Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

O enigma da Trindade revelado

4

Por Jingmo, Malásia

Em 1997, tive a sorte de aceitar o evangelho do Senhor Jesus e, quando fui batizada, o pastor orou e me batizou em nome da Trindade — do Pai, do Filho e do Espírito Santo. A partir de então, sempre que eu orava, eu oferecia minha oração em nome da Trindade, ou seja, do amoroso Pai celestial, do Salvador Senhor Jesus e do Espírito Santo. Mas sempre havia alguma incerteza dentro do meu coração: como três podiam se tornar um? Eu nunca conseguia articular ou entender completamente o que era a Trindade.

Dois anos depois, eu me tornei diaconisa em minha igreja e, ao acompanhar os futuros crentes em seus estudos religiosos, muitas vezes alguém me perguntava o que significa a Trindade. As pessoas frequentemente perguntavam sobre a Trindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo também durante a confissão. Como eu tampouco entendia esse mistério, nunca fui capaz de responder-lhes, e isso me perturbava bastante. Eu queria muito esclarecer essa questão e por isso pedi ao pastor e aos pregadores que me explicassem, na esperança de obter uma resposta definitiva. Sua resposta, no entanto, consistia basicamente nisto: “Deus é uma Trindade, compreendendo o Pai, o Filho e o Espírito Santo. O Pai faz os planos para a nossa salvação, o Filho os conclui, enquanto o Espírito Santo realiza o plano. O Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo também é Deus — três pessoas que juntas formam o único Deus verdadeiro”. Essa explicação só me deixou ainda mais confusa e perguntei: “Mas, se Ele é três pessoas, como Ele pode ser um Deus?”. Eles me disseram: “A Trindade é um mistério. Não pense muito sobre isso. Apenas confie na sua fé e acredite nela e isso é tudo o que você precisa fazer”. Embora eu ainda me sentisse muito perplexa com isso, eu me forcei a aceitar o fato, pensando: “Não pense mais nisso. Apenas creia!”. Quando eu orava, eu ainda orava à Trindade: o amoroso Pai celestial, o Salvador Senhor Jesus e o Espírito Santo. Eu senti como se só orando dessa maneira Deus ouviria minhas orações e eu tinha medo de que, se eu orasse a apenas uma das pessoas de Deus, Ele não me ouviria. E assim, continuei com essa confusão por anos, acreditando na Trindade da minha própria imaginação. Depois disso, sempre que irmãos e irmãs na igreja me perguntavam o que significava a Trindade, eu continuava não sabendo como responder. Tudo o que eu podia fazer era responder-lhes de acordo com o que o pastor havia me dito, embora eu pudesse perceber no rosto delas que elas não haviam entendido realmente. Isso me deu um sentimento de desamparo e tudo o que pude fazer foi comparecer diante do Senhor em oração: “Dou graças a Ti, querido Pai celestial! Quando os irmãos e as irmãs e os crentes em potencial me fazem perguntas sobre a Trindade, não sei como respondê-las. Peço que Tu me ajudes. Que o Espírito Santo me guie para que eu possa entender o que significa a Trindade, para que eu não continue confusa com essa questão e que mais pessoas venham a Te conhecer”.

O enigma da Trindade revelado

Em maio de 2017, conheci uma irmã no Facebook. Ela era muito amorosa e paciente; depois de compartilharmos e discutirmos algumas passagens das Escrituras, eu descobri que havia luz em suas comunicações. Eu tirava muito proveito delas e fiquei interessada em trocar ideias com ela. Mais tarde, ela me levou com outros irmãos e irmãs a alguns encontros. Por meio das comunicações compartilhadas nessas reuniões, comecei a entender algumas verdades que não havia entendido antes, como, por exemplo, o que foi a encarnação e de que maneira o Senhor virá e assim por diante. Eu me beneficiei bastante com elas e adquiri uma compreensão muito mais clara de algumas passagens das Escrituras. Quando eu perguntei à irmã como ela conseguia entender tanto a partir da leitura da Bíblia, enquanto eu não conseguia, ela me disse: “Tudo o que entendo veio da leitura das palavras de Deus. Nosso Senhor Jesus já voltou. Ele encarnou como o Filho do homem para expressar Suas palavras e realizar uma nova obra nos últimos dias”. Eu fiquei surpresa e emocionada com a notícia e fiz à irmã uma enxurrada de perguntas: “É verdade? O Senhor realmente voltou?”. Ela respondeu com certeza: “Sim, é verdade!”. Ela prosseguiu dizendo que o Senhor havia retornado em forma encarnada nos últimos dias, mas que o nome de Deus havia mudado. Deus agora era chamado Deus Todo-Poderoso, sendo “o Todo-Poderoso” que foi profetizado no livro do Apocalipse. No momento em que ouvi o nome “Deus Todo-Poderoso”, meu coração pulsou mais forte e eu pensei para mim: “Deus Todo-Poderoso? Não é a igreja Relâmpago do Oriente? Nosso pastor nos pediu para ficarmos alertas contra a Relâmpago do Oriente e nos disse para não termos nada a ver com eles. Além do mais, acreditamos no Senhor Jesus, mas essa irmã está dizendo que o Senhor Jesus retornou e assumiu o nome de Deus Todo-Poderoso; então como pode o nome Dele ser diferente? Vou acabar me perdendo?”. Mas então eu pensei: “Desde que conheci essa irmã, descobri que suas comunicações não só estão de acordo com a Bíblia, mas que também são muito esclarecedoras e claramente contêm a iluminação do Espírito Santo. Se esse caminho está errado, como poderia ter a obra do Espírito Santo? Devo continuar a ouvi-la ou não?”.

No justo momento em que me senti dividida por sentimentos conflitantes, de repente lembrei-me de uma passagem que a irmã já havia compartilhado comigo: “Deus tornado carne é chamado de Cristo, logo, o Cristo que pode dar a verdade às pessoas é chamado de Deus. Não há nada de excessivo nisso” (de ‘Só o Cristo dos últimos dias pode dar ao homem o caminho de vida eterna’ em “A Palavra manifesta em carne”). Essa passagem menciona Cristo e diz que Cristo pode dar a verdade às pessoas. No evangelho de João, capítulo 14, versículo 6, o Senhor Jesus diz: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por Mim”. O Senhor Jesus é Cristo, Deus Se tornou carne e Ele disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida”. Tanto as palavras de Deus Todo-Poderoso quanto as de Jesus mencionam Cristo e a verdade. Pensei: “Se Deus Todo-Poderoso é Cristo, então Ele certamente pode expressar a verdade e prover sustento para a vida das pessoas”. Pensei sobre as muitas palavras de Deus Todo-Poderoso que a irmã recentemente leu para mim. Ao ouvi-las, senti que elas possuíam autoridade e poder e senti que as palavras de Deus Todo-Poderoso eram realmente a verdade e que elas vieram do Espírito Santo! Percebi, portanto, que esse caminho tem de ser o caminho verdadeiro e que não pode estar errado. Diz na Bíblia: “Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo” (Romanos 10:17). Se Deus Todo-Poderoso é o Senhor Jesus retornado e eu falhei em procurar ou investigar esse caminho, apenas acreditando cegamente no que os pastores e os anciãos disseram, por acaso eu não perderia a salvação do Senhor e seria incapaz de saudar Seu retorno? Pensando nisso, decidi participar de mais algumas reuniões para entender melhor a obra dos últimos dias feita por Deus Todo-Poderoso.

Em outra reunião, a irmã compartilhou conosco esta passagem das palavras de Deus: “A obra que está sendo feita no presente tem movido adiante a obra da Era da Graça; isto é, a obra que está totalmente sob o plano de gerenciamento de seis mil anos tem se movido adiante. Apesar de a Era da Graça ter terminado, a obra de Deus tem feito progresso. Por que Eu digo repetidamente que este estágio da obra é construído sobre a Era da Graça e a Era da Lei? Isto significa que a obra deste dia é uma continuação da obra feita na Era da Graça e é um avanço sobre o que foi feito na Era da Lei. Os três estágios são muito bem interconectados, e cada elo na corrente está firmemente atado ao próximo. Por que Eu também digo que este estágio da obra é construído sobre o que foi feito por Jesus? Supondo que este estágio não foi construído sobre o que foi feito por Jesus, outra crucificação teria que ocorrer neste estágio, e a obra redentora do estágio anterior teria que ser toda feita novamente. Isto seria sem sentido. Por isso, não é que a obra esteja completamente terminada, mas que a era se moveu adiante, e o nível da obra foi elevado ainda mais alto do que antes. Pode-se dizer que este estágio da obra foi construído sobre o fundamento da Era da Lei e sobre a rocha da obra de Jesus. A obra é construída estágio por estágio, e este estágio não é um novo começo. Somente a combinação dos três estágios da obra pode ser considerada o plano de gerenciamento de seis mil anos” (de ‘As duas encarnações completam o significado da encarnação’ em “A Palavra manifesta em carne”). A irmã então fez uma comunicação, dizendo: “A obra de Deus se move sempre em frente e Ele realiza obras diferentes e assume nomes diferentes em diferentes eras, de acordo com as necessidades do homem. Mas não importando o estágio da obra que Deus realiza nem com que nome, em essência, é sempre Deus mesmo executando a obra para salvar a humanidade. Na Era da Lei, Deus assumiu o nome Jeová para realizar sua obra: Ele proclamou a lei e os mandamentos para guiar a vida do homem na Terra e permitiu que o homem soubesse o que era o pecado, quais regras eles deveriam seguir, como eles deveriam adorar a Deus e assim por diante; na Era da Graça, Deus Se tornou carne e tomou o nome de Jesus e, sobre a base da obra da Era da Lei, Ele realizou a obra de ser crucificado para redimir a humanidade, cujo resultado foi que os pecados do homem foram perdoados. Agora, na Era final do Reino, Deus Se tornou carne pela segunda vez e, assumindo o nome de Deus Todo-Poderoso, Ele executa Sua obra de julgar e purificar o homem sobre a base da obra da redenção. O resultado disso é que a natureza pecaminosa e as disposições corruptas que o homem abriga dentro de si são eliminadas e a causa mais profunda de o homem cometer pecados e resistir a Deus é arrancada pela raiz de uma vez por todas. Os três estágios da obra se complementam perfeitamente, sendo cada estágio da obra maior e mais profundo do que o anterior. Nenhum estágio da obra de Deus pode ficar isolado — apenas os três estágios da obra entrelaçados formam a obra completa para salvar a humanidade que é realizada por Deus e juntos eles formam o plano de gerenciamento de seis mil anos de Deus para a humanidade. Deus apenas usa Seu nome para demarcar as eras e mudar as eras e por isso vemos que o nome de Deus sempre muda junto com a era. Mas não importa o quanto o nome de Deus possa mudar, Deus ainda é um só Deus”. Depois de ouvir as palavras de Deus e a comunicação da irmã, fiquei maravilhada. Eu havia acreditado no Senhor todo aquele tempo e nunca havia conhecido alguém capaz de explicar a obra de gerenciamento de seis mil anos de Deus e agora as palavras de Deus Todo-Poderoso revelaram esse mistério — essas palavras verdadeiramente eram a voz de Deus! Eu não me desviei da minha fé: Deus Todo-Poderoso realmente é o Senhor Jesus retornado. Só que Deus muda Seu nome de uma era para outra, e isso é tudo. Mas Ele ainda é um só Deus.

Eu continuei a analisar isso por mais alguns dias. A irmã nos deu comunicação sobre aspectos da verdade, como a obra do julgamento que Deus realiza nos últimos dias e o significado dos nomes de Deus, e quanto mais eu ouvia, mais clareza ganhava. Um dia, ela disse: “As palavras de Deus revelaram todos os mistérios da Bíblia” e, ao ouvir isso, meu coração instantaneamente se alegrou; eu falei para ela da questão da Trindade que me causou tanta consternação por tantos anos. A irmã então leu par mim uma passagem das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Se algum entre vocês disser que a Trindade realmente existe, então explique exatamente o que é este único Deus em três pessoas. O que é o Pai Santo? O que é o Filho? O que é o Espírito Santo? Jeová é o Pai Santo? Jesus é o Filho? E o Espírito Santo? Não é o Pai um Espírito? Não é a substância do Filho também um Espírito? A obra de Jesus não foi a obra do Espírito Santo? Não foi a obra de Jeová realizada na época por um Espírito igual ao de Jesus? Quantos Espíritos Deus pode ter? De acordo com a sua explicação, as três pessoas do Pai, do Filho e do Espírito Santo são uma; se assim for, existem três Espíritos, mas ter três Espíritos significa que há três Deuses. Isso significa que não há um único Deus verdadeiro; como esse tipo de Deus ainda pode ter a substância inerente de Deus? Se você aceita que há somente um Deus, então como Ele pode ter um filho e ser pai? Tudo isso não são simplesmente suas noções? Há somente um Deus, somente uma pessoa nesse Deus, e somente um Espírito de Deus, tanto quanto está escrito na Bíblia que ‘existe somente um Espírito Santo e um só Deus’. Independentemente de se o Pai e o Filho de que você fala existem, há um só Deus no final das contas, e a substância do Pai, do Filho e do Espírito Santo em que você crê é a substância do Espírito Santo. Em outras palavras, Deus é um Espírito, mas Ele consegue Se tornar carne e viver entre os homens, assim como estar acima de todas as coisas. Seu Espírito é todo-inclusivo e onipresente. Ele pode estar simultaneamente na carne e em todo o universo. Já que todas as pessoas dizem que Deus é o único Deus verdadeiro, então há um único Deus, que não é divisível arbitrariamente por ninguém! Deus é um só Espírito e somente uma pessoa; e esse é o Espírito de Deus” (de ‘A Trindade existe?’ em “A Palavra manifesta em carne”).

O enigma da Trindade revelado

A irmã fez uma comunicação, dizendo: “As palavras de Deus são muito claras. Deus é único e há apenas um Deus. Há também apenas um Espírito Santo. O Pai, o Filho e o Espírito Santo são de uma essência, que é a do Espírito. Deus é capaz de operar no Espírito, como Jeová, mas também pode operar encarnando como o Filho do homem, como Jesus e Deus Todo-Poderoso. Mas, quer Deus opere no Espírito quer opere na carne, em essência ainda é o Espírito de Deus realizando Sua Própria obra. Portanto, o conceito da Trindade pertence às noções e imaginações do homem e é totalmente insustentável. Na verdade, o conceito da Trindade foi estabelecido mais de 300 anos depois do Senhor, no concílio ecumênico de Niceia. Nesse concílio, especialistas religiosos de toda a cristandade se engajaram em um animado debate sobre as naturezas unitárias e múltiplas de Deus, até que finalmente estabeleceram o conceito da Trindade com base em suas noções, imaginações e inferências lógicas. A partir de então, as pessoas definiram aquele Deus verdadeiro que criou os céus e a terra e todas as coisas como uma Trindade, acreditando que, além do Santo Filho, o Senhor Jesus, existe um Santo Pai no Céu e também um instrumento usado tanto pelo Pai como pelo Filho, que é o Espírito Santo. Isso é absurdo demais. Se seguirmos a interpretação do mundo religioso e acreditarmos na Trindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo, isso significa que existem três espíritos e três deuses; isso não contradiz o fato de que existe um único Deus? Na verdade, a Trindade não existe. Esta é uma interpretação nascida inteiramente da mente do homem e é uma conclusão feita pela humanidade corrupta com base em nossas noções e imaginações. Deus nunca disse uma coisa dessas, nenhum profeta ou apóstolo inspirado por Deus jamais disse uma coisa dessas, e não há registro disso em nenhum lugar da Bíblia”.

Ainda restava alguma confusão em meu coração enquanto eu ouvia as palavras de Deus e a comunicação da irmã, e então perguntei: “A Bíblia afirma que depois que Jesus foi batizado, os céus se abriram e o Espírito Santo veio como uma pomba e pousou sobre Jesus, e uma voz do Céu disse: ‘Este é o Meu Filho amado, em quem Me comprazo’ (Mateus 3:17). Além disso, antes de Ele ser crucificado, o Senhor Jesus orou e disse: ‘Meu Pai, se é possível, passa de Mim este cálice; todavia, não seja como Eu quero, mas como Tu queres’ (Mateus 26:39). As Escrituras dizem que Deus nos céus chamou Jesus de Seu Filho amado e Jesus chamou Deus no Céu de Pai quando Ele orou. Então, aqui temos o Pai, o Filho e o Espírito Santo — isso não mostra que Deus é uma Trindade? Por que as palavras de Deus Todo-Poderoso dizem que a Trindade não existe e que não passa de noção e imaginação do homem? O que tudo isso significa?”.

Em resposta à minha pergunta, a irmã fez uma comunicação, dizendo: “Simplesmente não existe um conceito como a Trindade no Antigo Testamento. Foi somente depois que o Senhor Jesus Se tornou carne e veio à terra para realizar Sua obra que tivemos a interpretação ‘do Pai e do Filho’. Está registrado no Evangelho de João que Filipe não conhecia a Deus e acreditava que, além do Senhor Jesus na terra, havia também um Santo Pai no Céu, e ele disse a Jesus: ‘Senhor, mostra-nos o Pai’. O Senhor Jesus corrigiu sua visão errônea e revelou esse mistério, dizendo a Filipe: ‘Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não Me conheces, Filipe? Quem viu a Mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?’ (João 14:9). Ele também disse, ‘Eu estou no Pai, e que o Pai está em Mim’ (João 14:10). ‘Eu e o Pai somos um’ (João 10:30). O Pai é o Filho e o Filho é o Pai; o Pai e o Filho são um, Eles são de um Espírito. Ao dizer isso, o Senhor Jesus estava nos dizendo que Ele e o Pai são um Deus, não dois.”

A irmã então me mostrou um maravilhoso videoclipe intitulado “Revelando o Mistério ‘do Pai e do Filho’”. Depois, passamos a ler uma passagem das palavras de Deus Todo-Poderoso: “Ainda há aqueles que dizem: ‘Deus não declarou expressamente que Jesus era Seu Filho amado?’. Jesus é o amado Filho de Deus, em quem Ele Se comprazisso foi certamente declarado pelo Próprio Deus. Isso foi Deus testemunhando de Si Mesmo, apenas de uma perspectiva diferente, aquela do Espírito no Céu testemunhando de Sua própria encarnação. Jesus é Sua encarnação, não Seu Filho no Céu. Você compreende? As palavras de Jesus ‘Eu estou no Pai, e o Pai está em Mim’, não indicam que Eles são um só Espírito? E não é por causa da encarnação que Eles foram separados entre o Céu e a terra? Na verdade, Eles ainda são um; não importa o que aconteça, é simplesmente Deus testemunhando de Si Mesmo. […] Porque Ele era a encarnação, foi chamado o amado Filho de Deus e, com isso, veio o relacionamento entre Pai e Filho. Foi simplesmente por causa da separação entre o Céu e a terra. Jesus orou da perspectiva da carne. Como Ele Se revestiu de uma carne de humanidade tão normal, é da perspectiva da carne que Ele disse: ‘Minha casca exterior é a de um ser criado. Desde que Eu Me revesti de uma carne para vir a esta terra, estou agora muito, muito distante do Céu’. Por essa razão, Ele só podia orar a Deus, o Pai, da perspectiva da carne. Esse era Seu dever e aquilo de que o Espírito encarnado de Deus deveria ser dotado. Não se pode dizer que Ele não é Deus simplesmente porque orou ao Pai a partir da perspectiva da carne. Embora Ele seja chamado de Filho amado de Deus, Ele ainda é o Próprio Deus, pois é apenas a encarnação do Espírito, e Sua substância ainda é o Espírito” (de ‘A Trindade existe?’ em “A Palavra manifesta em carne”).

A irmã disse: “Quando Deus Se tornou carne pela primeira vez como o Senhor Jesus e veio realizar Sua obra, ninguém conhecia a Deus, as pessoas não entendiam a verdade da encarnação nem sabiam o que era a encarnação. Se o Senhor Jesus lhes tivesse dito diretamente que Ele era Deus Jeová a quem eles adoravam, elas não teriam sido capazes de aceitar o fato devido às suas estaturas naquele tempo e o Senhor Jesus teria sido condenado e rejeitado pela humanidade antes de começar a realizar Sua obra. Nesse caso, a obra de Deus para redimir a humanidade teria sido impossível e a humanidade nunca teria ganho Jesus como uma oferta pelo pecado. Para que a humanidade aceitasse o Senhor Jesus, cresse Nele e atingisse a salvação de Deus, antes que Jesus formalmente iniciasse Sua obra, Deus deu testemunho de Si mesmo do ponto de vista de Seu Espírito e chamou Seu eu carnal de Seu Filho, para que as pessoas pudessem ver que Jesus verdadeiramente veio de Deus; isso ajudou a facilitar nossa aceitação da salvação do Senhor Jesus. E quando o Senhor Jesus orou e chamou o Deus no Céu de Seu Pai, ele era o Filho do homem encarnado, chamando o Espírito dentro Dele de Pai do ponto de vista da carne. Isso foi feito com base na diferença entre o Espírito e a carne; isso não significa que havia um Pai e um Filho separados. De fato, a interpretação do Pai e do Filho só foi apropriada durante o tempo da encarnação de Deus. Quando a obra de Deus na Terra foi concluída, ou seja, quando o Senhor Jesus completou a obra da redenção, ressuscitou e subiu ao Céu, a interpretação do Pai e do Filho já não era mais necessária. Por essa razão, não podemos usar a interpretação do Pai e do Filho inventada pelas noções da humanidade e aplicá-la generalizadamente a Deus, dizendo que em Deus existe um Pai e um Filho e que também há um instrumento usado pelo Pai e pelo Filho — o Espírito Santo — e que Deus é uma Trindade. Dizer isso está em desacordo com a palavra de Deus e está desacordo com os fatos. Antes não entendíamos a verdade e, por isso, Deus não nos condenou quando dizíamos uma coisa dessas. Mas agora Deus revelou completamente essa verdade e esse mistério, e devemos aceitar a verdade e conhecer a Deus à luz de Suas palavras. Só isso está correto e só isso está de acordo com a vontade de Deus”.

Por meio da comunicação dessa irmã, entendi por que o Senhor Jesus chamava o Deus no Céu de Pai. Era porque Ele havia encarnado como o Filho do homem e estava orando ao Pai celestial do ponto de vista de um homem. Deus deu testemunho de Jesus como Seu Filho amado e era Deus dando testemunho de Sua Própria carne encarnada do ponto de vista do Espírito. Havia Um no Céu e havia Um na terra, mas Eles, em essência, eram de um só Espírito. Só que Deus estava dizendo essas coisas de diferentes pontos de vista e foi assim que surgiu a interpretação “do Pai e do Filho”. Deus é único, o Deus verdadeiro, Ele é um só Espírito, abrangente e onipresente. Ele pode estar no Céu, Ele pode estar na terra e Ele pode Se tornar carne. Depois que eu entendi tudo isso, todas as coisas de repente ficaram claras a confusão que tinha sido minha companheira constante por anos desapareceu em um instante e senti uma incrível sensação de esclarecimento e libertação.

Depois disso, a irmã me mostrou um filme de testemunho do evangelho chamado “Exploração da ‘Trindade’”, no qual eu vi estas palavras de Deus: “Ao longo de todos esses anos, Deus foi dividido por vocês dessa maneira, cada vez mais dividido a cada geração, a ponto de um Deus ser abertamente dividido em três Deuses. E agora é simplesmente impossível para o homem reintegrar a Deus como um só, pois vocês O dividiram de forma estrita demais! Se não fosse pela Minha rápida obra antes que fosse tarde demais, é difícil dizer quanto tempo vocês teriam continuado descaradamente dessa maneira! Continuar dividindo Deus dessa maneira, como Ele ainda pode ser o Deus de vocês? Vocês ainda reconheceriam a Deus? Vocês ainda retornariam a Ele? Se Eu tivesse chegado mais tarde, é possível que vocês teriam enviado o ‘Pai e o Filho’, Jeová e Jesus de volta a Israel e afirmado que vocês mesmos são uma parte de Deus. Felizmente, agora são os últimos dias. Finalmente, chegou este dia que Eu tenho esperado há muito tempo, e somente depois que Eu realizei esta etapa da obra por Minha própria mão, sua divisão do Próprio Deus foi interrompida. Se não fosse por isso, vocês teriam se agravado, até colocando todos os Satanases entre vocês em altares para adoração. Este é o artifício de vocês! O modo de vocês dividirem Deus. Vocês continuarão a fazer isso agora? Deixe-Me perguntar-lhes: quantos Deuses existem? Qual Deus trará a salvação a vocês? É ao primeiro Deus, ao segundo ou ao terceiro que vocês sempre oram? Em qual Deles vocês sempre acreditam? É o Pai? Ou o Filho? Ou é o Espírito? Diga-Me em quem você acredita. Embora com cada palavra vocês digam que acreditam em Deus, o que vocês realmente acreditam é em seu próprio cérebro! Vocês simplesmente não têm Deus no coração! E ainda, na mente de vocês há diversas dessas “Trindades”! Vocês não concordam?” (de ‘A Trindade existe?’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Depois de assistir ao filme até fim, eu me senti feliz, mas também fiquei irritada e fiz certa autocrítica. Fiquei feliz porque a confusão que me acompanhou durante anos finalmente havia sido resolvida: Deus é um e a interpretação da Trindade simplesmente não existe. Somente acreditar no Deus único e verdadeiro está de acordo com a vontade de Deus e eu não precisava mais orar ao Pai e, no minuto seguinte, ao Espírito Santo ou ao Filho, como eu fazia antes — eu me senti muito à vontade. Mas eu me senti irritada e censurava a mim mesma porque crera em Deus por tantos anos, mas não O conhecera. Aquilo em que eu acreditara não passava de um Deus inventado por minhas noções e imaginações — um Deus vago da lenda. Eu não acreditara no Deus real e, além do mais, resistira a Deus e O fragmentara — na verdade, eu estivera blasfemando contra Deus! Graças a Deus, pois é a vinda de Deus Todo-Poderoso que revelou todos os absurdos da fé da humanidade corrupta e é Deus Todo-Poderoso que desvendou esse mistério que sempre desconcertou o mundo religioso. Deus Todo-Poderoso é, sem dúvida nenhuma, o Senhor Jesus retornado, o Senhor que criou os céus e a terra e todas as coisas. Ele é o Deus único e verdadeiro!

Mais tarde, pela leitura das palavras de Deus Todo-Poderoso, vi que todas as palavras de Deus são a verdade e que elas são a voz de Deus. Sem hesitar, eu aceitei a obra dos últimos dias de Deus Todo-Poderoso e comecei a acompanhar os passos do Cordeiro. Agora, quando eu oro, não preciso orar a três Deuses. Oro apenas em nome de Deus Todo-Poderoso e isso faz com que eu me sinta muito à vontade, em paz e alegre. Ao orar, não preciso mais me preocupar com se não oro o suficiente para uma ou outra pessoa de Deus e se, por isso, Deus não ouvirá minhas orações. Realmente experimentei a libertação, a liberdade, a alegria e a felicidade que advêm da compreensão da verdade e do conhecimento de Deus. Graças a Deus!

Conteúdo Relacionado