1. O que é um anticristo? Como um anticristo pode ser identificado?

Palavras de Deus relevantes:

Qual é a definição de Deus de um anticristo? Alguém que é hostil a Deus. É um inimigo de Deus! Alguém que é hostil a Deus, hostil à verdade, que detesta a verdade, detesta a Deus e que detesta absolutamente qualquer coisa que seja positiva — essa não é uma pessoa comum que está momentaneamente fraca, tola e levemente enganada em seus pensamentos e opiniões, tampouco é uma pessoa com um entendimento um levemente absurdo que não concorda com a verdade. Esse não é o tipo de pessoa que é. Esse é um anticristo, um inimigo de Deus! Seu papel é o de alguém que odeia absolutamente tudo o que é positivo, odeia toda a verdade e odeia todo o caráter e a essência de Deus. Como Deus trata alguém nesse papel? Deus não o salvará! Tais pessoas desprezam e detestam a verdade, por sua essência. O que é exposto aqui não é o caráter corrupto comum das massas, coisas como arrogância, um toque de dureza ou enganação menor; o que é exposto aqui é maldade, ferocidade e ódio da verdade — essas são as manifestações e os caracteres mais sérios entre os caracteres corruptos e são as coisas mais típicas e essenciais para Satanás. Essa não é uma revelação menor do caráter corrupto existente em pessoas comuns, corrompidas, que não pode nem constituir uma ameaça real à verdade nem se fundir em uma força substancial — essa é uma força hostil a Deus. Essas pessoas podem perturbar e controlar uma igreja e podem destruir e interromper a obra de gerenciamento de Deus. Isso é algo que pessoas comuns e corrompidas fazem? De forma alguma, e, portanto, você não deve subestimar isso. Há pessoas que também têm um caráter maligno, e algumas delas se comportam de modo egoísta e desprezível, outras, de modo diabólico, e que não permitem que os outros mandem nelas e que pensam: “Se as pessoas não me ofenderem, eu não as ofenderei”. Como os anticristos são diferentes disso? Seu principal caráter não é arrogância, mas pura maldade. E como essa maldade se manifesta principalmente? Ela pode ser vista em sua maneira bizarra de fazer as coisas, que pessoas comuns com olhos e ouvidos, com alguma cultura e alguma experiência social, acham difícil de detectar; isso passou da enganação para a maldade. Eles conseguem fazer manobras ocultas e truques e são “melhores” nesse jogo do que a maioria das pessoas; a maioria das pessoas comuns não pode competir com eles e não sabe lidar com eles. Esse é um anticristo. Por que se diz que as pessoas comuns não conseguem lidar com eles? É porque sua maldade é tão extrema que elas têm um poder enorme para enganar as pessoas. Por que estamos comunicando sobre as manifestações de anticristos? Porque os anticristos são muito capazes de enganar as pessoas. Eles enganam grupos de pessoas de uma só vez, como uma praga letal que, por meio de seu contágio, pode prejudicar e matar muitos em um único surto; é altamente contagioso e de amplo alcance, e seus índices de transmissibilidade e mortalidade são maiores que os de doenças comuns. Essas não são consequências graves?

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (4)’ em “Registros das falas de Cristo”

No tempo em que Deus ainda não tinha Se tornado carne, o modo de avaliar se o homem se opunha a Deus ou não baseava-se no fato de ele adorar e admirar o Deus invisível no céu ou não. A maneira na qual a oposição a Deus era definida naquele tempo não era tão prática assim, pois o homem não podia ver Deus, nem sabia como era a imagem de Deus ou como Ele operava e falava. O homem não tinha quaisquer noções sobre Deus e acreditava em Deus de forma vaga, porque Deus ainda não tinha aparecido ao homem. Portanto, qualquer que fosse a maneira como o homem acreditava em Deus em sua imaginação, Deus não o condenava nem lhe fazia exigências demais, porque o homem era completamente incapaz de ver Deus. Quando Deus Se torna carne e vem operar entre os homens, todos O contemplam e ouvem as Suas palavras e veem os feitos que Deus opera de dentro de Seu corpo de carne. Naquele momento, todas as noções do homem se tornam uma espuma. Quanto àqueles que viram Deus aparecendo na carne, eles não hão de ser condenados, se voluntariamente Lhe obedecerem, enquanto aqueles que propositalmente se colocam contra Ele serão considerados oponentes de Deus. Tais pessoas são anticristos, inimigos que deliberadamente se contrapõem a Deus.

Extraído de ‘Todos os que não conhecem a Deus são pessoas que se opõem a Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Qualquer um que não entende o propósito da obra de Deus é alguém que se opõe a Deus, e uma pessoa que veio a entender o propósito da obra de Deus, mas ainda não busca satisfazer a Deus é ainda mais considerado um oponente de Deus. Existem aqueles que leem a Bíblia em igrejas majestosas e a recitam o dia inteiro, mas nem um deles entende o propósito da obra de Deus. Nem um deles é capaz de conhecer Deus; menos ainda pode qualquer um deles estar de acordo com a vontade de Deus. Todos eles são pessoas inúteis e vis, cada uma se empinando para repreender a Deus. Eles intencionalmente se opõem a Deus mesmo quando carregam o estandarte Dele. Afirmando ter fé em Deus, ainda comem a carne e bebem o sangue do homem. Todas as pessoas assim são diabos que devoram a alma do homem, demônios chefes que deliberadamente se interpõem aos que tentam entrar na senda certa e pedras de tropeço que impedem os que buscam a Deus. Elas podem parecer ter uma “constituição robusta”, mas como os seus seguidores podem saber que não passam de anticristos que levam as pessoas a ficarem contra Deus? Como os seus seguidores podem saber que esses anticristos são diabos vivos dedicados a devorar as almas humanas?

Extraído de ‘Todos os que não conhecem a Deus são pessoas que se opõem a Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Basta olhar para os líderes de cada denominação — são todos arrogantes e hipócritas, e suas interpretações da Bíblia carecem de contexto e são guiadas por sua imaginação. Eles todos se fiam em seus dons e em sua erudição para realizar seu trabalho. Se fossem incapazes de pregar qualquer coisa, as pessoas os seguiriam? Afinal de contas, eles possuem certo conhecimento e conseguem pregar sobre alguma doutrina ou sabem como conquistar as pessoas e como usar alguns artifícios. Eles usam isso para trazer as pessoas para diante de si mesmos e enganá-las. Nominalmente, essas pessoas acreditam em Deus, mas, na realidade, seguem seus líderes. Quando encontram alguém pregando o caminho verdadeiro, algumas dizem: “Temos que consultar nosso líder sobre a nossa fé”. Um humano é o mediador de sua fé em Deus; isso não é um problema? Então, no que esses líderes se transformaram? Será que não se tornaram fariseus, falsos pastores, anticristos e pedras de tropeço para que as pessoas aceitem o caminho verdadeiro?

Extraído de ‘Somente buscar a verdade é verdadeiramente crer em Deus’ em “Registros das falas de Cristo”

Há alguns que são completamente arrogantes em sua atitude em relação aos arranjos de trabalho do alto. “O alto faz os arranjos de trabalho”, pensam, “e nós estamos aqui embaixo, fazendo o trabalho. Parte do que é dito e algumas das tarefas podem ser implementadas com flexibilidade — podem ser alteradas quando chegam a nós. Afinal de contas, o alto só fala, e nós somos aqueles que fazem o trabalho prático. Nós entendemos a situação na igreja, mas o alto não, assim, cabe a nós fazer com as pessoas e o trabalho da igreja o que acharmos adequado. Podemos fazer o que quisermos, e ninguém tem o direito de interferir”. Para tais pessoas, o princípio de servir a Deus é este: “Se achar que algo é certo, tomarei nota disso; se achar que algo é impraticável, ignorarei. Posso resistir a você se eu quiser ou me opor a você e não preciso implementar nem executar nada que eu não queira. Se algo que você diz me parecer inapropriado, eu corrigirei para você, e, após ter filtrado, eu o passarei adiante. Nada que eu não tenha aprovado pode ser impresso”. Em todos os outros lugares, os arranjos do alto são disseminados em sua forma original, mas essa pessoa envia sua versão editada dos arranjos de trabalho para as pessoas na região que lidera. Essa pessoa sempre deseja colocar Deus de escanteio e quer desesperadamente que todos a sigam e acreditem nela. A seu ver, Deus não está à altura dela em certas áreas — ela também deveria ser Deus, e todos deveriam acreditar nela. Essa é a natureza daquilo que faz. Se vocês entenderam isso, ainda assim chorariam quando essa pessoa for removida e substituída? Ainda teriam simpatia por ela? Ainda pensariam: “O que o alto faz é desnecessário e injusto — como o alto pode dispensar alguém que sofreu tanto?”. Pelo bem de quem ela sofreu? Sofreu pelo bem do próprio status. Ela serve a Deus? Está cumprindo seu dever? É leal e submissa a Deus? Ela nada mais é do que um lacaio de Satanás, e seu trabalho é o império do diabo; ele destrói o plano de gerenciamento de Deus e perturba Sua obra. Que tipo de fé é essa? Ela nada mais é do que um diabo, um anticristo!

Extraído de ‘O que é ofender a Deus?’ em “Registros das falas de Cristo”

Que tipo de pessoa estabelece um reino próprio? (Um anticristo.) E por que tal pessoa é chamada de “anticristo”? Em primeiro lugar, “anti” significa ser antagônico e hostil, e envolve ser antagônico e hostil a Cristo, a Deus e à verdade. O que significa ser “antagônico e hostil”? (Colocar-se em oposição direta.) (Ter ódio.) Pessoas que odeiam a Deus e se encontram em oposição direta a Ele podem aceitar a verdade? Podem amar a verdade? Certamente não podem. A primeira maneira com que se expressam é não amando a verdade. Sempre que alguém fala a verdade, não expressa nada no exterior, mas, em seu coração, não aceita a verdade e, lá no fundo, resiste a ela. Enquanto resiste, no que diz respeito a todas as coisas positivas — todas essas verdades tais como submeter-se a Deus, cumprir lealmente seus deveres, ser pessoas honestas, buscar a verdade em todas as coisas e assim por diante — ela tem um pouco de anseio subjetivo ou amor? Não, nem um pouco. Portanto, dado esse tipo de natureza-essência que têm, essas pessoas já se encontram em oposição direta a Deus e à verdade. Assim, inevitavelmente, lá no fundo, tais pessoas não amam a verdade nem qualquer coisa positiva. Pessoas em posições de liderança, por exemplo, devem ser capazes de aceitar as variadas opiniões de seus irmãos e irmãs, devem ser capazes de se abrir aos irmãos e irmãs e aceitar a repreensão dos irmãos e irmãs, e não devem assumir status. O que um anticristo pensaria de todas essas maneiras corretas de praticar? Talvez ele diria: “Se eu ouvisse a opinião dos irmãos e irmãs, eu ainda seria um líder? Eu ainda teria status e prestígio? Ainda seria capaz de fazer com que as pessoas me temam? Se eu não conseguir fazer com que as pessoas me temam e se eu não tiver prestígio, então que trabalho poderei fazer?”. Esse é precisamente o tipo de caráter que um anticristo possui; não aceita a verdade nem minimamente, e quanto mais correto for o método de prática, mais resiste a ele. Ele não admite que esses métodos de prática corretos são maneiras de praticar a verdade. Qual é a verdade como ele acredita que seja? É aquela que diz que sempre se deve usar um punho de ferro, atos malignos, métodos cruéis e truques obscuros ao lidar com qualquer pessoa; jamais se deve usar verdade, amor e as palavras de Deus. Seu caminho é um caminho maligno. Essa é a natureza-essência daqueles que são da laia de um anticristo e é também a maneira como eles fazem as coisas e o ímpeto por trás de suas ações, a fonte da qual elas jorram. É assim que são sua motivação e suas intenções. A essência de suas motivações e intenções, que eles revelam com frequência, é precisamente a essência de um anticristo — uma aversão e um ódio em relação à verdade. Essa é a sua essência. O que, então, significa estar em oposição à verdade e a Deus? Significa odiar a verdade e as coisas positivas. Por exemplo, como um objeto da criação, deve-se cumprir o dever de um ser criado; não importa o que Deus possa dizer, as pessoas devem se submeter, pois os humanos são objetos da criação. Mas como pensa um anticristo? “Não é errado que eu seja um objeto da criação, mas quando se trata de se submeter, depende da situação. Em primeiro lugar e acima de tudo, deve haver um benefício para mim nisso; não posso ficar em desvantagem, e devo colocar meus interesses em primeiro lugar. Se houver recompensas e grandes bênçãos a ser ganhas, e Tu quiseres que eu me submeta, tudo bem, mas sem recompensas e sem um destino, eu não posso me submeter”. É assim que um anticristo encara isso. Outro exemplo: Deus quer que as pessoas sejam honestas, mas o que um anticristo pensa disso? “Somente idiotas são honestos; pessoas espertas não são honestas.” Essas opiniões constituem uma atitude que não aceita a verdade? Qual é a essência desse tipo de atitude? Sua essência é um ódio da verdade. Essa é precisamente a essência de tais anticristos, e sua essência determina o tipo de senda que trilham, e a senda que trilham, por sua vez, determina quais coisas eles farão ao cumprir esse tipo de dever.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (1)’ em “Registros das falas de Cristo”

Qual é a diferença entre quando um anticristo se exalta e testifica de si mesmo e quando uma pessoa comum o faz? Pessoas comuns costumam se gabar e se exibir para fazer com que os as admirem; elas também possuem tais caráteres e manifestam tais estados. Onde está a diferença? Se você pode articular isso, então é capaz de ver qual é a essência dos anticristos. Se você não entende isso e atribui todas as ocasionais manifestações de autoexaltação ou ostentação ao domínio dos anticristos, esse não é um erro conceitual? Como, então, você faz a distinção? Qual é a diferença essencial entre pessoas que deliberadamente exaltam e testificam de si mesmas e aquelas que o fazem inconscientemente? (Suas motivações são diferentes.) Essa é a diferença. Pessoas comuns têm caráteres corruptos. Quando elas exaltam a si mesmas e se gabam, estão tentando se exibir, não passa disso. Outros podem admirá-las ou menosprezá-las — elas não se importam; suas intenções não são claras, e seu comportamento é regido por um tipo de caráter, e esta é uma manifestação desae tipo de caráter, nada mais. Se elas buscam a verdade e aceitam ser tratadas e podadas, julgadas e castigadas, esse tipo de caráter pode ser aliviado gradualmente e, lentamente, elas passam a ter um senso de integridade e vergonha e se tornam mais racionais. Tal comportamento se tornará mais raro, e elas o condenarão, controlando-se e se contendo. Isso é quando as pessoas inconscientemente se exaltam e testificam de si mesmas. O caráter inerente a deliberadamente se exaltar e testificar de si mesmo é o mesmo que fazê-lo inconscientemente, mas sua natureza não é a mesma. Exaltar-se e testificar de si mesmo deliberadamente é feito com segundas intenções; quem o faz não está falando no calor do momento — toda vez que a pessoa se exalta e testifica de si mesma, ela o faz com certa motivação e com um objetivo secreto, e suas ações têm características das ambições e desejos de Satanás. Externamente, o comportamento parece o mesmo: em ambos os casos, as pessoas se exaltam e testificam de si mesmas, mas quando o fazem inconscientemente, Deus define isso como o derramamento de um caráter corrupto; quando o fazem deliberadamente, como Deus define isso? Deus define isso como ser enganoso, com o objetivo de fazer com que as pessoas as estimem, venerem, admirem e sigam. A natureza deste seu comportamento é a enganação. Assim, quando sua intenção é enganar as pessoas, tomar posse delas e fazer com que as sigam, elas empregam certos métodos e técnicas em suas palavras e ações. Pessoas que não entendem a verdade e são de pouca estatura ou que têm um fundamento relativamente raso são facilmente atraídas e desviadas e não conseguem discernir o que está acontecendo. Elas não apenas são cegas a isto, mas também são propensas a admirar essas pessoas e levá-las em grande conta. À medida que o tempo passa, elas também as veneram e até as seguem. Um dos fenômenos mais comumente vistos na vida cotidiana é quando algumas pessoas parecem ter um bom entendimento de um sermão que acabaram de ouvir, mas não conseguem resolver problemas que enfrentam posteriormente. Mesmo quando vêm para diante de Deus para buscar, não chegam a lugar nenhum, e elas são finalmente forçadas a procurar um líder, que se torna aquele no qual elas pensam toda vez que enfrentam um problema. É como ter o hábito de fumar ópio — elas são viciadas. Assim, os anticristos que exaltam e testificam de si mesmos se tornam uma droga virtual para aquelas pessoas incultas de pouca estatura que não conseguem discernir o que está acontecendo. Assim que essas pessoas têm um problema, elas buscam o anticristo. Mesmo depois de discutirem um problema com o grupo e de terem entendido claramente as verdades-princípio, elas não se atreverão a chamá-lo do que é, nem se atreverão a lidar com ele. Em vez disso, aguardam o “mestre” que admiram ter a palavra final, definir o problema, tomar uma decisão — e se o “mestre” nada disser, ninguém terá confiança para lidar com o caso em questão. Elas não foram envenenadas? Quanto trabalho — quanto veneno — é necessário para os anticristos envenenarem tanto essa gente? Se eles frequentemente dissecassem a si mesmos e se conhecessem, se frequentemente revelassem suas fraquezas, erros e pecados a todos, todos os venerariam assim? Absolutamente não. Parece que eles despendem um esforço considerável para obter essa “conquista”, que é precisamente o resultado que desejam. As pessoas não sabem o que fazer quando estão separadas deles; quando se deparam com um problema, não possuem qualquer princípio e ficam perdidas. Claramente, os anticristos as alimentaram com uma quantidade considerável de veneno ao controlá-las. Eles realmente se esforçaram para manipulá-las! Se eles tivessem dito apenas algumas palavras, essas pessoas teriam caído sob seu controle? De forma alguma.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (2)’ em “Registros das falas de Cristo”

Algumas pessoas têm certas manifestações de um anticristo e certos derramamentos do caráter de um anticristo, mas também aceitam e reconhecem a verdade e amam a verdade. Elas são possíveis objetos de salvação. Existem algumas pessoas que, independentemente de sua aparência, são hostis e odiosas em relação à verdade por sua natureza-essência. Assim que você fala da verdade ou prega a elas, elas ficam irritadas e oposicionistas: começam a cochilar, adormecem, ficam entediadas e não se interessam nem mesmo quando entendem; ou então elas podem parecer diligentes por fora, mas medem a verdade com uma atitude diferente ou com algum corpo de conhecimento e teoria. Se esse for o caso, então não importa quantas palavras de Deus elas tenham lido ou quantos sermões tenham ouvido, em última análise, nunca ocorrerá a menor mudança de atitude, que é a busca de status e coisas mundanas, inimizade contra Deus e hostilidade à verdade. Isso é típico do anticristo. Portanto, quando você diz que suas ações têm como intenção atrair as pessoas para o lado delas e que elas exaltam e testificam de si mesmas para disputar o status de Deus, para enganar as pessoas, e que suas ações são as de Satanás e de anticristos, elas aceitam tal condenação? Não. Pensam: “É certo e apropriado eu agir desta maneira. É assim que eu faço as coisas. Vocês podem me condenar e criticar o quanto quiserem — não vou desistir dessa busca, desse desejo ou dessa maneira de fazer as coisas”. Está estabelecido: elas são anticristos. Nada que você diga pode alterar a perspectiva delas, nem suas motivações e intenções, nem suas ambições e desejos. Tal é a natureza-essência de um típico anticristo. Não importa como as circunstâncias mudem, ou como as pessoas, os assuntos e as coisas ao seu redor mudem, ou como os tempos mudem, e independentemente dos sinais e milagres realizados por Deus e de quanta graça Deus lhes conceda — mesmo que Ele os castigue — suas intenções nunca mudarão. Seu modo de ser humano e modo de fazer as coisas nunca mudarão, tampouco mudará sua atitude de hostilidade à verdade. Quando outros apontam que o que estão fazendo é se exaltar e testificar de si mesmos e tentar enganar as pessoas, eles mudam sua maneira de falar com alguém na qual os outros não podem encontrar qualquer falha. Ninguém pode discernir o que estão fazendo; eles usam meios ainda mais astutos para continuar sua gestão e alcançar seus objetivos secretos. É isso que se manifesta em um anticristo, e isso é gerado pela essência de um anticristo. Mesmo que Deus lhes dissesse que serão punidos, que seu fim tem chegado, que estão amaldiçoados e condenados, isto poderia mudar sua essência? Poderia mudar sua atitude em relação à verdade? Poderia mudar seu amor por status, fortuna e prestígio? Não poderia. Transformar pessoas que foram corrompidas por Satanás em pessoas com humanidade normal que adoram a Deus é o trabalho de Deus; isso pode ser alcançado. Mas é possível transformar demônios, pessoas vestidas com pele humana, mas cuja essência é satânica, que adoram Satanás no acampamento de Satanás e são hostis a Deus, em pessoas normais? Isso seria impossível. Deus não faz esse tipo de obra; essas pessoas não estão incluídas naquelas que Deus salva. Como, então, Deus define estas pessoas? Elas pertencem a Satanás. Elas não são objetos da seleção ou salvação de Deus; Deus não quer tais pessoas. Não importa há quanto tempo estejam na casa de Deus, quanto sofreram ou o que realizaram, suas intenções não mudam. Elas não deixarão de lado suas ambições ou desejos, muito menos abandonarão sua motivação e desejo de disputar status e pessoas com Deus. Tais pessoas são anticristos vivos.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (2)’ em “Registros das falas de Cristo”

Todos os anticristos prefeririam morrer a se arrepender. Eles juram resistir a Deus até a morte e lutar até o fim. Ainda que, no fundo, reconheçam que há um Deus, que Ele criou o homem e pode salvar a humanidade, sua natureza os torna incapazes de mudar a senda que escolheram e incapazes de mudar o fato de sua hostilidade a Deus. Assim, a essência do comportamento dos anticristos é usar o tempo todo vários meios e métodos para alcançar seu objetivo de ter status, de conquistar as pessoas e fazer com que elas os sigam e venerem. É possível que, nas profundezas do coração, não estejam disputando de forma deliberada a humanidade com Deus, mas uma coisa é certa: mesmo quando não disputam com Deus pelos humanos, ainda desejam ter status e poder entre os homens. Mesmo se chegar o dia em que percebam que estão disputando com Deus por status e se controlem, ainda empregam outros métodos para ganhar status entre as pessoas e ser validados. Em resumo, embora tudo que os anticristos fazem pareça englobar um cumprimento fiel de seus deveres e eles pareçam ser verdadeiros seguidores de Deus, sua ambição por controlar as pessoas — e por ganhar status e poder entre elas — nunca mudará. Não importa o que Deus diga ou faça e não importa o que Ele peça às pessoas, eles não fazem o que devem fazer nem cumprem seus deveres de uma forma que condiga com Suas palavras e exigências, nem desistem de sua busca por poder e status como resultado de entender Suas declarações e a verdade; do começo ao fim, sua ambição os consome, controla e dirige seu comportamento e pensamento e determina a senda que trilham. Esse é o epítome de um anticristo. O que é destacado aqui? Algumas pessoas perguntam: “Os anticristos não são aqueles que disputam com Deus para ganhar as pessoas e que não O reconhecem?”. Talvez reconheçam Deus, talvez reconheçam e creiam genuinamente em Sua existência e estejam dispostos a segui-Lo e a buscar a verdade, mas uma coisa nunca mudará: eles nunca renunciarão à sua ambição por poder e status nem desistirão de sua busca dessas coisas devido a seus ambientes ou à atitude de Deus em relação a eles. Essas são as características dos anticristos. Por mais que uma pessoa tenha sofrido, por mais que tenha entendido da verdade, por mais que tenha entrado em verdades-realidade e por mais que possua conhecimento de Deus, além desses fenômenos e manifestações externos, ela nunca se controlará nem renunciará à sua ambição e busca por status e poder, e isso determina precisamente sua natureza-essência. Não há a menor imprecisão em Deus definir tais pessoas como anticristos; isso foi determinado pela própria natureza-essência delas. Algumas pessoas talvez costumassem crer que anticristo fosse qualquer um que tentasse disputar a humanidade com Deus. Contudo, às vezes anticristos não têm necessariamente que disputar com Ele; têm simplesmente que ser aqueles cujo conhecimento, entendimento e necessidade de status e poder sejam diferentes dos das pessoas normais. As pessoas normais podem ser vaidosas; podem tentar ganhar crédito com as outras e causar uma boa impressão nelas e podem tentar disputar uma boa posição. Essa é a ambição das pessoas normais. Quando são substituídas como líderes, perdendo sua posição, elas superam; com uma mudança em seu ambiente, algum crescimento em sua estatura, alguma conquista de entrada na verdade ou o ganho de um entendimento mais profundo da verdade, sua ambição gradualmente arrefece. Uma mudança ocorre na senda que elas tomam e na direção em que se movem e sua busca por status e poder se dissipa. Seus desejos também diminuem gradualmente. Anticristos, porém, são diferentes: nunca poderiam desistir de sua busca por status e poder. A qualquer momento, em qualquer ambiente e independentemente das pessoas que tenham ao redor e por mais que possam ser velhos, sua ambição nunca mudará. O que indica que sua ambição nunca mudará? Supondo que sejam líderes de igreja: eles desejariam controlar todos na igreja. Então, poderiam ir para outra igreja, onde não sejam os líderes, mas ainda anseiam por aquele status. Aonde quer que tais pessoas vão, elas querem exercer poder. O coração delas não está inchado de ambição? O que manifestam vai além do reino da humanidade normal. Não há algo anormal nisso? O que é anormal nisso? O que elas manifestam não é o que deveria ser manifestado por uma humanidade normal. O que manifestam? O que é que faz com que isso se manifeste? Isso é causado por sua natureza. Elas são espíritos malignos. Não é o mesmo que uma corrupção comum; há uma diferença. Os anticristos não pararão por nada em sua busca por status e poder; ficam totalmente absortos por ela. Essa é sua natureza-essência; é sua forma original e sua verdadeira face. Eles não competem meramente com Deus por status, mas também competem com as pessoas por status. Quer os outros estejam dispostos ou de acordo ou não, os anticristos tentam ativamente controlá-los e ser seus líderes, sem consideração por seus desejos. Aonde quer que vão, os anticristos querem estar no comando e ter a última palavra. Essa é a natureza deles? As pessoas querem ouvir você? Elas os escolheram? Elas os elegeram? Elas concordam que eles tenham a última palavra? Ninguém quer que essas pessoas tenham a última palavra e ninguém as ouve, mas elas ainda tentam tê-la. Isso é um problema? Elas são totalmente despudoradas e descaradas. Quando são líderes, tais pessoas são anticristos; quando não são líderes, também são anticristos.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (3)’ em “Registros das falas de Cristo”

Já que você acredita em Deus, então deve pôr fé em todas as palavras de Deus e em toda a Sua obra. Ou seja, já que você acredita em Deus, você precisa obedecer-Lhe. Se você não conseguir fazer isso, então não faz diferença se você acredita em Deus. Se você acredita em Deus há muitos anos e, no entanto, nunca Lhe obedeceu nem aceitou todas as Suas palavras, mas, em vez disso, pediu a Deus que Se submetesse a você e agisse de acordo com as suas noções, então você é a mais rebelde das pessoas e é um incrédulo. Como alguém assim conseguirá obedecer à obra e às palavras de Deus que não estão em conformidade com as noções do homem? A pessoa mais rebelde é aquela que intencionalmente desafia Deus e resiste a Ele. É inimiga de Deus e é o anticristo. Tal pessoa tem constantemente uma atitude hostil em relação à nova obra de Deus, nunca demonstrou a menor intenção de se submeter, e nunca se submeteu ou humilhou a si mesma. Ela se exalta diante dos outros e nunca se submete a ninguém. Diante de Deus, ela se considera a mais proficiente em pregar a palavra e a mais hábil em trabalhar com os outros. Não descarta os “tesouros” já em sua posse, mas trata-os como heranças familiares para adoração, para pregar aos outros, e os utiliza para ensinar a esses tolos que a idolatram. Há, de fato, certo número de pessoas assim na igreja. Pode-se dizer que são “heróis indomáveis”, que permanecem na casa de Deus, geração após geração. Elas tomam a pregação da palavra (doutrina) como seu dever mais elevado. Ano após ano, geração após geração, vão vigorosamente impondo seu dever “sagrado e inviolável”. Ninguém ousa tocá-los, e nenhuma pessoa se atreve a reprová-los abertamente. Elas se tornam “reis” na casa de Deus, correndo desenfreadas enquanto tiranizam os outros, de geração em geração. Esse bando de demônios procura unir esforços e demolir a Minha obra; como posso permitir que esses demônios vivos existam diante de Meus olhos? Até aqueles com apenas meia obediência não conseguem caminhar até o fim, quanto menos esses tiranos sem a menor obediência no coração! A obra de Deus não é facilmente ganha pelo homem. Mesmo que use todas as suas forças, o homem ganhará apenas uma mera porção e atingirá a perfeição no final. O que dizer então dos filhos do arcanjo que procuram destruir a obra de Deus? Eles não têm ainda menos esperança de serem ganhos por Deus?

Extraído de ‘Aqueles que obedecem a Deus com um coração sincero certamente serão ganhos por Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: 7. Por que Deus não salva aqueles que têm neles o trabalho de espíritos malignos ou aqueles possuídos por demônios?

Próximo: 2. O que é um falso cristo? Como um falso cristo pode ser identificado?

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

1. Como se conhece a essência divina de Cristo

Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a substância divina, e Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a expressão de Deus. Já que Deus Se torna carne, Ele levará adiante a obra que precisa fazer, e já que Deus Se torna carne, Ele expressará o que Ele é e será capaz de trazer a verdade ao homem, conceder vida ao homem e mostrar o caminho ao homem. Carne que não contém a substância de Deus certamente não é o Deus encarnado; disso não há dúvida. Para investigar se é a carne encarnada de Deus, o homem deve determinar isso a partir do caráter que Ele expressa e das palavras que Ele fala.

1. O que é seguir a vontade de Deus, e se seguir a vontade de Deus é apenas pregar e trabalhar para o Senhor

Imagine que você seja capaz de trabalhar para Deus, mas não obedeça a Deus e não consiga amar a Deus autenticamente. Desse modo, você não só não terá cumprido o dever de uma criatura de Deus, como também será condenado por Deus porque é alguém que não possui a verdade, que é incapaz de obedecer a Deus e que é desobediente a Deus. Você só se interessa em trabalhar para Deus e não tem interesse em pôr a verdade em prática nem em conhecer-se. Você não compreende nem conhece o Criador, não obedece nem ama o Criador. Você é alguém inerentemente desobediente a Deus, e pessoas assim não são prezadas pelo Criador.

1. Por que o Senhor Jesus amaldiçoou os fariseus e qual era a essência dos fariseus

Eles condenaram e blasfemaram contra o Senhor Jesus Cristo. A essência de sua resistência e blasfêmia contra Deus era inteiramente a mesma que a essência de Satanás e a resistência e blasfêmia do diabo contra Deus. Eles não apenas representavam humanos corruptos, porém mais ainda, eram a personificação de Satanás. Eram um canal para Satanás entre a humanidade, e eram os cúmplices e mensageiros de Satanás. A essência da sua blasfêmia e sua difamação do Senhor Jesus Cristo era a luta que travavam com Deus pelo prestígio, sua disputa com Deus, seus intermináveis testes de Deus.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro