Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Após aceitarmos a salvação de Deus nos últimos dias, ganhamos uma vida nova

29

Por Zhui Qiu, Malásia

Sou esteticista e meu marido é fazendeiro; nós nos conhecemos na Malásia em um festival de arremesso de laranjas, uma atividade tradicional para mulheres à procura do seu amor. Nosso casamento, testemunhado por um pastor, foi realizado em uma igreja um ano depois. Eu fiquei profundamente comovida com a oração do pastor por nosso casamento e, embora eu não fosse religiosa, implorei silenciosamente a Deus: “Que esse homem me ame fielmente, cuide de mim e seja meu companheiro pelo resto da vida.”

Depois de iniciar a vida de casada, os conflitos entre meu marido e eu surgiram um após o outro. Ele saía de casa às 4h todas as manhãs para vender legumes e só voltava depois das 19h, mas eu não saía do trabalho antes das 22h. Tínhamos pouquíssimo tempo juntos. Toda vez que eu arrastava meu corpo exausto de volta para casa, eu esperava muito receber do meu marido alguma atenção, cuidado e compreensão; eu queria que ele me perguntasse como tinha sido o trabalho, se eu estava feliz ou não. Mas, para minha decepção, praticamente toda vez que eu chegava em casa do trabalho, se ele não estava assistindo TV, ele estava brincando no celular, e às vezes nem se importava em me cumprimentar. Era como se eu nem existisse. Isso me deixou realmente desanimada e, pouco a pouco, fiquei insatisfeita com meu marido.

Certa vez, eu me desentendi com um cliente e fiquei realmente irritada e me senti injustiçada. Depois de chegar em casa, falei sobre isso com meu marido, esperando que ele me consolasse, mas, para minha surpresa, enquanto jogava no celular, ele mal tomou conhecimento de mim, mal prestou atenção. Então baixou a cabeça e voltou a se concentrar no celular. Sua completa indiferença em relação a mim foi realmente irritante, então fui até ele e gritei: “Você é feito de pedra? Você nem consegue conversar? Você se importa com alguém?” Vendo-me com tanta raiva, ele se recusou a responder. Quanto mais ele me ignorava, mais minha raiva aumentava. Insisti muito com ele, absolutamente determinada a fazê-lo dizer alguma coisa. Inesperadamente, ele de repente gritou comigo: “Você já não disse o suficiente?” Isso me fez sentir ainda mais irritada e ainda mais ofendida, então continuei tentando argumentar com ele. Finalmente, ele simplesmente se recusou a dizer qualquer coisa, então nossa discussão acabou. Houve outra ocasião em que eu reclamei com meu marido sobre algo que me chateou no trabalho, pensando que ele tentaria me fazer sentir melhor, mas ele respondeu abruptamente, frio como gelo: “São necessários dois para dançar o tango. Tudo o que você vê são os problemas de outras pessoas – por que você não se enxerga?” Meu humor piorou instantaneamente, e eu não pude deixar de criticá-lo. Cheia de ressentimento, pensei: “Que tipo de pessoa ele é? Por que eu me casei com alguém como ele? Ele não tem absolutamente nenhuma consideração pelos meus sentimentos — ele não tem uma única palavra de consolo para mim!” Desde então, eu raramente compartilhava com ele o que acontecia no trabalho. Depois, em algum momento, ele tentou me perguntar sobre meu trabalho, mas nunca tive vontade de dar qualquer atenção a ele. Aos poucos, ele parou de me perguntar sobre qualquer coisa. Chegamos a ter cada vez menos assuntos comuns de conversa, e sempre que algo frustrante acontecia, eu procurava um amigo disposto a me ouvir. Às vezes eu ficava até tarde conversando com alguém e não chegava em casa antes da meia-noite. Mesmo quando chegava em casa tão tarde, ele não parecia se importar, mas apenas dizia que eu estava tratando nossa casa como um hotel. Eu me senti muito chateada e minha insatisfação com meu marido aumentou, levando-nos a brigar e discutir com muita frequência. Nós dois estávamos sofrendo. Como não queria que as coisas continuassem assim, eu decidi encontrar uma chance de ter uma boa conversa com ele.

Um dia, depois do jantar, eu perguntei a ele: “Você realmente não pode me suportar, pode? Por que você nunca presta atenção em mim? Se você tiver algum problema comigo, seja sincero.” Quando ele não disse uma palavra em resposta, eu fiquei insistindo. Surpreendentemente, ele gritou comigo, irritado: “Pare de me fazer todas essas perguntas! Tudo é um problema para você – eu estou cansado disso!” Obter esse tipo de resposta dele despertou minha própria raiva, e começamos a discutir novamente, batendo boca um com o outro. Isso continuou por um tempo até que ele se levantou e me deu um empurrão; eu perdi o equilíbrio e caí no sofá. Ver que meu marido levantaria uma mão contra mim partiu meu coração. Eu pensei: “Este é o marido que eu escolhi com tanto cuidado? Este é o casamento no qual depositei tantas esperanças? Como ele pôde me tratar desse jeito?” A partir desse ponto, eu não esperei mais nada dele.

Em abril de 2016, por puro acaso, uma irmã compartilhou o evangelho do Senhor Jesus comigo. Ela disse que o Senhor nos ama e que foi pregado na cruz para nos salvar. Eu fiquei realmente comovida pelo Seu amor e assim aceitei o evangelho do Senhor. Quando falei com meu pastor mais tarde sobre os problemas do meu casamento, ele me disse: “Não podemos mudar ninguém, a menos que nós mudemos primeiro. Devemos seguir o exemplo do Senhor Jesus e praticar tolerância e paciência com os outros”. Então, comecei a tentar me mudar. Eu voltava para casa assim que saía do trabalho e limpava a casa e, às vezes, quando meu marido me ignorava e eu estava prestes a perder a paciência, orava ao Senhor, pedindo a Ele que me concedesse tolerância e paciência. Nas vezes em que eu não conseguia me controlar e discutia com meu marido, depois eu tentava dar o primeiro passo para acalmar as coisas. Vendo as mudanças que tinham ocorrido em mim, meu marido também começou a crer no Senhor. Assim que ambos nos tornamos crentes, discutíamos com menos frequência e nos comunicávamos mais. Fiquei cheia de gratidão ao Senhor depois de ver Sua salvação pessoal por nós.

Mas o tempo foi passando e continuávamos incapazes de controlar nosso humor. Às vezes, as disputas domésticas ainda surgiam e, principalmente quando a outra pessoa estava de mau humor, nenhum de nós era capaz de praticar tolerância e paciência; em consequência disso, nossas brigas se tornaram cada vez mais intensas. Meu coração ficava cheio de dor após cada discussão, e eu orava ao Senhor: “Senhor, Tu nos ensinas a ser tolerantes e pacientes, mas parece que eu simplesmente não consigo fazer isso. Quando vejo meu marido fazendo algo que não gosto, sinto-me realmente descontente com ele. Senhor, o que devo fazer?” Mais tarde, comecei a frequentar todas as aulas organizadas pela igreja na esperança de encontrar uma senda de prática, mas isso não me trouxe o que eu esperava. Pedi ajuda ao líder do grupo, que simplesmente disse: “Minha esposa e eu também discutimos com frequência. Até Paulo disse: ‘Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está’ (Romanos 7:18). Ninguém tem uma solução para o problema que enfrentamos no ciclo de pecar e confessar constantemente. Tudo o que podemos fazer é orar ao Senhor e pedir Sua misericórdia”. Ouvi-lo dizer isso me deixou confusa: será que estávamos condenados a passar o resto de nossas vidas atolados em conflito?

Em março de 2017, meu marido, que sempre foi taciturno, de repente se transformou em um conversador animado. Além disso, ele compartilhava comigo com frequência sua compreensão das escrituras, e o que mais me surpreendeu foi que aquilo que ele compartilhava era realmente cheio de luz. Eu fiquei perplexa; era como se, de repente, ele tivesse se tornado uma pessoa diferente, e as coisas que ele estava dizendo eram realmente perspicazes. Eu realmente queria descobrir o que estava acontecendo. Um dia, descobri acidentalmente que ele era membro de um grupo em um aplicativo de mídia social e, sem demora, perguntei sobre o que ele estava conversando com eles. Com um olhar muito sério em seu rosto, ele me disse que estava considerando a obra dos últimos dias de Deus Todo-Poderoso, que o Senhor Jesus já havia retornado e que Seu nome era Deus Todo-Poderoso. Ele disse que Deus Todo-Poderoso já havia proferido milhões de palavras e estava fazendo a obra de julgamento e purificação da humanidade nos últimos dias. Ele também disse que isso cumpria esta profecia bíblica: “Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus” (1 Pedro 4:17). Meu marido me disse que, quando buscamos a aparição e a obra de Deus, precisamos nos concentrar em ouvir a voz de Deus, em vez de nos apegar cegamente às nossas noções e imaginações. Se não buscarmos a verdade, mas apenas esperarmos passivamente pela revelação de Deus, não poderemos acolher o retorno do Senhor. Ouvir isso me surpreendeu e parecia inconcebível. Mais tarde, ocorreu-me que, certa vez, eu ouvira um pastor indiano dizer que, se alguma vez ouvíssemos algo sobre a volta do Senhor, deveríamos procurar com o coração aberto e investigar com seriedade; não podíamos confiar em nossas noções e imaginações e apenas julgar cegamente. Então, fiz uma oração ao Senhor: “Senhor, se Deus Todo-Poderoso realmente for o Teu retorno, por favor, me conduz e me guia para que eu possa buscar a verdade e investigar isso com um coração aberto. Caso contrário, protege meu coração para eu não me afastar de Ti. Amém!”

Abri a Bíblia depois dessa oração e vi isto em Apocalipse 3:20: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele Comigo”. Eu tive um súbito momento de inspiração e senti que era o Senhor falando comigo, dizendo-me que, quando Ele voltasse, Ele bateria à minha porta; eu senti que era Ele me ordenando que ouvisse Sua voz e abrisse a porta. Foi exatamente como no caso das virgens sábias da Bíblia que se apressaram a receber o noivo quando ouviram sua voz. Pensei então em João 16:12-13: “Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, Aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por Si Mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras”. Ao refletir sobre esses versículos das Escrituras, um sentimento de excitação brotou dentro de mim. Eu percebi que, muito tempo atrás, o Senhor nos havia dito que, ao voltar, Ele proferiria mais palavras e nos concederia a verdade. E a obra dos últimos de Deus Todo-Poderoso consiste em expressar palavras para julgar e purificar a humanidade — será que Deus Todo-Poderoso realmente é o Senhor Jesus que retornou? Se o Senhor realmente voltou e expressou verdades para resolver todas as dificuldades da humanidade, então há esperança de escaparmos dos laços do pecado. Então, os problemas entre meu marido e eu poderiam ser resolvidos? Sem perder tempo, pedi ao meu marido que me colocasse em contato com irmãos e irmãs da Igreja de Deus Todo-Poderoso; eu também queria investigar a obra dos últimos dias de Deus Todo-Poderoso.

Um casamento feliz começa com a aceitação da salvação de Deus

Durante uma reunião, alguns irmãos e irmãs da Igreja de Deus Todo-Poderoso selecionaram alguns versículos da Bíblia para comungar comigo sobre vários aspectos da verdade, como a forma da volta do Senhor, o novo nome do Senhor e a obra que Ele fará. Sua comunicação foi incrivelmente convincente e completamente nova para mim. Eu realmente queria saber mais sobre a obra do Senhor dos últimos dias, então eu orei a Deus repetidamente, pedindo que Ele me iluminasse para que eu pudesse entender as palavras de Deus. Ao ler as palavras de Deus e ouvir a comunicação dos irmãos, eu gradualmente adquiri uma compreensão do objetivo de Deus em Sua gestão da humanidade, dos três estágios da Sua obra para salvar a humanidade e o desfecho e destino da humanidade. Enquanto analisava a obra dos últimos dias de Deus Todo-Poderoso, eu ainda não conseguia deixar de brigar com meu marido por causa de ninharias. Depois do fato, eu realmente me sentia culpada e chateada e me perguntava: “Por que nunca consigo pôr em prática as palavras de Deus?” Isso me deixou perplexa. Certa vez, numa reunião, perguntei a uma irmã: “Por que meu marido e eu estamos sempre discutindo? Por que não conseguimos conviver pacificamente?” Ela encontrou algumas passagens das palavras de Deus para mim. “Antes de o homem ser redimido, muitos dos venenos de Satanás já estavam plantados dentro dele e, depois de milhares de anos de ser corrompido por Satanás, o homem já tem dentro de si uma natureza estabelecida que resiste a Deus. Portanto, quando o homem foi redimido, isso não é nada mais do que um caso de redenção, na qual o homem é comprado por um alto preço, mas a natureza venenosa dentro dele não foi eliminada. O homem que é contaminado assim deve sofrer uma mudança antes de ser digno de servir a Deus. Por meio dessa obra de julgamento e castigo, o homem conhecerá por completo a substância imunda e corrupta dentro de si mesmo, e ele poderá mudar completamente e se tornar limpo. Só assim o homem pode se tornar digno de retornar diante do trono de Deus” (de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”) “Embora Jesus tenha feito muita obra entre os homens, Ele apenas completou a redenção de toda a humanidade e tornou-Se oferta pelo pecado dos homens e não livrou o homem de todo o seu caráter corrupto. Salvar o homem plenamente da influência de Satanás não exigiu apenas que Jesus tomasse os pecados do homem como oferta pelo pecado, mas também exigiu que Deus fizesse uma obra maior para livrar o homem completamente de seu caráter, que foi corrompido por Satanás. E assim, depois que os pecados do homem foram perdoados, Deus voltou para a carne para guiar o homem até a nova era e começou a obra do castigo e julgamento, e essa obra tem trazido o homem a um reino superior. Todo aquele que se submete ao Seu domínio desfrutará de uma verdade maior e receberá bênçãos maiores. Eles viverão verdadeiramente na luz e ganharão a verdade, o caminho e a vida” (de ‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Ela então compartilhou a seguinte comunicação: “No começo, Adão e Eva viviam felizes diante de Deus no Jardim do Éden. Não havia discussões; não havia sofrimento. Mas depois de ouvirem a serpente e comerem o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, eles se afastaram de Deus e o traíram, perdendo o cuidado e a proteção de Deus e vivendo sob o poder de Satanás. Foi então que começaram os dias de tristeza e sofrimento. Tem sido assim até agora, e nos tornamos cada vez mais profundamente corrompidos por Satanás. Estamos cheios de caracteres satânicos e corruptos; todos somos incrivelmente arrogantes, egoístas, enganosos e obstinados. Somos egocêntricos em todas as coisas, sempre querendo que os outros nos escutem. É por isso que as pessoas brigam entre si e se matam. Até pais e filhos, maridos e esposas não têm tolerância e paciência uns com os outros e não são capazes de se relacionar harmoniosamente — falta-nos a consciência e a razão mais básicas. Embora tenhamos sido redimidos pelo Senhor Jesus, apesar de orarmos ao Senhor, confessarmos e nos arrependermos, e apesar de trabalharmos duro para aderir aos ensinamentos do Senhor, ainda assim não conseguimos deixar de pecar e resistir a Deus. Isso porque o Senhor Jesus realizou apenas a obra de redimir a humanidade; Ele não realizou a obra de salvar e purificar completamente a humanidade. Aceitar a salvação do Senhor Jesus significa apenas que não somos mais do pecado e que temos a oportunidade de comparecer diante do Senhor em oração, de receber Sua misericórdia e de obter o perdão dos nossos pecados. No entanto, não fomos purificados dos nossos caracteres corruptos. Nossa natureza pecaminosa ainda está profundamente enraizada em nós; ainda precisamos que Deus volte nos últimos dias e realize o estágio da obra de purificar e transformar a humanidade, resolvendo assim o problema da nossa natureza pecaminosa. E agora, mais uma vez, Deus se tornou carne, expressando as palavras para fazer a obra de julgamento e limpeza para nos salvar completamente dos nossos caracteres corruptos e permitir que escapemos da influência de Satanás e sejamos totalmente salvos. Enquanto acompanharmos a nova obra de Deus, aceitarmos o julgamento e o castigo de Suas palavras, buscarmos a verdade e colocarmos em prática as palavras de Deus, nossos caracteres corruptos serão gradualmente transformados. Essa é a única maneira de sermos capazes de viver uma verdadeira semelhança humana e só então seremos capazes de alcançar harmonia em nossas interações com os outros.”

Finalmente eu percebi pelas palavras de Deus e pela comunicação dessa irmã que a razão de estarmos sempre vivendo nesse estado de pecar e depois confessar era porque, embora o Senhor Jesus tivesse feito a obra de redimir a humanidade, nossos pecados como crentes foram meramente perdoados; nossa natureza pecaminosa interior, no entanto, ainda estava profundamente enraizada, e nosso caráter satânico ainda não havia sido purificado. Um exemplo perfeito é como eu pretendia praticar paciência e tolerância de acordo com os ensinamentos do Senhor, mas assim que meu marido dizia ou fazia algo de que eu não gostava, eu não conseguia deixar de perder a paciência. Eu simplesmente não conseguia me controlar, não importava o que fosse. Sem a obra de Deus para nos salvar, é impossível nos livrarmos do nosso caráter satânico e corrupto confiando em nossos próprios esforços. E agora, Deus encarnou mais uma vez, vindo para realizar a obra de julgar e purificar a humanidade. Ao aceitar a nova obra de Deus e realmente buscar a verdade, temos a oportunidade de alcançar a transformação de caráter. Senti-me realmente emocionada e incrivelmente grata pela misericórdia do Senhor, que me permitiu ouvir Sua voz. Mas eu ainda não estava totalmente convencida — eu sabia que, dessa vez, Deus veio para proferir palavras para nos purificar e nos transformar, mas como as palavras podem julgar e purificar nosso caráter corrupto? Desse modo, expliquei minha confusão.

A irmã leu outra passagem das palavras de Deus para mim. “Nos últimos dias, Cristo usa uma variedade de verdades para ensinar o homem, expor a essência do homem e dissecar suas palavras e ações. Essas palavras abrangem várias verdades: o dever do homem, como o homem deveria obedecer a Deus, como o homem deveria ser leal a Deus, como o homem deve viver a humanidade normal, bem como a sabedoria e o caráter de Deus e assim por diante. Essas palavras são todas dirigidas à essência do homem e ao seu caráter corrupto. Em especial, essas palavras que expõem como o homem desdenha de Deus são faladas em relação a como o homem é a corporificação de Satanás e uma força inimiga contra Deus. Ao realizar Sua obra de julgamento, Deus não só torna clara a natureza do homem com apenas algumas palavras; Ele também expõe, trata e poda no longo prazo. Esses métodos de exposição, tratamento e poda não podem ser substituídos por palavras comuns, mas pela verdade que o homem absolutamente não possui. Apenas métodos desse tipo são considerados julgamento; só por meio de julgamento desse tipo é que o homem pode ser subjugado e completamente convencido a se submeter a Deus e, além disso, ganhar verdadeiro conhecimento de Deus. O que a obra de julgamento produz é o entendimento do homem da verdadeira face de Deus e da verdade sobre a própria rebelião. A obra de julgamento permite que o homem ganhe bastante entendimento da vontade de Deus, do propósito da obra de Deus e dos mistérios que lhe são incompreensíveis. Também permite que o homem reconheça e conheça sua substância corrupta e as raízes de sua corrupção, bem como descubra a fealdade do homem. Esses efeitos são todos produzidos pela obra de julgamento, pois a substância dessa obra é, de fato, a obra de abrir a verdade, o caminho e a vida de Deus a todos aqueles que têm fé Nele. Essa obra é a obra de julgamento realizada por Deus” (de ‘Cristo realiza a obra do julgamento com a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Um casamento feliz começa com a aceitação da salvação de Deus

Ela passou a compartilhar mais coisas comigo. “As palavras de Deus explicam claramente para nós como Ele faz a obra do julgamento. Ele usa palavras para julgar e purificar a humanidade; Ele usa principalmente palavras para revelar e dissecar diretamente nossa natureza e essência corruptas e nosso caráter satânico. Ele também nos disse claramente como devemos nos submeter e adorar a Deus, como viver a humanidade apropriada, como buscar a verdade para alcançar uma mudança de caráter, como ser uma pessoa honesta e qual é a vontade de Deus e quais são as exigências para as pessoas. Ele nos disse de que tipo de pessoas ele gosta e que tipo de pessoas ele elimina, e mais. Ele também estabelece pessoas, eventos, coisas e ambientes para podar e lidar conosco, para nos testar e refinar. Isso expõe nosso caráter corrupto e nos obriga a comparecer diante de Deus e buscar a verdade, a aceitar o julgamento e o castigo de Suas palavras e a refletir e conhecer a nós mesmos. Quando aceitamos as palavras de julgamento e castigo de Deus, sentimos que Ele está falando conosco, frente a frente, vividamente, revelando totalmente nossa rebeldia e resistência a Ele, nossos motivos incorretos e nossas noções e imaginações. Somente então podemos ver que nossa natureza e essência são cheias de arrogância, presunção, engano, desonestidade, egoísmo e desprezo. Vemos que nos falta inteiramente um coração de reverência a Deus e que vivemos inteiramente baseados em nossa natureza satânica e corrupta, que tudo o que revelamos é nosso caráter satânico e que nos falta totalmente a semelhança humana. Começamos a nos odiar e a sentir desprezo por nós mesmos do fundo do nosso coração e desejamos não viver mais sob a influência de Satanás e ser manipulados e magoados por Satanás. Além disso, através do julgamento e castigo de Deus, vemos a essência santa de Deus e Seu caráter justo, que não tolera ofensas. Um coração de reverência a Deus se desenvolve dentro de nós, e nós nos tornamos dispostos a colocar a verdade em prática para satisfazer a Deus. Quando começamos a praticar a verdade, o caráter benevolente e misericordioso de Deus aparece para nós. Ao ler continuamente as palavras de Deus e experimentar Seu julgamento e castigo, ganhamos uma compreensão mais profunda de nossa própria natureza corrupta, entendemos melhor as verdades expressas por Deus e nos tornamos ainda mais dispostos a aceitar e nos submeter a Seu julgamento e castigo, a abandonar a carne, colocar a verdade em prática e satisfazer a Deus. Nós revelamos cada vez menos corrupção, praticar a verdade se torna cada vez mais fácil, e gradativamente trilhamos a senda de temer a Deus e evitar o mal. Ao experimentar o julgamento e o castigo das palavras de Deus, todos nós podemos confirmar do fundo do nosso coração que essa é a panaceia que nos salva e nos cura de nosso caráter corrupto. Este é o verdadeiro amor de Deus por nós, seres humanos corruptos e, sem experimentar o julgamento e o castigo das palavras de Deus, nunca seremos capazes de viver uma verdadeira semelhança humana”.

As palavras de Deus e a comunhão da irmã tiveram um enorme impacto sobre mim. Eu senti que a obra de julgamento e castigo de Deus nos últimos dias é realmente muito prática, e, se quisermos que nosso caráter corrupto seja transformado, devemos experimentar o julgamento e castigo das palavras de Deus. Caso contrário, viveremos para sempre no ciclo de pecar e depois confessar e nunca escaparemos dos laços do pecado. Então, fiz uma oração a Deus do fundo do meu coração, pedindo para Ele me regar e me alimentar com Suas palavras e estabelecer ambientes para me julgar e me castigar, para que eu pudesse me conhecer, meu caráter corrupto pudesse ser transformado logo e eu pudesse viver uma verdadeira semelhança humana.

Depois de aceitar a obra de Deus dos últimos dias, também adquiri uma nova compreensão do casamento que Deus havia arranjado para mim. Em certo momento, uma irmã leu algumas passagens das palavras de Deus para mim. “As pessoas alimentam muitas ilusões sobre o casamento antes de experimentá-lo por si mesmas e todas essas ilusões são belas. As mulheres imaginam que sua cara-metade será o Príncipe Encantado e os homens imaginam que se casarão com a Branca de Neve. Essas fantasias mostram que toda pessoa tem certas exigências para o casamento, um conjunto próprio de demandas e padrões” (de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”). “O casamento é uma conjuntura importante na vida de uma pessoa. É o produto da sina de uma pessoa, um elo crucial na sina da pessoa; não se baseia na volição nem nas preferências individuais de ninguém, nem é influenciado por quaisquer fatores externos, mas é completamente determinado pelas sinas das duas partes, pelos arranjos e predeterminações do Criador com relação às sinas do casal” (de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Quando alguém entra em um casamento, sua jornada na vida influenciará e tocará sua cara-metade e, da mesma forma, a jornada na vida do parceiro influenciará e tocará sua sina na vida. Em outras palavras, as sinas humanas estão interconectadas e ninguém pode cumprir sua missão na vida nem desempenhar seu papel de maneira completamente independente de outros. O nascimento da pessoa tem relação com uma enorme cadeia de relacionamentos; crescer também envolve uma complexa cadeia de relacionamentos; e, de modo similar, um casamento inevitavelmente existe e se sustenta em uma rede vasta e complexa de conexões humanas, envolvendo todos os membros e influenciando a sina de todos os que fazem parte dela. Um casamento não é o produto das famílias de ambos os membros, das circunstâncias em que eles crescem, de suas aparências, de suas idades, suas qualidades, seus talentos ou quaisquer outros fatores; antes, ele resulta de uma missão compartilhada e de uma sina relacionada. Essa é a origem do casamento, um produto da sina humana orquestrada e arranjada pelo Criador” (de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”). Então ela compartilhou sua comunicação comigo. “Cada um de nossos casamentos foi predestinado por Deus, e muito tempo atrás Deus determinou com quem iniciaríamos uma família — tudo isso é arranjado pela própria sabedoria de Deus. O casamento que Ele escolhe para nós não depende de nosso status social, aparência externa ou calibre, mas é determinado pelas missões das duas pessoas na vida. No entanto, somos controlados por nosso caráter corrupto e, por isso, constantemente fazemos muitas exigências à nossa outra metade, sempre desejando que ela faça as coisas do nosso jeito. Quando não o faz, recusamo-nos a aceitar isso e nos sentimos insatisfeitos; discutimos com ela e ficamos com raiva ou até reclamamos, culpamos e entendemos mal a Deus. Isso leva duas pessoas a viverem em dor. Esse tipo de dor não é causado por outros, nem é causado pelo governo e pelos arranjos de Deus, mas ocorre porque vivemos de acordo com nosso caráter corrupto, arrogante e presunçoso. Esse tipo de caráter corrupto nos coloca em desacordo com o governo de Deus; somos incapazes de nos submeter a Suas orquestrações e arranjos”.

Ao ouvir a comunicação dessa irmã, pensei no decurso do meu relacionamento com meu marido. Sempre expressei insatisfação com ele e sempre exigi que ele fizesse as coisas do meu jeito — se ele não lembrasse de mim, demonstrasse consideração e se importasse comigo, se ele não perguntasse pelo meu bem-estar, eu reclamava e achava que ele não prestava. Eu o desprezava de todas as maneiras e travava uma guerra fria contra ele, recusando-me a reconhecê-lo. Finalmente vi que eu realmente era uma pessoa arrogante, presunçosa, egoísta e desprezível. Eu era alguém que só pensava nos meus próprios interesses e não pensava nos sentimentos de outras pessoas. Ponderando bem, vi que de modo nenhum era verdade que meu marido não se importava comigo, mas ele era mais introvertido e não era expressava muito as suas emoções. Ele também tinha pensamentos e preferências próprios, mas eu insistia em forçá-lo a fazer coisas que ele não gostava de fazer. Eu sempre queria que tudo o que ele fazia girasse em torno de mim, e era isso que tinha levado a tantos conflitos entre nós. Não pude deixar de me arrepender do meu comportamento passado. Também pensei no que meu marido disse, a saber, que, no passado, havia sido eu que tinha compartilhado o evangelho do Senhor com ele, mas agora ele havia compartilhado comigo o evangelho de Deus dos últimos dias. Essa foi a grande graça de Deus para nós e Seu maravilhoso arranjo. Nós dois somos pessoas extremamente abençoadas, mas eu não conhecia nenhum tipo de gratidão. Em vez disso, eu não estava disposta a me submeter ao casamento que Deus havia arranjado para mim, constantemente culpando a Deus. Vi que eu era tão arrogante, tão desprovida de razão! Graças a Deus por me guiar com Suas palavras. Eu havia encontrado a raiz de todo sofrimento em meu casamento — ganhei um senso de tranquilidade e libertação em meu coração. Também me dispus a apoiar-me em Deus e olhar para Deus em minha vida a partir de então, a abandonar meu caráter arrogante, orgulhoso e corrupto e interagir de maneira harmoniosa com meu marido.

Desde então, meu marido e eu lemos as palavras de Deus e compartilhamos a verdade juntos com frequência e cumprimos o dever de um ser criado da melhor maneira que podemos. Também somos alimentados e regados pelas palavras de Deus todos os dias; quando encontramos um problema, buscamos Sua vontade de acordo com Suas palavras. Se revelamos corrupção ou entramos em uma discussão, ambos comparecemos juntos diante de Deus e refletimos sobre isso e conhecemos a nós mesmos. Quando colocamos isso em prática, ganhamos mais compreensão e perdão um do outro. Nossas discussões são menos frequentes, nossa vida doméstica se tornou harmoniosa, e nossa vida está ficando cada vez mais completa. O que foi mais comovente para mim é que a compreensão da verdade do meu marido é melhor do que a minha. Ele frequentemente compartilha comigo sua compreensão das palavras de Deus, e quando ele me vê revelar um caráter corrupto, ele compartilha comigo a respeito da verdade e da vontade de Deus. Eu realmente tenho sentido seu cuidado e amor por mim — estou feliz no fundo do meu coração. Fazendo uma retrospectiva da nossa senda, eu ainda sou quem sou e ele ainda é quem ele é; mas, por termos aceitado a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias e termos entendido algumas verdades, absolutamente tudo mudou. Dou graças ao Deus Todo-Poderoso por nos salvar!

Conteúdo Relacionado

  • Um tipo diferente de amor

    Chengxin, Brasil Por uma oportunidade casual, eu vim da China para o Brasil em 2011. Logo que cheguei, meus olhos brilhavam de curiosidade diante das…

  • Desvendando o mistério do “julgamento”

    Louvado seja o Senhor! Recebi muito mesmo por meio da comunicação das irmãs. Mesmo que ainda tenha que experimentar o julgamento e castigo de Deus, por meio da comunhão com elas e da leitura de Testemunhos de experiências sobre a entrada na vida, senti que o julgamento e castigo de Deus realmente é capaz de mudar as pessoas.

  • Eu dei as boas-vindas ao retorno do Senhor

    Por Qingxin, Mianmar Meus pais são ambos cristãos e desde cedo comecei a ir com eles à igreja para participar dos cultos. Aos 12 anos de idade, partic…

  • Resolvendo preocupações persistentes

    Max, EUA Eu nasci nos EUA, em 1994, e meus pais eram chineses. Minha mãe era uma mulher com uma típica carreira de sucesso, muito independente e capaz…