trabalhar para Deus. Não use sempre palavras grandiosas e extravagantes, e não use um punhado de práticas inadequadas para forçar as pessoas a lhe obedecer. Fazer isso não surtirá efeito algum e só aumentará a confusão das pessoas. Seguir com isso resultará em muita doutrina, o que fará com que as pessoas o detestem. Essa é a deficiência do homem, e é realmente mortificante. Portanto, fale mais sobre problemas que realmente existem. Não trate as experiências dos outros como propriedade privada e compartilhe-as para que os outros possam admirá-las; você deve buscar uma saída individual. Isso é o que cada pessoa deveria colocar em prática.

Extraído de ‘Concentre-se mais na realidade’ em “A Palavra manifesta em carne”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

Comungar sobre as palavras de Deus tem vários princípios que devem ser obedecidos:

Em primeiro lugar, antes de comungar sobre as palavras de Deus, você deve contemplar a essência das palavras de Deus, entender o que as palavras estão querendo dizer, entender seu significado verdadeiro, e tentar entender por que Deus diria tais palavras e quais efeitos elas tentam alcançar. Independentemente daquilo que Ele diz, as intenções e exigências de Deus estão em Suas palavras. Esse é o ponto principal que deve ser comunicado. O povo escolhido de Deus deve buscar a verdade, entender Sua vontade em cada uma de Suas palavras e entender o que Ele exige das pessoas e as verdades com que elas devem ser equipadas. Comungar dessa forma é benéfico para você e para os outros. Se você simplesmente ler sem se envolver e passar voando pelo processo, sem contemplar com seriedade após ler as palavras, e apenas falar doutrinas literais, sua leitura das palavras de Deus não terá muito sentido e você nunca será capaz de entender a verdade.

Em segundo lugar, as palavras de Deus contêm muitas verdades. Cada linha das palavras de Deus envolve muitos aspectos da verdade, que não podem ser explicados a fundo pelo sentido literal. O homem não pode não levar a sério as palavras de Deus. Se você as considerasse simples demais, seria uma atitude tola e ignorante demais. Até mesmo a mais simples frase das palavras de Deus não pode ser experimentada em sua totalidade ao longo de uma vida. Isso é assim porque tudo que é expresso nas palavras de Deus é a verdade, a realidade de coisas positivas, e não pode ser totalmente alcançado pelo homem, nem pode ele entrar muito profundamente nisso. Se as pessoas não consideram as palavras de Deus com uma atitude reta e não têm desejo de buscar a verdade, elas jamais poderão entendê-las. Portanto, você deve temer a Deus e ter uma atitude devota quando comungar sobre Suas palavras.

Em terceiro lugar, você deve comunicar, das palavras de Deus, apenas aquilo que entender. Não finja entender quando não entender, e não fale descuidadamente sobre letras e doutrinas. Em reuniões, comunique apenas seu conhecimento e entendimento real das palavras de Deus; não fale sobre coisas desvinculadas da verdade, pois você só estaria desperdiçando o tempo dos outros. Para o benefício de todos, o melhor é que cada pessoa comunique apenas por mais ou menos entre cinco e dez minutos, ou por quinze minutos no máximo. Uma única pessoa não deve ocupar tempo demais. Se ela não conseguir terminar de uma só vez, que divida a fala em duas ou três vezes para que todos tenham a oportunidade de falar. Quando uma pessoa é falante demais, se ela divagar, você pode interrompê-la para que ela aprenda a ser sensível e respeitar os outros. Praticar dessa forma beneficia a todos.

Em quarto lugar, ao comungar sobre as palavras de Deus, pode-se comungar sobre condições compartilhadas pela maioria das pessoas e também sobre problemas que existem na igreja. Esse tipo de comunhão é legítimo, mas você não pode ter intenções de atacar ou menosprezar outras pessoas. Não importa quem você é, se possui essas condições, você deve encará-las adequadamente e aceitá-las humildemente. Você não pode ser arrogante nem presunçoso, ser intolerante com outras opiniões nem usar sua posição para pressionar os outros, proibindo que falem ou restringindo sua comunicação da verdade. O processo de comungar sobre a verdade é também o processo de expor a natureza corrupta das pessoas. Aqueles que aceitarem genuinamente a verdade serão capazes de encarar a si mesmos corretamente quando se trata de tais coisas, e não terão dificuldade alguma. Se as pessoas não ousarem abrir a boca e não comungarem sobre as palavras de Deus durante as reuniões, ou não vincularem aquilo que estão comunicando à vida real por terem medo demais de ofender os outros ou de perder sua reputação, será muito difícil entender e ganhar a verdade, e comer e beber das palavras de Deus dessa maneira não trará nenhum resultado que mereça ser mencionado. As pessoas que estão sinceramente dispostas a aceitar a verdade devem participar com suas condições e comunicar seu conhecimento das palavras de Deus de maneira simples e aberta. Somente comunicando as palavras de Deus dessa maneira fica fácil entender a verdade e alcançar resultados. No que diz respeito a problemas especiais que surgem na igreja, todos os membros são convidados a comunicar e expressar sua opinião, mas eles devem ver as coisas com base nas palavras de Deus e se colocar ao lado da verdade. Essa comunhão tem a vantagem de ser capaz de resolver problemas, de envergonhar Satanás e alcançar resultados reais.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

A fim de alcançar o efeito na vida da igreja de ser capaz de entender a verdade e resolver problemas por meio do comer e beber das palavras de Deus, existem cinco princípios que devem ser praticados durante as reuniões:

1. Pessoas de bom calibre que têm um apreço pela verdade não adulterado podem comunicar um pouco mais, mas não devem ser prolixas; devem falar de experiência e conhecimento reais das palavras de Deus para resolver problemas reais. Somente dessa forma a reunião será eficaz. Aqueles que têm entendimentos errôneos devem comunicar menos ou podem até se abster de comunicar. Praticar dessa maneira será benéfico para todos que tentam entender a verdade.

2. Ao comungar sobre as palavras de Deus, as pessoas devem permanecer fiéis ao tema e de forma alguma devem fugir ao tema; isso ajudará as pessoas a entender a verdade. Digressões frequentes tendem a quebrar a concentração das pessoas e a confundi-las, e tornam impossível que elas entendam as palavras de Deus. Pessoas que tendem a divagar devem ser limitadas; isso pode poupar tempo e permitir que a reunião alcance bons resultados.

3. Seria melhor se aqueles que têm calibre pobre e são incapazes de entender ouvissem mais e falassem menos. Eles devem se esforçar mais ao ponderar sobre as palavras de Deus e aceitar um entendimento puro delas, e orar e comungar mais com Deus internamente. Isso será benéfico para eles e para os outros; é a única forma de avançar.

4. Quando estiver numa reunião e comungando sobre as palavras de Deus, não repita os pontos de vista e as opiniões de outras pessoas; fale sobre alguns pontos novos de luz e conhecimento. Se não tiver conhecimento novo, não converse. Isso poupará tempo e pode tornar a reunião mais eficaz. Em vez de reiterar constantemente o que os outros disseram, é melhor ficar sentado em silêncio diante de Deus e ouvir com atenção e discernir, aceitando os novos pontos de luz e o entendimento puro mencionado pelos outros. Isso é benéfico para você, e também se pode considerar que você colheu uma parte dos benefícios da reunião.

5. Qualquer que seja o aspecto da verdade comunicado pelas pessoas, quando elas estão comunicando suas dissecções e opiniões sobre um tema, não seja sensível demais nem as compare cegamente consigo a fim de impedir que todos julguem e ataquem uns aos outros. Não discuta sobre coisas irrelevantes e não se preocupe sempre com os problemas dos outros, negligenciando assim sua entrada. Concentre-se em buscar e entender a verdade para que você possa resolver seus próprios problemas de corrupção. As pessoas que fazem isso são inteligentes.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Anterior: 58. Os princípios para viver a vida da igreja

Próximo: 60. Os princípios para comunicar a palavra de Deus a verdade

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro

Entre em contato conosco pelo Whatsapp