Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Por meio da compreensão do mistério dos nomes de Deus, eu acompanho os passos do Cordeiro

1

Por Mu Zhen, Taiwan

Quando criança, eu era uma menina inteligente e sensível e, portanto, era muito querida por meus pais, parentes e amigos. Como eu sempre tirava boas notas na escola e era gentil e tranquila, eu era muito estimada pelos professores e colegas. Nessa época, eu tinha grandes esperanças em relação ao futuro. Para minha surpresa, porém, quando chegou a hora de fazer o exame de admissão para o ensino médio, não me classifiquei para a melhor escola para meninas por meio ponto e, em vez disso, fui aceita numa escola de segunda linha. Totalmente incapaz de aceitar o que havia acontecido, tranquei-me no quarto por dois dias e me recusei a comer ou beber. Foi minha primeira experiência de fracasso na vida — era como se eu tivesse caído em um abismo, e passei por enorme sofrimento e dor.

Quando as aulas recomeçaram, fui para a orientação para alunas novas me sentindo profundamente deprimida. Durante a orientação, uma colega mais velha pregou para mim o evangelho do Senhor Jesus. Ao frequentar mais encontros da igreja e ouvir mais sobre as experiências dos irmãos e irmãs, senti que a graça do Senhor era fiel e digna de confiança. Eu acreditava que, contanto que orasse e suplicasse ao Senhor Jesus Cristo, receberia Sua proteção e cuidado e desfrutaria de um sentimento de paz e segurança no coração. Saí daquele local de depressão sombria e aos poucos recuperei meu otimismo e positividade. Mais tarde, no meu segundo ano do ensino médio, fui batizada como cristã.

Por meio da compreensão do mistério dos nomes de Deus, eu acompanho os passos do Cordeiro

Para aprender mais sobre as verdades da Bíblia, entrei para uma faculdade católica e, no meu primeiro ano, fiz um curso ministrado pelo pastor chamado “Introdução à Religião”. Numa aula, o pastor nos disse: “Em Hebreus capítulo 13, versículo 8, está escrito: ‘Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente’. O Senhor Jesus é o único Salvador. Ele é fiel e confiável e Seu nome nunca mudará, qualquer que seja a era. É somente confiando no nome de Jesus que poderemos ser salvos…” Seu discurso me ensinou que é somente por meio da salvação do Senhor Jesus que poderemos ser libertados do mal e da morte e que é somente confiando no nome do Senhor Jesus que poderemos ser salvos. Ocorreu-me que a razão pela qual a colega mais velha que havia me trazido para a igreja parecia sempre tão feliz e confiante era provavelmente devido à força vital provida por sua confiança no Senhor. Depois dessa aula, decidi seguir o Senhor Jesus e colocar todos os meus esforços a serviço Dele. Para tanto, eu passava todo o meu tempo depois das aulas participando de comunhões, estudos bíblicos, obras missionárias do evangelho e não perdia um único sermão ou encontro.

Com o tempo, percebi que os sermões dos pastores e presbíteros falavam sempre sobre as mesmas coisas — não havia nenhuma luz nova no que diziam, e nós, como crentes, não ganhávamos o mínimo sustento espiritual de suas palavras. Alguns irmãos e irmãs viviam na fraqueza — nunca frequentavam encontros e ninguém se preocupava em ajudá-los ou apoiá-los. Alguns irmãos e irmãs cochilavam durante os sermões e depois tentavam vender mercadorias e apólices de seguro para as pessoas após os encontros. Algumas pessoas até ajudavam na campanha política de candidatos a cargos públicos. Eu pensava: “Uma pessoa que crê no Senhor enquanto busca apenas lucro pessoal e não o avanço na vida espiritual ainda pode ser considerada cristã? Os pastores e presbíteros nem tentam impedir que essas coisas aconteçam — isso está de acordo com a vontade e as exigências do Senhor?” A situação na igreja me deixou irritada e decepcionada. Como eu não havia recebido nenhuma provisão espiritual há muito tempo, eu me sentia espiritualmente empobrecida e fraca. Além disso, como estava ocupada no trabalho e muitas vezes fazia hora extra nos fins de semana, acabei nem me preocupando em frequentar encontros. Somente quando me deparava com algum problema é que eu lia minha Bíblia e orava em nome do Senhor. Eu me senti desesperançada e sem rumo, perdida e desamparada.

Em outubro de 2016, conheci pela internet o irmão Wang da Igreja de Deus Todo-Poderoso. O irmão Wang me apresentou ao irmão Jin e alguns outros irmãos e irmãs. As comunhões do irmão Jin me ajudaram a compreender muitas verdades que eu não havia compreendido antes. Sua comunhão sobre a verdade da encarnação de Deus foi particularmente prática e clara, e eu ganhei muito com ela. Eu havia acreditado no Senhor por muitos anos, havia estudado a Bíblia e ouvido incontáveis sermões pregados por figuras espirituais, pastores e presbíteros, mas nunca ouvira alguém comunicar sobre esse aspecto da verdade de maneira tão incisiva e clara. Meu espírito foi regado e o desejo de buscar nasceu dentro de mim. Depois disso, participei frequentemente de seus encontros pela internet.

Durante um desses encontros, o irmão Jin comunicou, dizendo: “A fim de salvar completamente a humanidade, Deus lançou um plano de gestão de seis mil anos, dividiu-o em três eras diferentes e, a cada era, Ele realiza uma nova etapa de sua obra. O nome de Deus muda de acordo com a obra diferente que Ele realiza. Na Era da Lei, por exemplo, Deus realizou Sua obra sob o nome de ‘Jeová’, proclamando as leis e mandamentos e liderando os primeiros israelitas em sua vida na terra. Porém, depois que Deus terminou Sua obra na Era da Lei e iniciou Sua obra de redenção na Era da Graça, Seu nome mudou de ‘Jeová’ para ‘Jesus’. Agora estamos nos últimos dias e Deus está realizando a obra de julgamento, a começar pela casa de Deus, sobre a fundação da obra de redenção de Jesus. Ele concluiu a Era da Graça, inaugurou a Era do Reino e, ao fazê-lo, Seu nome mudou para ‘Deus Todo-Poderoso’”. Quando eu ouvi o irmão Jin dizer que o nome de Deus havia mudado, pensei: “A Bíblia afirma claramente: ‘Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente’ (Hebreus 13:8). O Senhor Jesus em quem eu acredito é o único Deus verdadeiro, e o nome do Senhor Jesus nunca mudará. Somente por meio do nome do Senhor Jesus é que poderemos ser salvos — como você pode dizer que o nome de Deus mudou? Se, em nossas orações, não invocamos o nome Jesus, mas usamos outro nome, como é que isso ainda pode estar de acordo com a Bíblia?” A comunhão do irmão Jin desafiou profundamente as minhas crenças. Ele fez a seguinte analogia, dizendo: “Irmã Mu Zhen, se uma empresa a nomeasse diretora de planejamento num ano e gerente no próximo, então, dependendo do que você fosse, diretora de planejamento ou gerente, as exigências de seu cargo determinariam sua mudança de título. As pessoas que antes a chamavam de diretora de planejamento Mu agora a chamam de gerente Mu — apesar da mudança de título e cargo, você mesma teria mudado? Você não continuaria sendo você?” Eu respondi: “Eu continuaria sendo eu”, e não levantei objeções, mas em meu coração ainda não conseguia aceitar o que ele estava dizendo. Pensei: “O nome de Deus nunca pode mudar. Somente confiando no nome do Senhor Jesus é que poderemos ser salvos. Você não vai me convencer tão facilmente. A partir de agora, vou simplesmente ignorar todos vocês, e fim de papo”. Depois que o encontro terminou, bloqueei todos os irmãos e irmãs da Igreja de Deus Todo-Poderoso no aplicativo de chat.

Para minha grande surpresa, um dia depois de eu ter bloqueado todos os irmãos e irmãs da Igreja de Deus Todo-Poderoso, por volta das 20hs, quando eu estava lavando a louça na cozinha, de repente a campainha tocou. Abri a porta e me deparei com duas moças que eu nunca tinha visto antes. Uma delas me deu um material informativo. De início fui muito educada com as moças, mas quando vi que o panfleto que ela havia me dado dizia: “O retorno de Cristo — o Senhor Jesus voltou com nuvens”, em letras grandes, percebi logo que tinham vindo para pregar o evangelho. Por acreditar, na época, que o nome do Senhor Jesus nunca mudaria, fiquei um pouco irritada com as duas moças e devolvi o panfleto que haviam me dado. Elas pareceram meio abatidas e, quando se prepararam para ir, uma das irmãs me perguntou: “Irmã, você não consegue aceitar essa notícia porque não acredita em Deus ou porque é de outra denominação? Você já investigou e buscou cuidadosamente a verdade?” Não importava o que as irmãs dissessem, eu realmente não queria mais desperdiçar meu tempo com elas, então voltei a lavar a louça na cozinha. Enquanto lavava a louça, fiquei com aquela pergunta da irmã na cabeça: “Você já investigou e buscou cuidadosamente a verdade?” Pensei: “Acho que realmente nunca busquei cuidadosamente a verdade”. Lembrei-me da comunhão do irmão Wang e dos outros sobre a mudança do nome de Deus e depois pensei o quanto aquilo contrastava com a minha compreensão. Mas mesmo não compreendendo, eu não tivera vontade de buscar a verdade e havia analisado o que ele dissera usando meu conhecimento da Bíblia. Eu havia aceitado aqueles aspectos da sua comunhão com os quais eu concordava, mas não havia buscado os aspectos com os quais eu discordava nem dado atenção a eles. Só então percebi que meu conhecimento da Bíblia me fizera perder minha pureza e simplicidade de coração. Eu havia adotado uma atitude hipócrita em relação à verdade — como eu poderia me considerar alguém que sinceramente buscava a verdade?

Quando me acalmei um pouco, lembrei-me de algo que os irmãos e irmãs da Igreja de Deus Todo-Poderoso costumavam comunicar: “As ovelhas de Deus ouvem a Sua voz — se queremos acolher o retorno do Senhor, devemos ouvir a voz de Deus, discernir Sua voz e compreender o que é a verdade”. A comunhão compartilhada pelos irmãos e irmãs estava de acordo com a Bíblia. As virgens sábias tinham de estar atentas à voz de Deus, e, na Era da Graça, Pedro não foi capaz de seguir o Senhor Jesus por ter ouvido a voz de Deus nas palavras do Senhor? Tendo percebido isso, peguei rapidamente minha Bíblia e a abri em Apocalipse capítulo 3, versículos 20-22, onde diz: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele Comigo. Ao que vencer, eu lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como eu também venci e estou sentado com Meu Pai em Seu trono. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Apocalipse 3:20-22). Ponderei cuidadosamente essa passagem das escrituras e pensei: “Deus pede que ouçamos sempre que o Espírito Santo falar. Agora, tive a sorte de ouvir falar sobre o retorno do Senhor e de ter a oportunidade de me familiarizar com a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias. Por que então ainda permito que minhas noções me reprimam? Por que me recuso a ouvir quaisquer ideias que não compreendo ou que contrariam minhas noções? Mesmo que eu não possa aceitar imediatamente que o nome de Deus mudou, eu deveria ao menos buscar e investigar essa questão e tomar uma decisão apenas quando tiver uma compreensão mais completa!” Então me deparei com a seguinte passagem em Mateus capítulo 7, versículo 7: “Pelo que Eu vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á”. “Se Deus realmente veio bater à porta”, pensei, “e eu, iludida por minhas noções, fechar meus ouvidos, trancá-Lo para fora em minha completa insensibilidade e perder Sua salvação nos últimos dias, isso não seria uma lástima terrível?”

Naquela noite, eu não consegui dormir e fiquei repassando na mente tudo o que havia acontecido. Pensei: “Moro aqui há 18 anos, e é a primeira vez que alguém veio espalhar o evangelho. Aquela irmã até me perguntou se eu já havia buscado e investigado cuidadosamente a verdade — será que era o plano de Deus que essas duas irmãs, que eu nunca vira antes, viessem aqui divulgar o evangelho para mim? Depois, quando eu estava inquieta após rejeitá-las e procurar respostas na Bíblia, Deus me direcionou a uma passagem sobre o Senhor batendo à porta — eu errei em rejeitá-las? Deus Todo-Poderoso é realmente o Senhor Jesus retornado?” Pensando nessas coisas, imediatamente me levantei da cama e orei ao Senhor, pedindo Sua orientação e iluminação. Depois de terminar minha oração, abri meu computador e acessei o site oficial da Igreja de Deus Todo-Poderoso, que se chama “Evangelho da descida do reino”, e pesquisei passagens relacionadas ao nome de Deus. Encontrei esta passagem das palavras de Deus Todo-Poderoso: “Alguns dizem que o nome de Deus não muda, por que, então, o nome Jeová se tornou Jesus? O que foi profetizado foi a vinda do Messias, então, por que veio um homem com o nome de Jesus? Por que o nome de Deus mudou? Essa obra não foi executada muito tempo atrás? Deus não pode realizar uma nova obra neste dia? A obra do passado pode ser alterada, e a obra de Jesus pode seguir a partir da obra de Jeová. Não é possível, portanto, que a obra de Jesus seja sucedida por outra obra? Se o nome de Jeová pode ser mudado para Jesus, não pode também o nome de Jesus ser mudado? Isso não é incomum, e as pessoas só pensam assim[a] por conta da sua ingenuidade. Deus será sempre Deus. Independentemente das mudanças em Sua obra e Seu nome, Seu caráter e sabedoria permanecerão para sempre inalterados. Se você acredita que Deus só pode ser chamado pelo nome Jesus, você sabe muito pouco” (de ‘Como o homem que delimitou Deus em suas concepções pode receber as revelações de Deus?’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler essa passagem, entendi que, a cada era, Deus realiza uma nova obra e assume um novo nome conforme as exigências da obra nova. Lembrei que, na Era da Lei, o nome de Deus era Jeová, e Ele liderou os israelitas sob esse nome. Porém, quando o Senhor Jesus veio realizar Sua obra, o nome de Deus não mudou de Jeová para Jesus? Agora, Deus Todo-Poderoso havia explicado essa questão com grande clareza — quem poderia ter desdobrado tais mistérios se Deus não tivesse vindo para expressar a verdade? Eu havia me recusado a buscar e investigar a ideia da mudança do nome de Deus porque ela não combinava com minhas opiniões. Se Deus Todo-Poderoso realmente era o reaparecimento do Senhor Jesus, e eu recusei o Senhor mesmo tendo Ele batido à minha porta várias vezes, seria uma lástima terrível se eu perdesse a oportunidade de acolher o retorno do Senhor. Sendo assim, decidi buscar e investigar cuidadosamente a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias.

Mais tarde, desbloqueei os irmãos e irmãs da Igreja de Deus Todo-Poderoso e contei a eles a experiência que eu tivera naquela noite. Durante um encontro, os irmãos e irmãs compartilharam esta passagem das Escrituras comigo: “Que vos parece? Se alguém tiver cem ovelhas, e uma delas se extraviar, não deixará as noventa e nove nos montes para ir buscar a que se extraviou?” (Mateus 18:12). Os irmãos e irmãs disseram que eu era exatamente igual àquela ovelha que se perdeu e que Deus havia me procurado e me trazido de volta para diante de Si. Foi realmente pela graça de Deus que, quando eu me perdi, Ele me guiou para desbloquear os irmãos e irmãs e continuar frequentando os encontros. Graças a Deus por não ter me abandonado!

Por meio da compreensão do mistério dos nomes de Deus, eu acompanho os passos do Cordeiro

Nesse momento, a irmã Xiling me perguntou: “Irmã Mu Zhen, você bloqueou todo mundo de repente porque não compreendeu algum aspecto da verdade?” Eu confirmei acenando com a cabeça e disse: “A Bíblia diz claramente: ‘Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente’ (Hebreus 13:8). Isso prova que Jesus Cristo é eternamente imutável. Mesmo quando Deus retornar nos últimos dias, ainda assim Ele deverá usar o nome de Jesus — esse nome nunca mudará. No entanto, o irmão Jin comunicou dizendo que o nome de Deus nos últimos dias é Deus Todo-Poderoso, e eu simplesmente não consigo aceitar isso. Desde que fui batizada, sempre orei invocando o nome do Senhor Jesus, então como poderia chamá-lo por outro nome?” Quando terminei, a irmã Xiling me enviou a seguinte passagem das palavras de Deus: “Há quem diga que Deus é imutável. Isso está correto, mas tem a ver com a imutabilidade do caráter de Deus e Sua substância. Mudanças em Seu nome e obra não provam que Sua substância mudou; em outras palavras, Deus sempre será Deus, e isso nunca mudará. Se você dissesse que a obra de Deus é imutável, Ele poderia terminar Seu plano de gestão de seis mil anos? Você só sabe que Deus é para sempre imutável, mas você sabe que Deus é sempre novo e nunca velho? Se a obra de Deus é imutável, Ele poderia ter conduzido a humanidade até os dias de hoje? Se Deus é imutável, por que Ele já fez a obra de duas eras? […] as palavras ‘Deus é sempre novo e nunca velho’ referem-se à Sua obra, e as palavras ‘Deus é imutável’ ao que Deus tem e é inerentemente. Independentemente disso, você não pode fazer a obra de seis mil anos depender de um único ponto, ou circunscrevê-la com palavras mortas. Tal é a estupidez do homem. Deus não é tão simples como o homem imagina, e Sua obra não pode permanecer em uma só era. Jeová, por exemplo, não pode sempre significar o nome de Deus; Deus também pode fazer Sua obra sob o nome de Jesus. Esse é um sinal de que a obra de Deus está sempre progredindo adiante” (de ‘A visão da obra de Deus (3)’ em “A Palavra manifesta em carne”).

A irmã Xiling disse então: “As palavras de Deus Todo-Poderoso explicam isso claramente: quando dizemos que ‘Deus é imutável’, estamos nos referindo ao Seu caráter e substância. Isso não significa que o nome de Deus nunca muda. Deus é sempre novo e nunca é velho, Sua obra está sempre evoluindo, e Seu nome deve mudar para refletir as mudanças em Sua obra. No entanto, independentemente de como o nome de Deus mude, Sua substância nunca muda — Deus continua sendo Deus. E, no entanto, não compreendemos a que, de fato, se refere ‘imutável’ e não vemos como a obra de Deus é sempre nova e nunca velha, e é por isso que facilmente delimitamos a obra de Deus e até resistimos a Ele com base em nossas noções e imaginações. Por exemplo, os fariseus se apegavam à noção de que ‘Jeová é o único Deus, não há salvador além de Jeová’. Assim, quando Deus veio realizar Sua obra com o nome de ‘Jesus’ e os fariseus viram que o nome de Jeová havia mudado, mas que Ele não era chamado de ‘Messias’, como diziam as profecias, eles negaram que o Senhor Jesus fosse Cristo, que fosse o Próprio Deus, e freneticamente condenaram e resistiram ao Senhor Jesus, até que finalmente conspiraram com as autoridades romanas para pregar o Senhor Jesus na cruz. Por esse pecado dos mais odiosos, eles sofreram o castigo de Deus. Da mesma forma, se persistirmos nos apegando cegamente à Bíblia e à noção de que o nome de Deus é imutável e negarmos a obra de Deus dos últimos dias, seremos de alguma maneira diferentes dos fariseus, que afirmaram acreditar em Deus mas seguiram a senda da resistência a Deus?”

Em seguida, ela pediu que eu lesse duas outras passagens das palavras de Deus: “Em cada era, Deus faz uma nova obra e é chamado por um novo nome; como Ele poderia fazer a mesma obra em diferentes épocas? Como Ele poderia Se agarrar ao velho? O nome de Jesus foi usado pelo bem da obra da redenção, então Ele ainda seria chamado pelo mesmo nome quando retornasse nos últimos dias? Ele ainda estaria fazendo a obra da redenção? Por que Jeová e Jesus são um, todavia Eles são chamados por nomes diferentes em eras diferentes? Não é porque as eras de sua obra são diferentes? Poderia um único nome representar Deus em Sua totalidade? Sendo assim, Deus deve ser chamado por um nome diferente em uma era diferente, e Ele deve utilizar o nome para alterar a era e representar a era. Pois nenhum nome pode representar totalmente o Próprio Deus, e cada nome só é capaz de representar o aspecto temporal do caráter de Deus em uma determinada era; tudo que ele precisa fazer é representar Sua obra. Portanto, Deus pode escolher qualquer nome apropriado a Seu caráter para representar a era inteira” (de ‘A visão da obra de Deus (3)’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Poderia o nome de Jesus‘Deus conosco’representar o caráter de Deus em sua totalidade? Poderia ele expressar Deus completamente? Se o homem diz que Deus só pode ser chamado de Jesus e não pode ter outro nome porque Deus não pode mudar Seu caráter, essas palavras são blasfêmia de fato! Você acredita que o nome Jesus, Deus conosco, sozinho, pode representar Deus em Sua totalidade? Deus pode ser chamado por muitos nomes, mas entre esses muitos nomes, não há um que seja capaz de resumir tudo de Deus, nem um que possa representar totalmente a Deus. Assim, Deus tem muitos nomes, mas esses muitos nomes não podem expressar completamente o caráter de Deus, pois o caráter de Deus é tão rico que simplesmente excede a capacidade do homem de conhecê-Lo. […] Uma palavra ou nome em particular não é capaz de representar Deus em Sua totalidade, então você acha que o nome Dele pode ser fixo? Deus é tão grande e tão santo, mas você não permitirá que Ele mude Seu nome em cada nova era? Portanto, em todas as eras em que Deus faz Sua própria obra pessoalmente, Ele utiliza um nome que convém à era de forma a resumir a obra que Ele pretende fazer. Ele utiliza esse nome em particular, que possui significado temporal, para representar Seu caráter naquela era. Isso é Deus utilizando a linguagem da humanidade para expressar Seu próprio caráter” (de ‘A visão da obra de Deus (3)’ em “A Palavra manifesta em carne”).

A irmã Xiling comunicou dizendo: “Deus realiza apenas uma parte da obra de Seu plano em cada era e expressa apenas um aspecto de Seu caráter. O nome que Ele assume em uma era específica representa apenas o caráter que Ele manifesta e a obra que Ele realiza naquela era. Na Era da Lei, por exemplo, o nome Jeová era usado para representar a obra que Deus realizava, bem como para expressar os aspectos majestosos, irados, misericordiosos e amaldiçoadores de Seu caráter. Sob o nome de Jeová, Deus proclamou as leis e mandamentos e guiou a humanidade em sua vida na terra. Por sua vez, o comportamento das pessoas tornou-se cada vez mais regulado, e elas aprenderam a adorar a Deus. Ao final da Era da Lei, como as pessoas haviam se tornado cada vez mais corrompidas por Satanás, elas pararam de cumprir as leis e mandamentos e corriam o risco de serem condenadas e executadas. Para salvar as pessoas dos rigores da lei, Deus realizou a obra de redenção sob o nome de Jesus, iniciando assim a Era da Graça e concluindo a Era da Lei. Ele expressou Seu caráter amoroso e misericordioso, pregou o caminho do arrependimento e acabou redimindo a humanidade por meio de Sua crucificação. Todos aqueles que aceitaram o Senhor Jesus como Salvador e oraram em nome do Senhor para confessar e se arrepender foram perdoados. A partir disso podemos ver que o nome que Deus escolhe em cada era é significativo. Cada nome representa apenas uma parte da obra de Deus e um aspecto de Seu caráter — um nome não pode representar a totalidade de Deus. Se, na Era da Graça, Deus tivesse vindo com o nome de Jeová ao invés de Jesus, a obra de Deus não teria progredido além da Era da Lei e nós, como seres humanos corruptos, nunca teríamos recebido nossa redenção, mas, em vez disso, teríamos sido condenados e executados por violar as leis e mandamentos. Da mesma forma, se Deus, ao retornar nos últimos dias, ainda fosse chamado de Jesus, a obra de Deus não progrediria além da Era da Graça. Nossos pecados seriam perdoados, mas ainda viveríamos no ciclo vicioso de cometer e confessar pecados e seríamos incapazes de nos libertar dos grilhões do pecado e alcançar a purificação. Sendo assim, para nos livrar completamente dos grilhões do pecado e nos permitir alcançar a purificação, Deus mais uma vez encarnou na carne para expressar Suas palavras e realizar a obra de julgamento e purificação para estabelecer a Era do Reino e concluir a Era da Graça. Com a mudança das eras, o nome de Deus também mudou para ‘Deus Todo-Poderoso’, o que cumpre a profecia em Apocalipse capítulo 1, versículo 8, que diz: ‘Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso’.”

Por meio da comunhão dos irmãos e irmãs, vim a compreender que a passagem das Escrituras que declara: “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente” (Hebreus 13:8) não significa que o nome de Deus nunca mudará, mas que a substância de Deus é imutável. Também aprendi que Deus dividiu Seu plano de gestão de seis mil anos em três eras — a Era da Lei, a Era da Graça e a Era do Reino — e, a cada nova etapa de Sua obra, Deus assume um novo nome para representar Sua obra e caráter durante aquela era. Ele também usa a adoção de um novo nome para inaugurar uma nova era. Quão significativo é o nome de Deus em cada era! Se, como eu acreditava antes, o nome de Deus nunca tivesse mudado e, ao retornar, Ele ainda fosse chamado de Jesus, nesse caso sua obra não permaneceria paralisada?

Após o encontro, consultei novamente algumas passagens de Apocalipse: “Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso” (Apocalipse 1:8). “A quem vencer, Eu o farei coluna no templo do Meu Deus, donde jamais sairá; e escreverei sobre ele o nome do Meu Deus, e o nome da cidade do Meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, da parte do Meu Deus, e também o Meu novo nome” (Apocalipse 3:12). De repente, tudo ficou claro depois que li essas passagens e pensei: “Já li essas duas passagens antes, então como é que eu não percebi o que elas realmente queriam dizer? Essas duas passagens das Escrituras predizem claramente que, quando Deus retornar nos últimos dias, ele não mais será chamado de Jesus e seu novo nome será ‘o Todo-Poderoso’. Eu sempre havia me apegado a esta citação da Bíblia que afirma que ‘Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente’ (Hebreus 13:8), pensando que o nome de Deus nunca mudaria, mas nunca pensei em examinar outras passagens das Escrituras e simplesmente rejeitei e resisti continuamente à obra de Deus dos últimos dias. Quão ignorante eu era!” Por meio da comunhão dos irmãos e irmãs, bem como das profecias da Bíblia sobre o nome de Deus, eu não tive mais quaisquer dúvidas sobre o nome que Deus havia escolhido nos últimos dias.

Algum tempo depois, durante um encontro, lemos outra passagem das palavras de Deus: “Já fui conhecido como Jeová. Também já fui chamado de Messias, e as pessoas uma vez Me chamaram de Jesus, o Salvador, porque elas Me amavam e respeitavam. Mas hoje não sou o Jeová ou o Jesus que as pessoas conheceram nos tempos passados; sou o Deus que voltou nos últimos dias, o Deus que irá colocar fim a esta era. Sou o Próprio Deus que Se ergue nos confins da terra, repleto de todo o Meu caráter e pleno de autoridade, honra e glória. As pessoas nunca se envolveram Comigo, nunca Me conheceram e sempre foram ignorantes de Meu caráter. Desde a criação do mundo até hoje, nem uma só pessoa Me viu. Este é o Deus que aparece ao homem durante os últimos dias, mas que está oculto entre os homens. Ele reside entre os homens, verdadeiro e real, como o sol que arde e o fogo que flameja, cheio de poder e transbordante de autoridade. Não há uma única pessoa ou coisa que não vá ser julgada por Minhas palavras, e nem uma única pessoa ou coisa que não irá ser purificada pelo fogo ardente. Por fim, todas as nações serão abençoadas por causa de Minhas palavras, e também esmagadas em pedaços por causa de Minhas palavras. Assim, todas as pessoas durante os últimos dias irão ver que Eu sou o Salvador que voltou, Eu sou o Deus Todo-Poderoso que conquista toda a humanidade, e uma vez Eu fui a oferta pelo pecado para o homem, mas nos últimos dias, Eu também Me torno as chamas do sol que queima todas as coisas, bem como o Sol da justiça que revela todas as coisas. Tal é a Minha obra dos últimos dias. Eu assumi este nome e possuo deste caráter para que todas as pessoas possam ver que Eu sou um Deus justo, e sou o sol que arde e o fogo que flameja. Assim é para que todos possam Me adorar, o único Deus verdadeiro, e assim é para que possam ver Minha verdadeira face: não sou apenas o Deus dos israelitas e não sou apenas o Redentor; Eu sou o Deus de todas as criaturas no céu, na terra e no mar” (de ‘O Salvador já voltou sobre uma “nuvem branca”’ em “A Palavra manifesta em carne”).

A irmã Xiling comunicou, dizendo: “Nos últimos dias, Deus começou a obra de julgamento por palavras na Era do Reino sob o nome de ‘Deus Todo-Poderoso’ e revelou à humanidade Seu caráter justo e majestoso, que não tolera ofensas. As palavras que Deus Todo-Poderoso expressou expõem a realidade da corrupção da humanidade por Satanás, bem como a fonte de nossa resistência a Deus. Suas palavras julgam nossa rebeldia e injustiça e nos mostram a senda e a direção que devemos seguir para transformar nosso caráter. Contanto que nos concentremos em buscar a verdade em todas as coisas, usemos a verdade para extirpar nosso caráter corrupto e nos comportemos e tratemos os outros de acordo com as exigências de Deus, poderemos, aos poucos, nos livrar de nosso caráter corrupto e alcançar a salvação plena de Deus. Quando a obra de Deus Todo-Poderoso na terra for concluída, todas as pessoas que aceitaram a obra de Deus nos últimos dias e alcançaram Sua purificação e salvação serão levadas por Ele ao Seu reino para desfrutar de Suas bênçãos e promessa. Quanto às pessoas que rejeitaram a obra de Deus nos últimos dias e até resistiram, condenaram, caluniaram e blasfemaram contra Ele, elas serão consumidas pelos grandes desastres do fim dos tempos e serão punidas e destruídas por Deus. Portanto, Deus assume o nome de ‘Deus Todo-Poderoso’ para manifestar Seu caráter justo e majestoso, que não tolera ofensas, a toda a humanidade. Ele separa as pessoas de acordo com a sua espécie, põe um fim a esta era do mal e conclui a obra do Seu plano de gestão de seis mil anos. Deus quer que percebamos não só que Ele é o Mestre e Criador de todas as coisas, mas também que Ele pode servir como nossa oferta pelo pecado e até mesmo aperfeiçoar, transformar e purificar a humanidade. Deus é o Primeiro e Último, e Seus atos maravilhosos são insondáveis para o homem. Assim sendo, o fato de Deus assumir o nome de ‘Deus Todo-Poderoso’ é particularmente significativo. Atualmente, o Espírito Santo protege apenas a obra realizada sob o nome de Deus Todo-Poderoso. Todos os que aceitam a obra de Deus dos últimos dias e oram em nome de Deus Todo-Poderoso podem receber a obra do Espírito Santo e o suprimento da água viva da vida. As igrejas da Era da Graça tornaram-se lúgubres e desoladas — a fé de seus crentes esfria, seus sermões carecem de substância, suas orações não comovem, e elas são seduzidas por tendências mundanas em número crescente. A fonte de seus problemas reside no fato de que Deus está realizando uma nova obra e a obra do Espírito Santo se deslocou das igrejas da Era da Graça para as igrejas da Era do Reino. Elas não foram capazes de acompanhar os passos do Cordeiro nem de aceitar a obra de julgamento de Deus Todo-Poderoso e, sendo assim, não podem ganhar o suprimento da água viva da vida e devem chafurdar nas trevas sem saída”.

Ao ler a palavra de Deus e ouvir a comunhão da irmã, ganhei uma compreensão mais profunda do motivo de Deus ter assumido nomes diferentes em eras diferentes. Também ganhei conhecimento sobre a obra de julgamento de Deus e o caráter que Ele expressa nos últimos dias — isso é crucial para nossa libertação das amarras do pecado e para nossa salvação por Deus! No fim das contas, o motivo pelo qual eu não me sentia suprida ouvindo sermões nos últimos anos e pelo qual a fé de meus irmãos e irmãs enfraqueceu e os sermões careciam de substância era porque a obra do Espírito Santo já havia se deslocado: atualmente, o Espírito Santo protege apenas a obra realizada sob o nome de Deus Todo-Poderoso. Como não havíamos aceitado o novo nome de Deus nem acompanhado os passos do Cordeiro, havíamos caído nas trevas. Foi então que eu soube em meu coração que Deus Todo-Poderoso é, de fato, o Senhor Jesus retornado.

Mais tarde, meus irmãos e irmãs comunicaram comigo sobre como discernir igrejas verdadeiras de igrejas falsas, como distinguir a obra do Espírito Santo da obra de Satanás e outros aspectos da verdade. Eu tirei grande proveito dessas comunhões. Toda vez que eu me reunia com meus irmãos e irmãs para assistir a filmes e vídeos do evangelho, eu me sentia realizada espiritualmente, e uma sensação de paz e segurança tomava conta do meu coração. As palavras de Deus Todo-Poderoso não só resolveram muitas questões que eu tinha em relação à minha crença no Senhor, como também resolveram muitos problemas que eu estava tendo em minha vida. Além disso, recuperei o sentimento de fé que tinha quando comecei a crer no Senhor. Senti grande alegria por Deus ter me escolhido para aceitar Sua obra dos últimos dias e comecei a acompanhar os passos do Cordeiro. Agora eu leio as palavras de Deus Todo-Poderoso todos os dias. Quanto mais leio, mais sinto a luz preenchendo meu coração e creio plenamente do fundo do coração que a palavra de Deus Todo-Poderoso é a verdade e a voz de Deus. Tive certeza absoluta de que Deus agora se manifestou e está operando como Deus Todo-Poderoso, e aceitei o nome de Deus Todo-Poderoso e entrei oficialmente para a Igreja de Deus Todo-Poderoso. Graças a Deus Todo-Poderoso por me salvar!

Nota de rodapé:

a. Lê-se no texto original: “e isso é”.

Conteúdo Relacionado