Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Cem perguntas e respostas sobre investigar o caminho verdadeiro

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

65. Com relação ao retorno do Senhor, a Bíblia muito claramente registra que: “Quanto, porém, ao dia e à hora, ninguém sabe, nem os anjos no céu nem o Filho, senão o Pai” (Marcos 13:32). Se vocês estão dizendo que o Senhor Jesus já retornou, como saberiam disso?

A resposta da palavra de Deus:

Ao romper da aurora, sem que ninguém soubesse, Deus veio à terra e começou Sua vida na carne. As pessoas não tinham conhecimento desse momento. Talvez estivessem todos dormindo, talvez muitos que estavam atentamente acordados estivessem esperando, e talvez muitos estivessem orando silenciosamente para Deus no céu. No entanto, entre todas essas pessoas, ninguém sabia que Deus já havia chegado à terra.

de ‘Obra e entrada (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”

A aparição de Deus diz respeito à Sua chegada pessoal a terra para realizar Sua obra. Com Sua própria identidade e Seu caráter, e por Seu método inerente, Ele desce entre os homens para conduzir a obra de iniciar uma era e terminar uma outra era. Esse tipo de aparição não é uma forma de cerimônia. Não é um sinal, uma imagem, um milagre nem uma visão grandiosa, muito menos algum tipo de processo religioso. É um fato real e genuíno que pode ser tocado e contemplado. Esse tipo de aparição não é para seguir um processo ou realizar uma tarefa de curto prazo; antes, é uma etapa da obra em Seu plano de gerenciamento. A aparição de Deus é sempre significativa e está sempre relacionada ao Seu plano de gerenciamento. Essa aparição é completamente diferente da aparição de orientação, liderança e esclarecimento de Deus para com o homem. Deus realiza uma etapa de grande obra a cada vez que Se revela. Essa obra é diferente daquela realizada em qualquer outra era. É inimaginável para o homem e jamais foi experimentada pelo homem. É uma obra que inicia uma nova era e conclui a era antiga, é uma forma nova e aprimorada da obra de salvação da humanidade; além disso, é uma obra para trazer a humanidade à nova era. É essa a importância da aparição de Deus.

[…] Nesse sentido, uma vez que estamos buscando as pegadas de Deus, devemos buscar a vontade de Deus, as palavras de Deus, as declarações de Deus, pois onde há as novas palavras de Deus há a voz de Deus, e onde há os passos de Deus há as ações de Deus. Onde há a expressão de Deus há a aparição de Deus, e onde há a aparição de Deus há o caminho, a verdade e a vida. Na busca pelas pegadas de Deus vocês ignoraram as palavras de que “Deus é o caminho, a verdade e a vida”. Assim, quando recebem a verdade, muitas pessoas não acreditam que tenham encontrado as pegadas de Deus e muito menos reconhecem a aparição de Deus. Que erro gravíssimo! A aparição de Deus não pode ser acomodada às concepções do homem, e muito menos Deus irá aparecer a pedido do homem. Deus faz Suas próprias escolhas e tem Seus próprios planos quando realiza Sua obra; além disso, Ele tem Seus próprios objetivos e Seus próprios métodos. Não é necessário que Ele discuta a obra que realiza com o homem ou que busque o conselho do homem, muito menos que informe a cada pessoa individualmente sobre Suas obras. Esse é o caráter de Deus e, além disso, deve ser reconhecido por todos.

de ‘A aparição de Deus trouxe uma nova era’ em “A Palavra manifesta em carne”

Ele que é o Deus encarnado deve manter a substância divina, e Ele que é o Deus encarnado deve manter a expressão de Deus. Desde que Deus Se tornar carne, Ele levará adiante a obra que tem que fazer, e desde que Se torna carne, Ele expressará o que Ele é, e será capaz de trazer a verdade ao homem, conceder vida ao homem e mostrar à humanidade o caminho. Carne que não contenha a substância de Deus, certamente não é o Deus encarnado; disto não há dúvida. Para investigar se é o Deus encarnado, o homem deve determinar isto a partir do caráter que Ele expressa e as palavras que Ele fala. O que quer dizer, se é ou não o Deus encarnado, se é ou não o verdadeiro caminho, deve ser julgado pela substância. E assim, ao determinar[a] se é a carne do Deus encarnado, a chave é prestar atenção à Sua substância (Sua obra, Suas palavras, Seu caráter e muito mais), em vez de na aparência exterior. Se o homem olha apenas Sua aparência exterior, e ignora a Sua substância, então isto mostra a ignorância e a ingenuidade do homem. Aparência exterior não determina substância, e mais, a obra de Deus nunca foi de acordo com as concepções humanas. A aparência exterior de Jesus não estava em conflito com as concepções dos homens? Sua aparência e suas roupas não eram capazes de fornecer alguma dica de Sua verdadeira identidade? Não foi por isto que os primeiros Fariseus se opuseram a Jesus porque eles olharam simplesmente Sua aparência externa, e não guardaram no coração as palavras que Ele falava?

de ‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”

Deus está em silêncio e nunca apareceu para nós, mas a Sua obra nunca parou. Ele olha para todas as regiões, comanda todas as coisas e contempla todas as palavras e ações do homem. Sua gestão é realizada em etapas e de acordo com Seu plano. Ele prossegue silenciosamente, sem efeitos dramáticos, mas Seus passos se aproximam cada vez mais da humanidade, e Seu trono de julgamento é instalado no universo à velocidade do raio, imediatamente seguido pela descida de Seu trono entre nós. Que cena majestosa, que quadro imponente e solene. Como uma pomba e como um leão que ruge, o Espírito vem entre todos nós. Ele é sábio, justo e majestoso, e chega silenciosamente entre nós, possuidor de autoridade e cheio de amor e compaixão. Ninguém sabe da Sua vinda, ninguém saúda a Sua vinda e, além disso, ninguém sabe tudo o que Ele fará. A vida do homem permanece inalterada; seu coração não está diferente, e os dias passam como de costume. Deus vive entre nós como uma pessoa comum, como um seguidor insignificante e um crente comum. Ele tem Suas próprias buscas, Seus próprios objetivos e, além disso, tem a divindade que os homens comuns não têm. Ninguém percebeu a existência de Sua divindade, e ninguém percebeu a diferença entre Sua substância e a do homem. Vivemos juntos com Ele, sem restrições e sem medo, porque O vemos como nada mais do que um crente insignificante. Ele observa cada movimento nosso, e todos os nossos pensamentos e ideias são expostos diante Dele. Ninguém se interessa por Sua existência, ninguém imagina Sua função e, além disso, ninguém suspeita quem Ele é. Apenas prosseguimos com nossas buscas, como se Ele não tivesse nada a ver conosco...

Por acaso, o Espírito Santo expressa uma mensagem “através” Dele e, embora pareça bastante inesperado, reconhecemos que é uma declaração de Deus, e prontamente a aceitamos como vinda de Deus. Isso porque, independentemente de quem diga essas palavras, desde que venham do Espírito Santo, devemos aceitá-las e não podemos negá-las. A próxima declaração poderia ser através de mim, através de você, ou através dele. Seja de quem for, tudo é a graça de Deus. Ainda que não importa quem seja a pessoa, não devemos adorá-la, pois, apesar de tudo o mais, ela não pode ser Deus; não podemos, de modo algum, escolher uma pessoa comum como essa para ser nosso Deus. Nosso Deus é tão grande e honrado; como poderia ser representado por alguém tão insignificante? Além disso, estamos todos esperando a vinda de Deus para nos levar de volta ao reino dos céus, e como alguém tão insignificante estaria qualificado para uma tarefa tão importante e árdua? Se o Senhor vier novamente, deve estar sobre uma nuvem branca, visível a todos. Quão glorioso isso será! Como Ele poderia se esconder silenciosamente em meio a um grupo comum de pessoas?

E, no entanto, é essa pessoa comum, escondida entre as demais, que está fazendo a nova obra de nos salvar. Ele não esclarece nada para nós, nem nos diz por que veio. Ele apenas faz em etapas o trabalho que pretende fazer, de acordo com o Seu plano. Suas palavras e declarações se tornam cada vez mais frequentes. De consolar, exortar, lembrar e advertir, a reprovar e disciplinar; de um tom que é gentil e amável, a palavras que são intensas e majestosas: todas elas inculcam tanto compaixão como temor no homem. Tudo o que Ele diz acerta em cheio os segredos escondidos no mais fundo de nós; Suas palavras ferroam nosso coração, aguilhoam nosso espírito e nos deixam envergonhados e humilhados. Começamos a nos perguntar se o Deus no coração dessa pessoa realmente nos ama e o que exatamente Ele pretende fazer. Talvez só possamos ser arrebatados depois de suportar tal dor? Em nossa mente, calculamos... o destino que está por vir e nossa sina futura. Ainda assim, nenhum de nós acredita que Deus assumiu a carne e trabalha entre nós. Mesmo que Ele esteja conosco há tanto tempo, embora Ele já tenha falado tantas palavras face a face conosco, ainda não estamos dispostos a aceitar alguém tão comum como o Deus de nosso futuro, muito menos estamos dispostos a confiar o controle do nosso futuro e destino a alguém tão insignificante. Dele desfrutamos de um suprimento inesgotável de água viva, e graças a Ele vivemos face a face com Deus. Somos gratos apenas pela graça do Senhor Jesus no céu, e nunca prestamos a menor atenção aos sentimentos dessa pessoa comum, possuidora da divindade. Ele ainda faz Sua obra, humildemente escondido na carne, expressando a voz de Seu coração, aparentemente insensível à rejeição da humanidade a Ele, aparentemente perdoando eternamente a infantilidade e a ignorância do homem, e sempre tolerando a irreverência do homem para com Ele.

Sem que soubéssemos, esse homem insignificante nos conduziu passo a passo na obra de Deus. Passamos por incontáveis provações, somos sujeitos a inumeráveis castigos e testados pela morte. Aprendemos sobre o caráter justo e majestoso de Deus, desfrutamos também de Seu amor e compaixão, apreciamos o grande poder e sabedoria de Deus, testemunhamos a beleza de Deus e contemplamos o ávido desejo de Deus para salvar o homem. Nas palavras dessa pessoa comum, chegamos a conhecer o caráter e a substância de Deus, passamos a entender Sua vontade, a natureza e a substância do homem, e vemos o caminho da salvação e da perfeição. Suas palavras nos fazem morrer e renascer; Suas palavras nos trazem conforto, mas também nos deixam perturbados pela culpa e pelo sentimento de endividamento; Suas palavras nos trazem alegria e paz, e também grande dor. Às vezes, somos como cordeiros para o abate em Suas mãos; às vezes, somos como a menina dos Seus olhos e desfrutamos de Seu amor e afeição; às vezes, somos como Seu inimigo, transformados em cinzas por Sua ira em Seus olhos. Somos a humanidade salva por Ele, somos vermes a Seus olhos, e somos os cordeiros perdidos que Ele pensa em encontrar dia e noite. Ele é misericordioso para conosco, Ele nos despreza, Ele nos eleva, Ele nos conforta e nos exorta, Ele nos guia, Ele nos ilumina, Ele nos castiga e nos disciplina, e Ele até nos amaldiçoa. Ele se preocupa conosco noite e dia, Ele nos protege e cuida de nós noite e dia, Ele nunca sai do nosso lado, Ele dedica todo o Seu cuidado a nós e paga qualquer preço por nós. Entre as palavras desta carne pequena e comum, temos desfrutado a totalidade de Deus e contemplado o destino que Deus nos concedeu. No entanto, apesar disso, a vaidade ainda persiste em nosso coração, e ainda não estamos dispostos a aceitar ativamente uma pessoa como esta como nosso Deus. Embora Ele nos tenha dado tanto maná, tanto para desfrutar, nada disso pode usurpar o lugar do Senhor em nosso coração. Honramos a identidade e o status especial dessa pessoa somente com grande relutância. Se Ele não fala para nos fazer reconhecer que Ele é Deus, então nunca assumiremos a responsabilidade de reconhecê-lo como o Deus que está prestes a vir, mas que tem trabalhado entre nós por tanto tempo.

As declarações de Deus continuam, e Ele emprega vários métodos e perspectivas para nos alertar sobre o que fazer e expressar a voz do Seu coração. Suas palavras carregam o poder da vida, nos mostram o caminho que devemos trilhar e nos permitem entender o que é a verdade. Começamos a ser atraídos por Suas palavras, começamos a nos concentrar no tom e na maneira como Ele fala, e subconscientemente começamos a nos interessar pela voz do coração dessa pessoa normal. Ele faz esforços incansáveis por nós, perde o sono e o apetite por nós, chora por nós, suspira por nós, geme de doença por nós, sofre humilhações por causa de nosso destino e salvação, e Seu coração sangra e derrama lágrimas por nosso entorpecimento e rebeldia. O ser e as posses Dele estão além dos de uma pessoa comum, não podem ser possuídos ou alcançados por nenhum dos corrompidos. Ele tem a tolerância e a paciência que nenhuma pessoa comum possui, e nenhum ser criado possui Seu amor. Ninguém além Dele conhece todos os nossos pensamentos, ou tem tal compreensão de nossa natureza e substância, ou julga a rebeldia e a corrupção da humanidade, ou fala conosco e trabalha entre nós assim, em nome do Deus do céu. Ninguém, a não ser Ele, possui a autoridade, a sabedoria e a dignidade de Deus; o caráter de Deus e o que Ele tem e é, são emanados, em sua totalidade, Dele. Ninguém, além Dele, pode nos mostrar o caminho e nos trazer para a luz. Ninguém, além Dele, pode revelar os mistérios que Deus não revelou desde a criação até hoje. Ninguém, além Dele, pode nos salvar da escravidão de Satanás e de nosso caráter corrupto. Ele representa Deus e expressa a voz do coração de Deus, as exortações de Deus e as palavras de julgamento de Deus para toda a humanidade. Ele começou uma nova idade, uma nova era, e trouxe um novo céu e uma nova terra, uma nova obra, e Ele nos trouxe esperança, e terminou a vida que levávamos na imprecisão, e nos permitiu contemplar plenamente o caminho da salvação. Ele conquistou todo o nosso ser e ganhou nosso coração. Daquele momento em diante, nossa mente se torna consciente e nosso espírito parece reavivado: essa pessoa comum e insignificante, que vive entre nós e há muito tem sido rejeitada por nós, não é o Senhor Jesus, que está sempre em nossos pensamentos, e por quem ansiamos noite e dia? É Ele! É realmente Ele! Ele é nosso Deus! Ele é o caminho, a verdade e a vida!

de ‘Contemplar a aparição de Deus em Seu julgamento e Seu castigo’ em “A Palavra manifesta em carne”

Nota de rodapé:

a. O texto original diz “quanto a”.

Anterior:Nós acreditamos que todas as palavras de Deus estão na Bíblia e que qualquer coisa fora da Bíblia não contém revelações nem palavras de Deus. Por que esse tipo de declaração está errado?

Próximo:O Senhor Jesus disse que irá retornar; de que maneira então se dará esse Seu retorno?

Coisas que talvez lhe interessem