1. O que é um anticristo e como ele pode ser identificado

Palavras de Deus relevantes:

Qual é a definição de Deus de um anticristo? Alguém que é hostil a Deus. É um inimigo de Deus! Alguém que é hostil a Deus, hostil à verdade, que detesta a verdade, detesta a Deus e que detesta absolutamente qualquer coisa que seja positiva — essa não é uma pessoa comum que está momentaneamente fraca, tola e levemente enganada em seus pensamentos e opiniões, tampouco é uma pessoa com um entendimento um levemente absurdo que não concorda com a verdade. Esse não é o tipo de pessoa que é. Esse é um anticristo, um inimigo de Deus! Seu papel é o de alguém que odeia absolutamente tudo o que é positivo, odeia toda a verdade e odeia todo o caráter e a essência de Deus. Como Deus trata alguém nesse papel? Deus não o salvará! Tais pessoas desprezam e detestam a verdade por natureza. O que é exposto aqui é maldade, ferocidade e ódio da verdade — essas são as manifestações e os caracteres mais sérios entre os caracteres corruptos e são as coisas mais típicas e essenciais para Satanás. Essa não é uma revelação menor do caráter corrupto existente em pessoas comuns, corrompidas, mas é uma força hostil a Deus. Essas pessoas podem perturbar e controlar uma igreja e podem destruir e interromper a obra de gerenciamento de Deus. Isso é algo que pessoas comuns e corrompidas fazem? De forma alguma, e, portanto, você não deve subestimar isso. Pessoas comuns também podem ter um caráter maligno; algumas delas se comportam de modo egoísta e desprezível, e outras, de modo diabólico, não permitindo que os outros mandem nelas e pensando: “Se as pessoas não me ofenderem, eu não as ofenderei”. Mas como os anticristos são diferentes disso? Seu principal caráter não é arrogância, mas pura maldade. E como essa maldade se manifesta principalmente? Ela pode ser vista em sua maneira bizarra de fazer as coisas, que pessoas comuns com alguma inteligência, com algum conhecimento e alguma experiência social, acham difícil de detectar; isso alcançou maldade e não é enganação. Eles conseguem fazer manobras ocultas e truques e são “melhores” nesse jogo do que a maioria das pessoas; a maioria das pessoas comuns não pode competir com eles e não sabe lidar com eles. Esse é um anticristo. Por que se diz que as pessoas comuns não conseguem lidar com eles? É porque sua maldade é tão extrema que elas têm um poder enorme para enganar as pessoas. Por que estamos comunicando sobre as manifestações de anticristos? Porque os anticristos são muito capazes de enganar as pessoas. Eles enganam grupos de pessoas de uma só vez, como uma praga letal que, por meio de seu contágio, pode prejudicar e matar muitos em um único surto; é altamente contagioso e de amplo alcance, e seus índices de transmissibilidade e mortalidade são maiores que os de doenças comuns. Essas não são consequências graves?

Extraído de ‘Eles agem sorrateiramente, comportam-se de modo individualista e ditatorial, nunca comungam com as pessoas e as obrigam a obedecer’ em “Expondo os anticristos”

No tempo em que Deus ainda não tinha Se tornado carne, o modo de avaliar se o homem se opunha a Deus ou não baseava-se no fato de ele adorar e admirar o Deus invisível no céu ou não. A maneira na qual a oposição a Deus era definida naquele tempo não era tão prática assim, pois o homem não podia ver Deus, nem sabia como era a imagem de Deus ou como Ele operava e falava. O homem não tinha quaisquer noções sobre Deus e acreditava em Deus de forma vaga, porque Deus ainda não tinha aparecido ao homem. Portanto, qualquer que fosse a maneira como o homem acreditava em Deus em sua imaginação, Deus não o condenava nem lhe fazia exigências demais, porque o homem era completamente incapaz de ver Deus. Quando Deus Se torna carne e vem operar entre os homens, todos O contemplam e ouvem as Suas palavras e veem os feitos que Deus opera de dentro de Seu corpo de carne. Naquele momento, todas as noções do homem se tornam uma espuma. Quanto àqueles que viram Deus aparecendo na carne, eles não hão de ser condenados, se voluntariamente Lhe obedecerem, enquanto aqueles que propositalmente se colocam contra Ele serão considerados oponentes de Deus. Tais pessoas são anticristos, inimigos que deliberadamente se contrapõem a Deus.

Extraído de ‘Todos os que não conhecem a Deus são pessoas que se opõem a Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Qualquer um que não entende o propósito da obra de Deus é alguém que se opõe a Deus, e uma pessoa que veio a entender o propósito da obra de Deus, mas ainda não busca satisfazer a Deus é ainda mais considerado um oponente de Deus. Existem aqueles que leem a Bíblia em igrejas majestosas e a recitam o dia inteiro, mas nem um deles entende o propósito da obra de Deus. Nem um deles é capaz de conhecer Deus; menos ainda pode qualquer um deles estar de acordo com a vontade de Deus. Todos eles são pessoas inúteis e vis, cada uma se empinando para repreender a Deus. Eles intencionalmente se opõem a Deus mesmo quando carregam o estandarte Dele. Afirmando ter fé em Deus, ainda comem a carne e bebem o sangue do homem. Todas as pessoas assim são diabos que devoram a alma do homem, demônios chefes que deliberadamente se interpõem aos que tentam entrar na senda certa e pedras de tropeço que impedem os que buscam a Deus. Elas podem parecer ter uma “constituição robusta”, mas como os seus seguidores podem saber que não passam de anticristos que levam as pessoas a ficarem contra Deus? Como os seus seguidores podem saber que esses anticristos são diabos vivos dedicados a devorar as almas humanas?

Extraído de ‘Todos os que não conhecem a Deus são pessoas que se opõem a Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Já que você acredita em Deus, então deve pôr fé em todas as palavras de Deus e em toda a Sua obra. Ou seja, já que você acredita em Deus, você precisa obedecer-Lhe. Se você não conseguir fazer isso, então não faz diferença se você acredita em Deus. Se você acredita em Deus há muitos anos e, no entanto, nunca Lhe obedeceu nem aceitou todas as Suas palavras, mas, em vez disso, pediu a Deus que Se submetesse a você e agisse de acordo com as suas noções, então você é a mais rebelde das pessoas e é um incrédulo. Como alguém assim conseguirá obedecer à obra e às palavras de Deus que não estão em conformidade com as noções do homem? A pessoa mais rebelde é aquela que intencionalmente desafia Deus e resiste a Ele. É inimiga de Deus e é o anticristo. Tal pessoa tem constantemente uma atitude hostil em relação à nova obra de Deus, nunca demonstrou a menor intenção de se submeter, e nunca se submeteu ou humilhou a si mesma. Ela se exalta diante dos outros e nunca se submete a ninguém. Diante de Deus, ela se considera a mais proficiente em pregar a palavra e a mais hábil em trabalhar com os outros. Não descarta os “tesouros” já em sua posse, mas trata-os como heranças familiares para adoração, para pregar aos outros, e os utiliza para ensinar a esses tolos que a idolatram. Há, de fato, certo número de pessoas assim na igreja. Pode-se dizer que são “heróis indomáveis”, que permanecem na casa de Deus, geração após geração. Elas tomam a pregação da palavra (doutrina) como seu dever mais elevado. Ano após ano, geração após geração, vão vigorosamente impondo seu dever “sagrado e inviolável”. Ninguém ousa tocá-los, e nenhuma pessoa se atreve a reprová-los abertamente. Elas se tornam “reis” na casa de Deus, correndo desenfreadas enquanto tiranizam os outros, de geração em geração. Esse bando de demônios procura unir esforços e demolir a Minha obra; como posso permitir que esses demônios vivos existam diante de Meus olhos? Até aqueles com apenas meia obediência não conseguem caminhar até o fim, quanto menos esses tiranos sem a menor obediência no coração! A obra de Deus não é facilmente ganha pelo homem. Mesmo que use todas as suas forças, o homem ganhará apenas uma mera porção e atingirá a perfeição no final. O que dizer então dos filhos do arcanjo que procuram destruir a obra de Deus? Eles não têm ainda menos esperança de serem ganhos por Deus?

Extraído de ‘Aqueles que obedecem a Deus com um coração sincero certamente serão ganhos por Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Basta olhar para os líderes de cada denominação — são todos arrogantes e hipócritas, e suas interpretações da Bíblia carecem de contexto e são guiadas por sua imaginação. Eles todos se fiam em seus dons e em sua erudição para realizar seu trabalho. Se fossem incapazes de pregar qualquer coisa, as pessoas os seguiriam? Afinal de contas, eles possuem certo conhecimento e conseguem pregar sobre alguma doutrina ou sabem como conquistar as pessoas e como usar alguns artifícios. Eles usam isso para trazer as pessoas para diante de si mesmos e enganá-las. Nominalmente, essas pessoas acreditam em Deus, mas, na realidade, seguem seus líderes. Quando encontram alguém pregando o caminho verdadeiro, algumas dizem: “Temos que consultar nosso líder sobre a nossa fé”. Um humano é o mediador de sua fé em Deus; isso não é um problema? Então, no que esses líderes se transformaram? Será que não se tornaram fariseus, falsos pastores, anticristos e pedras de tropeço para que as pessoas aceitem o caminho verdadeiro?

Extraído de ‘Somente buscar a verdade é verdadeiramente crer em Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Há alguns que são completamente arrogantes em sua atitude em relação aos arranjos de trabalho do alto. “O alto faz os arranjos de trabalho”, pensam, “e nós estamos aqui embaixo, fazendo o trabalho. Parte do que é dito e algumas das tarefas podem ser implementadas com flexibilidade — podem ser alteradas quando chegam a nós. Afinal de contas, o alto só fala, e nós somos aqueles que fazem o trabalho prático. Nós entendemos a situação na igreja, mas o alto não, assim, cabe a nós fazer com as pessoas e o trabalho da igreja o que acharmos adequado. Podemos fazer o que quisermos, e ninguém tem o direito de interferir”. Para tais pessoas, o princípio de servir a Deus é este: “Se achar que algo é certo, tomarei nota disso; se achar que algo é impraticável, ignorarei. Posso resistir a você se eu quiser ou me opor a você e não preciso implementar nem executar nada que eu não queira. Se algo que você diz me parecer inapropriado, eu corrigirei para você, e, após ter filtrado, eu o passarei adiante. Nada que eu não tenha aprovado pode ser impresso”. Em todos os outros lugares, os arranjos do alto são disseminados em sua forma original, mas essa pessoa envia sua versão editada dos arranjos de trabalho para as pessoas na região que lidera. Essa pessoa sempre deseja colocar Deus de escanteio e quer desesperadamente que todos a sigam e acreditem nela. A seu ver, Deus não está à altura dela em certas áreas — ela também deveria ser Deus, e todos deveriam acreditar nela. Essa é a natureza daquilo que faz. Se vocês entenderam isso, ainda assim chorariam quando essa pessoa for removida e substituída? Ainda teriam simpatia por ela? Ainda pensariam: “O que o alto faz é desnecessário e injusto — como o alto pode dispensar alguém que sofreu tanto?”. Pelo bem de quem ela sofreu? Sofreu pelo bem do próprio status. Ela serve a Deus? Está cumprindo seu dever? É leal e submissa a Deus? Ela nada mais é do que um lacaio de Satanás, e seu trabalho é o império do diabo; ele destrói o plano de gerenciamento de Deus e perturba Sua obra. Que tipo de fé é essa? Ela nada mais é do que um diabo, um anticristo!

Extraído de ‘O que é ofender a Deus?’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Os anticristos são abertamente hostis à verdade e a Deus. Eles competem com Deus pelos escolhidos, competem com Ele por status e pelo coração das pessoas, e chegam até a tentar todos os tipos de coisas para conquistar o coração das pessoas, para iludi-las e entorpecê-las. Em suma, tudo que fazem — aberta ou secretamente — é, em sua natureza, hostil a Deus. Por que digo que é hostil a Deus? Porque, mesmo quando sabem claramente que essa é a verdade e que isso é Deus, eles ainda assim se impõem, em resistência. Um exemplo: em algumas igrejas, quando os anticristos seduzem as pessoas para o seu lado, as atraem para longe e lhes impõem sua própria vontade, eles exigem todos os tipos de livros e outros materiais da casa de Deus a fim de estabelecer uma igreja separada. Os anticristos são adorados e seguidos por essas pessoas; eles as têm firmemente sob seu controle. Ao se comportar dessa forma, estão claramente competindo com Deus pelos escolhidos. Isso é ou não é um dos atributos de um anticristo? Classificá-los como anticristos com base em um atributo tão óbvio, longe de cometer uma injustiça contra eles, é absolutamente preciso! Há alguns anticristos que criam seu próprio reino dentro da igreja, cultivando seu próprio poder e influência, arrancando qualquer um que não se conforma, ficando com aqueles que os seguem e obedecem a seu lado, a fim de formar uma força independente e impor sua vontade às pessoas. Quaisquer que sejam os arranjos de trabalho ou exigências que vêm do Alto, esses anticristos seguem um curso de ação independente, levando as pessoas abaixo deles a desafiar abertamente os arranjos de trabalho do Alto. Por exemplo, são exigências do Alto que líderes e trabalhadores inadequados sejam substituídos a qualquer hora; porém, sob a perspectiva dos anticristos, embora esses líderes e trabalhadores talvez sejam inadequados, já que foram cultivados por anticristos, eles não podem, sob circunstância alguma, ser substituídos por uma diretiva do Alto a não ser que os próprios anticristos sejam removidos primeiro. Eles assumiram controle sobre essa igreja ou não? Uma vez em suas mãos, os arranjos de trabalho da casa de Deus deixam de ser viáveis e não podem mais ser executados. Os arranjos de trabalho foram emitidos há muito tempo, e cada igreja enviou um relato sobre o status de sua implementação — quem teve seus deveres alterados ou retirados por causa de certas circunstâncias, por exemplo —, mas nas áreas pelas quais os anticristos são responsáveis não existem tais pessoas, ninguém fez nenhuma mudança em seus deveres. É possível que não haja nenhuma pessoa inadequada nessa área? Pode até ser o caso de que algumas pessoas são inadequadas e que o anticristo recebeu ordem direta do Alto para substituí-las, no entanto, nem mesmo após muito tempo, não houve resposta. Existe aqui um problema ou não? Essa é uma situação em que a igreja caiu nas mãos do anticristo. Ordens para executar os arranjos de trabalho vêm do Alto, mas quando chegam aos anticristos, elas são interceptadas, e nenhuma palavra alcança as pessoas de baixo, de modo que perdem todo o contato com o Alto, e tudo é controlado pelos anticristos. Qual é a natureza deles quando fazem tais coisas? Isso é um caso de anticristos que se revelam.

Extraído de ‘Eles são malignos, insidiosos e enganosos (I)’ em “Expondo os anticristos”

Que tipo de pessoa estabelece um reino próprio? (Um anticristo.) E por que tal pessoa é chamada de “anticristo”? Em primeiro lugar, “anti” significa ser antagônico e hostil, e envolve ser antagônico e hostil a Cristo, a Deus e à verdade. O que significa ser “antagônico e hostil”? (Colocar-se em oposição direta.) (Ter ódio.) Pessoas que odeiam a Deus e se encontram em oposição direta a Ele podem aceitar a verdade? Podem amar a verdade? Certamente não podem. A primeira maneira com que se expressam é não amando a verdade. Sempre que alguém fala a verdade, não expressa nada no exterior, mas, em seu coração, não aceita a verdade e, lá no fundo, resiste a ela. Enquanto resiste, no que diz respeito a todas as coisas positivas — todas essas verdades tais como submeter-se a Deus, cumprir lealmente seus deveres, ser pessoas honestas, buscar a verdade em todas as coisas e assim por diante — ela tem um pouco de anseio subjetivo ou amor? Não, nem um pouco. Portanto, dado esse tipo de natureza-essência que têm, essas pessoas já se encontram em oposição direta a Deus e à verdade. Assim, inevitavelmente, lá no fundo, tais pessoas não amam a verdade nem qualquer coisa positiva. Pessoas em posições de liderança, por exemplo, devem ser capazes de aceitar as variadas opiniões de seus irmãos e irmãs, devem ser capazes de se abrir aos irmãos e irmãs e aceitar a repreensão dos irmãos e irmãs, e não devem assumir status. O que um anticristo pensaria de todas essas maneiras corretas de praticar? Talvez ele diria: “Se eu ouvisse a opinião dos irmãos e irmãs, eu ainda seria um líder? Eu ainda teria status e prestígio? Ainda seria capaz de fazer com que as pessoas me temam? Se eu não conseguir fazer com que as pessoas me temam e se eu não tiver prestígio, então que trabalho poderei fazer?”. Esse é precisamente o tipo de caráter que um anticristo possui; não aceita a verdade nem minimamente, e quanto mais correto for o método de prática, mais resiste a ele. Ele não admite que esses métodos de prática corretos são maneiras de praticar a verdade. Qual é a verdade como ele acredita que seja? É aquela que diz que sempre se deve usar um punho de ferro, atos malignos, métodos cruéis e truques obscuros ao lidar com qualquer pessoa; jamais se deve usar verdade, amor e as palavras de Deus. Seu caminho é um caminho maligno. Essa é a natureza-essência daqueles que são da laia de um anticristo e é também a maneira como eles fazem as coisas e o ímpeto por trás de suas ações, a fonte da qual elas jorram. É assim que são sua motivação e suas intenções. A essência de suas motivações e intenções, que eles revelam com frequência, é precisamente a essência de um anticristo — uma aversão e um ódio em relação à verdade. Essa é a sua essência. O que, então, significa estar em oposição à verdade e a Deus? Significa odiar a verdade e as coisas positivas. Por exemplo, como um objeto da criação, deve-se cumprir o dever de um ser criado; não importa o que Deus possa dizer, as pessoas devem se submeter, pois os humanos são objetos da criação. Mas como pensa um anticristo? “Não é errado que eu seja um objeto da criação, mas quando se trata de se submeter, depende da situação. Em primeiro lugar e acima de tudo, deve haver um benefício para mim nisso; não posso ficar em desvantagem, e devo colocar meus interesses em primeiro lugar. Se houver recompensas e grandes bênçãos a ser ganhas, e Tu quiseres que eu me submeta, tudo bem, mas sem recompensas e sem um destino, eu não posso me submeter”. É assim que um anticristo encara isso. Outro exemplo: Deus quer que as pessoas sejam honestas, mas o que um anticristo pensa disso? “Somente idiotas são honestos; pessoas espertas não são honestas.” Essas opiniões constituem a atitude dos anticristos de não aceitar a verdade? Qual é a essência desse tipo de atitude? Sua essência é um ódio da verdade. Essa é precisamente a essência de anticristos, e sua essência determina o tipo de senda que trilham, e a senda que trilham, por sua vez, determina quais coisas eles farão ao cumprir esse tipo de dever.

Extraído de ‘Eles tentam conquistar as pessoas’ em “Expondo os anticristos”

Algumas pessoas têm certas manifestações de um anticristo e certos derramamentos do caráter de um anticristo, mas também aceitam e reconhecem a verdade e amam a verdade. Elas são possíveis objetos de salvação. Existem algumas pessoas que, independentemente de sua aparência, são hostis e odiosas em relação à verdade por sua natureza-essência. Assim que você fala da verdade ou prega a elas, elas ficam irritadas e oposicionistas: começam a cochilar, adormecem, ficam entediadas e não se interessam nem mesmo quando entendem; ou então elas podem parecer diligentes por fora, mas medem a verdade com uma atitude diferente ou com algum corpo de conhecimento e teoria. Se esse for o caso, então não importa quantas palavras de Deus elas tenham lido ou quantos sermões tenham ouvido, em última análise, nunca ocorrerá a menor mudança de atitude, que é a busca de status e coisas mundanas, inimizade contra Deus e hostilidade à verdade. Isso é típico do anticristo. Portanto, quando você diz que suas ações têm como intenção atrair as pessoas para o lado delas e que elas exaltam e testificam de si mesmas para disputar o status de Deus, para enganar as pessoas, e que suas ações são as de Satanás e de anticristos, elas aceitam tal condenação? Não. Pensam: “É certo e apropriado eu agir desta maneira. É assim que eu faço as coisas. Vocês podem me condenar e criticar o quanto quiserem — não vou desistir dessa busca, desse desejo ou dessa maneira de fazer as coisas”. Está estabelecido: elas são anticristos. Nada que você diga pode alterar a perspectiva delas, nem suas motivações e intenções, nem suas ambições e desejos. Tal é a natureza-essência de um típico anticristo. Não importa como as circunstâncias mudem, ou como as pessoas, os assuntos e as coisas ao seu redor mudem, ou como os tempos mudem, e independentemente dos sinais e milagres realizados por Deus e de quanta graça Deus lhes conceda — mesmo que Ele os castigue — suas intenções nunca mudarão. Seu modo de ser humano e modo de fazer as coisas nunca mudarão, tampouco mudará sua atitude de hostilidade à verdade. Quando outros apontam que o que estão fazendo é se exaltar e testificar de si mesmos e tentar enganar as pessoas, eles mudam sua maneira de falar com alguém na qual os outros não podem encontrar qualquer falha e que ninguém pode discernir. Usam meios ainda mais astutos para continuar sua gestão e alcançar seus objetivos secretos. É isso que se manifesta em um anticristo, e isso é gerado pela essência de um anticristo. Mesmo que Deus lhes dissesse que serão punidos, que seu fim tem chegado, que estão amaldiçoados e condenados, isto poderia mudar sua essência? Poderia mudar sua atitude em relação à verdade? Poderia mudar seu amor por status, fortuna e prestígio? Não poderia. Transformar pessoas que foram corrompidas por Satanás em pessoas com humanidade normal que adoram a Deus é o trabalho de Deus; isso pode ser alcançado. Mas é possível transformar demônios, pessoas vestidas com pele humana, mas cuja essência é satânica, que adoram Satanás no acampamento de Satanás e são hostis a Deus, em pessoas normais? Isso seria impossível. Deus não faz esse tipo de obra; essas pessoas não estão incluídas naquelas que Deus salva. Como, então, Deus define estas pessoas? Elas pertencem a Satanás. Elas não são objetos da seleção ou salvação de Deus; Deus não quer tais pessoas. Não importa há quanto tempo estejam na casa de Deus, quanto sofreram ou o que realizaram, suas intenções não mudam. Elas não deixarão de lado suas ambições ou desejos, muito menos abandonarão sua motivação e desejo de disputar status e pessoas com Deus. Tais pessoas são anticristos vivos.

Extraído de ‘Eles se exaltam e dão testemunho de si mesmos’ em “Expondo os anticristos”

Todos os anticristos prefeririam morrer a se arrepender. Eles juram resistir a Deus até a morte e lutar até o fim. Ainda que, no fundo, reconheçam que há um Deus, que Ele criou o homem e pode salvar a humanidade, sua natureza os torna incapazes de mudar a senda que escolheram e incapazes de mudar o fato de sua hostilidade a Deus. Assim, a essência do comportamento dos anticristos é usar o tempo todo vários meios e métodos para alcançar seu objetivo de ter status, de conquistar as pessoas e fazer com que elas os sigam e venerem. É possível que, nas profundezas do coração, não estejam disputando de forma deliberada a humanidade com Deus, mas uma coisa é certa: mesmo quando não disputam com Deus pelos humanos, ainda desejam ter status e poder entre os homens. Mesmo se chegar o dia em que percebam que estão disputando com Deus por status e se controlem, ainda empregam outros métodos para ganhar status entre as pessoas e ser validados. Em resumo, embora tudo que os anticristos fazem pareça englobar um cumprimento fiel de seus deveres e eles pareçam ser verdadeiros seguidores de Deus, sua ambição por controlar as pessoas — e por ganhar status e poder entre elas — nunca mudará. Não importa o que Deus diga ou faça e não importa o que Ele peça às pessoas, eles não fazem o que devem fazer nem cumprem seus deveres de uma forma que condiga com Suas palavras e exigências, nem desistem de sua busca por poder e status como resultado de entender Suas declarações e a verdade; do começo ao fim, sua ambição os consome, controla e dirige seu comportamento e pensamento e determina a senda que trilham. Esse é o epítome de um anticristo. O que é destacado aqui? Algumas pessoas perguntam: “Os anticristos não são aqueles que disputam com Deus para ganhar as pessoas e que não O reconhecem?”. Talvez reconheçam Deus, talvez reconheçam e creiam genuinamente em Sua existência e estejam dispostos a segui-Lo e a buscar a verdade, mas uma coisa nunca mudará: eles nunca renunciarão à sua ambição por poder e status nem desistirão de sua busca dessas coisas devido a seus ambientes ou à atitude de Deus em relação a eles. Essas são as características dos anticristos. Por mais que uma pessoa tenha sofrido, por mais que tenha entendido da verdade, por mais que tenha entrado em verdades-realidade e por mais que possua conhecimento de Deus, além desses fenômenos e manifestações externos, ela nunca se controlará nem renunciará à sua ambição e busca por status e poder, e isso determina precisamente sua natureza-essência. Não há a menor imprecisão em Deus definir tais pessoas como anticristos; isso foi determinado pela própria natureza-essência delas. Algumas pessoas talvez costumassem crer que anticristo fosse qualquer um que tentasse disputar a humanidade com Deus. Contudo, às vezes anticristos não têm necessariamente que disputar com Ele; têm simplesmente que ser aqueles cujo conhecimento, entendimento e necessidade de status e poder sejam diferentes dos das pessoas normais. As pessoas normais podem ser vaidosas; podem tentar ganhar crédito com as outras e causar uma boa impressão nelas e podem tentar disputar uma boa posição. Essa é a ambição das pessoas normais. Quando são substituídas como líderes, perdendo sua posição, elas superam; com uma mudança em seu ambiente, algum crescimento em sua estatura, alguma conquista de entrada na verdade ou o ganho de um entendimento mais profundo da verdade, sua ambição gradualmente arrefece. Uma mudança ocorre na senda que elas tomam e na direção em que se movem e sua busca por status e poder se dissipa. Seus desejos também diminuem gradualmente. Anticristos, porém, são diferentes: nunca poderiam desistir de sua busca por status e poder. A qualquer momento, em qualquer ambiente e independentemente das pessoas que tenham ao redor e por mais que possam ser velhos, sua ambição nunca mudará. O que indica que sua ambição nunca mudará? Supondo que sejam líderes de igreja: eles desejariam controlar todos na igreja. Então, poderiam ir para outra igreja, onde não sejam os líderes, mas ainda anseiam por aquele status. Aonde quer que tais pessoas vão, elas querem exercer poder. O coração delas não está inchado de ambição? O que manifestam vai além do reino da humanidade normal. Não há algo anormal nisso? O que é anormal nisso? O que elas manifestam não é o que deveria ser manifestado por uma humanidade normal. O que manifestam? O que é que faz com que isso se manifeste? Isso é causado por sua natureza. Elas são espíritos malignos. Não é o mesmo que uma corrupção comum; há uma diferença. Os anticristos não pararão por nada em sua busca por status e poder; ficam totalmente absortos por ela. Essa é sua natureza-essência; é sua forma original e sua verdadeira face. Eles não competem meramente com Deus por status, mas também competem com as pessoas por status. Quer os outros estejam dispostos ou de acordo ou não, os anticristos tentam ativamente controlá-los e ser seus líderes, sem consideração por seus desejos. Aonde quer que vão, os anticristos querem estar no comando e ter a última palavra. Essa é a natureza deles? As pessoas querem ouvir você? Elas os escolheram? Elas os elegeram? Elas concordam que eles tenham a última palavra? Ninguém quer que essas pessoas tenham a última palavra e ninguém as ouve, mas elas ainda tentam tê-la. Isso é um problema? Elas são totalmente despudoradas e descaradas. Quando são líderes, tais pessoas são anticristos; quando não são líderes, também são anticristos.

Extraído de ‘Eles confundem, atraem, ameaçam e controlam as pessoas’ em “Expondo os anticristos”

O apreço que os anticristos têm por seu status e prestígio vai além do das pessoas normais e é algo de dentro de seu caráter e essência; não é um interesse temporário nem o efeito transitório de seu ambiente — é algo de dentro de sua vida, de seus ossos, e é, portanto, sua essência. Isso quer dizer que, em tudo que um anticristo faz, sua primeira preocupação é seu status, seu prestígio, nada mais. Para um anticristo, status e prestígio são sua vida e seu objetivo vitalício. Em tudo que faz, sua primeira consideração é: “O que acontecerá com meu status? E com meu prestígio? Fazer isso me dará prestígio? Elevará meu status na mente das pessoas?”. Essa é a primeira coisa em que ele pensa, e é prova suficiente de que ele tem o caráter e a essência de um anticristo; se não fosse assim, ele não se esforçaria tanto. Pode-se dizer que, para um anticristo, status e prestígio não são uma exigência adicional, muito menos algo extrínseco do qual ele pudesse abrir mão. São parte da natureza dos anticristos, estão em seus ossos, em seu sangue, são inatos para eles. Os anticristos não são indiferentes a se possuem status e privilégio; essa não é sua atitude. Qual, então, é sua atitude? Status e privilégio estão intimamente conectados ao seu dia a dia, ao seu estado diário, ao que aspiram diariamente. E assim, para os anticristos, status e prestígio são sua vida. Não importa como vivam, não importa o ambiente em que vivam, não importa o trabalho que façam, não importa ao que aspirem, quais sejam seus objetivos, qual seja a direção de sua vida, status e prestígio são o propósito de sua busca, o objetivo que buscam e ao qual seu coração não pode renunciar. Essa é a face verdadeira dos anticristos e sua essência. Você poderia colocá-los numa selva primordial, no meio das montanhas, e, mesmo assim, eles não renunciariam a status e prestígio; você pode colocá-los num grupo de pessoas comuns, e tudo em que pensam continua sendo status e prestígio. E então, uma vez que adquirem fé, eles veem status e prestígio como equivalentes à busca de fé em Deus; o que quer dizer que, enquanto trilham a senda de fé em Deus, eles também buscam status e prestígio. Pode-se dizer que, em seu coração, eles acreditam que a fé em Deus e a busca da verdade são a busca de status e prestígio; busca de status e prestígio também é a busca da verdade, e ganhar status e prestígio é ganhar verdade e vida. Na senda de fé em Deus, se acharem que não ganharam status substancial — se ninguém os reverenciar ou admirar, se não forem exaltados entre os outros e não tiverem poder de fato —, eles ficarão desencorajados e acreditarão que não há significado nem valor na fé em Deus. “A maneira com que acredito não é aprovada por Deus? Eu não ganhei vida?” Em sua mente, eles computam essas coisas com frequência; planejam como podem ganhar uma posição na casa de Deus ou no ambiente em que estão, como podem ganhar uma reputação elevada e certo nível de autoridade, como podem fazer com que as pessoas os ouçam e os bajulem quando falam, como podem fazer com que façam o que dizem, como, num grupo, podem mandar unilateralmente nas coisas e asseverar sua presença. É nisso que costumam pensar. É por isso que essas pessoas lutam. Por que estão sempre pensando nessas coisas? Depois de ouvirem a verdade, depois de ouvirem sermões, depois de lerem as palavras de Deus, eles realmente não entendem nada disso? As palavras de Deus e a verdade realmente não são capazes de mudar suas noções, ideias e opiniões? Isso é um problema de natureza e essência das pessoas.

Extraído de ‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (III)’ em “Expondo os anticristos”

Qual é o lema dos anticristos, qualquer que seja o grupo em que estão? “Devo competir! Competir! Competir! Devo competir para ser o mais alto e o mais poderoso!” Esse é o caráter dos anticristos; para onde quer que vão, eles competem e tentam alcançar seus objetivos. São os lacaios de Satanás e perturbam o trabalho da casa de Deus. O caráter dos anticristos é assim: eles competem com qualquer um que demonstre excelência em seu trabalho profissional, com qualquer um que acredita em Deus há muito tempo, com qualquer um que tem alguma habilidade especial, com qualquer um que tenha beneficiado os irmãos e irmãs em sua entrada na vida, com qualquer um que seja bem-visto, com qualquer um sobre o qual os irmãos e irmãs falem bem, com qualquer um que tenha mais coisas positivas. Em suma, toda vez que os anticristos estão num grupo de pessoas, isso é o que sempre fazem. Eles competem por status, competem por uma reputação elevada, competem pela última palavra em assuntos e pelo poder máximo de tomar decisões no grupo, algo que, uma vez que ganharam, os deixa felizes. Mas eles fazem algum trabalho de fato após conseguir essas coisas? (Não.) Eles não competem por essas coisas para realmente fazer algum trabalho. Seu objetivo é derrubar todos os outros: “Quem se importa se você foi convencido? Em termos de capital, eu tenho mais; em termos de fala, eu sou o mais eloquente; em termos de habilidade no trabalho profissional à mão, eu sou imbatível”. Eles competem em tudo. Quando os irmãos e irmãs os escolhem como supervisores, eles competem com seus parceiros pela última palavra, pela autoridade de tomar decisões; se a igreja os colocar no comando de algum trabalho, eles querem ter a última palavra sobre como ele é executado e lutam para que aquilo que dizem, suas ideias e decisões, seja adotado e realizado. Se os irmãos e irmãs adotarem a sugestão de outra pessoa, eles os impedirão. Se você não fizer o que dizem, eles lhe mostrarão quem é o chefe, para que você pense que não consegue se virar sem eles e para que sinta as consequências se não fizer o que eles dizem. É assim arrogante, odioso e insensato o caráter dos anticristos. O que se revela neles é uma total ausência de humanidade e, ainda mais, de senso. Tudo em seu comportamento mostra uma total falta de racionalidade em suas ações. Eles não aceitam o que você diz; não importa quão corretas suas palavras possam ser, eles não as consideram e você acaba num beco sem saída. O único princípio que conseguem aceitar é: qualquer que seja o grupo em que estão, se conseguem ganhar o status e o prestígio que lhes são devidos, seu coração fica à vontade: acreditam que isso seja o valor de sua existência. Não importa em que grupo de pessoas estão, eles precisam mostrar às pessoas a “luz” e o “calor” que fornecem, seus talentos especiais, sua singularidade. E já que acreditam que são especiais, eles pensam naturalmente que devem ser mais bem tratados do que os outros, que devem receber o apoio e a admiração das pessoas, que as pessoas devem admirá-los, adorá-los — acreditam que merecem tudo isso. Essas pessoas não são uma grande encrenca? O senso comum diria que, quando algo acontece, as pessoas devem ouvir quem está certo, que as palavras de quem quer que seja que são benéficas para a casa de Deus devem ser obedecidas, que as pessoas devem adotar as ideias de quem quer que seja que estejam alinhadas com as verdades-princípio — mas se o senso comum prevalecesse, as pessoas poderiam não adotar as ideias deles, então o que eles fazem? Eles entram em pânico e ficam tentando defender e vindicar suas ideias e sugestões, fazendo de tudo para convencer os outros, para fazer com que os irmãos e irmãs os ouçam e adotem sua sugestão. Eles não pensam em como sua sugestão afetaria o trabalho da casa de Deus se fosse adotada; isso não está dentro do escopo de sua consideração. Eles só pensam: “Como poderei mostrar a minha cara se as minhas sugestões não forem adotadas desta vez? Então, devo competir — competir para que a minha sugestão seja adotada”. É isso que eles pensam e fazem toda vez — e esse é precisamente o caráter de um anticristo.

Extraído de ‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (III)’ em “Expondo os anticristos”

Uma das características mais óbvias da essência de um anticristo é que ele é como um déspota comandando sua ditadura: ele não ouve ninguém, despreza todos, e o que qualquer um diz, faz, os insights que cada um tem, seus pontos de vista, seus pontos fortes — são todos inferiores aos seus olhos. Parece-lhe que ninguém é apto a participar do que desejam fazer, nem são qualificadas para ser consultadas ou dar sugestões — esse é o tipo de caráter de um anticristo. Algumas pessoas dizem que isso é ter uma humanidade pobre — como poderia ser somente humanidade pobre comum? Isso é inteiramente um caráter satânico; esse tipo de caráter extremamente feroz. Por que digo que seu caráter é extremamente feroz? Anticristos pensam no trabalho da casa de Deus, inclusive nos interesses da igreja, como inteiramente seus, como propriedade pessoal que deveria ser administrada completamente por eles, sem a interferência de nenhuma outra pessoa. E assim as únicas coisas em que pensam quando fazem a obra da casa de Deus são os próprios interesses, seu status e prestígio. Eles rejeitam qualquer pessoa que, aos seus olhos, seja uma ameaça ao seu status e reputação; eles os suprimem e põem no ostracismo. Até excluem e suprimem pessoas que são úteis e adequadas para o desempenho de certos deveres especiais. Eles não têm a menor consideração pelo trabalho da casa de Deus, nem pelos interesses da casa de Deus. Se alguém pode ser uma ameaça ao status deles, não se submete a eles, não lhes dá atenção, eles o excluem, o mantêm a distância. Não permitem que cooperem com ele e, sobretudo, não permitem que desempenhe qualquer papel importante ou tenha qualquer utilidade importante dentro de seu âmbito de poder. Não importa quão meritórios sejam os feitos dessas pessoas ou como seja grande a coisa que fizeram pela casa de Deus, os anticristos encobrem, minimizam, não o mostram na frente dos irmãos e as irmãs, e os mantêm no escuro. Além disso, os anticristos muitas vezes trazem à tona as falhas e corrupções dessas pessoas entre os irmãos e as irmãs, dizendo que essas pessoas são arrogantes, que fazem confusão por causa de pessoas e questões, que estão sujeitas a liquidar os interesses da casa de Deus, que ajudam estranhos em vez da casa de Deus, que são ignorantes, e assim por diante. Encontram todo tipo possível de desculpa para excluir e suprimir essas pessoas. Na verdade, algumas dessas pessoas têm uma habilidade especial, e algumas têm apenas uma pequena falha. Em geral, estão aptas a cumprir um dever, estão de acordo com os princípios daquelas que cumprem um dever. Mas aos olhos dos anticristo, pensam: “De forma alguma aturarei isso. Você quer ter um papel dentro do meu domínio, quer competir comigo. Isso é impossível, nem pense nisso. Você é mais capaz do que eu, mais articulado do que eu, mais educado do que eu e mais popular do que eu. O que eu faria se você roubasse meu trovão? Você quer que eu trabalhe com você? Nem pense nisso!” Eles estão considerando os interesses da casa de Deus? Não. Tudo em que estão pensando é em como preservar seu status; nesse caso, preferem prejudicar os interesses da casa de Deus a usar essas pessoas. Isso é exclusão. Além disso, cultivam idiotas sem qualquer habilidade, pessoas que são incompetentes, fáceis de mandar, maleáveis e ignorantes, pessoas que não têm visão, que não pensam por si mesmas, que não entendem a verdade — são as únicas pessoas que eles cultivam. Os incrédulos têm um ditado: “Prefiro conduzir o cavalo de um homem verdadeiro e segurar os estribos para ele do que ser o ancestral de um preguiçoso”. Mas os anticristos são exatamente o oposto: eles seriam os ancestrais desses ociosos. Isso não é a manifestação da incompetência? Por exemplo, eles mencionam alguém que não é arrogante e pode contribuir. Quando você lhes pergunta como essa pessoa está entendendo a verdade, eles dizem: “Ela entende aceitavelmente bem, ela tem algum calibre”. Na verdade, essa pessoa que eles mencionaram se esconde quando encontra um pequeno problema, ela não tem fé. Entre essas pessoas, existem aquelas que não entendem a verdade, aquelas que não entendem as questões espirituais, aquelas que sempre reclamam em particular, e aquelas que sempre cometem erros. São um bando de idiotas, os anticristos são seus ancestrais, e são essas pessoas que eles cultivam. São essas pessoas que os anticristos estão propensos a cultivar quando se tornam “líderes” na casa de Deus, e isso não resulta em atraso na obra da casa de Deus? Eles não têm consideração pelas pessoas que têm um pequeno calibre, que são capazes de entender um pouco da verdade, que buscam a verdade, que praticam um pouco da verdade e que podem realizar a obra da casa de Deus. Por que isso? Essas pessoas nunca se tornariam seus escravos e seguidores, nunca ficariam à sua disposição, então eles cultivam um grupo de pessoas que são tolas, tímidas, ignorantes, estúpidas, lentas e que não têm mente própria — esse é o tipo de lixo que cultivam. Essa maneira de agir é benéfica para o trabalho da casa de Deus? Não. E eles pensam nisso? No que estão pensando? “Estou procurando qualquer um com quem eu possa trabalhar e prosperar, que me faça sentir importante e possa destacar meu valor.” O grupo deles é um bando de idiotas que não entendem de assuntos espirituais. Nenhum deles busca a verdade quando encontra um problema, nenhum deles entende a verdade, nenhum deles trata as coisas de acordo com os princípios-verdade. Há uma coisa, entretanto, que os anticristos gostam neles: quando encontram um problema, essas pessoas procuram os anticristos e fazem o que eles dizem. Esse é o princípio segundo o qual os anticristos encontram pessoas com quem trabalhar. Encontram um bando de idiotas, um monte de lixo para trabalhar e beijar seus pés — e, no final das contas, parte da obra da casa de Deus é interrompida. Os interesses da igreja e a velocidade da obra são afetados, mas essas pessoas não têm noção disso e até dizem: “Isso não é só culpa minha”. Se todos disserem que a culpa não é sua, de quem é então? Se ninguém assumir a responsabilidade quando ocorre um problema, de que adiantou ouvir sermões durante todos esses anos? Os fatos estão bem diante de seus olhos, mas eles ainda não os reconhecem. Que tipo de pessoa é essa? Esse fato prova que as pessoas que os anticristos escolhem não são boas; não aceitam a verdade. Os anticristos deliberadamente se unem a idiotas, desgraçados desprezíveis e imprestáveis que não aceitam nem amam a verdade. Eles os prendem com seus laços, insinuando-se com essas pessoas até que sejam compatíveis, em termos íntimos, e se deem bem. O que é isso? Não é uma gangue de anticristos? Quando você substitui seus “ancestrais”, seus filhos fiéis, elas julgam e dizem que o Alto está sendo injusto e se unem para defendê-los. Os anticristos são apenas pessoas más? Alguns anticristos são perdulários sem nenhum talento significativo, mas uma coisa eles têm: sua predileção especial por status. Não pense que, sendo sem talento e sem educação, eles não amam status; isso está errado, e mostra que você não compreendeu completamente a essência dos anticristos. Qualquer um que é um anticristo adora status. Já que os anticristos não são capazes de trabalhar ao lado de ninguém, como são capazes de cultivar um monte de ovos podres e beijadores de pés? Eles querem trabalhar com essas pessoas? Se fossem realmente capazes de trabalhar com essas pessoas, aquelas palavras não seriam verdadeiras. Eles são incapazes de trabalhar com alguém — e esse “alguém” também inclui as pessoas que eles cultivam. Então, o que eles estão fazendo ao cultivá-las? Eles cultivam um grupo que é fácil de comandar e manipular, que não consegue pensar por si mesmo, que faz tudo o que lhe é ordenado, que trabalha com eles para proteger seu status. Proteger seu status sem ajuda seria um pouco difícil, um pouco árduo, e por isso eles cultivam esse grupo de pessoas — um grupo que, aos seus olhos, é supostamente “espiritual” — que suportam alegremente as adversidades e são capazes de proteger os “interesses da casa de Deus”. Cada uma delas realiza muitas tarefas diferentes e vai até os anticristos para fazer perguntas ou consultar sempre que encontra um problema. Acham que é isso que significa trabalhar ao lado das pessoas. Mas é isso? Eles encontram um monte de pessoas para dar ordens, para fazer sua obra, para consolidar seu status. Isso não é cooperar — é administrar sua operação pessoal.

Extraído de ‘Eles queriam que os outros obedecessem apenas a eles, não à verdade nem a Deus (I)’ em “Expondo os anticristos”

Os anticristos se comportam de modo individualista e ditatorial, nunca comungam com os outros e obrigam as pessoas a lhes obedecer. Isso é um certo tipo de comportamento, um conjunto de comportamentos que compartilham a mesma natureza. Pode-se dizer que, não importa o que os anticristos façam, não importa que decisões tomem ou que arranjos efetuem, eles nunca os comunicam aos outros, nunca buscam consenso com os outros e nunca buscam princípios para trabalhar e praticar. Além do mais, não esclarecem as pessoas sobre por que agem dessa forma; as pessoas ficam presas em confusão, mas devem fazer o que os anticristos dizem. Se alguém faz perguntas, os anticristos não desejam comungar nem explicar, e mantêm essas questões totalmente controladas em determinado estado — e qual é esse estado? Nesse estado, ninguém tem o direito a conhecimento; os anticristos fazem o que querem, e o que acreditam ser correto deve ser executado plenamente, sem que a ninguém mais seja permitido fazer perguntas ou saber, muito menos trabalhar em parceria com eles. As pessoas só podem fazer o que lhes é ordenado. Qual é a visão dos anticristos em relação a isso? “Já que me escolheram como líder, vocês estão sob meu controle e devem fazer o que eu digo. Se não quiserem fazer o que eu digo, não me escolham — se me escolherem, devem fazer o que eu digo! Somente eu tenho a última palavra sobre o que fazemos.” Então, aos olhos deles, qual é a relação entre eles e os seguidores que estão abaixo? São eles que dão as ordens, e aqueles que estão abaixo não podem analisar se eles estão certos ou errados, nem podem repreendê-los, distingui-los, questioná-los ou duvidar deles, nem fazer perguntas sobre nada — nenhuma dessas coisas é permitida. Sempre que um anticristo apresenta um novo plano, declaração ou maneira de fazer as coisas, todos devem aplaudir, em apoio; não pode haver perguntas. Não há algo de coercitivo nisso? Que tipo de método é esse? Comportar-se de modo individualista e ditatorial. Que tipo de caráter é esse? (Malícia.) Sob a perspectiva do significado superficial da expressão “comportar-se de modo individualista e ditatorial”, “comportar-se de modo individualista” significa que somente a sua palavra vale, e “de modo ditatorial” significa que, depois de eles terem feito os julgamentos e tomado as decisões sozinhos, todos os demais devem executá-los, e a ninguém mais é permitido ter opiniões ou ideias diferentes, nem mesmo fazer perguntas. Seu comportamento individualista e ditatorial significa que, quando encontram um problema, eles não refletem muito sobre ele e logo decidem o que fazer; tomam essas decisões sozinhos, em particular, sem considerar mais ninguém. Ninguém mais, nem mesmo seus parceiros nem os líderes acima deles, pode opinar minimamente sobre o que deve ser feito. É isso que significa “comportar-se de modo individualista e ditatorial”. E quais são o princípio e o método perene segundo os quais essas pessoas agem? Quando se deparam com um problema, eles começam a ponderar, em sua mente, o analisam deste e daquele jeito em sua cabeça — mas ninguém mais sabe o que eles estão pensando. E por que ninguém sabe? Porque eles não dizem nada. Algumas pessoas alegam que é porque eles não gostam de falar. É isso mesmo? Isso não é um problema de caráter; eles não dizem nada porque não querem lhe dizer nada, de propósito. Querem agir sozinhos; calculam sozinhos o que devem fazer. O que estão calculando? Isso envolve seus interesses, status, prestígio e reputação; eles calculam todas essas coisas e dizem a si mesmos: “Como posso encontrar uma maneira de garantir meu status, de impedir que os que estão abaixo de mim enxerguem através de mim, e, o mais importante, de esconder tudo do Alto? Não é uma tarefa fácil. Se eu encontrar um problema e comungar sobre ele com os irmãos e irmãs abaixo de mim sem pensar bem, todos enxergarão através de mim, e, quando fizerem isso, qualquer um poderá me delatar e relatá-lo ao Alto, que pode muito bem me dispensar, caso em que não serei capaz de manter meu status. Além disso, se eu comungar constantemente com os outros, esse meu pequeno talento não será exposto a todos? As pessoas não me menosprezariam então?”. Vocês diriam que é uma coisa boa ou uma coisa ruim as pessoas realmente enxergarem através deles? De fato, para aqueles que buscam a verdade, que são honestos, a perda de um pouco de respeito ou de reputação ou a possibilidade de as pessoas enxergarem através deles não os afetam de forma alguma; eles parecem não sentir essas coisas, não ter consciência significativa disso; não veem isso como especialmente importante. Os anticristos, por sua vez, são exatamente o oposto: eles não buscam a verdade e veem seu status e o ponto de vista e as atitudes das outras pessoas em relação a eles como mais importantes que sua própria vida. Se lhes oferecessem ouro e, em troca, eles tivessem que dizer a verdade, falar sobre a situação real, sobre o que acontece por dentro, eles aceitariam a oferta? Se lhes oferecessem apenas uma pequena quantia de ouro, eles achariam que não vale a pena; não aceitariam a oferta e continuariam a se revestir de fingimento, dizendo: “Nós crentes em Deus não amamos o dinheiro, amamos a verdade”. Se lhes oferecessem uma grande quantia de ouro, eles diriam algumas coisas superficiais, mas genuínas, a fim de obter o dinheiro de modo fraudulento, e então continuariam do mesmo jeito, sem nenhuma mudança. É isso que significa a expressão “Um leopardo não pode mudar suas manchas”.

Extraído de ‘Eles agem sorrateiramente, comportam-se de modo individualista e ditatorial, nunca comungam com as pessoas e as obrigam a obedecer’ em “Expondo os anticristos”

Os anticristos têm o mesmo caráter do arcanjo. O arcanjo disse: “Os céus, a terra e todas as coisas foram feitas por mim, e a humanidade está sob meu controle”, e, por isso, ele estragou e corrompeu a humanidade como quis. Assim que os anticristos vêm ao poder, eles dizem: “Todos vocês devem acreditar em mim e me seguir. Eu tenho o poder, eu tenho a última palavra, então me procurem quando algo acontecer e tragam-me o dinheiro da igreja”. Outros dizem: “Por que devemos lhe dar isso?”. “Porque eu sou o líder — eu tenho o poder de tratar dessas questões, e cabe a mim cuidar de tudo!” Então eles cuidam de tudo. Não lhes importa se os irmãos e irmãs não têm palavras de Deus para comer e beber ou se não têm sermões ou livros. No entanto, importam-se com quem está com o dinheiro, quanto dinheiro existe e como ele deve ser usado. Se o Alto indagasse sobre o status financeiro da igreja, eles não só não entregariam o dinheiro da igreja, como também não informariam a verdade ao Alto. Por que esconderiam a verdade do Alto? Eles querem fraudar, dominar — é essa a razão? Os anticristos são extremamente interessados em bens materiais, dinheiro e status, e certamente não são o que parecem quando dizem: “Agora eu acredito em Deus e parei de buscar coisas mundanas e parei de cobiçar dinheiro”. Eles definitivamente não são tão simples quanto parecem. Por que fazem tudo que podem para buscar e manter status? Porque querem ter ou controlar e dominar tudo que o status traz. Eles são os descendentes autênticos do arcanjo e fazem jus ao seu nome, como natureza e essência do arcanjo. Qualquer um que busca status e se concentra em riqueza e dinheiro certamente tem um problema em seu caráter. Este não é simplesmente um caso de ter o caráter de um anticristo; o que é, então? Em primeiro lugar, se lhes fosse permitido assumir a responsabilidade por uma tarefa, eles não permitiriam que outros interferissem; além disso, assim que se tornam supervisores de qualquer tarefa, eles buscarão maneiras de exibir, defender e elevar a si mesmos, fazer com que se destaquem da multidão e se tornem os mais altos, agarrando-se a e lutando por status; além do mais, quando veem propriedade, seu olhar se torna ganancioso, e sua mente passa a estar sempre muito ocupada, pensando e empenhada em dinheiro. Tudo isso são indicativos de um anticristo. Eles não se interessam em qualquer menção de comunicar a verdade ou de querer saber dos estados de irmãos e irmãs, ou quantos deles estão se sentindo fracos ou negativos, ou quão bem todos estão cumprindo seus deveres; mas quando o assunto é dinheiro, quem pode doar, quando se trata de somas, onde são guardadas, essas são as coisas com as quais eles mais se importam. Isso é uma característica e um sinal de um anticristo.

Extraído de ‘Eles queriam que os outros obedecessem apenas a eles, não à verdade nem a Deus (II)’ em “Expondo os anticristos”

O mal dos anticristos tem uma característica principal — compartilharei com vocês o segredo de como discerni-la. O segredo é este — em primeiro lugar, seja em sua fala ou em suas ações, eles são insondáveis para você; você não consegue lê-los. Quando estão falando com você, seus olhos não ficam parados, e você não consegue saber que tipo de esquema estão tramando. Mesmo quando aparentam ser muito “sinceros” e “honestos”, você não consegue entendê-los. Você tem um sentimento peculiar em seu coração, uma sensação de que existe uma sutileza profunda em seus pensamentos, uma profundeza insondável. Eles parecem estranhos, que guardam segredos. Essa é a primeira característica, e isso já é uma característica do mal. A segunda característica do mal dos anticristos é que eles falam e se comportam de maneiras muito enganosas. Onde se vê essa enganação? Ela pode ser vista no fato de que eles são especialmente hábeis em compreender a psicologia dos outros, suas palavras soam agradáveis e corretas; eles expõem teorias profundas e dizem as coisas certas, coisas que os outros consideram aceitáveis a partir dos pontos de vista das emoções, da consciência, da razão e da ideologia. Mas existe uma coisa que você deve discernir: todas essas coisas agradáveis que dizem, eles nunca as honram pessoalmente. Suponha, por exemplo, que eles dizem que você deve ser uma pessoa honesta, como deve orar quando é confrontado com um problema ou como deve deixar Deus assumir o controle em sua vida — observe o que eles fazem quando são confrontados com problemas. Eles confiam em ideias próprias, em seu raciocínio, e confiam em suas habilidades, quebram a cabeça, fazem isto e aquilo. Tentam de tudo para fazer com que as outras pessoas lhes prestem serviço, que cuidem de seus assuntos. Algo que eles não fazem é orar a Deus. Também falam da boca para fora como as pessoas devem aceitar e se submeter às orquestrações e aos arranjos de Deus, mas quando confrontados com seus próprios problemas, a primeira coisa que fazem é procurar uma saída. Eles não aceitam as orquestrações e os arranjos de Deus — o que as pessoas veem é que eles não se submetem em suas ações, apenas tentam buscar uma saída para si. Esse é o lado maligno dos anticristos, que está por trás de seu aspecto enganoso. Às vezes, em seu trabalho, eles labutam até tarde da noite, ou até se abstêm de comida e sono, mas quando são confrontados com um arranjo feito pela casa de Deus, eles não o implementam nem o colocam em prática e não aceitam a verdade. Outro comportamento que revelam é que, quando irmãos e irmãs expressam uma opinião com a qual eles não concordam, eles a rejeitam indiretamente, falando em círculos. Você se sente como se eles estivessem levando sua ideia muito a sério; eles partilham comunhão e a discutem com todos, mas mesmo depois de tudo isso, você ainda precisa fazer o que eles dizem. Eles farão de tudo para negar as ideias das outras pessoas, para fazer com que os outros os sigam e façam o que eles dizem. Isso é buscar as verdades-princípio? Qual é o princípio que eles estão colocando em prática? É fazer com que todos os ouçam e se submetam a eles e que ouvir outras pessoas nunca pode ser tão bom quanto dar ouvidos a eles, que suas ideias são as melhores, as mais elevadas, e que eles mesmos são a verdade e que aquilo que dizem é absolutamente correto. Isso não é maligno? A terceira característica do mal de um anticristo é que, sempre que dão testemunho de si mesmos — dando testemunho de seu mérito, do preço que pagaram e de algumas coisas que fizeram bem na superfície, que todos podem ver, ou de coisas que podem trazer benefícios para os outros e também para eles — sempre que terminam de dizer todas essas coisas, eles concluem dizendo algo especialmente espiritual como: “Graças a Deus; tudo isso foi feito por Ele”, levando você a ver que eles são tão capazes, mas ainda assim podem dar testemunho de Deus, quando, na verdade, só estão dando testemunho de si mesmos e transformando Deus numa nota de rodapé. Eles não deram nenhum testemunho de Deus; estão usando isso como uma oportunidade para dar testemunho apenas de si mesmos. Isso não é um truque astuto da parte de um anticristo? Isso não é maligno? Com essas três coisas como base, os anticristos podem facilmente ser discernidos.

Existe outra característica marcante dos anticristos, que também é uma das expressões primárias de seu caráter e essência malignos. Quer estejam ouvindo sermões ou comunhão ou participando de uma reunião — não importa como outros irmãos e irmãs comunguem sobre seu conhecimento de si mesmos, sobre a aceitação de serem julgados, castigados, tratados e podados, sobre cumprirem corretamente os deveres, sobre ocuparem uma posição adequada a um ser criado, sobre renunciarem ao seu anseio por bênçãos, qual é a atitude dos anticristos em relação a isso? Não importa como os outros comunguem ou quantas pessoas compartilhem sua comunhão, os anticristos nunca mudam seu motivo de buscar status e bênçãos. É por isso que, sempre que já trabalharam por algum tempo, eles contam as coisas que fizeram, quais contribuições fizeram para a casa de Deus e quais assuntos resolveram para os irmãos e irmãs. Estão sempre fazendo cálculos secretamente, contando coisas em seu coração e pechinchando com Deus. Por que pechinchariam por essas coisas? É porque, no fundo do seu coração, seu objetivo em sua busca e em sua fé sempre foi, desde o começo, correr atrás de bênçãos. Não importa por quantos anos ouçam sermões ou quanto das palavras de Deus comam e bebam, eles jamais renunciarão ao seu desejo e motivo de receber bênçãos. Se você lhes pede que sejam seres criados responsáveis e aceitem o governo e os arranjos de Deus, eles dizem: “Essa não é a senda correta; não é o que devo buscar. O que estou procurando é, depois de ter travado a batalha, depois de ter feito o esforço necessário e sofrido a adversidade necessária, depois de ter feito tudo de acordo com os padrões de Deus, que tipo de recompensa Deus me dará, se eu serei um dos preservados, que tipo de posição terei no reino de Deus e qual será meu destino final?” Não importa como comungue, você nunca dissipará esse motivo e o anseio que abrigam. Eles são da mesma laia de Paulo. Não existe certo tipo de caráter feroz abrigado dentro desse tipo de mal?

Extraído de ‘Eles são malignos, insidiosos e enganosos (II)’ em “Expondo os anticristos”

A atitude arquetípica dos anticristos em relação a tratamento e poda é recusar-se veementemente a aceitar ou admiti-los; não importa quanto dano tenham causado aos irmãos e irmãs e à casa de Deus, eles não sentem nem um pouco de remorso, não acham que devem alguma coisa. Sob esse ponto de vista, os anticristos têm humanidade? (Não.) Eles causaram tanto dano à vida dos irmãos e irmãs e a todos os aspectos dos interesses da casa de Deus — qualquer um consegue enxergar isso, e todos que enxergam isso diriam que é assim mesmo —; mesmo assim, os anticristos não aceitam nem reconhecem esse fato, insistem teimosamente em sua posição e não admitem que estão errados nessa questão, que são responsáveis. Isso não é um indício de que eles detestam a verdade? Tal é o ódio dos anticristos contra a verdade; tal é a maneira com que tratam desses assuntos. Isso não é o mesmo que não levar a sério os interesses da casa de Deus, da igreja, dos irmãos e irmãs? Se reconhecessem que prejudicaram os interesses dos irmãos e irmãs e da casa de Deus, eles teriam que aceitar a responsabilidade, e, ao mesmo tempo, seu status e prestígio seriam seriamente comprometidos — então eles se recusam firmemente a admitir; não podem admitir de jeito nenhum, e mesmo que admitam o fato em seu coração, não o farão exteriormente. Seja sua negação deliberada ou não, em suma, em um aspecto, tais coisas indicam claramente a essência dos anticristos de ódio e hostilidade em relação à verdade; em outro aspecto, mostram quanto os anticristos prezam seus interesses e têm a atitude de desdenhar e negar a responsabilidade em relação aos interesses da casa de Deus e da igreja. Eles não têm humanidade. O fato de os anticristos se esquivarem das responsabilidades demonstra esses problemas? (Sim.) Em um aspecto, esquivar-se da responsabilidade representa a atitude de hostilidade em relação à verdade; em outro, mostra sua falta de humanidade. Não importa quanto os interesses de outras pessoas são prejudicados por causa deles, eles não sentem nenhuma autorrecriminação e jamais poderiam ser perturbados por isso. Que tipo de criatura é essa? Se admitissem só um pouco, dizendo: “Eu tive algo a ver com isso, mas nem tudo foi culpa minha”, isso poderia ser considerado como tendo alguma humanidade, alguma consciência, um patamar moral — mas os anticristos não têm nem mesmo esse pouquinho de humanidade. O que, então, vocês diriam que eles são? (O diabo.) A essência dessas pessoas é o diabo. Elas não veem o dano enorme que causaram aos interesses da casa de Deus, não estão nem um pouco incomodadas em seu coração, tampouco se repreendem, muito menos se sentem endividadas. Elas podem ser consideradas pessoas? Isso jamais deveria ser visto em pessoas normais. Isso é o diabo. Ainda que você não lhes pedisse que elas assumissem a responsabilidade pelo que fizeram, mas pedisse apenas que admitissem seu erro, ainda assim elas não conseguiriam fazê-lo, ainda assim não conseguiriam admitir. Elas pensam: “Se eu admitir, não seria igual a dizer que eu estava errado? Eu poderia ser alguém que erra? Eu sempre serei certo e maravilhoso; pedir que eu admita um erro, isso não seria desonrar o meu caráter? Eu jamais poderia cometer um erro. Mesmo que essa questão possa ter algo a ver comigo, eu não a causei e não sou o principal responsável por ela; vá procurar quem queira, mas fique longe de mim. Em todo caso, não posso assumir a responsabilidade por isso, não posso admitir esse erro”. Elas não conseguiriam fazer isso, mesmo se você pedisse que admitissem o erro apenas verbalmente; seria como exigir sua morte — é como se, se admitissem o erro, elas seriam condenadas, iriam para o inferno e seriam lançadas no lago de fogo e enxofre. Em suma, não importa o que as outras pessoas digam ou comunguem, mesmo se os anticristos se forçassem a ficar calados e não argumentassem exteriormente, lá no fundo, eles estão competindo, se defendendo, resistindo. Até que ponto resistem? Existem alguns anticristos que receberam tratamento dez anos antes porque cometeram um erro; quando isso é mencionado uma década depois, eles ainda não admitem que a culpa foi deles nem assumem a responsabilidade; vinte anos depois, quando isso volta a ser mencionado, eles ainda tentam defender a si mesmos; trinta anos depois, quando é mencionado mais uma vez, eles ainda não mudam de curso: continuam tentando se justificar, se inocentar, se defender. Depois de trinta anos, ainda não vêm para diante de Deus para orar sobre a questão, para aceitar o fato, para admitir o erro; ainda não buscam a verdade a ser praticada nem os princípios que deveriam ser seguidos nessa questão; seu coração continua cheio de ressentimento: eles acham que foram injustiçados pelos irmãos e irmãs e que Deus não os entende; acreditam que a casa de Deus deveria se desculpar com eles, que ela dificultou as coisas para eles, que intencionalmente criou problemas para eles e os transformou em bode expiatório. Essas pessoas podem mudar? Seu coração está cheio de hostilidade, resistência e antipatia em relação às coisas positivas; elas acreditam que, quando os outros lidam com elas e as podam por isso, isso é um ataque ao seu caráter, envergonha seu prestígio e causa danos extremos ao seu status; elas nunca vêm para diante de Deus por conta dessa questão para orar e buscar ou reconhecer seus erros, nunca têm uma atitude de arrependimento e reconhecimento de seus erros nem vêm para diante de Deus para aceitar o fato — e se viessem para diante de Deus para orar sobre essa questão, elas o fariam contra a sua vontade e com queixas, que expressariam a Deus para que Ele as retificasse. Querem que Deus lance luz sobre o que aconteceu, julgue apenas quem estava certo e quem estava errado. Além disso, por causa dessa questão, elas até duvidam ou negam a justiça de Deus; duvidam e negam o fato de que a verdade e Deus reinam supremos na casa de Deus e na igreja. Esse é o resultado final quando os anticristos são tratados e podados; eles simplesmente não aceitam a verdade.

Extraído de ‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (III)’ em “Expondo os anticristos”

Não importa quais sejam as circunstâncias, os anticristos sempre sentem que essa pessoa comum que é a carne encarnada de Deus é supérflua para eles, um obstáculo para conhecerem a Deus. Pensam: “Assim que os seres humanos entram em contato com Cristo, Ele se revela como sendo comparativamente tão insignificante e tão corrupto. Enquanto não entramos em contato com Cristo, somos muito santos, mas assim que entramos em contato com Cristo, sentimos que carecemos de tanta coisa. Antes de encontrar Cristo, entendemos um bom bocado de coisas, e nossa estatura é maravilhosa. Esse Cristo é só encrenca”. Assim, acreditam que o melhor seria apenas ler “A Palavra aparece na carne” o máximo possível quando têm algum tempo livre. Não importam quais meios empreguem ou qual seja sua situação, a manifestação principal dos anticristos é que eles tentam negar o fato da encarnação de Deus e o fato de que as palavras da boca de Cristo são a verdade. É como se negar a essência do Deus encarnado e o fato de que as palavras da boca de Cristo são a verdade lhes dessem esperança de salvação. Em sua natureza inata, os anticristos e a carne encarnada de Deus são tão fundamentalmente incompatíveis quanto fogo e água e nunca podem ser reconciliados. Esses anticristos acreditam que: “Enquanto Cristo continuar a existir, não há esperança de que o meu dia virá, e eu estarei em perigo de ser condenado e eliminado, de ser destruído e punido. Mas enquanto esse Cristo não fizer declarações nem fizer Sua obra e as pessoas não O admirarem, até a ponto de esquecê-lo e de relegá-lo ao fundo de sua mente, haverá uma chance para mim”. A natureza e essência dos anticristos é que eles não podem evitar odiar e detestar Cristo; eles se comparam com Cristo no tamanho de seu talento e no nível de sua habilidade, e competem com Ele para ver quais palavras são mais poderosas e quem é mais capaz. Fazendo a mesma coisa que Cristo, tentam mostrar para as pessoas que Cristo, embora também seja um ser humano, não tem nem o talento nem o aprendizado de um ser humano comum. Em todos os aspectos, os anticristos se colocam contra Cristo e competem com Ele. Em todos os aspectos, tentam negar o fato de que Cristo é Deus, a encarnação do Espírito de Deus e a encarnação da verdade. Em todos os aspectos, ficam quebrando a cabeça para encontrar maneiras de impedir que Cristo impere entre os irmãos e irmãs, para impedir que Suas palavras deem fruto entre eles e, além disso, para impedir que as coisas que Cristo faz, que as palavras que Ele fala e que as exigências que Ele faz às pessoas e as expectativas que Ele tem em relação a elas se realizem entre elas. É como se, com Cristo estando presente, esses anticristos serão descartados e se tornarão aquele contingente de pessoas de dentro da igreja que será condenado, abandonado e colocado num canto escuro. A partir de todos os tipos de manifestações, pode-se ver que os anticristos são, em essência, tão profundamente nocivos a Cristo que são irreconciliáveis. Os anticristos nascem com o desejo de se separar de Cristo e de se colocar contra Ele, de derrotar Cristo e matá-lo, de fazer com que a obra feita por Cristo deixe de existir, se torne insustentável e seja incapaz de produzir fruto entre os escolhidos de Deus; não importa a obra que Cristo esteja fazendo e onde esteja operando, eles desejam vê-la totalmente arruinada e sem fruto. Mas quando nada disso ocorre como desejam, há trevas e depressão em seu coração; eles sentem que estes são tempos sombrios e que seu dia jamais virá. Sentem que foram descartados. Essas manifestações dos anticristos mostram que sua essência de oposição e inimizade contra Deus é algo adquirido? (Não.) Nesse caso, é inata. Portanto, é impossível que as pessoas que são anticristos aceitem a verdade e tolerem Cristo. Visto de fora, eles não parecem ter dito ou feito qualquer coisa, e também são capazes de fazer a sua parte e de pagar um preço de uma maneira sensata. Mas assim que eles têm chance, assim que o momento está propício, cenários da incompatibilidade fundamental dos anticristos com Cristo começam a aparecer, e o fato da guerra dos anticristos contra Deus e sua ruptura com Deus se torna plenamente visível. Todas essas coisas aconteceram antes em lugares em que existem anticristos e se tornaram especialmente numerosas durante estes anos da obra de Deus dos últimos dias. Muitas pessoas as experimentaram em primeira mão.

Extraído de ‘Eles odeiam a verdade, violam descaradamente os princípios e ignoram os arranjos da casa de Deus (IV)’ em “Expondo os anticristos”

Os anticristos negam a singularidade de Deus principalmente porque também querem ser Deus. As palavras de Paulo são suas favoritas: “Porque para mim o viver é Cristo, para mim viver é Deus; com a vida de Deus, eu sou Deus”. Eles acreditam que, se essa visão for verdadeira, eles têm esperança de se tornar Deus, de reinar como rei e de exercer controle sobre as pessoas; se não for, sua esperança de reinar como rei e de se tornar Deus é destruída. Em suma, Satanás sempre quer estar em pé de igualdade com Deus — os anticristos também: eles também possuem essa essência. Por exemplo, entre aqueles que seguem a Deus, há pessoas que constantemente exaltam a Deus e testificam Dele, dão testemunho de Sua obra e do efeito que o julgamento e o castigo de Suas palavras têm sobre o homem. Louvam toda a obra que Deus faz para salvar o homem e louvam também o preço pago por Deus. Os anticristos também desejam desfrutar de tudo isso, ou não? Desejam desfrutar de apoio, bajulação, exaltação e até mesmo do louvor das pessoas. E quais outras ideias vergonhosas eles inventam? Querem que as pessoas acreditem neles, dependam deles em todas as coisas; tudo bem se as pessoas confiarem também em Deus — mas se, ao mesmo tempo que dependerem de Deus, sua confiança nos anticristos for ainda mais real, ainda mais genuína, os anticristos ficarão extremamente satisfeitos. Se, ao mesmo tempo que você louva a Deus e dá graças pelo que Deus lhe deu, você também somar todas as conquistas meritórias dos anticristos e os elogiar entre seus irmãos e irmãs, proclamando por toda parte tudo que fazem, então, em seu coração, eles se sentirão maravilhosamente gratificados e ficarão contentes. E assim, falando do ponto de vista da natureza e essência do anticristo, quando você diz que Deus possui autoridade, que Ele é justo e que Ele é capaz de salvar as pessoas, quando você diz que somente Deus possui tal essência, que somente Deus pode fazer esse tipo de obra e ninguém pode assumir Seu lugar ou representá-Lo para fazer essas coisas, e que ninguém pode possuir essa essência e fazer essas coisas: quando você diz isso, os anticristos não aceitam essas palavras em seu coração e se recusam a admiti-las. Por que eles não as aceitam? Porque eles têm ambições — esse é um lado da questão. O outro lado é que eles não acreditam nem reconhecem que a carne encarnada é Deus. Sempre que alguém diz que Deus é único, que somente Deus é justo, eles objetam em seu coração e resistem interiormente, dizendo: “Errado — eu também sou justo!”. Quando você diz que somente Deus é santo, eles dizem: “Errado — eu também sou santo!”. Paulo é um exemplo disso: quando as pessoas espalharam a palavra do Senhor Jesus Cristo, dizendo que o Senhor Jesus Cristo deu Seu sangue precioso pela humanidade, que Ele serviu como sacrifício pelos pecados e salvou toda a humanidade e redimiu toda a humanidade do pecado — como Paulo se sentiu quando ouviu isso? Ele reconheceu que tudo isso era obra de Deus? Ele reconheceu que Aquele que foi capaz de fazer tudo isso era Cristo e que somente Cristo poderia ter feito tudo isso? E ele reconheceu que somente Aquele que era capaz de fazer tudo isso podia representar Deus? Ele não reconheceu. Ele disse: “Se Jesus pôde ser crucificado, então as pessoas também podem ser crucificadas! Se ele pôde dar Seu sangue precioso, então as pessoas também podem! Além disso, eu também posso pregar o caminho, e eu sou mais instruído do que Ele e posso suportar sofrimento! Se você diz que Ele é Cristo, então não deveria também eu ser chamado de Cristo? Se você exalta Seu santo nome, eu também não deveria receber o que me é devido? Se ele é apto para ser chamado de Cristo, se Ele pode representar Deus, e se Ele é o Filho de Deus, então nós também não somos? Nós, que somos capazes de sofrer e pagar um preço, e que podemos labutar e trabalhar para Deus — nós também não podemos nos tornar Cristo? Não podemos também ser louvados por Deus e ser chamados de Cristo? Em que isso se distingue de Cristo?”. Em suma, eles não entenderam a singularidade de Deus, e não entendem o que, em última análise, é a singularidade de Deus. Acreditam que ser Cristo ou ser Deus é algo que se conquista com força de talento e capacidade, da mesma forma com que se conquista um lugar debaixo do sol por meio de labuta e suor. Você não é chamado de Cristo por ter a essência de Cristo; isso, a pessoa conquista com o próprio suor e trabalho e com a própria capacidade: aquele que é mais talentoso e mais capaz é aquele que se torna um oficial importante e tem a última palavra. Essa é a lógica deles. Os anticristos não reconhecem que a palavra de Deus é a verdade. A essência e o caráter de Deus, dos quais falam as palavras de Deus, são incompreensíveis para eles; são leigos, amadores, ignorantes, por isso sua fala consiste inteiramente em palavras de amadores, em palavras sem entendimento espiritual. Se trabalharam por alguns anos, acham que já são capazes de sofrer e de pagar um preço, que já conseguem produzir um monte de fanfarrice quando pregam, que aprenderam a ser hipócritas, que podem enganar os outros e que ganharam a aprovação de alguns — e assim acreditam, por via de regra, que são capazes de se tornar Cristo, de se tornar Deus.

Extraído de ‘Eles odeiam a verdade, violam descaradamente os princípios e ignoram os arranjos da casa de Deus (I)’ em “Expondo os anticristos”

Anterior: 5. Por que Deus não salva aqueles que têm neles o trabalho de espíritos malignos ou aqueles possuídos por demônios

Próximo: 2. O que é um falso líder ou falso pastor e como ele pode ser identificado

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

4. Como os três estágios da obra de Deus se aprofundam em passos de modo que as pessoas possam ser salvas e aperfeiçoadas

O gerenciamento integral de Deus é dividido em três estágios e em cada estágio são feitas exigências apropriadas ao homem. Além disso, à medida que as eras passam e avançam, as exigências que Deus faz a toda a humanidade se tornam cada vez mais elevadas. Assim, passo a passo, a obra de gerenciamento de Deus se aproxima do clímax, até que o homem contemple o “surgimento da Palavra na carne”, e assim as exigências feitas ao homem se tornam ainda mais elevadas, e as exigências para que o homem dê testemunho se tornam ainda mais elevadas.

2. O mundo religioso acredita que toda a Escritura é inspirada por Deus e é inteiramente Suas palavras; essa visão é falsa

Nem tudo contido na Bíblia é um registro das palavras pronunciadas pessoalmente por Deus. A Bíblia simplesmente documenta os dois estágios prévios da obra de Deus, dos quais uma parte é um registro das previsões dos profetas, enquanto a outra as experiências e conhecimentos escritos por pessoas empregadas por Deus ao longo das eras. Experiências humanas estão contaminadas com opiniões e conhecimentos humanos, o que é inevitável. Em muitos dos livros da Bíblia, há conceitos e preconceitos humanos e interpretações humanas absurdas. É claro que a maioria das palavras resulta da iluminação e esclarecimento do Espírito Santo, e elas são interpretações corretas, mas ainda assim, não se pode dizer que são expressões inteiramente corretas da verdade. Suas visões sobre certas coisas não passam de conhecimento pela experiência pessoal ou da iluminação pelo Espírito Santo. As previsões dos profetas foram instruídas pessoalmente por Deus: as profecias de Isaías, Daniel, Esdras, Jeremias e Ezequiel vieram da instrução direta do Espírito Santo; essas pessoas eram videntes, haviam recebido o Espírito de profecia, todas eram profetas do Antigo Testamento. Durante a Era da Lei, essas pessoas que haviam recebido as inspirações de Jeová fizeram muitas profecias instruídas diretamente por Jeová.

1. As diferenças entre o caminho do arrependimento na Era da Graça e o caminho da vida eterna nos últimos dias

As palavras proferidas por Deus nesta era são diferentes daquelas proferidas durante a Era da Lei e, assim, também diferem das palavras proferidas durante a Era da Graça. Na Era da Graça, Deus não fez a obra da palavra, mas simplesmente descreveu a crucificação a fim de redimir toda a humanidade. A Bíblia apenas descreve porque Jesus deveria ser crucificado, os sofrimentos a que Ele foi submetido na cruz, e como o homem deveria ser crucificado por Deus. Durante aquela era, toda a obra feita por Deus centrou-se em torno da crucificação. Durante a Era do Reino, Deus encarnado profere palavras para conquistar todos aqueles que Nele creem. Esta é “a Palavra que aparece na carne”; Deus veio durante os últimos dias para fazer esta obra, o que significa dizer que Ele veio para realizar o real significado da Palavra que aparece na carne.

1. Se “ser arrebatado” realmente significa ser levado para o ar ou o céu, e se o reino celestial está na terra ou no céu

Quando a humanidade tiver sido restaurada à sua imagem original, quando a humanidade puder cumprir com suas respectivas obrigações, manter seu próprio lugar e obedecer a todos os arranjos de Deus, Deus terá obtido um grupo de pessoas na terra que O adora, e Ele também terá instituído um reino na terra que O adora. Ele terá a vitória eterna na terra, e aqueles que se opõem a Ele irão perecer por toda a eternidade. Isso irá restaurar Sua intenção original ao criar o homem; isso irá restaurar Sua intenção ao criar todas as coisas, e isso também irá restaurar Sua autoridade sobre a terra, Sua autoridade perante todas as coisas e Sua autoridade perante Seus inimigos. Esses são os símbolos de Sua vitória total. Daí em diante, a humanidade entrará no descanso e entrará numa vida que segue pela trilha certa. Deus também entrará em eterno descanso com o homem e entrará na vida eterna compartilhada por Ele e o homem. A imundície e a desobediência na terra irão desaparecer, assim como os lamentos sobre a terra. Tudo na terra que se opõe a Deus não mais existirá. Somente Deus e aquelas pessoas que Ele salvou permanecerão; somente Sua criação permanecerá.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro

Entre em contato conosco pelo Whatsapp