Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Qual é a razão por trás da resistência frenética da comunidade religiosa e do seu esforço em condenar a nova obra de Deus a cada era? Qual é a raiz disso?

A resposta da palavra de Deus:

O motivo pelo qual o homem se opõe a Deus surge, por um lado, do caráter humano corrupto e, por outro lado, da ignorância sobre Deus e falta de entendimento dos princípios da Sua obra e de Sua vontade em relação ao homem. Esses dois aspectos se fundem na história da resistência humana a Deus. Os novos na fé opõem-se a Deus porque tal oposição está na natureza deles, enquanto a oposição a Ele daqueles com muitos anos na fé é resultado da ignorância deles acerca de Deus, além do caráter corrupto.

de ‘Todos os que não conhecem a Deus são aqueles que se opõem a Ele’ em “A Palavra manifesta em carne”

É porque a obra de Deus muda continuamente, aqueles que não conhecem a obra do Espírito Santo e os homens insensatos que não conhecem a verdade se tornam oponentes de Deus. Nunca a obra de Deus se conforma às concepções do homem, pois a obra divina é sempre nova, nunca velha. Nunca Deus repete obras passadas, pois Ele avança com obras nunca antes realizadas. Assim como Deus não repete Sua obra e o homem invariavelmente julga a obra de Deus hoje de acordo com a obra feita no passado, é muito difícil para Deus realizar cada etapa da obra nesta nova era. O homem cria empecilhos demais! O pensamento do homem é muito atrasado! Homem algum conhece a obra de Deus; no entanto, todos definem tal obra. Longe de Deus o homem perde a vida, a verdade e as bênçãos de Deus; não obstante, o homem não aceita nem a vida, nem a verdade e muito menos as grandes bênçãos concedidas à humanidade. Todos os homens desejam alcançar Deus, mas são incapazes de tolerar qualquer mudança na obra de Deus. Aqueles que não aceitam a nova obra de Deus creem que a obra divina é imutável, que a obra de Deus permanece eternamente paralisada. Na crença dessas pessoas, para ganhar a salvação eterna de Deus, é necessário apenas observar a lei e, desde que se arrependam e confessem os pecados, o coração de Deus ficará eternamente satisfeito. Tais pessoas têm a opinião de que Deus só pode ser o Deus sob a lei e o Deus que foi pregado à cruz pelo homem; também é opinião delas que Deus não pode nem deve exceder a Bíblia. Pois são exatamente essas opiniões que as prendem firmemente à lei antiga e que as acorrentam à rigidez dos regulamentos. Há ainda mais pessoas que acreditam que, qualquer que seja a nova obra de Deus, esta precisa ser substanciada por profecias e que em cada etapa dessa tal obra, a todos aqueles que seguem a Deus com coração verdadeiro, também precisam ser manifestadas as revelações, caso contrário não se trataria da obra de Deus. Que o homem venha a conhecer Deus já não é uma tarefa fácil. Acrescentar a isso o coração insensato do homem e a natureza rebelde da autoimportância e presunção torna ainda mais difícil para o homem aceitar a nova obra de Deus.

de ‘Como o homem que definiu Deus de acordo com as suas concepções pode receber as revelações de Deus?’ em “A Palavra manifesta em carne”

O homem só é capaz de aceitar um tipo de obra ou uma maneira de praticar. É difícil para o homem aceitar a obra, ou modos de praticar, que esteja em desacordo com ela, ou seja superior a ela, mas o Espírito Santo está sempre fazendo novas obras, e assim aparecem sucessivos grupos de especialistas religiosos que se opõem à nova obra de Deus. Essas pessoas se tornaram especialistas precisamente porque o homem não tem conhecimento de como Deus é sempre novo e nunca velho, e não tem conhecimento dos princípios da obra de Deus e, além disso, não tem conhecimento das muitas maneiras pelas quais Deus salva o homem. Como tal, o homem é totalmente incapaz de dizer se a obra vem do Espírito Santo, e se é obra do próprio Deus. Muitas pessoas se apegam a uma atitude que, se corresponde às palavras que vieram antes, então elas aceitam e, se há diferenças com a obra de antes, então elas se opõem e a rejeitam.

de ‘Conhecer os três estágios da obra de Deus é o caminho para conhecer Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Como sempre, há novos desdobramentos na obra de Deus, consequentemente há nova obra e também há obra obsoleta e velha. Tal obra velha e a nova não são contraditórias, mas complementares; cada passo segue-se ao último. Porque há obra nova, é claro que as coisas velhas têm de ser eliminadas. Por exemplo, algumas das antigas práticas e dos dizeres habituais do homem, junto com seus muitos anos de experiência e ensinamentos, formaram todo tipo de concepções na mente humana. Ainda mais propício à formação de tais concepções pelo homem é o fato de Deus ainda ter de revelar-lhe plenamente a Sua verdadeira face e Seu caráter inerente, combinado com a disseminação, ao longo de muitos anos, de teorias tradicionais originadas em tempos antigos. É justo dizer que, durante o curso da fé do homem em Deus, a influência de diversas concepções levou à contínua formação e evolução, no homem, de um conhecimento no qual ele tem todo tipo de concepções sobre Deus – com o resultado de que muitas pessoas religiosas que servem a Deus passaram a ser Seus inimigos. Assim, quanto mais fortes as concepções religiosas das pessoas, mais elas se opõem a Deus e mais elas são Suas inimigas. A obra de Deus é sempre nova, nunca é velha e nunca forma doutrina, e, em vez disso, está sempre mudando e renovando-se em maior ou menor medida. Essa obra é a expressão do caráter inerente do Próprio Deus. É também o princípio inerente da obra de Deus e um dos meios pelos quais Ele realiza a Sua gestão. Se Deus não operasse dessa forma, o homem não mudaria nem seria capaz de conhecê-Lo, e Satanás não seria derrotado. Assim, em Sua obra constantemente acontecem mudanças que parecem erráticas, mas na verdade são periódicas. No entanto, o modo em que o homem acredita em Deus é muito diferente: aferra-se a doutrinas e sistemas antigos e bem conhecidos que, quanto mais velhos, mais palatáveis são para ele. Como poderia a mente tola do homem, uma mente intransigente que nem pedra, aceitar tanta obra e palavras novas e insondáveis de Deus? O homem abomina o Deus que é sempre novo e nunca velho; ele só gosta do Deus velho e antiquado, imóvel e de cabelo branco. Logo, como Deus e o homem têm seus gostos diferentes, o homem virou inimigo de Deus.

de ‘Somente aqueles que conhecem a obra de Deus hoje podem servir a Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Se você só conhece Deus com base em um estágio de Sua obra, então seu conhecimento é muito, muito pequeno. Seu conhecimento é apenas uma gota no oceano. Se não, por que muitos da velha guarda religiosa pregarão Deus à cruz vivo? Não é porque o homem confina Deus dentro de certos parâmetros? Muitas pessoas não se opõem a Deus e obstruem a obra do Espírito Santo porque não conhecem a variada e diversificada obra de Deus, e, além disso, porque possuem apenas uma pequena quantidade de conhecimento e doutrina para medir a obra do Espírito Santo? Embora as experiências de tais pessoas sejam superficiais, elas são arrogantes e indulgentes por natureza, e consideram a obra do Espírito Santo com desprezo, ignoram as disciplinas do Espírito Santo e, além disso, usam seus antigos argumentos triviais para confirmar a obra do Espírito Santo. Elas também encenam um ato, e estão totalmente convencidas de sua própria aprendizagem e erudição, e que são capazes de viajar pelo mundo. Não são essas as pessoas desprezadas e rejeitadas pelo Espírito Santo, não serão elas eliminadas pela nova era? Não são aquelas pessoas pequenas que, míopes, vêm diante de Deus e se opõem abertamente a Ele, e estão apenas tentando mostrar como são inteligentes? Com um conhecimento escasso da Bíblia, elas tentam atravessar para a “academia” do mundo, mas com uma doutrina superficial para ensinar as pessoas, elas tentam reverter a obra do Espírito Santo, e tentam fazê-la girar em torno de seu próprio processo de pensamento. e, míopes como são, tentam contemplar de relance seis mil anos da obra de Deus. Essas pessoas têm alguma razão para falar? De fato, quanto maior o conhecimento das pessoas sobre Deus, mais lentas elas são para julgar Sua obra. Além disso, elas só falam um pouco de seu conhecimento da obra de Deus hoje, e não são precipitadas em seus julgamentos. Quanto menos as pessoas sabem de Deus, mais arrogantes e confiantes em excesso elas são, e mais arbitrariamente proclamam o ser de Deus; no entanto, elas só falam de teoria e não oferecem nenhuma evidência real. Essas pessoas não têm valor algum. Aqueles que veem a obra do Espírito Santo como uma brincadeira são frívolos! Aqueles que não são cautelosos quando encontram a nova obra do Espírito Santo, que são grosseiras, rápidas para julgar, que dão rédea livre ao seu instinto natural de negar a retidão da obra do Espírito Santo, e também insultam e blasfemam – essas pessoas desrespeitosas não ignoram a obra do Espírito Santo? Não são, além disso, os da arrogância, inerentemente orgulhosos e ingovernáveis?

de ‘Conhecer os três estágios da obra de Deus é o caminho para conhecer Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Conteúdo Relacionado