4. Se a pessoa pode cumprir seu dever adequadamente se ela vive segundo seu caráter corrupto

Palavras de Deus relevantes:

Servir a Deus não é tarefa fácil. Aqueles cujo caráter corrupto permanece inalterado jamais podem servir a Deus. Se o seu caráter não tiver sido julgado e castigado pelas palavras de Deus, seu caráter ainda representa Satanás, o que prova que seu serviço a Deus serve apenas para mostrar boas intenções, que seu serviço é baseado em sua natureza satânica. Você serve a Deus com seu caráter natural e de acordo com suas preferências pessoais. Além disso, você sempre acha que as coisas que você está disposto a fazer são as que dão alegria para Deus, e que as coisas que você não deseja fazer são as que Ele odeia; você trabalha inteiramente de acordo com preferências próprias. Isso pode ser chamado de servir a Deus? Por fim, seu caráter de vida não mudará nem um pingo; antes, seu serviço o tornará ainda mais obstinado, arraigando profundamente, assim, seu caráter corrupto, e, dessa forma, você desenvolverá interiormente regras sobre o serviço a Deus que estão baseadas principalmente em sua índole e nas experiências obtidas por servir conforme seu caráter. Essas são as experiências e lições do homem. É a filosofia do homem de viver no mundo. Pessoas assim podem ser classificadas como fariseus e autoridades religiosas. Se nunca acordarem e se arrependerem, elas certamente se tornarão os falsos cristos e anticristos que enganarão as pessoas nos últimos dias. Os falsos cristos e anticristos que foram mencionados surgirão de tais pessoas. Se aqueles que servem a Deus seguem a índole própria e agem conforme a própria vontade, eles correm o risco de ser expulsos a qualquer momento. Aqueles que aplicam seus muitos anos de experiência adquirida para servir a Deus a fim de ganhar o coração de outros, de repreendê-los e restringi-los, e de ficarem altivos — e que nunca se arrependem, nunca confessam seus pecados, nunca renunciam aos benefícios da posição — são pessoas que tombarão diante de Deus. São pessoas do mesmo tipo que Paulo, confiando em sua senioridade e se vangloriando de suas qualificações. Deus não aperfeiçoará pessoas assim. Esse tipo de serviço interfere na obra de Deus. As pessoas sempre se agarram ao antigo. Apegam-se às noções do passado, a todas as coisas dos tempos passados. Isso é um grande obstáculo para seu serviço. Se você não conseguir se livrar dessas coisas, elas sufocarão toda a sua vida. Deus não o elogiará de modo algum, nem mesmo se você quebrar as pernas na correria, ou as costas no trabalho, nem mesmo se for martirizado em seu serviço a Deus. Muito pelo contrário, Ele dirá que você é um malfeitor.

Extraído de ‘O serviço religioso precisa ser purgado’ em “A Palavra manifesta em carne”

Qual é o maior tabu quanto ao serviço do homem a Deus? Vocês sabem? Algumas pessoas que servem como líderes sempre querem tentar ser diferentes, estar muito acima dos demais, e descobrir novos macetes que façam Deus ver quão capazes eles realmente são. Contudo, não se focam em entender a verdade nem em entrar na realidade das palavras de Deus; estão sempre tentando se exibir. Isso não é exatamente a revelação de uma natureza arrogante? Alguns até dizem: “Se eu fizer isso, estou certo de que fará Deus muito feliz; Ele vai gostar muito. Dessa vez, eu farei Deus dar uma olhada; farei para Ele uma agradável surpresa”. Como resultado dessa “surpresa”, eles perdem a obra do Espírito Santo e acabam eliminados por Deus. Não faça simples e precipitadamente o que lhe vier à mente. Como pode ficar tudo bem se você não considera as consequências das suas ações? Quando você ofender o caráter de Deus e violar Seus decretos administrativos, e for subsequentemente eliminado, não sobrará nada para você dizer. Qualquer que seja a sua intenção, e se você o faz deliberadamente ou não, se não entender o caráter de Deus ou Sua vontade, você facilmente O ofenderá e muito provavelmente violará seus decretos administrativos; contra isso, todos devem ficar vigilantes. Uma vez que você tenha violado seriamente os decretos administrativos de Deus ou tenha ofendido Seu caráter, Ele não considerará se você o fez intencionalmente ou não. Isso é algo que você deve enxergar com clareza. Se você não conseguir entender essa questão, é certo que causará problemas. Ao servir a Deus, as pessoas querem dar passos largos, fazer coisas grandiosas, falar palavras ótimas, realizar grandes trabalhos, realizar grandes reuniões e ser grandes líderes. Se sempre tiver grandes ambições como essas, você violará os decretos administrativos de Deus; as pessoas que fazem isso morrerão rapidamente. Se você não se comportar bem, não for devoto nem prudente em seu serviço a Deus, mais cedo ou mais tarde você ofenderá Seu caráter.

Extraído de ‘Sem a verdade, uma pessoa é suscetível de ofender a Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Todo aquele que não reverencia a Deus e não tem um coração que estremece de temor é altamente propenso a transgredir os decretos administrativos de Deus. Muitos servem a Deus na força da paixão, mas não têm entendimento dos decretos administrativos de Deus e, menos ainda, fazem qualquer ideia das implicações de Suas palavras. Assim, com suas boas intenções, muitas vezes acabam fazendo coisas que interrompem a gestão de Deus. Em casos graves, são lançados fora, privados de qualquer outra chance de segui-Lo e são lançados no inferno; toda associação com a casa de Deus cessa. Essas pessoas trabalham na casa de Deus na força de suas ignorantes boas intenções e acabam por irar o caráter de Deus. As pessoas trazem à casa de Deus suas maneiras de servir a oficiais e senhores e tentam fazê-las funcionar, pensando vaidosamente que podem ser aplicadas sem esforço algum aqui. Nunca imaginam que Deus não tem o caráter de um cordeiro, mas sim o de um leão. Portanto, aqueles que se associam com Deus pela primeira vez são incapazes de se comunicar com Ele, pois o coração de Deus é diferente do coração do homem. Somente após entender muitas verdades você poderá vir a conhecer continuamente a Deus. Esse conhecimento não é constituído de frases ou doutrinas, mas pode ser usado como tesouro por meio do qual você entra em íntima confidência com Deus e como prova de que Ele Se agrada de você. Se você não possui a realidade do conhecimento e não é equipado com a verdade, então seu serviço apaixonado só pode trazer sobre si o ódio e a aversão de Deus.

Extraído de ‘Três admoestações’ em “A Palavra manifesta em carne”

Hoje em dia, toda vez que deparam com coisas, seja qual for a situação atual, as pessoas pensam que podem fazer isso e aquilo, portanto não têm Deus no coração, e o fazem de acordo com as próprias vontades. Quer seu curso de ação seja adequado ou não, ou quer esteja de acordo com a verdade ou não, as pessoas simplesmente vão em frente obstinadas e agem segundo as intenções pessoais. Pode parecer que Deus está em seu coração, mas, quando elas fazem coisas, Deus não está em seu coração. Algumas pessoas dizem: “Não consigo me aproximar de Deus nas coisas que faço. No passado, eu estava acostumada a realizar cerimônias religiosas e tentei me aproximar de Deus, mas foi inútil. Não consegui me aproximar Dele”. Tais pessoas não têm Deus no coração; só têm a si mesmas no coração e simplesmente não podem pôr a verdade em prática em qualquer coisa que façam. Não agir de acordo com a verdade significa fazer as coisas segundo a própria vontade, e fazer as coisas segundo a própria vontade significa abandonar Deus; ou seja, elas não têm Deus no coração. As ideias humanas geralmente parecem boas e certas para as pessoas, parecem como se não violassem muito a verdade. As pessoas acham que fazer as coisas de tal maneira seria pôr a verdade em prática; acham que fazer as coisas dessa maneira seria submeter-se a Deus. Na verdade, elas não estão verdadeiramente buscando a Deus ou orando a Deus por isso, e elas não estão se esforçando para fazê-lo bem, em concordância com as exigências de Deus, a fim de satisfazer a Sua vontade. Elas não possuem esse estado verdadeiro, nem têm tal desejo. Esse é o maior engano que as pessoas cometem em sua prática. Você acredita em Deus, mas não mantém Deus em seu coração. Como isso não é pecado? Você não está se enganando? Que espécie de efeitos você pode colher se continuar acreditando desse modo? Além disso, como o significado de acreditar pode ser manifestado?

Extraído de ‘Buscar a vontade de Deus é para o bem da prática da verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Apenas desempenhar seu dever mecanicamente é um grande tabu. Se você continuar agindo dessa forma, não poderá cumprir adequadamente seu dever. Você deve colocar seu coração nisso! Essa oportunidade foi muito difícil para as pessoas encontrarem! Quando Deus lhes dá uma chance, mas elas não a agarram, então essa oportunidade se perde — e mesmo se, mais tarde, elas quiserem encontrar tal oportunidade, ela pode não surgir novamente. A obra de Deus não espera por ninguém, nem as chances de alguém cumprir seu dever. Algumas pessoas dizem: “Não cumpri direito o meu dever antes, mas agora ainda desejo cumpri-lo, então desta vez estou decidido; serei um pouco mais consciencioso, trabalharei um pouco mais e farei um bom trabalho ao completá-lo”. Contudo, às vezes essa oportunidade não existe mais. Não surgem muitas oportunidades, então você deve se apossar delas quando elas surgirem. Quando confrontado com um dever que precise de seu esforço e dispêndio, e que exija a dedicação de seu corpo, mente e tempo, você não deve reter nada, nem abrigar quaisquer esquemas, nem deixar qualquer margem. Se deixar alguma margem, se for calculista ou malicioso e traiçoeiro, então você está fadado a fazer um trabalho ruim. Talvez você diga: “Ninguém me viu agir de modo escorregadio. Que legal!”. Que tipo de pensamento é esse? Você acha que conseguiu tapar os olhos das pessoas e de Deus também. Na verdade, porém, Deus sabe o que você fez, ou não? (Ele sabe.) Geralmente, as pessoas que interagem com você durante muito tempo também descobrirão e dirão que você é uma pessoa que sempre é escorregadia, nunca é diligente e só investe cinquenta ou sessenta por cento do seu esforço, ou, no máximo, oitenta. Dirão que você faz tudo de uma maneira muito confusa, fechando os olhos para o que está fazendo; você não é nem um pouco consciente em seu trabalho. Se é obrigado a fazer algo, só então você faz um pouco de esforço; se há alguém por perto para verificar se seu trabalho é de qualidade, então você faz um trabalho um pouco melhor — mas se ninguém está por perto para verificar, você fica um pouco desleixado. Se você foi tratado, você se empenha muito; caso contrário, sempre cochila no trabalho e tenta se safar como puder, supondo que ninguém notará. O tempo passa, e as pessoas percebem. Elas dizem: “Essa pessoa não é confiável e não é digna de confiança; se lhe derem um dever importante para fazer, ela precisará de supervisão. Ela pode fazer tarefas e trabalhos comuns que não envolvem princípios, mas se lhe derem qualquer dever vital para cumprir, muito provavelmente ela estragará tudo, e então você terá sido enganado”. As pessoas a enxergarão perfeitamente, e ela terá descartado toda e qualquer dignidade e integridade. Se ninguém pode confiar nela, como Deus pode fazê-lo? Deus lhe confiaria qualquer tarefa importante? Tal pessoa não é digna de confiança.

Extraído de ‘A entrada na vida deve iniciar com a experiência de cumprir o dever da pessoa’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

As pessoas devem acercar-se tanto do dever quanto de Deus com um coração honesto — isso é temor de Deus. Que atitude as pessoas devem ter ao tratar Deus com um coração honesto? As pessoas devem se dedicar a Deus em seu dever, sem perguntar se isso lhes trará desastre ou bênção, sem estabelecer condições e se submetendo às orquestrações de Deus; tal pessoa tem um coração honesto. Aquelas que sempre duvidam, que sempre impõem condições e que se empenham em investigação incessante têm um coração honesto? O que há dentro do coração dessa pessoa? Dentro de seu coração, há engano e maldade, e ela está sempre engajada em investigar. Quando acontece algo que afeta seus interesses pessoais, elas ponderam: “O que Deus estava pensando quando Ele fez isso comigo e quando Ele arranjou essa situação para mim? Isso é algo que aconteceu com outras pessoas? Depois que eu terminar de passar por isso, quais serão as consequências?”. Elas investigam essas questões; elas investigam o que podem ganhar ou perder, se o assunto em questão lhes trará desastre ou bênção. Uma vez que começam a investigar essas questões, elas são capazes de praticar a verdade? Elas são capazes de obedecer a Deus? Quando começam a cumprir um dever, elas investigam sobre ele e perguntam: “Eu vou sofrer se cumprir esse dever? Terei de ficar muito tempo longe de casa? Poderei fazer refeições regulares e descansar? E com que tipo de pessoa entrarei em contato?”. Embora na superfície elas aceitem esse dever, em seu coração elas abrigam o engano e estão constantemente investigando essas coisas. Na verdade, todas essas coisas que elas investigam estão relacionadas com seus interesses pessoais; elas não consideram os interesses da casa de Deus, apenas seus interesses próprios. Se as pessoas consideram apenas seus interesses próprios, para elas não é fácil praticar a verdade e elas não têm verdadeira obediência a Deus. No final, o que acontece com muitas dessas pessoas que se dedicam a esse tipo de investigação? Algumas se rebelam contra Deus; isto é, elas fazem coisas cheias de emoções negativas e ficam de olho enquanto trabalham. Que tipo de caráter é esse que produz essas emoções? É engano e maldade; chegando ao ponto de serem más, essas pessoas estão se opondo a Deus! Quando as pessoas ficam constantemente investigando e sua atenção é dividida, elas podem cumprir adequadamente seu dever nesse estado? Elas não adoram a Deus com honestidade e com seu espírito, elas não têm coração honesto e, enquanto cumprem seu dever, estão sempre vigilantes e se poupando. Qual é a consequência disso? Deus não opera nelas; não importa o que façam, elas não conseguem encontrar os princípios, e o que quer que façam sempre dá errado. Por que as coisas sempre dão errado? Às vezes, não é Deus que as expõe, elas é que se arruínam. Elas não têm consideração alguma pela obra da casa de Deus ou pelos interesses da casa de Deus; elas estão sempre tramando em função de si mesmas e fazendo planos a favor do seu prestígio e status. Elas continuam fazendo isso e então começam a se desviar. Entre fazer planos para favorecer seus interesses e suas perspectivas futuras, e ter consideração pela obra da casa de Deus e pelos interesses da casa de Deus, o resultado de suas ações é o mesmo? Não, o resultado certamente não é o mesmo. Elas estão expostas, e esse comportamento não constitui o cumprimento de um dever; a essência e a natureza das ações dessa pessoa mudaram. Se for apenas a questão de uma perda menor, elas ainda terão a possibilidade de serem salvas — elas ainda terão uma chance. Mas se uma grande perda for causada, ainda há alguma chance para elas? Se o assunto em questão for um caso sério, a ponto de causar transtornos e perturbações, a pessoa envolvida deve ser substituída e eliminada; algumas pessoas foram eliminadas exatamente dessa maneira. Vocês descobriram qual é a raiz disso? A raiz da questão é que as pessoas estão sempre pensando em interesses próprios, e elas se deixam levar por eles, sem um pingo de verdade para estabelecer um fundamento, sem um pingo de atitude de obediência a Deus. Como, então, as pessoas deveriam obedecer? Aqui está uma senda para praticar. Quando encontram um problema, a primeira coisa que algumas pessoas pensam é: “Se eu fizer deste jeito, os interesses da casa de Deus sofrerão; se eu fizer daquele jeito, não sofrerão — mas eu serei humilhado e sofrerei muito, terei que gastar mais tempo pesquisando as coisas e consultando outras pessoas”. Elas ficam revirando isso em sua mente: “Não faz mal se os interesses da casa de Deus sofrerem um pouco. Eu farei desse jeito, tenho a última palavra nessa questão, não há necessidade de discutir isso com todos”. Acham que agir desse jeito ostentará seu status e valor, mostrará aos outros que elas são decididas, experientes e capazes, não fracas, vacilantes e hesitantes — contudo, no fim, quando a coisa estiver feita, elas serão aqueles que perturbaram, interromperam e prejudicaram o trabalho da casa de Deus, e serão expostas e eliminadas. Essas serão as consequências. Mas se elas se submetessem aos arranjos e orquestrações de Deus e agissem de acordo com as verdades-princípio, o desfecho seria diferente. Ao se deparar com um problema, elas não seriam as pessoas com a última palavra; várias pessoas comungariam e se consultariam, e uma vez que o Espírito Santo começasse a operar, as pessoas seriam esclarecidas em seu coração, perceberiam as falhas e os erros em agir de acordo com a imaginação do homem, encontrariam uma senda melhor, e os interesses da casa de Deus não seriam prejudicados. Apesar de que sua identidade, status, independência e competência individuais não se destacariam quando todos comungassem e se consultassem, os interesses da casa de Deus não seriam prejudicados. O desfecho seria, portanto, diferente. Mesmo assim, eles seriam substituídos? (Não.) Esse é um caso de ser lembrado por Deus. Se, quando encontrarem um problema, as pessoas forem capazes de agir de acordo com as verdades-princípio, Deus assegurará tudo nos bastidores. Se as pessoas estiverem sempre tramando, calculando e inventando esquemas para proteger os próprios interesses, sem sequer pensar nos interesses ou na vontade de Deus, e não tiverem a menor inclinação de obedecer aos arranjos e orquestrações de Deus — se lhes faltar até mesmo essa inclinação — qual será o desfecho final? Elas se darão mal; serão expostas como aquilo que são. Isso é o que merecem? Essas pessoas são dignas de simpatia? (Não.) Esse é o desfecho inevitável de tramar em prol dos próprios interesses.

Extraído de ‘Só buscando as verdades-princípio é possível realizar bem o seu dever’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Algumas pessoas sempre temem que outros roubem seus holofotes e as ultrapassem, obtendo reconhecimento, enquanto elas mesmas são negligenciadas. Isso as leva a atacar e excluir os outros. Isso não é um caso de ter inveja de pessoas mais capazes do que elas mesmas? Tal comportamento não é egoísta e desprezível? Que tipo de caráter é esse? É malicioso! Pensar apenas em si mesmo, satisfazer apenas seus próprios desejos, não demonstrar consideração pelos deveres de outros e pensar apenas em seus próprios interesses e não nos interesses da casa de Deus — pessoas desse tipo têm um caráter ruim, e Deus não tem amor por elas. Se você for realmente capaz de ter consideração pela vontade de Deus, então você será capaz de tratar outras pessoas de forma justa. Se você der a alguém a sua recomendação e essa pessoa for cultivada em uma pessoa de talento, trazendo assim mais uma pessoa talentosa para a casa de Deus, você não terá feito bem o seu trabalho? Você não terá sido leal no cumprimento de seu dever? Isso é uma boa ação diante de Deus e é o tipo de consciência e razão que as pessoas deveriam possuir. Aqueles que são capazes de pôr a verdade em prática podem aceitar o escrutínio de Deus quando fazem as coisas. Quando você aceita o escrutínio de Deus, seu coração é ereto. Se só faz as coisas sempre para os outros verem e não aceita o escrutínio de Deus, então Deus ainda está no seu coração? Pessoas assim não têm reverência por Deus. Não faça as coisas sempre pelo seu próprio bem, nem considere constantemente os interesses próprios; não pense em seu status, prestígio ou reputação. Tampouco considere os interesses do homem. Primeiro, você precisa pensar nos interesses da casa de Deus e fazer deles a sua primeira prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se você tem sido impuro ou não no cumprimento de seu dever, se você fez ou não o melhor que pôde para ser leal, se você fez o melhor que pôde para cumprir suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você pensou de todo o coração ou não sobre seu dever e a obra da casa de Deus. Você deve considerar essas coisas. Reflita sobre elas com frequência e será mais fácil para você cumprir bem o seu dever. Se seu calibre é baixo, sua experiência é superficial ou se você não é competente em seu trabalho profissional, então pode haver alguns erros ou deficiências em seu trabalho e os resultados podem não ser muito bons — mas você terá feito o maior esforço. Quando não estiver pensando em seus próprios desejos egoístas nem considerando seus interesses próprios nas coisas que faz, mas, em vez disso, estiver dando consideração constante ao trabalho da casa de Deus, tendo seus interesses em mente e desempenhando bem o seu dever, então, você estará acumulando boas obras perante Deus. Pessoas que realizam essas boas obras são aquelas que possuem verdade-realidade; como tais, elas têm dado testemunho. Se está vivendo sempre segundo a carne, constantemente satisfazendo os próprios desejos egoístas, então tais pessoas não possuem verdade-realidade; essa é a marca de trazer desonra para Deus. Você diz: “Não fiz nada; como eu trouxe vergonha para Deus?”. Em seus pensamentos e ideias, nas intenções, nos objetivos e motivos por trás de suas ações e nas consequências do que fez — de todas as maneiras você está satisfazendo Satanás, está sendo seu motivo de riso e lhe permitindo conseguir algo de você. Nem de longe você possui o testemunho que deveria possuir como cristão. Você desonra o nome de Deus em todas as coisas e não possui um testemunho genuíno. Deus Se lembrará das coisas que você fez? No fim, que conclusão Deus vai tirar dos seus atos e do dever que você desempenhou? Não tem de vir algo disso, algum tipo de declaração? Na Bíblia, o Senhor Jesus diz: “Muitos Me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em Teu nome, e em Teu nome não expulsamos demônios, e em Teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade”. Por que o Senhor Jesus disse isso? Por que aqueles que curam doentes e expulsam demônios em nome do Senhor, que viajam para pregar em nome do Senhor, se tornaram malfeitores? Quem são esses malfeitores? São aqueles que não acreditam em Deus? Todos eles acreditam em Deus e seguem a Deus. Também desistem de coisas por Deus, se despendem por Deus e desempenham seu dever. No entanto, ao desempenhar o dever, eles carecem de devoção e testemunho, de modo que isso se converteu em fazer o mal. É por isso que o Senhor Jesus diz: “Apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade”.

Extraído de ‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Por trás das Minhas costas, muitas pessoas cobiçam os benefícios do status, fartam-se de comida, adoram dormir e dão todo cuidado à carne, sempre temendo que não haja saída para a carne. Elas não desempenham suas funções corretas na igreja, mas se aproveitam da igreja, ou então repreendem seus irmãos e irmãs com Minhas palavras, colocando-se como senhores sobre outros a partir de posições de autoridade. Essas pessoas ficam dizendo que estão fazendo a vontade de Deus e sempre dizem que são íntimas de Deus — isso não é absurdo? Se você tem as intenções certas, mas é incapaz de servir de acordo com a vontade de Deus, então está agindo como um tolo; mas se as suas intenções não são certas, e mesmo assim você diz que serve a Deus, então você é alguém que se opõe a Deus e devia ser punido por Ele! Não tenho compaixão alguma por pessoas assim! Na casa de Deus, elas se aproveitam, sempre cobiçando os confortos da carne, e não levam em consideração os interesses de Deus. Sempre buscam o que é bom para elas e não prestam atenção à vontade de Deus. Não aceitam o escrutínio do Espírito de Deus em nada que fazem. Estão sempre manobrando e enganando seus irmãos e irmãs, sendo falsas, como uma raposa numa vinha, sempre roubando as uvas e pisoteando as vinhas. Tais pessoas podem ser íntimas de Deus? Você está apto a receber as bênçãos de Deus? Você não assume fardo algum por sua vida e pela igreja, você está apto a receber a comissão de Deus? Quem ousaria confiar em alguém como você? Quando você serve dessa maneira, será que Deus arriscaria confiar-lhe uma tarefa maior? Isso não causaria atrasos na obra?

Extraído de ‘Como servir em harmonia com a vontade de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Atualmente, pede-se que você lidere um número de igrejas, mas você não só não desiste de si mesmo, mas até se agarra às suas próprias noções e opiniões, dizendo coisas como: “Acho que essa coisa deveria ser feita dessa maneira, visto que Deus disse que não devemos ser restritos pelos outros e que, hoje em dia, não devemos nos submeter cegamente”. Portanto, cada um de vocês se agarra à própria opinião, e ninguém obedece ao outro. Mesmo sabendo claramente que seu serviço se encontra num impasse, vocês ainda dizem: “A meu ver, meu jeito não está longe da meta. Em todo caso, cada um de nós tem um lado: você fala do seu, e eu falarei do meu; você comunica suas visões, e eu falarei da minha entrada”. Vocês nunca assumem responsabilidade pelas muitas coisas que deveriam ser tratadas ou simplesmente improvisam, cada um botando para fora as próprias opiniões e prudentemente protegendo o status, a reputação e a face de vocês. Nenhum de vocês está disposto a se humilhar, e nenhum lado toma a iniciativa para desistir de si mesmo e compensar as deficiências uns dos outros para que a vida possa progredir mais rapidamente. Quando vocês estão coordenando juntos, vocês deveriam aprender a buscar a verdade. Talvez vocês digam: “Eu não tenho um entendimento claro desse aspecto da verdade. Que experiência você tem com isso?” Ou talvez vocês digam: “Você tem mais experiência do que eu no que diz respeito a esse aspecto; você poderia, por favor, me oferecer alguma orientação?”. Essa não seria uma boa maneira de resolver isso? Vocês ouviram muitos sermões e têm alguma experiência em prestar serviço. Se vocês não aprenderem uns com os outros, não ajudarem uns aos outros e não compensarem as deficiências uns dos outros quando trabalharem nas igrejas, como, então, poderão aprender quaisquer lições? Sempre que se depararem com qualquer coisa, vocês deveriam se comunicar uns com os outros para que sua vida possa se beneficiar. Além do mais, vocês deveriam se comunicar cuidadosamente sobre coisas de qualquer tipo antes de tomar qualquer decisão. Só se fizerem isso, vocês estarão assumindo responsabilidade pela igreja em vez de simplesmente agirem superficialmente. Após visitarem todas as igrejas, vocês deveriam se reunir e comunicar todas as questões que descobrirem e quaisquer problemas encontrados em seu trabalho, e então vocês deveriam comunicar o esclarecimento e a iluminação que vocês receberam — essa é uma prática de serviço indispensável. Vocês devem alcançar cooperação harmoniosa para o propósito da obra de Deus, para o benefício da igreja e a fim de incentivar seus irmãos e irmãs a avançarem. Vocês devem se coordenar uns com os outros, cada um corrigindo o outro e alcançando um resultado de trabalho melhor, a fim de cuidar da vontade de Deus. Isso é que é cooperação verdadeira, e apenas aqueles que se engajarem nela ganharão entrada verdadeira. Enquanto cooperam, algumas das palavras que você diz podem ser inapropriadas, mas isso não importa. Conversem sobre isso mais tarde e ganhem um entendimento claro sobre isso; não negligenciem isso. Depois desse tipo de comunhão, vocês podem compensar as deficiências de seus irmãos ou irmãs. Apenas se aprofundando cada vez mais em seu trabalho dessa maneira, vocês podem alcançar resultados melhores. Cada um de vocês, como pessoas que servem a Deus, deve ser capaz de defender os interesses da igreja em tudo que faz, em vez de simplesmente considerar seus próprios interesses. É inaceitável agirem sozinhos, boicotando uns aos outros. Pessoas que se comportam dessa maneira não são aptas para servir a Deus! Tais pessoas têm um caráter terrível; não resta nelas um pingo de humanidade. São cem por cento Satanás! São bestas! Mesmo agora, tais coisas ainda ocorrem entre vocês; vocês chegam até a atacar uns aos outros durante a comunhão, intencionalmente buscando pretextos e ficando todos vermelhos no rosto enquanto brigam por causa de algum assunto trivial, nenhuma pessoa estando disposta a tirar o foco de si mesmo, cada pessoa ocultando dos outros os seus pensamentos íntimos, observando intensamente a outra parte e sempre estando em guarda. Esse tipo de caráter condiz ao serviço a Deus? Um trabalho desse como o seu pode suprir qualquer coisa aos seus irmãos e irmãs? Você não só é incapaz de conduzir pessoas para o curso de vida correto, mas, na verdade, injeta seus próprios caracteres corruptos em seus irmãos e irmãs. Você não está ferindo os outros? Sua consciência é horrível e está totalmente podre! Você não entra na realidade, nem coloca a verdade em prática. Além disso, você descaradamente expõe sua natureza diabólica aos outros. Você simplesmente não tem vergonha! Esses irmãos e irmãs lhe foram confiados, no entanto, você os leva para o inferno. Você não é alguém cuja consciência se tornou podre? Você não tem absolutamente nenhuma vergonha!

Extraído de ‘Sirva como serviram os israelitas’ em “A Palavra manifesta em carne”

Algumas pessoas são irresponsáveis no cumprimento de seu dever. Isso resulta em trabalho que sempre precisa ser refeito, o que tem um impacto severo sobre o progresso adiante. Existem razões para isso, além das inadequações em experiência e inadequações profissionais? O profissionalismo e a experiência podem ser adquiridos e acumulados gradativamente, mas se as pessoas têm problemas que envolvem seu caráter, como esse problema deveria ser resolvido? Isso exige que as pessoas sejam podadas e lidadas; exige que as pessoas monitorem umas às outras e que busquem a verdade. O maior problema que leva a um trabalho no cumprimento do dever que sempre precisa ser refeito não é inadequação profissional e não é experiência insuficiente; é que as pessoas são extremamente hipócritas e arrogantes e não cooperam em harmonia, mas agem sozinhas e arbitrariamente, com o resultado de que, quando terminam algo, seu trabalho não tem valor em si mesmo, e assim o esforço foi em vão. Qual é o problema mais sério por trás disso? (O caráter corrupto do homem.) Um caráter corrupto traz consigo enormes obstáculos. E quais aspectos de um caráter corrupto afetam o rendimento do desempenho do dever das pessoas? (Arrogância e hipocrisia.) Como a arrogância e a hipocrisia se manifestam no comportamento? Tomando decisões sozinho, não ouvindo os outros, não consultando os outros, não cooperando harmoniosamente e sempre querendo ter a última palavra sobre as coisas. Mesmo que alguns bons irmãos e irmãs possam estar cooperando para cumprir um dever específico, cada um deles cuidando de sua própria tarefa, o líder do grupo ou a pessoa responsável sempre quer ter a última palavra; não importa o que façam, nunca cooperam harmoniosamente com os outros e não se envolvem em comunicação, e precipitadamente começam a fazer as coisas sem antes chegar a um consenso com os outros. Eles fazem com que todos ouçam apenas a eles, e é aqui que está o problema. Além do mais, quando os outros veem o problema, mas não se manifestam para impedir a pessoa responsável, isso acaba resultando numa situação em que todos os envolvidos precisam refazer seu trabalho, extenuando-se ao longo do processo. Assim, as outras pessoas também têm uma responsabilidade? (Sim.) De um lado, a pessoa responsável age sozinha e arbitrariamente, insistindo em fazer as coisas do seu jeito, e os outros não fazem nada para impedi-la e, o que é ainda mais sério, eles a acompanham; isso não os transforma em cúmplices? Se você não restringir, bloquear ou expuser essa pessoa, mas, antes, a acompanha e permite que ela o manipule, você não está dando asas ao trabalho de assédio de Satanás? Esse é certamente o seu problema. Por outro lado, quando você vê um problema, mas não o relata e, em vez disso, exerce seu papel como alguém que diz sim a tudo, isso não é uma expressão de deslealdade? Sim, é exatamente isso — uma expressão de deslealdade para com Deus. O que torna esse problema tão sério que é você sempre age como cúmplice de Satanás, você serve como seu lacaio e seguidor e você não tem um pingo de lealdade para com o seu dever e responsabilidade, mas é bem leal a Satanás. No que diz respeito à inadequação profissional, é possível aprender constantemente e juntar suas experiências durante o trabalho. Tais problemas podem ser resolvidos facilmente. A coisa mais difícil a se resolver é o caráter corrupto do homem. Se isso não for resolvido, se vocês não buscarem a verdade, mas ficarem sempre cedendo e dizendo sim a tudo, se vocês não assumirem responsabilidade e se, quando alguém fizer algo errado, vocês não lançarem luz sobre isso nem o expuserem e não lidarem com ele, e se vocês tratarem o trabalho da casa de Deus como uma piada, como uma brincadeira e se vocês não cumprirem seu dever e sua responsabilidade, então o progresso do trabalho será atrasado vez após vez. Tal desempenho do dever é desleal.

Extraído de ‘O cumprimento adequado dos deveres exige cooperação harmoniosa’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Algumas pessoas têm um medo especial de assumir responsabilidade. Quando a casa de Deus lhes atribui um trabalho, elas querem saber se ele envolve assumir responsabilidade. Quando alguém lhes diz: “Você definitivamente terá que assumir alguma responsabilidade e certamente será tratado se não fizer um bom trabalho”, elas dizem: “Então me deixe pensar a respeito primeiro”. Elas refletem sobre isso de um dia para o outro e, no dia seguinte, recusam, dizendo: “Eu refleti sobre isso com muito cuidado e sinto que não sou apto para esse dever. Acho que você deveria procurar outra pessoa”. O que essa pessoa está recusando? Está recusando uma comissão. Existem alguns que, quando recebem uma tarefa, primeiro imaginam que será fácil, como se estivessem fazendo um trabalho entre incrédulos, um trabalho que pode ser feito com apenas um pouco de esforço. Então, quando veem que o trabalho não é tão fácil quanto imaginavam, inventam uma manobra: “Para me livrar da responsabilidade, relatarei imediatamente qualquer problema que encontrar e deixarei o líder lidar com ele. O líder pode tratar dele do jeito que quiser. Já terei feito meu relato, então caberá ao líder lidar com ele. Terei lavado minhas mãos nessa questão. Se ele lidar bem com isso, posso continuar fazendo esse trabalho; caso contrário, nada terá a ver comigo. Não serei tratado e, no pior dos casos, não será ruim o bastante para que eu seja demitido, muito menos que seja expulso da igreja”. Essa é sua intenção. Como resultado, no momento em que se deparam com um problema, a única coisa que fazem é telefonar para o líder e dizer que não conseguem resolvê-lo sozinhos. Se o líder lhes disser o que devem fazer, eles encontrarão alguma outra desculpa para não o fazer e pedirão que o líder cuide disso. Confrontados com um problema, eles não refletem sobre ele, nem buscam as verdades-princípio por trás dele, nem tentam descobrir uma maneira de lidar com ele. Em vez disso, fazem de tudo para encontrar um líder para cuidar dele, sempre tentando se livrar de sua responsabilidade sem refletir sobre como eles mesmos poderiam cuidar disso. Cumprir seu dever dessa maneira é demonstrar devoção a Deus? (Não.) Isso se chama livrar-se de responsabilidade e negligenciar seu dever. Eles se comportam de maneira dissimulada e se recusam a assumir responsabilidade. Só dão seu trabalho, não dão seu coração. Pensam: “O que acontece se eu assumir isso e acabar cometendo um erro?”. Essa é sua maior preocupação. Bem, você pode tentar não cometer erros? Todos cometem erros. Se suas intenções forem corretas, mas lhes faltar experiência, se nunca lidaram com um problema semelhante antes, mas, mesmo assim, fazem tudo que podem, você acha que Deus verá isso? Eles acham que não. Eles dizem: “Não, quando chegar a hora, terei que assumir a culpa por qualquer erro. Que sentido faz investir meu coração em tentar? Quem saberá que eu tentei com todo o meu coração? Quem verá? Não serei eu aquele com que lidarão? Não serei eu o principal responsável? Com quem poderei conversar sobre as injustiças que sofro?”. Como poderia haver injustiça na casa de Deus? Mesmo que alguém lide com você incorretamente, Deus pode ver isso. Você deve acreditar nisso. Deus examina todas as coisas, e Ele examina o coração das pessoas. Se você não acredita nem mesmo nisso, então não faz nenhuma diferença se você cumpre ou não o seu dever. Com medo de assumir responsabilidade, a primeira coisa que essas pessoas fazem sempre que ocorre um problema é procurar um líder. Elas relatam o problema ao líder em vez de lidar com ele e resolvê-lo primeiro por conta própria. É claro, existem algumas pessoas que informam o líder enquanto estão trabalhando no problema pessoalmente, mas outros não fazem isso — depois de informar o líder, ficam sentados e esperam, em vez de administrar o problema proativamente. Passivamente, aguardam ordens. Só agem quando o líder aponta o caminho e só fazem o que o líder os instrui a fazer. Não fazem nada a não ser que recebam instruções; em vez disso, ficam procrastinando, esperando que alguém grite com eles ou os obrigue a agir com o chicote. Esse tipo de pessoa está cumprindo seu dever? Isso não é nem mesmo prestar serviço com devoção; não são dignos de cumprir um dever. Algumas pessoas foram eliminadas por terem essa atitude em relação ao cumprimento do seu dever. Mesmo agora podem não entender: “Por que fui mandado embora tão friamente quando me dedicava com tanto entusiasmo ao meu dever?”. Nem mesmo agora entendem. É provável que aqueles que não buscam a verdade passem a vida inteira sem entender, explicando-o com sua própria lógica. Pensam: “A autoproteção é instintiva e é algo que devemos fazer. Quem não protege a si mesmo? Quem não reserva uma rota de fuga para si mesmo?”. Se você protege a si mesmo e reserva uma rota de fuga para si mesmo, você está colocando a verdade em prática? Você está cumprindo seu dever na casa de Deus, agora. Qual é o primeiro princípio de cumprir um dever? É que primeiro você deve cumprir seu dever com todo o seu coração, sem poupar nenhum esforço, para que você possa proteger os interesses da casa de Deus. Essa é uma verdade-princípio, algo que você deve colocar em prática. Reservar uma rota de fuga para si mesmo e proteger a si mesmo é o princípio de prática seguido pelos incrédulos, sua mais alta filosofia. Pensar primeiro em si mesmo, em todas as coisas, e colocar seus interesses acima de tudo, não pensar nos outros, não ter conexão alguma com os interesses da casa de Deus e com os interesses dos outros, pensar primeiro em interesses próprios e depois pensar em sua rota de fuga — não é disso que se trata um incrédulo? É exatamente assim um incrédulo padrão. Esse tipo de pessoa não está apto a cumprir um dever.

Extraído de ‘Eles queriam que os outros obedecessem apenas a eles, não à verdade nem a Deus (I)’ em “Expondo os anticristos”

Qual é o caráter da irresponsabilidade? É a astúcia. O item mais marcante nas filosofias de vida do homem é a astúcia. As pessoas pensam que, se não forem astutas, serão suscetíveis a ofender os outros e incapazes de se proteger; elas pensam que devem ser astutas o suficiente para não desagradar ou machucar ninguém, mantendo-se assim seguras, protegendo seu sustento e ganhando uma posição firme entre as multidões. É assim que as pessoas agem no mundo dos incrédulos; por que algumas pessoas na casa de Deus ainda agem assim? Quando veem algo prejudicando os interesses da casa de Deus, elas não dizem nada; também podem dizer: “Se alguém mais quiser falar disso, que deixem — eu não falarei. Eu não desagradarei ninguém nem arriscarei meu pescoço”. Isso é irresponsabilidade e astúcia, e tais pessoas não são confiáveis. A fim de proteger sua autoestima, reputação, integridade e dignidade, devolverão o dinheiro que encontrarem ao seu dono, terão alegria em ajudar os outros, entregarão sua vida por uma causa justa, farão qualquer coisa pelos outros e não hesitarão em pagar qualquer preço. Porém, quando é necessário proteger os interesses da casa de Deus, proteger a verdade e a justiça, tudo isso evapora, e elas não praticam mais a verdade. Qual é o problema? Existe um caráter que opera aqui, um caráter de detestar a verdade. Por que digo que eles têm um caráter de detestar a verdade? Isso provém do fato de que, no momento em que algo toque a realidade das coisas positivas, as pessoas fogem e recuam. Embora possam sentir uma medida de autocensura por dentro, elas não dão atenção e querem suprimir isso, e pensam: “Eu não farei isso — seria tolice”, ou então pensam que não é uma questão importante e simplesmente podem falar disso em outra hora. Quando se trata de defender a justiça e as coisas positivas, eles fogem e não assumem responsabilidade. Elas fazem vista grossa e não levam a questão a sério. Isso é um exemplo de não ter amor pelas coisas positivas e de detestar a verdade. Então, como você deve praticar quando esse problema surgir? Quais são os princípios? Se uma questão diz respeito aos interesses da casa de Deus ou a dar testemunho de Deus, então você deve tratá-la tão seriamente quanto trataria seus próprios interesses, sem deixar pedra sobre pedra — essa é a atitude de quem ama a verdade e as coisas positivas, de quem assume a responsabilidade. Se vocês não tiverem essa atitude e forem nada além de negligentes ao lidar com as coisas e pensarem: “Farei as coisas dentro do escopo de meu próprio dever, mas não me importo com mais nada. Se você me perguntar algo, eu lhe responderei — se eu estiver de bom humor. Caso contrário, não responderei. Essa é a minha atitude”, então esse é o tipo de caráter que você tem. Apenas proteger a própria posição, reputação, autoestima e apenas proteger as coisas que dizem respeito aos seus próprios interesses — é desse modo que se protege uma causa justa? Protegem coisas positivas? Esses motivos mesquinhos e egoístas são um caráter de detestar a verdade. A maioria de vocês frequentemente expressa esses tipos de comportamento e, no momento em que encontra algo que diz respeito aos interesses da família de Deus, você prevarica e diz: “Eu não vi… Eu não sei… Eu não ouvi…”. Independentemente de realmente não saber de algo ou fingir que não sabe, em suma, há um caráter em ação aqui.

Extraído da comunhão de Deus

A maioria das pessoas deseja buscar e praticar a verdade, mas, na maior parte do tempo, só têm a determinação e o desejo de fazê-lo; elas não possuem a vida da verdade dentro de si. Como resultado, quando deparam com forças malignas ou encontram pessoas perversas e más cometendo atos malignos ou falsos líderes e anticristos fazendo coisas de uma maneira que viole princípios — assim fazendo com que a obra da casa de Deus sofra perdas e prejudicando os escolhidos de Deus — elas depois perdem a coragem de se manifestar e se pronunciar. O que significa quando você não tem coragem? Significa que você é tímido ou inarticulado? Ou é que você não entende completamente e portanto não tem confiança para se pronunciar? Não é nada disso; é que você está sendo controlado por vários tipos de caracteres corruptos. Um desses caracteres é astúcia. Você pensa primeiro em si mesmo, pensando: “Se eu me pronunciar, como isso me beneficiará? Se eu me pronunciar e desagradar alguém, como conviveremos no futuro?” Essa é uma mentalidade astuta, certo? Isso não é o resultado de um caráter astuto? Outro é um caráter egoísta e mau. Você pensa: “O que uma perda aos interesses da casa de Deus tem a ver comigo? Por que deveria me importar? Não tem nada a ver comigo. Ainda que eu veja ou ouça acontecer, não preciso fazer nada. Não é responsabilidade minha — não sou um líder”. Essas coisas estão dentro de você, como se tivessem brotado de sua mente inconsciente e como se ocupassem posição permanente em seu coração — elas são o caráter satânico corrupto do homem. Esse caracteres corruptos controlam os seus pensamentos e atam suas mãos e seus pés e controlam a sua boca. Quando você quer dizer algo no seu coração, as palavras alcançam seus lábios, mas você não as diz, ou, se chega a falar, suas palavras saem aos rodeios, deixando-lhe espaço de manobra — você não fala com nenhuma clareza. Os outros não sentem nada depois que o ouvem, e o que você disse não resolveu o problema. Você pensa consigo mesmo: “Bem, eu falei. Minha consciência está tranquila. Cumpri com a minha responsabilidade”. Na verdade, você sabe em seu coração que não disse tudo que deveria, que o que disse não teve efeito algum e que o detrimento à obra da casa de Deus permanece. Você não cumpriu com a sua responsabilidade, entretanto fala em alto e bom som que cumpriu com a sua responsabilidade ou que não tinha certeza do que estava acontecendo. Você não está, então, totalmente sob o controle de seus caracteres satânicos corruptos? Ainda que aquilo que você pensa em seu coração e as coisas que você acredita que estão certas sejam positivas e de acordo com a verdade, você não é dono da sua boca, e o que você diz nunca corresponde ao que está em seu coração. Suas palavras precisam sempre ser processadas pela sua mente e os seus pensamentos antes que sejam ditas em voz alta. Os outros não sabem dizer qual é o significado por trás delas, e você fica muito satisfeito consigo. Você não se importa se o seu trabalho está feito ou não — essa é a sua mentalidade. Seu caráter corrupto satânico está controlando você; você nem é mestre de sua própria boca. Mesmo se desejar exprimir palavras honestas, você é incapaz e tem medo de dizê-las. Você não é capaz de praticar nem mesmo um décimo de milésimo das coisas que deveria fazer, das coisas que deveria dizer e da responsabilidade que deveria assumir; suas mãos e pés estão atados por seu caráter corrupto satânico. Você não está no comando de forma alguma. Seu caráter satânico corrupto lhe diz como falar, então você fala daquele jeito; ele lhe diz o que fazer, então você o faz. Em seu coração, você pensa: “Vou me esforçar muito desta vez, e vou orar a Deus. Devo assumir uma postura e repreender aqueles que interrompem o trabalho da casa de Deus, que são irresponsáveis em seu dever. Devo assumir essa responsabilidade”. Assim, com grande dificuldade, você junta sua coragem e se manifesta. Como resultado, assim que a outra pessoa se irrita, você fica paralisado e recua. Você está realmente no controle? Que utilidade teve a sua coragem? Que utilidade teve a sua determinação, sua resolução? Elas foram inúteis. Todos vocês certamente já se viram em situações semelhantes, muitas vezes, e, no fim, todos vocês imploram por misericórdia, dizendo: “Acabou. Eu não amo a verdade; parece que fui eliminado e sou incapaz de buscar a verdade”. É verdade que você não ama a verdade, mas que tem buscado a verdade? Você não busca a verdade, menos ainda a pratica. Você apenas continua orando, consolidando sua determinação, fazendo resoluções, prestando juramentos. E em que isso tudo tem resultado? Você ainda é um bajulador: “Não provocarei ninguém nem ofenderei ninguém. Se uma questão não for de meu interesse, ficarei fora dela; não direi nada sobre coisas que não tenham a ver comigo, e isso sem exceção. Se alguma coisa for injuriosa a meus próprios interesses, a meu orgulho ou a meu autorrespeito, eu ainda não darei nenhuma atenção a nada disso e abordarei tudo isso com cautela; não devo agir precipitadamente. O prego que se salienta é atingido primeiro, e eu não sou tão tolo assim!” Você está totalmente sob o controle de seus caracteres corruptos de maldade, astúcia, dureza e detestação da verdade. Eles estão acabando com você, e tornou-se ainda mais difícil aguentá-los do que o Arco Dourado usado pelo Rei Macaco. Viver sob o controle de um caráter corrupto é tão exaustivo e excruciante! O que vocês acham disto: se vocês não buscam a verdade, é fácil livrar-se da sua corrupção? Esse problema pode ser resolvido? Eu lhes digo, se vocês não buscarem a verdade e forem confusos em sua crença, ouvir sermões por quantos anos que sejam será inútil, e se vocês persistirem nesse caminho até o fim, então, no melhor dos casos, vocês serão uma fraude religiosa e fariseus, e isso será o fim disso. Se você for ainda pior do que isso, é possível que venha um evento em que você cairá em tentação, e você perderá seu dever e trairá a Deus. Você terá caído. Você estará sempre à beira de um precipício! Neste momento, nada é mais importante do que buscar a verdade. É inútil buscar qualquer outra coisa.

Extraído de ‘Só aqueles que praticam a verdade são tementes a Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

A maioria das pessoas se torna arrogante quando desenvolve um pouco de habilidade, e quando têm uma habilidade especial em algo, elas se acham extraordinárias e descansam em suas conquistas. Não dão ouvidos a nada que os outros dizem, sentem-se incomparáveis nesse sentido — que caráter é esse? Isso é arrogância e insensatez. Digamos que alguém está cumprindo seu dever e outra pessoa lhe fornece um plano para cumpri-lo. No momento, ele responde de modo muito favorável e o anota, mas no momento em que o outro vira as costas, ele o esquece, esconde no fundo de sua mente sem qualquer intenção de executá-lo. Que atitude é essa, que tipo de caráter é esse? É um caráter hipócrita e arrogante. Existe alguma rigidez nisso? Existe certa rigidez e arrogância em toda pessoa. Quando alguém ouve algo de outra pessoa que é correto e sensato, se abordar a questão com a racionalidade de uma humanidade normal, ele vai achar que deve aceitar a sugestão. Isso significa necessariamente que ele será capaz de colocá-la em prática? De que tipo de atitude e estado mental ele precisa para fazer isso? Em primeiro lugar, precisa renunciar a suas imaginações, julgamentos ou equívocos preconcebidos, e extrair as coisas que são corretas, escrutinar e contemplá-las cuidadosamente, ser capaz de se alinhar com elas e colocá-las em prática. Essa não é uma atitude arrogante; é um tipo de atitude conscienciosa e responsável. É uma atitude de aceitar a verdade, de amar coisas positivas. Talvez, no momento, a sugestão da outra pessoa pareça maravilhosa, e, querendo preservar o respeito ou certa compreensão nesse momento, ele concorda com ela. Então, quando estiver trabalhando mais tarde, se fizer apenas o que precisa fazer, apenas o que quer, deixando a sugestão de lado, isso é uma atitude de praticar a verdade? Esse tipo de atitude é repugnante. Na superfície, ele consente com a cabeça e aceita, e até concorda de todo o coração, dizendo: “Deixe comigo. Não se preocupe com nada, prometo que cuidarei disso. Você não confia em mim? Não sabe que tipo de pessoa eu sou?”. Ele aparenta ter grande credibilidade e integridade, até chegar a hora em que precisa lidar com o assunto, e então sua atitude muda e suas ideias vêm à tona: “É isso que eu penso, e aos meus olhos essa maneira é maravilhosa, por isso farei do meu jeito”. Ele não se lembra daquilo que a outra pessoa lhe disse, não coloca em prática; pelo contrário, guarda-o no fundo de sua mente. Isso é arrogância, rebeldia; é não aceitar a verdade; é permitir que a sua vontade assuma a preferência. As ideias e visões dele assumem o controle, e ele guarda a verdade-princípio, as coisas positivas e as palavras de Deus no fundo de sua mente.

Algumas pessoas são muito colaborativas na frente dos outros, mas depois não fazem as coisas desse jeito, pensando: “Lidar com as questões de acordo com os princípios é tão penoso e exaustivo. Exige tanto tempo e tanta discussão. Farei desse jeito para evitar me poupar o trabalho. Mesmo que não concordem, todos deverão fazer do meu jeito. O que eu digo vale!”. Que atitude é essa? É astuta. Quando concordam com algo na hora, essas pessoas parecem ser sinceras, fiéis, honestas e piedosas, e também parecem ser capazes de aceitar as sugestões dos outros e a verdade. Mas isso muda quando chega a hora de fazer o trabalho. Por que a mudança? Por que sua atitude dá meia-volta? O que causa isso? Elas sentem que é sofrimento carnal excessivo, que é um incômodo grande demais. Tornam-se indispostas, desmotivadas. Não se importam nem um pouco com o que prometeram ou com que concordaram naquele momento nem se estão lidando com as questões de acordo com as verdades-princípio. Satisfazer sua própria carne se torna o mais importante — assume o primeiro lugar. As comissões de Deus são relegadas ao fim da linha e não são levadas a sério. Esse é alguém que assume responsabilidade? Esse é alguém que possui credibilidade? Esse é alguém que ama a verdade? Há também aqueles que garantem, na presença de alguém, que conseguem fazer bem a tarefa, para deixar o outro totalmente à vontade; dizem que se lembram dos princípios para lidar com aquilo. Mas surgem problemas no momento em que começam a trabalhar nisso. Desde o início, pensam: “Se eu fizer desse jeito, eu sofrerei alguma perda, meu orgulho será ferido e os outros me menosprezarão. Minha vaidade, autoestima, status e dignidade serão desafiados, e se eu quiser fazer bem essa tarefa, terei que investir muito esforço e refletir muito sobre ela. Talvez nem consiga dormir ou comer bem durante dias. Dessa vez, devo me despender e realmente me esforçar. Devo cerrar os dentes e simplesmente resolver isso. Devo fazer isso de acordo com as verdades-princípio, não dar atenção ao meu orgulho ou reputação, e defender os interesses da casa de Deus acima de tudo”. Eles se olham no espelho, após alguns dias, e pensam: “Pareço tão desgastado! Estes dois últimos dias foram tão exaustivos; perdi peso. Não posso continuar assim, caso contrário ficarei na pior. Preciso encontrar um atalho. Ainda posso terminar tudo, mas não vou sofrer no processo. No fim, serei capaz de dar um jeito, de enganar os outros”. A partir desse ponto, eles param de trabalhar duro e desistem de seu esforço de proteger os interesses da casa de Deus. Pensam: “Seguirei o fluxo. Tudo ficará bem enquanto meus interesses pessoais não forem afetados”. Sua atitude muda, não muda? Ainda são devotos? (Não.) Ainda são capazes de investir tudo em seu trabalho? De dar o seu melhor? Seu coração de amor próprio é revelado. Se seus interesses são ameaçados, eles desistem. Não importa quão certa eles saibam que é a verdade, poupar-se de sofrimento é mais importante para eles. Nada consegue superar seus interesses próprios. No momento em que aparece algo que possa ameaçar seus interesses, eles desistem — esse é seu padrão mais elevado de ser uma pessoa. Essa é uma atitude responsável? Isso não é seguir a senda errada? Eles não farão coisas ruins? Aos olhos dos outros, parece que estão trabalhando dia e noite para completar seu trabalho e que o fazem bem. Mas como isso parece aos olhos de Deus? Deus se lembra desse tipo de comportamento? Deus escrutina o coração e a mente das pessoas? (Sim.) E o que Deus descobre por meio desse escrutínio? Ele descobre pessoas que tentam pechinchar em seu dever, descobre que o coração das pessoas é enganoso e maligno, descobre que elas anseiam pelos interesses da carne, que não amam a verdade, que estão fartos da verdade. As pessoas conseguem perceber essas coisas por conta própria? (Não, não conseguem.) Por que não? As coisas que elas têm em seu interior, nas quais confiam para garantir sua sobrevivência, são os caracteres corruptos de Satanás, e sua essência é a essência de Satanás. As pessoas dependem dessas coisas em sua vida, e defender sua reputação, status, dignidade e seus interesses carnais se torna sua segunda natureza. Portanto, fazer com que pratiquem a verdade, que lidem com os assuntos de acordo com as exigências de Deus e as verdades-princípio, com que defendam os interesses da casa de Deus, obedeçam a Deus, sigam absolutamente as palavras de Deus, ajam de acordo com a vontade de Deus e de acordo com as exigências e os padrões da verdade, tudo isso é muito árduo para elas — é muito oneroso.

Extraído de ‘Conhecer o caráter de alguém é o fundamento para mudá-lo’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Ao cumprir seu dever, se você descobrir um problema, deve resolvê-lo; problemas não resolvidos permanecem para sempre e vão piorar com o tempo. O que quero dizer com piorar? Quero dizer que, se você não resolver seu problema, ele afetará seu estado e afetará outras pessoas também. Com o passar do tempo, seu problema o impedirá de cumprir bem seu dever, de compreender a verdade e de se apresentar diante de Deus. Todos esses são problemas, não são? Este é um problema sério, não um problema banal. As queixas, o ressentimento, os equívocos de uma pessoa sobre Deus, mal-entendidos em relação à família de Deus, preconceitos sobre os outros e afastamento das pessoas — com o tempo, conforme essas coisas aumentam cada vez mais internamente, quais são suas consequências? Elas o conduzem à senda que o leva a entrar na realidade da verdade ou o conduzem à senda dos maus? Nessa senda, você ficará cada vez melhor ou cada vez pior? (Cada vez pior). Quão pior? Quando essas coisas se acumulam dentro das pessoas por um longo período, sua fé gradualmente desaparece; quando a suposta fé delas desaparece, o entusiasmo também desaparece. Depois que seu entusiasmo acaba, elas não têm cada vez menos energia e força de vontade para cumprir seus deveres? Elas se tornam incapazes de sentir a alegria de crer em Deus, nem são capazes de sentir Suas bênçãos ao cumprirem seus deveres; como tal, não conseguem encontrar sua força interna e acumulam reclamações, negatividade, noções e equívocos, sendo controladas por essas coisas. Quando vivem com essas coisas e são envolvidas e controladas por elas, tudo o que podem fazer quando cumprem seus deveres é se esforçar, aguentar e agir sem se envolver; em tudo o que fazem, devem confiar na perseverança e no autodomínio. Elas são incapazes de ver a orientação de Deus ou Suas bênçãos. Então, o que vem em seguida? Não importa como cumprem seus deveres, são incapazes de encontrar princípios. À medida que continuam, ficam cada vez mais confusas e sem saber o que fazer, e perdem todo o entusiasmo em cumprir seus deveres.

Extraído de ‘Ter uma semelhança humana requer cumprir seu dever apropriadamente, de todo o coração, mente e alma’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Anterior: 3. Quais são as diferenças entre cumprir o seu dever e prestar serviço

Próximo: 5. Como uma pessoa pode cumprir o dever adequadamente

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

2. Se Cristo é o Filho de Deus ou o Próprio Deus

O Deus encarnado é chamado de Cristo e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus. Seja Sua humanidade ou divindade, ambas se submetem à vontade do Pai celestial. A substância de Cristo é o Espírito, isto é, a divindade.

3. As diferenças entre a vida da igreja na Era da Graça e na Era do Reino

Sempre que se congregam, essas pessoas religiosas perguntam: “Irmã, como tem passado esses dias?”. Ela responde: “Sinto-me em dívida com Deus e incapaz de satisfazer o desejo de Seu coração”. Outra diz: “Também eu estou em dívida com Deus e sou incapaz de satisfazê-Lo”. Essas poucas frases e palavras em si expressam as coisas vis que existem no fundo do coração dessas pessoas. São as palavras mais repulsivas, extremamente repugnantes. A natureza desses homens opõe-se a Deus. Aqueles que se concentram na realidade comunicam o que quer que tenham no coração e se abrem na comunicação. Não há um único exercício falso, nem cortesias nem cordialidades vazias. Eles são sempre francos e não observam regras terrenais.

4. Como os três estágios da obra de Deus se aprofundam em passos de modo que as pessoas possam ser salvas e aperfeiçoadas

O gerenciamento integral de Deus é dividido em três estágios e em cada estágio são feitas exigências apropriadas ao homem. Além disso, à medida que as eras passam e avançam, as exigências que Deus faz a toda a humanidade se tornam cada vez mais elevadas. Assim, passo a passo, a obra de gerenciamento de Deus se aproxima do clímax, até que o homem contemple o “surgimento da Palavra na carne”, e assim as exigências feitas ao homem se tornam ainda mais elevadas, e as exigências para que o homem dê testemunho se tornam ainda mais elevadas.

2. Se sofrer e pagar um preço por Deus é igual a seguir a vontade de Deus

Vocês não devem se contentar simplesmente com desfrutar da graça de Deus. Esse modo de pensar é muito vulgar. Mesmo que você leia a palavra de Deus diariamente, ore todos os dias e seu espírito sinta uma paz e um prazer singular, ainda assim, no fim, você não consegue falar de conhecimento algum de Deus e de Sua obra ou que não tem tido experiência com ela e, não importa o quanto você comeu e bebeu da palavra de Deus, se você simplesmente sente paz e prazer em seu espírito e que a palavra de Deus tem uma doçura incomparável, como se você não pudesse desfrutá-la o bastante, porém você não tem uma experiência verdadeira com a palavra de Deus e nem da existência real dessa palavra, então o que você pode receber desse tipo de fé em Deus? Se você não é capaz de viver a essência da palavra de Deus, seu comer e beber das palavras de Deus e suas orações se referem totalmente à religião. Esse tipo de homem não pode ser aperfeiçoado e tampouco ser ganho por Deus.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro