B. Sobre orar e adorar a Deus

425. (Um capítulo selecionado da palavra de Deus)


Acerca da prática da oração

Vocês não dão importância à oração em sua vida diária. O homem negligencia o assunto da oração. As orações costumavam ser superficiais, com o homem agindo sem se envolver diante de Deus. Ninguém jamais ofereceu seu coração completamente diante de Deus e se envolveu em oração verdadeira com Deus. O homem orava a Deus somente quando algum problema surgia. Durante todo esse tempo, você alguma vez orou verdadeiramente a Deus? Já houve alguma vez em que você derramou lágrimas de dor diante de Deus? Já houve alguma vez em que você chegou a conhecer a si próprio diante Dele? Alguma vez já fez uma oração de coração para coração a Deus? A oração vem pela prática: se você normalmente não ora em casa, então não terá como orar na igreja; e se você normalmente não ora em encontros pequenos, então será incapaz de orar em grandes reuniões. Se você não se aproxima regularmente de Deus ou reflete sobre as palavras de Deus, então não terá nada a dizer quando for o momento de orar — e, mesmo que você, de fato, ore, você estará apenas falando da boca para fora; não será oração verdadeira.

O que é a oração verdadeira? É contar a Deus o que está dentro do seu coração, comungar com Deus ao captar Sua vontade, comunicar-se com Deus por meio de Suas palavras, sentir-se particularmente próximo de Deus, sentir que Ele está diante de você e crer que você tem algo a dizer a Ele. Seu coração parece cheio de luz e você sente como Deus é amável. Você se sente especialmente inspirado, e ouvir você traz gratificação aos seus irmãos e irmãs. Eles sentirão que as palavras ditas por você são as palavras que estão no coração deles, as palavras que eles desejam dizer, como se as suas palavras substituíssem as deles. É isso o que significa verdadeira oração. Depois de ter se envolvido em verdadeira oração, seu coração estará em paz e conhecerá a gratificação. A força para amar a Deus pode elevar-se, e você sentirá que nada tem mais valor e significância na vida do que amar a Deus. Tudo isso prova que suas orações foram eficazes. Você alguma vez já orou de tal maneira?

E quanto ao conteúdo da oração? A sua oração deveria proceder passo a passo, de acordo com o verdadeiro estado do seu coração e a obra do Espírito Santo; você deve comungar com Deus de acordo com Sua vontade e com o que Ele exige do homem. Quando iniciar a prática da oração, primeiro entregue seu coração a Deus. Não tente captar a vontade de Deus; apenas tente falar as palavras que estão dentro do seu coração a Ele. Quando se puser diante de Deus, fale assim: “Ó, Deus! Somente hoje percebo, de fato, que eu costumava desobedecer a Ti. Eu sou verdadeiramente corrompido e desprezível. Estive apenas desperdiçando a minha vida. A partir de hoje, viverei para Ti. Viverei uma vida com significado e satisfarei à Tua vontade. Que Teu Espírito sempre opere em mim e continuamente me ilumine e esclareça. Que eu dê um forte e retumbante testemunho perante Ti. Que Satanás veja Tua glória, Teu testemunho e a prova de Teu triunfo, manifesto em nós”. Quando orar dessa forma, seu coração será completamente liberto. Tendo orado dessa maneira, seu coração estará mais próximo de Deus; e, se você puder orar frequentemente dessa forma, o Espírito Santo inevitavelmente irá operar dentro de você. Se sempre clamar a Deus dessa maneira e fizer sua resolução perante Ele, chegará o dia em que a sua resolução será aceitável perante Ele, em que seu coração e todo o seu ser serão ganhos por Deus, e você será, enfim, aperfeiçoado por Ele. Para vocês, a oração é de extrema importância. Quando você ora e recebe a obra do Espírito Santo, seu coração é tocado por Deus, e a força para amá-Lo aflora. Se não orar com seu coração, se não abrir seu coração para comungar com Deus, Ele não terá como operar em você. Se, após orar e falar as palavras do seu coração, o Espírito de Deus não começou Sua obra, e você não recebeu inspiração, isso mostra que seu coração carece de sinceridade, que suas palavras são falsas e permanecem impuras. Se, após orar, você se sentir gratificado, então suas orações foram aceitáveis a Deus, e o Espírito de Deus está operando em você. Como alguém que serve a Deus, você não pode ficar sem oração. Se você realmente vê a comunhão com Deus como algo significativo e valioso, como poderia renunciar à oração? Ninguém pode ficar sem comunhão com Deus. Sem oração, você vive na carne, em escravidão a Satanás; sem a verdadeira oração, você vive sob a influência das trevas. Espero que vocês, irmãos e irmãs, sejam capazes de se envolver em oração verdadeira a cada dia. Não se trata de seguir as regras, mas de alcançar um determinado resultado. Você está disposto a privar-se de um pouco de sono e diversão para acordar cedo, orar e apreciar as palavras de Deus? Se orar com um coração puro e comer e beber as palavras de Deus desse modo, você será mais aceitável a Ele. Se fizer assim toda manhã, se você praticar a entrega do seu coração a Deus todos os dias, comunicando-se e envolvendo-se com Ele, seu conhecimento sobre Deus certamente aumentará, e você será mais capaz de captar a vontade de Deus. Você diz: “Ó, Deus! Eu estou disposto a cumprir meu dever. Somente a Ti eu consagro todo o meu ser, para que sejas glorificado em nós e para que possas deleitar-Te no testemunho dado pelo nosso grupo. Suplico que operes em nós, para que eu me torne capaz de verdadeiramente Te amar e satisfazer a Ti, e Te buscar como meu objetivo”. Ao tomar esse fardo, Deus certamente o aperfeiçoará. Você não deve orar somente em benefício próprio, mas também com o intuito de seguir a vontade de Deus e O amar. Este é o tipo mais verdadeiro de oração. Você é alguém que ora a fim de seguir a vontade de Deus?

No passado, vocês não sabiam como orar e negligenciavam o assunto da oração; agora, vocês devem fazer o seu melhor para se exercitar na oração. Se você for incapaz de reunir as forças em seu interior para amar a Deus, então como você ora? Você diz: “Ó, Deus! Meu coração é incapaz de Te amar verdadeiramente. Eu desejo Te amar, mas me falta a força. O que devo fazer? Que Tu abras meus olhos espirituais e que o Teu Espírito toque meu coração. Faze com que, quando eu vier diante de Ti, eu me despoje de tudo o que é negativo, deixe de ser restringido por qualquer pessoa, questão ou coisa e desnude meu coração completamente diante de Ti, e faze com que eu possa oferecer todo o meu ser perante Ti. Independentemente de como me testares, eu estou pronto. Agora, não levo em consideração minhas perspectivas futuras nem estou sob o jugo da morte. Com um coração que Te ama, eu desejo buscar o caminho da vida. Todos os assuntos, todas as coisas — tudo está em Tuas mãos; meu destino está em Tuas mãos, e Tu seguras minha própria vida em Tua mão. Agora, eu busco Te amar e, independentemente de me deixares Te amar, independentemente de como Satanás interfira, eu estou determinado a Te amar”. Quando se deparar com essa questão, ore dessa maneira. Se orar assim todos os dias, a força para amar a Deus se elevará gradualmente.

Como se entra em uma oração verdadeira?

Ao orar, seu coração deve estar sereno perante Deus e ser sincero. Você está comungando e orando verdadeiramente com Deus; não deve tentar enganá-Lo com palavras que soam bem. A oração deveria ser centrada em torno daquilo que Deus deseja realizar agora. Peça a Deus que lhe conceda mais esclarecimento e iluminação; coloque seu estado atual e seus problemas em Sua presença ao orar, incluindo a resolução que fez perante Ele. Orar não é seguir um procedimento, mas buscar a Deus com um coração sincero. Peça a Deus que proteja seu coração, a fim de que esteja constantemente sereno perante Ele; para que, no ambiente em que Ele o colocou, você se conheça, despreze a si mesmo e se abandone, permitindo, assim, que tenha um relacionamento normal com Deus e verdadeiramente se torne alguém que ama a Deus.

Qual é o significado da oração?

A oração é uma das maneiras pelas quais o homem coopera com Deus, é um meio pelo qual o homem clama a Deus e é o processo pelo qual o homem é tocado pelo Espírito de Deus. Pode-se dizer que aqueles que não oram são mortos desprovidos de espírito, uma prova de que lhes faltam as faculdades para serem tocados por Deus. Sem oração, seria impossível levar uma vida espiritual normal, muito menos acompanhar a obra do Espírito Santo. Não orar é cortar o relacionamento com Deus e impossibilitar o recebimento de Sua aprovação. Como alguém que crê em Deus, quanto mais o indivíduo ora, isto é, quanto mais é tocado por Deus, mais cheio de resolução e mais capaz de receber novo esclarecimento de Deus ele se torna. Como resultado, este tipo de pessoa pode ser rapidamente aperfeiçoado pelo Espírito Santo.

Que efeito a oração deseja alcançar?

As pessoas podem até ser capazes de executar a prática da oração e compreender o significado da oração, mas fazer com que ela seja eficaz não é uma questão simples. Orar não é simplesmente fazer algo sem se envolver, seguir um procedimento ou recitar as palavras de Deus. Ou seja, orar não é papaguear determinadas palavras nem imitar os outros. Na oração, é preciso alcançar aquele estado em que o coração do indivíduo pode ser entregue a Deus e aberto para que seja tocado por Ele. A fim de que a oração seja eficaz, ela deve se basear na leitura das palavras de Deus. Somente orando com base nas palavras de Deus é possível receber mais esclarecimento e iluminação. As manifestações de uma oração verdadeira são: ter um coração que anseia por tudo o que Deus pede e, além disso, deseja cumprir o que Ele exige; odiar aquilo que Deus odeia e então, edificando sobre esta base, ganhar algum entendimento disso e ter algum conhecimento e clareza sobre as verdades que Deus expõe. É somente onde há resolução, fé, conhecimento e uma senda de prática após a oração que ela pode ser chamada de oração verdadeira, e somente esse tipo de oração pode ser eficaz. No entanto, a oração deve ser construída sobre o deleite das palavras de Deus, deve ser estabelecida sobre a base da comunhão com Deus em Suas palavras, e o coração deve ser capaz de buscar a Deus e aquietar-se perante Ele. A oração desse tipo já atingiu o ponto de verdadeira comunhão com Deus.

O conhecimento mais básico sobre a oração:

1) Não diga cegamente o que vier à mente. Deve haver um fardo em seu coração, isto é, você deve ter um objetivo quando orar.

2) A oração deve conter as palavras de Deus; ela deve se basear nas palavras de Deus.

3) Ao orar, você não deve reintroduzir assuntos antigos. Suas orações deveriam ter relação com as palavras atuais de Deus e, quando orar, conte a Deus seus pensamentos mais íntimos.

4) A oração em grupo deve revolver em torno de um núcleo, que é, necessariamente, a obra atual do Espírito Santo.

5) Todas as pessoas têm de aprender a oração intercessória. Essa também é uma maneira de mostrar consideração pela vontade de Deus.

A vida de oração do indivíduo se baseia em uma compreensão do significado da oração e de um conhecimento básico da oração. Na vida diária, ore com frequência por suas próprias falhas, ore para realizar mudanças em seu caráter na vida e ore com base no seu conhecimento das palavras de Deus. Cada pessoa deveria estabelecer sua própria vida de oração, ela deveria orar pelo conhecimento das palavras de Deus e deveria orar a fim de buscar o conhecimento da obra de Deus. Exponha suas circunstâncias pessoais perante Deus e seja real, sem prestar atenção à maneira como ora. A questão central é alcançar um conhecimento verdadeiro e ganhar uma experiência real das palavras de Deus. Uma pessoa que busca entrada na vida espiritual tem de ser capaz de orar de muitas maneiras diferentes. Oração silenciosa, ponderação sobre as palavras de Deus, vir a conhecer a obra de Deus — todos esses são exemplos da obra propositada de comunhão espiritual para se alcançar entrada na vida espiritual normal, o que sempre aprimora o estado do indivíduo perante Deus e o leva a fazer cada vez mais progresso na vida. Em resumo, tudo o que você faz — seja comer e beber as palavras de Deus, orar silenciosamente ou proclamar em voz alta — é para permitir-lhe ver claramente as palavras de Deus, Sua obra e aquilo que Ele deseja alcançar em você. Mais importante, tudo o que você faz é para alcançar os padrões que Deus exige e elevar sua vida a novas alturas. O mínimo que Deus exige do homem é que ele seja capaz de abrir seu coração a Ele. Se o homem oferecer seu verdadeiro coração a Deus e falar aquilo que realmente está dentro de seu coração, então, Deus Se dispõe a operar nele. O que Deus deseja não é o coração distorcido do homem, mas um coração puro e honesto. Se o homem não falar sinceramente com Deus, Deus não tocará seu coração nem irá operar nele. Portanto, o ponto crucial da oração é falar com Deus de coração, contando-Lhe suas falhas ou caráter rebelde e abrindo-se completamente diante Dele. Somente então Deus estará interessado nas suas orações; caso contrário, Ele ocultará Sua face de você. O critério mínimo para a oração é que você seja capaz de manter seu coração sereno perante Deus e que ele não se aparte de Deus. Pode ser que, durante essa fase, você não obtenha uma visão mais nova ou mais elevada, mas você deve, então, usar a oração para manter o status quo — você não deve regredir. Isso é o mínimo que você deve alcançar. Se não puder realizar nem isso, então isso prova que a sua vida espiritual não está na trilha certa. Como resultado, você será incapaz de manter sua visão original, perderá a fé em Deus, e sua resolução subsequentemente se dissipará. Um sinal de que você entrou na vida espiritual ou não é ver se suas orações estão na trilha certa. Todas as pessoas têm de entrar nessa realidade; todas elas têm de realizar o trabalho de se exercitar conscientemente na oração, não esperando passivamente, mas buscando conscientemente ser tocadas pelo Espírito Santo. Somente então elas serão pessoas que verdadeiramente buscam a Deus.

Quando começar a orar, não se exceda e espere alcançar tudo de uma só vez. Você não pode fazer exigências extravagantes, esperando, assim que abrir a boca, ser tocado pelo Espírito Santo, ou receber esclarecimento e iluminação ou que Deus derrame graça sobre você. Isso não acontecerá — Deus não realiza coisas sobrenaturais. Deus responde às orações das pessoas a Seu próprio tempo e, por vezes, testa sua fé para ver se você é fiel a Ele. Ao orar, você tem de ter fé, perseverança e resolução. A maioria das pessoas, quando começa a treinar, perde o ânimo por não ser tocada pelo Espírito Santo. Isso não basta! Você deve perseverar, deve se concentrar em sentir o toque do Espírito Santo, buscar e explorar. Às vezes, a senda da sua prática não está certa; às vezes, suas motivações e noções pessoais são incapazes de permanecer firmes perante Deus, e, portanto, o Espírito de Deus não o toca. Em outros momentos, Deus vê se você é fiel ou não. Em resumo, ao treinar, você deve pagar um preço mais elevado. Caso descubra que está se desviando na senda de sua prática, você pode mudar sua maneira de orar. Contanto que busque com um coração sincero e anseie receber, o Espírito Santo certamente o levará a essa realidade. Às vezes, você ora com um coração verdadeiro, mas não se sente como se tivesse sido particularmente tocado. Em momentos como esse, você deve confiar na fé, crendo que Deus está vendo suas orações; você deve ter perseverança nas suas orações.

Seja uma pessoa honesta e ore para que Deus o livre do engano em seu coração. Purifique-se por meio da oração em todos os momentos, seja tocado pelo Espírito de Deus por meio da oração, e seu caráter mudará gradualmente. A verdadeira vida espiritual é uma vida de oração — é uma vida tocada pelo Espírito Santo. O processo de ser tocado pelo Espírito Santo é o processo de mudança do caráter do homem. Uma vida que não é tocada pelo Espírito Santo não é uma vida espiritual, mas uma vida de ritual religioso apenas. Somente aqueles que são tocados com frequência pelo Espírito Santo e esclarecidos e iluminados pelo Espírito Santo entraram na vida espiritual. O caráter do homem muda constantemente à medida que ora. Quanto mais o Espírito de Deus o toca, mais proativo e obediente ele se torna. Assim, também, seu coração será gradualmente purificado, e seu caráter mudará gradualmente. Tal é o efeito da verdadeira oração.

de “A Palavra manifesta em carne”

426. Depois que criou a humanidade e lhe concedeu espírito, Deus ordenou que, se não clamasse a Ele, ela não seria capaz de se conectar com o Seu Espírito e, assim, seria impossível receber na terra a “televisão por satélite” do céu. Quando Deus não está mais no espírito das pessoas, um lugar fica vazio para outras coisas, e é assim que Satanás aproveita para entrar. Quando as pessoas contatam Deus com seu coração, Satanás imediatamente entra em pânico e corre para escapar. Por meio dos clamores da humanidade, Deus lhe dá o que ela precisa, mas a princípio Ele não “reside” dentro dela. Ele só lhe dá a ajuda constante por causa de seu clamor e as pessoas ganham robustez daquela força interna para que Satanás não ouse vir aqui “brincar” conforme sua vontade. Dessa forma, se as pessoas se conectam constantemente com o Espírito de Deus, Satanás não ousa vir para atrapalhar. Sem a interrupção de Satanás, a vida de todas as pessoas segue normal e Deus tem a oportunidade de operar dentro delas sem quaisquer obstruções. Assim, o que Deus quer fazer pode ser alcançado através dos humanos.

Extraído de ‘Capítulo 17’ das Interpretações dos mistérios das palavras de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”

427. A oração não é um tipo de ritual; é uma comunhão verdadeira entre uma pessoa e Deus e contém um significado profundo. A partir das orações das pessoas, pode-se ver que elas estão servindo a Deus diretamente. Se você vê a oração como um ritual, então é certeza que não serve bem a Deus. Se as suas orações não são feitas a sério ou com sinceridade, então pode-se dizer que, do ponto de vista de Deus, você não existe como pessoa. Como, então, você pode ter o Espírito Santo operando em você? Como resultado, após trabalhar por um período de tempo, você ficará exausto. De agora em diante, sem oração, você não será capaz de trabalhar. É a oração que produz trabalho, é a oração que produz serviço. Se você é uma pessoa que lidera e que serve a Deus, mas nunca se devotou à oração ou nunca foi sério em suas orações, então o modo como você serve acabará por fazê-lo cair. […] Se pode vir perante Deus e orar a Ele com frequência, isso prova que você trata Deus como Deus. Se você negligencia a oração com frequência e tende a fazer as coisas por conta própria, fazendo isso e aquilo pelas costas de Deus, então você não está servindo a Deus; está meramente envolvido em seus interesses próprios. Assim, você não será condenado? De fora, não parecerá que você fez algo perturbador, nem parecerá que blasfemou contra Deus, mas você estará simplesmente fazendo o que quer. Ao fazê-lo, você não está interrompendo? Mesmo que na superfície não pareça, em essência, você está resistindo a Deus.

Extraído de ‘O significado e a prática da oração’ em “Registros das falas de Cristo

428. Não existe nada que Deus despreze mais do que as orações da cerimônia religiosa. Orações a Deus só são aceitas quando são sinceras. Se você não tiver nada sincero a dizer, fique calado; não fale sempre palavras falsas e cegamente faça juramentos diante de Deus, tentando enganá-Lo, falando sobre o quanto você O ama, sobre o quanto deseja ser leal a Ele. Se você é incapaz de alcançar seus desejos, se carece dessa determinação e estatura, não ore, sob quaisquer circunstâncias, dessa forma diante de Deus. Isso é ridículo. Ridicularizar significa zombar de alguém, brincar com ele. Quando as pessoas oram diante de Deus com esse tipo de caráter, então, no mínimo, isso é enganação. No pior dos casos, se você fizer isso com frequência, você tem um caráter totalmente desprezível. Se Deus fosse condenar você, isso seria chamado de blasfêmia! As pessoas não têm reverência para com Deus, não sabem como reverenciar a Deus, nem como amá-Lo e satisfazê-Lo. Se a verdade não for clara para elas ou se seu caráter for corrupto, Deus deixará passar. No entanto, elas trazem tal caráter para diante de Deus e tratam Deus como os incrédulos tratam outras pessoas. Além do mais, elas se ajoelham solenemente diante Dele em oração, usando essas palavras para tentar e enganar a Deus, e quando terminam, elas não só não sentem nenhuma reprovação própria, mas também não têm nenhum senso da seriedade de suas ações. Sendo esse o caso, Deus está com elas? Alguém que carece totalmente da presença de Deus pode ser esclarecido e iluminado? Pode ser iluminado com a verdade? (Não, não pode.) Então, está encrencado. Vocês oraram dessa maneira muitas vezes? Vocês fazem isso com frequência? Quando as pessoas passam tempo demais no mundo externo, elas fedem ao mau cheiro da sociedade, sua natureza imunda é amplificada, e elas ficam encharcadas com os venenos e modos de viver satânicos; o que sai de sua boca são palavras de falsidade e enganação, elas falam sem pensar ou então falam palavras que nunca contêm nada além de seus próprios objetivos e motivações, e raramente têm as motivações corretas. Esses são problemas sérios. Quando as pessoas levam essas filosofias e esses modos de viver satânicos para diante de Deus, elas não ofendem o caráter de Deus?

Extraído de ‘Apenas conhecendo a si mesmo você pode buscar a verdade’ em “Registros das falas de Cristo”

429. Às vezes, quando você está se deleitando com as palavras de Deus, seu espírito é tocado, e você sente que não tem como não amar a Deus, que há grande força dentro de você e que não há nada que você não possa desistir deixar de lado. Se você se sente assim, você foi tocado pelo Espírito de Deus, e seu coração se voltou inteiramente para Deus, e você orará a Deus e dirá: “Ó Deus! Fomos verdadeiramente predestinados e escolhidos por Ti. Tua glória me orgulha, e me sinto glorioso por ser um de Teu povo. Despenderei qualquer coisa e darei qualquer coisa para fazer a Tua vontade e a Ti devotarei todos os meus anos e uma vida inteira de esforços”. Quando você orar desta forma, haverá amor infindável e obediência verdadeira a Deus no seu coração. Você já teve uma experiência como essa? Se as pessoas são tocadas com frequência pelo Espírito de Deus, elas estão especialmente dispostas a se devotar a Deus em suas orações: “Ó Deus! Desejo contemplar Teu dia de glória e desejo viver para Ti; nada é mais digno ou significativo do que viver para Ti, e não tenho o menor desejo de viver para Satanás e para a carne. Tu me levantas ao me capacitar a viver para Ti hoje”. Quando tiver orado dessa forma, você sentirá que não tem como não entregar seu coração a Deus, que deve ganhar a Deus e detestaria morrer sem ter ganho Deus enquanto vive. Tendo pronunciado tal prece, haverá uma força inesgotável dentro de você, e você não saberá de onde ela vem; no seu coração, haverá poder ilimitado, e você terá um senso de que Deus é tão amável e que Ele é digno de ser amado. Isso é quando você terá sido tocado por Deus. Todos aqueles que tiveram tal experiência foram tocados por Deus. Para aqueles que são frequentemente tocados por Deus, ocorrem mudanças em sua vida, eles são capazes de tomar sua decisão e estão dispostas a ganhar Deus completamente, o amor por Deus é mais forte em seu coração, seu coração já se voltou totalmente para Deus, eles não se importam com a família, com o mundo, com confusões nem com seu futuro e estão dispostas a dedicar a Deus uma vida inteira de esforços. Todos aqueles que foram tocados pelo Espírito de Deus são pessoas que buscam a verdade e têm esperança de ser aperfeiçoados por Deus.

Extraído de ‘Conheça a mais nova obra de Deus e siga os Seus passos’ em “A Palavra manifesta em carne”

430. Agora você deveria ser capaz de ver claramente o caminho que Pedro tomou. Se você consegue ver claramente a senda de Pedro, então estará seguro sobre a obra que está sendo feita hoje, assim você não reclamará nem será passivo, tampouco ansiará por algo. Você deveria experimentar o estado de humor de Pedro daquela época: ele estava afligido por tristeza; ele não mais pedia por um futuro ou qualquer bênção. Ele não buscava o lucro, a felicidade, a fama ou a fortuna do mundo, mas somente buscava viver uma viva mais significativa, que era pagar de volta o amor de Deus e dedicar o que ele considerava mais completamente precioso para Deus. Então, ele estaria satisfeito em seu coração. Ele frequentemente orava a Jesus com estas palavras: “Senhor Jesus Cristo, eu Te amei uma vez, mas eu não Te amei de verdade. Apesar de eu ter dito que eu tinha fé em Ti, eu nunca Te amei com um coração verdadeiro. Eu somente Te admirava, Te adorava, sentia falta de Ti, mas nunca Te amei, nem tive uma fé verdadeira em Ti”. Ele sempre orava para fazer sua resolução, ele era constantemente encorajado pelas palavras de Jesus e as convertia em motivação. Mais tarde, depois de um período de experiência, Jesus o testou, provocando-o para que ansiasse por Ele ainda mais. Ele disse: “Senhor Jesus Cristo! Como eu sinto saudades de Ti, e anseio olhar para Ti. Eu careço de muita coisa e não posso compensar o Teu amor. Eu imploro que Tu me leves embora em breve. Quando terás necessidade de mim? Quando me levarás embora? Quando irei, mais uma vez, olhar a Tua face? Eu não desejo mais viver neste corpo e continuar a me tornar corrupto, nem desejo me rebelar ainda mais. Estou pronto a dedicar tudo o que tenho a Ti assim que puder e não tenho desejo de entristecer-Te mais ainda”. É assim que ele orava, mas ele não sabia, na época, o que Jesus aperfeiçoaria nele. Durante a agonia do teste, Jesus apareceu a ele novamente e disse: “Pedro, desejo aperfeiçoar você de modo que você se torne um pedaço de fruta, um que seja a cristalização do Meu aperfeiçoar você, e da qual Eu vou desfrutar. Você pode, de fato, testificar para Mim? Você já fez o que eu pedi que você fizesse? Você já viveu as palavras que Eu tenho falado? Uma vez você Me amou, mas apesar de você ter Me amado, você tem Me vivido? O que você tem feito por Mim? Você reconhece que você é indigno do Meu amor, mas o que você tem feito para Mim?” Pedro viu que ele não tinha feito nada para Jesus e se lembrou de seu juramento anterior de dar sua vida para Deus. E então, ele não mais reclamou, e suas orações, depois disso, ficaram muito melhores. Ele orou, dizendo: “Senhor Jesus Cristo! Uma vez eu deixei-Te, e Tu também me deixaste uma vez. Temos gastado tempo separados e tempo justos na companhia um do outro. Contudo, Tu me amas mais do que qualquer outra coisa. Eu tenho me rebelado repetidamente contra Ti e, repetidas vezes, tenho Te entristecido. Como posso me esquecer dessas coisas? A obra que Tu tens feito em mim e o que Tu tens me confiado, eu tenho sempre sido ciente delas, pois eu nunca as esqueço. Com a obra que Tu tens feito em mim eu tenho tentado o meu melhor. Tu sabes o que eu posso fazer, e Tu sabes mais ainda o papel que eu posso exercer. Desejo me submeter a Tuas orquestrações e eu dedicarei tudo que tenho para Ti. Só Tu sabes o que eu posso fazer para Ti. Apesar de Satanás ter me enganado tanto e de eu ter me rebelado contra Ti, creio que Tu não Te lembras de mim por causa daquelas transgressões, que Tu não me tratas com base nelas. Desejo dedicar minha vida inteira a Ti. Não peço nada nem tenho outras esperanças ou planos; eu somente desejo agir de acordo com a Tua intenção e fazer a Tua vontade. Beberei do Teu cálice amargo e estou ao Teu inteiro dispor”.

Extraído de ‘Como Pedro chegou a conhecer Jesus’ em “A Palavra manifesta em carne”

431. Muitas vezes submeti Pedro a provação, que obviamente o deixou semimorto, mas mesmo em meio a essas centenas de provações, ele nunca perdeu a fé em Mim nem ficou decepcionado Comigo. Mesmo quando Eu disse que já o tinha descartado, ele não desanimou em seu coração nem entrou em desespero, mas continuou como antes a executar seus princípios de modo a Me amar de um jeito prático. Eu lhe disse que, mesmo que ele Me amasse, não o elogiaria, mas o lançaria nas mãos de Satanás no final. Em meio a essas provações, que não chegaram a alcançar sua carne, mas foram provações por meio de palavras, ele ainda orou para Mim: “Ó, Deus! Entre os céus e a terra e a miríade de coisas, existe algum homem, alguma criatura ou alguma coisa que não esteja em Tuas mãos, nas mãos do Todo-Poderoso? Quando desejas mostrar misericórdia para comigo, meu coração se regozija muito por conta da Tua misericórdia; quando desejas executar Teu julgamento em mim, por mais indigno que eu possa ser, sinto tanto mais o mistério profundo dos Teus feitos, porque Tu és cheio de autoridade e sabedoria. Embora minha carne sofra adversidade, meu espírito está confortado. Como eu poderia não enaltecer Tua sabedoria e Teus feitos? Mesmo que eu morra depois de chegar a Te conhecer, eu estarei sempre pronto e disposto. Ó, o Todo-Poderoso! É certo que não se trata de que Tu não queres mesmo deixar que eu Te veja? É certo que não se trata de que eu seja mesmo indigno de receber Teu julgamento? Será que há algo em mim que Tu não queres ver?” Em meio a esses tipos de provações, mesmo não sendo capaz de captar Minhas intenções de modo preciso, é evidente que Pedro considerou como uma questão de orgulho e glória pessoal ser usado por Mim (fosse apenas para receber Meu julgamento, de modo que a humanidade possa ver Minha majestade e ira) e de modo nenhum ficou desanimado por ter sido submetido a provação. Por causa de sua lealdade na Minha presença e por causa das Minhas bênçãos sobre ele, ele se tornou exemplo e modelo para o gênero humano por milhares de anos. Não é esse precisamente o exemplo que vocês devem seguir? Neste momento, vocês deveriam pensar muito e tentar descobrir por que fiz um relato tão extenso a respeito de Pedro. Isso deve servir-lhes como código de conduta.

Extraído de ‘Capítulo 6’ das Palavras de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”

432. Quando estava sendo castigado por Deus, Pedro orou: “Ó Deus! Minha carne é desobediente e, por isso, Tu me castigas e me julgas. Regozijo em Teu castigo e julgamento, e, mesmo que não me queiras, em Teu julgamento contemplo Teu caráter santo e justo. Sinto contentamento quando me julgas para que os outros possam contemplar Teu caráter justo em Teu julgamento. Se isso puder expressar o Teu caráter e permitir que o Teu caráter justo seja visto por todas as criaturas, e se puder tornar o meu amor por Ti mais puro, para que eu possa alcançar a semelhança de alguém que é justo, então Teu julgamento é bom, pois tal é Tua vontade graciosa. Sei que ainda há muita coisa rebelde dentro de mim e que ainda não estou apto para comparecer diante de Ti. Desejo que me julgues ainda mais, seja por meio de um ambiente hostil, seja por meio de grandes tribulações; independentemente do que fizeres, para mim é precioso. Teu amor é tão profundo, e estou disposto a entregar-me à Tua mercê sem a menor queixa”. Esse é o conhecimento de Pedro após ter experimentado a obra de Deus, e também é um testemunho do seu amor por Deus. […] Perto do final de sua vida, depois de ter sido aperfeiçoado, Pedro disse: “Ó Deus! Se vivesse mais alguns anos, eu desejaria alcançar um amor mais puro e mais profundo por Ti”. Quando estava prestes a ser pregado na cruz, ele orou em seu coração: “Ó Deus! Teu tempo chegou agora; chegou o tempo que Tu preparaste para mim. Devo ser crucificado por Ti, devo dar esse testemunho de Ti e espero que meu amor seja capaz de satisfazer Tuas exigências e que ele possa se tornar mais puro. Hoje, poder morrer por Ti e ser pregado na cruz por Ti é algo reconfortante e tranquilizador para mim, porque nada é mais gratificante para mim do que poder ser crucificado por Ti e satisfazer Teus desejos, e ser capaz de dar a mim mesmo a Ti, de oferecer minha vida a Ti. Ó Deus! És tão amável! Se me permitisses viver, eu estaria ainda mais disposto a Te amar. Vou Te amar enquanto eu viver. Desejo amar-Te mais profundamente. Tu me julgas, me castigas e me pões à prova porque não sou justo e porque pequei. E Teu caráter justo se torna mais visível para mim. Isso é uma bênção para mim porque me torna capaz de Te amar mais profundamente, e estou disposto a Te amar desse modo mesmo que Tu não me ames. Estou disposto a contemplar Teu caráter justo, porque isso me torna mais capaz de viver uma vida com sentido. Sinto que agora minha vida tem mais sentido porque estou sendo crucificado por Tua causa e é significativo morrer por Ti. Ainda assim, não me sinto satisfeito, porque conheço muito pouco de Ti, sei que não consigo satisfazer completamente Teus desejos e o que retribuí a Ti não foi o bastante. Na minha vida, tenho sido incapaz de me devolver inteiro a Ti; estou longe disso. Quando olho para trás neste momento, sinto-me tão endividado Contigo e só tenho este momento para compensar todos os meus erros e todo o amor não retribuído a Ti”.

Extraído de ‘As experiências de Pedro: seu conhecimento de castigo e julgamento’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: A. Sobre ter fé em Deus

Próximo: C. Sobre entender a verdade e entrar na realidade

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Obra e entrada (9)

As tradições étnicas e perspectivas mentais entrincheiradas há muito lançaram uma sombra sobre o espírito puro e infantil do homem e...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro