3. O que é a oração da cerimônia religiosa? Ela pode receber a aprovação de Deus?

Versos da Bíblia para referência:

“E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens” (Mateus 6:5).

Palavras de Deus relevantes:

A fé em Deus requer uma vida espiritual normal, que é a base para se experimentar as palavras de Deus e entrar na realidade. Toda a sua prática atual de orações, de aproximação de Deus, de cantar hinos, louvar, meditar e ponderar as palavras de Deus equivale a uma “vida espiritual normal”? Nenhum de vocês parece saber. Uma vida espiritual normal não se limita a tais práticas como orar, cantar hinos, participar da vida da igreja e comer e beber as palavras de Deus. Antes, ela envolve viver uma vida espiritual nova e vibrante. O que importa não é como você pratica, mas que frutos a sua prática produz. A maioria das pessoas acredita que uma vida espiritual normal envolve necessariamente orar, cantar hinos, comer e beber as palavras de Deus ou ponderar Suas palavras, independentemente de tais práticas terem de fato qualquer efeito ou conduzirem a conhecimento verdadeiro. Essas pessoas focam em seguir procedimentos superficiais sem qualquer reflexão em seus resultados; são pessoas que vivem em rituais religiosos, não pessoas que vivem dentro da igreja, e muito menos são pessoas do reino. Suas orações, o cantar hinos e o comer e beber as palavras de Deus são todos apenas cumprimento de regras, feitos por compulsão e para acompanhar tendências, não por disposição nem de coração. Entretanto, por mais que essas pessoas orem ou cantem, seus esforços não produzirão frutos, pois o que elas praticam são apenas as regras e rituais religiosos; na verdade elas não estão praticando as palavras de Deus. Elas focam somente em fazer estardalhaço sobre como praticam e elas tratam as palavras de Deus como regras a se seguir. Tais pessoas não estão pondo as palavras de Deus em prática; estão apenas gratificando a carne e representando para que outras pessoas vejam. Esses rituais e regras religiosos são todos de origem humana; eles não veem de Deus. Deus não segue regras nem está sujeito a qualquer lei. Antes, Ele faz coisas novas todos os dias, realizando obra prática. Como as pessoas da Igreja dos Três Autos,* que se limitam a práticas como participar de cultos matutinos todos os dias, fazer orações vespertinas e orações de gratidão antes das refeições, e dar graças em todas as coisas — por mais que façam e independentemente de por quanto tempo façam, elas não terão a obra do Espírito Santo. Quando pessoas vivem em meio a regras e têm o coração fixado em métodos de prática, o Espírito Santo não pode operar porque seus corações estão ocupados por regras e noções humanas. Assim, Deus não pode intervir e operar nelas, e elas só podem continuar a viver sob o controle de leis. Tais pessoas serão para sempre incapazes de receber o elogio de Deus.

Extraído de ‘A respeito de uma vida espiritual normal’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando todos vocês oram? Sobre o que vocês oram? A maioria das pessoas ora quando sofre, dizendo: “Ó Deus, estou tão angustiado, por favor, ajuda-me!” — essa é a primeira coisa que dizem. É bom orar sempre sobre o seu sofrimento? (Não.) Se não é, por que, então, vocês sempre oram desse jeito? Em vista de como aqueles personagens oram nos roteiros e artigos que vocês escrevem e também nos filmes e vídeos que gravam, posso ver que vocês são incapazes de orar por conta própria e não sabem como fazer isso. Não fazem ideia do que as pessoas devem dizer e fazer quando vêm para diante de Deus; só sabem abrir a boca quando estão tendo dificuldades e dizer a Ele: “Ó Deus, estou sofrendo tanto! Sinto-me tão desanimado. Por favor, ajuda-me”. Se você não sabe orar, que problema isso representa? É um problema importante ou secundário? (Um problema importante.) Se você não sabe orar, então existe, no mínimo, uma coisa que pode ser confirmada, que é que você não sabe como confiar em Deus, como buscá-Lo ou como permitir que Ele o guie quando algo o acomete, e, quando depara com um problema, você não sabe o que precisa que Deus faça por você, como cooperar com Deus ou que tipo de atitude deveria ter. Você não tem entendimento algum dessas coisas; é apenas um leigo. Algumas pessoas, do início ao fim, seja lá o tipo de problema que encaram, não oram genuinamente; quando vêm para diante de Deus, não confiam Nele e não buscam com sinceridade. Dizem apenas: “Deus, estou sofrendo. Ó Deus, estou sofrendo tanto”. Repetem essa frase o ponto de as pessoas se cansarem e ficarem enojadas de ouvi-la. A maioria de vocês ora assim, não é? (Sim.) As orações das pessoas mostram como são lamentáveis as suas condições! Você só busca Deus quando está sofrendo, e quando não está, quando não está enfrentando nenhum problema, você não sente necessidade de Deus nem deseja confiar Nele. Você só quer ser seu próprio senhor. Não é essa a condição em que você está? (É.) Como a maioria das pessoas ora quando experimenta o julgamento e o castigo das palavras de Deus, a poda e o tratamento por meio das palavras de Deus e reconhece seu caráter corrupto? São todas do mesmo tipo, e dizem: “Deus, estou sofrendo. Ó Deus, estou sofrendo tanto”. Essas palavras não enojam vocês? (Sim.) Quando vem para diante de Deus, você não precisa que Ele o esclareça com algo mais? Não precisa de fé e força ou que Deus seja seu suporte principal, que, além disso, Ele o esclareça e guie para que você possa seguir bem na senda adiante? Não precisa da disciplina e do castigo Dele? Não precisa da orientação Dele? Só precisa que Ele alivie seu sofrimento? As pessoas estão realmente murchas por dentro e numa condição tão lamentável! Não saber orar pode parecer um problema secundário, mas, na verdade, quando se aprofunda nesse problema secundário e disseca sua essência, você vê que não ele é nada secundário. Isso mostra que você, como pessoa, não possui um tipo de vida que mereça ser mencionado, e nessa vida que tem, você interage raramente com Deus. Você simplesmente não estabeleceu o tipo de relacionamento entre você e Deus que deveria existir entre Deus e Seus seguidores ou entre os objetos da criação e seu Criador. Quando confrontado com um problema, você toma decisões baseadas em suas suposições subjetivas, noções, pensamentos, conhecimento, dons, talentos e caracteres corruptos; você nada tem a ver com Deus, por isso, quando vem para diante Dele, você nunca tem nada a dizer. Esse é o estado triste das pessoas que acreditam em Deus! É uma condição tão lamentável! Por dentro, as pessoas estão ressecadas e entorpecidas; não sentem nada com relação a essas coisas e não têm qualquer entendimento delas. Quando vêm para diante de Deus, nada têm a dizer. Não importa em que tipo de situação você se encontra, não importa que luta você encara e não importa que adversidades você enfrenta, se você fica mudo diante de Deus, sua fé não pode ser questionada? Essa não é a face lamentável das pessoas? Após acreditar em Deus por tantos anos, mesmo assim você precisa aprender de novo a orar, você ainda não sabe como orar, e sempre que encontra um problema, você só grita chavões e faz resoluções ou reclama a Deus e expressa suas queixas, fala de como está sofrendo, ou racionaliza e se justifica em confissão. Não surpreende que vocês foram tão lentos para entrar na verdade.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (17)’ em “Registros das falas de Cristo”

Não existe nada que Deus despreze mais do que as orações da cerimônia religiosa. Orações a Deus só são aceitas quando são sinceras. Se você não tiver nada sincero a dizer, fique calado; não fale sempre palavras falsas e cegamente faça juramentos diante de Deus, tentando enganá-Lo, falando sobre o quanto você O ama, sobre o quanto deseja ser leal a Ele. Se você é incapaz de alcançar seus desejos, se carece dessa determinação e estatura, não ore, sob quaisquer circunstâncias, dessa forma diante de Deus. Isso é ridículo. Ridicularizar significa zombar de alguém, brincar com ele. Quando as pessoas oram diante de Deus com esse tipo de caráter, então, no mínimo, isso é enganação. No pior dos casos, se você fizer isso com frequência, você tem um caráter totalmente desprezível. Se Deus fosse condenar você, isso seria chamado de blasfêmia! As pessoas não têm reverência para com Deus, não sabem como reverenciar a Deus, nem como amá-Lo e satisfazê-Lo. Se a verdade não for clara para elas ou se seu caráter for corrupto, Deus deixará passar. No entanto, elas trazem tal caráter para diante de Deus e tratam Deus como os incrédulos tratam outras pessoas. Além do mais, elas se ajoelham solenemente diante Dele em oração, usando essas palavras para tentar e enganar a Deus, e quando terminam, elas não só não sentem nenhuma reprovação própria, mas também não têm nenhum senso da seriedade de suas ações. Sendo esse o caso, Deus está com elas? Alguém que carece totalmente da presença de Deus pode ser esclarecido e iluminado? Pode ser iluminado com a verdade? (Não, não pode.) Então, está encrencado. Vocês oraram dessa maneira muitas vezes? Vocês fazem isso com frequência? Quando as pessoas passam tempo demais no mundo externo, elas fedem ao mau cheiro da sociedade, sua natureza escória é amplificada, e elas ficam encharcadas com os venenos e modos de viver satânicos; o que sai de sua boca são palavras de falsidade e enganação, elas falam sem pensar ou então falam palavras que nunca contêm nada além de seus próprios objetivos e motivações, e raramente têm as motivações corretas. Esses são problemas sérios. Quando as pessoas levam essas filosofias e esses modos de viver satânicos para diante de Deus, elas não ofendem o caráter de Deus? E qual será a consequência disso? Na superfície, essas orações são tentativas de enganar Deus e fazê-Lo de bobo, e são incompatíveis com Sua vontade e exigências. Em termos fundamentais, isso é causado pela natureza humana; não é uma revelação momentânea de corrupção.

Extraído de ‘Apenas conhecendo a si mesmo você pode buscar a verdade’ em “Registros das falas de Cristo”

*Nota do tradutor: Em 1950, a Igreja Cristã chinesa promoveu o Movimento de autoadministração, autossustentação e autopropagação (Movimento dos Três Princípios Administrativos).

Anterior: 2. O que é a oração verdadeira?

Próximo: 4. O que a oração verdadeira pode alcançar?

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

4. A natureza do problema de não aceitar o novo nome de Deus

Essas são pessoas que não conseguem aceitar a nova obra do Espírito Santo; são conservadoras demais e incapazes de aceitar coisas novas. Tais pessoas creem em Deus, mas também rejeitam Deus. […] Embora tenham “máxima lealdade” às palavras ditas por Deus, ainda assim suas palavras e ações parecem repugnantes, pois elas se opõem à obra do Espírito Santo, são desonestas e cometem o mal. Aqueles que não seguem até o fim, que não acompanham a obra do Espírito Santo e se apegam à obra antiga não só fracassaram em sua lealdade a Deus, como, pelo contrário, se tornaram aqueles que se opõem a Deus, aqueles que são rejeitados pela nova era e que serão punidos. Há outros mais lamentáveis do que eles?

5. Por que se diz que a humanidade corrupta está mais necessitada da salvação do Deus encarnado

O Deus encarnado é chamado de Cristo e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus. Seja Sua humanidade ou divindade, ambas se submetem à vontade do Pai celestial. A substância de Cristo é o Espírito, isto é, a divindade. Portanto, Sua substância é a do Próprio Deus, essa substância não interromperá Sua própria obra e Ele não poderia fazer qualquer coisa que destrua Sua própria obra, nem jamais pronunciaria palavras que fossem contra Sua própria vontade.

1. O que foi pregado pelo Senhor Jesus na Era da Graça era apenas o caminho do arrependimento

Na época, a obra de Jesus foi a redenção de toda a humanidade. Os pecados de todos que acreditavam Nele foram perdoados; contanto que você acreditasse Nele, Ele o redimiria; se você acreditasse Nele, não era mais pecador e estava aliviado de seus pecados. É isso que significava ser salvo e ser justificado pela fé. No entanto, naqueles que acreditavam ainda restava o que era rebelde e se opunha a Deus e o que ainda precisava ser removido lentamente. A salvação não significava que o homem havia sido completamente ganho por Jesus, mas sim que o homem não era mais do pecado, que ele havia sido perdoado de seus pecados: se você acreditasse, nunca mais seria do pecado.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro