72. Os princípios para os expurgos da igreja

(1) Todos os tipos de pessoas más, pessoas insensatas, estúpidas e maçãs podres, conforme atestado pela maioria, devem ser expurgadas;

(2) Pessoas confusas de calibre muito pobre, que não conseguem entender a verdade de forma nenhuma ou que não tramam algo na igreja, devem ser expurgadas;

(3) Todas as pessoas que se envolvem em desonestidade e engano, que semeiam discórdia, que formam facções ou que tramam e conspiram para perturbar a vida da igreja devem ser expurgadas;

(4) Qualquer pessoa que julgar com frequência e fizer acusações contra líderes e obreiros, cujas acusações infundadas visam puramente incitar e provocar, deve ser expurgada;

(5) Se alguém deve ser expurgado, a igreja deve ter uma razão adequada para isso, deve estar de acordo com os arranjos do trabalho e a maioria dos membros deve concordar.

Palavras de Deus relevantes:

Deus salva aqueles que podem vir à vida, que conseguem enxergar a salvação de Deus, que podem ser leais a Deus e que estão dispostos a buscar a Deus. Ele salva aqueles que acreditam na encarnação de Deus e na Sua aparição. Algumas pessoas podem vir à vida, e algumas não podem; isso depende da natureza delas poder ser salva ou não. Muitas pessoas têm ouvido muitas palavras de Deus, mas não entendem a vontade de Deus e ainda são incapazes de colocá-las em prática. Tais pessoas são incapazes de viver qualquer verdade e também interferem deliberadamente na obra de Deus. São incapazes de fazer qualquer trabalho por Deus, não conseguem dedicar nada a Ele e também gastam o dinheiro da igreja em segredo e comem na casa de Deus de graça. Essas pessoas estão mortas e não serão salvas. Deus salva todos aqueles que estão em meio à Sua obra, mas há uma porção de pessoas que não pode receber Sua salvação; apenas um pequeno número pode receber Sua salvação. Isso acontece porque a maioria das pessoas foi corrompida muito profundamente, se tornou morta e está além do alcance da salvação; essas pessoas foram totalmente exploradas por Satanás e são maliciosas demais em sua natureza.

Extraído de ‘Você é alguém que veio para a vida?’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando o homem foi conquistado pelas palavras de Deus até o ponto a que chegou hoje, a força das pessoas alcança um certo ponto, e assim, subsequentemente, Deus declara mais palavras de advertência — a constituição que Ele lança ao povo de Deus: “Embora os seres humanos que povoam a terra sejam tão numerosos quanto as estrelas, conheço-os todos tão claramente quanto a palma da Minha mão. E, embora os seres humanos que Me ‘amam’ sejam também tão inumeráveis quanto os grãos de areia do mar, apenas alguns são escolhidos por Mim: somente aqueles que buscam a luz brilhante, que estão separados daqueles que Me ‘amam’”. De fato, existem muitos que dizem amar a Deus, mas há poucos que O amam em seu coração. Ao que parece, isso poderia ser discernido claramente até mesmo com os olhos fechados. Essa é a situação real do mundo inteiro daqueles que acreditam em Deus. Nisso, vemos que Deus Se voltou agora para a obra de “classificar as pessoas”, a qual mostra que o que Deus quer e o que satisfaz a Deus não é a igreja de hoje, mas o reino após a classificação. Nesse momento, Ele faz mais uma advertência a todos os “bons perigosos”: a menos que Deus não aja, assim que Deus começar a agir, essas pessoas serão eliminadas do reino. Deus nunca faz as coisas de modo perfunctório, Ele sempre age de acordo com o princípio de que “um é um e dois são dois”, e, se existem aqueles que ele não deseja sequer ver, Ele faz todo o possível para eliminá-los, para impedi-los de causar problemas no futuro. Isso é chamado de “levar o lixo para fora e limpar completamente”.

Extraído de ‘Capítulo 12’ das Interpretações dos mistérios das palavras de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”

Hoje Eu Me levanto e castigo todos os tipos de espíritos malignos que Me desafiam. Independentemente de quanto tempo eles Me seguiram, eles devem sair do Meu lado. Eu não quero ninguém que seja contra Mim (eles são aqueles que não têm entendimento espiritual, aqueles que foram temporariamente possuídos por espíritos malignos e aqueles que não Me conhecem). Eu não quero nenhum deles! Todos serão removidos e se tornarão filhos da perdição! Depois de prestarem serviço a Mim hoje, todos eles devem ir embora! Não vadiem em Minha casa; deixem de se aproveitar constante e descaradamente. Aqueles que pertencem a Satanás são todos filhos do diabo e perecerão para sempre.

Extraído de ‘Capítulo 109’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”

Aqueles entre os irmãos e irmãs que estão sempre dando vazão à sua negatividade são lacaios de Satanás e perturbam a igreja. Tais pessoas devem um dia ser expulsas e eliminadas. Se, em sua fé em Deus, as pessoas não tiverem um coração de reverência a Deus, se não tiverem um coração de obediência a Deus, então não só serão incapazes de fazer qualquer obra para Ele, mas, ao contrário, se tornarão aquelas que perturbam Sua obra e que O desafiam. Crer em Deus, mas não Lhe obedecer nem O reverenciar, e, em vez disso, resistir a Ele, é a maior desgraça para um crente. Se os crentes são tão casuais e irrestritos em sua fala e conduta como são os incrédulos, então eles são ainda mais malignos que os incrédulos; são demônios arquetípicos. Aqueles que dão vazão à sua conversa venenosa e maliciosa dentro da igreja, aqueles que espalham rumores, fomentam a desarmonia e formam grupos entre os irmãos e irmãs — eles deveriam ter sido expulsos da igreja. Mas porque agora é uma era diferente da obra de Deus, essas pessoas estão limitadas, pois enfrentam certa eliminação. Todos que foram corrompidos por Satanás têm caráter corrupto. Alguns não têm nada além de caráter corrupto, enquanto outros são diferentes: eles não só têm caráter satânico corrupto, mas sua natureza é também extremamente maliciosa. Não só suas palavras e ações revelam seu caráter satânico corrupto; essas pessoas são, além disso, o genuíno diabo Satanás. Seu comportamento interrompe e perturba a obra de Deus, prejudica a entrada na vida de irmãos e irmãs e danifica a vida normal da igreja. Mais cedo ou mais tarde, esses lobos em pele de cordeiro precisam ser removidos; uma atitude impiedosa, uma atitude de rejeição, deveria ser adotada para com esses lacaios de Satanás. Só isso é ficar do lado de Deus, e aqueles que deixam de fazê-lo estão chafurdando na lama com Satanás. Pessoas que genuinamente creem em Deus sempre O têm em seu coração e sempre levam dentro de si um coração reverente a Deus, um coração que ama Deus. Aqueles que creem em Deus deveriam fazer as coisas de modo prudente e cauteloso e tudo que fazem deveria ser de acordo com as exigências de Deus e capaz de satisfazer Seu coração. Eles não deveriam ser teimosos, fazendo o que bem lhes agrada; isso não convém à santa decência. As pessoas não precisam correr de maneira descontrolada, agitando a bandeira de Deus por toda parte enquanto se gabam e trapaceiam em todo lugar; esse é o tipo de conduta mais rebelde. As famílias têm suas regras, e as nações têm suas leis — e não é assim mais ainda na casa de Deus? Os padrões não são ainda mais rigorosos? Não há ainda mais decretos administrativos? As pessoas são livres para fazer o que quiserem, mas os decretos administrativos de Deus não podem ser alterados à vontade. Deus é um Deus que não tolera ofensa dos humanos; Ele é um Deus que mata as pessoas. As pessoas realmente ainda não sabem disso?

Extraído de ‘Um alerta para aqueles que não praticam a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando Deus salva pessoas, qual é — mesmo com a magnitude de sua rebeldia ou a profundeza de seu caráter corrupto — o padrão que Deus lhes dá? Isto é, sob quais circunstâncias Deus o abandonaria e deixaria de querer você? Qual é o mínimo que você deve alcançar para que Deus o queira e fique com você? Primeiro, não negar a Deus. Isso é básico. Há conteúdo real em não negar a Deus; não significa apenas reconhecer o Homem Velho no Céu e reconhecer que Deus se tornou carne e é Deus Todo-Poderoso. O padrão de Deus para o homem é este: primeiro, não negar o nome de Deus, reconhecer Deus, acreditar em Deus e seguir a Deus; segundo: no mínimo, não abandonar o dever do homem. Algumas pessoas não parecem ter abandonado seu dever, mas suas ações já causaram interrupções e perturbações, prejudicaram o trabalho da casa de Deus e impactaram outras pessoas. Elas ainda podem permanecer? Elas violaram o padrão de Deus. E o padrão para cumprir seu dever é não interromper nem perturbar. Os anticristos também cumprem seu dever — mas suas ações são intrometidas, desordeiras, prejudiciais e perversas. Deus poderia querer tais pessoas? Isso é o cumprimento do seu dever? Para Deus, eles violaram o padrão, são incapazes de cumprir seu dever corretamente, o desempenho de seu dever não vale os problemas que causam, e eles devem ser removidos da igreja. Esse é o princípio de como a casa de Deus trata as pessoas? Alguém diz: “Eu fui expurgado porque eu estava no estado errado e sempre era negativo?”, ou: “Tudo que fiz foi de vez em quando não cumprir meu dever corretamente, eu só era um pouco desleixado e superficial — como vocês podem me suspender do cumprimento do meu dever?”, ou: “Eu não cumpri meu dever muito bem, por isso fui expurgado”, ou: “Às vezes, eu tinha pensamentos ruins, pensamentos malignos, e eu também fui expurgado”? Existem pessoas como essas? (Não.) Em algumas, aparecem, às vezes, noções de descrença: “Será que Deus realmente existe? Vento, chuva, trovão, neve — tudo isso foi feito pelo Velho Homem no Céu? Deus se tornou carne? É errado pensar assim, devo cumprir meu dever corretamente”. Quando descobrem isso, algumas pessoas dizem: “Essa pessoa sempre duvida de Deus. Expurguem-na — não permitam que ela cumpra um dever”. Existem pessoas que são expurgadas dessa maneira? (Não.) Segundo qual princípio, então, a casa de Deus expurga pessoas? Quais pessoas são expurgadas e suspensas de seus deveres? (Aquelas cujo serviço não vale os problemas que causam, que causa interrupções e perturbações.) Essas pessoas não devem cumprir um dever. Isso não se deve à opinião que alguém tem sobre elas, nem provém da tentativa de mantê-las sob controle por causa de uma queixa pessoal. É porque o cumprimento de seu dever está aquém do padrão e é deficiente demais; elas são simplesmente incapazes de cumprir seu dever.

Extraído de ‘Os princípios da prática de se submeter a Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Algumas pessoas são preguiçosas e irresponsáveis, em qualquer dever que estão cumprindo. Às vezes, chegam até a fazer coisas ruins, em segredo. Quando cumprem seu dever de modo inadequado, procuram desculpas, dizem que não é o dever certo para elas, que não é seu ponto forte, que carecem de conhecimento. Na verdade, todos podem ver que essa não é a razão pela qual elas cumprem mal o dever. Como, então, essas pessoas devem ser tratadas? Se elas pedissem para cumprir seu dever em outro lugar, isso seria permitido? (Não.) Essas pessoas devem, pura e simplesmente, ser demitidas. Elas não são aptas para cumprir um dever, não têm a atitude certa. Quando solicitadas a cumprir um dever, algumas pessoas coçam a cabeça e resistem; em seu coração, falta-lhes disposição; elas fazem as coisas a contragosto, como se estivessem engolindo uma humilhação. Elas pensam: “Primeiro, vou tentar não chamar a atenção aqui, vou me virar por alguns anos; quem sabe para onde isso me levará?”. Uma vez que tiverem a medida de pessoas que fazem planos como esse, não permitam que cumpram um dever. E se elas quiserem fazer isso em outro lugar, não permitam. Em tais situações, vocês devem intimidá-las. Por quê? Porque vocês enxergaram a essência delas. Todos compartilharam que essa pessoa não é apta para cumprir um dever na casa de Deus; é uma incrédula e, por isso, deve ser expulsa. Do contrário, ela pode ter permissão para permanecer aqui, interferir e filar cada refeição? De forma alguma. Tais situações devem ser tratadas de acordo com os princípios de como tratar aqueles que cumprem um dever na igreja. Mesmo que a pessoa não queria, ela precisa partir. Isso é impor coisas às pessoas? Não. Isso é proteger os interesses e o trabalho da casa Deus, é remover os parasitas.

Extraído de ‘Eles se comportam de maneiras estranhas e misteriosas, são arbitrários e ditatoriais, nunca comungam com os outros e os obrigam a lhes obedecer’ em “Expondo os anticristos”

Existe um tipo de pessoa que pode tratar quem quer que seja com amor, solicitude e tolerância, mas é irreconciliável somente com Deus e é Seu inimigo declarado. Ao depararem com algo que toca na verdade, que toca no que Deus diz e exige, tais pessoas não só são incapazes de aceita-lo, criando dificuldades e lançando dúvida sobre isso a todo instante e espalhando noções, como também fazem muitas coisas que são prejudiciais ao trabalho da casa de Deus, de modo que, quando algo toca em seus próprios interesses, elas são até capazes de se insurgir e levantar um clamor contra Deus. Que tipo de pessoa é essa? (A que odeia Deus.) Ódio a Deus é um aspecto da natureza de todas as pessoas, e todas têm essa essência; porém, em algumas pessoas, ele não é tão severo. Por que, então, esse tipo de pessoa odeia tanto a Deus? Elas são inimigas de Deus; são diabos — para ser franco, são demônios vivos! Existem tais demônios vivos entre as pessoas a quem Deus salva? (Não.) Portanto, se identificarem com precisão alguém na igreja como demônio vivo desse tipo, vocês devem expurgá-lo do local imediatamente. Se uma pessoa se comportar muito bem em geral, mas tiver somente um lapso momentâneo em seu estado ou se sua estatura for pequena demais para entender a verdade e ela causar uma interrupção ou perturbação menor, porém esse comportamento não for consistente e ela não for uma pessoa assim por natureza, então ela pode ser mantida. Há alguns que são habilidosos em um aspecto, apesar de sua humanidade um tanto pobre: estão dispostos a prestar serviço e prontos a sofrer e, em circunstâncias normais, desempenham seu dever de forma bastante apropriada e são aclamados por todos; ou, se não são aclamados, eles ao menos não lucraram às custas de ninguém. Tais pessoas também podem ser mantidas e, embora não se possa dizer que serão necessariamente salvas, elas podem ao menos prestar serviço, e se elas podem ou não servir até o fim depende de sua busca pessoal. Porém, se tal pessoa for um demônio vivo e inimigo de Deus, ela nunca pode ser salva. Isso é certeza, e ela deve ser expurgada da igreja. Alguns são expurgados para dar-lhes uma chance de se arrependerem, para ensinar-lhes uma lição; outros são expurgados porque sua natureza foi vista como realmente é, e eles não podem ser salvos. Todos são diferentes. Alguns que foram expurgados não abandonaram seu dever e continuam a desempenhá-lo a despeito de seu estado deprimido e sombrio — o estado deles não é o mesmo que o das pessoas que não fazem seu dever de modo algum, e as sendas que tomam não são as mesmas.

Extraído de ‘A atitude que o homem deve ter para com Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Como a casa de Deus lida com vários tipos de pessoas: alguns são expurgados das fileiras daqueles que cumprem um dever; alguns são rebaixados de uma igreja em tempo integral para uma igreja de meio período; alguns são rebaixados de uma igreja de meio período para uma igreja comum; alguns são reduzidos desses vários tipos de igreja para o grupo B; e alguns são simplesmente expulsos. Vez por vez, a casa de Deus arranja o trabalho de limpar a igreja; o mesmo acontece com os arranjos de trabalho específicos para os vários tipos de pessoas que cumprem os critérios de serem removidos. Com base nas atitudes das pessoas em relação ao cumprimento de seu dever e em suas transgressões durante o cumprimento de seu dever e também na humanidade e nos caracteres que esses vários tipos de pessoas exibem, a casa de Deus acaba criando políticas específicas para cada caso para lidar com eles; a casa de Deus tem arranjos de trabalho para tudo isso. Os arranjos de trabalho são comunicados por meio de textos e comunhão. Em suma, esse trabalho é contínuo, e não intermitente. Não é o caso que o Alto emite um arranjo de trabalho, a igreja passa um tempo fazendo o trabalho de limpeza e então, quando estiver terminado — e se o Alto não der outras ordens referentes a isso —, a igreja não faz nada da próxima vez que alguém que precisa ser afastado é identificado. Não é esse o caso. O trabalho de limpeza da igreja deve ser contínuo e ordenado. Quando a expurgação é necessária e apropriada, ela deve ser executada de acordo com os arranjos de trabalho; não aguardem passivamente instruções do Alto ou ordens de líderes seniores, e não esperem passivamente até que isso seja relatado por mais irmãos e irmãs. Quando os relatos chegam de uma porção de irmãos e irmãs, ou se uma descoberta já foi feita pelo próprio líder, ou se os supervisores da igreja comungam uns com os outros e chegam a um consenso e a maioria dos irmãos e irmãs escrevem uma avaliação dizendo que uma pessoa deve ser expurgada, ela deve ser expurgada imediatamente. Essa é a provisão específica dos arranjos de trabalho para tal trabalho. E com que objetivo o trabalho de limpeza é executado? É para limpar a igreja, para que o ambiente de trabalho daqueles que cumprem um dever na casa de Deus seja pacífico e livre de interferências da parte dos perversos; é, também, porque a casa de Deus não tolera vagabundos e preguiçosos ociosos. O tipo de pessoa que é incapaz de cumprir seu dever normalmente na casa de Deus, que sempre precisa que alguém o vigie e regule, que é inadequado para cumprir um dever — ele também deve ser removido. Tal trabalho deveria ser uma tarefa simples e independente, um trabalho pelo qual líderes e trabalhadores devem assumir a responsabilidade e uma tarefa que líderes e trabalhadores deveriam implementar e completar.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (9)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Anterior: 71. Os princípios para isolar pessoas em uma igreja

Próximo: 73. Os princípios para a expulsão da igreja

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro