Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Testemunhos a Cristo dos últimos dias

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

X. As verdades acerca de como conhecer a Deus

4. Como Deus guiou e proveu para a humanidade até o dia de hoje?

Palavras de Deus relevantes:

A obra de gerenciamento de Deus começou com a criação do mundo, e o homem está no centro dessa obra. A criação de todas as coisas por Deus, pode-se dizer, é por causa do homem. Pela obra de Seu gerenciamento se estender por milhares de anos e não ser executada no espaço de meros minutos ou segundos, nem em um piscar de olhos, nem em um ou dois anos, Ele teve que criar mais coisas necessárias à sobrevivência do homem, tais como o sol, a lua, todas as espécies de criaturas vivas, além de comida e um ambiente habitável para a humanidade. Esse foi o início do gerenciamento de Deus.

de ‘O homem só pode ser salvo em meio ao gerenciamento de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Que obra Deus fez para distribuir as raças? Primeiro, Ele preparou o ambiente geográfico mais amplo, alocando diferentes locais às pessoas e depois geração após geração sobrevivem ali. Isso está estabelecido — o âmbito para a sobrevivência delas está estabelecido. E sua vida, o que comem, o que bebem, sua subsistência — Deus há muito tempo estabeleceu tudo isso. E quando Deus estava criando todos os seres, Ele fez diferentes preparações para diferentes tipos de pessoas: há diferentes composições de solo, diferentes climas, diferentes plantas e diferentes ambientes geográficos. Os lugares diferentes têm até pássaros e animais diferentes, as águas diferentes têm seu próprio tipo especial de peixe e produtos aquáticos. Até os tipos de insetos são determinados por Deus. […] As diferenças nesses vários aspectos podem não ser vistas ou percebidas pelas pessoas, mas quando Deus estava criando todos os seres, Ele os delineou e preparou diferentes ambientes geográficos, diferentes terrenos e diferentes seres vivos para diferentes raças. Isso é porque Deus criou diferentes tipos de pessoas e Ele sabe o que cada um deles precisa e o como são seus estilos de vida.

de ‘O Próprio Deus, o Único IX’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quais são as condições básicas para esses diferentes estilos de vida humanos? Eles não exigem manutenção básica de seus ambientes para a sobrevivência? Isto é, se caçadores perdessem as florestas das montanhas ou os pássaros e os animais, eles não teriam mais a sua subsistência. Então, se as pessoas que subsistem da caça perdessem as florestas das montanhas e não tivessem mais os pássaros e animais, se não tivessem mais uma fonte de subsistência, então a direção que esse tipo de etnia tomaria e aonde esse tipo de pessoa iria é um fator desconhecido e eles poderiam até simplesmente desaparecer. E com o que contam aqueles que pastoreiam para subsistir? Aquilo de que eles realmente dependem não é o rebanho, mas o ambiente em que seu rebanho sobrevive — as pradarias. Se não houvesse pradarias, aonde eles levariam o rebanho para pastar? O que o gado e as ovelhas comeriam? Sem o rebanho, os povos nômades teriam não teriam subsistência. Sem uma fonte de subsistência, para onde tais povos iriam? A sobrevivência contínua se tornaria muito difícil; eles não teriam futuro. Sem fontes de água, os rios e os lagos secariam. Todos aqueles peixes que dependem da água para viver ainda existiriam? Aqueles peixes não existiriam. Aquelas pessoas que contam com a água e com o peixe para subsistir continuariam a sobreviver? Se elas não tivessem alimento, se não tivessem fonte de subsistência, aquelas pessoas não seriam capazes de continuar a sobreviver. Isto é, se houvesse um problema com a subsistência ou a sobrevivência delas, aquelas raças não mais continuariam e poderiam desaparecer, ser obliteradas da terra. E se aqueles que cultivam para sua subsistência perdessem a terra, se não pudessem plantar coisas e obter seu alimento de várias plantas, qual seria o resultado? Sem alimento, as pessoas não morreriam de fome? Se as pessoas morressem de fome, esse tipo de ser humano não seria exterminado? Então esse é o propósito de Deus ao manter os vários ambientes. Deus só tem um propósito ao manter os vários ambientes e ecossistemas, em manter os diferentes seres vivos dentro de cada ambiente — é nutrir todo tipo de pessoa, nutrir pessoas com vidas em diferentes ambientes geográficos.

Se todos os seres perdessem suas próprias leis, eles deixariam de existir; se as leis de todos os seres fossem perdidas, então os seres vivos dentre todos os seres não seriam capazes de prosseguir. Os humanos também perderiam seus ambientes para a sobrevivência dos quais dependem para sobreviver. Se os humanos perdessem tudo isso, não seriam capazes de continuar a viver e a se multiplicar geração após geração. A razão pela qual humanos sobreviveram até agora é que Deus supriu à humanidade todos os seres para nutri-la, para nutrir a humanidade de diferentes maneiras. É somente porque Deus nutre a humanidade de diferentes maneiras que ela sobreviveu até agora, que ela sobreviveu até os dias atuais.

de ‘O Próprio Deus, o Único IX’ em “A Palavra manifesta em carne”

Jeová criou a humanidade, isto é, criou os antepassados da humanidade, Eva e Adão, mas não lhes concedeu qualquer intelecto ou sabedoria a mais. Embora já estivesse vivendo na terra, ela não entendia quase nada. E assim, a obra de Jeová de criar a humanidade havia sido realizada apenas pela metade, e estava longe de estar completa. Ele havia apenas formado um modelo do homem a partir do barro e lhe dado Seu fôlego, mas sem conceder ao homem disposição suficiente para reverenciá-Lo. No início, o homem não pensava em reverenciá-Lo ou temê-Lo. O homem só sabia ouvir Suas palavras, mas ignorava o conhecimento básico da vida na terra e das regras apropriadas para a vida humana. Assim, embora Jeová tenha criado homem e mulher e concluído o projeto de sete dias, Ele de modo algum completou a criação do homem, pois o homem era apenas uma casca, e carecia da realidade de ser humano. O homem sabia apenas que foi Jeová quem criou a humanidade, mas não tinha a menor ideia de como obedecer às palavras ou às leis de Jeová. Assim, depois que a humanidade surgiu, a obra de Jeová estava longe de terminar. Ele ainda tinha que guiar a humanidade por completo para vir diante Dele, para que eles pudessem ser capazes de viver juntos na terra e reverenciá-Lo, e para que eles pudessem, com Sua orientação, entrar no caminho certo de uma vida humana normal na terra. Só dessa forma a obra que tinha sido realizada principalmente sob o nome de Jeová foi totalmente completada; isto é, só dessa forma a obra de Jeová de criar o mundo foi totalmente concluída. E assim, tendo criado a humanidade, Ele teve que guiar a vida da humanidade na terra por vários milhares de anos, a fim de que a humanidade pudesse cumprir Seus decretos e leis e participar de todas as atividades de uma vida humana normal na terra. Só então a obra de Jeová foi totalmente concluída.

de ‘A visão da obra de Deus (3)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Após a obra de Jeová na Era da Lei, Deus começou Sua nova obra da segunda etapa: assumir a carne — ser encarnado como homem por dez, vinte anos — e falar e fazer Sua obra entre os crentes. Mas, sem exceção, ninguém soube, e apenas um pequeno número de pessoas reconheceu que Ele era o Deus que Se tornou carne depois que o Senhor Jesus foi pregado na cruz e ressuscitou. […] Assim que a segunda etapa da obra de Deus foi completada — após a crucifixão —, a obra de Deus para recuperar o homem do pecado (ou seja, recuperar o homem das mãos de Satanás) foi cumprida. E então, daquele momento em diante, a humanidade teve apenas que aceitar o Senhor Jesus como Salvador para que seus pecados sejam perdoados. Nominalmente falando, os pecados do homem não eram mais uma barreira para alcançar a salvação e ficar diante de Deus, não eram mais a influência pela qual Satanás acusava o homem. Isso porque o Próprio Deus tinha feito uma obra real, tinha se tornado a imagem e o antegosto da carne pecaminosa, e o Próprio Deus foi a oferta pelo pecado. Dessa maneira, o homem desceu da cruz, sendo redimido e salvo graças à carne de Deus, à semelhança desta carne pecaminosa. E assim, depois de ser capturado por Satanás, o homem deu um passo à frente para aceitar a salvação diante de Deus. É claro que essa etapa da obra foi o gerenciamento de Deus em um passo adiante ao da Era da Lei e de um nível mais profundo que o da Era da Lei.

[…]

E então chegou a Era do Reino, que é uma etapa mais prática da obra e mesmo assim é também a mais difícil para o homem aceitar. Porque quanto mais perto o homem está de Deus, mais perto a vara de Deus se aproxima do homem e mais claramente o rosto de Deus aparece diante do homem. Seguindo a redenção da humanidade, o homem oficialmente retorna para a família de Deus. O homem pensou que agora fosse um tempo de desfrute, mas ele ainda está sujeito a um ataque frontal de Deus, como ninguém jamais previu. Como se constata, esse é um batismo do qual o povo de Deus deve “desfrutar”. Sob tal tratamento, as pessoas não têm escolha senão parar e pensar consigo mesmas: eu sou o cordeiro, perdido há anos, que Deus pagou caro para recuperar, então por que Deus me trata assim? É o jeito de Deus rir de mim e me revelar?… Passados os anos, o homem se desgastou, tendo experimentado a adversidade do refinamento e do castigo. Embora tenha perdido a “glória” e o “romance” do passado, o homem inconscientemente veio a compreender a verdade de ser um homem, veio a apreciar os anos de devoção de Deus em salvar a humanidade. O homem pouco a pouco começa a detestar a própria barbárie. Ele começa a odiar o quanto é selvagem e todos os equívocos em relação a Deus e as exigências irracionais que tem feito a Ele. O tempo não pode ser revertido; os acontecimentos passados se transformam em lembranças das quais o homem se arrepende, e as palavras e o amor de Deus se transformam na força motriz da nova vida do homem. As feridas do homem cicatrizam dia a dia, sua força retorna e ele se levanta e contempla a face do Todo-Poderoso… só para descobrir que Ele sempre esteve ao meu lado, que Seu sorriso e Seu belo semblante ainda são muito inspiradores. Seu coração ainda guarda a preocupação com a humanidade que Ele criou, Suas mãos ainda são tão calorosas e poderosas quanto eram no princípio. É como se o homem voltasse ao jardim do Éden, porém desta vez sem ouvir as tentações da serpente, sem se afastar do rosto de Jeová. O homem se ajoelha diante de Deus, contempla o rosto sorridente de Deus e oferece seu sacrifício mais precioso: “Oh! Meu Senhor, meu Deus!”.

de ‘O homem só pode ser salvo em meio ao gerenciamento de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Desde a existência do gerenciamento de Deus, Ele sempre foi totalmente dedicado a realizar a Sua obra. Apesar de haver ocultado Sua pessoa deles, Ele sempre esteve do lado do homem, fazendo a obra neles, expressando Seu caráter, guiando toda a humanidade com Sua essência e fazendo Sua obra em cada pessoa através de Seu poder, Sua sabedoria e Sua autoridade, e assim, trazendo a existência a Era da Lei, a Era da Graça, e agora a Era do Reino. Embora Deus oculte Sua pessoa do homem, Seu caráter, Seu ser e posses e Sua vontade para com a humanidade são reveladas ao homem incondicionalmente para que o homem veja e experiencie. Em outras palavras, embora os seres humanos não possam ver ou tocar em Deus, o caráter e a essência de Deus com os quais a humanidade tem estado em contato são absolutamente expressões do Próprio Deus. Não é verdade? Independentemente de que método ou de que ângulo Deus faça a Sua obra, Ele sempre trata as pessoas com Sua verdadeira identidade, fazendo o que Ele deve fazer e dizendo o que Ele deve dizer. Não importa de que posição Deus fale — Ele poderia estar em pé no terceiro céu, ou em pé na carne, ou mesmo como uma pessoa comum — Ele sempre fala ao homem com todo o Seu coração e toda a Sua mente, sem qualquer engano ou ocultação. Quando Ele realiza Sua obra, Deus expressa Sua palavra e Seu caráter, e expressa o que Ele tem e é, sem qualquer reserva. Ele guia a humanidade com Sua vida Seu ser e posses.

de ‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus I’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando Deus começa a obra em alguém, quando Ele escolhe alguém, Ele não proclama isso a ninguém, nem proclama isso a Satanás, muito menos faz algum grande gesto. Ele apenas, muito tranquilamente, muito naturalmente, faz o que é necessário. Primeiro, Ele escolhe uma família para você; que tipo de antecedentes a família tem, quem são seus pais, quem são seus ancestrais, tudo isso já foi decidido por Deus. Em outras palavras, não foram decisões tomadas de improviso por Ele, mas ao contrário, foi um trabalho começado muito tempo atrás. Depois de Deus escolher uma família para você, Ele também escolhe a data em que você vai nascer. Agora, Deus observa como você vem chorando ao mundo, observa seu nascimento, observa quando você diz suas primeiras palavras, observa quando você tropeça e dá seus primeiros passos aprendendo a andar. Primeiro, você dá um passo e, então, outro… agora você consegue correr, agora consegue pular, agora consegue falar e agora consegue expressar seus sentimentos. À medida que os homens crescem, o olhar de Satanás está fixo em cada um deles, como um tigre espreitando sua presa. Mas, ao fazer Sua obra, Deus nunca sofreu quaisquer limitações das pessoas, dos eventos ou das coisas, do espaço ou do tempo; Ele faz o que deve e faz o que necessita ser feito. No processo do crescimento, você pode encontrar muitas coisas que não são do seu agrado, pode encontrar enfermidades e frustrações. Mas, enquanto você trilha essa estrada, sua vida e seu futuro estão estritamente sob os cuidados de Deus. Deus lhe dá uma garantia genuína que dura toda sua vida, pois Ele está bem ao seu lado, protegendo você e cuidando de você. Sem saber disso, você cresce. Você começa a entrar em contato com coisas novas e começa a conhecer este mundo e esta humanidade. Tudo é fresco e novo para você. Você gosta de fazer o que lhe apraz. Você vive dentro de sua própria humanidade, você vive dentro de seu próprio espaço de vida e não possui a menor percepção da existência de Deus. Mas Deus observa você em cada passo do caminho enquanto você cresce, e o observa enquanto você dá cada passo adiante. Mesmo quando você está aprendendo conhecimentos, ou estudando ciências, nem durante um passo seu Deus sai de seu lado. Você é exatamente igual às outras pessoas quanto a isso, no decurso de conhecer e entrar em contato com o mundo, você estabeleceu seus próprios ideais, tem seus próprios hobbies, seus próprios interesses e também mantém ambições elevadas. Você frequentemente pondera seu próprio futuro, sempre esboçando o perfil de como deve ser seu futuro. Mas, não importa o que aconteça ao longo do caminho, Deus vê tudo claramente. Talvez você mesmo tenha se esquecido de seu próprio passado, mas para Deus, não há ninguém que possa entendê-lo melhor que Ele. Você vive sob o olhar de Deus, crescendo, amadurecendo. […] Da hora em que você nasceu até agora, Deus realizou muita obra em você, mas Ele não lhe dá um relato ponto a ponto de tudo o que Ele fez. Deus não lhe permitiu saber e Ele não lhe contou. No entanto, para o homem, tudo que Ele faz é importante. Para Deus, é algo que Ele deve fazer. Em Seu coração há algo importante que Ele necessita fazer que excede em muito qualquer uma dessas coisas. É isto: da hora em que os homens nasceram até agora, Deus deve garantir a segurança deles. Depois de ouvir essas palavras, vocês podem achar que não entenderam completamente, dizendo: “Esta segurança é tão importante?”. Então, qual o significado literal de “segurança”? Talvez vocês entendam que ela signifique paz, ou talvez, vocês entendam que ela signifique nunca vivenciar nenhum desastre ou calamidade, viver bem, viver uma vida normal. Mas, em seu coração, vocês devem saber que não é tão simples assim. Então, que coisa é essa sobre a qual venho falando que Deus tem que fazer? O que segurança significa para Deus? É realmente uma garantia da segurança de vocês? Não. Então o que é isto que Deus faz? Essa segurança significa você não ser devorado por Satanás. Isso é importante? Você não ser devorado por Satanás diz respeito à sua segurança, ou não? (Sim.) Isso diz respeito à sua segurança pessoal, e não pode haver nada mais importante. Depois que você tiver sido devorado por Satanás, nem sua alma, nem sua carne pertencem mais a Deus. Deus não mais o salvará. Deus abandona almas assim e abandona pessoas assim. Por isso, Eu digo que a coisa mais importante que Deus tem a fazer é garantir sua segurança, garantir que você não seja devorado por Satanás. Isso é muito importante, não é? Então, por que vocês não conseguem responder? Parece que vocês não conseguem sentir a grande bondade de Deus!

Deus faz bem mais do que garantir a segurança das pessoas, garantindo que elas não serão devoradas por Satanás; Ele também faz uma grande quantidade de obra na preparação para escolher alguém e para salvá-lo. Em primeiro lugar, que tipo de caráter você tem, em que tipo de família você nascerá, quem são seus pais, quantos irmãos e irmãs você tem, e quais são a situação, o status econômico e as condições da família em que você nasceu — tudo isso é meticulosamente providenciado para você por Deus. […] Vendo de fora, parece que Deus não fez nada avassalador pelo homem; Ele apenas faz tudo secreta e humildemente e em silêncio. Mas, na verdade, tudo o que Deus faz é para lançar um fundamento para a sua salvação, para preparar a estrada à frente e preparar todas as condições necessárias para a sua salvação. Imediatamente, no tempo especificado para cada pessoa, Deus a traz de volta diante Dele — quando chega o tempo de você escutar a voz de Deus, esse é o tempo em que você vem diante Dele. No momento em que isso acontece, algumas pessoas já se tornaram pais, enquanto que outras são apenas filhos de alguém. Em outras palavras, algumas pessoas se casaram e tiveram filhos, enquanto outras ainda estão solteiras e ainda não constituíram suas próprias famílias. Mas, independentemente da situação das pessoas, Deus já estabeleceu os tempos em que você será eleito e em que Seu evangelho e Suas palavras alcançarão você. Deus estabeleceu as circunstâncias, decidiu sobre uma determinada pessoa ou um determinado contexto através do qual o evangelho será passado para você, para que você possa ouvir as palavras de Deus. Deus já preparou para você todas as condições necessárias para que, sem o saber, você venha diante Dele e seja devolvido à família de Deus. Você também, sem o saber, segue a Deus e entra na Sua obra passo a passo, entrando no caminho da obra de Deus que Ele tem, passo a passo, preparado pra você. […] Há diferentes razões e diferentes caminhos de crença, mas não importa qual a razão que fez você crer Nele, tudo, na realidade, é arranjado e guiado por Deus. A princípio, Deus emprega vários caminhos para escolher você e para trazê-lo para a Sua família. Essa é a graça que Deus concede a cada pessoa.

Agora com a obra de Deus nos últimos dias, Ele não mais simplesmente concede graça e bênçãos ao homem como Ele fez no princípio, nem persuade as pessoas a seguir em frente. Durante essa etapa da obra, o que os homens têm visto de todos os aspectos da obra de Deus que experimentaram? Eles viram o amor de Deus e o juízo e o castigo de Deus. Neste tempo, Deus ademais provê, sustenta, ilumina e guia o homem para que ele gradualmente venha a conhecer Suas intenções, as palavras que Ele fala e a verdade que Ele concede ao homem. Quando o homem estiver fraco, quando ele estiver desanimado, quando não tiver para onde ir, Deus usará as Suas palavras para consolá-lo, aconselhá-lo e encorajá-lo, para que o homem de pequena estatura possa gradualmente encontrar a sua força, ascender em positividade e tornar-se disposto a cooperar com Deus. Mas, quando o homem desobedecer a Deus ou resistir a Ele, ou revelar a sua própria corrupção, Deus não mostrará misericórdia ao castigá-lo e discipliná-lo. Entretanto, para a loucura, a ignorância, a fraqueza e a imaturidade do homem, Deus mostrará tolerância e paciência. Dessa forma, através de toda a obra que Deus faz pelo homem, este gradualmente amadurece, cresce e passa a conhecer as intenções de Deus, a conhecer alguma verdade, a conhecer o que são coisas positivas e o que são coisas negativas, a conhecer o que é o mal e o que são as trevas. Deus nem sempre castiga e disciplina o homem, nem sempre mostra tolerância e paciência. Antes, Ele provê para cada pessoa de diferentes maneiras, em seus diferentes estágios e de acordo com suas diferentes estaturas e calibres. Ele faz muitas coisas pelo homem e com grande custo; o homem não percebe nada desse custo ou dessas coisas que Deus faz e, mesmo assim, tudo o que Ele faz é, na realidade, realizado em cada pessoa individual. O amor de Deus é real: através da graça de Deus, o homem evita um desastre depois do outro, enquanto que, pela fraqueza do homem Deus mostra reiteradamente Sua tolerância. O julgamento e o castigo de Deus permitem que as pessoas gradualmente venham a conhecer a corrupção da humanidade e a sua essência satânica. O que Deus provê, Sua iluminação do homem e Sua orientação permitem a humanidade conhecer cada vez mais da essência da verdade e conhecer de maneira crescente do que as pessoas precisam, que estrada devem tomar, para que vivem, o valor e o sentido de suas vidas e como percorrer a estrada à frente. Todas essas coisas que Deus faz são inseparáveis do Seu único propósito original. Qual é, pois, esse propósito? Por que Deus usa esses métodos para executar Sua obra no homem? Que resultado Ele quer alcançar? Em outras palavras, o que Ele quer ver no homem e obter dele? O que Deus quer ver é que o coração do homem pode ser reavivado. Esses métodos que Ele usa para operar no homem são para continuamente despertar o coração do homem, despertar o espírito do homem, fazer com que o homem saiba de onde ele veio, quem o está guiando, apoiando, provendo para ele e quem tem permitido ao homem viver até agora; eles são para permitir que o homem saiba quem é o Criador, a quem ele deve adorar, que tipo de estrada ele deve seguir e de que maneira o homem deveria chegar diante de Deus; eles são usados para gradualmente reavivar o coração do homem, de modo que o homem conheça o coração de Deus, entenda o coração de Deus, e compreenda o grande cuidado e pensamento por trás da Sua obra para salvar o homem. Quando o coração do homem é reavivado, ele não deseja mais viver a vida de um caráter degenerado e corrupto, mas, em vez disso, deseja seguir a verdade na satisfação de Deus. Quando o coração do homem tiver sido despertado, ele será capaz de fazer uma ruptura completa com Satanás, para não ser mais prejudicado por Satanás, para não ser mais controlado ou enganado por ele. Em vez disso, o homem pode cooperar com a obra de Deus e com Suas palavras de uma maneira positiva para satisfazer o coração de Deus, alcançando assim o temer a Deus e o evitar do mal. Esse é o propósito original da obra de Deus.

de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Vários milhares de anos se passaram e a humanidade ainda desfruta a luz e o ar concedidos por Deus, ainda respira a respiração exalada pelo Próprio Deus, ainda aprecia as flores, pássaros, peixes e insetos criados por Deus e desfruta todas as coisas fornecidas por Deus; o dia e a noite seguem se revezando continuamente; as quatro estações se alternam como de costume; os gansos que voam no céu partem neste inverno e seguem retornando na primavera seguinte; os peixes na água nunca deixam os rios e lagos — seu lar; as cigarras na terra cantam a plenos pulmões em dias de verão; os grilos na relva trilam suavemente ao ritmo do vento no outono; os gansos se juntam em revoadas enquanto as águias permanecem solitárias; as alcateias de leões se sustentam pela caça; os alces não se afastam do capim e das flores… Todo tipo de criatura em meio a todas as coisas parte e retorna e depois parte novamente, um milhão de mudanças ocorrendo num piscar de olhos — mas o que não muda são seus instintos e as leis da sobrevivência. Vivem pela provisão e nutrição de Deus e ninguém pode mudar seus instintos nem prejudicar suas regras de sobrevivência. Apesar de ter sido corrompida e enganada por Satanás, a humanidade, que vive em meio a todas as coisas, ainda não pode renunciar à água feita por Deus, ao ar feito por Deus e a todas as coisas feitas por Deus, e o homem ainda vive e se multiplica nesse espaço criado por Deus. Os instintos da humanidade não mudaram. O homem ainda depende de seus olhos para ver, de seus ouvidos para ouvir, de seu cérebro para pensar, de seu coração para entender, de suas pernas e pés para andar, de suas mãos para trabalhar e assim por diante; todos os instintos que Deus concedeu ao homem para que ele pudesse aceitar a provisão de Deus permanecem inalterados, as faculdades através das quais o homem colabora com Deus não mudaram, a faculdade humana de realizar o dever de um ser criado não mudou, as necessidades espirituais da humanidade não mudaram, o desejo da humanidade de encontrar suas origens não mudou, o anseio da humanidade de ser salva pelo Criador não mudou. Tais são as circunstâncias atuais da humanidade, que vive sob a autoridade de Deus e tem suportado a destruição sangrenta provocada por Satanás. Embora a humanidade tenha sido submetida à opressão de Satanás e não seja mais os Adão e Eva do início da criação, mas, ao contrário, esteja repleta de coisas que são antagônicas a Deus, tais como conhecimento, imaginação, noções e assim por diante, e repleta do caráter satânico corrupto, aos olhos de Deus a humanidade ainda é a mesma humanidade que Ele criou. A humanidade ainda é governada e orquestrada por Deus e ainda vive no caminho estabelecido por Deus, e, assim, aos olhos de Deus, a humanidade, que foi corrompida por Satanás, está apenas coberta de sujeira, com o estômago roncando, com as reações um tanto lentas, com uma memória não tão boa quanto antes e um pouco mais velha — mas todas as funções e instintos do homem estão completamente intactos. Essa é a humanidade que Deus pretende salvar. Basta a essa humanidade ouvir o chamado do Criador e a voz do Criador para se levantar e rapidamente localizar a origem dessa voz. Basta a essa humanidade ver a figura do Criador para se tornar indiferente a todo o resto e renunciar a tudo a fim de se dedicar a Deus, e até mesmo dar sua vida por Ele. Quando o coração da humanidade compreender as palavras sinceras do Criador, a humanidade rejeitará Satanás e ficará ao lado do Criador; quando a humanidade tiver lavado completamente a sujeira de seu corpo e recebido mais uma vez a provisão e nutrição do Criador, a memória da humanidade será restaurada e nesse momento a humanidade terá verdadeiramente retornado ao domínio do Criador.

de ‘O Próprio Deus, o Único I’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior:Em quais aspectos a onipotência e sabedoria de Deus são fundamentalmente reveladas?

Próximo:Como Deus governa e administra todo o mundo universal?

Conteúdo Relacionado